segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Maria e a Rússia

O Coração de Maria e a Rússia


Respeito à consagração da Rússia à Mãe de Deus voltou a ser pedido no momento da grande visão trinitária acontecida em Tuy, no dia 13 de junho de 1929. Estando Irmã Lúcia de Jesus na capela das Irmãs Dorotéias, lhe apareceu Nossa Senhora: “É chegado o momento em que Deus pede para o Santo Padre fazer, em união com todos os Bispos do mundo, a consagração da Rússia ao meu Imaculado Coração, prometendo salvá-la por este meio". 

São tantas as almas que a Justiça de Deus condena por pecados contra Mim cometidos, que venho pedir reparação: sacrifica-te por esta intenção e ora”. E a Irmã Lúciaacrescenta: “Mais tarde, por meio de uma comunicação íntima, Nossa Senhora me disse, queixando-se: “Não quiseram atender ao meu pedido. Como o Rei de França, arrepender-se-ão e fa-lo-ão, mas será tarde. A Rússia terá já espalhado os seus erros pelo mundo, provocando guerras, perseguições à Igreja: o Santo Padre terá muito que sofrer”.

Assim como Cristo exigiu através de Santa Margarida Maria Alacoque a consagração da França, assim também nos nossos dias o Céu pediu a consagração da Rússia ao Imaculado Coração de Maria. Por que a Virgem Maria cita a Rússia? Não há outros países tão pecadores e culpáveis como a Rússia? Quando os videntes ouvem, em julho de 1917, a palavra Rússia, não sabem de que se trata. É para eles simplesmente símbolo de algo maligno que combate contra Deus, o Papa, a Igreja, e que causa males sem número. Na mensagem de Fátima, Rússia significa algo religioso, ou melhor, anti-religioso, que se concretiza no comunismo ateu e marxista, que declarou oficialmente guerra a Deus e à Igreja, e que se prolonga no ateísmo materialista e na divinização humanista que hoje reina no mundo. Se Fátima fala da Rússia não é mais que para pedir uma consagração, pressuposto necessário para a sua conversão.

Mas por desgraça nenhum Papa cumpriu ainda a consagração da Rússia tal como a pede Nossa Senhora. E, no entanto, o Céu vinculou graças decisivas para a Igreja e para o mundo ao cumprimento deste pedido. Deve entender-se também, reciprocamente, que, se não a cumprem, sobrevirão catástrofes sobre o mundo, pelo simples fato de que Deus deixa a humanidade sem socorro, abandonada a si mesma. Por que Deus faz depender a salvação do mundo de um ato tão simples e em aparência insignificante?

A insignificância da consagração deve pôr de manifesto a eficácia de Maria na conversão realizada. Desde o ponto de vista humano o ato que Deus pede para a conversão da Rússia não tem proporção alguma com o efeito prometido. No entanto, será precisamente isto o que, diante de todos os homens, mostrará a grande conversão como um fato sobrenatural. Além disso, como a consagração, segundo o pedido de Maria, deve ter um caráter público e mundial, também o conhecimento dessa conversão será acessível a todos os homens. Precisamente por esta falta aparente de proporção, o grande papel de Maria como Medianeira de todas as graças brilhará diante dos homens na sua plena grandeza, como também se porá de manifesto a sua vitória sobre o demônio.

Por que a Santa Sé não cumpre com os seus desejos? A Irmã Lúcia atribuía a uma permissão divina inescrutável. E quando lhe perguntaram porque Deus não convertia a Rússia sem necessidade de recorrer a este meio, respondeu com uma comunicação recebida do Senhor: “Porque quero que toda a minha Igreja reconheça essa consagração como um triunfo do Coração Imaculado de Maria, para depois estender o seu culto e pôr, ao lado do meu Divino Coração, a devoção deste Imaculado Coração”.

A conversão da Rússia, no entanto, não deve ser pensada como produzida mecanicamente por uma fórmula, recitada um dia pelo Papa em união com os Bispos de todo o mundo. Isto exige necessariamente a cooperação humana: uma intensa difusão da devoção ao Coração de Maria, como grande intercessora neste grave problema, para que seja a Virgem Maria, com o seu Coração Imaculado, quem venha a ser o grande suplemento em todas as deficiências da humanidade e da Igreja. “Rússia – dizia a Irmã Lúcia – está entregue a esse Coração Imaculado”. A conversão da Rússia é uma graça tão grande para a humanidade dos nossos dias que deve ser merecida com a nossa própria conversão.

O pecado

"Terias tu porventura comido do fruto da árvore 
que Eu te havia proibido de comer?"
(Gênesis)


DEFINIÇÃO DE PECADO

A livre transgressão de uma lei divina é pecado. Uma vez que toda lei é derivada da lei divina, natural ou positiva, toda transgressão de uma lei punitiva emanada de uma autoridade legitimamente constituída, é um pecado.

O pecado pode ser mortal ou venial. É mortal quando a transgressão é de uma lei divina em matéria séria e quando o consentimento para pecar reconhece tanto a lei quanto a matéria séria (É um pecado em matéria grave, cometido com pleno conhecimento do pecador e com consentimento deliberado do pecador). Um pecado é venial quando é cometido ou por conhecimento e consentimento imperfeitos, ou quando alguém transgride a lei que não obriga seriamente, ou quando o pecado é realmente grave, mas devido a uma consciência errônea invencível (uma consciência que não esteja propriamente formada no conhecimento do bem e do mal) quem comete ignora sua gravidade.

O pecado também é classificado com relação ao tipo: pecado interior é aquele cometido por meio das faculdades espirituais, e. g., imaginação; pecado real é qualquer ato ou omissão de um bom ato prescrito; pecado habitual é o estado de pecado de quem não se arrependeu. O pecado é formal quando é deliberadamente contra a lei, mesmo se a lei apenas supostamente existe; é material quando a transgressão é contra a lei, mas quando o conhecimento da pecaminosidade da transgressão não está presente; na verdade não é um pecado real formal, pois lhe faltou o consentimento (Cf. Mandamentos de Deus; Preceitos da Igreja).

Estandarte da Modéstia

"Entrega-te a Deus e não temas,
porque se ele te coloca na luta, 
certamente não te deixará sozinho para que caias"
(Santo Agostinho - Confissões)


INTENÇÕES DA CRUZADA

1. Reparação dos Sagrados Corações, o Sagrado Coração de Jesus e o Imaculado Coração de Maria, pelos inumeráveis pecados da impureza e imodéstia cometidos diariamente em todo mundo.

2. Pelo sucesso da Cruzada Mariana em:
a) Promover a castidade Mariana e a modéstia;
b) Pelo triunfo do Imaculado Coração de Maria.

O PROGRAMA DE ORAÇÃO (PARA HOMENS, MULHERES E CRIANÇAS).

1. Recitar diariamente três Ave-Marias pela pureza pessoal e modéstia, cada Ave-Maria seguida pela oração de indulgência: “Pela Imaculada Conceição, ó Maria, faça meu corpo puro e minha alma santa”.

2. Consagrar-se diariamente ao Imaculado Coração de Maria por qualquer “Ato” aprovado (ou ao menos formulado nas suas próprias palavras).

3. Usar sempre o Escapulário Marrom de Nossa Senhora do Carmo.

4. Usar o Escapulário Verde ou portar na sua pessoa.

5. Assistir o Santo Sacrifício da Missa tão freqüentemente quanto possível.

6. Receber a Santa Comunhão tão frequentemente quanto possível.

7. “Observância dos Primeiros Sábados de cada mês (na intenção de Nossa Senhora), consistindo da Santa Missa e Santa Comunhão; reparação do Imaculado Coração”; do Santo Rosário; e mais 15 minutos de meditação sobre os mistérios do Santo Rosário.

8. O Santo Rosário diariamente. Esta é uma obrigação. Enfatizamos veementemente a importância de rezar diariamente o Santo Rosário.

9. Horas Santas de oração quando possíveis. Seja perante o Santíssimo Sacramento se possível, seja em casa.

10. Sacrifícios diários oferecidos ao Pai Celeste através do Imaculado Coração de Maria.

11. Venerar a Santíssima Mãe como modelo, lutando cada dia para agradar a Deus evitando o pecado e imitando suas sublimes virtudes. “Não os permita continuar ofendendo a Deus, pois Ele já está muito ofendido.”

12. Praticar a castidade e a modéstia habitualmente, tanto exterior quanto interior. “Mais almas vão para o inferno por causa de pecados carnais do que por qualquer outra razão”.

13. Acrescentar depois de cada dezena do Rosário, “Oh meu Jesus, perdoai-nos, livrai-nos do fogo do Inferno e lavai as almas todas para o céu, especialmente as que mais precisarem da Vossa misericórdia”.

14. Confessar-se com frequência. Sugerimos a cada duas semanas.

O PROGRAMA DO VESTUÁRIO MARIANO

Este programa inclui o seguinte:

1. Esforçar-se para ser modesta em pensamentos, palavras e conduta, em todas as horas e lugares.

2. Recusar-se a usar a moda pagã conhecida como “shorts”.

3. Recusar-se a usar slacks (aos quais Nossa Senhora fez referências na aparição de Fátima em 1917 e disse que “ofenderiam muito a nosso Senhor”).

4. Vestir somente trajes que seguem os Padrões Marianos.

5. Esforçar-se para promover a modéstia Mariana em qualquer oportunidade que se apresente (uma forma excelente é divulgando esta brochura).

domingo, 30 de outubro de 2011

Mandamentos de Deus



OS DEZ MANDAMENTOS

1. Eu sou o Senhor teu Deus; Não terás em minha presença deuses estranhos.
2. Não tomarás o nome do Senhor teu Deus em vão.
3. Observa o dia do Senhor para o santificares.
4. Honra teu pai e tua mãe.
5. Não matarás.
6. Não cometerás adultério.
7. Não furtarás.
8. Não dirás falso testemunho contra o teu próximo.
9. Não cobiçarás a mulher do teu próximo.
10. Não cobiçarás as coisas do teu próximo.

OS DOIS GRANDES MANDAMENTOS

1. Ama o Senhor teu Deus com todo teu coração e alma e fortaleza.
2. Ama a teu próximo como a ti mesmo.

OS PRECEITOS DA IGREJA

1. Assistir a Missa em todos Domingos e Dias Santos de Guarda.
2. Jejuar e abster-se nos dias determinados.
3. Confessar nossos pecados pelo menos uma vez ao ano.
4. Comungar na Páscoa.
5. Pagar o dízimo.
6. Observar as leis da Igreja sobre o casamento.

 DIAS SANTOS DE GUARDA

1. Natal (25 de dezembro)
2. Oitavas de Natal (1 de janeiro)
3. Quinta-Feira da Ascenção (40 dias após a Páscoa)
4. A Assunção (15 de agosto)
5. Dia de Todos os Santos ( 1 de novembro)
6. A Imaculada Conceição (8 de dezembro)

AS OITO BEM-AVENTURANÇAS
(S. Mateus V, 3-10).

1. Bem-aventurados os pobres de espírito, porque deles é o reino dos céus.
2. Bem-aventurados os mansos, porque possuirão a terra.
3. Bem-aventurados os que choram, porque serão consolados.
4. Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque serão saciados.
5. Bem-aventurados os misericordiosos, porque alcançarão misericórdia.
6. Bem aventurados os limpos de coração, porque verão a Deus.
7. Bem-aventurados os pacíficos, porque serão chamados filhos de Deus.
8. Bem-aventurados os que sofrem perseguição por amor da justiça, porque deles é o Reino dos Céus.

OBRAS CORPORAIS DA MISERICÓRDIA

1. Alimentar os que têm fome.
2. Dar de beber aos que têm sede.
3. Dar de vestir aos despidos.
4. Dar abrigo aos que não tem casa.
5. Visitar os doentes.
6. Visitar os encarcerados.
7. Enterrar os mortos.

OBRAS ESPIRITUAIS DA MISERICÓRDIA

1. Aconselhar aos que têm dúvidas.
2. Ensinar os ignorantes.
3. Admoestar os pecadores.
4. Confortar os que padecem tristeza.
5. Perdoar as injúrias.
6. Suportar os que erram pacientemente.
7. Rezar pelos vivos e mortos.

PECADOS CONTRA O ESPÍRITO SANTO

1. Presumir ganhar a salvação sem merecê-la.
2. Perder a esperança na salvação.
3. Resistir às verdades que nos foram reveladas.
4. Inveja do bem espiritual alheio.
5. Teimosia no pecar.
6. Obstinação fatal nos próprios pecados.

OS SETE PECADOS CAPITAIS

1. Orgulho: uma admiração sem limites de nossos próprios méritos.
2. Avareza: um desejo imoderado por bens terrenos.
3. Luxúria: a busca de prazeres impuros.
4. Raiva: um desejo anormal de vingança.
5. Gula: o consumo ilimitado de comida e bebida.
6. Inveja: tristeza pela boa fortuna do próximo.
7. Preguiça: Preguiça em agir corretamente ou falta de cuidado em agir corretamente e praticar a virtude, devido às dificuldades que se acarretam.

OS PECADOS QUE CLAMAM AO CÉU POR VINGANÇA

1. Assassinato intencional.
2. Sodomia.
3. Opressão aos pobres.
4. Enganar aos trabalhadores nos seus salários.

NOVE MANEIRAS DE COLABORAR COM O PECADO ALHEIO


1. Aconselhar ou recomendar a outrem que peque.
2. Ordenar a outrem que peque.
3. Tentar a outrem para que peque.
4. Consentir com o pecado alheio.
5. Mostrar a outrem como pecar.
6. Louvar o pecado alheio.
7. Ocultar, silenciar, não fazer nada para prevenir o pecado alheio.
8. Participar, ou regozijar-se do pecado alheio.
9. Defender o pecado alheio.

A grande Promessa

 
A grande promessa do Coração de Maria em Pontevedra

A primeira promessa Nossa Senhora cumpriu no dia 10 de dezembro de 1925. Irmã Lúcia, como postulante dorotéia, estava na sua cela quando lhe apareceu Nossa Senhora pondo-lhe uma mão sobre o ombro enquanto lhe mostrava na outra um coração cercado de espinhos. Ao lado de Nossa Senhora estava o Menino Jesus sobre uma nuvem luminosa, quem lhe disse: “Tem pena do Coração de tua Santíssima Mãe, que está coberto de espinhos que os homens ingratos a todos os momentos Lhe cravam, sem haver quem faça um ato de reparação para os tirar”.

A Santíssima Virgem acrescentou: “Olha, minha filha, o meu Coração cercado de espinhos que os homens ingratos a todos os momentos Me cravam com blasfêmias e ingratidões. Tu, ao menos, vê de Me consolar, e dize que todos aqueles que durante cinco meses, no primeiro sábado, se confessarem, recebendo a Sagrada Comunhão, rezarem um terço e me fizerem quinze minutos de companhia meditando nos quinze mistérios do Rosário com o fim de Me desagravar, Eu prometo assisti-los na hora da morte com todas as graças necessárias para a salvação dessas almas”.

Existe algo essencial a todos estes elementos: a reparação cordimariana. Naturalmente que toda reparação do pecado vai dirigida a Deus Pai, por meio do Filho no Espírito Santo, mas o lugar singular que a Virgem Maria tem na obra da salvação faz que o pecado fira de modo especial o seu Coração.

Explicação das condições

A confissão em espírito de reparação. Se não puder ser feita no primeiro sábado do mês, pode ser antecipada dentro dos oito dias. Inclusive poderia bastar a confissão mensal, que sempre deve ser feita com a intenção de reparar o Coração Imaculado de Maria.

A comunhão reparadora. É o ato essencial desta devoção. Para compreender o seu sentido e o seu alcance, é preciso relacioná-la com a comunhão milagrosa do outono de 1916, orientada pelas palavras do Anjo a uma idéia reparadora, e com a comunhão das primeiras sextas-feiras de mês que pediu o Sagrado Coração em Paray-le-Monial.

Sobre a dificuldade pontual para cumprir com esta condição no sábado, Nosso Senhor respondeu à Irmã Lúcia na noite do 29 ao30 de maio de 1930: “Será igualmente aceita a prática desta 15devoção no domingo seguinte ao primeiro sábado, quando os meus Sacerdotes, por justos motivos, assim o concederem às almas”.

Desse modo, não só a comunhão, mas também a reza do terço e a meditação sobre os mistérios podem ser feitos no Domingo, e por justos motivos que corresponde ao sacerdote julgar. 

A oração do terço. A 13 de outubro de 1917, a Virgem Santíssima revelou que queria que Ela fosse invocada em Fátima sob o vocábulo “Nossa Senhora do Rosário”. Em cada uma das suas seis aparições pediu a reza cotidiana do terço. E tratando-se aqui de reparar as ofensas ao seu Coração Imaculado, esta é certamente a oração vocal que lhe é mais agradável.

Os quinze minutos de meditação. A Santíssima Virgem pede “quinze minutos de meditação sobre os quinze mistérios do Rosário”. Não é indispensável meditar cada mês sobre os quinze mistérios. Ao padre Gonçalves, seu diretor, Irmã Lúcia escreveu: “trata-se de acompanhar durante quinze minutos a Nossa Senhora meditando os mistérios do Rosário”. A vidente afirmava no dia 3 de dezembro de 1939, em outra carta ao seu confessor, o seguinte: “Diz o Sr. Bispo (de Leiria) que a meditação se pode fazer durante a reza do terço. Diz Sua Excelência que o faz assim para facilitar ao povo a prática dessa devoção, já que ordinariamente este não está habituado a meditar; que assim como a Santa Igreja permite que durante a Missa se rezem várias orações que são de obrigação, como a penitência da confissão, etc., e se cumpre o preceito, assim também neste caso. Contudo, será mais perfeito que quem puder faça cada coisa por separado”.

A intenção reparadora. Sem esta intenção geral, sem esta vontade de amor que deseja reparar e consolar a Santíssima Virgem, sem esta “compaixão”, todas estas práticas seriam incompletas. Trata-se de consolar o Coração Doloroso e Imaculado da Nossa Mãe. Ainda aqui não se trata em primeiro lugar de consolar a Virgem Maria compadecendo se do seu Coração transpassado por causa dos sofrimentos do seu Filho, mas o sentido preciso desta devoção reparadora considera as ofensas que atualmente recebe o Coração Imaculado de Maria por parte dos que rejeitam a sua mediação materna e menosprezam as suas prerrogativas. São estes outros tantos espinhos que devemos arrancar do seu Coração por estas práticas de reparação, para consolá-la e obter assim o perdão para as almas que o ofendem tão gravemente.

Por que cinco sábados?

“Ficando na capela, com Nosso Senhor, parte da noite do dia 29 para 30 do mês de Maio, 1930, e falando a Nosso Senhor desta questão, senti-me, de repente, possuída mais intimamente da divina Presença; e, se me não engano, foi-me revelado o seguinte:

“Minha filha, o motivo é simples: São 5 as espécies de ofensas e blasfêmias proferidas contra o Imaculado Coração de Maria.”

As blasfêmias contra a Imaculada Conceição;
Contra a sua Virgindade;
Contra a maternidade divina, recusando, ao mesmo tempo, recebê-La como Mãe dos homens; 17
Os que procuram publicamente infundir, nos corações das crianças, a indiferença, o desprezo, e até o ódio para com esta Imaculada Mãe;
Os que A ultrajam diretamente nas Suas sagradas imagens.

“Eis, minha filha, o motivo pelo qual o Imaculado Coração
de Maria Me levou a pedir esta pequena reparação”.

Cruzada da Modéstia - Parte III

"Donde me vem a honra de vir 
a mim a Mãe do meu Senhor"
(Santa Isabel)


Visitação de Maria Santíssima a sua prima Santa Isabel

Segue o último capítulo da Cruzada da Modéstia:

· Capítulo 5: O Apostolado da Cruzada Mariana
· Apêndice


O argumento que “Trajes de banho baseados nos Padrões Marianos não são práticos,” não se sustentam. Eles eram práticos o suficiente anos atrás, antes que os ditadores da moda ousassem fazê-los escandalosos. Por que deveriam ser considerados não práticos atualmente? A experiência mostra que, se um desenhista de moda ditasse suéteres como “a moda” para janeiro e fevereiro, curta shorts para junho e julho, muitas mulheres iriam futilmente aceitar usas decisões nada razoáveis. Mas quando a Igreja pede somente regras de bom senso de modéstia Cristã baseadas na natureza, elas imediatamente se opõem e recorrem a toda espécie de desculpas.

Finalmente, esta teoria de duplos padrões alavanca a concupiscência.

Uma Teologia solidamente baseada sempre enfatiza a concupiscência como um importante fator na tomada de decisão quanto à modéstia das vestimentas.

COMO ESTA TEORIA ALAVANCA A CONCUPISCÊNCIA?
Pela presunção que nos homens, que são seriamente tentados pela visão de uma mulher em shorts andando nas ruas, esta tentação subitamente diminui, põe-se dormente ou talvez morra, assim que esta mulher escandalosamente vestida pise na praia. E isto, apesar do fato adicional de desfilar na praia, e assumir outras posições sugestivas que seriam condenadas em qualquer outro lugar como indubitável sedução.

O Rei Davi foi um Santo, um homem “de acordo com o Coração de Deus”. Contudo, foi preciso apenas uma “bela banhista”, Bathsheba lavando-se, a qual ele espiou do teto de seu palácio, para subjugá-lo. Foi esta “bela banhista” que tão gentilmente acendeu em seu coração o fogo da concupiscência, de modo a levá-lo ao duplo crime de adultério e assassinato (II Samuel XI).

Hoje em dia, “belas banhistas” continuam a subjugar suas vítimas, sem considerar todas as declarações de boas intenções. Tão fisgante é a isca destas “belas banhistas” que é agitada diante dos olhos da concupiscência, que as Autoridades Eclesiásticas consideram preciso, às vezes, ameaçar os Católicos que se deixam convencer suficientemente para entrar em “concursos de beleza para banhistas” com a negação dos Sacramentos.

Acrescente-se a estas considerações o testemunho das cartas escritas por homens para a Cruzada Mariana, lamentando estas condições como impeditivas para eles desfrutarem os prazeres inocentes que uma praia poderia oferecer – e deveria haver ampla razão para abolir todos os padrões duplos ou múltiplos para vestimentas.

QUAL É A VESTIMENTA FEMININA CORRETA PARA A IGREJA E OUTROS LUGARES SAGRADOS?


A Lei Canônica requer cobertura adequada da cabeça para mulheres e moças na igreja.
Uma Peça de Kleenex, um lenço de mão, ou qualquer outro substituto para chapéu ou véu completo, não cumprem com o espírito da lei.

Somente vestidos com os Padrões Marianos deveriam ser tolerados na igreja ou outros lugares sacros tais como santuários, conventos, presbitérios, etc... Não deveria ser necessário acrescentar que o uso de slacks, calças apertadas, shorts, e roupas semelhantes em lugares sacros é um insulto horrível para Deus, um sacrilégio.

Papa Pio XII sobre LEITURA IMORAL:

O Papa Pio XII condena a seguinte opinião como vã e presunçosa: “Não sou mais uma menina; não sou mais uma criança; na minha idade, descrições sensuais e visões voluptuosas já não significam nada.”.

Sua resposta é: “Vocês têm certeza que isto é verdade”? Se fosse, seria a indicação de uma perversão inconsciente. Mas não creiam jovens homens e mulheres, que vocês possam algumas vezes permitir-se, talvez em segredo, ler livros condenados; não creiam que o seu veneno possa não ter efeito. Por não ser imediato, deve ser muito mais maligno.

“Há ocasiões em que os perigos da má leitura são muito mais trágicos do que os perigos da má companhia” (Aos recém casados, 7 de agosto de 1940).

CAPÍTULO V
O APOSTOLADO DA CRUZADA MARIANA

Oração e sacrifícios são essenciais para o sucesso do Movimento Mariano em geral, mas especialmente da Cruzada Mariana. Pois, o Demônio da Impureza ousou desafiar a Realeza de nossa “Mãe Puríssima” com um esforço incomum em nossos dias, e para estabelecer-se como o ditador das modas imodestas e do culto impuro do corpo. Parece que este Demônio da Impureza é um daqueles anjos decaídos de quem Jesus contou a Seus Apóstolos: “Esta espécie de demônio não é expulso senão por oração e jejum” (S. Mateus XVII, 20).

APÊNDICE
O MEMORARE

Lembrai-vos, ó Piíssima Virgem Maria, de que nunca se ouviu dizer, que algum daqueles que tenha recorrido à vossa clemência, implorado a vossa assistência, reclamado o vosso socorro, fosse por vós abandonado. Animado eu, pois, com igual confiança, a vós, Virgem das Virgens, como Mãe recorro, de vós me valho e gemendo sob o peso de meus pecados, me prostro a vossos pés. Não desprezeis as minhas súplicas, ó mãe do Verbo de Deus humanado, mas dignai-vos ouvi-las propícia e me alcançar o que vos rogo. Amém.

Memorare, o piíssima Virgo Maria, non esse auditum a saeculo, quemquam ad tua currentem praesidia, tua implorantem auxilia, tua petentem suffragia esse derelicta. Nos tali animati confidentia ad te, Virgo Virginum, Mater, currimus; ad te venimus; coram te gementes peccatores assistimus. Noli, Mater Verbi, verba nostra despicere, sed audi propitia et exaudi. Amen.

Viva Cristo Rei!

Oração a Cristo Rei


Ó Cristo Jesus, eu Vos reconheço como Rei Universal. Tudo o que foi feito, para Vós foi criado. Exercei sobre mim todas as vossas prerrogativas. Renovo as minhas promessas do Batismo, renunciando a toda espécie de maldade e prometo viver como bom cristão. E mui particularmente, empenhar-me-ei em fazer prevalecer, por todos os meios ao meu alcance, os direitos de Deus e de vossa Igreja.
Divino Coração de Jesus, ofereço as minhas pobres ações para alcançar que todos os corações reconheçam a vossa realeza sagrada e que, por este modo, o Reino da vossa paz se estabeleça em todo mundo. Amém.

Viva Cristo, Rei para sempre!

Hoje é dia do Senhor.

Santíssima Trindade


DOS DONS, COMPLEMENTOS DAS VIRTUDES

É suficiente que o homem possua as virtudes de que temos falado, para que possa alcançar a eterna Bem-aventurança?

Não, Senhor; necessita além disso dos dons do Espírito Santo.

Que se entende por Dons do Espírito Santo?
Certas disposições habituais e infusas que fazem o homem dócil e submisso às inspirações e movimentos interiores com que o Espírito de Deus o guia e encaminha para a felicidade eterna.

Por que, além das virtudes, necessita o homem dos dons do Espírito Santo?
Porque está elevado, como dissemos, à vida da graça, e para que as suas ações alcancem nesta ordem a perfeição precisa, é necessário um auxílio direto e especial de Deus, com que se leve a bom termo o que, com o exercício das virtudes, só se pode iniciar; pois os dons do Espírito Santo preparam e dispõem para receber esta ação de Deus.

Quantos são os dons do Espírito Santo?
São sete.

Quais são?
Sabedoria, entendimento, ciência, conselho, piedade, fortaleza e temor de Deus.

DAS BEM-AVENTURANÇAS E FRUTOS DO ESPÍRITO SANTO,
RESULTANTES DOS DONS E DAS VIRTUDES

Possue o homem, adornado com as virtudes e dons do Espírito Santo, tudo o que de sua parte necessita para levar uma vida perfeita na ordem sobrenatural?
Sim, Senhor.

Podemos dizer que a sua vida, neste caso, é na terra já o começo da que há de levar no céu?

Sim, Senhor; e em atenção a isso falamos, neste mundo de Bem-aventuranças e dos frutos do Espírito Santo.

Que entendeis por bem-aventuranças?
Os atos de virtudes e dos dons, conforme as enumerou Jesus Cristo, como consta do Evangelho, que, por sua presença na alma, ou pelos merecimentos que em sua virtude entesoura, são como uma antecipação e um penhor da vida eterna (LXIX, 1)

Que entendeis por frutos do Espírito Santo?

As ações boas da ordem sobrenatural que, realizadas sob a inspiração do Espírito Santo, tem a virtude de produzir prazer e alegria quando se praticam.

São distintas da bem-aventuranças?
Distingamos: enquanto significam o bem supremo de homem, não, Senhor, porque neste sentido se confundem com o fruto por excelência, que é a bem-aventurança celestial. Pela mesma razão, podem identificar-se com as bem-aventuranças aqui na terra. Porém, distinguem-se em que as bem-aventuranças são obras excelentes e perfeitas, e ao fruto lhe basta a razão de obra boa, sem ser perfeita.

Quais são as bem-aventuranças e qual a sua recompensa?

São as seguintes: Bem aventurados os pobres de espírito, porque deles é o reino do céu. Bem-aventurados os mansos, porque possuirão a terra. Bem-aventurados os que choram, porque eles serão consolados. Bem-aventurados os que têm fome e sede de Justiça, porque serão fartos. Bem-aventurados os misericordiosos, porque alcançarão misericórdia. Bem-aventurados os limpos de coração, porque verão a Deus. Bem-aventurados os pacíficos, porque serão chamados filhos de Deus.

Quais são os frutos do Espírito Santo?
Caridade, alegria, paz, paciência, benignidade, bondade, longanimidade, mansidão, fidelidade, modéstia, continência e castidade.

Donde consta a sua existência?

Da Epístola de S.Paulo, aos Gálatas (V, 22,23)

Onde se enumeram as bem-aventuranças?
A enumeração completa lê-se em S.Mateus, (V,3-13).
Encontra-se outra, se bem que incompleta, em S. Lucas (VI, 20-22).

Consigna S.Mateus e reproduz S.Lucas outra bem-aventurança, que seria a oitava?

Sim, Senhor; é a bem-aventurança dos que sofrem perseguição por causa do amor a Justiça, porém, se põe a modo de resumo e conclusão das sete anteriores, nas quais está incluída.

Há, neste mundo, alguma coisa mais proveitosa para o homem do que o exercício assíduo dos dons e virtudes conducentes as bem-aventuranças e frutos do Espírito Santo?

Não, Senhor.

sábado, 29 de outubro de 2011

O Rosário Meditado

Segue abaixo o Rosário meditado segundo São Luís de Montfort.
Os que quiserem a versão para impressão, clique aqui: O Rosário Meditado


O ROSÁRIO MEDITADO
Por São Luís Maria Grignion de Montfort

CREDO: 1º) Fé na presença de Deus; 2º) Fé no Evangelho; 3º) Fé e obediência ao Papa como Vigário de Jesus Cristo.
Padre Nosso: Unidade de um só Deus, vivo e verdadeiro.
1ª Ave Maria: Em honra do Pai Eterno, que gera seu Filho contemplando-se.
2ª Ave Maria: Em honra do Verbo eterno, igual ao Pai, que com Ele produz o Espírito Santo.
3ª Ave Maria: Em honra do Espírito Santo, que procede do Pai e do Filho por via de amor.

MISTÉRIOS GOZOSOS

1º Mistério
- ANUNCIAÇÃO DO ANJO E ENCARNAÇÃO DO VERBO



Padre Nosso: Caridade de Deus, imensa.
1ª Ave Maria, para lamentar o desgraçado estado de Adão desobediente, sua justa condenação e a de todos os seus filhos.
Ave Maria, para honrar:
2ª os desejos dos patriarcas e profetas, que pediam a vinda do Messias;
3ª os desejos e as preces da Santíssima Virgem, que apressaram a vinda do Messias;
4ª a caridade do Pai Eterno, que nos deu Seu divino Filho;
5ª o amor do Filho, que se entregou por nós;
6ª a embaixada e a saudação do arcanjo Gabriel;
7ª o temor virginal de Maria;
8ª a fé e o consentimento da Santíssima Virgem;
9ª a criação da alma e a formação do Corpo de Jesus Cristo no seio de Maria, pelo Espírito Santo;
10ª a adoração do Verbo Encarnado, pelos anjos, no seio de Maria.

2º Mistério
- VISITAÇÃO DE NOSSA SENHORA A SUA PRIMA ISABEL


Padre Nosso: Majestade de Deus, adorável.
Ave Maria, para honrar:
1ª o gozo do Coração de Maria e a morada durante 9 meses, do Verbo em seu seio;
2ª o sacrifício que Jesus Cristo fez de si mesmo ao Pai, ao entrar neste Mundo;
3ª as complacências de Jesus no seio humilde e virginal de Maria, e de Nossa Senhora, no gozo do seu Deus;
4ª a dúvida de São José acerca da maternidade de Maria;
5ª a eleição dos escolhidos, combinada entre Jesus e Maria, em seu seio;
6ª o fervor de Maria na sua visita a Santa Isabel;
7ª a santificação de João Batista no ventre de sua mãe;
8ª a gratidão da Santíssima virgem com Deus, no Magnificat;
9ª a sua caridade e humildade em servir sua prima;
10ª a mútua dependência de Jesus e de Maria, e a devoção que devemos ter para com um e outra.

3º Mistério - NASCIMENTO DE JESUS



Padre Nosso: Riquezas de Deus, infinitas.
Ave Maria, para honrar:
1ª os desprezos e injúrias feitas a Maria e a São José em Belém;
2ª a pobreza do estábulo onde Deus veio ao mundo;
3ª a alta contemplação e o excessivo amor de Maria no momento de dar à luz;
4ª a saída do Verbo Eterno do seio de Maria sem romper o selo de sua virgindade;
5ª as adorações e cânticos dos anjos no nascimento de Jesus;
6ª a formosura arrebatadora de Sua divina infância;
7ª a vinda dos pastores ao estábulo, com seus presentes;
8ª a circuncisão de Jesus Cristo e Suas dores amorosas;
9ª a imposição do nome de Jesus Cristo e suas grandezas;
10ª a adoração dos reis magos e seus presentes.

4º Mistério - PURIFICAÇÃO DE NOSSA SENHORA, APRESENTAÇÃO NO TEMPLO



Padre Nosso: Sabedoria de Deus, eterna.
Ave Maria, para honrar:
1ª a obediência de Jesus e de Maria à Lei;
2ª o sacrifício que ali fez Jesus de sua Humanidade;
3ª o sacrifício que ali fez Maria de sua honra;
4ª o gozo e os cânticos de Simeão e Ana, a profetisa;
5ª o resgate de Jesus pela oferenda de duas rolas;
6ª a matança dos santos inocente;
7ª a fuga de Jesus para o Egito, pela obediência de São José à voz do anjo;
8ª a estadia misteriosa no Egito;
9ª a Sua volta para Nazaré;
10ª o seu crescimento em idade, sabedoria e graça.

5º Mistério - ENCONTRO DE JESUS NO TEMPLO

 

Padre Nosso: Santidade de Deus, incompreensível.
Ave Maria, para honrar:
1ª a Sua vida oculta, laboriosa e obediente na casa de Nazaré;
2ª sua pregação e encontro no Templo entre os doutores;
3ª seu jejum e tentações no deserto;
4ª seu Batismo por São João Batista;
5ª sua pregação admirável;
6ª seus milagres portentosos;
7ª a eleição de seus 12 Apóstolos e os poderes que lhes dá;
8ª sua transfiguração maravilhosa;
9ª o lava-pés dos Apóstolos;
10ª a instituição da Sagrada Eucaristia.

MISTÉRIOS DOLOROSOS

1º Mistério
- AGONIA DE JESUS NO HORTO



Padre-Nosso: Felicidade de Deus, essencial.
Ave Maria, para honrar:
1ª os divinos retiros que fez Jesus em Sua vida, principalmente no horto;
2ª suas orações humildes e fervorosas durante Sua vida e na véspera da Paixão;
3ª a paciência e doçura com que suportou Seus Apóstolos, particularmente no Horto;
4ª o tédio de sua Alma durante toda a Sua vida, principalmente no Horto;
5ª os rios de sangue que a dor fez brotar de seu Ser adorável;
6ª o consolo que teve por bem aceitar de um anjo na agonia;
7ª sua conformidade com a Vontade do Pai, apesar da repugnância de Sua natureza;
8ª Sua traição por Judas e prisão pelos judeus;
9ª o valor com que saiu ao encontro dos algozes e a força da palavra com que os lançou por terra e os levantou;
10ª o abandono que sofreu de Seus Apóstolos.

2º Mistério - A FLAGELAÇÃO



Padre-Nosso: Paciência de Deus, admirável.
1ª as cordas com que Jesus foi atado;
2ª a bofetada que recebeu em casa de Caifás;
3ª as negações de São Pedro;
4ª as ignomínias que sofreu em casa de Herodes, quando lhe puseram a veste branca;
5ª o despojamento de Suas vestes;
6ª os desprezos e insultos que sofreu de Seus verdugos pela Sua nudez;
7ª as varas espinhosas e os açoites cruéis com que foi golpeado;
8ª a coluna em que foi atado;
9ª o sangue que derramou e as chagas que recebeu;
10ª a Sua queda pela fraqueza no sangue que derramou.

3º Mistério
– COROAÇÃO DE ESPINHOS


Padre-Nosso: Formosura de Deus, inefável.
Ave-Maria, para honrar:
1ª o despojamento de Suas vestes pela terceira vez;
2ª a Sua coroa de espinhos;
3ª o véu com que Lhe vendaram os olhos;
4ª as bofetadas e os escarros com que Lhe cobriram o rosto;
5ª o andrajo que Lhe puseram sobre os ombros;
6ª a cana que Lhe puseram nas mãos;
7ª a pedra pontiaguda sobre a qual O sentaram;
8ª os ultrajes e os insultos que Lhe fizeram;
9ª o sangue e os suores que saíam de Sua cabeça adorável;
10ª os cabelos e a barba que Lhe arrancaram.

4º Mistério
- JESUS CARREGA A CRUZ


Padre-Nosso: Onipotência de Deus, sem limites.
Ave-Maria, para honrar:
1ª apresentação de Nosso Senhor diante do povo com o “Ecce Homo”;
2ª o haver sido preferido a Barrabás;
3ª os falsos testemunhos que contra Ele deram;
4ª Sua condenação à morte;
5ª o amor com que abraçou e beijou a Cruz;
6ª o trabalho espantoso que teve em carregá-la;
7ª as quedas de pura debilidade sobre Seu peso;
8ª o encontro doloroso com Sua Santa Mãe;
9ª o véu de Verônica, no qual Seu rosto se estampou;
10ª suas lágrimas, as de Sua Santa Mãe e das piedosas mulheres que O seguiram até o Calvário.

5º Mistério
– A CRUCIFICAÇÃO

Padre-Nosso: Justiça de Deus, espantosa.
Ave Maria, para honrar:
1ª as cinco chagas de Jesus e o sangue que derramou na cruz;
2ª seu coração traspassado e a Cruz em que foi crucificado;
3ª os cravos e a lança que O atravessaram;
4ª a vergonha e a infâmia que sofreu, sendo crucificado entre dois ladrões;
5ª a compaixão de Sua Mãe Santíssima;
6ª as 7 últimas palavras;
7ª Seu desamparo e Seu silêncio;
8ª a aflição de todo o Universo;
9ª Sua morte cruel e ignominiosa.
10ª a descida da Cruz e sepultamento.

MISTÉRIOS GLORIOSOS

1º Mistério - A RESSURREIÇÃO DE JESUS


Padre-Nosso: Eternidade de Deus, sem princípio.
Ave Maria, para honrar:
1ª a descida da Alma de Nosso Senhor aos Infernos;
2ª o gozo e a saída das almas dos Santos Padres que estavam no Limbo;
3ª a reunião de Sua Alma e de Seu Corpo no sepulcro;
4ª sua milagrosa saída do Sepulcro;
5ª suas vitórias sobre a morte, o pecado, o mundo e o demônio;
6ª os quatro dons gloriosos de Seu Corpo;
7ª O poder que Lhe deu Seu pai no céu e na terra;
8ª as aparições com que honrou Sua Santa Mãe;
9ª as conversações sobre o Céu e a Ceia que fez com Seus Apóstolos;
10ª a autoridade e missão que lhes deu, para que fossem pregar por toda a Terra.

2º Mistério – ASCENSÃO DE JESUS

Padre-Nosso: Imensidade de Deus, sem limites.
Ave Maria, para honrar:
1ª a promessa que fez Jesus aos Apóstolos de lhes enviar o Espírito Santo, e a ordem que lhes deu de se prepararem para O receber;
2ª a reunião no Monte das Oliveiras;
3ª a benção que lhes deu ao se elevar da Terra aos Céus;
4ª Sua gloriosa e admirável Ascensão por Sua própria virtude até o Céu Empíreo;
5ª O recebimento e o triunfo que lhe fez Deus, Seu Pai, e toda a corte celestial;
6ª o poder triunfante com que abriu as portas do Céu, onde nenhum mortal havia entrado;
7ª seu assento à direita do Pai, como Seu Filho querido, igual a Ele mesmo;
8ª o poder que Lhe deu de julgar os vivos e os mortos;
9ª Sua última vinda sobre a Terra, na qual Seu poder e majestade aparecerão em todo o seu esplendor;
10ª a justiça que fará no último Juízo, recompensando os bons e castigando os maus por toda a eternidade.

3º Mistério
- VINDA DO ESPÍRITO SANTO SOBRE MARIA E OS APÓSTOLOS


Padre-Nosso: Providência de Deus, universal.
Ave Maria, para honrar:
1ª a Verdade do Espírito Santo, Deus que procede do Pai e do Filho, e que é o Coração da Divindade;
2ª o dom do Espírito Santo pelo Pai e pelo Filho sobre os Apóstolos;
3ª o grande estrondo com que desceu, sinal de Sua força e Seu poder;
4ª as línguas de fogo que enviou sobre os Apóstolos, para lhes dar a inteligência das Escrituras, o amor de Deus e do próximo;
5ª a plenitude de graças com que distinguiu Maria, Sua fiel esposa;
6ª Sua conduta maravilhosa, com os santos e com o próprio Jesus Cristo, a quem guiou durante toda a vida;
7ª os 12 frutos do Espírito Santo;
8ª os 7 dons do Espírito Santo;
9ª para pedir em particular o dom da Sabedoria e a vinda de Seu reino aos corações;
10ª para obter a vitória sobre os três espíritos que Lhe são opostos, a saber: o espírito da carne, do mundo e do demônio.

4º Mistério
– ASSUNÇÃO DE NOSSA SENHORA

Padre-Nosso: Liberalidade de Deus, inenarrável.
Ave Maria, para honrar:
1ª a predestinação eterna de Maria, como obra-prima das mãos de Deus;
2ª Sua Conceição Imaculada, a plenitude de graças e o uso da razão no seio de sua mãe;
3ª Sua Natividade que regozijou todo o Universo;
4ª Sua apresentação e sua vida no Templo;
5ª Sua vida admirável e isenta de todo pecado;
6ª a plenitude de suas virtudes singulares;
7ª Sua virgindade fecunda e seu parto sem dor;
8ª Sua maternidade divina e sua aliança com a Santíssima Trindade;
9ª Sua morte preciosa e cheia de amor;
10ª Sua Ressurreição e Assunção triunfante.

5º Mistério
- COROAÇÃO DE NOSSA SENHORA RAINHA DOS CÉUS

Padre-Nosso: Glória de Deus, inacessível.
Ave Maria, para honrar:
1ª a tríplice coroa com que a Santíssima Trindade coroou Maria;
2ª o gozo e a glória nova que recebeu o Céu por seu triunfo;
3ª para reconhecê-la como Rainha do Céu e da Terra, dos anjos e dos homens;
4ª a tesoureira e dispensadora de todas as graças de Deus, dos méritos de Jesus Cristo e dos dons do Espírito Santo;
5ª a Medianeira e Advogada dos homens;
6ª a distribuidora e dispensadora de todas as graças de Deus, dos méritos de Jesus Cristo e dos dons do Espírito Santo;
7ª o refúgio seguro dos pecadores;
8ª a mãe e nutriz dos cristãos;
9ª a que é gozo e doçura dos justos;
10ª a que é asilo universal dos vivos, consolo todo-poderoso dos aflitos, dos moribundos e das almas do purgatório.

Coragem, Católicas!

A dignidade da Mulher Católica!




Carta da Congregação do Concílio sobre modéstia

Por força do apostolado supremo que ele exerce sobre a Igreja Universal por vontade divina, o nosso Santo Padre Papa Pio XI nunca deixou de inculcar, tanto verbalmente quanto por seus escritos, as palavras de São Paulo (1 Tm II., 9 -10), ou seja, “Mulheres … adornando-se com modéstia e sobriedade … e professando piedade com boas obras ".

Muitas vezes, quando a oportunidade surgiu, o mesmo Sumo Pontífice condenou enfaticamente a forma indecente de se vestir aprovada por mulheres e meninas católicas – cuja moda não só ofende a dignidade das mulheres e vai contra o seu adorno, mas conduz à ruína mundana das mulheres e meninas, e, o que é ainda pior, a sua ruína eterna, arrastando outros miseravelmente para baixo em sua queda.

Não é de surpreender, portanto, que todos os bispos e outros ordinários, como é dever dos ministros de Cristo, devem, em suas próprias dioceses, por unanimidade, oporem-se a sua licenciosidade depravada e promiscuidade dos costumes, muitas vezes suportando com firmeza o escárnio e a zombaria levantadas contra eles por esta causa.

Portanto, este Sagrado Concílio, que vigia a disciplina do clero e do povo, enquanto cordialmente elogia a ação dos Veneráveis Bispos, mais enfaticamente, exorta-os a perseverarem na sua atitude e aumentar as suas atividades na medida em que permitam suas forças, a fim de que esta doença insalubre seja definitivamente desenraizada da sociedade humana.

A fim de facilitar o efeito desejado, esta Congregação, pelo mandato do Santíssimo Padre, decretou o seguinte:

Exortação àqueles com autoridade

I. O padre da paróquia e, especialmente, o pregador, quando a oportunidade surgir, deverá, segundo as palavras do Apóstolo Paulo (I Tim 2,9), insistir, argumentar, exortar e ordenar que o traje feminino seja baseado na modéstia e que o adorno feminino seja uma defesa da virtude. Deixá-los igualmente advertir aos pais para fazer com que suas filhas deixem de vestir trajes indecorosos.

II. Os pais, conscientes das suas sérias obrigações com relação à educação, principalmente religiosa e moral, da sua prole, devem fazer com que suas filhas estejam solidamente instruídas, desde a mais tenra infância, na doutrina cristã, e eles próprios devem assiduamente inculcar em suas almas, pela palavra e pelo exemplo, o amor pelas virtudes da modéstia e da castidade, a partir do momento em que sua família deve seguir o exemplo da Sagrada Família, eles devem administrar sua casa de tal maneira que todos os seus membros encontrem razão e incentivo para amar e preservar a modéstia.

III. Que os pais mantenham suas filhas longe do público de jogos e competições de ginástica, mas se as suas filhas são obrigadas a freqüentar essas exposições, deixá-los ver que elas estejam totalmente e modestamente vestidas. Que eles nunca permitam que suas filhas usem trajes indecentes.

IV. Superioras e professores nas escolas para as meninas devem fazer o possível para incutir o amor à modéstia nos corações das donzelas confiadas aos seus cuidados e exortá-las a vestirem-se modestamente.

V. As Superioras mencionadas e professores não devem receber em suas faculdades e escolas meninas vestidas indecentemente, e não devem nem mesmo abrir uma exceção no caso das mães dos alunos. Se, após a admissão, as meninas insistirem em vestir-se indecentemente, as alunas devem ser rejeitadas.

VI. Freiras, em conformidade com a Carta de 23 de agosto de 1928, pela Sagrada Congregação dos Religiosos, não devem receber em seus colégios, escolas, oratórios ou recreativos, ou, no caso, uma vez admitido, tolerar meninas que não estejam vestidas com modéstia cristã; As Freiras mencionadas, além disso, devem fazer o máximo para que o amor à santa castidade e à modéstia cristã possa tornar-se profundamente enraizado no coração de seus alunos.

VII. É desejável que sejam fundadas organizações piedosas de mulheres, que, por seus conselhos, exemplo e propaganda combatam o uso de vestuário inadequado à modéstia cristã, e promovam a pureza dos costumes e a modéstia no vestir. (É o lema de nossa Cruzada)


VIII. Nas associações de mulheres piedosas aquelas que se vestem sem modéstia não devem ser admitidas como membros, mas se, por acaso, elas forem recebidas, e depois de terem sido admitidas, caiam novamente no erro, devem ser demitidas imediatamente.

IX. Donzelas e mulheres vestidas indecentemente devem ser impedidas de receber a Comunhão e de atuar como madrinhas dos sacramentos do Batismo e da Confirmação, e, além disso, se o delito for extremo, podem mesmo ser proibidas de entrar na igreja.

X. Em tais festas ao longo do ano, são oferecidas oportunidades especiais para inculcar a modéstia cristã, especialmente nas festas da Virgem Maria, os pastores e sacerdotes que têm a seu cargo as uniões pias e associações de devotos católicos não devem deixar de pregar um sermão em tempo útil sobre o assunto, a fim de encorajar as mulheres a cultivar a modéstia cristã no vestuário. Na festa da Imaculada Conceição, orações especiais serão recitado todos os anos em todas as igrejas catedrais e paróquias, e quando for possível deve existir uma exortação oportuna por meio de um sermão solene ao povo.

XI. O Conselho Diocesano de Vigilância, mencionado na declaração do Santo Ofício, em 22 de março de 1918, pelo menos uma vez por ano trata especialmente das formas e meios de prover efetivamente a modéstia na vestimenta das mulheres.

XII. Para que esta ação salutar possa prosseguir com maior eficácia e segurança, Bispos e outros Ordinários dos lugares serão a cada terceiro ano, juntamente com o seu relatório sobre a instrução religiosa mencionada no Motu Proprio, Orbem Catholicum de 29 de junho de 1923, informar também a esta Sagrado Congregação sobre a situação no que se refere ao vestuário da mulher, e sobre as medidas que foram tomadas nos termos desta Instrução.

Cardeal Donato Sbaretti, Prefeito
Congregação do Concílio
Roma, 12 de janeiro de 1930

Coração de Maria, rogai por nós!

O Coração de Maria e a Igreja


A conversão da Rússia não somente se encaminha à conversão deste povo, senão que, apesar da sua modesta aparência, será um verdadeiro meio de cura para a crise interna da Igreja, que é uma crise de Fé.

Na aparição de julho, a Virgem Maria tinha anunciado: “se não, [Rússia] espalhará seus erros pelo mundo, promovendo guerras e perseguições à Igreja; os bons serão martirizados, o Santo Padre terá muito que sofrer...”. Na terceira parte do segredo faz-se menção a essa perseguição: “Vimos numa luz imensa que é Deus, algo semelhante a como se vêem as pessoas num espelho quando lhe passam por diante, um Bispo vestido de Branco (tivemos o pressentimento de que era o Santo Padre), vários outros Bispos, Sacerdotes, religiosos e religiosas subir uma escabrosa montanha, no cimo da qual estava uma grande Cruz de troncos toscos como se fora de sobreiro com a casca; o Santo Padre, antes de chegar aí, atravessou uma grande cidade meia em ruínas, e meio trêmulo, com andar vacilante, acabrunhado de dor e pena, ia orando pelas almas dos cadáveres que encontrava pelo caminho; chegado ao cimo do monte, prostrado de joelhos aos pés da grande Cruz foi morto por um grupo de soldados que lhe dispararam vários tiros e setas, e assim mesmo foram morrendo uns trás outros os Bispos Sacerdotes, religiosos e religiosas e várias pessoas seculares, cavalheiros e senhoras de varias classes e posições. Sob os dois braços da Cruz estavam dois Anjos cada um com um regador de cristal na mão, neles recolhiam o sangue dos Mártires e com ele regavam as almas que se aproximavam de Deus”.

Deus se serviu freqüentemente das perseguições para purificar a Igreja e renová-la: o sangue dos mártires é semente de cristãos. Mas não esqueçamos que diante dos sofrimentos que seus filhos terão que suportar, Maria nos dá o seu Coração como lugar de refúgio.

Jacinta foi talvez a que melhor compreendeu a relação que tinha a devoção ao Coração de Maria com o amor à Igreja e ao Santo Padre: “Em Jacinta se enraizou tanto amor pelo Santo Padre, que sempre oferecia um sacrifício a Jesus acrescentando: “É pelo Santo Padre”. A ele corresponde realizar esses desejos do Céu e ninguém mais pode substituí-lo. Irmã Lúcia, numa carta ao seu diretor espiritual, Padre Gonçalves, precisava: “Deus promete pôr fim à perseguição na Rússia se o Santo Padre se digna fazer, e ordena fazer igualmente aos bispos do mundo católico, um ato solene e público de reparação e de consagração aos Sacratíssimos Corações de Jesus e de Maria, e se Sua Santidade promete, mediante o fim desta perseguição, aprovar e recomendar a prática da devoção reparadora indicada mais acima”. A conclusão é simples: Deus quer salvar o mundo de hoje por meio de um verdadeiro ato de Fé da hierarquia católica.

A consagração da Rússia se converte desta maneira na solução para a restauração da fé católica na Igreja e no mundo. Os frutos provenientes de dita consagração serão magnificamente coroados pela intervenção da Virgem: “Por fim, o meu Imaculado Coração triunfará”. A sua intervenção ficará patente: é uma graça que Deus pôs nas suas mãos, e somente por meio do seu Coração Imaculado a Igreja recuperará o seu esplendor. Por isso, apesar da profunda crise que estamos vivendo, conservamos uma esperança: o Coração de Maria.

Hoje é dia de Nossa Senhora. Rezemos!

"Quando da embaixada de S. Gabriel,
não quis tomar outro nome senão o de Escrava.”
 

"Eis aqui a Escrava do Senhor". Como efeito, testemunha S. Tomás de Vilanova, essa fiel Escrava do Senhor nunca a contrariou, nem por ações, nem por pensamentos.”

“Obedeceu sempre e em tudo a divina vontade, completamente despida de toda vontade própria. (...)”

Por sua obediência, reparou Maria o dano causado pela desobediência de Eva. (...) A obediência de Maria foi muito mais perfeita que a de todos os santos. (...) Todos os homens sendo inclinados ao mal por causa do pecado original, sentem dificuldades na prática do bem. Mas tal não se deu com a Santíssima Virgem. Isenta da culpa original, nada tinha que a impedisse de obedecer a Deus. (...)

Maria Santíssima demonstrou sobretudo sua heróica obediência à divina vontade, quando ofereceu o Filho à morte. Na grandeza de sua constância, dizem o Vulgato Idelfonso e S. Antonino, estaria disposta a crucificá-lo, se houvessem faltado os algozes. (...)

À exclamação da mulher que o interrompia com as palavras: "Bem-aventurado o ventre que te trouxe e os peitos que te amamentaram", respondeu o Salvador: "Antes, bem aventurados aqueles que ouvem a palavra de Deus e a põem em obra (Lc 11,27-28) Maria era mais bem-aventurada por sua obediência a Deus, do que por motivo de sua dignidade como Mãe do Senhor." (Santo Afonso de Ligório, em "Glórias de Maria", Tratado 3, cap. VIII)

Deus a escolheu para tesoureira, ecônoma e dispensadora de todas as suas graças; de sorte que todas as suas graças e todos os seus dons passam por seu Coração; e segundo o poder que Ela recebeu, como diz São Bernardino, Ela distribui a quem quer, como quer, quando quer e quanto quer, as graças do Pai Eterno, as virtudes de Jesus Cristo e os dons do Espirito Santo.

Porque Maria, longe de ser um obstáculo, lança as almas em Deus e uni-as a Ele. Que ninguém pense, com alguns falsos iluminados, que Maria, como criatura, seja um empecilho à união com o Criador; não é mais Maria que vive, é somente Jesus Cristo, é somente Deus que vive nela. Sua transformação em Deus ultrapassa mais ainda a de São Paulo e dos outros Santos, mais do que o Céu ultrapassa a terra em elevação. Maria não é feita senão para Deus, e basta que Ela prenda uma alma a si própria, que, ao contrário logo a lança em Deus e a une a Ele com tanto maior perfeição quanto mais a alma se una a Ela: Maria é o eco de Deus, que não responde senão Deus, quando se lhe grita: Maria; que não glorifica senão a Deus, quando com Santa Isabel, a chamamos Bem-Aventurada (Lucas1,45). Agarrem no Imaculado Coração de Maria somente neste porto seguro, é que o Reino de Jesus chegará ao fim dos tempos. 
Coração de Jesus, venha a nós o vosso Reino,
pelo Imaculado Coração de Maria 

Rezemos a Ave- Maria:

Ave Maria, cheia de graça,o Senhor é convosco.
Bendita sois vós entre as mulheres
e bendito é o fruto do vosso ventre, Jesus.
Santa Maria, Mãe de Deus,
rogai por nós, pecadores, 
agora e na hora da nossa morte.
Amém.

Em latim 
Ave Maria, Gratia plena
Dominus tecum
Benedicta tu in mulieribus
Et benedictus fructus Ventris tui, Jesu.
Sancta Maria, Mater Dei,
Ora pro nobis peccatoribus
Nunc et in hora mortis nostrae.
Amen. 

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Cruzada da Modéstia - Parte II

"Muitas almas vão para o inferno porque 
não tem ninguém que reze ou faça sacrifícios por elas".
(Fátima)


"O demônio levará muitas moças para o inferno
se elas não lutarem contra a imodéstia".
(Obs. de Escravas de Maria)

Aqui daremos continuidade à postagem Cruzada da Modéstia com os capítulos:

· Capítulo 3: Os padrões marianos para a pureza no vestuário
· Capítulo 4: Questões a respeito dos padrões marianos


O PLANO DE SATAN PARA CORROMPER AS MULHERES REVELADO POR NOSSA SENHORA:

O que segue é da maior importância:

Foi em 1917, em uma reunião da Legião de Maria em Baden (Floresta Negra), Alemanha, que Padre King, da Igreja de Miuester falou para as mulheres reunidas a respeito das previsões de Nossa Senhora de Fátima, feitas naquele mesmo ano: “Determinadas modas serão introduzidas que ofenderão grandemente Nosso Senhor”. Ele havia consultado os desenhistas de moda de Paris, França, com relação às próximas modas para mulheres a serem lançadas. Ele relatou que seriam “calças”.

Sendo um santo padre e preocupado com o bem espiritual das mulheres no seu grupo da Legião de Maria, pediu-lhes que prometessem nunca usar calças.

Sendo uma mulher que usa roupas masculinas abominável perante Deus, o mero uso da palavra “abominável” significando odioso, ofensivo, impuro. Com certeza é merecedor de nossa atenção e estudo.

Se uma mulher realmente ama Nossa Abençoada Mãe e Nosso Abençoado Senhor, por que deveria ela prejudicar o “Triunfo do Imaculado Coração de Nossa Senhora” e ofender grandemente Nosso Senhor por usar “calças”?


CAPÍTULO III
OS PADRÕES MARIANOS PARA MODÉSTIA E MORALIDADE 
NO VESTIR QUAIS SÃO OS PADRÕES MARIANOS?

“Nós dizemos que uma veste não pode ser declarada modesta se estiver com o colo abaixo de dois dedos da linha do pescoço, se não cobrir os braços ao menos até os cotovelos, e que escassamente alcance um pouco abaixo dos joelhos. Além do mais, vestidos de material transparente são impróprios” (Cardeal Vigário do Papa Pio XI).

1. Ser Mariano é ser modesto sem concessão, “como Maria” mãe de Cristo.

2. Os trajes Marianos têm mangas que se estendem pelo menos até os cotovelos; e saias abaixo dos joelhos. Padrões Marianos aceitáveis foram revelados em várias revelações privadas desde 1917 em todo o mundo. Um destes padrões é de que o traje ou saia devem ser pelo menos 8 centímetros abaixo do joelho. Nossa Abençoada Mãe foi muita específica em uma destas revelações particulares comentando que quando uma mulher se senta seu vestido ou saia deveria cobrir seus joelhos com os 8 centímetros requeridos. Nossos corpos não são todos do mesmo tamanho e contorno. Portanto algumas mulheres talvez tenham que adicionar alguns centímetros em seus vestidos e saias porque quando se sentam o vestido e saia tem uma tendência de repuxar deixando os joelhos expostos. (Nota: Devido às condições de mercado, mangas de um-quarto de comprimento são temporariamente toleradas com Aprovação Eclesiástica, até que o conjunto das mulheres Cristãs volva-se novamente para Maria como modelo de modéstia no vestir.

3. Trajes Marianos requerem cobertura completa para o corpo, tórax, ombros e costas; com exceção de uma abertura para o pescoço não excedendo 5 centímetros abaixo da linha do colarinho na frente e atrás, e 5 centímetros correspondentes nos ombros.

4. Trajes Marianos não admitem como roupas modestas tecidos transparentes, fitas, tecidos de redinha, organdi, nylons, etc. a menos que um forro suficiente seja adicionado. Contudo o seu uso moderado como acessório é aceitável.

5. Vestimentas Marianas evitam o uso impróprio de tecidos “cor da pele”.

6. Trajes Marianos escondem ao contrário de revelar a silhueta da usuária, não enfatizam, desnecessariamente, partes do corpo.

7. Vestes Marianas proveem cobertura completa, mesmo quando o casaco, capa ou estola for retirada e após tomar uma posição sentada.

OBSERVAÇÕES DOS PADRÕES MARIANOS:

Este conjunto de padrões evita uma longa discussão sobre regras e detalhes, os quais frequentemente servem para complicar o assunto e aumentar a confusão existente. Sua forma é concisa, apoiando-se nas duas regras fundamentais da modéstia: cobertura suficiente e manequim correto.

Portanto, alguns pontos adicionais de esclarecimento são aqui necessários.

MARIANO – O primeiro padrão procura re-entronizar Maria, o modelo perfeito de modéstia, nos corações de seus filhos.

CORTE DE 5 CENTÍMETROS – “Cinco centímetros” é o equivalente à medida dada pelo Vigário Cardeal de Roma, “largura de dois dedos‟ abaixo da concavidade do pescoço.”

TECIDOS TRANSPARENTES
– Muitas mulheres falham em perceber que vestidos transparentes são sugestivos e causam sérias tentações nos homens. Em alguns casos, devido à sedução enfatizada por uma falsa cobertura, são mesmo piores do que a pele nua. Eles atraem as paixões. Portanto, tecidos transparentes estão proscritos para as partes do corpo que exigem cobertura a menos que sejam forradas com material suficiente para esconder a pele.

Mulheres Marianas recusar-se-ão tornarem-se instrumentos nas mãos de Satan para promover esta moderna prática de sedução, o qual ele utiliza em uma escala extensiva. Noivas Marianas e suas pagens não ousarão apresentar-se no altar, na presença do seu Senhor Eucarístico, vestidas com tecidos vaporosos, desta forma colocando em risco a benção de Deus oferecida pela Igreja para a vida conjugal.

Mães Marianas nunca permitirão que suas inocentes filhas usem roupas vaporosas e transparentes na Primeira Comunhão como agora se vê na moda, os quais são uns insultos para o Rei dos Reis, O qual entra em seus inocentes coraçõezinhos pela primeira vez de suas vidas; roupas transparentes que lhes causam a perda de seus “sensos de modéstia” em tenros anos, mesmo na Casa de Deus.

COR DA PELE
– Esta cor não é considerada objecionável per se para vestidos, mas somente quando usadas para sugerir a pele nua em partes do corpo que requeiram cobertura. Assim, estas cores seriam altamente questionáveis quando usadas como acessórios no peito, e outras partes.

OCULTAR A SILHUETA – Vestidos que proveem cobertura suficiente podem ainda ser imodestos pela razão do manequim, o qual os transforma em sugestivos e sedutores. Assim, um corpete apertado ou moldado ao corpo é altamente questionável. Por outro lado, um manequim que é muito solto e decotado nos cinco centímetros da linha do pescoço, em especial sobre os ombros e tórax, facilmente “revelam a silhueta” da usuária do vestido, especialmente ao curvar-se ou abaixar-se.

SUTIÃS E CHINELOS – Mulheres modestas sempre usam chinelos que cobrem os pés, e sutiãs de manequim adequado. A melhor vestimenta Mariana pode tornar-se muito imodesta, por exemplo, se usados sobre sutiãs de formatos acentuados e suspensos.

“OH, COMO É BELA UMA GERAÇÃO CASTA EM SEU FULGOR: SUA MEMÓRIA SERÁ IMORTAL, PORQUE SERÁ CONHECIDA DE DEUS E DOS HOMENS”
(Sab. IV, 1).

CAPÍTULO IV
QUESTÕES SOBRE OS PADRÕES MARIANOS

AO TENTAR IMITAR MARIA COMO MODELO, NÃO NOS TORNAREMOS FORA-DE-MODA?

Maria não pede a nenhuma mulher que use os ESTILOS de traje em voga nos Seus dias, mas “O que Maria Aprova” para nossos dias. A modéstia não está diretamente relacionada com o tipo, estilo, ou corte do vestido, mas com a correta cobertura para o corpo.

“Fora de moda” é uma palavra de ordem muito efetiva criada pelo Demônio da Impureza para tirar o juízo de muitas mulheres. Ele até tem sucesso em aliciar Católicas em posições responsáveis para que se sintam ridicularizadas perante os olhos das feministas escravas das modas pagãs. Eis um exemplo:

Um articulista da , Revista Homilética e Pastoral‟ de dezembro de 1955, fez o seguinte comentário escarnecedor sobre uma escola Católica tentando popularizar o modo de vida Mariano: “Leitores indignados escreveram ao TIME (revista americana) para protestar contra a sinistra trama papista para vestir as mulheres americanas como Dona Benta...”.

OS PADRÕES MARIANOS NÃO LEVAM AS MULHERES A SEREM MODESTAS DE MODO “RIDÍCULO‟?

O diabo odeia mulheres “discretas, modestas e excelentes”. Portanto, ele recorre à chavões e palavras de ordem, procurando levar as mulheres a aceitar roupas imorais por medo do ridículo. O diabo associa a palavra “modéstia” com “trajes de Dona Benta” e tenta fazê-las crerem que a Cruzada Mariana defende saias abaixo do tornozelo – jamais um centímetro a menos – e colarinhos até o queixo.

Muitas Católicas têm um medo mórbido do ridículo, e permitirão que o diabo as conduza docilmente para escapar do ridículo. Contudo, ridículo não é um argumento de modo algum. Frequentemente é o único recurso de pessoas que não estão sinceramente querendo ver a verdade. Os Cruzados Marianos, desafiando esta arma mortal do ridículo, “ousam ser diferentes”.

MAS OS PADRÕES MARIANOS NÃO TORNAM AS MULHERES ESCRUPULOSAS?


Não são as regras estritas que tornam as pessoas escrupulosas. Ao contrário, é a confusão causada por aqueles que aboliriam todos os padrões que leva ao escrúpulo e à confusão das consciências.

A Cruzada Mariana não pede que as mulheres carreguem uma trena com elas quando forem comprar roupas, como alguns críticos têm estupidamente insinuado ao referir-se aos Padrões Marianos como sendo “a modéstia da trena”. Tudo que as mulheres necessitam é de bom senso combinado com uma consciência séria para aplicar os Padrões Marianos ao comprar vestimentas.

Os Padrões Marianos se propõem a servirem de guia. Devido à variedade de cortes, e os vários graus de ângulos e curvas encontrados na variedade de estilos à venda no mercado, a exatidão matemática ao aplicar os Padrões Marianos não é sempre possível. Em tais casos, a “letra da lei” deve ser interpretada como sendo o “espírito da lei”. Desta forma, uma gola em "V" pode ser mais curta que o limite dos cinco centímetros; mas se a mesma for bem estreita, pode ser mais modesta do que um corte mais largo com cinco centímetros. Uma mulher com uma consciência Cristã normal dificilmente sofrerá de escrúpulos neste caso. Se ela estiver sinceramente tentando seguir os Padrões Marianos tão próximo quanto possível, ela não terá dramas de consciência com relação a pequenas discrepâncias. Por outro lado, ela não se permitirá qualquer desvio de discrepância intencional dos Padrões Marianos.

OS TRAJES MARIANOS PODEM SER ATRAENTES PARA UMA MULHER OU JOVEM?

Primeiramente, notemos que para as escravas da moda “atraente” e “última moda” são sinônimos. Para tais mulheres, o traje mais destacado é considerado “atraente” desde que seja do “último modelo”.

Antes de meados da década de 60 a manga Mariana de “um quarto de comprimento” era debochadamente vista: “Quem queria ser vista em tais trajes de "Dona Benta"? Somente trajes sem manga eram considerados “atraentes” por muitos. Então, da noite para o dia mangas totalmente compridas apareceram à venda nas lojas como sendo de última moda, e estes trajes de “Dona Benta” foram novamente considerados “atraentes” e como tais aceitos.

Uma década ou duas antes – e isto seria incrível se não tivesse realmente acontecido – a saia até os tornozelos, a mais exagerada vestimenta do tipo “Dona Benta” do último século, foi desenterrado e declarado “atraente” e “da última moda” em nossos dias. A partir de então, por muitos anos, a noiva elegante acreditou que não poderia estar atraentemente vestida exceto neste estilo “Dona Benta”.

Portanto, a palavra “atraente”, como é usada pelos fiéis da moda, é um disfarce para a vaidade pecaminosa. Naturalmente, um traje MODESTO bem desenhado é sempre atraente para os olhos das pessoas modestas. Naturalmente, um traje imodesto é sempre “atraente” para os olhos imodestos – desde que seja a “última moda”. Assim, São Paulo escreve, “O homem lascivo não percebe as coisas que são do espírito de Deus” (I Cor. II, 14).

OS PADRÕES MARIANOS APLICAM-SE SOMENTE PARA ROUPAS FEMININAS?
E QUANTO ÀS ROUPAS MASCULINAS?


Os Padrões Marianos forma publicados pelo Vigário Cardeal de Roma para serem aplicados para roupas femininas. Certamente, os homens são igualmente direcionados para a modéstia, tal como o são as mulheres. Contudo, existe uma diferença de padrões baseado na diferença natural entre os sexos. Assim, um traje de basquetebol que é de alguma maneira muito escandaloso para mulheres, pode ser modesto para homens.

A assim chamada “igualdade das mulheres com os homens em todas as coisas” é um mito. Igualdade entre os sexos em conformidade com a natureza dos respectivos sexos, por todas as formas deve ser respeitada. Mas não o falso “feminismo”, que é promovido pelo Naturalismo e o qual ignora as diferenças naturais entre os sexos.

A razão pela diferença de padrões merece ser repetida: a atração feminina pelo homem é mais psicológica; a atração masculina pela mulher é mais física. Portanto, o homem é muito mais facilmente tentado por trajes femininos escandalosos do que vice-versa.

De modo algum, contudo, está um homem isento da virtude da modéstia. A modéstia masculina é necessária hoje em dia, tanto quanto a feminina. Mas o fato permanece que os Padrões Marianos foram prescritos especificamente para mulheres e jovens. A Santa Sé ainda não considerou necessário prescrever padrões para homens e moços. Apesar de que, revelações particulares, que foram dadas para nosso direcionamento em tempos em que são mais necessários, foram muito explícitas sobre trajes masculinos. Nossa Abençoada Mãe tem declarado que roupas apertadas que destacam o corpo não devem ser usadas. Nossa Senhora também declarou que os homens devem usar roupas mais escuras e mais folgadas. Cores brilhantes e berrantes em camisas e calças não devem ser usadas por homens. Ela também alertou contra calças e camisas xadrez e com flores. Homens deveriam usar cores escuras e sem estampa. Tecidos brilhantes e estampados pertencem ao guarda-roupa feminino.

OS PADRÕES MARIANOS APLICAM-SE TAMBÉM PARA ROUPAS ATLÉTICAS E PARA GINÁSTICA?

Sim. O Santo Padre insiste que moças estejam “plenamente vestidas” para jogos e competições, em instruções especiais em 12 de janeiro de 1930. “Os pais devem manter suas filhas afastadas de competições e jogos públicos; mas se suas filhas forem compelidas a participarem de tais exibições, garantam que estejam plena e modestamente trajadas. Nunca permitam que suas filhas usem vestimentas imodestas”.

Apesar de todas as ordens de Roma, entretanto, os trajes de ginástica na maioria das escolas Católicas são escandalosos; apesar do Papa ordenar que “os Superiores e professoras façam o máximo para instilar o amor pela modéstia nos corações das moças confiadas a seus cuidados e exalta-as a vestirem-se com modéstia”. (ibid.)

Entretanto, mesmos nossas escolas Católicas começaram a macaquearem modas pagãs. Em torno de 1956 roupas de ginásticas Marianas já não estavam mais disponíveis no mercado, tendo sido rotuladas como impraticáveis ou impeditivas para um jogo esportivo eficiente. O nudismo pagão cresceu a tal ponto nos esportes é facilmente visto nos trajes das competições internacionais (Observem as ginastas femininas, nadadoras e esquiadoras nas Olimpíadas!), em nome da estética, maior exatidão nos movimentos, menor resistência do vento ou da água (atletismo, ciclismo, natação). Deveríamos também considerar os trajes escandalosos de outras recreações populares, tais como aeróbica, ioga, ballet, etc.

QUE REGRAS SE APLICAM À SUÉTERS, TRAJES DE RECREIO, TRAJES DE PRAIA, TRAJES ESPORTIVOS E TRAJES DE BANHO?


As mesmas duas regras básicas aplicam-se: suficiente cobertura e manequim adequado. Trajes de banho de duas-peças estão descartados, naturalmente. Com relação à cobertura, o ideal Mariano requer o mesmo nível de cobertura, não importando que tipo de vestimenta seja. Não é, em princípio, o tipo da roupa feminina que a faz modesta ou imodesta, nem o estilo. Ao contrário, a modéstia tem a ver com a ocultação correta do corpo. Neste aspecto, TODOS os estilos modernos de trajes de banho violam os padrões Marianos de modéstia ao vestir! (Especialmente ofensivo é o „spandex‟). Além disto, banhos públicos violam a modéstia, pois se tornam uma festa diabólica para os olhos, alimentando abrasivamente a concupiscência, assim como qualquer vestimenta, não importa quão modesta seja, torna-se imodesta e fisicamente exposta quando molhada. No ideal Católico, porém banhos familiares privados são aceitáveis, se realizados com uma camisa folgada e bermudas ou traje equivalente. Não há nada questionável com recreação familiar privada, ao contrário do exibicionismo publico secular tão disseminado hoje.

O QUE DEVE SER DITO DA TEORIA: “AQUILO QUE É IMODESTO NAS RUAS PODE PERFEITAMENTE SER MODESTO NA PRAIA?”.

Este é um dos princípios defendidos pelos discípulos da assim chamada “modéstia relativista”. Faz com que a modéstia dependa menos de sua base real – ocultar a exposição do corpo – do que de circunstâncias temporais, espaciais e de ocasião. A modéstia relativista provê uma escala móvel para medir a modéstia, a qual traz um grande componente de sofismo. É normalmente usada como um mecanismo a calhar para escapar das obrigações naturais da modéstia.

Alguns liberais interpretam as prescrições de São Tomás de Aquino para vestir-se de acordo com as circunstâncias temporais, espaciais e ocasionais como uma aprovação das modernas modas semi-nudistas. Eles deveriam ter mais conhecimento. São Tomás referia-se aos trajes modestos em voga no século XIII. É estúpido falar que ele se referia aos nossos vestidos sem alça, shorts, biquínis, etc. Como poderia ser, se estes são trajes do século XX?

A Cruzada Mariana desafia a razoabilidade deste princípio. Seus proponentes deveriam apresentar-se com um argumento razoável, ou considerá-lo outro sofisma.

EXISTEM ARGUMENTOS POSITIVOS PARA REFUTAR ESTE PRINCÍPIO?

Sim. Este mecanismo estabelece padrão duplo para a modéstia pública: um para shorts de banho, outro para shorts de rua; um permitindo somente frente-única, o outro requerendo maior cobertura. Duplo padrão leva à confusão de padrões, ou um nivelamento por baixo dos padrões superiores. Atualmente a tendência é crescente para permitir como “costume” à aparição nas ruas com trajes de banho. Aqui vemos o “mecanismo de fuga dos requisitos naturais da modéstia” em ação. Os pronunciamentos do papa Pio XII declaram que “Um modo de vestir indecente tem prevalecido”. Sem distinção de lugar, “nas praias, no campo, em quase todo lugar, nas ruas, etc.” (20 de agosto de 1954).

Além disto, Sua citação do “antigo poeta” como dizendo que “o vício necessariamente segue após a nudez pública” (Ibid.) aplica-se a todos os lugares, praia ou onde quer que seja. Modernistas americanos chocar-se-ão em saber que Sua Eminência Enrique Cardeal Pla y Daniel, Arcebispo de Toledo, Espanha, publicou as seguintes diretrizes em 1959: “Um perigo especial para a moral é representado pelos banhos públicos nas praias, em piscinas e rios... Banhos mistos entre homens e mulheres que são quase sempre uma ocasião próxima de pecado e escândalo, devem ser evitados”.

As Aparições Marianas

"O meu Imaculado Coração será o teu refúgio
e o caminho que te conduzirá até Deus"
(Fátima) 

A 13 de maio de 1917, domingo, a Virgem Maria aparecia em Fátima, cerca do meio dia, aos três pastorzinhos. “Vimos sobre uma azinheira uma Senhora vestida toda de branco, mais brilhante que o sol, espargindo luz mais clara e intensa que um copo de cristal cheio de água cristalina, atravessado pelos raios do sol mais ardente”. Depois de um breve diálogo, que poderíamos chamar de apresentação, a Virgem Maria desenvolve a sua mensagem: “Quereis oferecer-vos a Deus para suportar todos os sofrimentos que Ele quiser enviar-vos, em ato de reparação pelos pecados com que Ele é ofendido e de súplica pela conversão dos pecadores?” - “Sim, queremos” – respondeu Lúcia em nome dos três. 10 - “Ides, pois, ter muito que sofrer, mas a graça de Deus será o vosso conforto”. “Foi ao pronunciar estas últimas palavras que abriu pela primeira vez as mãos comunicando-nos – é a irmã Lúcia quem descreve – uma luz tão intensa, como que reflexo que delas expedia, que, penetrando-nos no peito e no mais íntimo da alma, fazia-nos ver a nós mesmos em Deus, que era essa luz, mais claramente do que nos vemos no melhor dos espelhos”.

13 de junho

Tinha passado um mês. O cenário era o mesmo e os personagens também. Lúcia: “Queria pedir-Lhe para nos levar para o Céu”. Nossa Senhora: “Sim, à Jacinta e ao Francisco levo-os em breve. Mas tu ficas cá mais algum tempo. Jesus quer servir-se de ti para Me fazer conhecer e amar. Ele quer estabelecer no mundo a devoção ao meu Imaculado Coração. A quem a abraçar, prometo a salvação; e serão queridas de Deus estas almas, como flores postas por Mim a adornar o seu trono”. Lúcia: “Fico cá sozinha?” Nossa Senhora: “Não, filha. E tu sofres muito? Não desanimes. Eu nunca te deixarei. O meu Imaculado Coração será o teu refúgio e o caminho que te conduzirá até Deus”. 11 “Foi no momento que disse estas últimas palavras que abriu as mãos e nos comunicou pela segunda vez o reflexo dessa luz imensa. Nela nos víamos como que submergidos em Deus. A Jacinta e o Francisco pareciam estar na parte dessa luz que se elevava para o Céu e eu na que se espargia sobre a terra. À frente da palma da mão direita de Nossa Senhora estava um Coração cercado de espinhos que pareciam estar nele cravados. Compreendemos que era o Imaculado Coração de Maria, ultrajado pelos pecados da humanidade, que queria reparação”.

13 de julho 

Nossa Senhora: “Sacrificai-vos pelos pecadores e dizei muitas vezes e em especial sempre que fizerdes algum sacrifício: Ó Jesus, é por vosso amor, pela conversão dos pecadores e em reparação pelos pecados cometidos contra o Imaculado Coração de Maria”. Lúcia: “Ao dizer estas últimas palavras abriu de novo as mãos como nos dois meses passados. O reflexo pareceu penetrar a terra e vimos como que um grande mar de fogo e mergulhados nesse fogo os demônios e as almas como se fossem brasas transparentes e negras ou bronzeadas com forma humana que flutuavam no incêndio levadas pelas chamas que delas mesmas saíam juntamente com nuvens de fumo, caindo para todos os lados – semelhantes ao cair das fagulhas nos grandes incêndios – sem peso nem equilíbrio, entre gritos e gemidos de dor e desespero que horrorizavam e faziam estremecer de pavor. Os demônios distinguiam-se por formas horríveis e asquerosas de animais espantosos e desconhecidos, mas transparentes como negros carvões em brasa. Assustados e como a pedir socorro, levantamos os olhos para Nossa Senhora que nos disse com bondade e tristeza:” Nossa Senhora: “Vistes o inferno, para onde vão as almas dos pobres pecadores. Para salvá-las, Deus quer estabelecer no mundo a devoção ao meu Imaculado Coração. Se fizerem o que Eu vos disser, salvar-se-ão muitas almas e terão paz... Virei pedir a consagração da Rússia ao meu Imaculado Coração e a comunhão reparadora nos primeiros sábados. Se atenderem a meus pedidos, a Rússia se converterá e terão paz; se não, espalhará seus erros pelo mundo, promovendo guerras e perseguições à Igreja; os bons serão martirizados, o Santo Padre terá muito que sofrer, várias nações serão aniquiladas; por fim, o meu Imaculado Coração triunfará. O Santo Padre consagrar-Me-á a Rússia, que se converterá, e será concedido ao mundo algum tempo de paz”. Nesta terceira aparição, Nossa Senhora descobria todas as misteriosas intenções de Deus sobre o mundo, encerradas nele. É aqui onde o tema do Coração de Maria vai unido ao segredo de Fátima. Primeiro a visão do inferno, que não se tratava de assustar as pobres crianças, mas de destacar bem que atualmente a misericórdia do Senhor colocava de forma especial a salvação das almas na mediação do Coração de Maria. Depois o anúncio da paz, desde que “atenderem a meus pedidos”, quer dizer, se cumpríssemos a sua Vontade. De fato o texto acrescentava que a guerra, presente então, a de 1914-18, estava por acabar, mas que se não deixassem de ofender a Deus, logo começaria outra pior, na qual Deus ia castigar o mundo pelos seus crimes. A devoção ao Coração Imaculado de Maria estava destinada em parte a impedir a guerra de 1939-45. Não merecemos esta graça. Por isso o texto diz literalmente: “Para a impedir, virei pedir a consagração da Rússia ao meu Imaculado Coração e a comunhão reparadora”. A grande promessa de Pontevedra e Tuy não estava destinada unicamente a alcançar a salvação individual das almas, mas a uma ampla graça de paz e de conversão para todo o mundo.

Nossa Senhora voltou

Nossa Senhora cumpriu a sua promessa de voltar para manifestar a sua vontade a Lúcia, e por ela a todos os homens. Duas coisas havia anunciado que viria pedir: a prática da comunhão reparadora dos primeiros sábados do mês e a consagração da Rússia ao seu Coração Imaculado.