segunda-feira, 28 de agosto de 2017

Comentários Eleison – por Dom Williamson Número DXXVIII (528) (26 de agosto de 2017)



Quando entre os líderes dos católicos tradicionalistas a falsidade torna-se persistente,
Então, o tradicionalista deve passar a ser também um "resistente".

Na sequência de "Por Que Tradição", o Pe. Patrick Girouard, que atende atualmente uma paróquia da "Resistência" no oeste do Canadá, explica a necessidade não só de os católicos serem tradicionalistas, mas também de os católicos tradicionalistas "resistirem". Ele escreveu a seguinte declaração, “Declaração de Missão”, em junho de 2013, precisamente para explicar por que ele e algumas dúzias de fieis estavam saindo da FSSPX. Infelizmente, a "Declaração" teve de ser cruelmente encurtada. Para lerem o texto completo, entrem em contato com o Pe. Girouard no http://thebastion.faith.

Se eu, o Padre Girouard, e cerca de um terço da paróquia de Langley decidimos inaugurar uma nova paróquia, foi porque nossa amada Fraternidade está sendo destruída por sua administração, e não podemos suportar mais a constante propaganda que favorece essa destruição. Ao estudarmos cuidadosamente os documentos que lançaram luz sobre ela, pudemos entender o que aconteceu. Se então tivéssemos permanecido em silêncio e inativos, não só nos teríamos posto em um caminho perigoso, como também estaríamos contribuindo para a destruição do movimento tradicional. Que a nossa atitude encoraje mais sacerdotes e fiéis a fazer o mesmo!

Para todos os efeitos práticos, a Fraternidade Sacerdotal São Pio X uniu-se à Igreja Conciliar. Mesmo que o acordo com Roma ainda não tenha sido firmado, foi, no entanto, aceito em princípio no Capítulo Geral da Fraternidade em julho de 2012, que foi a Revolução dentro da Fraternidade: o Capítulo tomou a decisão de que a partir daquela data a Fraternidade podia firmar um pacto com os implacáveis ​​ destruidores da Igreja Católica.

Mas como um católico que seja digno do nome pode aceitar essa decisão? Como podemos dizer que somos católicos, se aceitamos fazer um acordo com aqueles que estão facilitando, por meio de suas ações ou de seu silêncio, a condenação de inúmeras almas pelas quais Nosso Senhor deu a vida d’Ele? Como podemos sequer sentar-nos para falar com pessoas que promovem essa abominação para Deus, o Novus Ordo Missae? Lembro-me de Dom Lefebvre citando o Profeta Malaquias contra a Missa Nova: “Convosco falo, ó sacerdotes, que desprezais o meu nome, e que dizeis: em que desprezamos nós o teu nome? Vós ofereceis sobre o meu altar um pão imundo, e dizeis: Em que te profanamos nós?... diz o Senhor dos Exércitos” (1, 6-7.9).

A missão da FSSPX nunca foi a de entrar na estrutura da Igreja Conciliar com o fim de "transformá-la" desde dentro. Tal ilusão foi condenada por Dom Lefebvre após as Consagrações de 1988. A missão da Fraternidade foi a de formar sacerdotes que pregassem a Verdade e lutassem vigorosamente contra o erro, sem "conversações" ou "diálogos" ou "negociações". Como um farol, essa pequena remanência atrairia então almas de boa vontade. Mas os atuais líderes da Fraternidade traíram essa missão, e não toleram desentendimentos ou críticas, e então o único meio pelo qual podemos sustentar a Verdade é separar-nos da Neofraternidade. Devemos rezar muito por uma solução para a crise e por nossa perseverança.

Vocês podem perguntar-me: quando será o momento de unir-nos a Roma? Como saberemos se temos um bom Papa? A resposta é simples: quando o Papa condenar publicamente a Missa Nova e proibir sua celebração sob pena de excomunhão; quando ele condenar publicamente e rechaçar todo o Concílio Vaticano II; em síntese, quando o virmos tomar medidas efetivas para limpar essa desordem. Da mesma forma, quando poderemos confiar na FSSPX novamente e retornar? Resposta: Quando o Bispo Fellay e todos os sacerdotes da Fraternidade que promovem a nova conduta forem destituídos e impedidos de qualquer posto futuro; quando os textos do Capítulo forem oficialmente repudiados; quando os sacerdotes fiéis forem reivindicados, e assim por diante.

Impossível, você diz? Eu respondo simplesmente: O quê? Qual é o problema? Nós apenas cumprimos nosso dever, damos glória a Deus e deixamos que Ele lide com os destruidores. Oremos e sacrifiquemo-nos pela conversão deles, e permaneçamos unidos em oração, seguramente. Mas vamos comprometer-nos e colocar-nos em perigo? – Jamais!

Kyrie eleison.
 Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dia Santo Rosário

domingo, 27 de agosto de 2017

27 de agosto dia de São José Calasânsio, Confessor


Nasceu em Peralta de la Sal, Aragão, Espanha, o ano de 1557.
S. José Calasâncio foi com S.João Baptista de la Salle, um dos grandes educadores da juventude no século XVII. Nasceu em 1556 na província de Huesca, Espanha. Desde muito novo foi muito devoto. Estudo direito civil e canónico. Faz o doutorado em Alcalá, mas terminando volta para a sua terra e funda as "academias" para jovens. Em 1583, recebe o sacerdócio. Tinha apenas 28 anos quando o bispo de Jaca o nomeou seu teólogo. Com a morte do pai em 1586, José viu-se com uma notável riqueza que começou a distribuir por esmolas. Em 1590 foi nomeado vigário-geral para toda a diocese devido às reformas eclesiásticas que foi obtendo. Movido por uma inquietação interior pediu ao seu director autorização para ir a Roma, licença que lhe foi dada. Chegou na quaresma de 1592. Durante cinco anos teve uma vida oculta. Levanta-se cedo para fazer a peregrinação das basílicas antes da aurora. Ajudava nos hospitais e prisões e quando em 1596 surge a peste em Roma, ajuda S.Camilo de Léllis a combatê-la. Não gostava de ver a ignorância religiosa das pessoas e por isso em 1597 criou a primeira "escola pia" no presbitério de Santa Doroteia, no Transtévere, perto da ponte Sisto. Em 1617 o papa Paulo V, criou, com o pessoal de Calasâncio, uma congregação pulina dos Pobres da Mãe de Deus das Escolas pias. Em 1621, foi erecta como congregação de votos solenes por Gregório XV soa nome de Clérigos Pobres da Mãe de Deus. José foi nomeado Geral em 1622. Estas escolas se propagaram com muitas rapidez: Itália, Alemanha, Boémia, Polónia. Surgiram graves problemas nesta obras ao ponto de José e todo a cúria generalícia serem presos. José tinha na altura 86 anos. Foi ovido pelo Santo Ofício. Foram momentos de grande provação, em que viu a sua obra quase completamente destruída. São José Calasâncio, entretanto, não desanimou..Manteve-se sereno e tranquilo e confiante em Deus. E a sua obra novamente surgiu das cinzas. Entretanto, somente oito anos após a sua morte, José tinha-o profetizado.O papa Alexandre VI, em 1656, aprovava definitivamente o Instituto. São José Calasâncio morreu aos noventa anos de idade, em 1648.
  
Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dia Santo Rosário

terça-feira, 22 de agosto de 2017

Comentários Eleison – por Dom Williamson Número DXXVII (527) (19 de agosto de 2017)

 


Resuma o Concílio para mim, se puder!
Sim, é isto: o verdadeiro Deus deve dar lugar ao homem.

Se é verdade que está crescendo uma geração de católicos tradicionalistas que não sabem por que são tradicionalistas, este é definitivamente um dos motivos pelos quais a Fraternidade Sacerdotal São Pio X "está perdendo seu sabor" – ver Mt 5, 13. Para conservar a Fé, todo católico deve saber por que precisa seguir a Tradição. Ora, o Concílio Vaticano II foi indiscutivelmente o maior assalto à Tradição Católica em toda a história da Igreja. Vejamos, então, o útil resumo de dez pontos do novo ensinamento do Vaticano II publicados em uma enciclopédia modernista, juntamente com uma indicação breve do erro em cada ponto. Os dez pontos estão em itálico, e sua refutação concisa vem imediatamente depois de cada ponto:

1. A Igreja é, em primeiro lugar, um mistério, ou sacramento, e não primeiramente uma organização ou instituição. "Mistério" e "sacramento" são palavras deliberadamente vagas para afastar-se da estrutura da Igreja, mas Nosso Senhor instituiu claramente Pedro para liderar Seus apóstolos e discípulos na salvação das almas. Pedro é o Papa, e nas Epístolas de São Paulo os Apóstolos claramente se tornam Bispos, e os discípulos tornam-se padres.

2. A Igreja é todo o povo de Deus, não apenas a hierarquia, o clero e os religiosos. É claro que a Igreja Católica inclui todos os católicos e sacerdotes, mas os sacerdotes são sua espinha dorsal, ou estrutura.

3. A missão da Igreja inclui ações em prol da justiça e da paz, e não se limita à pregação da Palavra e à celebração dos sacramentos. A doutrina e os sacramentos são os meios básicos pelos quais a Igreja Católica contribuiu mais do que qualquer pessoa ou qualquer coisa para a justiça e a paz no mundo.

4. A Igreja inclui todos os cristãos, e não se limita à Igreja Católica. Os "cristãos" não católicos jamais podem ser considerados verdadeiramente cristãos, porque rejeitam mais ou menos o que Nosso Senhor instituiu.

5. A Igreja é uma comunhão, ou colégio, de igrejas locais, que não são simplesmente subdivisões administrativas da Igreja Universal. O caos de hoje nas "igrejas locais" em todo o mundo prova como elas precisam absolutamente estar unidas e administradas por um santo Papa Universal em Roma.

6. A Igreja é uma comunidade escatológica; ainda não é o Reino de Deus. Onde quer que as almas estejam em estado de graça, ali Deus é Rei, não só no Céu, mas também aqui embaixo na terra.

7. O apostolado dos leigos é uma participação direta no apostolado da Igreja, e não simplesmente uma colaboração na missão da hierarquia. Assim como o corpo humano precisa do esqueleto e da carne, o Corpo místico da Igreja precisa de clérigos e dos leigos (cf. 1 Cor. 12). Os erros opostos (clericalismo e laicismo) são gerados pelo exagero do papel de um ou de outro. A Igreja precisa de ambos.

8. Existe uma hierarquia de verdades; nem todos os ensinamentos da Igreja são igualmente obrigatórios ou essenciais para a integridade da fé católica. Somente as verdades não dogmáticas podem ser classificadas em ordem de importância. Todos os dogmas católicos têm o mesmo peso, porque negar apenas um é negar a autoridade de Deus que está por trás de todos eles.

9. Deus usa outras igrejas cristãs e religiões não cristãs para oferecer a salvação a toda a humanidade; A Igreja Católica não é o único meio de salvação. Para todos os homens vivos Deus oferece graças suficientes para a salvação. Estas podem vir aos homens EM religiões não cristãs ou em "igrejas" não católicas, mas nunca podem vir ATRAVÉS de nada ou de ninguém, a não ser através de Jesus Cristo e de Sua única Igreja Católica.

10. A dignidade da pessoa humana e a liberdade do ato de fé são o fundamento da liberdade religiosa para todos, contra a visão de que "o erro não tem direitos". O catolicismo é a única religião verdadeira, então a única liberdade religiosa verdadeira é a liberdade de ser católica. O erro realmente não tem direitos.

Kyrie eleison.

 Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dia Santo Rosário

domingo, 20 de agosto de 2017

20 de agosto dia de São Bernardo, Abade e Doutor.

“Deus quis que não recebêssemos nada que não passe pelas mãos de Maria”
“Por vós, Maria, temos acesso ao Filho, por vós que achaste a graça, Mãe da Salvação, para que por vós nos receba Aquele que por vós nos foi dado”.
 (São Bernardo)
  Nascido numa grande família nobre da Borgonha, no castelo de Fontaine-lès-Dijon, Bernardo foi o terceiro de sete filhos de Tescelin o Vermelho (Tescelin Sorrel) e de Aleth de Montbard. Com a idade de nove anos, é enviado para a Escola Canônica de Châtillon-sur-Seine, onde mostra um gosto particular pela literatura. Em 1112, decide entrar na Abadia de Cister, fundada em 1098 por São Roberto de Molesme, e na qual Santo Estevão Harding havia acabado de ser eleito Abade. Convence vários amigos, irmãos e parentes a ingressarem com ele na vida monástica e chega assim com outros 30 candidatos para entrar na Abadia. Em 1115, Estevão Harding envia-o jovem à frente de um grupo de monges para fundar uma nova casa cisterciense no vale de Langres, em Ville-sous-la-Ferté. A fundação é chamada "Vale Claro", ou Clairvaux – Claraval. Bernardo é nomeado Abade desta nova Abadia, e confirmado por Guilherme de Champeux, bispo de Châlons e célebre teólogo.                                                    
Os primórdios de Claraval são difíceis: a disciplina imposta por São Bernardo é bastante severa. Bernardo busca formação nas Sagradas Escrituras e nos Padres da Igreja. Ele tem uma predileção quase exclusiva pelo Cântico dos Cânticos e por Santo Agostinho. O livro e o autor correspondem às tendências da época. Muitas pessoas afluem à nova abadia e Bernardo acaba de converter toda sua família: seu pai, Tescelin, e seus cinco irmãos tornam-se monges em Claraval. Sua irmã, Umbelina, toma igualmente o hábito no priorado de Jully-les-Nonnains. A partir de 1118, novas casas são fundadas (a exemplo da Abadia Nossa Senhora de Fontenay, para evitar a superlotação de Claraval. Em 1119, Bernardo faz parte do Capítulo Geral dos Cistercienses convocado por Estevão Harding, que dá sua forma definitiva à Ordem. A Carta da Caridade, que é então redigida, é confirmada pouco depois pelo papa Calisto II. É nesta época que Bernardo escreve suas primeiras obras, tratados e homilias e, sobretudo, uma Apologia, escrita a pedido de Guilherme de Saint-Thierry, que defende os beneditinos brancos (os cistercienses segundo a cor de seu hábito) contra os beneditinos negros (cluniacenses). Pedro, o Venerável, abade de Cluny, lhe responde amigavelmente, e apesar de suas diferenças ideológicas, os dois homens tornam-se amigos. Envia igualmente numerosas cartas para incentivar à reforma o resto do clero, em particular os bispos. Sua carta ao arcebispo de Sens, Henrique de Boisrogues chamada mais tarde de De Officiis Episcoporum (Da conduta dos Bispos) é reveladora do importante papel dos monges no século XII, e das tensões entre o clero regular e secular. Em 1128, Bernardo participa do concílio de Troyes, convocado pelo papa Honório II e presidido por Matthieu d’Albano, legado do papa. Bernardo é nomeado secretário do concílio, mas ao mesmo tempo é contestado por uma parte do clero, que pensa que por ser monge, que se intromete em coisas que não são lhe concernem. Ele termina por se desculpar, mas o concílio é fortemente influenciado por sua atuação. Torna-se uma personalidade importante e respeitada na Cristandade; ele intervém em assuntos públicos, defende os direitos da Igreja contra os príncipes seculares e aconselha papas e reis. Em 1130, depois da morte de Honório II, durante o cisma de Anacleto II, é a sua voz que faz com que Inocêncio II seja aceito. Em 1132, ele consegue do papa a independência de Claraval em relação a Cluny. Nesse período de desenvolvimento das escolas urbanas, no qual os novos problemas são discutidos na forma de questões (quaestio), de argumentação e busca de uma conclusão (disputativo), São Bernardo é defensor de uma linha tradicionalista. Ele combate as posições de Abelardo, e as faz ser condenadas no concílio de Sens em 1140.                                                    
Em 1145, Claraval dá um papa à Igreja, Eugênio III. Quando o reino de Jerusalém é ameaçado, Eugênio III, ele mesmo um cisterciense, pede a Bernardo que pregue a segunda cruzada em Vézelay em 31 de março de 1146 e mais tarde em Spire. Ele o faz com tanto sucesso que o rei de França Luís VII o Jovem e o imperador do Sacro Império Conrado III tomam eles mesmos a cruz. No concílio de Reims, em 1148, ele faz uma acusação de heresia contra Gilbert de la Porre é, bispo de Poitiers. Não obtém grande sucesso e seu adversário conserva sua posição e prestígio. São Bernardo fundou 72 mosteiros, espalhados por toda Europa: 35 na França, 14 na Espanha, 10 na Inglaterra e Irlanda, 6 em Flandres, 4 na Itália, 4 na Dinamarca, 2 na Suécia e 1 na Hungria, além de muitos outros que se filiaram à Ordem. Em 1151, dois anos antes de sua morte, existem 500 abadias cistercienses. Havia 700 monges ligados a Claraval. Bernardo morre em 1153 com 63 anos.

Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dia Santo Rosário

sábado, 19 de agosto de 2017

Pré-lançamento de um livrinho Mariano.

 Em comemoração aos 100 anos Fátima e 300 de Nossa Senhora Aparecida
Vamos lançar um livrinho
de 32 paginas formato 20 x15cm valor de 9,00 com frete incluso

http://jezismaria.weebly.com/uploads/4/9/5/1/49512575/1333172.jpg?369

As Virtudes de Nossa Senhora:  

 (Por Santo Afonso Maria de Ligório)   

http://rumoasantidade.com.br/wp-content/uploads/2017/04/sao-joao-eudes-virgem-maria.jpg

  O Magnificat (São João Eudes) 

   https://s-media-cache-ak0.pinimg.com/236x/6c/23/b6/6c23b68d057293fa6c1a5839894e7fbe.jpg

         In Salutationem Angelicam vulgo 
Expositio  Ave Maria 
Sermão São Tomas de Aquino 
(São Lucas 1,26,28) tradução de 1939

                                                                      

 Viva Cristo Rei e Maria Rainha.

Rezem todos os dia Santo Rosário

                                                                                                    

                                                                                                                                                     


                                                                                                                                                                           

19 de agosto dia de São João Eudes,confessor.

19/08 Sábado
 Festa de Terceira Classe   
Paramentos Brancos 

  São João Eudes nasceu no norte da França, na Vila de Ri, próximo a Argentan(Ri, Orne, 14 de novembro de 1601 — Caen, 19 de agosto de 1680) francês.. Cresceu em uma família profundamente religiosa católica. Fez seus primeiros estudos no Colégio Real de Dumont, pertencente aos jesuítas. Já na adolescência consagrou-se a Maria.
 Aos 22 anos ingressou na Congregação do Oratório, sendo ordenado padre dois anos depois. Dedicou-se a pregar entre o povo nas regiões de Île-de-France, Bolonha-sobre-o-Mar, Bretanha e Normandia. Assistiu aos doentes e suas famílias durante a epidemia de peste em 1627 sem temor da doença. Temendo que seus companheiros de congregação fossem contaminados devido ao seu contato com os enfermos, não entrava em casa e dormia dentro de um barril.
 Percebeu como urgente a reforma do clero. Em 1643, abandonou a Congregação do Oratório e fundou a Congregação de Jesus e Maria, para dar formação espiritual e doutrinal aos padres e seminaristas. Posteriormente fundou uma congregação religiosa feminina, a Congregação Nossa Senhora da Caridade do Refúgio para atender mulheres e crianças em más condições de vida. No século XIX esta congregação originará a Congregação de Nossa Senhora da Caridade do Bom Pastor, das irmãs do Bom Pastor. Fundou ainda uma associação para leigos, para aprofundar a doutrina cristã.
 Após uma longa vida dedicada à missão entre o povo, morreu em Caen, norte da França, em 1680.


Leitura da Epístola dos 

Eclesiástico 31,8-11  
8.Bem-aventurado o rico que foi achado sem mácula, que não correu atrás do ouro, que não colocou sua esperança no dinheiro e nos tesouros!9.Quem é esse homem para que o felicitemos? Ele fez prodígios durante sua vida.10.Àquele que foi tentado pelo ouro e foi encontrado perfeito, está reservada uma glória eterna: ele podia transgredir a lei e não a violou; ele podia fazer o mal e não o fez.11.Por isso seus bens serão fortalecidos no Senhor, e toda a assembléia dos santos louvará suas esmolas
Sequência do Santo Evangelho 

São Lucas 12, 35-40  
35.Estejam cingidos os vossos rins e acesas as vossas lâmpadas.36.Sede semelhantes a homens que esperam o seu senhor, ao voltar de uma festa, para que, quando vier e bater à porta, logo lha abram.37.Bem-aventurados os servos a quem o senhor achar vigiando, quando vier! Em verdade vos digo: cingir-se-á, fá-los-á sentar à mesa e servi-los-á.38.Se vier na segunda ou se vier na terceira vigília e os achar vigilantes, felizes daqueles servos!39.Sabei, porém, isto: se o senhor soubesse a que hora viria o ladrão, vigiaria sem dúvida e não deixaria forçar a sua casa.40.Estai, pois, preparados, porque, à hora em que não pensais, virá o Filho do Homem.

 Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dia Santo Rosário

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Catecismos em defesa da doutrina Catolica de Ontem, Hoje e Sempre.

Kit 3 Catecismos por 25,00 com frete incluso.

Cruzada dos bons Livros.

Catecismo da Doutrina vem anexo o Catecismo Anti-Comunista e um resumo das Cinco provas da Existência de Deus.
Catecismo ilustrado
Catecismo da Doutrina Cristã dito de São Pio X, vem anexo o notas biográficos, mais brindes.

Só depositar ou transferir e mandar a foto do comprovante e junto o endereço completo.
 Enviar para a  lojinhadoconvento@gmail.com

Faça a sua doação:
Campo Grande-Mato Grosso do Sul
Banco Bradesco Agência 73  Conta Corrente 106071-6
Ass e Com Domina Nostra Regina Pacis
CNPJ 002983690001-22

As outras duas contas no nome de Antônia

A do Banco: Brasil 001

Agência: 0048 Dígito:5

Conta corrente: 147088-4.

   e

do Banco da Caixa Econômica

Agência Centro: 0017 Operação:013 

 Conta Poupança 059624-2

  
Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dia Santo Rosário

Comentários Eleison – por Dom Williamson Número DXXVI (526) (12 de agosto de 2017)

 
 Traduzido por Cristoph Klug.
 
 
A Fraternidade andou e tem andado mal.
Quantas almas permanecerão fortes na Fé? 


Como será que a Fraternidade Sacerdotal São Pio X tem evoluído desde a primavera e início do verão, quando surgiram fortes tensões nela pela questão da participação de sacerdotes conciliares como testemunhas oficiais em seus matrimônios? Em síntese, as relações entre os líderes da Fraternidade que favorecem essa participação e os sacerdotes e os leigos da Fraternidade que a condenam continuam tensas. Pode-se até mesmo prever que a Fraternidade se divida entre os seguidores do Arcebispo Lefebvre e os seguidores do Bispo Fellay. Tal divisão tornou-se inevitável desde o dia em que este começou a dirigir a Fraternidade do Arcebispo para uma direção diferente da do próprio Arcebispo.
Mas nada abala a determinação da Menzingen do Bispo Fellay para se afastar da linha traçada pelo Arcebispo e se aproximar da linha da Roma Conciliar. Recentemente, na França, um casal da Fraternidade prestes a casar-se se recusou a ter qualquer relação com as autoridades conciliares, após o que seu sacerdote da FSSPX recusou-se a casá-los. Obviamente ele tinha o apoio de seus Superiores. Essa insistência no desmantelamento da Fraternidade do Arcebispo tem alguma explicação racional? Três fatores podem estar trabalhando para isto, dentre outros.
Em primeiro lugar, a Providência escolheu a Suíça para servir como a primeira base geográfica da Fraternidade, e a Suíça desfrutou desde então da importância e do prestígio correspondentes dentro da FSSPX. Assim, suas duas autoridades superioras na atualidade e muitos dos seus sacerdotes são cidadãos suíços. Ora, a Suíça é um país famoso por sua ordem, por exemplo, pelo funcionamento dos trens no horário preciso, enquanto que a falta de reconhecimento oficial para uma Congregação verdadeiramente católica é normalmente uma desordem que será mais agudamente sentida por um povo ordenado. Em segundo lugar, os sacerdotes da FSSPX podem estar sonhando com como um extenso apostolado se abrirá à Fraternidade somente caso ela possa ser reconhecida por Roma. E em terceiro lugar, não parece haver outra solução para as graves tensões internas da Fraternidade do que a de ela colocar-se sob a autoridade da Roma Conciliar – o Bispo Fellay não quer ouvir soluções apocalípticas, como uma intervenção de Deus.
Mas, em primeiro lugar, a ordem suprema para os católicos não é a ordem do Estado, por mais desejável que seja, mas a ordem de Deus, pisoteada pelo Vaticano II. Em segundo lugar, os modernistas, por sua natureza, podem dar toda a aparência de estarem “convertidos”, porque não veem nenhum problema em seu próprio subjetivismo. Mas esse liberalismo é tão confortável que poucos têm a intenção de abandoná-lo por qualquer conversão objetiva que implique a Cruz. Como diz o Pe. Vallet, os liberais não se convertem. E, em terceiro lugar, pensar que a única solução para os problemas sem precedentes do mundo e da Igreja de hoje seja consentir com as mentiras, revela uma séria falta de fé, por mais triunfantes que essas mentiras possam parecer. Nós realmente pensamos que o braço de Deus é encurtado porque nós homens somos perversos (Is L, 2; LIX, 1)? Deus sabe exatamente como vai lidar com as mentiras sem precedentes – precisamos apenas esperar para ver –, mas, entretanto, Ele não quer que consintamos com elas!
No entanto, também há boas notícias – alguns sacerdotes e leigos que se recusam a acompanhar as mentiras também estão resolutos. Um leitor na França me diz que alguns sacerdotes da FSSPX foram despertados pelo problema concreto dos matrimônios. O melhor dos sacerdotes da FSSPX não está recorrendo a testemunhas conciliares para os matrimônios na Fraternidade, causando grande aborrecimento em seus Superiores. Três dos decanos rebaixados escreveram fortemente contra as testemunhas de matrimônios conciliares, mesmo depois de seus próprios rebaixamentos, e acabaram de se pronunciar fortemente contra a Prelatura pessoal, porque esta não está de modo algum fora de questão, mesmo com a contundente Declaração do cardeal Müller no final de junho. Não estamos de forma alguma “de volta à estaca zero”, como o Bispo Fellay afirmou naquele momento. “Como um mau administrador de negócios encurralado”, diz esse leitor, “perdeu toda a confiança dos colegas que mantêm as suas cabeças no lugar, até mesmo dos mais respeitosos”. O que importa agora, conclui o leitor, não é salvar a FSSPX como um todo, porque isso precisaria de um milagre, mas salvar tantos sacerdotes e leigos quanto seja possível do deslizamento da FSSPX.
Kyrie eleison.

Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dia Santo Rosário