domingo, 31 de maio de 2015

31 de maio dia de Domina Nostra Regina Pacis

 http://markkline.smugmug.com/Family/Italy-2011/Rome-Day-3/i-vpgqJ6C/0/L/RomeDay3-120-L.jpg
 Primeira padroeira do Blog e da Nossa Sociedade Regina Pacis ou Escravas de Maria Rainha da Paz


http://www.introibo.fr/IMG/jpg/0531mr.jpg
    A encíclica Ad Caeli Reginam (Rainha do Céu), do Papa Pio XII, de 11 de outubro de 1954 trata sobre a Realeza de Maria e a instituição Festa de Nossa Senhora Rainha, celebrada a cada dia 31 de maio com o costume de coroar-se a imagem da Virgem e da recitação pública da Consagração do Gênero Humano ao Imaculado Coração de Maria.Na mesma encíclica o Papa Pio XII escreveu: “Maria é Rainha não só por ser a Mãe de Deus, mas também por ter sido associada, pela vontade de Deus, a Jesus Cristo na obra da salvação. Isenta de qualquer culpa pessoal ou hereditária, e sempre estreitissimamente unida ao Filho, ela o ofereceu no Calvário ao Eterno Pai, sacrificando seu amor de mãe em benefício de toda a humanidade manchada pelo pecado. Por isso, assim como Jesus é Rei não só por ser o Filho de Deus, mas também por ser o nosso Redentor, assim pode-se afirmar que Maria é Rainha não só por ser a Mãe de Deus, mas também porque se associou a Cristo na redenção do gênero humano. "Maria participa da dignidade real - ensina Pio XII - porque desta união com Cristo Rei deriva para ela tão esplendente sublimidade, que supera a excelência de todas as coisas criadas. Desta mesma união com Cristo nasce aquele poder real, pelo qual ela pode dispor dos tesouros do Reino do Redentor divino". O Reino de Maria é vasto como o de seu Filho, porque nada se exclui de seu domínio.”


sábado, 30 de maio de 2015

Agenda Satânica de Hollywood com o seriado:

Depois dizem que o cinema não esta serviço do satanás que somos fanáticos quem é fanático?
Querem dizer que estamos agora na hora da Luz.

É verdade que os blockbusters de mídia como Crepúsculo e Harry Potter estão desempenhando um papel decisivo na sedução dos jovens para o satanismo e  bruxaria.
 Wicca [bruxaria] um das seitas que mais cresce no Estados Unidos.
Um pais que se diz protestante só poderia dar nisto é um castigo.
A quem protesta contra a Igreja de Cristo.
Deu seu fruto Hollywood e o Ressurgimento Wicca
 Gerald Gardner
Fundador da Wicca
Gerald Gardner
O fato de que grande parte de seus ensinamentos magicos, cerimoniais e “escrituras” são baseados nos ensinamentos do satanista, Aleister Crowley. Muitas das cerimônias de Crowley e ensinamentos foram simplesmente reformulados por Gerald Gardner, que é creditado como o fundador do Wicca e foi membro da organização satânica de Crowley  conhecida como a OTO.

Nova série de Tom Kapinos é inspirada em quadrinho da DC/Vertigo. 
 Exaltam e glorificam o ocultismo.
II Coríntios 11,14 e 15
   14 E NÃO É DE ADMIRAR,VISTO QUE O PRÓPRIO SATANÁS SE TRANSFORMA EM ANJO DE LUZ. 15 NÃO É MUITO QUE SEUS MINISTROS SE TRANSFORMEM EM MINISTROS DE JUSTIÇA;MAS SEU FIM SERÁ SEGUNDO SUAS OBRAS.

O que aconteceria se o Diabo resolvesse deixar o Inferno e se mudar para a “Cidade dos Anjos”? Esta é a ideia de Lucifer, a nova série da Fox americana.
Vivido por Tom Ellis, Lúcifer é o Senhor do Inferno e decide abandonar o seu posto para viver as aventuras da movimentada Los Angeles. O projeto é baseado em uma HQ da Vertigo, selo ‘sombrio’ da DC Comics, e o roteiro é de Tom Kapinos, criador de Californication e Produtor Executivo de Dawson’s Creek. Lúcifer, o personagem, foi apresentado ao mundo pela primeira vez em uma edição do quadrinho “The Sandman”, escrita por Neil Gaiman. Na história, ele contracena com Chloe Dancer, personagem de Lauren German (Chicago Fire, Hawaii Five-0), uma detetive de homicídios com quem vai começar a trabalhar a fim de resolver um assassinato, e cuja personalidade chama a atenção do protagonista, por ela ser “estranhamente imune aos seus charmes”.
 Satanás se passando por bom rapaz
 http://www.adorocinema.com/noticias/series/noticia-111779/
O trailer vem após o anúncio de que a série, da qual havia sido encomendado um episódio piloto no início do ano, vai ganhar uma temporada completa a estrear entre o fim de 2015 e o início de 2016. A produção parte de uma parceria entre Warner Bros. TV, a DC Comics e o produtor Jerry Bruckheimer, de CSI e CSI: Cyber. No projeto, estão envolvidos, além de Kapinos e Bruckheimer, o diretor Len Wiseman (Sleepy Hollow), Jonathan Littman e Ildy Modrovich

The Satanic Bible, Anton LaVey Mesmo Anton LaVey, que fundou a Igreja de Satanás em 1966, admitiu em sua “Bíblia Satânica” que não há diferença real entre  magia “negra” e branca, afirmando: “Magia branca supostamente usada para fins bons ou altruísta, e magia negra, nos dizem, é usada apenas por motivos egoístas ou maus. Satanismo não desenha nenhuma linha divisória.”LaVey também declarou, “Não há diferença entre” branca “e magia” negra “, exceto na hipocrisia presunçosa, sentimento de culpa, a justiça e a auto-ilusão do” branco “mágico de si mesmo.” Diga dentro do seu próprio coração, "Eu sou o meu próprio redentor. (Bíblia Satânica)(Anton LaVey, A Bíblia Satânica, New York: Avon Books, 1971, p. 110)
 
  A idolatria esta condição é promovida e propagada pela mídia e pelas elites em Hollywood e pela a indústria da música -. E ambos estão efetivamente mudando a face do mundo. Tragicamente, milhões de jovens têm sido a promoção que Hollywood faz da feitiçaria, e seu sucesso de levar as pessoas a se conectarem a poderes satânicos, seduziu os jovens em incontáveis setores obscuros de Satanás.Assim são as produções de Hollywood glorificando o ocultismo.

Então não seja escravo do demônio e nem deixes os seus filhos, jovens e amigos participar de tal absurdo isto não é divertimento pois ofende a Nosso Senhor e Nossa Senhora o castigo do céu vai vir de uma tal forma nunca vista. 
 
Pegue seu  Santo Rosário e reze todos os dias pela conversão desta almas que estão a serviço do satanás.

quarta-feira, 27 de maio de 2015

Dia 27 dia de São Beda, Confessor e Doutor.


  O extraordinário  São Beda foram escritas por ele mesmo no livro "História da Inglaterra", um dos mais raros e completos registros da formação do povo inglês antes do século VIII, narradas assim: "Eu, Beda, servo de Cristo e sacerdote, e monge do mosteiro de São Pedro e São Paulo, da Inglaterra, nasci neste país. Aos sete anos, fui levado ao mosteiro para ser educado pelos monges. Beda nasceu no ano 672, tendo sido educado e orientado espiritualmente pelo próprio são Bento Biscop, abade do mosteiro, que, impressionado com seus dons e inteligência, o tratava como próprio filho, na cidade de Wearmouth.
Cedo, Beda percebeu que um sermão podia ser ouvido por apenas algumas pessoas, mas podia ser lido por milhares delas e por muitos séculos.
  Por isso ele desejou escrever, e escreveu muito, sem se cansar, com cuidado e esmero no conteúdo e estilo, resultando em livros agradáveis de ler, verdadeiras obras literárias, sobre os mais variados temas, indo do teológico ao intelectual.
 Ao todo, foram sessenta obras sobre teologia, filosofia, cronologia, aritmética, gramática, astronomia, música e até medicina. Beda gostava de aprender, por isso pesquisava e estudava; e também de ensinar, por isso escrevia e dava aulas. Ajudou a formar várias gerações de monges, que, atraídos pela linguagem simples, encantadora e acessível, eram dirigidos, por meio dessas matérias, para os ensinamentos de Deus.
  O papa Gregório II chamou-o a Roma, para tê-lo como seu auxiliar, mas Beda implorou para permanecer na solidão do mosteiro, onde ficou até seus últimos momentos de vida. Só saiu por poucos dias para estabelecer as bases da Escola de York, na qual, depois, estudou e se formou o famoso mestre Alcuíno, fundador da primeira universidade de Paris.
  Ainda em vida, era chamado de "venerável Beda", ou "Beda, o Venerável". Morreu com sessenta e três anos, na paz do seu mosteiro, em Jarrow, Inglaterra, no dia 25 de maio de 735. Muitos séculos depois, pelo imensurável serviço prestado à Igreja, o papa Leão XIII, em 1899, proclamou-o santo e doutor da Igreja. São Beda, único santo inglês que possui o título de doutor da Igreja, é celebrado no dia 25 de maio.

segunda-feira, 25 de maio de 2015

A "revolução católica" do Concilio Vaticano II ?


http://www.pilgrimreaderbooks.com/shop_image/product/22663.jpg

A Revolução Americana Católica

Como os anos sessenta Mudou a Igreja para sempre
Mark S. Massa
O Concílio Vaticano II promulgou as mudanças mais radicais da Igreja Católica tinha visto em séculos. Em prosa legível e convincente, Mark S. Massa conta a história da guerra cultural essas mudanças inflamado nos Estados Unidos - uma guerra que ainda está sendo travada hoje. Os primeiros sinais de convulsão ocorreu nos bancos, onde as mudanças para a massa foram sentidas imediatamente e visceralmente pelos fiéis. De repente, num domingo, a massa como eles sempre soube que era muito diferente, e por isso foi a Igreja haviam crido era atemporal e imutável. Escaramuças quebrou rapidamente para fora sobre a maneira correta de adoração, com os "liberais" dando boas-vindas a mudança, "conservadores" resistir. Logo, os católicos encontraram-se amargamente dividida sobre tudo, desde controle de natalidade para a autoridade da própria Igreja. Como ele narra estes acontecimentos turbulentos, Massa nos leva além dos estereótipos "liberais / conservadores", oferecendo novos insights sobre os últimos 50 anos de catolicismo norte-americano.

Fermento do demônio solto com força total a partir de 1960 confirmando Nossa Senhora de Fátima pois queria que o segredo fosse contado neste ano mais Papa João XXIII, NÃO OBEDECEU PORQUE ESTAVA JÁ SERVIÇO DESTA REVOLUÇÃO POIS FOI ELE DEU INICIO AO Concilio Revolucionário Vaticano II

"O Vaticano II teve sim um papel, mas não o único papel durante esse período, nem mesmo o papel predominante. Tão importante quanto o Vaticano II, foi a ascensão do movimento feminista, o movimento anti-Guerra do Vietnã, o movimento de liberdade de expressão etc.", afirma, em entrevista por e-mail à IHU On-Line. O ponto chave desse período, especialmente para a vida da Igreja, foi a "ascensão da consciência histórica".
No entanto, afirma, "a Igreja ignorou amplamente o fermento cultural dessa época em termos de protocolos institucionais. Os indivíduos católicos certamente tiveram uma parte ativa nesse fermento, mas a Igreja como instituição foi consumida pela implementação do Vaticano II, que desempenhou um papel relativamente pequeno no fermento cultural mais amplo".HU On-Line – Que consequências essa revolução trouxe para a liturgia da Igreja?
Mark Massa – Nenhuma. Foi o contrário: a reforma da liturgia mandada pelo Vaticano contribuiu para a Revolução Católica, em que muitas outras fontes alimentavam essa mistura.

Os membros do conselho de administração 
da Conferência Litúrgica de 1961.
Da esquerda para a direita, John Mannion, Frederick McManus, Johannes Quasten, Godfrey Diekmann.

IHU On-Line – Que personagens são centrais nessa “revolução católica”?
Mark Massa – Frederick McManus (1)Monsenhor Frederico Richard McManus (1923-2005): figura influente da Igreja norte-americana do século XX. Ele foi um dos peritus em liturgia do Concílio Vaticano II. Ele também presidiu a primeira missa em inglês nos Estados Unidos, em 1964, em St. Louis. (Nota da IHU On-Line)], Charles Curran [2], Avery Dulles [3], as Irmãs Servas do Coração Imaculado de Maria de Los Angeles, Dan Berrigan, SJ [4]. Destes, eu acho que McManus desempenhou o papel mais importante na "mediação" das mudanças litúrgicas, que foram extremamente bem recebidas: McManus foi a figura central para essa recepção positiva.

 O primeiro capítulo expõe a teoria do "consciência histórica", que orienta o livro. Wills, "Bom Papa João" XXIII, e Bernard Lonergan são os heróis. Próximos capítulos tem mais heróis (por exemplo, Dom Frederick McManus, Charles Curran, eo Los Angeles Imaculado Coração de Maria comunidade) e um amplo número de vilões (por exemplo, o Papa Pio X, James F. McIntyre, e Patrick O'Boyle ).

Para quem não sabe a Igreja Católica é imutável eternamente os modernistas acham que venceram com os anos sessenta e Mudaram a Igreja para sempre.
  Igreja Católica Romana, um dogma é uma verdade absoluta, definitiva, imutável, infalível, inquestionável e absolutamente segura sobre a qual não pode pairar nenhuma dúvida . Uma vez proclamado solenemente, nenhum dogma pode ser revogado ou negado, nem mesmo pelo Papa ou por decisão conciliar Por isso, os dogmas constituem a base inalterável de toda a Doutrina católica  e qualquer católico é obrigado a aderir, aceitar e acreditar nos dogmas de uma maneira irrevogável  .

 O Magistério Infalível da Igreja católica condena uma falsa afirmação sobre a verdade: " A verdade não é mais imutável que o homem, pois que evolui com ele, nele e por ele." (erros condenado na Encíclica Lamentabili, Papa São Pio X)
  
AS DEZESSEIS CARMELITAS DE COMPIÈGNE tenha misericordia destes modernistas a serviço da revolução francesa.
 
AS DEZESSEIS CARMELITAS DE COMPIÈGNE
                (Beatas Virgens e Mártires)
http://1.bp.blogspot.com/-xsknEnQdxTs/U9btbFF-XoI/AAAAAAAAVbw/QsdrgqJ7oS8/s1600/Carmelitas+de+Compiegne1.jpg
Martires da Revolução Francesa.

   A comunidade das Carmelitas Descalças estabeleceu-se em Compiègne (Oise - França) em 1641, procedendo do mosteiro de Amiens. Sete anos depois da fundação foi construído o convento com a igreja dedicada à Anunciação. O mosteiro continuamente progredia em fervor, distinguindo-se pela sua observância regular e fidelidade ao espírito de Santa Teresa e gozava assim do afeto e estima da corte da França. Ao estalar a Revolução (Francesa), as monjas recusaram-se a se despojarem do seu hábito carmelita e à medida em que iam crescendo os distúrbios entre junho e setembro de 1792, seguindo uma inspiração da priora Teresa de Santo Agostinho, ofereceram-se todas ao Senhor em holocausto "para aplacar a cólera de Deus e para que a paz divina, trazida ao mundo pelo seu amado Filho, fosse devolvida à Igreja e ao Estado". O Ato de Consagração, emitido inclusive por duas religiosas de muita idade que a princípio haviam-se assustado só com o pensamento de guilhotina, tornou-se um oferecimento de todos os dias até a data do martírio que aconteceu dois anos depois.
      Lançadas fora do seu mosteiro no dia 14 de setembro de 1792 as carmelitas descalças continuaram a sua vida de oração e penitência divididas em quatro grupos por diferentes lugares de Compiègne, mas unidas pelo afeto e pela comunicação, debaixo da direção vigilante de Teresa de Santo Agostinho. Logo,porém, foram descobertas e denunciadas pelo comitê revolucionário e a 24 de junho de 1794 foram aprisionadas e encarceradas juntas em Santa Maria, mosteiro da Visitação transformado em cadeia. De compiègne foram as dezesseis monjas transportadas para Paris, onde chegaram no dia 13 de julho, e imediatamente foram encerradas no terrível cárcere de "La Conciergerie" já abarrotado com os sacerdotes, religiosos e leigos condenados à morte.
      Exemplo para todos de tranqüilidade e serena confiança em Deus e modelo, ao mesmo tempo de total entrega a Jesus e à Igreja, souberam difundir em torno de si um raio de alegria, como aconteceu no dia 16 de julho, festa de Nossa Mãe Santíssima do Carmo, quando uma delas pediu a um dos presos que gozava de maior liberdade para lhe arranjar o necessário para escrever e assim com o carvão de alguns gravetos adaptou à música da Marselhesa um canto de júbilo e oração, anunciando o seu martírio. No dia seguinte, em julgamento mais do que sumário, quando tiveram oportunidade de manifestar a sua fortaleza, foram as dezesseis carmelitas descalças condenadas à morte pelo tribunal da Revolução, sendo a causa a sua fidelidade à vida religiosa, o "fanatismo" (especialmente em relação com a maravilhosa devoção aos Corações de Jesus e Maria) e adesão à autoridade constituída.
      Enquanto eram levadas numa carroça para serem executadas na "Barrière-du-Trône", iam cantando em voz alta, no meio do silêncio da multidão e dos próprios "sans-culottes", o Miserere, a Salve Regina e o Te-Deum. Quando chegaram perto da guilhotina, cantaram o Veni Creator Spiritus e, uma por uma, renovaram nas mãos da Priora a Profissão Religiosa e imediatamente começaram a ser decapitadas.
      A última a morrer foi a Madre Teresa de Santo Agostinho, que tão admiravelmente havia preparado as suas filhas para o martírio e tão maravilhosamente realizara o que tinha o costume de dizer: "O amor sempre há de sair vitorioso. Quando se tem amor tudo se consegue". O martírio acontecido no dia 17 de julho de 1794 demonstrou mais uma vez o poder invencível do amor a Cristo.
      Dos documentos existentes e preciosos testemunhos da três carmelitas da comunidade de Compiègne que puderam escapar da morte, possuímos a lista seguinte com os nomes de cada uma das mártires: primeiro o nome de religiosa, mais ou menos completo e em seguida, entre parêntesis, o nome de batismo e de família.

      Teresa de Santo Agostinho (Maria Madalena Claudina Lidoine) que era a Priora, * em Paris a 22 de setembro de 1752.
      Irmã São Luís (Maria Ana Francisca Brideau), subpriora
* em Belfort a 7 de dezembro de 1751.
      Irmã Ana Maria de Jesus Crucificado (Maria Ana Piedcourt)
* em Paris a 9 de dezembro de 1715.
      Irmã Carlota da Ressurreição (Ana Maria Madalena Thouret)
* em Mouy (Oise) a 7 de setembro de 1715.
      Irmã Eufrásia da Imaculada Conceição (Maria Cláudia Cipriana Brard) * em Bourth (Eure) a 12 de maio de 1736.
      Irmã Henriqueta de Jesus (Maria Francisca de Croissy)
* em Paris a 18 de junho de 1745.
      Irmã Teresa do Coração de Maria (Maria Ana Hanisset)
* em Reims (Marne) a 18 de janeiro de 1742.
      Irmã Teresa de Santo Inácio (Maria Gabriela Trézel)
* em Compiègne a 4 de abril de 1743.
      Irmã Júlia Luísa de Jesus (Rosa Cristina de Neuville)
* em Évreux (Eure) a 30 de dezembro de 1741.
      Irmã Maria Henriqueta da Providência (Maria Anita Pelras)
* em Cajarc (Lot) a 16 de junho de 1760.
      Irmã Constância (Maria Genoveva Meunier), noviça
* em Saint-Denis (Seine) a 28 de maio de 1765.
      Irmã Maria do Espírito Santo (Angélica Roussel), irmã leiga
* em Fresne-Mazancourt (Somme) a 3 de agosto de 1742.
      Irmã Santa Marta (Maria Dufour), irmã leiga
* em Bannes (Sarthe) a 2 de outubro de 1741.
      Irmã S.Francisco Xavier (Isabel Julieta Vérolot, irmã leiga
* em Lignères (Aube) a 13 de janeiro de 1764.
      Irmã Catarina Soiron, irmã rodeira (externa)
* em Compiègne a 2 de fevereiro de 1742.
      Irmã Teresa Soiron, irmã rodeira (externa)
* em Compiègne a 23 de janeiro de 1748.

      Os corpos das dezesseis mártires foram lançados numa vala comum juntamente com outros corpos de condenados, num lugar que é o atual cemitério de Picpus, lá onde uma lápide comemora o martírio delas. Restaram algumas peças de roupa que as carmelitas descalças estavam lavando na cadeia de "La Conciergerie", quando foram levadas perante o tribunal, e que, dois ou três dias depois, foram entregues às beneditinas inglesas de Cambrai, encarceradas também, mas logo libertadas. Relíquias preciosas, estas peças conservam-se hoje na Abadia das Beneditinas de Stanbrook, na Inglaterra. Relíquias preciosas são também os escritos das mártires: cartas, poesias, anotações; tudo isto, junto com outros documentos de valor, encontra-se na obra fundamental do Pe. Bruno de Jesus-Maria (OCD).
      As mártires foram beatificadas por São Pio X pelo Breve Pontifício de 13 de maio de 1906, porquanto no dia 10 do mês de dezembro anterior já se havia publicado o Decreto "de tuto", para se proceder à declaração do martírio das 16 carmelitas descalças. Celebra-se a festa delas no dia 17 de julho, nos dois ramos da Ordem do Carmo e na diocese de Paris.
      Recentemente o nome das Bem-Aventuradas obteve uma ressonância inesperada graças a obras literárias de valor indiscutível. Em 1931 Gertrudes von Le Fort extraiu da narrativa histórica da vida e martírio das Carmelitas de Compiègne o seu romance Die Letzte am Schaffott (A Última ao Cadafalso), do qual o Pe. R. Bruckberger teve a inspiração de produzir um filme, cujos diálogos confiou a Georges Bernanos em 1937. Dez anos mais tarde, em 1947-48, Bernanos redigia um trabalho que a morte impediu de retocar e aperfeiçoar, mas publicado em 1949 como obra literária, (com o título de) Les Dialogues des Carmélites (Diálogos das Carmelitas), alcançou enorme êxito por toda a Europa e logo foi levado ao Teatro por A. Beguin com acolhida não menos favorável.
      Em janeiro de 1957 os Diálogos das Carmelitas foram musicados por Francis Poulenc e representado no "Scala de Milão", alargando assim ainda mais a irradiação da obra de Bernanos. Finalmente em 1959, sob a direção de Filipe Agostini, o Pe. Bruckberger viu realizado o seu sonho, levando para a tela os Diálogos das Carmelitas, filme de co-produção ítalo-francesa.
      E assim a epopéia das 16 Mártires, filhas de Santa Teresa, era dada a conhecer ao mundo inteiro.

Morrer como mártires e nosso lema do que servir a estes padres e bispos que estão ao serviço do fermento da revolução francesa.
Reze todos os dias o Santo Rosário.

sábado, 23 de maio de 2015

Comentários Eleison: Papas Conciliares - I

Comentários Eleison - por Dom Williamson
CDX (410) - (23 de maio de 2015): 
PAPAS CONCILIARES - I

  
Papas maus o mundo sempre produziu,
Jamais, porém, como no mundo atual, corrupto como nunca se viu.

            Quando alguém alega que os Papas conciliares podem estar ao menos parcialmente de boa fé, há normalmente católicos que protestam. Eles dirão que os Papas são homens da Igreja inteligentes e educados, e então é impossível que eles não percebam totalmente o que estão fazendo. A teoria “mentevacantista”, segundo a qual esses Papas têm a mente vacante, a ignorar parcialmente as consequências de suas próprias ações, é absurda para esses críticos. Pode-se entender o protesto, mas deixem-me citar um amigo que compreende o “mentevacantismo” tal como deve ser compreendido:

            A ideia de que os Papas podem estar enganados de boa fé porque sustentam que certos erros não se opõem à Fé, requer atenção, porque as pessoas têm um conceito de papado muito destacado do mundo, enquanto que toda a história dos Papas é uma história de homens de seu tempo sujeitos à compartilhar todos os bons e maus hábitos e vícios daquele período. A diferença reside no poder do erro, que nunca foi tão forte como é atualmente; a humanidade nunca foi, não se deve esquecer, tão degenerada como hoje.

            Pois de fato o liberalismo está agora em todo lugar, e a dominar; não é mais um mero pensamento ou maneira de pensar, mas um verdadeiro modo de ser que permeia todo homem vivo, seja ele um liberal absoluto em si mesmo, ou um agente do liberalismo e de sua subversão, ou meramente uma de suas ferramentas. Tal é o caso dos Papas conciliares. Eles acham que estão a se aproximar do mundo para curá-lo, sem se dar conta de que é o mundo que se aproxima deles para infectá-los e controlá-los.

            Em uma situação como essa, pode-se certamente falar de Papas liberais, mas não de Papas não católicos, já que está faltando o primeiro requisito para tal condenação, a saber, a vontade pessoal deles de ser liberais e não católicos. Ninguém pode fazer outra coisa que reconhecer que nesses Papas há uma vontade pessoal de ser católicos e não liberais anticatólicos, já que para eles não há contradição entre os dois, longe disso. Segundo seu teólogo e pensador, Joseph Ratzinger, o liberalismo é um dos bons produtos derivados do catolicismo, que precisa apenas ser purificado de certas distorções estranhas trazidas para dentro dele. Assim, quanto à destruição da Igreja, torna-se lógico que os Papas, por acreditarem em tal catolicismo comprometido, não podem evitar que uma das consequências de suas ações seja essa destruição.

            Em relação a Dom Lefebvre, dado que ele cresceu em uma Igreja muito diferente da Igreja de hoje, eu posso apenas concluir que para ele era impossível que um católico agisse como instrumento de subversão sem se dar conta do que está fazendo. Menos ainda poderia um Papa não percebê-lo. Por ler nas entrelinhas de certos escritos do Arcebispo, eu acredito que enquanto sua visão do mundo certamente incluía o processo de degeneração chegando ao fim dos tempos, ela não incluía esse processo a envolver de alguma maneira clara também a Igreja.

            Eu posso imaginar leitores objetando a esse tipo de análise: “Oh, Excelência, por favor, pare de defender os Papas conciliares. É preto ou branco. Se eles são pretos, serei um sedevacantista feliz. Se são brancos, serei um liberal feliz. Seus cinzas só estão me confundindo!”.

            Caro leitor, preto é preto, branco é branco, mas raramente na vida real nós encontramos o branco puro, e nunca o preto puro (tudo o que é, por pior que seja, tem a bondade de ser). Se vocês querem entender essa escusa relativa dos Papas conciliares, a chave é compreender que o mundo nunca foi tão profundamente mal como é hoje. A partir dessa degeneração sem precedente, é óbvio que os Papas conciliares são a esse respeito mais escusáveis por deslizar na Fé que qualquer um de seus predecessores.


Kyrie eleison.

23 de maio dia de São Batista de Rossi,Confessor.

 Santo João Batista de Rossi nasceu no dia 22 de fevereiro de 1698, em Voltagio, na província de Gênova, Itália. Aos dez anos, foi trabalhar para uma família muito rica em Gênova como pajem, para poder estudar e manter-se. Três anos depois, transferiu-se, definitivamente, para Roma, morando na casa de um primo que já era sacerdote e estudando no Colégio Romano dos jesuítas. Lá se doutorou em filosofia, convivendo com os melhores e mais preparados de sua geração de clérigos. Depois, os cursos de teologia ele concluiu com os dominicanos de Minerva.A todo esse esforço intelectual João Batista acrescentava uma excessiva carga de atividade evangelizadora, mesmo antes de ser ordenado sacerdote, junto aos jovens e às pessoas abandonadas e pobres. Com isso, teve um esgotamento físico e psicológico tão intenso que desencadearam os ataques epiléticos e uma grave doença nos olhos.
 Nunca mais se recuperou e teve de conviver com essa situação o resto da vida. Contudo ele nunca deixou de praticar a penitência, concentrada na pouca alimentação, minando ainda mais seu frágil organismo.
 Recebeu o sacerdocio em 1721. Nessa ocasião, devido à experiência adquirida na direção dos grupos de estudantes, decidiu fundar a Pia União de Sacerdotes Seculares, que dirigiu durante alguns anos. Por lá, até o final de 1935, passaram ilustres personalidades do clero romano, alguns mais tarde a Igreja canonizou e outros foram eleitos para dirigi-la.
 Entretanto João Batista queria uma obra mais completa, por isso fundou e também dirigiu a Casa de Santa Gala, para rapazes carentes, e a Casa de São Luiz Gonzaga, para moças carentes. Aliás, esse era seu santo preferido e exemplo que seguia no seu apostolado.
 O seu rebanho eram os mais pobres, doentes, encarcerados e pecadores. Tinha o dom do conselho, era atencioso e paciente com todos os fiéis, que formavam filas para se confessarem com ele. O tom de consolação, exortação e orientação com que tratava seus penitentes atraía cristãos de toda a cidade e de outras vizinhanças. João Batista era incansável, dirigia tudo com doçura e firmeza, e onde houvesse necessidade de algum socorro ali estava ele levando seu fervor e força espiritual.
 Quando seu primo cônego morreu, ele foi eleito para sucedê-lo em Santa Maria, em Cosmedin, Roma. Mas acabou sendo dispensado da obrigação do coro para poder dedicar-se com maior autonomia aos seus compromissos apostólicos.
 Aos sessenta e seis anos de idade, a doença finalmente o venceu e ele morreu no dia 23 de maio de 1764, tão pobre que seu enterro foi custeado pela caridade dos devotos. João Batista de Rossi foi canonizado pelo papa Leão XIII em 1881, que marcou sua celebração para o dia de sua morte.

sexta-feira, 22 de maio de 2015

Kit São José (Novidade)

R$ 20,00 Frete incluso. 

10 cordões de São José+ os livros de Santa Teresinha,Marido,Pai e Apóstolo.

3 escapulário verde emblema e brindes.

 

 http://www.lojinhadoconvento.blogspot.com.br/2012/01/quite-de-sao-jose.html

 


22 de maio dia de Santa Rita de Cássia.

22/05 Sexta-feira  
Festa de Quarta Classe
Paramentos Brancos

 Santa Rita nasceu no ano de 1381, na província de Umbria, Itália, exatamente na cidade de Cássia. Rita, ainda na infância, manifestou sua vocação religiosa. Diferenciando-se das outras crianças, ao invés de brincar e aprontar as peraltices da idade preferia ficar isolada em seu quarto, rezando. Para atender aos desejos de seus pais já idosos, Rita casou-se com um homem de nome Paulo Ferdinando, que, a princípio, parecia ser bom e responsável. Mas, com o passar do tempo, mostrou um caráter rude, tornando-se violento e agressivo. A tudo ela suportava com paciência e oração. Tinha certeza de que a penitência e a abnegação conseguiriam convertê-lo aos preceitos de amor a Cristo. Um dia, Paulo, finalmente, se converteu sinceramente, tornando-se bom marido e pai. Entretanto suas atitudes passadas deixaram um rastro de inimizades, que culminaram com seu assassinato, trazendo grande dor e sofrimento ao coração de Rita. . Dedicou-se, então, aos dois filhos ainda pequenos, que na adolescência descobriram a verdadeira causa da morte do pai e resolveram vingá-lo, quando adultos. Rita tentou, em vão, impedir essa vingança. Desse modo, pediu a interferência de Deus para tirar tal idéia da cabeça dos filhos e que, se isso não fosse possível, os levasse para junto dele. Assim foi. Em menos de um ano, os dois filhos de Rita morreram, sem concretizar a vingança.
 Santa Rita ficou sozinha no mundo e decidiu dar um novo rumo à sua vida. Determinada, resolveu seguir a vocação revelada ainda na infância: tornar-se monja agostiniana. As duas primeiras investidas para ingressar na Ordem foram mal-sucedidas. Segundo a tradição, ela pediu de forma tão fervorosa a intervenção da graça divina que os seus santos de devoção, Agostinho, João Batista e Nicolau, apareceram e a conduziram para dentro dos portões do convento das monjas agostinianas. A partir desse milagre ela foi aceita.
 Ela se entregou, completamente, a uma vida de orações e penitências, com humildade e obediência total às regras agostinianas. Sua fé era tão intensa que na sua testa apareceu um espinho da coroa de Cristo, estigma que a acompanhou durante quatorze anos, mantido até o fim da vida em silencioso sofrimento dedicado à salvação da humanidade.
 Rita morreu em 1457, aos setenta e seis anos, em Cássia. Sua fama de santidade atravessou os muros do convento e muitos milagres foram atribuídos à sua intercessão. Sua canonização foi assinada pelo papa Leão XIII em 1900.


Leitura da Epístola dos

I São Pedro 4,7-11.
7 O fim de todas as coisas está próximo. Sede, portanto, prudentes e vigiai na oração. 8 Antes de tudo, mantende entre vós uma ardente caridade, porque a caridade cobre a multidão dos pecados (Pr 10,12). 9 Exercei a hospitalidade uns para com os outros, sem murmuração. 10 Como bons dispensadores das diversas graças de Deus, cada um de vós ponha à disposição dos outros o dom que recebeu: 11 a palavra, para anunciar as mensagens de Deus; um ministério, para exercê-lo com uma força divina, a fim de que em todas as coisas Deus seja glorificado por Jesus Cristo. A ele seja dada a glória e o poder por toda a eternidade! Amém.


Sequência do Santo Evangelho

São João 15,26-27 ;  16, 1-4
26 Quando vier o Paráclito, que vos enviarei da parte do Pai, o Espírito da Verdade, que procede do Pai, ele dará testemunho de mim. 27 Também vós dareis testemunho, porque estais comigo desde o princípio1 Disse-vos essas coisas para vos preservar de alguma queda. 2 Expulsar-vos-ão das sinagogas, e virá a hora em que todo aquele que vos tirar a vida julgará prestar culto a Deus. 3 Procederão deste modo porque não conheceram o Pai, nem a mim. 4 Disse-vos, porém, essas palavras para que, quando chegar a hora, vos lembreis de que vo-lo anunciei. E não vo-las disse desde o princípio, porque estava convosco.

quinta-feira, 21 de maio de 2015

21 de maio dia de São Pacômio. Eremita.

21/04 Quinta-feira  
Festa de Quarta Classe 
Paramentos Brancos
  São Pacômio nasceu no Egito, em 287, na Tebaida. Filho de pais pagãos, cheios de superstições e idolatrias, desde a infância mostrou grande aversão a tudo isso. Aos vinte anos de idade foi convocado para o exército imperial e acabou ficando prisioneiro em Tebes. Foi quando fez o seu primeiro contato com os cristãos, cuja religião até então lhe era desconhecida.
 À noite, na prisão, recebeu um pouco de alimento de alguns cristãos, que, escondidos, conseguiram entrar. Comovido com esse gesto de pessoas desconhecidas, perguntou quem havia mandado que fizessem aquilo e eles responderam: "Deus que está no céu". Nessa noite, Pacômio rezou com eles para esse Deus, sentindo já nas primeiras palavras ouvidas que esta seria a sua doutrina. O Evangelho o tocou de tal forma que ele se converteu e voltou para o Egito, onde recebeu o batismo. 
 Depois, compartilhou durante sete anos a companhia de um ancião eremita de nome Palemon, que vivia dedicado à oração. A princípio, o ancião não quis aceitá-lo a seu lado, porque sabia que a vida de solidão e orações não era nada fácil. Mas Pacômio estava determinado e convenceu-o de que deveria ficar.
 Um dia, durante suas caminhadas, Pacômio ouviu uma voz que lhe dizia para inaugurar ali, exatamente naquele lugar, um mosteiro onde receberia e acolheria muitos religiosos. Depois, apareceu-lhe um anjo que o ensinou como deveria organizar o mosteiro.
 Pacômio pôs-se a trabalhar arduamente e o deixou pronto. As profecias que ele ouviu se concretizaram e muitas pessoas se juntaram a ele. Monges, eremitas e religiosos de todos os lugares pediram admissão no mosteiro de Pacômio, que obteve a aprovação do bispo Atanásio, santo e doutor da Igreja. Até seu irmão João, que distribuiu toda a sua riqueza entre os pobres, uniu-se a ele.
 Com Pacômio nasceu a vida monástica, ou cenobítica, no Egito, não mais com um chefe carismático que agregava ermitãos reunidos em pequenos grupos em torno de si, mas uma comunidade de religiosos, com regras precisas de vida em comum na oração, contemplação e trabalho, a exemplo dos primeiros apóstolos de Jesus.
 Pacômio ainda abriu mais oito mosteiros masculinos e um feminino. Sua fama de santidade espalhou-se pelo Egito e pela Ásia Menor. Foi agraciado por Deus com o dom da profecia e morreu no ano de 347, vítima de uma peste que assolava o Egito na época. Até o século XII, havia, ainda, cerca de quinhentos monges da Ordem de São Pacômio.

Leitura da Epístola dos

I São Pedro 4,7-11.
7 O fim de todas as coisas está próximo. Sede, portanto, prudentes e vigiai na oração. 8 Antes de tudo, mantende entre vós uma ardente caridade, porque a caridade cobre a multidão dos pecados (Pr 10,12). 9 Exercei a hospitalidade uns para com os outros, sem murmuração. 10 Como bons dispensadores das diversas graças de Deus, cada um de vós ponha à disposição dos outros o dom que recebeu: 11 a palavra, para anunciar as mensagens de Deus; um ministério, para exercê-lo com uma força divina, a fim de que em todas as coisas Deus seja glorificado por Jesus Cristo. A ele seja dada a glória e o poder por toda a eternidade! Amém.


Sequência do Santo Evangelho

São João 15,26-27 ;  16, 1-4
26 Quando vier o Paráclito, que vos enviarei da parte do Pai, o Espírito da Verdade, que procede do Pai, ele dará testemunho de mim. 27 Também vós dareis testemunho, porque estais comigo desde o princípio1 Disse-vos essas coisas para vos preservar de alguma queda. 2 Expulsar-vos-ão das sinagogas, e virá a hora em que todo aquele que vos tirar a vida julgará prestar culto a Deus. 3 Procederão deste modo porque não conheceram o Pai, nem a mim. 4 Disse-vos, porém, essas palavras para que, quando chegar a hora, vos lembreis de que vo-lo anunciei. E não vo-las disse desde o princípio, porque estava convosco.

terça-feira, 19 de maio de 2015

A CELEBRAÇÃO DA EUCARISTIA É AÇÃO RITUAL SIMBÓLICA ?

CHAMA-SE ISSO DE FORMAÇÃO DA  CNBB:
Como que 450 bispos de todo país discutem temas ligados à Igreja Católica e a evangelização?
Só se for evangelização a serviço da revolução da anti-religião Católica.
Me provem que 
estes textos tem de Católicos
A CELEBRAÇÃO DA EUCARISTIA É AÇÃO RITUAL 
Formação Litúrgica em Mutirão
CNBB - rede celebra - revista de liturgia
Ficha 46

 Esses modernistas está a servi do que?Com este escritos nem precisa dizer que estes textos não é da Santa Igreja Católica vejam um trecho desta ficha 46; 

A liturgia é ação simbólica continua afirmar esta heresia.
O rito é uma ação simbólica e agora afirma que rito é simbólico.

Olha esta outra afirmação:
Todas as religiões têm seus ritos, conjunto de ações repetidas para expressar sua fé, sua maneira de ver a vida, o mundo, sua relação com a divindade. Assim conseguem guardar e transmitir para outras gerações seus valores, suas raízes. “Mudar constantemente os ritos significa mudar os fundamentos, esquecer as raízes”.


A 5ª SSB é um processo nacional que está em curso desde 2011 em todo o Brasil e promove a participação ampla de pessoas e entidades, a abertura ao ecumenismo e diálogo inter-religioso, o pluralismo de ideias e valores, o exercício do debate democrático em todas as instâncias e o ensaio coletivo de iniciativas transformadoras. O momento de encerramento dos trabalhos da 5ª Semana acontecerá de 2 a 5 de setembro. A palavra é do coordenador 
Pe. Nelito Dornelas:
ELE AFIRMA QUE DE 500 ANOS DE BRASIL E SÓ TEM 50 DE DEMOCRACIA PORQUE SERÁ PORQUE O SUPER CONCILIO VATICANO II TEM 50 ANOS ISTO NÃO É DEMOCRACIA E SIM  REVOLUÇÃO CONTRA SANTA IGREJA ELE CITA QUEM  João XXIII PARA SE APOIAR EM SEU TRABALHO ANTICATÓLICO. 

O que é verdade ensinada que os modernistas da CNBB não sabem ou estão agindo de ma fé ou sua hipocrisia e grande de mais.

A Fé uma virtude Teologal que só a Santa Igreja Católica POSSUI POR ISTO O DOGMA FORA DA SANTA IGREJA NÃO HÁ SALVAÇÃO.

Missa de hoje Indiana da forma da anti-formação da CNBB.
A missa como temos hoje, é constituída de quatro ações rituais fundamentais: Ritos iniciais, Rito da Palavra, Rito Eucarístico e Ritos finais. Cada uma delas é um conjunto de pequenos ritos, com seu significado teológico e que exige por sua vez, uma atitude espiritual correspondente. 



    Para os modernistas tudo é quatro ações rituais e incluem nisto a parte da consagração como simples ritos eucarístico logo para eles como dizem sua anti-formação. O rito é uma ação simbólica por isto que quando afirmamos que esta missa DE HOJE não se deve ir porque eles não tem fé e querem tirar de quem tem com essas afirmações em seus livros que tem a coragem de dizer que são Formação Litúrgica em Mutirão; sim mutirão da revolução anti-católica isto não é a Liturgia Católica isto podemos afirmar com segurança ao ler um texto blasfemo deste.

Outra afirmação deste texto:
Não se modifica arbitrariamente, não se muda só pelo gosto de novidade o que é essencial num rito. É sua expressão cultural que pode e deve ser mudada, ajustando-o ao estilo de cada povo que tem seu jeito próprio de ser e agir, de comer, de beber, agradecer, expressar o perdão, o afeto, o amor. Uma refeição comum feita no corre-corre da semana é diferente de um jantar em dia de festa ou do almoço aos domingos. Os acontecimentos também trazem sempre elementos novos e diferentes a uma celebração.
MISSA Gaúcha obedecendo a CNBB.É sua expressão cultural que pode e deve ser mudada, ajustando-o ao estilo de cada povo...
 Pergunto agora quando nosso Senhor afirmou isto que esta escrito acima quando um documento da verdadeira Igreja Católica escreveu esse tipo de anti-formação.

Catecismo São Pio X
 CAPÍTULO III
Virtudes
 http://www.lojinhadoconvento.blogspot.com.br/2015/05/novidade-da-cruzadas-da-boa-leitura.html


§ 1. Virtudes em geral – Virtudes teologais

1.           O que é a virtude?
A virtude é uma constante disposição da alma para fazer o bem.

2.           Quantas espécies de virtude existem?
Existem duas espécies de virtude: as virtudes naturais, que adquirimos repetindo atos bons, como aquelas que se dizem morais, e as virtudes sobrenaturais que não podemos adquirir nem mesmo exercitar só com nossas forças, mas nos vêm dadas por Deus, e são as virtudes próprias do cristão.


1.           Quais são as virtudes próprias do cristão?
As virtudes próprias do cristão são as virtudes sobrenaturais e especialmente a Fé, a Esperança e a Caridade, que se chamam teologais ou divinas, pois têm o próprio Deus por objeto e por motivo.

2.           Como recebemos e exercitamos as virtudes sobrenaturais?
Recebemos e exercitamos as virtudes sobrenaturais junto à graça santificante, por meio dos sacramentos ou pelo amor de caridade, e as exercitamos com as graças atuais dos bons pensamentos e das inspirações com as quais Deus nos move e nos ajuda em todo ato bom.

3.           Dentre as virtudes sobrenaturais qual é a mais excelente?
Dentre as virtudes sobrenaturais a mais excelente é a caridade, pois é inseparável da graça santificante, nos une intimamente a Deus e ao próximo, nos move à perfeita observância da Lei e a toda boa obra, e não cessará nunca: nela está a perfeição cristã.


4.           O que é a Fé?
A Fé é a virtude sobrenatural pela qual cremos, sob a autoridade de Deus, o que Ele revelou e nos propõe a crer por meio da Igreja.

5.           Onde se conserva o que Deus revelou e nos propõe a crer por meio da Igreja?
O que Deus revelou e nos propõe a crer por meio da Igreja se conserva na Sagrada Escritura e na Tradição.

6.           O que é a Sagrada Escritura?
A Sagrada Escritura é a coleção dos livros escritos por inspiração de Deus no Velho e no Novo Testamento, e recebida pela Igreja como obra do próprio Deus.

7.           O que é a Tradição?
A Tradição é o ensinamento de Jesus Cristo e dos Apóstolos, feito a viva voz, e da Igreja transmitido até nós sem alteração.

8.           Quem pode, com autoridade, fazer-nos conhecer inteiramente e no verdadeiro sentido as verdades contidas na Escritura e na Tradição?
Só a Igreja pode, com autoridade, fazer-nos conhecer inteiramente e no verdadeiro sentido as verdades contidas na Escritura e na Tradição, pois só a Ela Deus confiou o depósito da Fé e mandou o Espírito Santo que continuamente a assiste, a fim de que não erre.

9.           Basta crer em geral nas verdades reveladas por Deus?
Não basta crer em geral nas verdades reveladas por Deus, mas algumas, isto é, a existência de Deus remunerador e os dois mistérios principais, devem-se crer também com expresso ato de Fé.

Missa de Ontem Hoje e Sempre.

Dom Williamson - A verdadeira e a falsa obediência (Legendado)
CLIQUE NA TECLA CC NÃO APARECER A LEGENDA OU NO QUADRADO COM DOIS --.

Reze todos os dias o Santo Rosário.