quinta-feira, 23 de março de 2017

23 de março da de Santo Turibio, Bispo (Peru).


  A cidade de Lima, capital do Peru, na América do Sul, bem pode ser chamada a cidade dos santos na América Latina. No período de um século, Lima viu morrerem Santa Rosa de Lima, São Francisco Solano, São Martinho de Porres e, o santo que comemoramos hoje, São Turíbio de Mongrovejo.
  São Turíbio foi para Lima com 42 anos, como novo arcebispo, e por 25 anos dedicou-se incansavelmente ao apostolado no Peru e à luta pela justiça, com profunda piedade e espírito de penitência. Modelo de pastor e de verdadeiro benfeitor dos humildes e dos índios, reformador dos costumes e das instituições eclesiásticas, opunha-se energicamente aos desmandos do poder civil e dos colonizadores espanhóis.
  Turíbio Alfonso de Mongrovejo nasceu na cidade de Majorca de Campos, Leon, na Espanha, em 1538, numa família nobre e rica, vivendo uma vida normal até os quarenta anos. Era protegido de um tio cônego, estudou em Valadolid, Salamanca e Santiago de Compostela, licenciado em direito e preparava o doutorado em Oviedo. Sua vida era pautada pela honestidade e lisura, mas, jamais poderia suspeitar que Deus o chamaria para um grande ministério.
  Gozando da simpatia do rei Filipe II, foi nomeado presidente do tribunal da Inquisição em Granada, mesmo sendo leigo. Em seguida, visando uma solução adequada aos problemas que agitavam o Peru, o rei apresentou sua candidatura a arcebispo de Lima. Nomeado pelo Papa Gregório XIII, recebeu as ordens sagradas até ao episcopado e partiu para a América. urgiu a partir daí um dos maiores apóstolos da história da Igreja.
  A pé ou a cavalo, percorreu em condições bem precárias, mais de quarenta mil quilômetros, visitando várias vezes sua enorme diocese, chegando aos lugarejos mais distantes, enfrentando desde as neves perpétuas dos Andes, até os desertos tórridos do lado do Pacífico, organizando paróquias e reunindo sínodos para tratar dos problemas eclesiásticos, segundo as normas do recente Concílio de Trento. Na aplicação da reforma do Concílio de Trento teve de enfrentar por vezes os vice-reis, o Conselho das Índias e o próprio rei.
  Tinha especial preocupação com a condição espiritual e econômica dos indígenas, explorados e maltratados por muitos colonizadores. Defendeu os oprimidos contra a crueldade e falta de escrúpulos dos brancos. Bondoso, e caridoso, sabia responder com suavidade e beneficência à rudeza dos índios, magoados com os brancos e, conseguiu atrair muitos deles para a Igreja.


  Morreu longe de Lima, em visita pastoral. Tendo adoecido gravemente, deu tudo o que tinha aos pobres, falecendo no dia 23 de março de 1606, com 68 anos de idade. Foi beatificado em 1679 e canonizado em 1726 pelo Papa Bento XIII, que o declarou "Apóstolo e Padroeiro do Peru".

Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dia Santo Rosário.
Façam penitência.