sábado, 12 de agosto de 2017

12 de agosto dia de Santa Clara de Assis, Virgem.

12/08 Sábado
Festa de Terceira Classe
Paramentos Brancos

  Santa Clara de Assis (em italiano, Santa Chiara d'Assisi) nascida como Chiara d'Offreducci em Assis (Itália), no dia 16 de Julho de 1194, e falecida em Assis, no dia 11 de Agosto de 1253, foi a fundadora do ramo feminino da ordem franciscana, a chamada Ordem de Santa Clara (ou Ordem das Clarissas).
 De família nobre, conheceu as riquezas e vaidades deste mundo e compreendeu que tudo passa com o tempo, exceto o tesouro guardado no Reino dos Céus. Quando os seus familiares lhe preparavam um casamento nobre e rico, Clara sentiu nascer e crescer em si um grande amor a Jesus Cristo, desejando ardentemente segui-Lo, tornando-se pobre como Ele. Somente Jesus era capaz de saciar sua sede de infinito, e dar-lhe a felicidade em plenitude. Depois da conversão de São Francisco e do surgimento da Ordem dos Frades Menores, Clara compreende que o ideal de Francisco era o que o seu coração ansiava. Francisco percebe que Deus atuava na sua alma e a orienta no seguimento de Jesus Cristo. No Domingo de Ramos de 1212, à noite, deixa a casa paterna dirige-se à Igreja de Santa Maria dos Anjos, onde Francisco e os seus frades a esperavam. Tinha, então, 18 anos. Clara consagra-se a Cristo, fazendo sua Profissão nas mãos de Francisco. Nasce assim a II Ordem Franciscana, ou Ordem de Santa Clara, Clarissas. No Mosteiro de São Damião, com as Irmãs que o Senhor ia enviando, Clara iniciou uma forma de vida religiosa contemplativa: Vida de amor, de encanto por Deus, oração silenciosa especificamente contemplativa. Em São Damião vivia-se em fraternidade e em pobreza. 
       O seu primeiro milagre foi em vida, demonstrando a sua grande fé. Conta-se que uma das irmãs da sua congregação havia saído para pedir esmolas para os pobres que iam ao mosteiro. Como não conseguiu quase nada, voltou desanimada e foi consolada por Santa Clara que lhe disse: "Confia em Deus!". Quando a santa se afastou, a outra freira foi pegar no embrulho que trouxera e não conseguiu levantá-lo, pois tudo havia se multiplicado.
Em outra ocasião, aquando da invasão de Assis pelos sarracenos, Santa Clara apanhou o ostensório com a hóstia consagrada e enfrentou o chefe deles, dizendo que Jesus Cristo era mais forte que eles. Os agressores, tomados de repente por inexplicável pânico, fugiram. Por este milagre Santa Clara é representada segurando o Ostensório na mão.
 Santa Clara contava  sessenta anos, dos  quais  passara  28   anos  sofrendo grandes  enfermidades.   Por maiores que lhe fossem as  dores, nenhuma queixa lhe saía da boca.  Na meditação da sagrada Paixão e Morte  de Nosso Senhor achava o maior  alívio. “Como passa  bem depressa  a noite, dizia,  ocupando-me com a Paixão de Nosso Senhor”.  Em outra ocasião, disse: “Homem haverá que se queixe, vendo a  Jesus derramar todo o seu sangue na Cruz?  Sentindo a  proximidade da  morte,  recebeu os Santos Sacramentos e  teve a  satisfação de  receber a visita do Papa Inocêncio IV, que lhe concedeu uma indulgência plenária.  Quase  agonizante, disse ainda estas palavras:  “ Nada temas, minha  alma;   tens boa companhia na tua passagem  para a eternidade. Vai em paz, porque Aquele que te criou, te santificou, te guardou como a mãe ao filho, e te amou com grande ternura.  Vós, porém,  meu Senhor e meu Criador, sede  louvado e bendito”.   Esta visão lhe apareceram muitas virgens, entre as quais  uma de extraordinária beleza, que lhe vieram ao encontro para leva-la ao céu.  


Leitura da Epístola dos

 II Coríntios 10, 17-18; 11, 1-2
17.Ora, quem se gloria, glorie-se no Senhor.18.Pois merece a aprovação não aquele que se recomenda a si mesmo, mas aquele que o Senhor recomenda. 1.Oxalá suportásseis um pouco de loucura de minha parte! Oh, sim! Tolerai-me.2.Eu vos consagro um carinho e amor santo, porque vos desposei com um esposo único e vos apresentei a Cristo como virgem pura.

Sequência do Santo Evangelho
                                                          
São Mateus 25, 1-13
1.Então o Reino dos céus será semelhante a dez virgens, que saíram com suas lâmpadas ao encontro do esposo.2.Cinco dentre elas eram tolas e cinco, prudentes.3.Tomando suas lâmpadas, as tolas não levaram óleo consigo.4.As prudentes, todavia, levaram de reserva vasos de óleo junto com as lâmpadas.5.Tardando o esposo, cochilaram todas e adormeceram.6.No meio da noite, porém, ouviu-se um clamor: Eis o esposo, ide-lhe ao encontro.7.E as virgens levantaram-se todas e prepararam suas lâmpadas.8.As tolas disseram às prudentes: Dai-nos de vosso óleo, porque nossas lâmpadas se estão apagando.9.As prudentes responderam: Não temos o suficiente para nós e para vós; é preferível irdes aos vendedores, a fim de o comprardes para vós.10.Ora, enquanto foram comprar, veio o esposo. As que estavam preparadas entraram com ele para a sala das bodas e foi fechada a porta.11.Mais tarde, chegaram também as outras e diziam: Senhor, senhor, abre-nos!12.Mas ele respondeu: Em verdade vos digo: não vos conheço!13.Vigiai, pois, porque não sabeis nem o dia nem a hora.

 Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dia Santo Rosário