terça-feira, 28 de abril de 2015

Ajudem a Escola São Bento e Santa Escolástica – Mosteiro da Santa Cruz

 http://2.bp.blogspot.com/-r_5-q9XZbSo/Uu-VQSeMfEI/AAAAAAAAISo/cJeDRdICWJY/s1600/Escola+S%C3%A3o+Bento+e+Santa+Escol%C3%A1stica+-+Mosteiro+da+Santa+Cruz.jpg
 Salve Maria!
Caríssimos(as),
PAX.
Venho através deste e-mail informar que a escola São Bento e Santa Escolástica começou, graças a Deus, mais um ano letivo em Nova Friburgo. Contudo, quem a patrocina é o próprio Mosteiro da Santa Cruz, que como já sabemos deixou de receber a ajuda que lhe era destinado uma vez que, graças a Deus, mantém-se como guia da verdadeira fé católica no mundo. Sendo assim, além de manter-se, o mesmo subsidia as Irmãs no que se refere à escola.
A escola precisa de mais ‘padrinhos’ que auxiliassem todo mês com alguma quantia, seria muito bom para a escola. RELEMBRO QUE OS ALUNOS NÃO PAGAM MENSALIDADE pois são de baixa renda. Cada aluno custa por mês R$ 400,00.
Se você puder contribuir com um pouco que seja deste valor, TODO MÊS, já ajudaria muito! Assim estamos contribuindo para a formação de  uma nova geração verdadeiramente católica.
 Estamos pedindo que cada um de vocês nos envie uma lista de contatos do seu mailing.
Se for possível, o nome da pessoa, telefone, e.mail. para que possamos, num segundo passo, entrar em contato diretamente
e quem sabe, essa pessoa não possa vir a ser um doador.
Conta para depósito:
Banco Itaú
Agência: 0222
Conta-corrente: 47957-8
CNPJ: 30.171.417/0001-88
Contatos:
(22) 2540-2022 – Irmãs
(22) 2540-1136 – Irmão Agostinho, OSB (E-mail: ir.agostinhoosb@gmail.com)
Agradeço a disponibilidade de todos, como sempre.
Em Santa Gertrudes,
Cristiane
P.S.: Agradeço em nome do Mosteiro os, que já são padrinhos!

segunda-feira, 27 de abril de 2015

Papa Francisco e modernistas e luteranos preparam celebração dos 500 anos da Reforma em 2017 ?

Sim. 
 
 Reverendo Martin Junge e o Cardeal Koch (Credito LWF S)
 Pastor Martin Junge e Cardeal Kurt Koch posam com documento “Do conflito à comunhão”.

 Esta Reforma apoiada pelo Concilio Vaticano II e apoiado pelo modernistas, foi combatida por Papas antes deste Concilio Vaticano II  e por Santos durante 500 anos.Mais o papa Francisco ignora isto e tais católicos modernistas terão a possibilidade junto com os luteranos e , pela primeira vez, de compartilhar uma mesma comemoração ecumênica em todo o mundo. Esta celebração triunfalista, do liberalismo é ato de revolução contra a verdade católica.
 
Para combater isto só um catolicismo forte,unido e sobretudo,combativo,poderá devolver aos atuais lideres modernistas a verdadeira doutrina em  que a cabeça é o:Cristo.


Assim se combate com o martelo do protestantismo no Brasil.
  O REBANHO DE PEDRO E OS FILHOS DE LUTERO:


O PE.JÚLIOMARIA DE LOMBAERDE 
Curato do Bom Jesus de Manhumirim estava, desde 1924, a cargo do Pe. Frederico de  La  Barrera,  o  qual, atendendo  à  solicitação  do  bispo  diocesano,  concordara  em  deixar aquela freguesia. No período que antecedeu à sua posse, que ocorreu no dia 8 de abril, o Pe.Júlio  Maria  procurou  inteirar-se  da  situação  religiosa  da  cidade.  Constatara    conforme registraria  no  Livro  do  Tombo  nove  meses  após  a  sua  chegada    que  “o  povo  estava completamente  imbuído  de  ideias  protestantes,  frequentando  poucos  e  pouco  a  egreja,  e  de nenhum modo os Sacramentos”. O protestantismo encontrava-se “solidamente implantado e protegido  por  uns  ricos”  e  “possuía  dois  templos,  um  de  Presbiterianos  outro  de  Baptistas, funcionando  um  terceiro,  os  Evangelistas,  em  casa  particular”.  Verificara  também  que  não existia  qualquer  irmandade  canonicamente  erigida  e que  não  era  ministrado  o  catecismo  às crianças,  além  de  não  haver  pregação,  “de  modo  que reinava  a  mais  completa  ignorância religiosa”.  O  seu  antecessor,  embora  “piedoso  e  exemplar”,  dado  o  seu  temperamento pacífico,  “receava  declarar  guerra  aos  protestantes  e  chamar  a  attenção  do  povo  sobre  os abusos”.  Segundo  o  Pe.  Júlio  Maria,  “desta  falta  de iniciativa  resultava  necessariamente  a diminuição  da    e  a  invasão  do  erro”  (Livro  do  Tombo  do  Curato  do  Bom  Jesus  de Manhumirim, p. 9).” A presença protestante no Leste de Minas remonta à segunda metade do século XIX, quando imigrantes suíços e alemães luteranos, oriundos de Nova Friburgo, no Rio de Janeiro, começaram a se estabelecer na região, atraídos pela disponibilidade de terras para o cultivo do café.  O  primeiro  templo  evangélico  foi  construído  em  1897,  em  Alto  Jequitibá,  onde  seria organizada,  em  1902,  uma  igreja  presbiteriana.  Dali,  o  presbiterianismo  se  irradiou  para outras localidades, especialmente durante o pastora do do Rev. Aníbal Nora, de 1908 a 1927. Ele e a esposa fundaram uma escola primária que deu origem ao Ginásio Evangélico de Alto Jequitibá,  freqüentado  por  filhos  de  fazendeiros  e de  famílias  de  classe  média.  Em Manhumirim,  da  qual,  a  partir  de  1924,  Alto  Jequitibá  se  tornaria  distrito,  surgiu  uma congregação  presbiteriana  que  organizou-se  como  igreja  em  1922,  também  pastoreada  pelo Rev. Aníbal Nora (SATHLER et al, 1991). Os batistas, por sua vez, chegaram a Manhumirim em  fins  de  1923,  através  do  Pr.  Alberto  Vaz  Lessa, que  fundou  uma  congregação  13 funcionava em sua própria casa. Em 1927, foi finalmente organizada a Igreja Batista de Manhumirim (BOTELHO, 1989). Uma vez empossado, o Pe. Júlio Maria buscou promover um reavivamento católico na cidade, cujo marco inicial foram as celebrações marianas do mês de maio. Estas acabaram se convertendo em cenário de um primeiro conflito religioso, pois, na ocasião, segundo ele próprio relatou, “os protestantes distribuíram um desafio exigindo (...) um texto da bíblia que provasse diversas verdades professadas pelos católicos e negadas por êles” (DE LOMBAERDE, 1945, p. 7). Em um panfleto intitulado Desafio ao Padre Júlio Maria, assinado por “Um crente”, foram listados vinte dogmas e práticas católicas para os quais se demandava a confirmação de “um texto da escritura” – não por acaso, os dois primeiros tópicos eram referentes à Virgem Maria. O novo vigário era desafiado nos seguintes termos: Se porventura S. Rvma. não apresentar estes textos,fica perante o respeitável povo manhumiriense provado que S. Rvma. não conhece a bíblia sagrada, ou que a religião tão ardorosamente pregada não é bíblica, ou prova os dois pontos, isto é: que S. Rvma. não conhece a bíblia e a sua religião não é verdadeira (Ibid., p. 33-34). A réplica foi imediata. Entretanto, “dispondo apenas das colunas de um pequeno semanário [o jornal Manhumirim], foi impossível publicar todas as respostas”, queixou-se o padre. Além disso, dado o reduzido espaço que lhe era disponível naquele periódico, “as que foram publicadas foram de tal modo cortadas que, muitas vezes, perderam a força de uma argumentação cerrada e irrefutável” (Ibid., p. 7) A partir desse episódio, o Pe. Júlio Maria resolveu fundar, com a aprovação e o auxílio de D. Carloto, um semanário batizado sugestivamente de O Lutador do Bom Jesus de Manhumirim, cuja primeira edição saiu em 25 de novembro de 1928. Ocupando o cargo de redator-chefe, Júlio Maria contava com a colaboração dos alunos de seu recém-instalado instituto religioso, aos quais ensinou a arte da tipografia. De acordo com Antônio Miranda (1957, p. 278), “compunha-se o jornal em três dias,e em dois era feita a tiragem. 
  Além  disso,  maçons  que  eram  adeptos  ou  simpatizantes  do  protestantismo. Para  Júlio  Maria,  existia  mesmo  um  conluio  de  protestantes  e  maçons:  “desmoralizado  e derrotado”, o rotestantismo teria procurado apoio na maçonaria (Livro do Tombo do Curato do  Bom  Jesus  de  Manhumirim,  p.  13).  Em  abril  de  1930,  uma  oração  pela  conversão  dos maçons publicada em O Lutador trazia a seguinte recomendação: “É bom e opportuno recital-a  pela  conversão  dos  infelizes  maçons  locaes  que  tão  cegamente  deixam-se  levar  pelo fanatismo de um ou dois obcecados inimigos da Egreja e por uns protestantes ignorantes que dominam a loja local” (O Lutador, Manhumirim, p. 3, 20 abr. 1930).

A necessidade do combate ao protestantismo nos seguintes termos do padre Júlio Maria que seja exemplo a seguir pelos catolicos:
  Os protestantes, de todos os lados, fazem uma propaganda frenética de seus erros, procurando arrastar para o mal e a perdição os católicos fiéis; é, pois necessário opor-lhes uma refutação clara, simples, doutrinal e popular de suas objeções, mil vêzes pulverizadas, mas sempre novas para êles, por que são fruto da ignorância e do fanatismo (DE LOMBAERDE, 1945, p. 6)A verdade é uma só porque Deus é um só.
As mentiras e os erros abundam, é o grande mal do mundo.
Quem se afasta da Verdade única, cai necessariamente num dos múltiplos erros, que lhe são opostos, como aquele que se afasta do único caminho verdadeiro anda necessariamente por caminhos errados.
'Eu sou o caminho', disse o Mestre.
Quem não segue o Cristo, segue um dos múltiplos hereges anti-Cristos, como são: Maomé, Lutero, Allan Kardec, etc.
O Cristo é um, os sectários, fundadores de seitas, são numerosos.
O Apóstolo já o predisse, há cerca de 1900 anos: 'virão tempos em que os homens não suportarão a sã doutrina, mas se afastarão da verdade, para voltar-se às fábulas' (2Tim, 4,2-4).
Os protestantes são esses homens que afastam-se da verdade única e vivem fabricando fábulas, que se chamam objeções ou protestos.
E o mais curioso é que tais objeções são baseadas sobre a completa ignorância da Verdade ou da doutrina combatida.
Acusam a Igreja Católica de ensinar o que NÃO ensina; de fazer o que NÃO faz... de professar doutrinas que NÃO professa. Eles afirmam o que nós não negamos; e negam o que não afirmamos!
Qual é o protestante que conhece bem a religião católica?
Ponhamos fora uma meia dúzia de apóstatas, por vício, por pirraça, ou por amor a uma das costelas de Adão, e só encontraremos homens, ledores da Bíblia, às vezes sinceros, mas cujos conhecimentos não ultrapassam a letra que mata, sem nunca chegar ao espírito que vivifica (2Cor 3,6).


REZEM TODOS OS DIAS O SANTO ROSÁRIO,façam penitência.


sexta-feira, 24 de abril de 2015

24 de abril dia de São Fidelis de Sigmaringen. Mártir.

24/04 Sexta-feira 
Festa de Terceira Classe
Paramentos Vermelhos
  Nascido em Sigmaringen, Alemanha , em 1578, foi aluno brilhante do curso de filosofia e direito na Universidade de Friburgo, na Suíça. Peregrinando por seis anos em várias cidades da Itália , da Espanha e da França, ministrava aos jovens e alunos ensinamentos pelos quais receberia um outro apelido que seria de “filósofo cristão”.
  Ao atingir a idade de 34 anos, deixou tudo fez os exercícios espirituais, Marcos pediu admissão no Convento capuchinho de Friburgo.Por sugestão do superior, recebeu antes a ordenação sacerdotal Na festa de São Francisco de Assis de 1612, cantou sua Primeira Missa e recebeu o hábito capuchinho, trocando seu nome batismal pelo que o imortalizaria, Fidelis de Sigmaringa. Em 1618, Frei Fidelis foi eleito superior do Convento dos capuchinhos em Rheinfeld, perto de Basiléia, na Suíça. No ano seguinte, elegeram-no para o de Feldkirch, e mais tarde, para o de Friburgo. No ano de 1621, o exército austríaco invadiu a região dos grises suíços, tendo sido escolhido o Santo para capelão do exército acantonado, nos arredores de Feldkirch. Uma peste atacou as tropas fazendo inúmeras vítimas. “Foi suscitado por Deus no início do século XVII para pregar uma autêntica reforma católica na Suíça alemã, e Roma, nomeou São Fidelis chefe dos missionários” E reconduzia à verdadeira Igreja os que haviam-se deixado seduzir pela heresia de Calvino . Em uma missão de paz, São Fidélis foi designado a manter conversações em Recia em plena crise protestante. Mas a sua missão acabou causando a impressão aos habitantes da cidade de que era um santo agente a serviço do Imperador católico. Mesmo assim o santo não se abalou e continuou a ir às cidades fazendo suas pregações.
  Um dia, quando estava fazendo um sermão, vários soldados o cercaram solicitando que o santo retirasse tudo que tinha falado e pregado, eles tiveram como resposta o seu “não” de maneira poética e sábia. Recebeu então em sua cabeça um pesado golpe de espadas que poria fim em sua vida. Mesmo assim, ao morrer, pronunciou a palavra de perdão a seus matadores no dia 24 de abril de 1622. Sua canonização foi declarada em 1746 por Bento XIV. Dizia sempre "Peço a Deus constantemente duas coisas: passar a vida sem ofendê-Lo, e derramar até a última gota de sangue por Seu amor e pela Fé Católica".
Leitura da Epístola de

Sabedoria 5, 1-5
1Então, com grande confiança, o justo se levantará em face dos que o perseguiram e zombaram dos seus males aqui embaixo. 2 Diante de sua vista serão presos de grande temor e tomados de assombro ao vê-lo salvo contra sua expectativa; 3 tocados de arrependimento, dirão entre si, e, gemendo na angústia de sua alma, dirão: 4 Ei-lo, aquele de quem outrora escarnecemos, e a quem loucamente cobrimos de insultos! Considerávamos sua vida como uma loucura, e sua morte como uma vergonha. 5 Como, pois, é ele do número dos filhos de Deus, e como está seu lugar entre os santos? 

Sequência do Santo Evangelho 

São João 5, 1- 7
1 Eu sou a videira verdadeira, e meu Pai é o agricultor. Todo ramo que não der fruto em mim, ele o cortará; 2 e podará todo o que der fruto, para que produza mais fruto. 3 Vós já estais puros pela palavra que vos tenho anunciado. 4 Permanecei em mim e eu permanecerei em vós. O ramo não pode dar fruto por si mesmo, se não permanecer na videira. Assim também vós: não podeis tampouco dar fruto, se não permanecerdes em mim. 5 Eu sou a videira; vós, os ramos. Quem permanecer em mim e eu nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer. 6 Se alguém não permanecer em mim será lançado fora, como o ramo. Ele secará e hão de ajuntá-lo e lançá-lo ao fogo, e queimar-se-á. 7 Se permanecerdes em mim, e as minhas palavras permanecerem em vós, pedireis tudo o que quiserdes e vos será feito.

quinta-feira, 23 de abril de 2015

Mosteiro tradicionalista rejeita reformas da Igreja.



·Sexo
Assuntos em Destaque
 
http://oglobo.globo.com/sociedade/religiao/mosteiro-tradicionalista-rejeita-reformas-da-igreja-15934902
 
 "Aqui eu estou o Senhor! Eu venho para fazer a Tua vontade!Declarou Santa Joana d'Arc em seu julgamento, e sua mensagem para nós.
 http://imagens.us/datas/dia-santa-joana-d-arc/dia-santa-joana-d-arc%20(5).jpg
A Perseguição é evidente para aqueles que querem apenas guardar a Fé, costumes e ensinamentos da tradição.
No entanto, os Mosteiros dito fiéis as reformas da "igreja" são escravos das verdadeiras ameaças à Igreja: como maçonaria, protestantismo, comunismo, e o gravíssimos erros como aborto e homossexualismo 
que estão em alta na mídia. 
O ato de Mosteiro da Santa Cruz é ato de heroísmo à tradição.
 Rezamos Santo Rosário todos os dias, seja em particular, seja em comunidade pelas Intenções do Triunfo do Imaculado Coração de Maria.
Para, que os modernista voltem ao Rumo certo da Igreja como a 
contra-reforma.