quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

ORAÇÕES PELOS ORDENANDOS



   Divino Jesus, Senhor Nosso,Chefe e Esposo da Santa Igreja Católica, não dexeis entrar em Vosso Santuário senão os que Vós chamastes e que hão de glorificar Vosso Nome.Mandai à Vossa vinha obreiros valiosos, revestidos de ciência e virtude, de prudência e zelo, que unam à humana atividade o espírito de Deus, que se apresentem possuídos de temor e respeitro,fiéis ministros dos Vossos mistérios, prontos a todos os sacrifícios por amor de Vós e do próximo;dai-lhes coração puro,palavra eficaz,que Vos representem, irrepreensíveis à Vossa vista e de todo o povo cristão.

  Quarta-feira das temporas do Advento faz jejum para ter bons sacerdotes e boas colheitas.
   E antigamente no sábado seguinte sempre havia ordenações e  e alguns lugares guarda-se este constume das ordenações no sábado seguinte.

  Para quem pode,jejum é apenas um refeição grande no dia ou almoço ou jantar.
  No café da manhã um pão com água.
  Sem o lanche da tarde.
   

segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

Dogmas da Sacramento da Eucaristia

    A EUCARISTIA É VERDADEIRO SACRAMENTO INSTITUÍDO POR CRISTO
 

   O Concílio de Trento(1545-1563), sob Paulo III (1534-1549), declara:
·        "Se alguém disser que os Sacramentos da nova Lei não foram instituídos todos por Jesus Cristo, e que são sete: Batismo, Eucaristia... e que algum destes não é verdadeiro e propriamente Sacramento, seja excomungado."

Sagradas Escrituras:
·        Nosso Senhror Jesus Cristo instituiu a Eucaristia se vê em suas palavras: "Fazei isto em memória de Mim..." (Lc 22,19). Nelas se cumprem todas as notas essenciais da definição do Sacramento:
·        A matéria: o pão e vinho.
·        A forma: as palavras da consagração.
·        A graça interna: indicada e produzida pelo signo é a união com Cristo e a vida eterna:
1.     "Quem come Minha Carne e bebe Meu Sangue permanece em Mim e Eu nele" (Jo 6,56).
2.     "Aquele que come Minha Carne e bebe Meu Sangue tem a vida eterna." (Jo 6,54).
 
CRISTO ESTÁ PRESENTE NO SACRAMENTO DO ALTAR PELA TRANSUBSTANCIAÇÃO DE TODA A SUBSTÂNCIA DO PÃO EM SEU CORPO E TODA SUBSTÂNCIA DO VINHO EM SEU SANGUE
 
O Concílio de Trento (1545-1563), sob Júlio III (1550-1555), declara:
·        "Se alguém disser que no sacrossanto Sacramento da Eucaristia permanece as substâncias do pão e do vinho, juntamente com o Corpo e o Sangue de nosso Senhor Jesus Cristo, e negar aquela maravilhosa e singular conversão de toda a substância do pão e do vinho em Corpo e Sangue, permanecendo apenas as espécies de pão e vinho, conversão essa que a Igreja muito corretamente chama 'Transubstanciação', seja excomungado." (Dz. 884-877).

   "Transubstanciação" é uma conversão no sentido passivo; é o trânsito de uma coisa a outra. Cessam as substâncias de Pão e Vinho, pois sucedem em seus lugares o Corpo e o Sangue de Cristo. A Transubstanciação é uma conversão milagrosa e singular diferente das conversões naturais, porque não apenas a matéria como também a forma do pão e do vinho são convertidas; apenas os acidentes permanecem sem mudar: continuamos vendo o pão e o vinho, mas substancialmente já não o são, porque neles está realmente o Corpo, o Sangue, Alma e Divindade de Cristo.
Sagradas Escrituras:
·        Mc 14,22: "Tomai, este é Meu Corpo...".

   Os Dogmas nos levam a ter zelo em receber Nosso Senhor na  Hóstia Consagrada, dignamente BEM VESTIDOS, DE JOELHOS E NA BOCA (com atos externos e internos) pois estamos diante de Deus que mereçe toda a honra e toda a glória, não recebe-Lo na mão como se fosse um simples pedaço de pão.     


sexta-feira, 14 de setembro de 2012

Um presente aos devotos de Santa Teresinha

"Sim, desejo estas feridas do coração, estes golpes de espinhos que fazem sofrer tanto...
A todos os êxtases prefiro o sacrifício."
(3ª. carta à Madre Inês de Jesus)
















quarta-feira, 8 de agosto de 2012

Nossa Senhora e a Modéstia

Fonte: Maria Rosa
Por Pe. Jacques Emily
Traduzido por Andrea Patrícia

 Nossa Senhora: Fátima, Quito 
(Bom Sucesso), La Salette.d
Será que estamos nos últimos tempos? A nossa alma está em maior perigo de ser perdida para sempre nestes tempos do que nos séculos passados? São as palavras de São Paulo a Timóteo para o nosso tempo:
… Haverá um tempo em que não suportarão a sã doutrina, mas de acordo com seus próprios desejos, ajustarão mestres para si, tendo comichão nos ouvidos, e darão as costas à verdade, voltando-se às fábulas. (II Tm. 4,3-4)  
Últimos tempos
Para responder a estas perguntas Nossa Senhora chegou à montanha de La Salette e advertiu-nos:
No ano de 1864, Lúcifer, juntamente com um grande número de demônios, será solto do inferno. Eles vão pôr fim à fé pouco a pouco, mesmo naqueles que se dedicam a Deus. Eles irão cegá-los de tal maneira que, a menos que sejam abençoadas com uma graça especial, essas pessoas irão assumir o espírito desses anjos do inferno; várias instituições religiosas perderão toda a fé e perderão muitas almas.
Livros maus serão abundantes na terra e os espíritos das trevas espalharão por toda parte um relaxamento universal em tudo que concerne ao serviço de Deus. Os chefes, os líderes do povo de Deus negligenciaram a oração e a penitência, e o demônio obscureceu sua inteligência. Eles tornaram-se estrelas errantes que o velho demônio arrastará com sua cauda para fazê-los perecer.
Sim, os sacerdotes estão pedindo por vingança, e a vingança paira sobre suas cabeças. Ai dos sacerdotes e pessoas consagradas a Deus, que por sua infidelidade e suas vidas perversas estão crucificando o meu Filho de novo! (Virgem de La Salette, 19 de setembro de 1846).
Nossa Senhora continua em sua mensagem apocalíptica para descrever com precisão todo o flagelo que irá atingir a humanidade: a vinda do Anticristo, juntamente com suas perseguições contra os fiéis e contra a Igreja. Ela, então, acaba por descrever a derrota final de Satanás e seus anjos e, assim, o triunfo final de Deus sobre seus inimigos.
Agora, quando Nossa Senhora disse em 1846 que estes tempos terríveis começariam em 1864, uma vez que Lúcifer e um grande número de demônios foram soltos do inferno, ela realmente quis dizer que, a partir daquela data a humanidade não estaria mais no curso normal da história. Em 1864, a humanidade teria entrado no último período da saga terrena da humanidade, um período em que Satanás iria liderar sua batalha final sangrenta seduzindo e destruindo almas.
O Papa Leão XIII, que recebeu em 13 de outubro de 1884 uma revelação de que Deus tinha dado permissão a Satanás para tentar destruir a Sua Igreja, levou este aviso muito a sério e compôs as Orações Leoninas a serem ditas depois de cada Missa. Ele, em seguida, publicou para os sacerdotes e fiéis o famoso exorcismo de São Miguel contra Satanás e os anjos rebeldes para proteger a humanidade contra as pragas que viriam.
Mais tarde o próprio São Pio X não hesitou em referir as calamidades presentes, a grande perversidade das mentes e os esforços furiosos “para apagar a memória e o conhecimento de Deus”, como “a antecipação e, talvez, o início destes males reservados para os últimos dias “(E Supremi Apostolatus, 4 de outubro, 1903).
Irmã Lúcia, a vidente de Fátima, também está absolutamente convencida de que estamos vivendo nos últimos tempos: aqui está o que ela explicou ao padre Agustin Fuentes, o postulador da causa de beatificação de Francisco e Jacinta, em uma conversa realizada em 26 de dezembro de 1957: “A Santíssima Virgem não me disse que estamos nos últimos dias do mundo, mas ela me fez entender isso por três razões.”

1) A BATALHA FINAL: A primeira razão é porque ela me disse que o diabo está no meio de travar uma batalha decisiva contra a Virgem Maria. E uma batalha decisiva é a batalha final, onde um lado será vitorioso e o outro lado sofrerá a derrota. Assim, a partir de agora temos de escolher um dos lados. Ou somos de Deus ou somos do diabo. Não há outra possibilidade.
2) OS ÚLTIMOS REMÉDIOS: A segunda razão é porque ela disse aos meus primos, bem como a mim mesma, que Deus está dando os dois últimos remédios para o mundo. Estes são o Santo Rosário e a Devoção ao Imaculado Coração de Maria. Estes são os dois últimos remédios, o que significa que não haverá outros.
3) O PECADO CONTRA O ESPÍRITO SANTO: A terceira razão é porque, nos planos da Divina Providência, antes que Ele esteja prestes a castigar o mundo, Deus sempre esgota todos os outros recursos. Agora, quando Ele vê que o mundo não presta qualquer atenção, então, como dizemos na nossa maneira imperfeita de falar, Ele oferece-nos com um certo receio o último meio de salvação, a Sua Mãe Santíssima. É com um certo receio, porque se você despreza e repudia este último meio, não teremos mais o perdão do céu, porque vamos ter cometido um pecado que o Evangelho chama de pecado contra o Espírito Santo. Este pecado consiste em rejeitar abertamente com pleno conhecimento e consentimento, a salvação que Ele oferece. Lembremo-nos que Jesus Cristo é um filho muito bom e que Ele não permite que ofendam e desprezem a Sua Mãe Santíssima. Temos registrado através de muitos séculos de história da Igreja o testemunho evidente que demonstra, pelos castigos terríveis que se têm abatido sobre aqueles que têm atacado a honra de Sua Mãe Santíssima, como Nosso Senhor Jesus Cristo sempre defendeu a honra de Sua Mãe Santíssima.
Se considerarmos agora o colapso trágico na Igreja Católica desde o último Concílio, o que se torna óbvio com a assombrosa queda da prática religiosa e das vocações, com o fechamento e venda de tantas igrejas, conventos, mosteiros, a perda da fé e valores morais básicos entre os sacerdotes e os fiéis, juntamente com a vasta e terrível propagação da homossexualidade dentro dos seminários e dioceses – quem não consegue ver a aplicação literal das palavras de Nossa Senhora de La Salette para os nossos tempos?
Se considerarmos que a Universidade Gregoriana (sem dúvida a mais prestigiada das cadeiras Romanas de aprendizagem) não só ensina o ecumenismo, mas confia o curso a um herege formal e cismático como doutor Carey, ex-arcebispo de Canterbury (The Universe, 119, 4 de junho de 2003), quem não consegue ver que nós chegamos a realização da profecia acima citada de São Paulo a Timóteo? É razoável pensar que tal conduta também cumpre a profecia de Nossa Senhora em La Salette que “Roma perderá a fé?”.
Quando consideramos que, desde 1975, os homens tem legalmente matado 45 milhões de bebês por ano, mais de 1,27 bilhões de bebês que foram massacrados ao comando de sua própria mãe! Como não ver que a fúria de Satanás acostumada a cegar e corromper a humanidade atingiu um nível sem paralelo na História?
Quando consideramos o que foi alcançado em todo o mundo pelos governos maçônicos para destruir a família e para virar de cabeça para baixo todos os valores morais em que a civilização cristã foi baseada, não somos as testemunhas horrorizadas de um mundo engolfando-se em um estado de barbárie, que pode terminar apenas em sua própria destruição? Podemos deixar de ver na construção deste Governo Mundial Maçônico Único a realização da profecia de Nossa Senhora nos avisando que:
Todos os governos civis terão um e mesmo plano, que será abolir e acabar com todo princípio religioso, para abrir caminho para o materialismo, o ateísmo, espiritualismo, e vícios de todos os tipos.
É estonteante considerar até mesmo poucas das realizações deste “único e mesmo plano (Maçônico)”: a legalização do divórcio e do aborto, a acessibilidade mesmo para as crianças de todos os tipos de contracepção, a educação sexual nos programas escolares, a degradação das mulheres através de modas indecentes, homossexualidade, eutanásia, violência e pornografia nos meios de comunicação, filmes e teatro… Quem não consegue ver que esses crimes estão clamando ao céu por vingança e que a vingança deve acontecer em nossas próprias portas?
A sociedade dos homens está em vésperas dos mais terríveis flagelos e dos mais graves acontecimentos. A humanidade deve esperar ser governada com uma barra de ferro e beber do cálice da ira de Deus (Nossa Senhora em La Salette).
 A NOSSA ALMA ESTÁ EM PERIGO MAIOR?
Tendo essas considerações em mente, parece bastante óbvio, que de fato entramos nos últimos tempos. E para responder à segunda pergunta, no início desta carta, (isto é, qual o perigo para a nossa alma?), infelizmente devemos dizer que a resposta é igualmente óbvia. Quando clérigos dos mais altos escalões agem contrariamente aos interesses da Igreja e do bem das almas, quando a sociedade legisla contra a Lei Divina e Natural, quando todos os tipos de corrupção e vício são amplamente, constantemente, e facilmente acessíveis a todos, mesmo aos mais jovens – o que mais se poderia esperar do que um número muito maior de pessoas perdendo suas almas agora do que no passado?
Nossa Senhora tinha também particularmente anunciado em sua mensagem para a irmã Maria Anna de Jesus no Convento da Imaculada Conceição, em Quito, em 02 de fevereiro de 1634, essa situação terrível para os nossos tempos. Considere o que Nossa Senhora tinha a dizer 200 anos antes de sua mensagem em La Salette sobre os acontecimentos que atingem a humanidade em nossos dias:
No final do século XIX e por uma grande parte do século XX, várias heresias irão prosperar nesta terra que têm se tornado uma república livre. A preciosa luz da Fé vai se extinguir nas almas por causa da quase total corrupção moral: naqueles tempos haverá grandes calamidades físicas e morais, em privado e em público. O pequeno número de almas mantendo a fé e praticando as virtudes será submetido a sofrimento cruel e indescritível; através de seu longo martírio muitos deles morrerão por causa da violência de seus sofrimentos, e estes contarão como mártires que deram suas vidas pela Igreja ou pelo país. Escapar de ser escravizado por essas heresias exigirá grande força de vontade, constância, coragem e grande confiança em Deus…
Naqueles dias, o espírito de impureza como um dilúvio de imundície vai inundar as ruas, praças e locais públicos. A licenciosidade será tal que não haverá mais almas virgens no mundo.
Por ter ganhado o controle de todas as classes sociais, as seitas tendem a penetrar com grande habilidade nos corações das famílias para destruir até mesmo as crianças. O diabo vai ter glória em alimentar perfidamente o coração das crianças. A inocência da infância vai quase desaparecer. Assim vocações sacerdotais serão perdidas, será um verdadeiro desastre. Padres irão abandonar seus deveres sagrados e afastar-se do caminho traçado para eles por Deus. (Quito, Equador, 02 de fevereiro de 1634).
Nossas almas estão em perigo enorme de serem engolidas por essa onda formidável de apostasia e corrupção, que está devastando a Igreja e o mundo. Tão grande é o perigo que, antes de deixá-los, eu me sinto compelido a corresponder mais uma vez ao desejo de Nossa Senhora e passar a vocês suas advertências: “E assim, meus filhos, vocês irão passar isso para todo o meu povo”.
 AS TRÊS MENSAGENS
O conhecimento destas mensagens que citei ou referi (Quito, La Salette e Fátima) são tão importantes para a compreensão da terrível situação social e religiosa da humanidade em nossos tempos que nós nos comprometemos a reproduzi-las, a fim de torná-las mais amplamente disponíveis para o maior número possível. “Quanto mais ela se espalhar, mais irá despertar um medo salutar e numerosos retornos a Deus” (Melanie, vidente de La Salette).
A publicação deste livro que intitulamos The Three Messages [As Três Mensagens], infelizmente teve que ser adiada por algumas semanas devido à minha partida para os EUA, mas você já pode encomendá-lo [entre em contato com: St. George's House, 125 Arthur Road, Wimbledon Park, London, SW19 7DR, United Kingdom].
Essas advertências de Nossa Senhora também tornam evidente para todos os católicos que o dever de manter a fé e preservar a alma em estado de graça é muito mais exigente em nossos dias do que era no passado por causa do maior poder dos demônios, da crise sem precedentes na Igreja, e do estado geral de corrupção e apostasia do mundo. A fim de manter a verdadeira fé e de manter sua alma pura e limpa de qualquer pecado, o cristão terá então que fazer esforços especiais na prática das virtudes, na oração comum e na recepção dos sacramentos, juntamente com o fim das vaidades, prazeres e modas do mundo que são a causa de todos os tipos de tentações e pecados.
A Irmã Lúcia falou ao Padre Fuentes sobre a necessidade de cada católico de assumir para si o trabalho de sua própria santificação e não esperar por ajuda de Roma ou de assistência antes de começar. O que é uma declaração terrível para Roma vinda da vidente de Fátima, quando pensamos nisso, mas como são relevantes para as nossas próprias vidas quando vemos a falha completa da hierarquia modernista romana em levar almas para Cristo!
“Padre, não devemos esperar que um apelo ao mundo venha de Roma por parte do Santo Padre, para fazer penitência. Também não devemos esperar que o apelo à penitência venha de nossos bispos em nossa diocese, nem das congregações religiosas. Não! Nosso Senhor já usou muitas vezes estes meios e o mundo não prestou atenção. É por isso que agora, é necessário que cada um de nós comece a reformar-se espiritualmente. Cada pessoa deve não apenas salvar a sua própria alma, mas também as almas que Deus colocou em nosso caminho… O diabo faz tudo em seu poder para nos distrair e tirar de nós o amor pela oração, seremos salvos juntos ou seremos condenados juntos”. (Irmã Lúcia ao Padre A.Fuentes).
Que terrível risco correm aqueles católicos, por sua própria alma e pelas almas de seus filhos, que deliberadamente ignoram os avisos e pedidos de Nossa Senhora, negligenciam as orações, o rosário, e os sacramentos. Estes pobres católicos deixam que o espírito do mundo entre em sua casa; gradualmente tornam-se mornos e, pensando que são bons católicos, eles não vêem mais o grande perigo que ameaça a si mesmos e suas famílias. 
Legado Espiritual Através de Maria e com Maria
Por isso, meus queridos fiéis, como é agora a última carta que estou escrevendo para vocês antes da minha partida para os Estados Unidos, gostaria de deixar, como uma espécie de legado espiritual, estas advertências da própria Nossa Senhora, que quer mais do que ninguém preservar vocês e suas famílias da corrupção deste mundo, que quer a vossa santificação, que quer sinceramente a sua salvação e de seus filhos. Meu coração sacerdotal quer ecoar uma vez mais para as vossas almas as palavras de nossa Mãe celeste e tal qual ela, nela, através dela e com ela, quer clamar a você de novo: Acautelai-vos, meus queridos filhos, os tempos são maus, o mundo é corrupto, a própria Igreja Católica está profundamente ferida por seus próprios membros, a ira de Deus está próxima, e castigos terríveis devem vir para purificar o mundo dos seus pecados!
NÃO SIGA A NOVA RELIGIÃO, NÃO SIGA A MODA
Então, meus queridos amigos, tenham cuidado e ouçam com atenção: não sigam os clérigos modernistas e sua nova religião, nem aqueles que se comprometem com eles! Não sigam o mundo e suas modas, não deixem seus filhos queridos serem corrompidos pelo sistema escolar, pela televisão, má companhia, música ruim, má literatura… Que também nossas queridas mães sempre proporcionem, à imagem de Maria, um bom exemplo de modéstia cristã aos seus filhos. “Enquanto a modéstia não for colocada em prática, a sociedade vai continuar a degradar” disse o Papa Pio XII. “A sociedade revela o que é pelas roupas que veste“. Da mesma forma, uma pessoa se revela pelas roupas que ela está vestindo. Por exemplo, a moda hoje para as mulheres é ter decotes, camisas justas, calças apertadas [nota do blog A grande guerra: creio que faltou ressaltar que não é só o fato da calça ser apertada que a torna imodesta, é claro que isso aumenta o grau da imodéstia, todavia, o uso de calças por mulheres, mesmo  que larga, vai contra a natureza e aqui é que mora o maior perigo. Deixo link de um pequeno especial sobre esse assunto], vestidos justos e/ou curtos. Até pouco tempo atrás, esse tipo de vestuário era indicativo de uma mulher de má fama atraindo seus clientes para o pecado. Por qual mistério ou lógica são essas modas agora praticadas em famílias católicas?
Não somos as testemunhas horrorizadas dessas pessoas que, na maior desolação da Corte Celestial, para a alegria dos demônios, e para o escândalo das almas inocentes, se atrevem a entrar em tal vestimenta na Igreja e até mesmo se aproximar da mesa da comunhão? E o que é mais chocante é ver um certo número de pessoas (poucas, felizmente, entre nossos fiéis) que acham isso perfeitamente normal e aceitável. Não disse a vocês que entramos nos últimos tempos? Não são essas modas apontadas e condenadas por Nossa Senhora em Quito e La Salette? Deve-se, infelizmente, temer que somente os castigos que virão serão capazes de abrir os olhos de tantas pessoas cegas.
Essas formas impuras, que exaltam as formas do corpo e mostram a carne, revelam, como o Papa Pio XII diz, o que esta sociedade realmente é e aquilo que ele representa. Mas sabemos que esta sociedade, que promove estas modas impuras, é a mesma que promove a educação sexual para crianças, que vende e exibe contraceptivos e pornografia em todos os lugares, que aborta seus bebês e promove a homossexualidade. Como é, então, que as nossas mulheres cristãs podem seguir essas modas abomináveis, símbolos e expressões de todos esses crimes desta sociedade decadente? Que as nossas queridas senhoras católicas, que carregam a graça do batismo em suas almas, considerem sua responsabilidade ao fazê-lo! Que elas possam refletir sobre as lágrimas de Nossa Senhora do Monte de La Salette e que elas possam, por amor de Deus e de Maria, nunca mais seguir essas modas que estão arrastando almas para o inferno. Não é porque é a “última moda” e porque “todo mundo faz” que a falta de modéstia não é mais pecado. Deus não mudou Sua lei, e as palavras do Espírito Santo pela boca de São Paulo ainda se aplicam em 2003!*
Ora, as obras da carne são manifestas. São elas: fornicação, impureza, imodéstia… Eu digo a você, como eu já predisse a vocês, que os que cometem tais coisas não irão obter o reino de Deus. (Gl 5,19-21)
Saibam e entendam que nenhum fornicador, ou impuro, ou avarento (por que é idolatria) tem qualquer herança no reino de Cristo e de Deus. Que ninguém vos engane com palavras vãs, pois é por causa destas coisas que a ira de Deus vem sobre os filhos da desobediência. Então, não se tornem cúmplices deles. (Ef 5,5-7)
Mais uma vez, vamos prestar atenção ao aviso de Nossa Senhora: “Virá um tempo em que certas modas ofenderão muito Nosso Senhor. As pessoas que servem a Deus não devem seguir esses estilos.” (Nossa Senhora de Fátima, 1917). Estas “certas modas” são as de hoje que estamos denunciando “na estação, fora da estação”, porque muitos perderam o senso de decência e ignoram completamente a nobreza e o valor de modéstia. Tão poucos ouvem as advertências de Nossa Senhora! É muito mais fácil seguir as modas do mundo, a fim de evitar ser retratado como “antiquado”, “tacanho”,” fanático”, e assim por diante. Então muitos católicos, infelizmente, acham que esta questão de moda é uma questão sem importância, e nós poderíamos ter concordado com eles, se só a Virgem Maria, São Paulo, os Papas e tantos santos não tivessem insistido tanto sobre este assunto, indicando que ele está longe de ser apenas uma ninharia. Aqui está o que Jacinta, repetindo quase palavra por palavra da advertência de Nossa Senhora, tem a dizer sobre isso: “Os pecados que lançam a maioria das almas para o inferno, são os pecados de impureza. Certos estilos que serão inventados irão ofender muito Nosso Senhor. As pessoas que servem a Deus não devem seguir essas modas.”.
UM PLANO MAÇÔNICO
Aqui reside a chave para este mistério ou lógica mencionada acima. Como é possível que essas modas que ofendem muito Nosso Senhor, e que eram antes a marca distintiva da profissão mais famosa do mundo, têm vindo a ser adotadas por famílias cristãs? A pequena Jacinta, inspirada por Nossa Senhora, responde a questão e nos diz que essas modas serão inventadas. Estejamos bem conscientes, meus caros amigos, que foram inventadas por ninguém menos que a seitas Maçônicas que tem a intenção de servir ao diabo e destruir a Igreja Católica. Por favor, preste especial atenção ao que eles têm a dizer sobre essa invenção diabólica que eles têm fomentado em suas Lojas:
“O catolicismo não teme uma espada muito afiada mais do que os monarquias temiam. Mas estes dois fundamentos da ordem social podem entrar em colapso sob a corrupção; nunca nos cansemos de corrompê-los. Tertuliano estava certo em dizer que do sangue dos mártires nascem cristãos; não vamos fazer mártires; mas vamos popularizar o vício entre as multidões; que eles possam respirar isso por meio de seus cinco sentidos; que eles possam beber e ficar saturados. Faça corações perversos e não haverá mais católicos.
É a corrupção em grande escala que empreendemos… a corrupção que deve um dia permitir-nos conduzir a Igreja à sua sepultura. Ultimamente, eu ouvi um dos nossos amigos rindo filosoficamente sobre nossos projetos, dizendo: “Para destruir o catolicismo, devemos acabar com as mulheres.” A ideia é boa de certa forma, mas já que não consegue se livrar das mulheres, vamos corrompê-las com a Igreja. Corruptio optimi, pessima. A melhor adaga para atacar a Igreja é a corrupção.” (Carta de Vindice para Nubius; [pseudônimos dos 2 líderes da Alta Vendita Italiana] datada de 09 de agosto de 1838)
Esta carta revelando a invenção diabólica denunciada por Jacinta foi escrita apenas oito anos antes da mensagem de Nossa Senhora em La Salette! Nós temos a forte impressão ao ler a mensagem de La Salette e esta carta de Vindice, de que Nossa Senhora, em certo sentido, fez o último alerta público à Igreja e a todos os católicos contra o perigo vindo deste ataque vicioso e diabólico pelos Maçons. É uma pena que tantos católicos desistiram desta batalha pela modéstia quando os Maçons não desistiram! Se para os católicos liberais a modéstia não tem importância, certamente não é assim para eles! Esta citação de uma carta escrita noventa anos depois da de Vindice, mostra a determinação e a tenacidade impressionante com as quais eles têm feito frutificar o seu plano.
“A religião não teme a ponta da adaga, mas pode desaparecer sob a corrupção. Não vamos nos cansar corrompê-la: nós podemos usar um pretexto como esporte, higiene, saúde. É necessário corromper, que nossos meninos e meninas pratiquem o nudismo no vestuário. Para evitar muita reação, seria preciso progredir de forma metódica: despirem-se, em primeiro lugar até o cotovelo, em seguida, até os joelhos, em seguida, braços e pernas completamente descobertos, mais tarde, a parte superior do tórax, os ombros, etc. etc.” (Revista Internacional da Maçonaria, 1928).
Por isso, meus queridos amigos, é de joelhos e em nome de Nossa Senhora que eu peço, depois de ler essas citações à luz das três grandes mensagens de Nossa Mãe do Céu, para compreender de onde essas modas imodestas e indecentes vêm. Elas são a realização de um plano diabólico para destruir suas famílias, a sociedade e a Igreja Católica. Este colapso de todos os valores morais, que destroem tudo que leva o nome de Cristo, foi anunciado por Nossa Senhora para os tempos em que estamos agora. É por isso que, depois de termos sido informados desse plano maçônico e das mensagens de Nossa Senhora, já não podemos ingenuamente pensar que essas “novas modas” são apenas o resultado normal das mudanças na sociedade e que elas não são tão seriamente erradas quanto eram antes! Não, meus caros amigos, não sejam seduzidos pelo canto das sereias dos tempos modernos e não pensem que esta maré suja, que tem devastado nossos países ocidentais e a Igreja, é uma evolução dos costumes inocentes que podemos seguir impunemente.
É por isso que, com Maria e por Maria, peço-lhe novamente, pela santificação e salvação de sua alma: “Não sigam essas novas modas, elas ofendem muito Nosso Senhor e elas levam as almas para o inferno”.
As palavras de Nossa Senhora, o ensinamento dos Papas, os exemplos dos santos e o conhecimento dos planos diabólicos da Maçonaria para destruir a Igreja Católica através da imodéstia e “liberalização” da mulher devem ser suficientes para convencer todos os católicos a impedir tais modas e princípios de entrar em suas casas. Mas não nos esqueçamos de que este ensinamento de Nossa Senhora e da Igreja é antes de tudo e principalmente com base no ensinamento de Nosso Senhor no Evangelho e nas abundantes referências nas epístolas de São Paulo sobre este assunto. Quando Jesus diz: “Mas eu vos digo que quem olhar com cobiça para uma mulher, já adulterou com ela em seu coração” (Mt. 5,28), podemos estar certos de que se os homens são seriamente culpados pelo seu olhar de cobiça sobre as mulheres, também, as mulheres certamente não são inocentes por oferecerem novamente a maçã para comer, nem por quebrar as normas da modéstia estabelecidas pela Igreja. É então sobre essa declaração clara de Nosso Senhor que devemos basear o nosso julgamento em relação à moda, música moderna, danças, filmes, e todos esses tipos de entretenimento. A questão que um católico deve se perguntar sobre essas coisas não é se elas são atuais, na moda, ou se todo mundo está fazendo isso, mas se são para si e para outros uma ocasião de pecado. Não é por outra razão, por exemplo, que a música Rock’n ‘Roll é tão má, porque essa música e sua dança são uma incitação direta e voluntária às paixões e todos os tipos de impureza. “Foge do pecado como da face de uma serpente, pois se tu vens perto deles, eles vão tomar conta de ti” (Eclesiastes 21,2).
Coragem! A Graça tem abundado ainda mais!
Bem, meus queridos amigos, agora é tempo de concluir esta carta já muito longa, e recomendo a vocês novamente uma maior vigilância nestes tempos conturbados sobre as vossas almas e as almas de seus filhos. Nossas almas estão, de fato, em maior perigo nestes dias dos últimos tempos, mas não vamos desanimar e não nos esqueçamos de que Deus, em Sua infinita misericórdia nos dará ainda mais abundantes graças para superar essa dificuldade tremenda. Ele prometeu que Ele nunca nos deixará ser tentados além de nossas forças, e São Paulo nos assegura que: “onde a ofensa tiver abundado, a graça tem abundado ainda mais” (Rom. 5,20).
Vão então com confiança a esta fonte de graças que é o Sagrado Coração de Jesus, e Ele derramará Sua misericórdia em abundância nas vossas almas. Consagrem as suas famílias ao Coração Sacratíssimo de Jesus e rezem o rosário todos os dias com toda a família. Lembre-se das palavras da Irmã Lúcia: “Agora é necessário que cada um de nós comece a reformar-se espiritualmente” É por isso que eu sinceramente incentivo-os a ir a um bom retiro em Bristol, a fazer todos os esforços possíveis para ir regularmente à confissão, e para fazer de suas comunhões fervorosas e frequentes os mais importantes e solenes momentos da sua vida. Que o Imaculado Coração de Maria seja o refúgio que levará suas almas ao céu, e que ela possa manter sempre as vossas famílias queridas sob a sua mais especial proteção. 
Pe. Jacques Emily é da FSSPX.
Original aqui.

sexta-feira, 3 de agosto de 2012

Pensamentos de Santa Teresinha

"Pensamentos de Santa Teresinha"
Mais informações sobre a venda do nosso livro clique aqui!

Mês de Agosto



1.Na visita de Nosso Senhor não busca a minha própria satisfação, senão unicamente o dar gosto a Jesus.

2.Lembra-vos desta palavra tão verdadeira da imitação: Assim que uma pessoa busca o próprio interesse, logo desmerece no amor.

3.Ó meu Jesus, bem sabeis que não é pela recompensa que vos sirvo, mas unicamente porque vos amo e para salvar as almas.

4.Viver de amor é dar sem medida, Sem na terra o salário reclamar; Ah! Sem conta vou dando, convencida. Que, quem ama, não sabe calcular.

5.Si vós ignorásseis o meu sofrimento, ó Jesus, continuaria a sentir-me feliz de sofrer, na esperança de poder impedir, com minhas lagrimas, ou reparar, talvez, uma só falta contra a fé.

6.Estas palavras de Isaias: Ele está sem beleza, sem brilho; o seu rosto estava como escondido: “nós o vimos e não o reconhecemos”- formamos toda a base da minha devoção á Santa Face, ou, para melhor dizer, de toda a minha piedade; também eu anelava ser como Jesus, sem brilho, sem beleza, desconhecida das criaturas.


7.Descobri que todas as almas têm mais ou menos os mesmos combates; de outro lado vi que há entre elas grandíssima diferença, de sorte que não é possível dirigi-las da mesma maneira.

8.Sinto-me feliz em morrer aos 24 anos, porque, antes desta idade, geralmente, ninguém é ordenado sacerdote, de modo que Deus, chamando-me a si, poupa-me o pesar de ter passado pela terra sem o ter sido e sem a esperança de o ser algum dia. (Lembranças)

9.Para que uma repreensão produza fruto, é necessário que seja penoso fazê-la, e que no coração não se tenha nem sombra de qualquer paixão.

10.Na hora da minha morte, quando vir Deus tão misericordioso e pensar que Ele há de me cumular de suas ternuras por toda a eternidade, e que eu, da minha parte, nunca mais lhe poderei provar a minha por meio de sacrifícios, ser-me-á impossível suportar tal idéia, si não tiver feito na terra “tudo” o que tiver podido para “dar-lhe prazer”.

11.Senti grandes desejos de não a Deus e de não achar senão Nele só minha alegria.

12.Cada vez que encontrava uma irmã que me era pouco simpática, pedia a Deus por ela, oferecendo-lhe todas as suas virtudes e merecimentos. Sentia bem que isso alegrava o meu Jesus, pois não há artista que não goste de receber louvores pelas suas obras, e o Divino Artista das almas regozija-se quando não nos detemos no interior, mas, penetrando até ao santuário intimo que Ele escolheu para morada, admiramos-lhe a beleza.

13.O bom Deus, que tanto nos ama, já sofre bastante, vendo-se obrigado a deixar-nos no exílio, cumprindo o nosso tempo de provação. Não estejamos, pois, a repetir lhe continuamente que nos sentimos mal; “nem sequer devemos dar mostras de percebê-lo!” (Lembranças)

14.Si soubésseis como Deus será bondoso para comigo no seu julgamento! Mas ainda mesmo severo, eu, que o conheço a fundo, achá-lo-ia ainda benigno. (Novíssima Verba)

15.Para que, meu Jesus vos servirá as minhas flores e os meus cânticos? Até, bem sei, essa chuva perfumada, essas pétalas frágeis e de nenhum valor, esses cânticos de amor de um coração tão pequenino vos encontrarão assim mesmo. (Historia de uma alma)

16.Sim, cantarei, cantarei sempre, mesmo que me seja preciso colher as minhas rosas no meio dos espinhos, e o meu cantar será tanto mais melodio som quanto mais longos e pungentes forem os espinhos. (Historia de uma alma)

17.Oh! Sim, a nossa vida é um campo de batalha. Gememos nas margens dos rios da Babilônia, como poderíamos cantar o cântico do Senhor, numa terra estrangeira? Entretanto, cumpre-nos cantar, para que a nossa vida seja uma eterna melodia.

18.Jesus ensina-me a tirar proveito de tudo, do bem e do mal, que encontra em mim. Ensina-me a jogar no banco do amor.

19.Há almas que a misericórdia de Deus não se cansa de esperar, ás quais vai proporcionando gradualmente as suas luzes.

20.“O meu Deus, bem o sei, o amor; por isso procurei e achei o meio de aliviar o meu coração, pagando-vos amor com amor”.

21.Aceito tudo por amor do meu Deus, ainda os pensamentos mais extravagantes que me vem ao espírito.
 
22.“O Senhor há de operar, em meu favor maravilhas que ultrapassarão infinitamente os seus imensos desejos”, disse profeticamente Santa Teresinha.

23.Asseguro-vos que, si estiver nos desígnios de Deus enviar-me para o purgatório, ficaria muito contente. Sei muito bem o que eu hei de fazer: imitarei os três jovens hebreus na fornalha ardente, passarei também eu no meio das chamas “Entoando o Cântico do Amor”.

24.“O meu céu e ficar sempre em sua presença, É ser sua filhinha e chamá-lo o meu Pai: Em seus braços não temo o temporal desfeito. O total abandono, eis minha lei. Oh! Sim! Chegar-me á sua Face e dormir no seu peito, Eis o céu para mim”.

25.Antes de atender a todos que me invocarem, procurará primeiramente fitar os olhos de Deus para ver si não peço alguma coisa contra a sua vontade.

26.Quiseram ver-vos sempre como um valoroso soldado que acha sempre mui graves as feridas de seus companheiros e olham as suas próprias apenas como arranhões.

27.“O meu Jesus! pelejarei por vosso amor até ao ocaso da minha vida, quero seguir vosso exemplo. Ardo em desejos de combater por vossa gloria; suplico-vos, fortalecei minha coragem, arma-me para luta”.

28.“Vamos filhinha não ouve absolutamente as harmonias celestes; a sua viagem de núpcias é bem Arida! Julgais, por acaso, que se aflige? Não! Pelo contrario, sente-se feliz de seguir o seu Noivo só por Ele e não por causa dos seus dons. Ele só tão belo! Tão encantador! Mesmo quando se cala, mesmo quando se cala mesmo se oculta!” (Carta á irmã Maria do Sagrado Coração- 4 de Setembro de 1890).

29.Em minhas relações com Jesus, nada: secura, sono! Ah! Si o meu Amado também Ele quer dormir, não lhe impedirei; sinto-me imensamente feliz, vendo que não me trata como a uma estranha, que não faz cerimônias comigo, pois vos asseguro que Ele nada faz para entreter a conversa. (Carta a M. Inez de Jesus1889).

30.“Quiseram partir para Hanói a fim de sofrer muito por Deus; quiseram partir para lá, a fim de me encontrar inteiramente só, sem ter alegria na terra. ( Novíssima verba)

sábado, 14 de julho de 2012

Pensamentos de Santa Teresinha

"Pensamentos de Santa Teresinha"
Mais informações sobre a venda do nosso livro clique aqui!

Mês de Julho

1. “Oh! Deve se julgar toda mortificação louvável e meritória, quando se está persuadido que Deus é quem a pede. Si houver engano na ação, Ele se deixa enternecer pela intenção”. (Conselho e Lembrança)

2. “Quando oro por alguma intenção, não ofereço os meus sofrimentos, digo simplesmente: Meu Deus, daí a esta alma tudo que desejo para mim”.

3. Por isso mesmo que sinto dores muito fortes, procuro amar o sofrimento e mostrar-lhe sempre bom rosto.

4. “Quando me acontece cair nalguma falta, levanta-me prontamente. Um olhar a Jesus, e o recolhimento de nossa própria miséria tudo repara.”

5. Quando mais a alma renunciar a satisfações naturais, tanto mais forte e desinteressada se tornará a sua ternura. (Historia de uma Alma, c.X)

6. “Qual seria vosso merecimento, dizia a uma de suas noviças, si houvésseis de combater quando sentis coragem? Que importa que a não sintais, contato que procedais corajosamente?”

7. Orais pelos pobres doentes, próximos á morte, si soubésseis quão pouco basta para fazer perder a paciência!...

8. “Jamais pedi a Deus a graça de morrer jovem: ter meia parecido covardia”.

9. “Quisera ser missionário, não só durante alguns anos, mas quiseram tê-lo sido desde a criação do mundo, e assim continuar até á consumação do século”.

10. Como é fácil agradar a Jesus, arrebatar-lhe o coração!Basta só amá-lo sem olhar para si mesmo, sem examinar demasiadamente os próprios defeitos.

11. 11- Quanta vez pensa que todas as graças de que tenho sido cumulada devo, talvez, ás instancias de alguma pequenina alma que somente no céu irei conhecer.

12. Desde que a alma deixa de consultar a bussola infalível da obediência, logo se perde em caminhos áridos, aonde a água da graça em pouco tempo lhe vem a faltar.

13. “Embora sem desprezar os belos pensamentos que nos unem a Deus, compreendo, entretanto, há muito, que precisamos estar alerta, afim de nos não apoiarmos demasiadamente neles. As mais sublimes inspirações nada são sem obras”.

14. “Demos tudo a Jesus com generosidade, sejamos pródigos para com Ele”.

15. “Quero adquirir méritos, mas não para as necessidades da Igreja, em uma palavra,para atirar rosas ao mundo todo,aos justos e pecadores”.

16. “Sinto-me livre, sem temores, e, si aprouver ao bom Deus,de bom grado consinto que minha vida de sofrimentos de corpo e de espírito se prolongue por muitos anos.Oh! não temo a vida longa,não recuso o combate”.

17. “Quando agradeço ao Senhor por não me ter feito encontrar senão amarguras nas amizades da terra!Com coração como meu, ter-me-ia deixado prender e cortar as asa; e,depois como poderia voar e repousar?”.

18. “Devemos fazer tudo da nossa parte, dar sem medida, provar o nosso amor por todas as boas abras que estiverem ao nosso alcance. Mas como,na realidade,tudo isso é bem pouca coisa, urge que ponhamos toda a nossa confiança naquele que,só,pode santificar as ações, e que nos confessemos servos inúteis, esperando, porém, ao mesmo tempo, que Deus nos há de dar, pela sua graça, tudo o que desejamos”.

19. Suplico-vos, ó Jesus, tirai-me a liberdade de vos desagradar.

20. Sim, num ato de amor, mesmo não sensível, tudo é reparado, até sobrepujado. Jesus sorri e nos auxilia sem parecer.

21. Quando voltamos para Jesus, Ele nos ama ainda mais do que antes da nossa falta.

22. Nunca desejei morrer num dia de festa, a minha morte será por si mesma uma festa bastante bela!

23. A mim, Deus deu a sua misericórdia infinita... Tendo apenas uma aspiração: amá-la até morrer de amor.

24. A morte de amor que aspiro é a morte de Jesus na cruz.

25. O amor atrai o amor, o meu arroja-se para vós, querendo encher o abismo que atrai.

26. Entendi que o amor encerra todas as vocações, que o amor é tudo, que abrange todos os tempos e lugares, porque é eterno.

27. Não sou como outrora, na minha infância, acessível a qualquer dor, estou como ressuscitada toda, não estou mais no lugar em que julgam. Cheguei ao ponto de não poder sofrer, porque todo sofrimento me é suave.

28. Desde que me coloquei nos braços de Jesus, sou semelhante ao vigia que do mais alto torreão do castelo forte observa o inimigo. Nada me escapa; ás vezes, fico espantada de ver as coisas tão claramente.

29. Si todos soubessem o que lucra quem se nega em todas as coisas!...

30. Só a caridade pode dilatar o meu coração. Oh! Sim, a recompensa é grande já desde este mundo. Neste caminho só o primeiro passo custa.

31. Assemelho-me a uma criancinha bem pequenina; nada sofro, penso simplesmente de instante a instante, sem mesmo preocupar-me do que se vai seguir.

sábado, 30 de junho de 2012

A fumaça de Satanás


101 motivos para duvidar
da versão do Cardeal Bertone

Dos motivos 70  ao  mais o video 101


70. Depois de Socci ter mostrado de forma conclusiva que há (ou havia) um texto do Segredo guardado nos aposentos papais, Bertone, quando apareceu no Porta a Porta, começou a insistir num texto "autêntico" no arquivo do Santo Ofício, ao mesmo tempo que ignorava ou recusava responder a todas as perguntas sobre um texto nos aposentos papais, cuja existência acabou finalmente por admitir (através de DeCarli) em Setembro de 2007.

71. Em vez de dizer claramente no Porta a Porta que tinha revelado todo o Terceiro Segredo de Fátima, e que não havia outros textos relacionados com ele (fossem eles considerados "autênticos" ou não), Bertone apenas declarou que ele e os seus colaboradores decidiram "publicar tudo o que
existia de facto no arquivo do Santo Ofício...", quando sabia muito bem que o ponto escaldante da
controvérsia era precisamente o texto que não estava naquele arquivo, mas nos aposentos papais.

72. Durante o programa de rádio de 6 de Junho de 2007, Bertone disse que estava "firmemente convencido" de que não havia outro texto relativo ao Segredo, embora, se tivesse realmente
perguntado à Irmã Lúcia, e se ela lhe tivesse mesmo dito categoricamente que não havia outro
texto além do texto da visão, ele não faria este comentário como uma mera convicção pessoal.

73. Durante o mesmo programa de rádio, Bertone disse que a sua "convicção" de que não havia outro texto do Segredo baseava- -se "na documentação que estava no Arquivo Secreto do Santo Ofício" ­ concentrando-se, mais uma vez, no que estava no arquivo, quando sabia muito bem que havia um texto nos aposentos papais, sendo ele o texto contido no "envelope Capovilla" que nunca
mostrou, e cuja existência não estava registada no arquivo.

74. Durante o programa de rádio, Bertone disse ainda que baseava a sua "convicção firme" naquilo a que chama "declarações explícitas da Irmã Lúcia na presença do Bispo de Fátima"­­ declarações
essas que nunca tinha mencionado nos sete anos anteriores; e não citou nenhuma dessas
"declarações explícitas".

75. Durante o programa de rádio, Bertone não mencionou a sua asserção anterior (anunciada de súbito n'A Última Vidente, publicado depois da morte de Lúcia) de que Lúcia lhe dissera, numa data desconhecida, que "Sim, este é o Terceiro Segredo, e eu nunca escrevi outro". Bertone agora
apoiou- -se em "declarações explícitas" da Irmã Lúcia, nunca antes mencionadas (e ainda não
citadas) e ditas na presença do Bispo D. Serafim.

76. Mas quando D. Serafim apareceu no programa da Telepace em 21 de Setembro de 2007, não corroborou quaisquer "declarações explícitas" de Lúcia sobre a alegada não-existência de outro texto do Segredo; lendo um guião preparado, sublinhou que não tinha "nada, quase nada" a dizer, e fez notar cuidadosamente que iria testemunhar "apenas um facto": que Lúcia confirmara que o texto da visão era autêntico, o que não estava em causa.

77. Quanto à existência de outro texto, D. Serafim afirmou misteriosamente que o Terceiro Segredo tinha sido revelado "de forma autêntica e integral" ­ juntando-se a Bertone ao sublinhar um "texto
autêntico" em vez de simplesmente declarar sem ambiguidade que não há absolutamente mais nenhum texto referente ao Segredo, fosse ele autêntico ou "não autêntico".
Bertone apoiou-se numa "carta" falsa "de Lúcia"que nem sequer lhe pediu que autenticasse.

78. Na Mensagem, Bertone não citou nenhum depoimento directo de Lúcia de que a consagração do mundo de 1984 chegava para consagrar a Rússia, embora tivesse "entrevistado" Lúcia semanas antes da Mensagem ser publicada (a suposta entrevista de 27 de Abril de 2000) e ter podido obter
com facilidade um depoimento nesse sentido, se Lúcia quisesse dá-lo.

79. Em vez disso, a Mensagem em 2000, e A Última Vidente em 2007, apoiaram-se numa carta feita a computador em 1989 e dirigida a um destinatário não identificado, embora se saiba geralmente que essa carta era uma falsificação óbvia, porque continha erros que Lúcia não podia ter cometido,
e porque Lúcia nunca usara um computador para escrever cartas (especialmente numa altura em que a era dos computadores pessoais estava no começo).

80. Bertone nunca pediu a Lúcia para autenticar esta carta durante as três entrevistas com a vidente, que duraram ao todo dez horas. Ou, alternativamente, pediu-lhe para a autenticar, ela negou- -se a fazê-lo, e Bertone escondeu este facto.

81. Tentando autenticar a carta, Bertone disse em 2005 que "para o fim, Lúcia até usava o computador," mas em 2007 (n'A Última Vidente) declarou que Lúcia "nunca trabalhou com o computador".
Bertone apresentou traduções enganadoras de uma carta que Lúcia supostamente enviou ao Papa em 1982.

82. Na Mensagem, Bertone e os seus colaboradores publicaram um fragmento de uma carta que Lúcia supostamente enviara a João Paulo II em 1982 sobre o conteúdo do Terceiro Segredo; nada no
fragmento indica que foi endereçada ao Papa, e não foram mostradas nem o princípio nem a
página com a assinatura.

83. A frase no fragmento original "A terceira parte do segredo, que tanto ansiais por conhecer..." prova que a suposta carta não podia ter sido endereçada ao Papa, porque o Papa não podia estar "tão ansioso por conhecer" o Segredo que já tinha lido antes de 1982.

84. Sabendo isso, Bertone e os seus colaboradores cortaram sistematicamente a frase "que tanto ansiais por conhecer" de todas as traduções do fragmento, sem usar reticências para indicar a omissão. (Cf. Apêndice IV.)

85. Mesmo assim, o fragmento da suposta carta destrói a "interpretação" de Bertone da visão do Bispo vestido de branco como tendo-se cumprido com a tentativa de assassínio de 1981, porque o
fragmento, escrito um ano depois do atentado, não só não se refere a ele como informa "o Papa" de
que, "se não vemos ainda, como facto consumado, o final desta profecia, vemos que para aí caminhamos a passos largos..."
Nunca deixaram que Lúcia falasse em pessoa.

86. Embora Bertone afirmasse que não havia mais nada a revelar do Terceiro Segredo desde a
publicação da visão em 26 de Junho de 2000, ele e os seus colaboradores nunca permitiram que a
Irmã Lúcia testemunhasse em pessoa sobre estes assuntos em qualquer altura.

87. Não permitiram que a Irmã Lúcia participasse na conferência de imprensa em que a visão foi revelada, e ela nem sequer foi autorizada a vê-la na televisão.
O livro de Lúcia não corroborou nenhuma das afirmações de Bertone.

88. Quando a Irmã Lúcia escreveu um livro inteiro sobre a Mensagem de Fátima para "dar resposta, de forma global, às múltiplas interpelações recebidas ... não conseguindo responder individualmente a todas as pessoas", o livro não respondia a uma única pergunta sobre a controvérsia do Terceiro Segredo (ou a Consagração da Rússia), e nem sequer mencionava o Terceiro Segredo (ou a Consagração).

89. O livro da Irmã Lúcia não corroborou uma única declaração que Bertone lhe atribuiu, com base nas suas alegadas dez horas de conversas não gravadas com a vidente.
Bertone falou muitas vezes, mas evitou todos os problemas e todos os inquiridores independentes.

90. Apesar de ter escrito um livro e de ter aparecido por duas vezes na televisão e uma vez num programa de rádio, tentando defender a sua versão, Bertone nem uma única vez se referiu pessoal
diretamente a qualquer um dos pontos cruciais da controvérsia do Terceiro Segredo, acima tratados.

91. Bertone nunca negou explicitamente, por palavras suas, que havia um texto referente ao Terceiro Segredo, contendo as palavras da Virgem Maria que explicam a visão e / ou acrescentam o que o "etc." de Lúcia indica.

92. Bertone recusou-se a responder a perguntas de qualquer jornalista independente sobre a
controvérsia, embora até o próprio Papa aceite perguntas de representantes da imprensa.

93. Bertone nem sequer falou com Socci sobre a controvérsia, na altura em que Socci, que conhecia pessoalmente, estava disposto a defender a sua posição (de Bertone).

94. Socci, um dos Católicos mais famosos e respeitados da Itália, foi fisicamente expulso do local do programa da Telepace como se fosse um vulgar intruso, depois de Bertone ter literalmente fugido da sua pergunta, entrando no auditório por uma porta lateral.

95. Não tendo dado respostas directas, ao longo de sete anos, a qualquer das questões mais importantes da controvérsia ­ e tendo apenas, de facto, dado mais provas de um encobrimento ­Bertone continuou a insistir que todas as perguntas estavam respondidas.
A Santa Sé e o Papa não deram apoio oficial à versão de Bertone nem criticaram Socci.

96. A Santa Sé não deu uma resposta oficial ao depoimento de Capovilla, ao depoimento relatado do Cardeal Ottaviani, ou à hipótese de AntonioSocci, publicitada internacionalmente, de que havia um encobrimento, feito pelo Vaticano, de um texto do Terceiro Segredo.

97. A Santa Sé não apresentou uma defesa oficial da posição de Bertone, que ele defendeu por sua iniciativa e em intervenções privadas: no seu livro, em dois programas de televisão e num
programa de rádio.

98. O Papa não fez qualquer declaração, oficial ou não, sobre o depoimento de Capovilla, o depoimento relatado do Cardeal Ottaviani, ou a acusação pública que AntonioSocci fez de um encobrimento do Vaticano.

99. Por outro lado, o Papa escreveu uma carta pessoal a Socci, agradecendo-lhe o seu livro e "os sentimentos que o sugeriram" (escrevendo, ao mesmo tempo, uma carta de introdução ao livro de
Bertone, mas evitando quaisquer pormenores da controvérsia do Terceiro Segredo).

100. A carta do Papa a Socci nem sequer sugeria que este fez acusações falsas, embora Socci tivesse publicamente posto em questão a veracidade de toda a versão de Bertone e acusasse Bertone e os seus colaboradores de esconder da Igreja e do mundo um texto com as palavras da Mãe de Deus.

101. Nem o Papa nem a Santa Sé fizeram qualquer declaração, oficial ou não oficial, no sentido da não existência do texto que Socci insiste que existe mas está a ser abafado, ou até qualquer declaração que mencionasse a controvérsia entre Socci e Bertone.

Vídeo: A ocultação do Terceiro Segredo de Fátima - Parte 06 de 06