quarta-feira, 12 de julho de 2017

12 de julho dia de São João Gualberto, Abade.

12/07 Quarta-feira
Festa de Terceira Classe
Paramentos Brancos

São João Gualberto, pertencia a uma família nobre e segundo filho dos Visdonini, nasceu no ano de 995 em Florença. Foi educado num dos castelos dos pais, Gualberto e dona Villa, nobres e cristãos. A mãe cuidou do ensino no seguimento de Cristo. O pai os fez perfeitos cavaleiros, hábeis nas palavras e nas armas, para administrar e defender o patrimônio e a honra da família. Mas a harmonia acabou quando o primogênito da família foi assassinado. Buscando vingar o irmão Ugo; João Gualberto saía armado e com seus homens à procura do inimigo o assassino e assume com determinação e obstinação o empenho de vingar e defender a honra ultrajada de sua família. Depois de ter procurado exaustivamente em varios os lugares, foi encontrá-lo numa Sexta-feira Santa de 1028,  único dia em que a Igreja não realiza o Santo Sacrifício da Missa, mas que foi uma ocasião em que João Gualberto, mas foi surpreendido pelo inimigo pedindo clemência e de conservação da vida, em nome do Cristo que naquele dia a Igreja venerava no mistério cruz.Naquele estante João Gualberto sacrificou o sua violenta e vingança, unindo-se aos mistérios da Paixão e Morte de Nosso Senhor Jesus Cristo, que no seu infinito amor perdoou seus crucifica dores de forma determinantes para esse contexto da vida deu sua abertura e ação de graça divina que lhe fortaleceu na renúncia ao instinto de ira e vingança. Esse pedido tocou-lhe profundamente o interior, como se fosse uma espada a penetrar-lhe a alma, de modo que João Gualberto após instantes de silêncio e de profunda introspecção, como que num êxtase místico, contempla o sentido supremo da linguagem da cruz, do gesto de Cristo na cruz, que morrendo clama ao Pai dizendo: “Pai, perdoa-lhes...” (Lc 23,34). João Gualberto depõe a espada e abraça o seu inimigo, permanecendo, alguns instantes em comoção de lágrimas  ele seguiu o exemplo do Mestre.Em seguida, foi à igreja de São Miniato, onde, aos pés do altar, ajoelhou-se diante do crucifixo de Jesus. Diz a tradição que a cruz do Cristo se inclinou sobre ele, em sinal de aprovação pelo seu ato. E foi ali que João Gualberto ouviu o chamado: "Vem e segue-me". Depois desse prodígio, ocorrido na presença de muitos fiéis, uma grande paz invadiu sua alma e ele abandonou tudo para ingressar no mosteiro beneditino da cidade  e se tornou monge. Em 1035, com a morte do abade, ele foi eleito por unanimidade o sucessor, mas renunciou de imediato quando soube que o monge tesoureiro havia subornado o bispo de Florença para escolhê-lo como o novo abade.
Indignado, passou a denunciá-los e combate-los, auxiliado por alguns monges. Mas as ameaças eram tantas que decidiu sair do mosteiro João Gualberto foi para a floresta dos montes Apeninos, numa pequena casa rústica encontrada na montanha Vallombrosa, sobre o verde Vale do Arno, seguido por alguns monges. O local começou a receber inúmeros jovens em busca de orientação espiritual, graças à fama de sua santidade. Foi assim que surgiu um novo mosteiro e uma nova congregação religiosa, para a qual João Gualberto quis manter as Regras dos monges beneditinos. Fundou em Vallombrosa um ramo novo da ordem de São Bento e combateu, pelo bom exemplo e pela pregação, a decadência do Clero de sua época.
Basílica de São Miniato (Florença), e lá movido por um profundo desejo contato com Deus através da oração, entrega-se ao Cristo crucificado.


Leitura da Epístola dos 

Eclesiástico 45,1-6
1.Moisés foi amado por Deus e pelos homens: sua memória é abençoada.2.O Senhor deu-lhe uma glória semelhante à dos santos; tornou-se poderoso e temido por seus inimigos.3.Glorificou-o na presença dos reis, prescreveu-lhe suas ordens diante do seu povo, e mostrou-lhe a sua glória.4.Santificou-o pela sua fé e mansidão, escolheu-o entre todos os homens.5.Pois (Deus) atendeu-o, ouviu sua voz e o introduziu na nuvem.6.Deu-lhe seus preceitos perante (seu povo) e a lei da vida e da ciência, para ensinar a Jacó sua aliança e a Israel seus decretos.

Sequência do Santo Evangelho

São Mateus 5,43-48                                                        
43.Tendes ouvido o que foi dito: Amarás o teu próximo e poderás odiar teu inimigo.44.Eu, porém, vos digo: amai vossos inimigos, fazei bem aos que vos odeiam, orai pelos que vos [maltratam e] perseguem.45.Deste modo sereis os filhos de vosso Pai do céu, pois ele faz nascer o sol tanto sobre os maus como sobre os bons, e faz chover sobre os justos e sobre os injustos.46.Se amais somente os que vos amam, que recompensa tereis? Não fazem assim os próprios publicanos?47.Se saudais apenas vossos irmãos, que fazeis de extraordinário? Não fazem isto também os pagãos?48.Portanto, sede perfeitos, assim como vosso Pai celeste é perfeito.
Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dia Santo Rosário