sexta-feira, 21 de agosto de 2015

21 de agosto dia de Santa Joana Francisca Frémiot de Chantal, Viuva e fundadora.

21/08 Sexta-feira
Festa de Terceira Classe
Paramentos Brancos

  Filha de Benigno Frémiot, presidente do Parlamento de Borgonha e de Margarida de Berbizym, nasceu em Dijon a 28 de janeiro de 1572. No batismo recebeu o nome de Joana, ao qual acrescentou o de Francisca, por ocasião de sua confirmação. Teve esmerada educação. Recusou desposar um fidalgo rico, por ser ele protestante calvinista mas aceitou casar-se com o barão de Chantal, católico fervoroso, com quem levou uma vida profundamente religiosa e feliz.   
 Santa Joana nasceu em Dijon, França, em 28 de janeiro de 1572, filha de Benigno Frèmiot, presidente do parlamento de Borgonha. Após seu casamento, foi morar no castelo de Bourbillye, e sua primeira ordem na nova casa sinalizou qual seria o estilo de vida que se viveria ali. Mandou que, diariamente, fosse rezada uma missa e que todos os servidores domésticos participassem. Ocupou-se, pessoalmente, da educação religiosa dos serviçais, ajudando-os em todas as suas necessidades materiais.           
  Quando o barão feriu-se gravemente durante uma caçada, no castelo só se rezava por sua saúde. Mas logo veio a falecer. Joana ficou viúva aos vinte e oito anos de idade, com os filhos para criar. Dedicou-se, inteiramente, à educação das suas crianças, abrindo espaço em seus horários apenas para a oração e o trabalho. Nessa época, conheceu o futuro são Francisco de Sales, então bispo de Genebra. Escolheu-o para ser seu diretor espiritual e fez-se preparar para a vida de religiosa.                     
  Passados nove anos de viuvez e depois de ter muito bem casado as filhas, deixou o futuro barão de Chantal, então um adolescente de quinze anos, com o avô Benigno no castelo de Dijon e retirou-se em um convento. No ano seguinte, em 1610, junto com Francisco de Sales, fundou a Congregação da Visitação de Santa Maria, destinada à assistência aos doentes. Nessa empreitada juntaram-se, à baronesa de Chantal, a senhora Jacqueline Fabre e a senhorita Brechard. Joana, então, professou os votos e foi a primeira a vestir o hábito da nova Ordem. Eleita a madre superiora, acrescentou Francisca ao nome de batismo e dedicou-se, exclusivamente, à Obra, vivendo na sua primeira sede, em Anecy. Fundou mais setenta e cinco Casas para suas religiosas com toda a sua fortuna. Mas não sem dificuldades e sofrimentos, e sofrendo muitas perseguições em Paris, sem nunca esmorecer.   
  Depois de uma dura agonia motivada por uma febre que pôs fim à sua existência, morreu em Moulins no dia 13 de dezembro de 1641.

Leitura da Epístola dos 
Provérbios 31, 10-31   
10.Uma mulher virtuosa, quem pode encontrá-la? Superior ao das pérolas é o seu valor.11.Confia nela o coração de seu marido, e jamais lhe faltará coisa alguma.12.Ela lhe proporciona o bem, nunca o mal, em todos os dias de sua vida.13.Ela procura lã e linho e trabalha com mão alegre. 14.Semelhante ao navio do mercador, manda vir seus víveres de longe.15.Levanta-se, ainda de noite, distribui a comida à sua casa e a tarefa às suas servas. 16.Ela encontra uma terra, adquire-a. Planta uma vinha com o ganho de suas mãos.17.Cinge os rins de fortaleza, revigora seus braços. 18.Alegra-se com o seu lucro, e sua lâmpada não se apaga durante a noite. 19.Põe a mão na roca, seus dedos manejam o fuso.20.Estende os braços ao infeliz e abre a mão ao indigente.21.Ela não teme a neve em sua casa, porque toda a sua família tem vestes duplas.22.Faz para si cobertas: suas vestes são de linho fino e de púrpura.23.Seu marido é considerado nas portas da cidade, quando se senta com os anciãos da terra.24.Tece linha e o vende, fornece cintos ao mercador.25.Fortaleza e graça lhe servem de ornamentos; ri-se do dia de amanhã.26.Abre a boca com sabedoria, amáveis instruções surgem de sua língua.27.Vigia o andamento de sua casa e não come o pão da ociosidade.28.Seus filhos se levantam para proclamá-la bem-aventurada e seu marido para elogiá-la.29.Muitas mulheres demonstram vigor, mas tu excedes a todas.30.A graça é falaz e a beleza é vã; a mulher inteligente é a que se deve louvar.

Sequência do Santo Evangelho    
                                                                                                                     
São Mateus 13,44-52                                                                               
44. O Reino dos céus é também semelhante a um tesouro escondido num campo. Um homem o encontra, mas o esconde de novo. E, cheio de alegria, vai, vende tudo o que tem para comprar aquele campo. 45.O Reino dos céus é ainda semelhante a um negociante que procura pérolas preciosas.46.Encontrando uma de grande valor, vai, vende tudo o que possui e a compra.47.O Reino dos céus é semelhante ainda a uma rede que, jogada ao mar, recolhe peixes de toda espécie.48.Quando está repleta, os pescadores puxam-na para a praia, sentam-se e separam nos cestos o que é bom e jogam fora o que não presta.49.Assim será no fim do mundo: os anjos virão separar os maus do meio dos justos50.e os arrojarão na fornalha, onde haverá choro e ranger de dentes.51.Compreendestes tudo isto? Sim, Senhor, responderam eles. 52.Por isso, todo escriba instruído nas coisas do Reino dos céus é comparado a um pai de família que tira de seu tesouro coisas novas e velhas.