sábado, 28 de março de 2015

Sábado 1ª Semana da Paixão

28/03 Sábado Primeira Semana da Paixão 
Festa de Terceira Classe
Paramentos Roxos

Leitura da Epístola do livro do  

Jeremias 18, 18-23

18 Vinde, disseram então, e tramemos uma conspiração contra Jeremias! Por falta de um sacerdote não perecerá a lei, nem pela falta de um sábio, o conselho, ou pela falta de um profeta, a palavra divina. Vinde e firamo-lo com a língua, não lhe demos ouvidos às palavras! 19 Senhor, ouvi-me! Escutai o que dizem meus inimigos. 20 É assim que pagam o bem com o mal? Abrem uma cova para atentar-me contra a vida. Lembrai-vos de que ante vós me apresentei a fim de por eles interceder e deles afastar a vossa cólera. 21 Assim, entregai-lhes os filhos à fome e a eles próprios ao fio da espada. Percam suas mulheres os filhos e maridos, morram os homens pela peste, e os jovens caiam sob a espada nos combates. 22 Quando, de súbito, sobre eles lançardes hordas armadas, ouçam-se os clamores partidos de suas casas, já que cavaram uma fossa para prender-me, e armaram laços a meus pés. 23 Vós, porém, Senhor, que bem conheceis suas conspirações de morte contra mim, não lhes perdoeis tal iniquidade. Que a vossos olhos o seu pecado permaneça indelével e caiam diante de vós. Agi contra eles no dia de vossa cólera.

Sequência do Santo Evangelho 

São João 12, 10-36 

10 Mas os príncipes dos sacerdotes resolveram tirar a vida também a Lázaro, 11 porque muitos judeus, por causa dele, se afastavam e acreditavam em Jesus. 12 No dia seguinte, uma grande multidão que tinha vindo à festa em Jerusalém ouviu dizer que Jesus se ia aproximando. 13 Saíram-lhe ao encontro com ramos de palmas, exclamando: Hosana! Bendito o que vem em nome do Senhor, o rei de Israel! 14 Tendo Jesus encontrado um jumentinho, montou nele, segundo o que está escrito: 15 Não temas, filha de Sião, eis que vem o teu rei montado num filho de jumenta (Zc 9,9). 16 Os seus discípulos a princípio não compreendiam essas coisas, mas, quando Jesus foi glorificado, então se lembraram de que isto estava escrito a seu respeito e de que assim lho fizeram. 17 A multidão, pois, que se achava com ele, quando chamara Lázaro do sepulcro e o ressuscitara, aclamava-o. 18 Por isso o povo lhe saía ao encontro, porque tinha ouvido que Jesus fizera aquele milagre. 19 Mas os fariseus disseram entre si: Vede! Nada adiantamos! Reparai que todo mundo corre após ele! 20 Havia alguns gregos entre os que subiram para adorar durante a festa. 21 Estes se aproximaram de Filipe (aquele de Betsaida da Galiléia) e rogaram-lhe: Senhor, quiséramos ver Jesus. 22 Filipe foi e falou com André. Então André e Filipe o disseram ao Senhor. 23 Respondeu-lhes Jesus: É chegada a hora para o Filho do Homem ser glorificado. 24 Em verdade, em verdade vos digo: se o grão de trigo, caído na terra, não morrer, fica só; se morrer, produz muito fruto. 25 Quem ama a sua vida, perdê-la-á; mas quem odeia a sua vida neste mundo, conservá-la-á para a vida eterna. 26 Se alguém me quer servir, siga-me; e, onde eu estiver, estará ali também o meu servo. Se alguém me serve, meu Pai o honrará. 27 Presentemente, a minha alma está perturbada. Mas que direi?... Pai, salva-me desta hora... Mas é exatamente para isso que vim a esta hora. 28 Pai, glorifica o teu nome! Nisto veio do céu uma voz: Já o glorifiquei e tornarei a glorificá-lo. 29 Ora, a multidão que ali estava, ao ouvir isso, dizia ter havido um trovão. Outros replicavam: Um anjo falou-lhe. 30 Jesus disse: Essa voz não veio por mim, mas sim por vossa causa. 31 Agora é o juízo deste mundo; agora será lançado fora o príncipe deste mundo. 32 E quando eu for levantado da terra, atrairei todos os homens a mim. 33 Dizia, porém, isto, significando de que morte havia de morrer. 34 A multidão respondeu-lhe: Nós temos ouvido da lei que o Cristo permanece para sempre. Como dizes tu: Importa que o Filho do Homem seja levantado? Quem é esse Filho do Homem? 35 Respondeu-lhes Jesus: Ainda por pouco tempo a luz estará em vosso meio. Andai enquanto tendes a luz, para que as trevas não vos surpreendam; e quem caminha nas trevas não sabe para onde vai. 36 Enquanto tendes a luz, crede na luz, e assim vos tornareis filhos da luz. Jesus disse essas coisas, retirou-se e ocultou-se longe deles.

quarta-feira, 18 de março de 2015

Comentários Eleison: O Retorno do Caos

Comentários Eleison - por Dom Williamson
CD (400) - (14 de março de 2015): 

O RETORNO DO CAOS

Como a Igreja Católica no caos está a mergulhar,  
É um presente de Deus se ainda há alguém a pensar.  

            Já foi citado nestes “Comentários” um fascinante parágrafo do livro Iota Unum, escrito pelo leigo italiano Romano Amerio e muito admirado por Dom Lefebvre. Amerio desmonta magistralmente em sua obra todos os erros doutrinários do Vaticano II. Na terceira parte do capítulo 42 ele escreve: (1) Se a crise atual tende a desnaturar a Igreja, e se (2) essa tendência é interna à Igreja e não provém de um ataque externo, como o foi em outras ocasiões, então (3) nós estamos caminhando para uma escuridão disforme que impossibilitará o diagnóstico e o prognóstico, e (4) mediante a qual não haverá outro refúgio para o homem senão o silêncio (edição espanhola em e-book, pg. 560; edição inglesa, pg. 713; edição francesa, pg. 579; edição italiana, pg. 594).
           
            Ao se refletir sobre ele, vê-se que contém palavras fortes. Amerio está a dizer que nos encontramos à beira do caos, porque fica claro que (1) a atual crise tanto tende a desnaturar a Igreja, bem como (2) é interna à Igreja, quando o próprio Papa faz declarações tais como: “Não há um Deus católico” e “É preciso que os homossexuais sejam reavaliados”; afirmações cuja deliberada ambiguidade abre as portas para a inversão de todos os dogmas e da moral católica. Mas por que (3) o diagnóstico e o prognóstico católicos se tornarão impossíveis, e (4) como pode não haver mais nada por ser dito? Como pode Amerio chegar a uma conclusão tão sombria?

            (3) Porque Nosso Senhor disse: “Eu sou a luz do mundo. Aquele que me segue, não andará nas trevas” (Jo 8, 12), o que sugere fortemente que a massa da população mundial que não O segue já está nas trevas. Ele também diz àqueles que o seguem: “Vós sois a luz do mundo” (Mt 5, 14), o que sugere fortemente que se o número de católicos convictos reduz a cada dia, então as trevas na Igreja e no mundo estão a se intensificar dia após dia. Tudo bem, alguém pode dizer, mas “trevas” é apenas uma metáfora. Por que o diagnóstico e o prognóstico católicos serão impossíveis de ser feitos?

            (3) Porque mais e mais pessoas hoje estão incapacitadas de pensar. Porque desde que Nosso Senhor por meio de Sua Encarnação trouxe a graça sobrenatural para resgatar a natureza ferida e em combate, essa natureza não mais é capaz de se manter em pé sem essa graça. Então, quando os homens viram as costas para Jesus Cristo e para Deus, eles estão a minar a sua própria natureza e a repudiar o senso comum com o qual são dotados pela natureza para pensar, tanto no que diz respeito à relação do conteúdo de seu pensamento com a realidade, quanto no tocante à forma de proceder em conformidade com a lógica. Eles querem se libertar da realidade e da lógica para desafiar Deus, a fim de refazerem o mundo de acordo com suas fantasias.   

            Segue-se a isso que se Jesus Cristo veio para o resgate da humanidade e da natureza humana através do estabelecimento de Sua Igreja Católica, e se pelo Vaticano II os gentios também acabaram por repudiar esta Igreja, então o processo de laceração do homem por si mesmo, de sua natureza e de seu pensamento deu um passo tão grande com o Concílio, que se tornou virtualmente irreversível. Aqui está, tal como Amerio vê, implícito no Vaticano II, uma “escuridão disforme”, da qual o caos beligerante de opiniões que hoje orgulhosamente cambalhotam na Internet serve como um exemplo e uma antecipação.

            Mas, (4) por que não gritar nessa escuridão? Por que “não há outro refúgio para o homem senão o silêncio”? Porque em um estrondo caótico a Verdade simplesmente não pode ser ouvida, exceto, pode-se acrescentar, por umas poucas almas que Deus predestinou para ouvi-la (At 13, 48). Essas almas são eleitas por Deus, não pelos homens, e podem vir dos ambientes mais surpreendentes. Elas não gostam da “escuridão disforme”, e Nosso Senhor as leva para o Pai (Jo 14, 6). Serão um importante auxílio para a Igreja e uma esperança para o mundo.

Kyrie eleison. 
 
 REZEM TODOS DIAS O SANTO ROSÁRIO coloque Monsenhor em sua intenções.

segunda-feira, 16 de março de 2015

Pode bater palmas na missa?Sim formação Litúrgica em Mutirão CNBB.

http://3.bp.blogspot.com/-HRwOryxctks/T1YaEmc2QXI/AAAAAAAAC1Y/NcfY2B9vz5U/s1600/liturgia+em+mutir%C3%A3o.jpeg
Ato de se Reunir
Os ritos iniciais (CNBB, Doc 43, n. 231-261)

Formação Litúrgica em Mutirão
CNBB - rede celebra - revista de liturgia
Ficha 22

Os modernistas fazem sua nova liturgia de mutirão partir da nova missa do Papa Paulo VI Porque?

Para revolução litúrgica projetada pelo Vaticano II.

Pode-se bater Palmas e dançar nesta nova missa?
Sim.
Vejam abaixo as permissão da liderança modernista da CNBB.

 Canto inicial, canto de todos e que dura até o final da procissão de entrada. Cantar juntos o mistério celebrado une as vozes e os corações. Valorizar a procissão com a entrada dos ministros diversos; levar cruz, velas, e, conforme o tempo, círio, incenso, etc. Se oportuno, procissão dançada como expressão de fé orante: “Em certos povos, o canto é instintivamente acompanhado do bater de mãos, de movimentos ritmados e de passos de dança dos participantes” (A Liturgia Romana e a inculturação, 1994, n. 42).

Saudar a comunidade. Após o sinal da cruz e a saudação ritual (falada ou cantada), o missal prevê uma palavra espontânea de quem preside ou de outro ministro. Pode ser bom saudar os visitantes ou pessoas específicas em ocasiões especiais (pais, mães, batizandos etc.) até com canto de boas-vindas e palmas.

Quando o documento Musicam Sacram, de 1965, trata da participação do povo na liturgia ele diz o seguinte no n. 15: Esta participação:

a)     Deve ser antes de tudo interior; quer dizer que, por meio dela, os fiéis se unem em espírito ao que pronunciam ou escutam e cooperam com a graça divina.

b) Mas a participação deve ser também exterior; quer dizer que a participação interior deve expressar-se por meio de gestos e atitudes corporais, pelas respostas e pelo canto. Eduquem-se também os fiéis no sentido de se unirem

 A CNBB entende que não? Para uma cultura mestiça como a do povo brasileiro, repleta de elementos indígenas, europeus e africanos, o texto de um estudo da CNBB (n. 79 passeado no Concilio Vaticano II) admite palmas como fazendo parte da liturgia. Por exemplo, para as aclamações, como participação do povo, devem ser incentivadas e mais variadas, através do canto, das palmas ou dos vivas

Portanto, o ensinamento conciliar já previa e incluía as diferentes tradições musicais – reconhecidas pelas autoridades eclesiásticas territoriais competentes.

Então muitos ditos tradicionais entre aspas ficam pega texto,frases de Papas pos Concilio Vaticano II, dali e daqui para se defenderem para não bater palmas.Enquanto o modernista carismático,neucatumenato,cursilhistas e outros defendesem o bater palmas na missa com os textos conciliares que estão do seu lado.

Nesta missa da revolução do Papa Paulo VI é liberal, os em cima do muro ditos "tradicionalistas" querem  remendar com a tradição de não querer bater palmas na missa nova.Mais não adianta pois esta missa não foi criada para fim católico, mais sim seu fim ecumenismo para nova velha religião do homem decaído. Eles querem ser como os protestante que batem palmas.Os modernos em sua missa vão bater palma  sim acima estão o textos anti-catolicos que os defende.Por isto provamos que romperam com a tradição e se unem com os protestantes duvidam?

Nunca na Santa Missa Tridentina será visto e nem permitido bater palmas pois a Santa Missa de sempre é puramente católica e culto a Deus e não ao agrado do homem e não somos ecumênicos e nem cultuamos a homens.Fazemos o que Deus transmitiu ao seus apostolo nunca bateram palma o santo Sacrifício da Cruz e chegou até os dias de hoje.

Nos católicos de sempre assistimos a Santa Missa de sempre assim: 

 http://3.bp.blogspot.com/-3iFVzPqmip8/U2UtnTI6oLI/AAAAAAAAZ0Q/Aq8MvWtRPwU/s1600/doutrina%2Bcatolica%2Bantes%2Bdo%2Bv2.jpg

  Um outro grande Santo Capuchinho, o Padre Pio de Pieltrecina, certa vez foi chamado a responder pergunta sobre como assistir a Santa Missa:



http://www.imagemdedeus.com.br/arq/a20/642_25-05-2014_16-57-35.jpeg
“Padre, como devemos assistir à Santa Missa?

  “Como assistiram a Santíssima Virgem e as piedosas mulheres. Como assistiu S. João Evangelista ao Sacrifício Eucarístico e ao Sacrifício cruento da Cruz.” (São Pio de Pietrelcina)

E nenhum modernistas,protestante,macumbeiro,cismático,maçons nunca vão mudar a Santa Missa de sempre.

 Nesta Santa quaresma façam reparação dos que chamam o erro  de verdade.

REZEM TODOS OS DIAS O SANTO ROSÁRIO,façam penitência.

16 de março dia de São Heriberto,Confessor e Bispo.

16/03 Segunda-feira
Festa de Quarta Classe
 Paramentos Roxos
 http://4.bp.blogspot.com/-3lIiCOmVldc/T2IWjJ3OwVI/AAAAAAAAJZs/1RzU9cbxtAk/s400/urlSTTHER.jpg

O Santo Heriberto foi arcebispo de Colônia, na Alemanha, ainda muito moço, pois sua religiosidade brotara ainda na infância. Conta a tradição que, no dia em que Heriberto nasceu, em 970, filho de descendentes dos condes de Worms, notou-se uma extraordinária luz pairando sobre a casa de seus pais. O fenômeno teria durado várias horas e marcado para sempre a vida de Heriberto, que o levou para o caminho da santidade.
Como desde pequeno mostrava vocação para a religião e os estudos, seus pais o entregaram ao convento de Gorze. Ali, Santo Heriberto descobriu para si e para o mundo que era extremamente talentoso, mas decidiu-se pela ordenação sacerdotal, que ocorreu em 995. Com o decorrer do tempo cursou diversas escolas, chegando a ser considerado o homem mais sábio de seu tempo. E foi nesta condição que o imperador Oton III o nomeou chanceler, seu assessor de maior confiança. Sua fama e popularidade cresceram, não só devido à sabedoria, mas também pela humildade e a caridade que praticava com todos. Assim, foi eleito bispo de Colônia, em 999.

Quando Oton III morreu, o imperador que o sucedeu, Henrique II, também acabou tornando-se admirador de Santo Heriberto, apesar da oposição que lhe fez no início. Uma vez que o bispo Santo Heriberto o consagrou rei sem nenhuma contestação. E por fim o novo rei Henrique II o chamou para ser seu conselheiro.

Então, a obra caridosa do bispo pôde então continuar. Os registros mostraram que, depois de fundar um hospital para os pobres,Santo Heriberto visitava os doentes todos os dias, cuidando deles pessoalmente. Diz a tradição que, certa vez, houve na cidade uma grande seca, ficando sem chover por meses. O bispo comandou um jejum de três dias e, finalmente, uma procissão de penitência pedindo chuva aos céus. Como nem assim choveu,Santo Heriberto comovido começou a chorar na frente do povo, culpando-se pela seca. Dizia que seus pecados é que impediam Deus de fazer misericórdia. Mas, um fato prodigioso aconteceu nesse momento, imediatamente o céu escureceu e uma forte chuva caiu sobre a cidade, durando alguns dias e pondo fim à estiagem.

Com fama de santidade ainda em vida, o bispo Santo Heriberto morreu no dia 16 de março de 1021, numa viagem de visita pastoral à cidade de Deutz, onde contraiu uma febre maligna que assolava a população. Suas relíquias estão na catedral dessa cidade, na Colônia, Alemanha. Na igreja que ele mesmo fundou junto com o mosteiro ao lado, que foi entregue aos beneditinos.
Amado pelos fiéis a peregrinação à sua sepultura difundiu seu culto que se tornou vigoroso em toda a Europa, especialmente na Itália e na Alemanha, país de sua origem. Foi canonizado em 1227, pelo Papa Gregório IX que autorizou o culto à Santo Heriberto, já tradicionalmente festejado pelos devotos no dia 16 de março.

Oração do Santo Heriberto: Senhor, Nosso Deus, abençoai nosso povo. Regai, abundantemente, esta terra que criastes e que Vós deveis sua fecundidade. Em nosso favor, renovai a benção que outro lançastes sobre lágrimas de Santo Heriberto, protegendo assim o povo aflito. Rogamos por Nosso Senhor Jesus Cristo. Santo Heriberto, protegei-nos. Santo Heriberto, obtende do Senhor a graça das chuvas. Santo Heriberto, rogai por nós.

Leitura da Epístola de São Paulo aos

I Coríntios, 13, 1-13

1. Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, se não tiver caridade, sou como o bronze que soa, ou como o címbalo que retine.2. Mesmo que eu tivesse o dom da profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência; mesmo que tivesse toda a fé, a ponto de transportar montanhas, se não tiver caridade, não sou nada.3. Ainda que distribuísse todos os meus bens em sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, se não tiver caridade, de nada valeria!4. A caridade é paciente, a caridade é bondosa. Não tem inveja. A caridade não é orgulhosa. Não é arrogante.5. Nem escandalosa. Não busca os seus próprios interesses, não se irrita, não guarda rancor.6. Não se alegra com a injustiça, mas se rejubila com a verdade.7. Tudo desculpa, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.8. A caridade jamais acabará. As profecias desaparecerão, o dom das línguas cessará, o dom da ciência findará.9. A nossa ciência é parcial, a nossa profecia é imperfeita.10. Quando chegar o que é perfeito, o imperfeito desaparecerá.11. Quando eu era criança, falava como criança, pensava como criança, raciocinava como criança. Desde que me tornei homem, eliminei as coisas de criança.12. Hoje vemos como por um espelho, confusamente; mas então veremos face a face. Hoje conheço em parte; mas então conhecerei totalmente, como eu sou conhecido.13. Por ora subsistem a fé, a esperança e a caridade - as três. Porém, a maior delas é a caridade.

Sequência do Santo Evangelho 

São Lucas, 18, 31- 43
31. Em seguida, Jesus tomou à parte os Doze e disse-lhes: Eis que subimos a Jerusalém. Tudo o que foi escrito pelos profetas a respeito do Filho do Homem será cumprido.32. Ele será entregue aos pagãos. Hão de escarnecer dele, ultrajá-lo, desprezá-lo;33. Bater-lhe-ão com varas e o farão morrer; e ao terceiro dia ressurgirá.34. Mas eles nada disto compreendiam, e estas palavras eram-lhes um enigma cujo sentido não podia entender.35. Ao aproximar-se Jesus de Jericó, estava um cego sentado à beira do caminho, pedindo esmolas.36. Ouvindo o ruído da multidão que passava, perguntou o que havia.37. Responderam-lhe: É Jesus de Nazaré, que passa.38. Ele então exclamou: Jesus, filho de Davi, tem piedade de mim!39. Os que vinham na frente repreendiam-no rudemente para que se calasse. Mas ele gritava ainda mais forte: Filho de Davi tem piedade de mim!40. Jesus parou e mandou que lhe trouxessem. Chegando ele perto, perguntou-lhe:41. Que queres que te faça? Respondeu ele: Senhor, que eu veja.42. Jesus lhe disse: Vê! Tua fé te salvou.43. E imediatamente ficou vendo e seguia a Jesus, glorificando a Deus. Presenciando isto, todo o povo deu glória a Deus.

sexta-feira, 13 de março de 2015

Comentários Eleison: Enfermidade Inimaginável

Comentários Eleison - por Dom Williamson
CCCIC (399) - (7 de março de 2015): 

ENFERMIDADE INIMAGINÁVEL
   
  Nos Papas modernos, uma tal enfermidade nós podemos perceber,
E nenhuma mente saudável a ela pode conceber.

            No verão de 1976, um tanto “quente” para a Fraternidade Sacerdotal São Pio X, depois de Paulo VI ter “suspendido” Dom Lefebvre por ordenar 14 sacerdotes para a Tradição, o conflito entre o Papa e a Tradição Católica estava tão acentuado, que em agosto se deu um dos dois momentos em que o Arcebispo chegou a considerar mais seriamente se a Sé de Roma estaria vacante. É o que se pode ouvir na gravação de suas palavras, quando então disse que estava a agonizar em razão do conflito: como é possível que um verdadeiro Vigário de Cristo esteja destruindo a Igreja? O Arcebispo nunca chegou a adotar a solução sedevacantista, mas vamos ver o quão claramente ele abordou o problema, e então oferecer uma linha a mais de solução, que possivelmente teria sido pensada por ele caso não estivesse a viver um período tão conturbado. Aqui está um resumo de suas palavras proferidas em agosto de 1976: 

            As pessoas me perguntam o que eu penso do Papa Paulo VI. É um incrível mistério. O verdadeiro Papa é a unidade da Igreja, inspirado pelo Espírito Santo e protegido pela promessa de Nosso Senhor para defender a Fé. Mas graças ao Vaticano II, Paulo VI está sistematicamente destruindo a Igreja. Nada é poupado: catecismo, universidades, Congregações, seminários, escolas. Tudo o que é católico está sendo destruído. É preciso que se encontre uma solução.
           
            Uma série de falsas explicações devem ser deixadas de lado, como, por exemplo, a de que Paulo VI é um prisioneiro, drogado, vítima de seus subordinados, etc. Pois, quando ele abençoou os carismáticos, ou beijou o pé do Patriarca Ortodoxo, ele tinha por acaso um revólver em sua cabeça? Eu o tenho observado em audiências públicas, falando com a habilidade, presença de espírito, pertinência e inteligência de um homem em plena posse de suas faculdades. O Cardeal Benelli me disse que foi o próprio Papa quem me escreveu essas cartas (que reprimem a Tradição), que ele está completamente informado, que sabe exatamente o que está fazendo, que é de sua vontade, que as decisões são suas. O Cardeal disse que sempre se reporta ao Papa, e o fará novamente logo após a nossa conversa.   
           
            Assim, poderia Paulo VI não ser um verdadeiro Papa? Esta é uma hipótese possível. Os teólogos têm estudado o problema. Eu não sei. Não digam que eu disse o que eu não disse. Mas o problema parece teologicamente insolúvel.

            Dom Lefebvre falava de Paulo VI, mas o problema é essencialmente o mesmo com todos os seis Papas conciliares (exceto, talvez, João Paulo I). Dividamos o problema em dois: como pode o verdadeiro Deus permitir tal destruição de Sua Igreja? Como podem ser Seus verdadeiros Vigários os principais destruidores?

            Quanto ao Deus Todo-Poderoso, em primeiro lugar, a destruição será ainda pior no fim do mundo (Lc 18, 8). Em segundo lugar, pode bem ser que Deus esteja a purificar Sua Igreja para preparar o Triunfo do Imaculado Coração de Sua Mãe. Em terceiro lugar, Deus protegeu Paulo VI de destruir completamente a Igreja, quando, por exemplo, ele tomou providências para que Paulo VI descobrisse, “por acaso”, um plano para dissolver o Papado por meio do texto da Lumem Gentium, e assim o Papa pôde bloquear o plano ao acrescentar a Nota Praevia.

            Quanto aos Vigários, Dom Lefebvre nunca pareceu ter considerado a solução seguinte, e isso pode ser a razão pela qual naquele mesmo agosto ele parecia estar prestes a ser espetado pelos chifres do dilema sedevacantista-liberal. Mas se a cada ano o liberalismo se aproxima mais e mais para confundir a mente de cada homem na terra, como poderiam os Papas escapar da enfermidade universal de estar “sinceramente” equivocados? Por serem homens instruídos? Mas o liberalismo reina especialmente nas escolas e universidades. Assim, se os Papas conciliares mal instruídos estão “sinceramente” convencidos de que a “verdade” evolui, eles não estarão, por seus erros graves, nem mesmo negando com pertinácia o que sabem ser definido como Verdade Católica, pois mesmo a Verdade definida, por ser “verdade”, evolui na direção deles.

Kyrie eleison.
 
REZEM TODOS DIAS O SANTO ROSÁRIO coloque Monsenhor em sua intenções.

segunda-feira, 9 de março de 2015

Missa do Papa Paulo VI, para que fim foi criada? (III)

Par a os modernista o sinal da cruz no inicio da sua liturgia do mutirão tem outro significado vejam o que escreveram:

O SINAL-DA-CRUZ NO INÍCIO DA LITURGIA 
Formação Litúrgica em Mutirão
CNBB - rede celebra - revista de liturgia
Ficha 06

Portanto, fica claro que o sinal-da-cruz no início da Liturgia não tem nada a ver com "invocação" à Santíssima Trindade, como muitos pensam. Não tem sentido chamar esta ação litúrgica de "invocação" à Trindade. Pois é Ela que, por gratuita iniciativa sua já nos reúne em assembléia para, em comunhão de fé e amor, ouvirmos "atentamente" a Palavra e celebrarmos "dignamente" a Eucaristia... Simplesmente celebramos o fato de ser Ela que nos reúne para sermos "tocados" pela presença viva do Senhor, na Palavra e no Sacramento.

 Não tem nada a ver com "invocação" à Santíssima Trindade, como muitos pensam?
Mais um erro do multirão da pastoral liturgico deste livrinho que passam para os fiéis lerem isto é catolico? Não.Eles rompem com a tradição da Santa Cruz, se explique mutirão da anti-formação.

O Deposito da Fé não foi confiado aos privados julgamentos dos Modernistas que Nosso Senhor Jesus Cristo as confiou, mais sim ao Magistério Eclesiasticístico ininterrupto.

Santa Liturgia ininterrupto ensina:

O Sinal da Cruz bem feito é riquíssimo em significado. Por Ele expressamos três verdades,Dogmas fundamentais da nossa Fé: o Dogma da Santíssima Trindade, da Encarnação e da Morte de Jesus Cristo. Quando se diz: "em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo", você está proclamando o Mistério da Santíssima Trindade. 

O sinal da cruz é feito tocando-se em sequência a testa, o peito, o ombro esquerdo e o ombro direito, acompanhando o movimento com a fórmula verbal Em nome do Pai (toca-se a testa), e do Filho (toca-se o peito), e do Espírito (toca-se o ombro esquerdo) Santo (toca-se o ombro direito). Amém (pode-se voltar a tocar o peito, e o Amém pode ser substituído por uma outra jaculatória, conforme a tradição Santa Igreja). A testa simboliza o céu e a sabedoria, o peito simboliza o infinito amor de Jesus e Deus, e os ombros significam o poder de Deus e uma oração ao Espírito Santo.

"Todos os batizados são cristãos.
Os cristãos têm um sinal que os distingue das pessoas que não o são. É o Sinal da Cruz. Sinal quer dizer distintivo; assim como uma pessoa traz no seu peito um distintivo indicando que pertence àquela sociedade, também os cristãos têm um sinal que os distingue das demais pessoas.
Antes de Nosso Senhor, a vista de uma cruz excitava sentimentos de horror e lembrança de criminosos e suplícios horrendos.
Hoje, vendo uma cruz, pensamos em Jesus, na Redenção realizada com tanto amor. Ela ocupa na Igreja lugar de honra o centro(onde nas maiorias das Igrejas modernistas tem se retirado do centro), mais a tradição ainda reina impera sobre muitos edifícios religiosos, brilha como jóia no diadema dos reis e nos cemitérios recorda a doce esperança cristã.
Os cristãos desde a origem da nossa religião fizeram uso deste sinal; ele é para os católicos mais ou menos o que vem a ser a farda para os servidores da Pátria.
A forma exterior deste sinal indica o mistério da Redenção, que foi realizado na Cruz. As palavras: "Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo", indicam o mistério da Santíssima Trindade" 

O Sinal da Cruz

Henrique IV, depois de humilhar-se em Canossa, mostrou-se de novo inimigo do Papa e foi com seu exército sitiar Roma.
No segundo assalto, apesar da heróica resistência dos sitiados, incendiou todas as muralhas. Um espantoso anel de fogo rodeava a cidade, da qual não se erguiam senão gemidos dos agonizantes e pranto das mulheres aterrorizadas. Então no alto de uma torre, majestoso e pálido, entre e o clarão e o fumo do incêndio, apareceu o Papa Gregório VII, e com gesto solene e calmo fez o sinal da cruz contra as chamas, e imediatamente o fogo se apagou como se tivesse recebido uma chuva torrencial.
Todas as vezes que nos encontrarmos em perigos e angústias, confessemos a SS. Trindade fazendo o sinal da cruz, e grande alívio sentirá a nossa alma. 

S. João Maria Vianney dava um grande conselho para assistirmos esta Santa Celebração: colocar-nos ao lado de Nossa Senhora. Ela era o apoio de Jesus no Calvário. Ela é quem mais se identificou com os sentimentos de Cristo nesta hora, quem melhor compreendeu o mistério da morte de Cristo. Peçamos a ela que nos acompanhe a partir de agora e que junto com o Espírito Santo nos vá inspirando tudo o que devemos fazer em cada momento.

Professamos nossa Fé na Santíssima Trindade quando fazemos o sinal da cruz ou quando nos persignamos dizendo: “EM NOME DO PAI + E DO FILHO+ E DO ESPÍRITO + SANTO”; quando rezamos o GLÓRIA ou o CREDO na Santa Missa Tridentina, e ao final da Orações.no Missal Tridentino sempre invoca a Santíssima Trindade. Jesus Chhistus,Filus tuus, Dóminus noster:Qui tecum vivit et regnat in unitáte Spíritus Santi Deus:per ómnia saécula saeculórum. Amen. 

(†) Pelo sinal da Santa Cruz,
(†) livrai-nos Deus, nosso Senhor,
(†) dos nossos inimigos,
(†) em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém!

Com este Sinal, que é o sinal do cristão, nós pedimos proteção contra os nossos inimigos.
Contra os inimigos da verdade da Doutrina de sempre .

Nesta Santa quaresma façam reparação dos que chamam o erro  de verdade.
REZEM TODOS OS DIAS O SANTO ROSÁRIO,façam penitência.

segunda-feira, 2 de março de 2015

Missa do Papa Paulo VI, para que fim foi criada? (2)

A liturgia Modernista da CNBB tem péssimas qualidades criada para ser a renovação mais sem pé e sem cabeça.Subsídios para uma anti-formação.
 Uma verdadeira revolução observem o nome irracional: Formação Litúrgica em Mutirão.

l LITURGIA
UM DESAFIO:O QUE FAZER COM O DOMINGO?
 Este livrinho é direcionado:Elaborado pela Comissão Episcopal Pastoral para a Liturgia, com orientações práticas para a organização e animação das celebrações litúrgicas. É destinado às equipes de pastoral litúrgica, diáconos, presbíteros e bispos.http://www.edicoescnbb.com.br/loja/produto-302647-1140-liturgia_em_mutirao_i__subsidios_para_formacao
http://paroquiasaopedroesaopaulo.com.br/wp-content/uploads/2013/04/liturgia-em-mutir%C3%A3o.jpeg
Formação Litúrgica em Mutirão
CNBB - rede celebra - revista de liturgia

 A CNBB trata sua Liturgia modernista como mutirão:

O que é Mutirão?
Mutirão é o nome dado no Brasil a mobilizações coletivas para lograr um fim, baseando-se na ajuda mútua prestada gratuitamente. É uma expressão usada originalmente para o trabalho no campo ou na construção civil de casas populares, em que todos são beneficiários e, concomitantemente, prestam auxílio, num sistema de rodízio e sem hierarquia.http://pt.wikipedia.org/wiki/Mutir%C3%A3o
http://www.arquidioceseolindarecife.org/wp-content/uploads/2011/04/mutir%C3%A3o-macei%C3%B3.jpg 
Esta palavra também está sendo usada no setor também da tal pastoral da comunicação. 


O fim da liturgia modernista é mesmo um mutirão.Sua liturgia da sua missa do Papa Paulo VI não segue a santa hierarquia da tradição da Santa Igreja.



Depois falam que não rompem com a tradição.

CNBB - rede celebra - revista de liturgia


Durante longo percurso histórico (sobretudo no segundo milênio), em nossa Igreja, uma grande maioria de cristãos viu no domingo apenas o frio cumprimento da "lei" do descanso e do culto, sem motivação teológico-espiritual. Simplesmente se guardava o domingo e se ia à missa neste dia porque existia uma lei da Igreja que obrigava...
http://www.acheoracao.com.br/ficha1.html
E perguntamos porque é frio?Qual a intenção desta palavra.


Formadores eclesiásticos que tem a função de Bispos é alertar, dar o alarme como sentinela posta por Deus para resguardar o seu rebanho, mostrando-lhes o reto caminho nesses momentos de crise. 
  
  O frio é simplesmente a ausência de Deus por isto que agora bom final de semana fruto modernista de seus ecumenismos pois para o adventistas, judeus e etc...guardam o sábado e outros guardam o dinheiro. 
  Deus não criou o frio no homem em obedecer sua Lei.

  O frio resulta de sua humanidade decaída que não quer lutar contra este sentimento frio de não obedecer as lei de Deus.
  Deus deu este mandamento em suas leis senão haveria de dita-las. 
  A nossa Santa Religião e mais do que sentimentos de liturgia de mutirão.
  Sentimento de frio ou de calor não tem nada a ver se tenho que obedecer a Lei pois quem não segue esta colocando em jogo sua salvação.Então para não se condenar não siga tais sentimentos obscuros.
 Então se digo no Pai-Nosso seja feita sua vontade.Para que sua vontade seja obedecida é também em suas leis e ponto.Que esse negocio de que agora é outra situação; Deus é o mesmo ontem,hoje e sempre.

Advertia Dom Antônio de Castro Mayer “Ninguém tem o direito de julgar a palavra do Papa e só aceita-la se receber seu beneplácito”
  A liturgia virou mutirão como é?Outra situação expliquem.Como hoje os modernista julgam e vão além substituem o ensinamentos de São Pio X e dos outros papas.
Ou pecado não é o mesmo.
 
 Porque para explicar as coisas que estão contidas no Depósito da Fé, não foi aos julgamentos privados dos Modernistas que o Nosso Salvador as confiou, mas sim ao Magistério Eclesiástico ininterrupto.



  O Catecismo de São Pio X, a doutrina católica foi ensinada por Nosso Senhor Jesus Cristo para mostrar aos homens o caminho da salvação e da vida eterna. As suas partes mais importantes e necessárias são quatro: o Credo, o Pai Nosso, os Dez Mandamentos e os sete sacramentos.
 31. Que pedimos na terceira petição do Pai Nosso: Seja feita a vossa vontade,assim na terra como no céu?

Na terceira petição pedimos a Deus que seja feita a sua santíssima vontade, isto é, que seja executada a sua lei e respeitados os seus mandamentos

 Sua santíssima vontade tem ser respeitada não é fria e nem uma liturgia em mutirão a Santa Liturgia de Sempre nunca será movida pelo mutirão modernista.

 Nesta Santa quaresma façam reparação dos que chamam o mal de bem.

REZEM TODOS OS DIAS O SANTO ROSÁRIO,façam penitência.