domingo, 24 de maio de 2015

Domingo de Pentecoste

24/05 Domingo de Pentecoste 
Festa de Primeira Classe 
Paramentos Vermelhos
 
Leitura da Epístola dos
Atos dos Apóstolos 2, 1-11
1.Chegando o dia de Pentecostes, estavam todos reunidos no mesmo lugar.2.De repente, veio do céu um ruído, como se soprasse um vento impetuoso, e encheu toda a casa onde estavam sentados.3.Apareceu-lhes então uma espécie de línguas de fogo que se repartiram e pousaram sobre cada um deles. 4.Ficaram todos cheios do Espírito Santo e começaram a falar em línguas, conforme o Espírito Santo lhes concedia que falassem.5.Achavam-se então em Jerusalém judeus piedosos de todas as nações que há debaixo do céu.6.Ouvindo aquele ruído, reuniu-se muita gente e maravilhava-se de que cada um os ouvia falar na sua própria língua.7.Profundamente impressionados, manifestavam a sua admiração: Não são, porventura, galileus todos estes que falam?8.Como então todos nós os ouvimos falar, cada um em nossa própria língua materna?9.Partos, medos, elamitas; os que habitam a Macedônia, a Judéia, a Capadócia, o Ponto, a Ásia,10.a Frígia, a Panfília, o Egito e as províncias da Líbia próximas a Cirene; peregrinos romanos,11.judeus ou prosélitos, cretenses e árabes; ouvimo-los publicar em nossas línguas as maravilhas de Deus!

Sequência do Santo Evangelho 

São João 14, 23-31

23.Respondeu-lhe Jesus: Se alguém me ama, guardará a minha palavra e meu Pai o amará, e nós viremos a ele e nele faremos nossa morada.24.Aquele que não me ama não guarda as minhas palavras. A palavra que tendes ouvido não é minha, mas sim do Pai que me enviou.25.Disse-vos estas coisas enquanto estou convosco.26.Mas o Paráclito, o Espírito Santo, que o Pai enviará em meu nome, ensinar-vos-á todas as coisas e vos recordará tudo o que vos tenho dito.27.Deixo-vos a paz, dou-vos a minha paz. Não vo-la dou como o mundo a dá. Não se perturbe o vosso coração, nem se atemorize!28.Ouvistes que eu vos disse: Vou e volto a vós. Se me amardes, certamente haveis de alegrar-vos, que vou para junto do Pai, porque o Pai é maior do que eu.29.E disse-vos agora estas coisas, antes que aconteçam, para que creiais quando acontecerem.30.Já não falarei muito convosco, porque vem o príncipe deste mundo; mas ele não tem nada em mim.31.O mundo, porém, deve saber que amo o Pai e procedo como o Pai me ordenou. Levantai-vos, vamo-nos daqui.

24 de maio dia de Nossa Senhora Auxiliadora


 Devoção remonta à vitória da armada cristã em 1571, comandada por Dom João da Áustria que, invocando o auxílio da Virgem, afastou o perigo maometano da Europa. Em agradecimento, Pio V, incluiu na ladainha o título de Auxiliadora dos cristãos.
 A festa de Nossa Senhora Auxiliadora foi promulgada por Pio VII, no ano de 1816, tão logo foi libertado do cativeiro a ele imposto por Napoleão Bonaparte. O nome é bastante popular entre os católicos, sendo bastante usual como antroponímico. Em Porto Alegre o bairro Auxiliadora é nomeado em sua homenagem e em Campinas o Liceu Salesiano tem seu nome. O dia de Nossa Senhora Auxiliadora é comemorado em 24 de maio.
 Oração: Santíssima e Imaculada Virgem Maria, nossa carinhosa Mãe e poderoso auxílio dos cristãos, nós nos consagramos inteiramente ao vosso doce amor e ao vosso santo serviço. Consagramo-vos o entendimento com os seus pensamentos, o coração com os seus afetos, o corpo com os seus sentidos e com todas as suas forças, e prometemos querer sempre trabalhar para dar a Deus uma grande alegria: a realização e felicidade de todas as pessoas.
 Acolhei-nos todos sob o vosso manto, ó Maria Auxiliadora. Ajudai-nos a recorer a vós nas tentações, prontamente e com confiança. Fazei que a vossa lembrança tão boa, tão cara, tão amável, e a recordação do amor que tendes para com vossos devotos nos conforte, e nos faça vencedores, por meio do amor evangélico, dos inimigos do Reino, a fim de podermos, já nesta terra, viver o céu. Amém.

sábado, 23 de maio de 2015

Comentários Eleison: Papas Conciliares - I

Comentários Eleison - por Dom Williamson
CDX (410) - (23 de maio de 2015): 
PAPAS CONCILIARES - I

  
Papas maus o mundo sempre produziu,
Jamais, porém, como no mundo atual, corrupto como nunca se viu.

            Quando alguém alega que os Papas conciliares podem estar ao menos parcialmente de boa fé, há normalmente católicos que protestam. Eles dirão que os Papas são homens da Igreja inteligentes e educados, e então é impossível que eles não percebam totalmente o que estão fazendo. A teoria “mentevacantista”, segundo a qual esses Papas têm a mente vacante, a ignorar parcialmente as consequências de suas próprias ações, é absurda para esses críticos. Pode-se entender o protesto, mas deixem-me citar um amigo que compreende o “mentevacantismo” tal como deve ser compreendido:

            A ideia de que os Papas podem estar enganados de boa fé porque sustentam que certos erros não se opõem à Fé, requer atenção, porque as pessoas têm um conceito de papado muito destacado do mundo, enquanto que toda a história dos Papas é uma história de homens de seu tempo sujeitos à compartilhar todos os bons e maus hábitos e vícios daquele período. A diferença reside no poder do erro, que nunca foi tão forte como é atualmente; a humanidade nunca foi, não se deve esquecer, tão degenerada como hoje.

            Pois de fato o liberalismo está agora em todo lugar, e a dominar; não é mais um mero pensamento ou maneira de pensar, mas um verdadeiro modo de ser que permeia todo homem vivo, seja ele um liberal absoluto em si mesmo, ou um agente do liberalismo e de sua subversão, ou meramente uma de suas ferramentas. Tal é o caso dos Papas conciliares. Eles acham que estão a se aproximar do mundo para curá-lo, sem se dar conta de que é o mundo que se aproxima deles para infectá-los e controlá-los.

            Em uma situação como essa, pode-se certamente falar de Papas liberais, mas não de Papas não católicos, já que está faltando o primeiro requisito para tal condenação, a saber, a vontade pessoal deles de ser liberais e não católicos. Ninguém pode fazer outra coisa que reconhecer que nesses Papas há uma vontade pessoal de ser católicos e não liberais anticatólicos, já que para eles não há contradição entre os dois, longe disso. Segundo seu teólogo e pensador, Joseph Ratzinger, o liberalismo é um dos bons produtos derivados do catolicismo, que precisa apenas ser purificado de certas distorções estranhas trazidas para dentro dele. Assim, quanto à destruição da Igreja, torna-se lógico que os Papas, por acreditarem em tal catolicismo comprometido, não podem evitar que uma das consequências de suas ações seja essa destruição.

            Em relação a Dom Lefebvre, dado que ele cresceu em uma Igreja muito diferente da Igreja de hoje, eu posso apenas concluir que para ele era impossível que um católico agisse como instrumento de subversão sem se dar conta do que está fazendo. Menos ainda poderia um Papa não percebê-lo. Por ler nas entrelinhas de certos escritos do Arcebispo, eu acredito que enquanto sua visão do mundo certamente incluía o processo de degeneração chegando ao fim dos tempos, ela não incluía esse processo a envolver de alguma maneira clara também a Igreja.

            Eu posso imaginar leitores objetando a esse tipo de análise: “Oh, Excelência, por favor, pare de defender os Papas conciliares. É preto ou branco. Se eles são pretos, serei um sedevacantista feliz. Se são brancos, serei um liberal feliz. Seus cinzas só estão me confundindo!”.

            Caro leitor, preto é preto, branco é branco, mas raramente na vida real nós encontramos o branco puro, e nunca o preto puro (tudo o que é, por pior que seja, tem a bondade de ser). Se vocês querem entender essa escusa relativa dos Papas conciliares, a chave é compreender que o mundo nunca foi tão profundamente mal como é hoje. A partir dessa degeneração sem precedente, é óbvio que os Papas conciliares são a esse respeito mais escusáveis por deslizar na Fé que qualquer um de seus predecessores.


Kyrie eleison.

Vigilia de Pentencoste

23/05 Sábado
Festa de Primeira Classe 
Paramentos Vermelhos
Leitura da Epístola dos

Atos dos Apostolos 19,1-8.
1 Enquanto Apolo estava em Corinto, Paulo atravessou as províncias superiores e chegou a Éfeso, onde achou alguns discípulos e indagou deles: 2 Recebestes o Espírito Santo, quando abraçastes a fé? Responderam-lhe: Não, nem sequer ouvimos dizer que há um Espírito Santo! 3 Então em que batismo fostes batizados?, perguntou Paulo. Disseram: No batismo de João. 4 Paulo então replicou: João só dava um batismo de penitência, dizendo ao povo que cresse naquele que havia de vir depois dele, isto é, em Jesus. 5 Ouvindo isso, foram batizados em nome do Senhor Jesus. 6 E quando Paulo lhes impôs as mãos, o Espírito Santo desceu sobre eles, e falavam em línguas estranhas e profetizavam. 7 Eram ao todo uns doze homens. 8 Paulo entrou na sinagoga e falou com desassombro por três meses, disputando e persuadindo-os acerca do Reino de Deus. 

Sequência do Santo Evangelho

São João 14,15-21
15 Se me amais, guardareis os meus mandamentos. 16 E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Paráclito, para que fique eternamente convosco. 17 É o Espírito da Verdade, que o mundo não pode receber, porque não o vê nem o conhece, mas vós o conhecereis, porque permanecerá convosco e estará em vós. 18 Não vos deixarei órfãos. Voltarei a vós. 19 Ainda um pouco de tempo e o mundo já não me verá. Vós, porém, me tornareis a ver, porque eu vivo e vós vivereis. 20 Naquele dia conhecereis que estou em meu Pai, e vós em mim e eu em vós. 21 Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda, esse é que me ama. E aquele que me ama será amado por meu Pai, e eu o amarei e manifestar-me-ei a ele.

23 de maio dia de São Batista de Rossi,Confessor.

 Santo João Batista de Rossi nasceu no dia 22 de fevereiro de 1698, em Voltagio, na província de Gênova, Itália. Aos dez anos, foi trabalhar para uma família muito rica em Gênova como pajem, para poder estudar e manter-se. Três anos depois, transferiu-se, definitivamente, para Roma, morando na casa de um primo que já era sacerdote e estudando no Colégio Romano dos jesuítas. Lá se doutorou em filosofia, convivendo com os melhores e mais preparados de sua geração de clérigos. Depois, os cursos de teologia ele concluiu com os dominicanos de Minerva.A todo esse esforço intelectual João Batista acrescentava uma excessiva carga de atividade evangelizadora, mesmo antes de ser ordenado sacerdote, junto aos jovens e às pessoas abandonadas e pobres. Com isso, teve um esgotamento físico e psicológico tão intenso que desencadearam os ataques epiléticos e uma grave doença nos olhos.
 Nunca mais se recuperou e teve de conviver com essa situação o resto da vida. Contudo ele nunca deixou de praticar a penitência, concentrada na pouca alimentação, minando ainda mais seu frágil organismo.
 Recebeu o sacerdocio em 1721. Nessa ocasião, devido à experiência adquirida na direção dos grupos de estudantes, decidiu fundar a Pia União de Sacerdotes Seculares, que dirigiu durante alguns anos. Por lá, até o final de 1935, passaram ilustres personalidades do clero romano, alguns mais tarde a Igreja canonizou e outros foram eleitos para dirigi-la.
 Entretanto João Batista queria uma obra mais completa, por isso fundou e também dirigiu a Casa de Santa Gala, para rapazes carentes, e a Casa de São Luiz Gonzaga, para moças carentes. Aliás, esse era seu santo preferido e exemplo que seguia no seu apostolado.
 O seu rebanho eram os mais pobres, doentes, encarcerados e pecadores. Tinha o dom do conselho, era atencioso e paciente com todos os fiéis, que formavam filas para se confessarem com ele. O tom de consolação, exortação e orientação com que tratava seus penitentes atraía cristãos de toda a cidade e de outras vizinhanças. João Batista era incansável, dirigia tudo com doçura e firmeza, e onde houvesse necessidade de algum socorro ali estava ele levando seu fervor e força espiritual.
 Quando seu primo cônego morreu, ele foi eleito para sucedê-lo em Santa Maria, em Cosmedin, Roma. Mas acabou sendo dispensado da obrigação do coro para poder dedicar-se com maior autonomia aos seus compromissos apostólicos.
 Aos sessenta e seis anos de idade, a doença finalmente o venceu e ele morreu no dia 23 de maio de 1764, tão pobre que seu enterro foi custeado pela caridade dos devotos. João Batista de Rossi foi canonizado pelo papa Leão XIII em 1881, que marcou sua celebração para o dia de sua morte.

sexta-feira, 22 de maio de 2015

Kit São José (Novidade)

R$ 20,00 Frete incluso. 

10 cordões de São José+ os livros de Santa Teresinha,Marido,Pai e Apóstolo.

3 escapulário verde emblema e brindes.

 

 http://www.lojinhadoconvento.blogspot.com.br/2012/01/quite-de-sao-jose.html

 


22 de maio dia de Santa Rita de Cássia.

22/05 Sexta-feira  
Festa de Quarta Classe
Paramentos Brancos

 Santa Rita nasceu no ano de 1381, na província de Umbria, Itália, exatamente na cidade de Cássia. Rita, ainda na infância, manifestou sua vocação religiosa. Diferenciando-se das outras crianças, ao invés de brincar e aprontar as peraltices da idade preferia ficar isolada em seu quarto, rezando. Para atender aos desejos de seus pais já idosos, Rita casou-se com um homem de nome Paulo Ferdinando, que, a princípio, parecia ser bom e responsável. Mas, com o passar do tempo, mostrou um caráter rude, tornando-se violento e agressivo. A tudo ela suportava com paciência e oração. Tinha certeza de que a penitência e a abnegação conseguiriam convertê-lo aos preceitos de amor a Cristo. Um dia, Paulo, finalmente, se converteu sinceramente, tornando-se bom marido e pai. Entretanto suas atitudes passadas deixaram um rastro de inimizades, que culminaram com seu assassinato, trazendo grande dor e sofrimento ao coração de Rita. . Dedicou-se, então, aos dois filhos ainda pequenos, que na adolescência descobriram a verdadeira causa da morte do pai e resolveram vingá-lo, quando adultos. Rita tentou, em vão, impedir essa vingança. Desse modo, pediu a interferência de Deus para tirar tal idéia da cabeça dos filhos e que, se isso não fosse possível, os levasse para junto dele. Assim foi. Em menos de um ano, os dois filhos de Rita morreram, sem concretizar a vingança.
 Santa Rita ficou sozinha no mundo e decidiu dar um novo rumo à sua vida. Determinada, resolveu seguir a vocação revelada ainda na infância: tornar-se monja agostiniana. As duas primeiras investidas para ingressar na Ordem foram mal-sucedidas. Segundo a tradição, ela pediu de forma tão fervorosa a intervenção da graça divina que os seus santos de devoção, Agostinho, João Batista e Nicolau, apareceram e a conduziram para dentro dos portões do convento das monjas agostinianas. A partir desse milagre ela foi aceita.
 Ela se entregou, completamente, a uma vida de orações e penitências, com humildade e obediência total às regras agostinianas. Sua fé era tão intensa que na sua testa apareceu um espinho da coroa de Cristo, estigma que a acompanhou durante quatorze anos, mantido até o fim da vida em silencioso sofrimento dedicado à salvação da humanidade.
 Rita morreu em 1457, aos setenta e seis anos, em Cássia. Sua fama de santidade atravessou os muros do convento e muitos milagres foram atribuídos à sua intercessão. Sua canonização foi assinada pelo papa Leão XIII em 1900.

Leitura da Epístola dos

I São Pedro 4,7-11.
7 O fim de todas as coisas está próximo. Sede, portanto, prudentes e vigiai na oração. 8 Antes de tudo, mantende entre vós uma ardente caridade, porque a caridade cobre a multidão dos pecados (Pr 10,12). 9 Exercei a hospitalidade uns para com os outros, sem murmuração. 10 Como bons dispensadores das diversas graças de Deus, cada um de vós ponha à disposição dos outros o dom que recebeu: 11 a palavra, para anunciar as mensagens de Deus; um ministério, para exercê-lo com uma força divina, a fim de que em todas as coisas Deus seja glorificado por Jesus Cristo. A ele seja dada a glória e o poder por toda a eternidade! Amém.


Sequência do Santo Evangelho

São João 15,26-27 ;  16, 1-4
26 Quando vier o Paráclito, que vos enviarei da parte do Pai, o Espírito da Verdade, que procede do Pai, ele dará testemunho de mim. 27 Também vós dareis testemunho, porque estais comigo desde o princípio1 Disse-vos essas coisas para vos preservar de alguma queda. 2 Expulsar-vos-ão das sinagogas, e virá a hora em que todo aquele que vos tirar a vida julgará prestar culto a Deus. 3 Procederão deste modo porque não conheceram o Pai, nem a mim. 4 Disse-vos, porém, essas palavras para que, quando chegar a hora, vos lembreis de que vo-lo anunciei. E não vo-las disse desde o princípio, porque estava convosco.

quinta-feira, 21 de maio de 2015

21 de maio dia de São Pacômio. Eremita.

21/04 Quinta-feira  
Festa de Quarta Classe 
Paramentos Brancos

  São Pacômio nasceu no Egito, em 287, na Tebaida. Filho de pais pagãos, cheios de superstições e idolatrias, desde a infância mostrou grande aversão a tudo isso. Aos vinte anos de idade foi convocado para o exército imperial e acabou ficando prisioneiro em Tebes. Foi quando fez o seu primeiro contato com os cristãos, cuja religião até então lhe era desconhecida.
 À noite, na prisão, recebeu um pouco de alimento de alguns cristãos, que, escondidos, conseguiram entrar. Comovido com esse gesto de pessoas desconhecidas, perguntou quem havia mandado que fizessem aquilo e eles responderam: "Deus que está no céu". Nessa noite, Pacômio rezou com eles para esse Deus, sentindo já nas primeiras palavras ouvidas que esta seria a sua doutrina. O Evangelho o tocou de tal forma que ele se converteu e voltou para o Egito, onde recebeu o batismo. 
 Depois, compartilhou durante sete anos a companhia de um ancião eremita de nome Palemon, que vivia dedicado à oração. A princípio, o ancião não quis aceitá-lo a seu lado, porque sabia que a vida de solidão e orações não era nada fácil. Mas Pacômio estava determinado e convenceu-o de que deveria ficar.
 Um dia, durante suas caminhadas, Pacômio ouviu uma voz que lhe dizia para inaugurar ali, exatamente naquele lugar, um mosteiro onde receberia e acolheria muitos religiosos. Depois, apareceu-lhe um anjo que o ensinou como deveria organizar o mosteiro.
 Pacômio pôs-se a trabalhar arduamente e o deixou pronto. As profecias que ele ouviu se concretizaram e muitas pessoas se juntaram a ele. Monges, eremitas e religiosos de todos os lugares pediram admissão no mosteiro de Pacômio, que obteve a aprovação do bispo Atanásio, santo e doutor da Igreja. Até seu irmão João, que distribuiu toda a sua riqueza entre os pobres, uniu-se a ele.
 Com Pacômio nasceu a vida monástica, ou cenobítica, no Egito, não mais com um chefe carismático que agregava ermitãos reunidos em pequenos grupos em torno de si, mas uma comunidade de religiosos, com regras precisas de vida em comum na oração, contemplação e trabalho, a exemplo dos primeiros apóstolos de Jesus.
 Pacômio ainda abriu mais oito mosteiros masculinos e um feminino. Sua fama de santidade espalhou-se pelo Egito e pela Ásia Menor. Foi agraciado por Deus com o dom da profecia e morreu no ano de 347, vítima de uma peste que assolava o Egito na época. Até o século XII, havia, ainda, cerca de quinhentos monges da Ordem de São Pacômio.

Leitura da Epístola dos

I São Pedro 4,7-11.
7 O fim de todas as coisas está próximo. Sede, portanto, prudentes e vigiai na oração. 8 Antes de tudo, mantende entre vós uma ardente caridade, porque a caridade cobre a multidão dos pecados (Pr 10,12). 9 Exercei a hospitalidade uns para com os outros, sem murmuração. 10 Como bons dispensadores das diversas graças de Deus, cada um de vós ponha à disposição dos outros o dom que recebeu: 11 a palavra, para anunciar as mensagens de Deus; um ministério, para exercê-lo com uma força divina, a fim de que em todas as coisas Deus seja glorificado por Jesus Cristo. A ele seja dada a glória e o poder por toda a eternidade! Amém.


Sequência do Santo Evangelho

São João 15,26-27 ;  16, 1-4
26 Quando vier o Paráclito, que vos enviarei da parte do Pai, o Espírito da Verdade, que procede do Pai, ele dará testemunho de mim. 27 Também vós dareis testemunho, porque estais comigo desde o princípio1 Disse-vos essas coisas para vos preservar de alguma queda. 2 Expulsar-vos-ão das sinagogas, e virá a hora em que todo aquele que vos tirar a vida julgará prestar culto a Deus. 3 Procederão deste modo porque não conheceram o Pai, nem a mim. 4 Disse-vos, porém, essas palavras para que, quando chegar a hora, vos lembreis de que vo-lo anunciei. E não vo-las disse desde o princípio, porque estava convosco.

quarta-feira, 20 de maio de 2015

20 de maio dia de São Bernardino de Sena

20/05 Quarta-feira 
Festa de Terceira Classe 
Paramentos Brancos
  Nasceu em Massa, perto de Siena, em 1380. Cedo perdeu os pais e sua educação foi confiada a uma tia, de nome Diana, mulher de grande e sólidas virtudes. Menino ainda, manifestou Bernardino uma predileção declarada pela oração, pela vida religiosa e pelo estudo. Grande era o amor que tinha à pureza do coração. Não dando maus exemplos aos companheiros, também não tolerava proferissem uma palavra sequer contra o pudor. Bastava-lhe a presença, para contê-los na linha. "Calados, aí vem Bernardino!", diziam interrompendo a conversa, pois sabiam que lhes importava uma repreensão. Um homem que se atrevera a dizer palavras obscenas em presença de Bernardino, dele recebeu um tapa no rosto, com a intimação de não continuar e proferir obscenidades. Contra um outro despudorado recrutou um bando de meninos, que a pedradas o perseguiam até fora da cidade. Diana tinha uma filha muito piedosa, de nome Tobia. Bernardino de vez em quando a visitava com o fim de receber salutares instruções. Um dia, Bernardino confidenciou à tia que achava-se enamorado de uma donzela formosíssima e lhe faltaria paz e sossego se não a visitasse diariamente. A piedosa Diana, ao ouvir tal declaração, não pouco se assustou sem, porém, dar demonstração de desassossego. Para descobrir o segredo de Bernardino, observou-o atentamente e qual não foi a alegria e consolo quando soube que a querida de Bernardino era Maria Santíssima, a Virgem Imaculada, cuja imagem belíssima encontrava-se às portas da cidade. Bernardino contava 20 anos, quando sua terra foi visitada pela peste, tendo com muita dedicação tratado dos doentes no hospital, serviço esse que perdurou quatro meses, quando se sentiu acometido por violenta febre. Reconvalesceu, porém, e foi morar num subúrbio de Siena, onde , com extremo fervor, dedicou-se às obras de caridade para conhecer a vontade de Deus, relativa à sua vocação. Após longo exame, decidiu-se pelo hábito de São Francisco e foi admitido na ordem. Em pouco tempo admitiu tal popularidade que era chamado o "Apóstolo da Itália". As igrejas foram ficando pequenas para comportar o povo e em muitos lugares as práticas eram feitas ao ar livre.Em determinada cidade atacou com tal vigor a jogatina que não havia mais quem quisesse pegar no baralho. Um homem queixoso, apresentou-se ao Santo homem, pois vivia do fabrico de cartas de jogo, pois, fechadas as espeluncas, não vendia os dantes procurados artigos. Bernardino, consolando-o, recomendou-lhe que fabricasse santinhos e objetos de devoção, no que foi atendido, e o homem, em vez de continuar queixoso, muito lhe agradeceu, pois muito maior lhe foi em seguida o lucro com a venda desses produtos. Três vezes foi-lhe oferecida a dignidade episcopal, uma dessas, inclusive, pelo próprio Papa. Bernardino, porém, negou-se a aceitá-la, alegando que esperava fazer maior bem no apostolado da pregação. Inimigos surgiram-lhe nas pessoas que mais se sentiram melindradas pelas suas verberações francas e evangélicas. De parte desses , vieram muitas calúnias e perseguições atrozes. Bernardino porém, não deixou intimidar-se, defendendo-se curta e claramente, deixando o resto à Deus. Quando, pela primeira vez, em companhia de um irmão leigo, passava a sacola esmolando pelas ruas da cidade, uns meninos mal educados passaram a zombar do Santo e a atirar-lhe pedras. O companheiro, indignado com tal desconsideração, quis reagir e dar-lhes a merecida paga. Bernardino, porém disse-lhe: "Deixa os meninos divertirem-se. Que mal faz? Não nos ajudam a ganhar o céu com a prática da paciência?" Em outra ocasião foi convidado por uma fidalga a procurá-la no seu palacete. Bernardino, na boa fé de receber uma esmola lá esteve, porém, grande foi a sua decepção. Em vez da esmola, recebeu da mulher propostas indecorosas, com ameaça de gritar por socorro e denunciá-lo, caso não a atendesse. O Santo empalideceu. Procurou um meio de sair da terrível emboscada. Curta foi-lhe a hesitação. Tirou do bolso um azorrague e curtiu tão desapiedadamente a própria pele, que a tentadora sequer lembrou-se da idéia infame e pediu-lhe humildemente perdão. Assim, Bernardino, salvou sua inocência. No ano de 1444, o Santo achava-se no caminho de Nápoles, onde ia pregar uma missão. Chegando a Aquila achou-se tão doente, que pediu os Santos Sacramentos, da Extrema Unção e do Viático. Pressentindo o desenlace, pediu que o deitassem ao chão sobre a cinza, elevou os olhos ao céu e nesta posição entregou a alma ao Criador. Depois de apenas seis anos, em 1450, o Papa Nicolau V o canonizou. O túmulo de São Bernardino se acha na Igreja dos Franciscanos em Áquila, onde tem sido glorificado com muitos milagres.

Leitura da Epístola dos

Eclesiástico 31, 8-11
8 Bem-aventurado o rico que foi achado sem mácula, que não correu atrás do ouro, que não colocou sua esperança no dinheiro e nos tesouros! 9 Quem é esse homem para que o felicitemos? Ele fez prodígios durante sua vida. 10 Àquele que foi tentado pelo ouro e foi encontrado perfeito, está reservada uma glória eterna: ele podia transgredir a lei e não a violou; ele podia fazer o mal e não o fez. 11 Por isso seus bens serão fortalecidos no Senhor, e toda a assembléia dos santos louvará suas esmolas.

Sequência do Santo Evangelho

São Mateus 19, 27-29
27 Pedro então, tomando a palavra, disse-lhe: Eis que deixamos tudo para te seguir. Que haverá então para nós? 28 Respondeu Jesus: Em verdade vos declaro: no dia da renovação do mundo, quando o Filho do Homem estiver sentado no trono da glória, vós, que me haveis seguido, estareis sentados em doze tronos para julgar as doze tribos de Israel. 29 E todo aquele que por minha causa deixar irmãos, irmãs, pai, mãe, mulher, filhos, terras ou casa receberá o cêntuplo e possuirá a vida eterna. 

terça-feira, 19 de maio de 2015

A CELEBRAÇÃO DA EUCARISTIA É AÇÃO RITUAL SIMBÓLICA ?

CHAMA-SE ISSO DE FORMAÇÃO DA  CNBB:
Como que 450 bispos de todo país discutem temas ligados à Igreja Católica e a evangelização?
Só se for evangelização a serviço da revolução da anti-religião Católica.
Me provem que 
estes textos tem de Católicos
A CELEBRAÇÃO DA EUCARISTIA É AÇÃO RITUAL 
Formação Litúrgica em Mutirão
CNBB - rede celebra - revista de liturgia
Ficha 46

 Esses modernistas está a servi do que?Com este escritos nem precisa dizer que estes textos não é da Santa Igreja Católica vejam um trecho desta ficha 46; 

A liturgia é ação simbólica continua afirmar esta heresia.
O rito é uma ação simbólica e agora afirma que rito é simbólico.

Olha esta outra afirmação:
Todas as religiões têm seus ritos, conjunto de ações repetidas para expressar sua fé, sua maneira de ver a vida, o mundo, sua relação com a divindade. Assim conseguem guardar e transmitir para outras gerações seus valores, suas raízes. “Mudar constantemente os ritos significa mudar os fundamentos, esquecer as raízes”.


A 5ª SSB é um processo nacional que está em curso desde 2011 em todo o Brasil e promove a participação ampla de pessoas e entidades, a abertura ao ecumenismo e diálogo inter-religioso, o pluralismo de ideias e valores, o exercício do debate democrático em todas as instâncias e o ensaio coletivo de iniciativas transformadoras. O momento de encerramento dos trabalhos da 5ª Semana acontecerá de 2 a 5 de setembro. A palavra é do coordenador 
Pe. Nelito Dornelas:
ELE AFIRMA QUE DE 500 ANOS DE BRASIL E SÓ TEM 50 DE DEMOCRACIA PORQUE SERÁ PORQUE O SUPER CONCILIO VATICANO II TEM 50 ANOS ISTO NÃO É DEMOCRACIA E SIM  REVOLUÇÃO CONTRA SANTA IGREJA ELE CITA QUEM  João XXIII PARA SE APOIAR EM SEU TRABALHO ANTICATÓLICO. 

O que é verdade ensinada que os modernistas da CNBB não sabem ou estão agindo de ma fé ou sua hipocrisia e grande de mais.

A Fé uma virtude Teologal que só a Santa Igreja Católica POSSUI POR ISTO O DOGMA FORA DA SANTA IGREJA NÃO HÁ SALVAÇÃO.

Missa de hoje Indiana da forma da anti-formação da CNBB.
A missa como temos hoje, é constituída de quatro ações rituais fundamentais: Ritos iniciais, Rito da Palavra, Rito Eucarístico e Ritos finais. Cada uma delas é um conjunto de pequenos ritos, com seu significado teológico e que exige por sua vez, uma atitude espiritual correspondente. 



    Para os modernistas tudo é quatro ações rituais e incluem nisto a parte da consagração como simples ritos eucarístico logo para eles como dizem sua anti-formação. O rito é uma ação simbólica por isto que quando afirmamos que esta missa DE HOJE não se deve ir porque eles não tem fé e querem tirar de quem tem com essas afirmações em seus livros que tem a coragem de dizer que são Formação Litúrgica em Mutirão; sim mutirão da revolução anti-católica isto não é a Liturgia Católica isto podemos afirmar com segurança ao ler um texto blasfemo deste.

Outra afirmação deste texto:
Não se modifica arbitrariamente, não se muda só pelo gosto de novidade o que é essencial num rito. É sua expressão cultural que pode e deve ser mudada, ajustando-o ao estilo de cada povo que tem seu jeito próprio de ser e agir, de comer, de beber, agradecer, expressar o perdão, o afeto, o amor. Uma refeição comum feita no corre-corre da semana é diferente de um jantar em dia de festa ou do almoço aos domingos. Os acontecimentos também trazem sempre elementos novos e diferentes a uma celebração.
MISSA Gaúcha obedecendo a CNBB.É sua expressão cultural que pode e deve ser mudada, ajustando-o ao estilo de cada povo...
 Pergunto agora quando nosso Senhor afirmou isto que esta escrito acima quando um documento da verdadeira Igreja Católica escreveu esse tipo de anti-formação.

Catecismo São Pio X
 CAPÍTULO III
Virtudes
 http://www.lojinhadoconvento.blogspot.com.br/2015/05/novidade-da-cruzadas-da-boa-leitura.html


§ 1. Virtudes em geral – Virtudes teologais

1.           O que é a virtude?
A virtude é uma constante disposição da alma para fazer o bem.

2.           Quantas espécies de virtude existem?
Existem duas espécies de virtude: as virtudes naturais, que adquirimos repetindo atos bons, como aquelas que se dizem morais, e as virtudes sobrenaturais que não podemos adquirir nem mesmo exercitar só com nossas forças, mas nos vêm dadas por Deus, e são as virtudes próprias do cristão.


1.           Quais são as virtudes próprias do cristão?
As virtudes próprias do cristão são as virtudes sobrenaturais e especialmente a Fé, a Esperança e a Caridade, que se chamam teologais ou divinas, pois têm o próprio Deus por objeto e por motivo.

2.           Como recebemos e exercitamos as virtudes sobrenaturais?
Recebemos e exercitamos as virtudes sobrenaturais junto à graça santificante, por meio dos sacramentos ou pelo amor de caridade, e as exercitamos com as graças atuais dos bons pensamentos e das inspirações com as quais Deus nos move e nos ajuda em todo ato bom.

3.           Dentre as virtudes sobrenaturais qual é a mais excelente?
Dentre as virtudes sobrenaturais a mais excelente é a caridade, pois é inseparável da graça santificante, nos une intimamente a Deus e ao próximo, nos move à perfeita observância da Lei e a toda boa obra, e não cessará nunca: nela está a perfeição cristã.


4.           O que é a Fé?
A Fé é a virtude sobrenatural pela qual cremos, sob a autoridade de Deus, o que Ele revelou e nos propõe a crer por meio da Igreja.

5.           Onde se conserva o que Deus revelou e nos propõe a crer por meio da Igreja?
O que Deus revelou e nos propõe a crer por meio da Igreja se conserva na Sagrada Escritura e na Tradição.

6.           O que é a Sagrada Escritura?
A Sagrada Escritura é a coleção dos livros escritos por inspiração de Deus no Velho e no Novo Testamento, e recebida pela Igreja como obra do próprio Deus.

7.           O que é a Tradição?
A Tradição é o ensinamento de Jesus Cristo e dos Apóstolos, feito a viva voz, e da Igreja transmitido até nós sem alteração.

8.           Quem pode, com autoridade, fazer-nos conhecer inteiramente e no verdadeiro sentido as verdades contidas na Escritura e na Tradição?
Só a Igreja pode, com autoridade, fazer-nos conhecer inteiramente e no verdadeiro sentido as verdades contidas na Escritura e na Tradição, pois só a Ela Deus confiou o depósito da Fé e mandou o Espírito Santo que continuamente a assiste, a fim de que não erre.

9.           Basta crer em geral nas verdades reveladas por Deus?
Não basta crer em geral nas verdades reveladas por Deus, mas algumas, isto é, a existência de Deus remunerador e os dois mistérios principais, devem-se crer também com expresso ato de Fé.

Missa de Ontem Hoje e Sempre.

Dom Williamson - A verdadeira e a falsa obediência (Legendado)
CLIQUE NA TECLA CC NÃO APARECER A LEGENDA OU NO QUADRADO COM DOIS --.

Reze todos os dias o Santo Rosário.