quarta-feira, 19 de setembro de 2018

Quarta-feira das Quatro têmporas

19/09 Quarta-feira
Festa de Segunda Classe
Paramentos Violeta

Leitura da Epístola do Profeta

Neemias 8, 1-10                                                                                         
1. Todo o povo se reuniu então, como um só homem, na praça que ficava diante da porta da Água, e pediu a Esdras, o escriba, que trouxesse o livro da Lei de Moisés, que o Senhor havia prescrito a Israel. 2. O sacerdote Esdras trouxe a lei diante da assembléia de homens, mulheres e de todas (as crianças) que fossem capazes de compreender. Era o primeiro dia do sétimo mês. 3. Esdras fez então a leitura da lei, na praça que ficava diante da porta da Água, desde a manhã até o meio-dia, na presença dos homens, mulheres e das (crianças) capazes de compreender; todos escutavam atentamente a leitura. 4. O escriba Esdras postou-se num estrado de madeira que haviam construído para a ocasião; a seu lado encontravam-se, à direita, Matatias, Semeías, Anias, Urias, Helcias e Maasias; à esquerda, Fadaías, Misael, Melquias, Hasum, Hasbadana, Zacarias e Mosolão. 5. Esdras abriu o livro à vista do povo todo; ele estava, com efeito, elevado acima da multidão. Quando o escriba abriu o livro, todo o povo levantou-se. 6. Esdras bendisse o Senhor, o grande Deus; ao que todo o povo respondeu, levantando as mãos: Amém! Amém! Depois inclinaram-se e prostraram-se diante do Senhor com a face por terra. 7. E Josué, Bani, Serebias, Jamin, Acub, Seftai, Odias, Maasias, Celita, Azarias, Josabed, Hanã, Falaías e outros levitas explicavam a lei ao povo, e cada um ficou no seu lugar. 8. Liam distintamente no livro da lei de Deus, e explicavam o sentido, de maneira que se pudesse compreender a leitura. 9. Depois Neemias, o governador, Esdras, sacerdote e escriba, e os levitas que instruíam o povo, disseram a toda a multidão: Este é um dia de festa consagrado ao Senhor, nosso Deus; não haja nem aflição, nem lágrimas. Porque todos choravam ao ouvir as palavras da lei. 10. Neemias disse-lhes: Ide para as vossas casas, fazei um bom jantar, tomai bebidas doces, e reparti com aqueles que nada têm pronto; porque este dia é um dia de festa consagrado ao nosso Senhor; não haja tristeza, porque a alegria do Senhor será a vossa força.

Sequência do Santo Evangelho
                                                                                                                       
São Marcos 9,16-28 
16. Ele lhes perguntou: Que estais discutindo com eles? 17. Respondeu um homem dentre a multidão: Mestre, eu te trouxe meu filho, que tem um espírito mudo. 18. Este, onde quer que o apanhe, lança-o por terra e ele espuma, range os dentes e fica endurecido. Roguei a teus discípulos que o expelissem, mas não o puderam. 19. Respondeu-lhes Jesus: Ó geração incrédula, até quando estarei convosco? Até quando vos hei de aturar? Trazei-mo cá! 20. Eles lho trouxeram. Assim que o menino avistou Jesus, o espírito o agitou fortemente. Caiu por terra e revolvia-se espumando. 21. Jesus perguntou ao pai: Há quanto tempo lhe acontece isto? Desde a infância, respondeu-lhe. 22. E o tem lançado muitas vezes ao fogo e à água, para o matar. Se tu, porém, podes alguma coisa, ajuda-nos, compadece-te de nós! 23. Disse-lhe Jesus: Se podes alguma coisa!... Tudo é possível ao que crê. 24. Imediatamente exclamou o pai do menino: Creio! Vem em socorro à minha falta de fé! 25. Vendo Jesus que o povo afluía, intimou o espírito imundo e disse-lhe: Espírito mudo e surdo, eu te ordeno: sai deste menino e não tornes a entrar nele. 26. E, gritando e maltratando-o extremamente, saiu. O menino ficou como morto, de modo que muitos diziam: Morreu... 27. Jesus, porém, tomando-o pela mão, ergueu-o e ele levantou-se. 28. Depois de entrar em casa, os seus discípulos perguntaram-lhe em particular: Por que não pudemos nós expeli-lo?

 Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo Rosário

19 de setembro dia de São Januário, Bispo e Companheiros Mártires


 
 São Januário (também conhecido como San Gennaro),  nasceu em Nápoles, no ano 270 d.C. Em 302 foi ordenado sacerdote, e por sua piedade e virtude foi escolhido, pouco depois, para Bispo de Benevento. Sua caridade, infatigável zelo e solicitude pastoral,  socorria todos os necessitados e aflitos. Quando em 304, o imperador romano Diocleciano desencadeou em todo o Império cruel perseguição contra o Cristianismo, obrigando os fiéis a oferecer sacrifícios às divindades pagãs, São Januário teve muitas ocasiões de manifestar o valor de seu zelo, socorrendo os cristãos, não só nos limites de sua diocese, mas em todas as cidades circunvizinhas. Penetrava nos cárceres, estimulando seus irmãos na Fé e perseverança final, alcançando também, naquela ocasião, grande número de conversões. O êxito de seu apostolado não tardou a despertar atenção de Dracônio, governador da Campânia, que o mandou prender. Diante do tribunal, São Januário foi reprovado pelo pró-cônsul Timóteo, que lhe apresentou a seguinte alternativa: «Ou ofereces incenso aos deuses, ou renuncias à vida».                 
«Não posso imolar aos demônios, pois tenho a honra de sacrificar todos os dias ao verdadeiro Deus»” – respondeu com vigor o santo, referindo-se à celebração eucarística. Irado, o pró-cônsul ordenou que o santo Bispo seis clérigos de sua diocese: Santos Sósio,Próculo, Festo, Desidério, Eutíquio e Acúrcio fosse lançado imediatamente numa fornalha ardente. Mas Deus quis renovar em favor de seu fiel servo o milagre dos três jovens israelitas, atirados também nas chamas, de que fala o Antigo Testamento. São Januário e seus companheiros saiu desta prova do fogo ileso, para grande surpresa dos pagãos. O tirano, atribuindo o prodígio a artes mágicas, ordenou que São Januário e companheiros fossem conduzidos a Puzzoles, onde seriam lançados às feras na arena. No dia marcado para o suplicio, o povo lotou o anfiteatro da cidade. No centro da arena. São Januário encorajava os companheiros: «Ânimo, irmãos, este é o dia do nosso triunfo, combatamos com valor nosso sangue por Aquele Senhor, a quem devemos a vida». Mal terminara de falar foram libertados leões, tigres e leopardos famintos, que correram em direção às vítimas. Mas, em lugar de despedaçá-las, prostraram-se diante do Bispo de Benevento e começaram a lamber-lhes os pés. Ouviu-se então um grande murmúrio no anfiteatro, que reconhecia não existir outro verdadeiro Deus senão o dos cristãos. Muitos pediram clemência. Mas o pró-cônsul, cego de ódio, mandou decapitar aqueles cristãos, sendo executada a ordem na praça Vulcânia. Os corpos dos mártires foram conduzidos pelos fiéis às suas respectivas cidades. Segundo relataram as crônicas, uma piedosa mulher recolheu em duas ampolas o sangue que escorria do corpo de São Januário, quando este era transportado para Benavento. Os restos mortais do Bispo mártir foram transladados para sua cidade natal — Nápoles — em 432. No ano 820 voltaram para Benavento. Em 1497 retornaram definitivamente para Nápoles, onde repousam até hoje, em majestosa Catedral gótica. Aí se realiza o perpétuo sangue, que se dá duas vezes por ano, no sábado que antecede o primeiro domingo de maio aniversário da primeira transladação, e a 19 de setembro, festa do martírio do santo (Igreja Latina) e no dia 16 de dezembro (dia em que Nápoles foi protegido da erupção do Vesúvio). As datas da liquefação do sangue de São Januário são celebradas com grande pompa e esplendor. As relíquias são expostas ao público, e se a liquefação não se verifica imediatamente. Iniciam-se preces coletivas. Se o milagre tarda, os fiéis compenetram-se de que a demora se deve a seus pecados. Rezam então orações penitenciais, como o salmo «Miserere», composto pelo Santo Rei Davi. Quando o milagre ocorre, o Clero entoa solene «Te Deum», a multidão prorrompe em vivas. Os sinos repicam e toda a cidade se rejubila. Entretanto, sempre que nas datas costumeiras o sangue não se liquefaz, Isso significa o aviso de tristes acontecimentos vindouros, segundo uma antiga tradição nunca desmentida. O sangue de São Januário está recolhido em duas ampolas de vidro, hermeticamente fechadas, protegido por duas lâminas de cristal transparente. A ampola maior possui 60 cm cúbicos de volume; a menor tem capacidade de 25 cm cúbicos. Em geral, o sangue endurecido ocupa até a metade da ampola maior; na menor, encontra-se disperso em fragmentos. A liquefação do sangue produz-se espontaneamente, sob as mais variadas circunstâncias, independentemente da temperatura ou do movimento, o sangue passa do estado pastoso ao fluido e, até, fluidíssimo. A liquefação ocorre da periferia para o centro e vice-versa. Algumas vezes, o sangue liquefaz-se instantânea e inteiramente, ou, por vezes, permanece um denso coágulo em meio ao resto liquefeito. Altera-se o colorido: desde o vermelho mais escuro até o rubro mais vivo. Não poucas vezes surgem bolhas e sangue fresco e espumante sobe rapidamente até o topo da ampola maior. Trata-se verdadeiramente de sangue humano, comprovado por análises espectroscópicas. Há algumas peculiaridades, que constituem outros milagres dentro do milagre liquefação, há uma variação do volume: algumas vezes diminui e outras vezes aumenta até o dobro. Varia também quanto à massa e quanto ao peso. Em janeiro de 1991, o prof. G. Sperindeo utilizando-se, com o máximo cuidado, de aparelhos de alta precisão, encontrou uma variação de cerca de 25 gramas. O peso aumentava enquanto o volume diminuía. Esse acréscimo de peso contraria frontalmente o princípio da conservação da massa (uma das leis fundamentais da Física) e é absolutamente inexplicável, pois as ampolas encontram-se hermeticamente fechadas, sem possibilidade de receber acréscimo de substâncias do exterior. A notícia escrita mais antiga e segura do milagre consta de uma crônica do século XIV. Desde 1659, estão rigorosamente anotadas todas as liquefações, que já perfazem mais de dez mil!

Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo Rosário

terça-feira, 18 de setembro de 2018

18 de setembro dia de São José de Cupertino, Confessor

18/09 Terça-feira
Festa de Terceira Classe
Paramentos Brancos
  Ele nasceu em 17 de junho de 1603 como José Desa, em Cupertino, Diocese de Nardo, perto de Nápoles, Itália. Após varias tentativas de entrar na vida religiosa (ele era considerado ignorante e sem cultura), o "irmão burro", como as vezes era chamado, foi aceito no Convento Franciscano em Grotela onde ele foi ordenado em 1628 Teve uma das vidas mais maravilhosas e surpreendentes que se encontram no calendário litúrgico. Filho de camponeses do sul da Itália, sabia-se tão pouco dotado intelectualmente que a si mesmo dava, com humildade, o nome de Frei Asno; mas pela santidade, e pelos dons sobrenaturais que recebia, compensou largamente a pouca inteligência. Diversas vezes tentou ingressar na vida religiosa sem o conseguir, por notória incapacidade.
Só à custa de muita insistência foi admitido num convento franciscano. Quando se preparava para o sacerdócio, era ajudado sobrenaturalmente em todas as provas e exames. Certa vez, somente conseguira estudar e assimilar um frase da Escritura: “Bem-aventuradas as entranhas que te trouxeram”. Por milagre, no exame lhe pediram que explicasse exatamente essa frase, e ele se saiu maravilhosamente. É por isso considerado o patrono dos estudantes em apuros. Ordenado sacerdote, vivia arrebatado em êxtases e era objeto de fenômenos místicos extraordinários. Era comum ser visto em levitação, erguido do solo a alturas elevadas. 
Praticava milagres espantosos, curando doentes de todos os gêneros. Embora pouco inteligente, era iluminado pelo Divino Espírito Santo e dava conselhos acertadíssimos, sendo procurado, por isso, por pessoas altamente colocadas, que desejavam consultá-lo.                                                                                                                           
Até o Papa quis conhecê-lo, e aconteceu que, durante a audiência com o Pontífice, o humilde franciscano entrou num êxtase e deixou o Papa admirado. Em suma, aquele que quase não fora admitido no convento, atingiu uma santidade tão consumada e maravilhosa que se transformou numa das glórias da Ordem franciscana. (+ Itália, 1663)

Leitura da Epístola

I Coríntios 13,1-8
1. Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, se não tiver caridade, sou como o bronze que soa, ou como o címbalo que retine. 2. Mesmo que eu tivesse o dom da profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência; mesmo que tivesse toda a fé, a ponto de transportar montanhas, se não tiver caridade, não sou nada. 3. Ainda que distribuísse todos os meus bens em sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, se não tiver caridade, de nada valeria! 4. A caridade é paciente, a caridade é bondosa. Não tem inveja. A caridade não é orgulhosa. Não é arrogante. 5. Nem escandalosa. Não busca os seus próprios interesses, não se irrita, não guarda rancor.6. Não se alegra com a injustiça, mas se rejubila com a verdade. 7. Tudo desculpa, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. 8. A caridade jamais acabará. As profecias desaparecerão, o dom das línguas cessará, o dom da ciência findará.

Sequência do Santo Evangelho
                                                                                                                       
São Mateus 22,23-28   
23. Naquele mesmo dia, os saduceus, que negavam a ressurreição, interrogaram-no: 24. Mestre, Moisés disse: Se um homem morrer sem filhos, seu irmão case-se com a sua viúva e dê-lhe assim uma posteridade (Dt 25,5). 25. Ora, havia entre nós sete irmãos. O primeiro casou-se e morreu. Como não tinha filhos, deixou sua mulher ao seu irmão. 26. O mesmo sucedeu ao segundo, depois ao terceiro, até o sétimo. 27. Por sua vez, depois deles todos, morreu também a mulher. 28. Na ressurreição, de qual dos sete será a mulher, uma vez que todos a tiveram?

 Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo Rosário

segunda-feira, 17 de setembro de 2018

17 de setembro dia dos Estigmas de São Francisco.

 
17/09 Segunda-feira
Festa de Quarta Classe 
Paramentos Verdes 

Os estigmas são cada um dos cinco sinais que aparecem no corpo, nos mesmos pontos onde ocorreu a crucificação de Jesus Cristo, isto é, pés, punhos e tórax. Reproduzem as cinco chagas de Jesus.
Ano de 1213 o Conde Orlando de Chiusi oferece a São Francisco um monte chamado Alverne, para servir de eremitério, retiro e oração. É aqui que São Francisco recebe os sagrados estigmas sendo que suas marcas perduraram por dois anos. Pelo que se tem conhecimento, o primeiro estigmatizado foi São Francisco de Assis.

Leitura da Epístola dos                                                                                                                                          
Efésios 4,1-6 
1. Exorto-vos, pois, - prisioneiro que sou pela causa do Senhor -, que leveis uma vida digna da vocação à qual fostes chamados, 2. com toda a humildade e amabilidade, com grandeza de alma, suportando-vos mutuamente com caridade. 3. Sede solícitos em conservar a unidade do Espírito no vínculo da paz. 4. Sede um só corpo e um só espírito, assim como fostes chamados pela vossa vocação a uma só esperança. 5. Há um só Senhor, uma só Fé, um só Batismo. 6. Há um só Deus e Pai de todos, que atua acima de todos, por todos e em todos.

Sequência do Santo Evangelho 

São Mateus 22,34-46                                                                            
34. Sabendo os fariseus que Jesus reduzira ao silêncio os saduceus, reuniram-se 35. e um deles, doutor da lei, fez-lhe esta pergunta para pô-lo à prova: 36. Mestre, qual é o maior mandamento da lei? 37. Respondeu Jesus: Amará o Senhor teu Deus de todo teu coração, de toda tua alma e de todo teu espírito (Dt 6,5). 38. Este é o maior e o primeiro mandamento. 39. E o segundo, semelhante a este, é: Amarás teu próximo como a ti mesmo (Lv 19,18). 40. Nesses dois mandamentos se resumem toda a lei e os profetas. 41. Como os fariseus se agrupassem, Jesus interrogou-os: 42. Que pensais vós de Cristo? De quem é filho? Responderam: De Davi! 43. Como então, prosseguiu Jesus, Davi, falando sob inspiração do Espírito, chama-o Senhor, dizendo: 44. O Senhor disse a meu Senhor: Senta-te à minha direita, até que eu ponha teus inimigos por escabelo dos teus pés (Sl 109,1)? 45. Se, pois, Davi o chama Senhor, como é ele seu filho? 46. Ninguém pôde responder-lhe nada. E, depois daquele dia, ninguém mais ousou interrogá-lo.

Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo Rosário

domingo, 16 de setembro de 2018

Decimo Sétimo Domingo depois de Pentecoste

16/09 Domingo  
Festa de Segunda Classe
Paramentos Verdes

Leitura da Epístola dos                                                                                                                                          
Efésios 4,1-6 
1. Exorto-vos, pois, - prisioneiro que sou pela causa do Senhor -, que leveis uma vida digna da vocação à qual fostes chamados, 2. com toda a humildade e amabilidade, com grandeza de alma, suportando-vos mutuamente com caridade. 3. Sede solícitos em conservar a unidade do Espírito no vínculo da paz. 4. Sede um só corpo e um só espírito, assim como fostes chamados pela vossa vocação a uma só esperança. 5. Há um só Senhor, uma só Fé, um só Batismo. 6. Há um só Deus e Pai de todos, que atua acima de todos, por todos e em todos.

Sequência do Santo Evangelho 

São Mateus 22,34-46                                                                            
34. Sabendo os fariseus que Jesus reduzira ao silêncio os saduceus, reuniram-se 35. e um deles, doutor da lei, fez-lhe esta pergunta para pô-lo à prova: 36. Mestre, qual é o maior mandamento da lei? 37. Respondeu Jesus: Amará o Senhor teu Deus de todo teu coração, de toda tua alma e de todo teu espírito (Dt 6,5). 38. Este é o maior e o primeiro mandamento. 39. E o segundo, semelhante a este, é: Amarás teu próximo como a ti mesmo (Lv 19,18). 40. Nesses dois mandamentos se resumem toda a lei e os profetas. 41. Como os fariseus se agrupassem, Jesus interrogou-os: 42. Que pensais vós de Cristo? De quem é filho? Responderam: De Davi! 43. Como então, prosseguiu Jesus, Davi, falando sob inspiração do Espírito, chama-o Senhor, dizendo: 44. O Senhor disse a meu Senhor: Senta-te à minha direita, até que eu ponha teus inimigos por escabelo dos teus pés (Sl 109,1)? 45. Se, pois, Davi o chama Senhor, como é ele seu filho? 46. Ninguém pôde responder-lhe nada. E, depois daquele dia, ninguém mais ousou interrogá-lo.

Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo Rosário

16 de setembro dia São Cornélio e Cipriano Santa Eufêmia, Virgem e Martir.



Nasceu na Calcedônia, uma cidade perto de Constantinopla, numa família nobre e respeitável, filha do senador Filofrónio e de sua esposa Teodora, foi criada principio cristãos, que faziam dela um exemplo de virtude e beleza junto dos habitantes. Freqüentou a escola, por isso nas suas imagens aparece com um manto de estudante (da época). Durante o reinado do Imperador Diocleciano, que proibia batizados, ela foi acusada e, tendo recusado a casar com um herói da cidade, foi presa com outros cristãos. Santa Eufêmia está bem testemunhada pelos sermões de alguns bispos do século IV, embora na sua passio ou narrativa do martírio, tornada mui popular, se misturem não apenas tormentos sobre tormentos como milagres extraordinários que envolveram os seus últimos dias.

Também a fé que lhe ardia no íntimo se tornara extraordinária. Ao ver os cristãos perseguidos pelo juiz Prisco que obedecia às leis persecutórias ditadas por Diocleciano, oferecendo-se à morte, entregando-se como vítima de amor, encorajando assim os outros cristãos metidos nas masmorras.

Com o assistir à morte dos irmãos na fé, estimulava-se cada vez mais, ao contrário do que pretendia o verdugo, e perguntava: - É por eu ser nobre que preferes os desconhecidos e estrangeiros e lhes dás a glória prometida antes de mim, chegando deste modo primeiro junto de Cristo?

Eu julgava – respondeu o juiz Prisco – que havias tornado ao verdadeiro juízo e que vinhas, lembrada da nobreza do teu sangue, sacrificar aos deuses.

Eufêmia, de tal maneira contestou o juiz que este a mandou prender e sepultar num fétido calabouço, onde foi esbofeteada e mal tratada.

Tida por bruxa e possuidora de artes mágicas, pois os algozes ficavam paralisados quando a queriam violar e apresentar a outros homens, as máquinas de tortura de maneira cruel, onde era usada uma roda de moinho, sempre se manteve fiel à sua fé e manteve intacta a sua decisão de nunca trair a Deus, ao chegarem-nas junto dela e as feras a quem era deitada se convertiam em mansos cordeiros, levaram-na ao circo, entregaram-na aos leões, que acabaram por matá-la, mas não danificaram o seu corpo ou a comeram, deitando-se a seu lado como que a protegê-la de mais sofrimentos. Era o dia 16 de Setembro do ano 304 AD, tinha ela somente 15 anos de idade.                                                                                             

Santo Ambrósio: “A Santa e gloriosa Eufêmia conservou a virgindade e mereceu ser cingida com a coroa do martírio. Pelas suas preces o inimigo foi vencido, o adversário Prisco eliminado, a virgem tirada do fogo da fornalha sã e salva, as pedras duras transformadas em pó, as feras amansaram-se e submeteram-se-lhe, todos os suplícios foram superados com a sua oração; por fim, trespassada pela ponta da espada, deixou a prisão da carne e jubilosa, juntou-se ao coro celeste”.

Os cristãos ficaram com o seu corpo, que foi sepultado na Calcedônia, onde construíram uma igreja. Em 620, quando a cidade foi invadida e conquistada pelos Persas, transladaram o seu corpo, com medo de ser destruído, para Constantinopla, e depositaram-no numa Igreja que o Imperador Constantino mandara construir em honra da santa. Com a entrada no poder do Imperador Nicefor, que era contra símbolos religiosos, os cristãos ficaram com medo de que ele removesse o corpo de Santa Eufêmia.                                                                                                       A tradição conta que, numa noite de violenta tempestade, o sarcófago de mármore desapareceu da cidade. Possivelmente, pescadores cristãos carregaram-no nos seus barcos, com a esperança de transportá-la para um lugar seguro. Em 13 de Julho do ano 800, as pessoas de Rovinj viram um sarcófago chegar à costa daquele local, ondulando gentilmente nas águas. Os sinos repicaram, as pessoas que se juntaram na praia tentaram retirá-lo da água, mas em vão, todos os esforços eram inúteis, até que apareceu uma criança com dois fracos bezerros e que, para espanto de todos, conseguiu remover o pesado sarcófago da água e o levou até a igreja local.                                                                
 Quando abriram o sarcófago, viram o corpo de uma moça muito bonita, vestida com um luxuoso vestido e junto dela, um pergaminho que dizia HOC EST CORPUS EUFEMIAE SANCTAE (ESTE É O CORPO DE SANTA EUFÊMIA, virgem mártir da Calcedônia, filha de um nobre senador, nascida para o céu em Setembro 16, ano 304 A.D.). O seu corpo continua preservado numa igreja na cidade de Rovinj, na atual Croácia, onde pode ser visitado. Quer na pintura quer na estatuária santa Eufémia é representada da seguinte maneira: numa das suas mãos normalmente está uma palma, simbolizando os seu martírio ou um lírio virginal simbolizando a sua virgindade, podendo também figurar uma espada gravada no peito simbolizando a sua decapitação, algumas vezes é também representada com uma cruz, sozinha ou junto com a palma. Na outra mão é representado um livro, que simboliza a defesa da ortodoxia, uma vez que no IV concilio de Calcedónia no ano de 451, realizado junto da sua sepultura, foram colocadas dentro do seu túmulo a doutrina do monofisismo herética e a doutrina ortodoxa da Igreja. Ao fim de 3 dias de oração foi encontrado o texto com a profissão de fé ortodoxa na mão direita de Santa Eufémia, o outro texto que sustentava a heresia monofisita estava aos seus pés. Após este milagre foi afirmada a dupla natureza de Cristo, e os que permaneceram na heresia monofisita foram excomungados.

Aos pés de santa Eufémia é representado um leão ou um urso, o que constitui um dos seus atributos específicos. A presença do leão indica que aquela é mártir de Calcedónia, permitindo assim distingui-la das outras santas Eufémias. Na paróquia de Cós, concelho de Alcobaça, está uma representação única de santa Eufémia, em que é representado um lagarto ou crocodilo a engolir-lhe um braço.

A roda dentada, instrumento utilizado num dos seus tormentos é também muitas vezes representada, o que pode levar a uma confusão com Santa Catarina de Alexandria que também usa a mesma representação.

Em algumas representações iconográficas, santa Eufémia é também apresentada com uma maquete na mão da cidade de Rovinj, cidade onde está sepultado o seu corpo.

 Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo Rosário

sábado, 15 de setembro de 2018

15 de setembro dia As Sete Dores de Nossa Senhora.

15/09 Sábado
Festa de Terceira Classe 
Paramentos Brancos 
 
Nossa Senhora das Dores (também chamada Nossa Senhora da Piedade, Nossa Senhora da Soledade, Nossa Senhora das Angústias, Nossa Senhora das Lágrimas, Nossa Senhora das Sete Dores, Nossa Senhora do Calvário ou ainda Nossa Senhora do Pranto, e invocada em latim como Beata Maria Virgo Perdolens, ou Mater Dolorosa), sendo sob essa designação particularmente cultuada em Portugal.                                                              


O culto à Mater Dolorosa iniciou-se em 1221, no Mosteiro de Schönau, na Germânia. Em 1239, a sua veneração no dia 15 de Setembro teve início em Florença, na Itália, pela Ordem dos Servos de Maria (Ordem Servita). Deve o seu nome às Sete Dores da Virgem Maria:
1- A profecia de Simeão sobre Jesus (Lucas, 2, 34-35)
2- A fuga da Sagrada Família para o Egito (Mateus, 2, 13-21);
3- O desaparecimento do Menino Jesus durante três dias (Lucas, 2, 41-51);
4- O encontro de Maria e Jesus a caminho do Calvário (Lucas, 23, 27-31);
5- Maria observando o sofrimento e morte de Jesus na Cruz - Stabat Mater  (João, 19, 25-27);
6-  Maria recebe o corpo do filho tirado da Cruz (Mateus, 27, 55-61);
 7-  Maria observa o corpo do filho a ser depositado no Santo Sepulcro (Lucas, 23, 55-56).

Leitura da Epístola de
                                                             
Judite 13,22-25  
22 Então todos, adorando o Senhor, disseram a Judite: O Senhor te abençoou com o seu poder, porque ele por ti aniquilou os nossos inimigos. 23 Ozias, príncipe do povo de Israel, acrescentou: Minha filha, tu és bendita do Senhor Deus altíssimo, mais que todas as mulheres da terra. 24 Bendito seja o Senhor, criador do céu e da terra, que te guiou para cortar a cabeça de nosso maior inimigo! 25 Ele deu neste dia tanta glória ao teu nome, que nunca o teu louvor cessará de ser celebrado pelos homens, que se lembrarão eternamente do poder do Senhor. Ante os sofrimentos e a angústia de teu povo, não poupaste a tua vida, mas salvaste-nos da ruína, em presença de nosso Deus.

Sequência do Santo Evangelho

São João 19,25-27                                                        
25 Junto à cruz de Jesus estavam de pé sua mãe, a irmã de sua mãe, Maria, mulher de Cléofas, e Maria Madalena. 26 Quando Jesus viu sua mãe e perto dela o discípulo que amava, disse à sua mãe: Mulher, eis aí teu filho. 27 Depois disse ao discípulo: Eis aí tua mãe. E dessa hora em diante o discípulo a levou para a sua casa.
   
Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo Rosário

sexta-feira, 14 de setembro de 2018

14 de setembro Exaltação da Santa Cruz.

 14/09 Sexta-feira
Festa de Segunda Classe
Paramentos Vermelhos
Parabéns 
Festa do Mosteiro da Santa Cruz: http://www.beneditinos.org.br/

Este dia é dedicado a celebrar a madeira que era o instrumento do triunfo de Cristo sobre o diabo. No último dia, Cristo virá para julgar o mundo, precedido pelo "sinal", isto é, da Cruz e vão ver o quando Ele ama. 

"Que grande coisa para possuir a Cruz! Quem possui possui um tesouro" (Santo André de Creta) 

. "Esse é o nosso único orgulho a Cruz de Nosso Senhor Jesus Cristo, em quem temos a salvação, vida e ressurreição através dele estamos salvos e libertos (Gal 6, 14). 

    O sinal da Cruz, c 'é para proclamar a nossa fé em nosso Senhor Jesus Cristo, e assim, para escapar da ciladas do demônio.
   No Ocidente, a festa do dia que comemora a descoberta por Santa Helena da Cruz e da dedicação das basílicas de Constantino, em Jerusalém. Ele também comemora o retorno da Cruz em Jerusalém, sob Heráclio após sua vitória sobre os persas no Oriente, este festival é um dos doze principais solenidades litúrgicas anuais que tem uma vigília da noite, um rigoroso jejum, e se estende até em 21 de setembro. 


Santa Salústia e São Cereal, Mártires
Exaltatio Sanctae Crucis Segundo a tradição, a Vera Cruz foi descoberta em 326 por Helena de Constantinopla, mãe do Imperador Constantino I, durante peregrinação à cidade de Jerusalém. A Igreja do Santo Sepulcro foi construída no local da descoberta, por ordem de Helena e Constantino. A igreja foi dedicada nove anos após, em 335, com uma parte da cruz em exposição. Em 13 de Setembro ocorreu a dedicação da igreja e a cruz foi posta em exposição no dia 14, para que os fiéis pudessem orar e venerá-la. Em 614 os persas invadiram a cidade e tomaram a cruz, que foi recuperada pelo Imperador Bizantino Heráclio em 628. Após um ano em Constantinopla, a cruz retornou ao Santo Sepulcro “E como Moisés levantou no deserto a serpente, assim também importa que seja levantado o filho do homem, a fim de que todo o que nele crê, nele tenha a vida eterna”. (Jo 3,14-15) O próprio Senhor Jesus denominou a sua crucificação como uma exaltação: “Cumpre que o filho de Deus seja exaltado.” De fato foi pela cruz que Jesus foi exaltado sobre os céus e a terra. Devemos também, nós entendermos que seremos exaltados se, com Nosso Senhor Jesus Cristo, levarmos nossa cruz com paciência, resignação e humildade.                                                                                                                                 
No dia do nosso batismo fomos marcados com a cruz do Senhor. No dia da Crisma também fomos marcados com a cruz do Senhor em nossa testa. 


A cruz é o distintivo dos filhos de Deus e o catecismo ensina qual o sinal do Cristão e dizemos é a cruz.       
Mártir (século III) Ele celebra a festa de Santa Salústia de Itália Roma casada com São Cereal, tornaram cristãos, instruído na fé pelo Papa São Cornélio. Eles morreram foram decapitados por sua fé em Cristo em 251 no mesmo dia que o Papa Cornélio. São Santos Mártires do Império Romano Roma na perseguição de Décio.
       


Leitura da Epístola dos   
                                                                      
Filipenses 2,5-11 5 Dedicai-vos mutuamente a estima que se deve em Cristo Jesus. 6 Sendo ele de condição divina, não se prevaleceu de sua igualdade com Deus, 7 mas aniquilou-se a si mesmo, assumindo a condição de escravo e assemelhando-se aos homens. 8 E, sendo exteriormente reconhecido como homem, humilhou-se ainda mais, tornando-se obediente até a morte, e morte de cruz. 9 Por isso Deus o exaltou soberanamente e lhe outorgou o nome que está acima de todos os nomes, 10 para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho no céu, na terra e nos infernos. 11 E toda língua confesse, para a glória de Deus Pai, que Jesus Cristo é Senhor.

 Sequência do Santo Evangelho

São João 12,31-36 
31 Agora é o juízo deste mundo; agora será lançado fora o príncipe deste mundo. 32 E quando eu for levantado da terra, atrairei todos os homens a mim. 33 Dizia, porém, isto, significando de que morte havia de morrer. 34 A multidão respondeu-lhe: Nós temos ouvido da lei que o Cristo permanece para sempre. Como dizes tu: Importa que o Filho do Homem seja levantado? Quem é esse Filho do Homem? 35 Respondeu-lhes Jesus: Ainda por pouco tempo a luz estará em vosso meio. Andai enquanto tendes a luz, para que as trevas não vos surpreendam; e quem caminha nas trevas não sabe para onde vai. 36 Enquanto tendes a luz, crede na luz, e assim vos tornareis filhos da luz. Jesus disse essas coisas, retirou-se e ocultou-se longe deles. 


Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo Rosário

quinta-feira, 13 de setembro de 2018

Comentários Eleison – por Dom Williamson Número DLXXXII (582) (8 de setembro de 2018):

PARA ONDE, “RESISTÊNCIA”? - II


Resistentes, nenhum de nós pode renunciar!
Somos parte de um grande e glorioso desígnio de Deus!

Quando João Paulo II se tornou Papa em 1978, vários católicos estavam sinceramente esperançosos de que a situação na Igreja seria melhor do que tinha sido sob Paulo VI, mas lembro-me do Arcebispo Lefebvre dizendo que se João Paulo II não limpasse a casa em Roma nos primeiros seis meses de seu pontificado, ele não seria capaz de romper com as políticas estabelecidas em Roma por Paulo VI. Da mesma forma, se o Pe. Pagliarani não limpar logo a casa no topo da Fraternidade, os seguidores de Dom Fellay que o rodeiam poderão impedi-lo de fazer qualquer mudança significativa nas políticas desastrosas de seu predecessor. A podridão que começou com o GREC na década de 1990 teve tempo de fincar raízes bem profundas.

Portanto, se alguém está preocupado com o futuro da “Resistência”, sob o argumento de que a Fraternidade está voltando ao bom caminho com o novo Superior Geral, pelo que a “Resistência” não seria mais necessária, a primeira parte da resposta é que ainda não é certo que a Fraternidade está retomando o bom caminho. Devemos esperar e ver. O Pe. Pagliarani é um bom homem, ele certamente tem boas intenções, e nós rezamos por ele; mas se ele escolhe, antes de mais nada, unir liberais e antiliberais dentro da Fraternidade por meio de compromissos humanos e políticos, nunca salvará a Fraternidade de seu atual declínio. Nossa fé é nossa vitória sobre o mundo, diz São João (1 Jo 5, 4), e não nossas políticas. Portanto, a "Resistência", aquele pequeno e disperso grupo de Bispos, padres e leigos que fazem o possível para resistir às políticas desastrosas de Roma e de Menzingen, ainda não pode deixar de resistir, por mais desorganizada que seja, por mais ineficaz que possa parecer. Alguém na Igreja deve lutar pelo que o Arcebispo Lefebvre lutou.

Pois, realmente, em segundo lugar, imagine um convertido sendo levado pela graça de Deus, mesmo hoje, à fé católica. Por seus próprios princípios, a fé deve encarnar-se em algum lugar. É muito provável que ele não a encontre nas palhaçadas do Novus Ordo. Afasta-se então da Igreja conciliar em direção à Tradição. Encontra a Fraternidade Sacerdotal São Pio X, mas então descobre que ela está-se tornando conciliar. Para onde ele se volta em seguida? Se não há "Resistência", ele arrisca abandonar o Cristo Encarnado. Alguém na Igreja deve estar vivendo pela lógica da verdadeira Fé de vinte séculos, caso contrário corre o risco de haver almas que concluam que essa Fé está obsoleta no mundo de hoje. Da mesma forma, as almas que abandonam o alto trapézio da Fraternidade precisam de uma rede de segurança católica sobre a qual possam cair, com ou sem o nome de "Resistência".

E em terceiro lugar, há várias maneiras de misturar uísque com água, mas todas dependem de alguém que produza uísque puro. Do mesmo modo, há uma variedade ainda maior de maneiras de misturar Nosso Senhor com o mundo, mas todas dependem de algumas pessoas que sustentam em suas vidas, e não apenas em suas palavras, um exemplo para que todos vejam a verdadeira vida católica. Esta função sempre foi desempenhada pelas Ordens e Congregações religiosas da Igreja. Daí a importância delas. Porém, depois do Concílio que as arruinou, essa função passou a ser desempenhada especialmente pelo Arcebispo e por sua Fraternidade. Mas hoje, de todas as partes do mundo chegam relatos da Fraternidade fellaysada dando exemplos cada vez mais fracos da vida e da moral católicas. Alguém na Igreja deve dar testemunho no mínimo do esforço para viver de acordo com as altas normas de doutrina e moral que Nosso Senhor exige das almas (Mt 5, 48).

E uma quarta razão para que a “Resistência” não se resigne, ou saia do negócio, ou desista da cansativa luta pela Verdade, é que não pode fazê-lo, porque, se o fizesse, como diz Nosso Senhor (Lc 19, 40), as pedras da rua teriam que gritar. Em outras palavras, a Verdade pode ser sufocada por toda a humanidade; porém não são os homens, mas é Deus quem está no comando do mundo, e Ele nunca permitirá que a Verdade seja completamente silenciada, porque isso frustraria Seu propósito ao criar o mundo, que é povoar o céu.

Portanto, a "Resistência" pode amanhã ou no dia seguinte mudar de forma – e, nesse sentido, sua atual falta de forma realmente ajudará! –, mas de uma forma ou de outra, Deus a fará continuar (cf. Is. 6, 9-11).

Kyrie eleison.

Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo Rosário
                                                 

13 de setembro dia Santa Notburga, Empregada.

 13/09 Quinta-feira
Festa de Quarta Classe 
Paramentos Verdes
  Relatórios tradição que ele era uma mulher solteira e veio de uma família de agricultores pobres, com a idade de 18, ele entrou para o serviço do conde do castelo de Rottenburg como cozinheira, que ela usou para dar aos pobres o que o avanço da mesa do mestre , que incomodou o nobre mesmo para forçar Notburga para sair e procurar outro emprego.
Ele encontrou um fazendeiro com quem formou um pacto: o Vésperas de sábado até a manhã de segunda-feira, não teria trabalhado para santificar dignamente domingo. O homem concordou inicialmente, mas depois se arrependeu e começou a reclamar e ele acha que esta pausa muito prejudicial ao seu trabalho agrícola. Devido a estas queixas, Notburga estava irritado: devocional tradição, levou uma foice, ele chamou Deus para testemunhar o acordo e lançou a ferramenta no ar, e este permanecia imóvel no ar, deixando o homem atordoado. O agricultor não mudar a sua atitude, de modo que Notburga deixou, voltando para onde estava como cozinheira.
Quando ela morreu, os aldeões religiosos (que já é considerado sagrada, assim como o episódio da foice, porque a vida irrepreensível) confiou o cavalo o seu corpo: os animais se cruzam "milagrosamente" o rio Inn parando em Eben am Achensee . Os peregrinos usado para levar um pouco de "terra da sepultura de Notburga, para ajudar nas curaras doenças de humanos e animais.
  A pequena igreja de Eben, em que ele foi enterrado, foi ampliado em várias ocasiões: em 1434 , em 1516 e embelezou a preocupação direta do imperador Maximiliano de Habsburgo . Em 1718 , as relíquias foram remontados, ouro e mudou-se debaixo do altar principal. Culto, oficialmente autorizado pelo Papa Pio IX , com o decreto de 27 de marco 1862 , já era particularmente intensa em Baviera , Áustria , Tirol e Ístria : um tempo engoliu os vinhetas, tão grande quanto uma unha. O santo é considerado o protetor dos agricultores domésticos e suas filhas.

Leitura da Epístola dos  

Efésios 3, 13-21 
13.Por isso vos rogo que não desfaleçais nas minhas tribulações que sofro por vós: elas são a vossa glória.14.Por esta causa dobro os joelhos em presença do Pai,15.ao qual deve a sua existência toda família no céu e na terra,16.para que vos conceda, segundo seu glorioso tesouro, que sejais poderosamente robustecidos pelo seu Espírito em vista do crescimento do vosso homem interior.17.Que Cristo habite pela fé em vossos corações, arraigados e consolidados na caridade,18.a fim de que possais, com todos os cristãos, compreender qual seja a largura, o comprimento, a altura e a profundidade,19.isto é, conhecer a caridade de Cristo, que desafia todo o conhecimento, e sejais cheios de toda a plenitude de Deus.20.Àquele que, pela virtude que opera em nós, pode fazer infinitamente mais do que tudo quanto pedimos ou entendemos,21.a ele seja dada glória na Igreja, e em Cristo Jesus, por todas as gerações de eternidade. Amém.

Sequência do Santo Evangelho
 
São Lucas 14,1-11                                                                        
1.Jesus entrou num sábado em casa de um fariseu notável, para uma refeição; eles o observavam.2.Havia ali um homem hidrópico.3.Jesus dirigiu-se aos doutores da lei e aos fariseus: É permitido ou não fazer curas no dia de sábado?4.Eles nada disseram. Então Jesus, tomando o homem pela mão, curou-o e despediu-o.5.Depois, dirigindo-se a eles, disse: Qual de vós que, se lhe cair o jumento ou o boi num poço, não o tira imediatamente, mesmo em dia de sábado?6.A isto nada lhe podiam replicar. 7.Observando também como os convivas escolhiam os primeiros lugares, propôs-lhes a seguinte parábola:8.Quando fores convidado às bodas, não te sentes no primeiro lugar, pois pode ser que seja convidada outra pessoa de mais consideração do que tu,9.e vindo o que te convidou, te diga: Cede o lugar a este. Terias então a confusão de dever ocupar o último lugar.10.Mas, quando fores convidado, vai tomar o último lugar, para que, quando vier o que te convidou, te diga: Amigo, passa mais para cima. Então serás honrado na presença de todos os convivas.11.Porque todo aquele que se exaltar será humilhado, e todo aquele que se humilhar será exaltado.

 Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo Rosário