quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

Catecismo do Matrimônio.

Lançamento do Mosteiro da Santa Cruz. 
Poucos livros são mais necessários do que este nos dias de hoje em que os deveres e as graças do matrimônio são cada vez desconhecidos.


São 135 pgs este catecismo, de perguntas e respostas muito pratico.

Estamos revendendo por 
R$30,00 com frete incluso.

segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

O Concílio Vaticano II, o "TINTEIRO DE SATANAS" III

Decreto é hora das trevas
do Concílio Vaticano II 
Documento que auxilia a infiltração dos erros.
Vamos pegar trecho por trecho para poderem ver onde estão os erros.
Natureza do movimento ecumênico
DECRETO
UNITATIS REDINTEGRATIO
SOBRE O ECUMENISMO

"Estes são os que causam divisões, sensuais, que não têm o Espírito" 
Judas 1.19.

CAPÍTULO II
PRÁTICA DO ECUMENISMO

Trabalho de toda a Igreja
5. A solicitude na restauração da união vale para toda a Igreja, tanto para os fiéis como para os pastores. Afecta a cada um em particular, de acordo com sua capacidade, quer na vida cristã quotidiana, quer nas investigações teológicas e histéricas. Essa preocupação já manifesta de certo modo a união fraterna existente entre todos os cristãos, e conduz à unidade plena e perfeita, segundo a benevolência de Deus.

A renovação da Igreja: sua importância e necessidade
6. Toda a renovação da Igreja (23) consiste essencialmente numa maior fidelidade à própria vocação. Esta é, sem dúvida, a razão do movimento para a unidade. A Igreja peregrina é chamada por Cristo a essa reforma perene. Como instituição humana e terrena, a Igreja necessita perpetuamente desta reforma. Assim, se em vista das circunstancias das coisas e dos tempos houve deficiências, quer na moral, quer na disciplina eclesiástica, quer também no modo de enunciar a doutrina - modo que deve cuidadosamente distinguir-se do próprio depósito da fé - tudo seja recta e devidamente restaurado no momento oportuno.

  Esta renovação tem, por isso, grande importância ecumênica.
   Ela já é efetuada em várias esferas da Igreja. Tais são os movimentos bíblico e litúrgico, a pregação da palavra de Deus e a catequese, o apostolado dos leigos, as novas formas de vida religiosa, a espiritualidade do matrimônio, a doutrina e atividade da Igreja no campo social. Tudo isto deve ser tido como penhor e auspicio que felizmente prognosticam os futuros progressos do ecumenismo.

A conversão do coração
7. Não há verdadeiro ecumenismo sem conversão interior. É que os anseios de unidade nascem e amadurecem a partir da renovação da mente (24), da abnegação de si mesmo e da libérrima efusão da caridade. Por isso, devemos implorar do Espírito divino a graça da sincera abnegação, humildade e mansidão em servir, e da fraterna generosidade para com os outros. «Portanto - diz o Apóstolo das gentes - eu, prisioneiro no Senhor, vos rogo que vivais de modo digno da vocação a que fostes chamados, com toda a humildade e mansidão, com paciência, suportando-vos uns aos outros em caridade, e esforçando-vos solicitamente por conservar a unidade do Espírito no vínculo da paz» (Ef. 4, 1-3). Esta exortação visa sobretudo aqueles que foram elevados à sagrada Ordem na intenção de que seja continuada a missão de Cristo, que entre nós «não esteve para ser servido, mas para servir» (Mt. 20,28).
Também das culpas contra a unidade, vale o testemunho de S. João: «Se dissermos que não temos pecado, fazemo-lo mentiroso e a sua palavra não está em nós» (1 Jo. 1,10). Por isso, pedimos humildemente perdão a Deus e aos irmãos separados, assim como também nós perdoamos àqueles que nos ofenderam.
Lembrem-se todos os cristãos de que tanto melhor promoverão e até realizarão a união dos cristãos quanto mais se esforçarem por levar uma vida mais pura, de acordo com o Evangelho. Porque, quanto mais unidos estiverem em comunhão estreita com o Pai, o Verbo e o Espírito, tanto mais íntima e facilmente conseguirão aumentar a fraternidade mútua.

A oração pela unidade
8. Esta conversão do coração e esta santidade de vida, juntamente com as orações particulares e públicas pela unidade dos cristãos, devem ser tidas como a alma de todo o movimento ecumênico, e com razão podem ser chamadas ecumenismo espiritual.
É coisa habitual entre os católicos reunirem-se frequentemente para aquela oração pela unidade da Igreja que o próprio Salvador pediu ardentemente ao Pai, na vigília de sua morte: «Que todos sejam um» (Jo. 17,21).
Em algumas circunstâncias peculiares, como por ocasião das orações prescritas «pro unitate» em reuniões ecuménicas, é lícito e até desejável que os católicos se associem aos irmãos separados na oração. Tais preces comuns são certamente um meio muito eficaz para impetrar a unidade. São uma genuína manifestação dos vínculos pelos quais ainda estão unidos os católicos com os irmãos separados: «Onde dois ou três estão congregados em meu nome, ali estou eu no meio deles» (Mt. 18,20).
Todavia, não é lícito considerar a communicatio in sacris como um meio a ser aplicado indiscriminadamente na restauração da unidade dos cristãos. Esta communicatio depende principalmente de dois princípios: da necessidade de testemunhar a unidade da Igreja e da participação nos meios da graça. O testemunho da unidade frequentemente a proíbe. A busca da graça algumas vezes a recomenda. Sobre o modo concreto de agir, decida prudentemente a autoridade episcopal local, considerando todas as circunstancias dos tempos, lugares e pessoas, a não ser que outra coisa seja determinada pela Conferência episcopal, segundo os seus próprios estatutos, ou pela Santa Sé.

O conhecimento dos irmãos separados
9. É preciso conhecer a mente dos irmãos separados. Para isso, necessariamente se requer um estudo, a ser feito segundo a verdade e com animo benévolo. Católicos devidamente preparados devem adquirir um melhor conhecimento da doutrina e história, da vida espiritual e litúrgica, da psicologia religiosa e da cultura própria dos irmãos. Muito ajudam para isso as reuniões de ambas as partes para tratar principalmente de questões teológicas, onde cada parte dever agir de igual para igual, contanto que aqueles que, sob a vigilância dos superiores, nelas tomam parte, sejam verdadeiramente peritos. De tal diálogo também se ver mais claramente qual é a situação real da Igreja católica. Por esse caminho se conhecer outrossim melhor a mente dos irmãos separados e a nossa fé lhes ser mais aptamente exposta.

Vimos nos estudos passados 

ESTUDO 1.Pois mudou o sentido real e correto da Única Igreja de Cristo.http://escravasdemaria.blogspot.com.br/search/label/Estudos

ESTUDO 2.Todavia dos modernistas querem afirmar que o Espírito Santo sopra onde quer desordenadamente(1)?

ESTUDO 3.Todos Deus só fundou uma única Igreja a Santa Igreja Católica Apostólica Romana que está acima de todos.


ESTUDO 5.Está mudança atinge o sentido “PARA QUE TODOS SEJAM UM" http://escravasdemaria.blogspot.com.br/2014/01/o-concilio-vaticano-ii-cavalo-de-troia.html

ESTUDO 6.Mudam o sentido Ruptura da unidade da Igreja:e qual laços de união entre todos os cristãos?

ESTUDO 7. Ecumenismo nasceu no mundo protestante. 
http://escravasdemaria.blogspot.com.br/2014/01/o-concilio-vaticano-ii-o-tinteiro-de_417.html


Continuação

    Por que será esta necessidade de renovação da Igreja: sua importância e necessidade e a solicitude na restauração da união que vale para toda a Igreja, tanto para os fiéis como para os pastores tanto a união fraterna existente entre todos os cristãos, e conduz à unidade plena e perfeita, segundo a benevolência de Deus.
   A Igreja Católica Apostólica Romana jamais poderia ser reformada por um herege como Lutero, pois a Santa Igreja, é a coluna e sustentáculo da verdade." (I Tim 3.15), 
 Por acaso Nosso Senhor Jesus é um mentiroso?
 Pois aderir a seita do Protestantismo é abandonar o Sacramento da Confissão,é abandonar a crença na Presença transubstanciarão e Real de Nosso Senhor no Santos Sacramento da Eucaristia é abandonar a crença no Sagrado Sacrifício da Santa Missa e a devoção filial a Santíssima Mãe de Deus aos Santos.
    Protestantismo tem que aderir a unidade perfeita segundo a benevolência de Deus como vimos na aula passada que é necessário os pastores e outros denominações devem renunciar os erros condenados pela Santa Igreja assim que Nosso Senhor quer senão tinha vindo a terra para ensinar que é o Caminho a Verdade e a Vida se vai ao Pai por Ele e para Ele por meio da Santíssima Virgem.
     Voltando os modernistas dizem que esta renovação da Igreja tem grande importância pela ação ecumênica. 
     Dogma ensina que homem não pode ser salvo somente pela fé, somente em Cristo. O Cristianismo deve confiar na fé mais “obras de mérito” para salvação. Os Sacramentos são essenciais à doutrina Católica de salvação, que são: Batismo, Crisma, A Eucaristia, Penitência, Extrema-unção, Ordem e Matrimônio. Os protestantes crêem que baseados na fé apenas em Cristo, os crentes são justificados por Deus, quando todos os seus pecados são pagos por Cristo na cruz e Sua justiça é a eles imputada. Os católicos, por outro lado, crêem que a justiça de Cristo é concedida ao crente pela “graça através da fé”, mas em si mesma não é suficiente para justificar o crente. O crente deve “suplementar” a justiça de Cristo a ele concedida com obras meritórias.

    Para isto fizeram varias renovação como dizem vamos citar:O Novo Ordo da Missa colocando como principal e tiraram a Santa Missa Tridentina do centro e agora tem Motu proprio do Concílio Vaticano II, liberalizando a Missa Tridentina.
 Para agradar quem gosta da Santa Missa Tridentina?
 A Santa Missa Tridentina não mais uma opção e a Única Santa Missa Católica instituída na Bula Papal.
 Por isto a Religião não é politica demagoga;
 Religião não são gostos que adequada comigo; 
 Religião não é para agradar nossas vaidades e melindres; 
 A verdadeira conversão de coração é ser unido a Religião Verdadeira e ÚNICA, está é ligar a Deus da forma que Nosso Senhor institui quer agrade ou desagrade não tem opção como diz: Nossa Senhora de Fátima ou estamos com Deus ou estamos com o demônio.
  E São Paulo ensinou claramente que é a Igreja que é o pilar e o mastro principal da verdade (Tim. 1, 3:16).

  Santa doutrina de sempre com seus dogmas tem que ser seguido mesmo que nos custe nossa vida como vivenciaram os santos. 

     Porque vemos tanta confusão vinda de Lutero que começou a divisão como Lúcifer começou no mundo dos anjos que os anjos bons fizeram?
     Ecumenismo,reforma não os anjos o expulsaram e o mesmo que fez a Santa Igreja expulsou Lutero e seus seguidores e assim condena todas suas heresias.
  E assim condenou todas as heresias e também condena que está no poder da hierarquia com seu modernismo ecumênico que é condenado pela Paxendi do Papa São Pio X.http://www.vatican.va/holy_father/pius_x/encyclicals/documents/hf_p-x_enc_19070908_pascendi-dominici-gregis_po.html

   
     Tudo isto não são heresias condenadas pela Santa Igreja?
Cânones do Sacrifício da Missa Cân. III - Se alguém disser que o sacrifício da Missa é apenas um sacrifício de elogio e de ação de graças, ou mera recordação do sacrifício consumado na cruz, mas que não é próprio, ou que apenas é aproveitável àquele que o recebe, e que não se deve oferecer pelos vivos nem pelos mortos, pelos pecados, penas, satisfações nem outras necessidades, seja excomungado.
    
 Quem deixou de ser um com a Santa Igreja foi Lutero junto com Calvino e os seus seguidores eles tem que abandonar seus erros.E retornando tem que fazer sua abjuração de seus erros e assim serão um como nosso Senhor pede:

 “Um homem Cristão é Católico enquanto vive no corpo; decepado deste, torna-se um herege". Santo Agostinho.

São Gregório de Nissa (335-394):
"Pois é suficiente para provar nossa afirmação de que a Tradição veio até nós por nossos pais, transmitida como uma herança, por sucessão dos apóstolos e dos santos que os sucederam. Aqueles, por outro lado, que mudaram suas doutrinas com novidades, necessitariam do suporte de abundantes argumentos, se quisessem mostrar seus pontos de vista, não à luz de homens controversos e instáveis, mas de homens de peso e firmeza. Mas já que suas posições se apresentam sem fundamentos e sem provas, quem é tão louco e tão ignorante para considerar os ensinamentos dos evangelistas e apóstolos, e daqueles que sucessivamente brilharam como luzes nas igrejas de menos força do que tais coisas sem sentido e sem provas?" 
(Contra Eunômio, 4,6).

  Nova ordem mundial com o apoio dos padres modernistas minaram a América Latina e todo mundo sendo alvo de uma campanha agressiva, organizada e rica do proselitismo Protestante para enfraquecer a Igreja Católica; e para afastar almas da verdadeira Fé. E incentivando orações ecumênica dizendo que é bom como vemos neste decreto acima no 8.É coisa habitual entre os católicos reunirem-se frequentemente para aquela oração pela unidade da Igreja que o próprio Salvador pediu e dizem está blasfêmia.


E assim vão surgiu o Movimento Focolares em obediência a CMI (cumprindo os interesses da ONU)
1981 - Em Tóquio, convidada pelo Reverendo Nikkyo Niwano , fundador do movimento leigo de renovação budista Rissho Kosei-kai, fala a 10 mil pessoas no grande templo.
O diálogo iniciado se desenvolverá também no campo das operações humanitárias e a favor da paz.
Está imagens em Chiang Mai, fala a um numeroso grupo de monges, monjas e leigos budistas e expõe a sua experiência espiritual.

Este exemplo significativo evento que efetivamente matou a verdadeira militância Católica, que matou as atividades contra-reforma, 
 e que deixou a Igreja aberta aos saques do  Protestantismo,reuniões ecumênicas foi o Vaticano II 
e o novo espírito do ecumenismo.
  No dia 18 de março, no funeral na Basílica de São Paulo Fora dos muros,estavam presentes milhares de pessoas, personalidades políticas e representantes de outras religiões. Papa Bento XVI fez uma mensagem na qual afirma que Chiara foi uma mulher “em plena sintonia com o pensamento dos Papas”, que às vezes conseguia intuir antecipadamente. 
O Cardeal Bertone durante sua homilia a descreveu como um dos “astros luzentes do século XX”http://www.centrochiaralubich.org/br/chiara-lubich/biografia.html 

  Obs: Ela estava em sintonia com os Papas modernistas.
  Os Papas Tradicionais condenam tal ação:

   "Acautelai-vos, porém, dos falsos profetas, que vêm até vós vestidos como ovelhas, mas, interiormente, são lobos devoradores. Por seus frutos os conhecereis. Porventura colhem-se uvas dos espinheiros, ou figos dos abrolhos? Assim, toda a árvore boa produz bons frutos, e toda a árvore má produz frutos maus. Não pode a árvore boa dar maus frutos; nem a árvore má dar frutos bons. Toda a árvore que não dá bom fruto corta-se e lança-se no fogo. Portanto, pelos seus frutos os conhecereis" Mateus 7.15-20.

 Por este frutos conhecemos os modernistas que são como as cinco virgens imprudentes do Santo Evangelho em não seguir os ensinamentos seguros da Salvação e se perderam.
 Os modernistas saíram de nosso meio como Lutero mais não são um de nos e nem um conosco por isso que perseguem os que defendem a santa doutrina de sempre.

 "Eles Saíram do nosso meio, mas não eram dos nossos; pois, se tivessem sido dos nossos,teriam permanecido conosco. Mas, [saíram] para que se mostrasse que nem todos são dos nossos, nem do número dos eleitos.1(1Jo 2,19 )


REZEM TODOS OS DIAS O SANTO ROSÁRIO para que aconteça 
 que os separados da verdadeira doutrina retornem para Santa Igreja para sim todos sejam um
 (Jo. 17,21). 
 PARA O TRIUNFO 
 DO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA,
PELA SALVAÇÃO DAS ALMAS. 

segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

O Concílio Vaticano II, o "TINTEIRO DE SATANAS" II

Decreto é hora das trevas
do Concílio Vaticano II 
Documento que auxilia a infiltração dos erros.
Vamos pegar trecho por trecho para poderem ver onde estão os erros.
Natureza do movimento ecumênico
DECRETO
UNITATIS REDINTEGRATIO
SOBRE O ECUMENISMO

O movimento ecumênico
4.  Hoje, em muitas partes do mundo, mediante o sopro da graça do Espírito Santo, empreendem-se, pela oração, pela palavra e pela acção, muitas tentativas de aproximação daquela plenitude de unidade que Jesus Cristo quis. Este sagrado Concilio, portanto, exorta todos os fiéis a que, reconhecendo os sinais dos tempos, solicitamente participem do trabalho ecumênico.
 Por «movimento ecumênico» entendem-se as atividades e iniciativas, que são suscitadas e ordenadas, segundo as várias necessidades da Igreja e oportunidades dos tempos, no sentido de favorecer a unidade dos cristãos. Tais são: primeiro, todos os esforços para eliminar palavras, juízos e acções que, segundo a equidade e a verdade, não correspondem à condição dos irmãos separados e, por isso, tornam mais difíceis as relações com eles; depois, o «diálogo» estabelecido entre peritos competentes, em reuniões de cristãos das diversas Igrejas em Comunidades, organizadas em espírito religioso, em que cada qual explica mais profundamente a doutrina da sua Comunhão e apresenta com clareza as suas características. Com este diálogo, todos adquirem um conhecimento mais verdadeiro e um apreço mais justo da doutrina e da vida de cada Comunhão. Então estas Comunhões conseguem também uma mais ampla colaboração em certas obrigações que a consciência cristã exige em vista do bem comum. E onde for possível, reúnem-se em oração unânime. Enfim, todos examinam a sua fidelidade à vontade de Cristo acerca da Igreja e, na medida da necessidade, levam vigorosamente por diante o trabalho de renovação e de reforma.
 Desde que os fiéis da Igreja católica prudente e pacientemente trabalhem sob a vigilância dos pastores, tudo isto contribuirá para promover a equidade e a verdade, a concórdia e a colaboração, o espírito fraterno e a união. Assim, palmilhando este caminho, superando pouco a pouco os obstáculos que impedem a perfeita comunhão eclesiástica, todos os cristãos se congreguem numa única celebração da Eucaristia e na unidade de uma única Igreja. Esta unidade, desde o início Cristo a concedeu à Sua Igreja. Nós cremos que esta unidade subsiste indefectivelmente na Igreja católica e esperamos que cresça de dia para dia. até à consumação dos séculos.
 Mas é evidente que o trabalho de preparação e reconciliação dos indivíduos que desejam a plena comunhão católica é por sua natureza distinto da empresa ecumênica: Entretanto, não existe nenhuma oposição entre as duas, pois ambas procedem da admirável Providencia divina.
 É, sem dúvida, necessário que os fiéis católicos na empresa ecumênica se preocupem com os irmãos separados, rezando por eles, comunicando com eles sobre assuntos da Igreja, dando os primeiros passos em direção a eles. Sobretudo, porém, examinam com espírito sincero e atento aquelas coisas que na própria família católica devem ser renovadas e realizadas para que a sua vida dê um testemunho mais fiel e luminoso da doutrina e dos ensinamentos recebidos de Cristo, através dos Apóstolos.
 Embora a Igreja católica seja enriquecida de toda a verdade revelada por Deus e de todos os instrumentos da graça, os seus membros, contudo, não vivem com todo aquele fervor que seria conveniente. E assim, aos irmãos separados e ao mundo inteiro o rosto da Igreja brilha menos e o seu crescimento é retardado. Por esse motivo, todos os católicos devem tender à perfeição cristã (20) e, cada um segundo a própria condição, devam procurar que a Igreja, levando em seu corpo a humildade e mortificação de Jesus (21), de dia para dia se purifique e se renove, até que, Cristo a apresente a Si gloriosa, sem mancha e sem ruga (22).
 Guardando a unidade nas coisas necessárias, todos na Igreja, segundo o múnus dado a cada um, conservem a devida liberdade tanto nas várias formas de vida espiritual e de disciplina, como na diversidade de ritos litúrgicos e até mesmo na elaboração teológica da verdade revelada. Mas em tudo cultivem a caridade. Por este modo de agir, manifestarão sempre melhor a autêntica catolicidade e apostolicidade da Igreja.
 Por outro lado, é mister que os católicos reconheçam com alegria e estimem os bens verdadeiramente cristãos, oriundos de um patrimônio comum, que se encontram nos irmãos de nós separados. É digno e salutar reconhecer as riquezas de Cristo e as obras de virtude na vida de outros que dão testemunho de Cristo, às vezes até à efusão do sangue. Deus é, com efeito, sempre admirável e digno de admiração em Suas obras.
 Nem se passe por alto o facto de que tudo o que a graça do Espírito Santo realiza nos irmãos separados pode também contribuir para a nossa edificação. Tudo o que é verdadeiramente cristão jamais se opõe aos bens genuínos da fé, antes sempre pode fazer com que mais perfeitamente se compreenda o próprio mistério de Cristo e da Igreja.
 Todavia, as divisões dos cristãos impedem a Igreja de realizar a plenitude de catolicidade que lhe é própria naqueles filhos que, embora incorporados pelo Batismo, estão separados da sua plena comunhão. E até para a própria Igreja se torna mais difícil exprimir na realidade da vida e sob todos os aspectos a sua plena catolicidade.
 Este sagrado Concílio verifica com alegria que a participação dos fiéis na ação ecumênica aumenta cada vez mais. Recomenda-a aos Bispos de todo o mundo, para que a promovam com interesse e prudentemente a dirijam.

Vimos nos estudos passados 

ESTUDO 1.Pois mudou o sentido real e correto da Única Igreja de Cristo.http://escravasdemaria.blogspot.com.br/search/label/Estudos

ESTUDO 2.Todavia dos modernistas querem afirmar que o Espírito Santo sopra onde quer desordenadamente(1)?
http://escravasdemaria.blogspot.com.br/2013/12/o-concilio-vaticano-ii-cavalo-de-troia.html

ESTUDO 3.Todos Deus só fundou uma única Igreja a Santa Igreja Católica Apostólica Romana que está acima de todos.
http://escravasdemaria.blogspot.com.br/2013/12/o-concilio-vaticano-ii-cavalo-de-troia_23.html

ESTUDO 4.Qual o sentido de usar Irmão Separados http://escravasdemaria.blogspot.com.br/2013/12/o-concilio-vaticano-ii-cavalo-de-troia_30.html

ESTUDO 5.Está mudança atinge o sentido “PARA QUE TODOS SEJAM UM" http://escravasdemaria.blogspot.com.br/2014/01/o-concilio-vaticano-ii-cavalo-de-troia.html

ESTUDO 6.Mudam o sentido Ruptura da unidade da Igreja:e qual laços de união entre todos os cristãos?
http://escravasdemaria.blogspot.com.br/2014/01/o-concilio-vaticano-ii-o-tinteiro-de.html


Continuação

O império anticristão, em sua forma exterior, 
já está sendo preparado por esse movimento Ecumenista

Dom Francesco explicou aos jornalistas que o ecumenismo é o movimento de diálogo e intercâmbio entre as igrejas cristãs. Ele lembrou que o ecumenismo nasceu no mundo protestante, em 1910, com o propósito de proclamar Jesus Cristo e promover a união no testemunho de Jesus como o Senhor.
https://www.rs21.com.br/?p=18948
Dom Francesco Biasin abordou o preconceito e a ignorância em relação ao ‘outro religioso’; o desconhecimento e a resistência em relação ao ecumenismo e diálogo inter-religioso; a emergência do pluralismo religioso; a formação ecumênica dos ministros ordenados, lideranças e comunidades; o fortalecimento das estruturas de diálogo nos regionais e dioceses, entre outros.http://www.cnbb.org.br/imprensa/noticias/12654-dom-francesco-biasin-aponta-frutos-e-desafios-do-dialogo-ecumenico-no-brasil
Com estas palavras ecumenismo nasceu no mundo protestante prova-se o que padre Julio Maria disse:
 O catolicismo é a religião da união
como o protestantismo é a seita da desunião.
O Pe. Julio Maria não usa de luvas de pelica. Sua argumentação é forte, radical, decisiva, sem cerimônia, sem dó nem falsa demagogia modernista.
 É uma graça seus texto apologéticos salvou muitas almas da ciladas do demônio e continua salvando.
  
 Ecumenismo significava "terra habitada".
 Em 1846, foi criada em Londres a Aliança Evangélica, com a finalidade de congregar as diversas igrejas diante da ameaça de fragmentação do Protestantismo. Esta aliança tinha como finalidade preparar um "concílio ecumênico evangélico universal". Durante a primeira reunião da Aliança Evangélica em Londres, o pastor calvinista francês Adolphe Monod ressalta o "espírito ecumênico" demonstrado pelos organizadores do evento.
  Em 1905, foi criado nos Estados Unidos o Conselho Nacional das Igrejas.
  Em 1948, foi criado o Conselho Mundial das Igrejas - CMI, que reuniu inicialmente 197 denominações. No âmbito desta organização, o termo ecumenismo designa os esforços entre Igrejas com vista a uma reconciliação cristã que aceite a realidade da diversidade das diversas igrejas cristãs.
 Os modernista incorpora-se oficialmente ao movimento ecumênico a partir de 1960, quando o papa João XXIII criou o Secretariado Romano para a Unidade dos Cristãos. Este organismo participou ativamente no assessoramento ao papa e aos bispos durante o Concílio Vaticano II, além de ajudar os padres conciliares na elaboração do decreto Unitatis Redintegratio de 1964, do Papa Paulo VI. Este decreto define o movimento ecumênico como uma graça do Espírito Santo, considera que o caráter ecumênico é essencialmente espiritual e estabelece que o olhar da Igreja Católica é dirigido às igrejas separadas do Catolicismo: as Igrejas Ortodoxas e as Igrejas Protestantes.
   O Papa Paulo VI instituiu diversos grupos de trabalho na linha do diálogo inter-religioso: o Secretariado para os Não-Cristãos, a Comissão para o Diálogo com os Judeus e o Secretariado para os Não-Crentes.
  Segundo Paulo VI, em discurso pronunciado naquela ocasião, a doutrina sobre a Igreja deve ser interpretada à luz do decreto sobre o ecumenismo
  Do ponto de vista institucional, o Secretariado para a Unidade dos Cristãos estabeleceu o diálogo sobre a doutrina com outras igrejas, assessorou as Conferências Episcopais pelo mundo no tema do ecumenismo.

  Pluralidade de igrejas significa uma pluralidade da via ecumênica é a via da Igreja  do anti-cristo. 

http://maringa.odiario.com/maringa/noticia/591812/religioes-promovem-9a-noite-de-oracao-pela-paz-no-dia-13/

A Diversidade Religiosa no Mundo Atual - 8º Ano (Livro do Aluno)
A Diversidade Religiosa no Mundo Atual - e 9º Ano (Livro do Aluno)



Estes livros foram editados pela uma editora católica modernistas estas livrarias infelizmente não estão mais a serviços do que seus fundadores foram inspirados pelo Espirito Santo sim a serviço desta religião pagã onde se cultua todas as religiões.Isto vemos em toda parte,a infidelidade aos fundadores das congregações. O que fazer diante de tudo isto?Temos que fazer resistência pois que querem inculcar em nossas mentes e muitos já estão manobrados por esta mente que todas as religiões são boas.Dizer isto; e negar Nosso Senhor que foi pregado na cruz, para ensinar qual a religião certa; também é negar a nossa própria salvação.     As alma estão caindo no inferno aos milhares.
  Não comprem estes livros e nem participem de tais reuniões pois isto afasta de Nosso Senhor Único Caminho Verdade e Vida e de Nossa Senhora Único Caminho que leva a Nosso Senhor Jesus Cristo.
  Papas Tradicionais sempre ensinaram a Unica religião mas através dos Papas Modernistas infelizmente desde Papa João XXIII se afastaram do Espirito Santo como Judas Iscariotes e fizeram ruptura com a Santa Tradição Católica.
  O Espirito Santo revela para o papa Pio XI via com erro estes movimentos ecumênicos e publicou em 1928 a encíclica Mortalium animos, que afirmava que a Única Igreja Verdadeira é a Santa Igreja Católica Apostólica Romana e que a salvação só pode ser alcançada pelo regresso a esta Santa Igreja.  
  Apesar desta posição oficial, diversas iniciativas no âmbito modernista foram efetuadas no sentido da aproximação e cooperação com outras denominações "cristãs".
   Assim conseguiram colocar o primeiro Papa modernista desde então começaram a publicar erros já condenados tomaram espaço arrasador no seio da Santa Igreja e assim como protestantismo começou divisões no interior dos fieis católicos. 
  Nossa Senhora vai Triunfar junto com todos aqueles que estão dentro do seu Imaculado Coração em defesa da Única e Verdadeira Religião. 
 Compreendeis agora a intimidade que existe entre Deus e Maria, entre Maria e nossa alma? Como dissemos acima, é um círculo perfeito:
De Deus, por Jesus,
a nós, por Maria.
E, nossas relações com Deus:
Por Maria, a Jesus;
Por Jesus, a Deus.
   Depois disso, podemos compreender melhor como a graça é verdadeiramente uma participação da natureza divina; participação
que se faz por intermédio de Maria.
   É a essência mesma da religião. Deus e o homem se encontram.
   E a Virgem Mãe é o templo em que se efetua este encontro.
Compreendemos, também, agora
   São Luis Maria Montfort diz por sua vez: “Quem quer ser membro de Jesus Cristo deve ser formado em Maria, pela graça de Cristo, que nela está em plenitude, para ser comunicada aos membros verdadeiros do Salvador” Segredo de Maria.


REZEM TODOS OS DIAS O SANTO ROSÁRIO pelo “Triunfo da Verdade Católica sobre o erros modernistas”.
 PARA O TRIUNFO 
 DO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA,

PELA SALVAÇÃO DAS ALMAS. 

sábado, 18 de janeiro de 2014

Nossa Senhora no Sábado.


Epístola

Tito 3,4-7
4 Mas um dia apareceu a bondade de Deus, nosso Salvador, e o seu amor para com os homens. 5 E, não por causa de obras de justiça que tivéssemos praticado, mas unicamente em virtude de sua misericórdia, ele nos salvou mediante o batismo da regeneração e renovação, pelo Espírito Santo, 6 que nos foi concedido em profusão, por meio de Cristo, nosso Salvador, 7 para que a justificação obtida por sua graça nos torne, em esperança, herdeiros da vida eterna.


Evangelho

São Lucas 2, 15-20
15 Depois que os anjos os deixaram e voltaram para o céu, falaram os pastores uns com os outros: Vamos até Belém e vejamos o que se realizou e o que o Senhor nos manifestou. 16 Foram com grande pressa e acharam Maria e José, e o menino deitado na manjedoura. 17 Vendo-o, contaram o que se lhes havia dito a respeito deste menino. 18 Todos os que os ouviam admiravam-se das coisas que lhes contavam os pastores. 19 Maria conservava todas estas palavras, meditando-as no seu coração. 20 Voltaram os pastores, glorificando e louvando a Deus por tudo o que tinham ouvido e visto, e que estava de acordo com o que lhes fora dito.

quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

Depois da Maconha outra surpresa na Holanda.

   Na holanda  Alcoólatras limpam ruas de Amsterdã e recebem o pagamento em almoço, cerveja, tabaco e 10 Euros.
 E adivinhem o que fazem com os 10 euros.
  Os organizadores Rainbow Foundation com sua hipocrisia acreditam que outros países deveriam abandonar a postura politicamente correta e adotar a medida. 
    Estes organizadores querem ainda que outros países adotem esta exploração do vícios de moradores de rua qual a diferença que já vimos de psicopatas que mantam moradores de rua para está!
  A diferença há psicopata que matam rápido e este do governo psicopata mata devagar e explora o cidadão com trabalho escravo.

  Porque o presidente dos USA não deixa a Síria para ir atacar este pais que está fazendo uma ditadura sobre cidadãos moradores de rua.
  E a  ONU grande defensora dos direitos humano fez algo, claro que não pois hipocrisia reina.
  Para que mexer estão assim contribuindo a  diminuir o número de moradores de rua e de forma astuta e diabólica ganhando trabalho deles e matando seu figado seus neronianos e etc. 
  
Aqui vemos um governo da nova ordem mundial muito gentil.

E ONDE ESTA O BOM SENSO?
 E A CARIDADE PARA COM O PRÓXIMO 
ONDE ESTÁ?

REZEM TODOS OS DIAS O SANTO ROSÁRIO  PELO TRIUNFO DO 
DO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA,

PELA SALVAÇÃO DAS ALMAS E DAS DOS MORADORES DE RUA. 
  

segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

O Concílio Vaticano II, o "TINTEIRO DE SATANAS"

Decreto é hora das trevas
do Concílio Vaticano II 
Documento que auxilia a infiltração dos erros.
Vamos pegar trecho por trecho para poderem ver onde estão os erros.
Natureza do movimento ecumênico
DECRETO
UNITATIS REDINTEGRATIO
SOBRE O ECUMENISMO

Ruptura da unidade da Igreja: laços de união entre todos os cristãos

3. Nesta una e única Igreja de Deus já desde os primórdios surgiram algumas cisões (15), que o Apóstolo censura asperamente como condenáveis (16). Nos séculos posteriores, porém, originaram-se dissensões mais amplas. Comunidades não pequenas separaram-se da plena comunhão da Igreja católica, algumas vezes não sem culpa dos homens dum e doutro lado. Aqueles, porém, que agora nascem em tais comunidades e são instruídos na fé de Cristo, não podem ser acusados do pecado da separação, e a Igreja católica os abraça com fraterna reverência e amor. Pois que crêem em Cristo e foram devidamente baptizados, estão numa certa comunhão, embora não perfeita, com a Igreja católica. De facto, as discrepâncias que de vários modos existem entre eles e a Igreja católica - quer em questões doutrinais e às vezes também disciplinares, quer acerca da estrutura da Igreja - criam não poucos obstáculos, por vezes muito graves, à plena comunhão eclesiástica. O movimento ecumênico visa a superar estes obstáculos. No entanto, justificados no Batismo pela fé, são incorporados a Cristo (17), e, por isso, com direito se honram com o nome de cristãos e justamente são reconhecidos pelos filhos da Igreja católica como irmãos no Senhor (18).
 Ademais, dentre os elementos ou bens com que, tomados em conjunto, a própria Igreja é edificada e vivificada, alguns e até muitos e muito importantes podem existir fora do âmbito da Igreja católica: a palavra de Deus escrita, a vida da graça, a fé, a esperança e a caridade e outros dons interiores do Espírito Santo e elementos visíveis. Tudo isso, que de Cristo provém e a Cristo conduz, pertence por direito à única Igreja de Cristo.
 Também não poucas ações sagradas da religião cristã são celebradas entre os nossos irmãos separados. Por vários modos, conforme a condição de cada Igreja ou Comunidade, estas ações podem realmente produzir a vida da graça. Devem mesmo ser tidas como aptas para abrir a porta à comunhão da salvação.
 Por isso, as Igrejas (19) e Comunidades separadas, embora creiamos que tenham defeitos, de forma alguma estão despojadas de sentido e de significação no mistério da salvação. Pois o Espírito de Cristo não recusa servir-se delas como de meios de salvação cuja virtude deriva da própria plenitude de graça e verdade confiada à Igreja católica.
 Contudo, os irmãos separados, quer os indivíduos quer as suas Comunidades e Igrejas, não gozam daquela unidade que Jesus quis prodigalizar a todos os que regenerou e com vivificou num só corpo e numa vida nova e que a Sagrada Escritura e a venerável Tradição da Igreja professam. Porque só pela Igreja católica de Cristo, que é o meio geral de salvação, pode ser atingida toda a plenitude dos meios salutares. Cremos também que o Senhor confiou todos os bens da nova Aliança ao único colégio apostólico, a cuja testa está Pedro, com o fim de constituir na terra um só corpo de Cristo. É necessário que a ele se incorporem plenamente todos os que de alguma forma pertencem ao Povo de Deus. Este Povo, durante a peregrinação terrena, ainda que sujeito ao pecado nos seus membros, cresce incessantemente em Cristo. É conduzido suavemente por Deus, segundo os Seus misteriosos desígnios, até que chegue, alegre, à total plenitude da glória eterna na celeste Jerusalém.

Vimos nos estudos passados 

ESTUDO 1.Pois mudou o sentido real e correto da Única Igreja de Cristo.http://escravasdemaria.blogspot.com.br/search/label/Estudos

ESTUDO 2.Todavia dos modernistas querem afirmar que o Espírito Santo sopra onde quer desordenadamente(1)?

ESTUDO 3.Todos Deus só fundou uma única Igreja a Santa Igreja Católica Apostólica Romana que está acima de todos.


ESTUDO 5.Está mudança atinge o sentido “PARA QUE TODOS SEJAM UM" http://escravasdemaria.blogspot.com.br/2014/01/o-concilio-vaticano-ii-cavalo-de-troia.html

Continuação

Mudam o sentido Ruptura da unidade da Igreja:
e qual laços de união entre todos os cristãos?

Como podem afirmar os modernistas estas ações dos protestantes podem realmente produzir a vida da graça, se são filhos da trevas?
  No catecismo São Pio X ensina parte dos Sacramentos 5.como se perde a graça santificante?A graça santificante se perde pelo pecado mortal.no 6. Como se recupera a graça santificante?A graça santificante se recupera pelo sacramento da Confissão ou por um ato de contrição perfeita, unido ao desejo de se confessar; e no 11. Que se entende por sacramento? Por sacramento se entende um sinal sensível e eficaz da graça, instituído por Nosso Senhor Jesus Cristo para santificar nossas almas.
14. Como nos santificam os sacramentos?Os sacramentos nos santificam, dando-nos ou aumentando em nós a graça, que nos torna santos e agradáveis a Deus.
 Como eles estão aptos para abrir a porta à comunhão da salvação se não pertencem a Santa Igreja como vão se tornar agradáveis a Deus pois suas mentes estão cobertas das nuvens negras dos erros condenados pelo Concilio Trento.

 As Igrejas (19) e Comunidades separadas, embora creiamos que tenham defeitos, de forma alguma estão despojadas de sentido e de significação no mistério da salvação.
 Os protestantes não tem só defeitos e  imperfeição eles pecam gravemente em não acreditar no que a Santa Igreja ensina, por não aceitar e não prender a regras e doutrinas e dogmas católicos, além disso possuem sua própria maneira de pensar e agir,  fazendo ruptura com a Santa Igreja e como foi observado e ensinado no Concilio Tridentino.
 Como podem dar a salvação,se estão fora da Santa Igreja Católica como vão dar o que não possuem.


 Pois o Espírito de Cristo não recusa servir-se delas como de meios de salvação cuja virtude deriva da própria plenitude de graça e verdade confiada à Igreja católica?

Como o Espirito Santo  não se recusa servir-se dos protestantes?
  Se o próprio Espirito Santo condenou protestantismo através do Concilio de Trento.E defini-o o dogma fora da Santa Igreja Católica Romana não há Salvação que confusão é esta dos modernistas estão fazendo com seus decretos são "TINTEIROS DE SATANAS" pois  sabemos de onde vem e quem faz A confusão são os SERVOS dos demônios podemos concluir como a Igreja ensina e condenou o modernismo e os modernistas, estão demostram com seus erros explicitos a quem estão a serviço do seu fundador sobrenatural e um anjo decaído o Lúcifer.

Cristão verdadeiros são os que Nosso Senhor ensinou por completo e seguem sem negar uma unica verdade revela.
Do Catecismo Maior de São Pio X

126. Já nos tempos apostólicos, tinha havido homens perversos que, por interesse e ambição, turvavam e corrompiam no povo a pureza da Fé com abomináveis erros. Os Apostólos a eles se opuseram com a pregação, com escritos e com as infalíveis sentenças do primeiro Concílio que celebraram em Jerusalém.

127. Desde então até os nossos dias, não cessou o espírito das trevas seus venenosos ataques contra a Igreja e as verdades divinas de que Ela é depositária infalível. Suscitando constantemente novas heresias, tem atentado sucessivamente contra todos os dogmas da Religião Cristã.

128. Entre outras, ficaram tristemente famosas as heresias de Sabélio, que impugnou o dogma da Santíssima Trindade; Manés, que negou a Unidade de Deus e admitiu no homem duas almas; Ário, que não quis reconhecer a divindade de Nosso Senhor Jesus Cristo; Nestório, que recusou à Santíssima Virgem a excelsa dignidade de Mãe de Deus, e que distinguia em Jesus Cristo duas pessoas; Êutiques, que não admitia em Jesus Cristo senão uma natureza; Macedônio, que combateu a divindade do Espírito Santo; Pelágio, que atacou o dogma do pecado original e da necessidade da graça; os Iconoclastas, que rejeitavam o culto das Sagradas Imagens e das Relíquias dos Santos; Berengário, que se opôs a presença real de Nosso Senhor Jesus Cristo no Santíssimo Sacramento; João Huss, que negou o primado de São Pedro e do Romano Pontífice; e, finalmente, a grande heresia do Protestantismo (século XVI), forjada e propagada principalmente por Lutero e Calvino.

Esses inovadores - rejeitando a Tradição divina, reduzindo toda a Revelação à Sagrada Escritura e subtraindo a mesma Sagrada Escritura ao legítimo magistério da Igreja, para entregá-la insensatamente à livre interpretação do espírito privado - demoliram todos os fundamentos da Fé, expuseram os Livros Santos às profanações da presunção e da ignorância e abriram a porta a todos os erros.

129. O Protestantismo ou religião reformada, como orgulhosamente a chamam seus fundadores, é o compêndio de todas as heresias que houve antes dele, que houve depois e que podem ainda nascer para a ruína das almas.

130. Com uma luta sem tréguas que dura já vinte séculos, não cessou a Igreja Católica de defender o depósito sagrado da verdade que Deus lhe confiou, nem de amparar os fiéis contra o veneno das doutrinas heréticas.

131. À imitação dos Apóstolos, sempre que houve pública necessidade, a Igreja, congregada em um Concílio Ecumênico ou geral, definiu com toda a clareza a verdade católica e a propôs como dogma a seus filhos, e apartou de si os hereges,lançando contra eles a excomunhão e condenando seus erros.

O Concílio Ecumênico ou geral é uma augusta assembléia, para a qual o Romano Pontífice convoca todos os Bispo do mundo e outros Prelados da Igreja, presidida pelo próprio Papa ou por seus legados. A esta assembléia, que representa toda a Igreja docente, está prometida a assistência do Espírito Santo; e suas decisões em matéria de fé e de costumes, depois de confirmadas pelo Sumo Pontífice, são seguras e infalíveis como a palavra de Deus.

132. O Concílio que condenou o Protestantismo foi o Sacrossanto Concílio de Trento, assim chamado pela cidade em que se celebrou.

133. Ferido com esta condenação, o Protestantismo viu desenvolver os germes de dissolução que levava em seu viciado organismo: as discussões o dividiram, multiplicaram-se as seitas, que, dividindo-se e subdividindo-se, reduziram-no a fragmentos miúdos.

No presente, o nome protestantismo já não significa uma crença uniforme e espalhada, mas encerra apenas um amontoado, o mais monstruoso, de erros privados e individuais, recolhe todas as heresias, e representa todas as formas de revolta contra a Santa Igreja Católica.

134. Contudo, o espírito protestante, que é o espírito de liberdade insolente e de oposição a toda autoridade, não deixou de difundir-se. Surgiram muitos homens que, inchados com uma ciência vã e orgulhosa, ou dominados pela ambição e pelo interesse, não hesitaram em forjar ou dar alento a teorias transtornadoras da fé, da moral e de toda a autoridade divina e humana.

135. O Sumo Pontífice Pio IX, depois de haver concenado no Syllabis muitas das proposições mais importantes desses cristãos temerários, para aplicar o machado à raiz do mal, convocara em Roma um novo Concílio Ecumênico. Este começara felizmente sua obra ilustre e benéfica nas duas primeiras sessões que se celebraram na Basília de São Pedro, no Vaticano (donde lhe veio o nome de Concílio Vaticano), quando, em 1870, por vicissitude dos tempos, teve de ser suspenso.

136. É de esperar que, sossegada a tempestade que agita momentaneamente a Igreja, possa o Romano Pontífice reatar e  levar a cabo a obras providencial do Santo Concílio; e que, desfeitos os erros que agora combatem a Igreja e a sociedade civil, possamos logo ver brilhar com nova luz a verdade católica e iluminar o mundo com seus eternos resplendores.

Vamos citar dois padres que seguem a doutrina de sempre ensinam contra as heresias protestante:

Frases do Padre Pio contra o protestantismo.
Não sabeis que o protestantismo também possui um fundador sobrenatural? Sabeis agora, trata-se de um anjo, e seu nome é Lúcifer”.

“O protestantismo é como uma nuvem negra que rapidamente cobre todo o brilho do sol. Sabeis, pois, que uma nuvem não é mais grandiosa que o sol, e que ela não o cobre para sempre. A nuvem passa pelo sol, assim como o protestantismo passará perante a Igreja, sem lhe causar dano algum, pois o que não provém do céu jamais poderá vencer o próprio céu.

Nas páginas de O Anjo das Trevas. Ao conclamar seus leitores à luta
contra o demônio e seus “emissários”, Padre Júlio Maria de Lombaerde guerreiro,herdeiro e representante do Concilio Tridentino.Assim como discípulo se faz oposição contra a pregação modernistas, com seus escritos e com as infalíveis sentenças Concilio de Trento.
  O livro “O Anjo das Trevas” do Padre Júlio Maria, aponta a estrutura das relações com o projeto de instauração de uma única cristandade e como estrutura básica e solida o Concílio de Trento quem se afasta desta doutrina se afasta da verdade revelada perde a vida da graça.
  Está obra está cheia da Doutrina, Ciência e Bom Senso Contra os Erros Modernos, conclamam os fiéis católicos a lutar contra os “inimigos” da Santa Igreja, em cujas fileiras estavam o protestantismo agora que se ajuntam a esses erros os modernistas. Em relação aos que professavam o protestantismo no Brasil, agora vigora a postura  neste decreto modernista de diálogo ecumênico inaugurado pelo Concílio Vaticano II (1962-1965) que faz uma ruptura impressionante com que sempre ensinou a Santa Igreja.

   O Padre Júlio Maria Chegou a Manhumirim em março de 1928, assumindo, desde então, uma postura aguerrida não ecumenica dos dcomo ensina o decreto acima em relação aos maçons e protestantes, estes últimos com presença significativa na cidade. Conforme ele mesmo relatou posteriormente, o protestantismo encontrava-se ali “solidamente implantado”, contando com “dois templos, um Presbiteriano, outro Batista, funcionando um terceiro, Evangelista, em casa particular”. Também constatara que “o povo estava completamente imbuído de idéias protestantes, frequentando poucos, e pouco, a Igreja e os Sacramentos”. 1 MIRANDA, Antônio Afonso de. Padre J úlio Maria, sua vida e sua missão. 
  A presença e o proselitismo protestantes em Manhumirim ocasionavam,
presumidamente, conflitos ora pontuais, ora mais cotidianos, um dos quais teve como cenário as celebrações marianas que sucederam à posse de Padre Júlio Maria como vigário da cidade. Na ocasião, os protestantes distribuíram um panfleto intitulado “Desafio ao Padre Júlio Maria”, intimando a comprovar com textos bíblicos uma lista de dogmas e práticas católicas.
 Tal episódio inspirou Júlio Maria a criar, ainda em 1928, um jornal apologético
batizado sugestivamente de O Lutador do Bom Jesus de Manhumirim, cuja primeira edição foi publicada em 25 de novembro daquele ano. Através dele, o padre passou a responder de modo mais sistemático às frequentes questões que lhe eram trazidas, inclusive por protestantes.
 Produziu o uma literatura voltada, sobretudo, para a difusão do culto mariano e para o combate aos “erros modernos”, sobretudo o protestantismo. Segundo ele, “os protestantes, de todos os lados, fazem uma propaganda frenética de seus erros, procurando arrastar para o mal e a perdição os católicos fiéis; é, pois,necessário opor lhes uma refutação clara, simples, doutrinal e popular de suas objeções” e hoje o Concilio Vaticano II ajuda estas seitas com seus decretos. 
  Fortalecimento do catolicismo é reconduzir a sociedade aos valores morais e culturais do cristianismo católico e estabelecer o “Reino Social de Jesus Cristo” – ideal que orientou o pontificado de Pio XI (19221939)  e que, em terras brasileiras, teve como principal articulador o cardeal Dom Sebastião Leme (19301942).Combatendo o o anticomunismo e o antiprotestantismo.
 Com o combate do Padre Júlio Maria aos protestantes e demais “inimigos” da Igreja colocado em perspectiva, voltemos nossa atenção para O Anjo das Trevas. Dentre as suas obras, a partir das quais é possível estudar o antiprotestantismo, esta pode ser considerada umadas mais significativas por apresentar, conforme veremos, uma interpretação do protestantismo a partir de uma visão de conjunto. O subtítulo da obra – Lampejos de doutrina, ciência e bom senso Contra os erros modernos – é revelador da intenção do autor de lançar luz sobre as trevas que julgava estarem sendo difundidas no mundo pelo Demônio e seus agentes que apresentam na forma de “seis seitas destruidoras” ou “seis anjos das trevas”: o espiritismo, o protestantismo, a maçonaria, o divorcismo, o sexualismo e o comunismo. Por meio deles, “não podendo mostrar se pessoalmente, tal qual ele é”, Satanás “reveste-se hoje de pele do cordeirinho no Concilio Vaticano II, para melhor enganar os incautos e perdê-los com mais facilidade às teses expostas por ele, as quais, à semelhança de um clarão, dissipariam a escuridão produzida pelos “erros modernos”. 
  A oposição entre luz e trevas, portanto, subjaz toda a sua argumentação. Padre discorre sobre as origens do protestantismo no “tinteiro de Satanás” – donde viria sua diversidade, em contraste com a unidade do catolicismo. Pe. Júlio Maria ao protestantismo é a alegada associação deste com o Demônio. Pe. Júlio Maria, “tudo o que havia de malsão, de viciado, de perverso, foi logo atraído pelo cheiro nauseabundo da carniça de Lutero”.  “A carniça luterana”, conclui o Padre e continua: “serviu assim de alimento e de ninho para o desenvolvimento de todos os erros, de todos os vícios e de todas as paixões; como a carniça animal serve de pasto a todos os micróbios, vermes e animais pestíferos”.
 Pe. Júlio Maria afirma o protestantismo é alegada e associação com o Demônio.
 As conversões ao protestantismo – incluindo as de padres católicos – diz o Padre Júlio Maria, via de regra, torna-se protestante apenas quem é incapaz de ser católico. Sua caridade com aos "irmãos separados" e que eles deixem a seita vil e mentirosa a que pertenceis, para seguirdes o estandarte glorioso de Cristo, que é a imortal Santa Igreja Católica, Apostólica Romana(soltar ao vento: desfraldar a bandeira).                                     Padre roga em favor dos “pobres protestantes”: “Peço a Deus,pai de misericórdia, que ilumine a sua inteligência para conhecer a verdade, e a sua vontade,para ter a força de praticá-la”. É no contexto da cruzada tridentina contra a heresia, encampada principalmente pelas ordens religiosas, que o antiprotestantismo católico é engendrado. Nessa cruzada, a busca pela conversão das massas protestantes, reconduzindoas à verdadeira fé.
A Santa Igreja Católica não é o meio geral de salvação ela é a unica salvação ponto.


REZEM TODOS OS DIAS O SANTO ROSÁRIO pelo “Triunfo da Verdade Católica sobre o erro protestante”.
 PARA O TRIUNFO 

DO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA,
PELA SALVAÇÃO DAS ALMAS.