domingo, 16 de junho de 2019

Festa da Santíssima Trindade

15/06 1º Domingo depois da Pentecostes
Festa de Primeira Classe 
Paramentos Brancos

Leitura da Epístola dos

Romanos 11, 33-36

33.Ó abismo de riqueza, de sabedoria e de ciência em Deus! Quão impenetráveis são os seus juízos e inexploráveis os seus caminhos!34.Quem pode compreender o pensamento do Senhor? Quem jamais foi o seu conselheiro?35.Quem lhe deu primeiro, para que lhe seja retribuído?36.Dele, por ele e para ele são todas as coisas. A ele a glória por toda a eternidade! Amém

Sequência do Santo Evangelho 

São Mateus 28, 18-20
18.Mas Jesus, aproximando-se, lhes disse: Toda autoridade me foi dada no céu e na terra.19.Ide, pois, e ensinai a todas as nações; batizai-as em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.20.Ensinai-as a observar tudo o que vos prescrevi. Eis que estou convosco todos os dias, até o fim do mundo.
 
Viva Cristo Rei e Maria Rainha.

Rezem todos os dias o Santo Rosário.

Dia 16 de junho dia de São Quírico e Julita. Mártires

Mártires: Mãe e Filho

Martirológico Romano: Na província romana da Ásia Menor, em comemoração ao Santos Quirico e Julita, os mártires.
 Quando editos de Diocleciano contra os cristãos foram aplicados com a máxima severidade em Licaônia, uma viúva chamada Julia, que morava em Konya, julgou prudente retirar de um distrito, onde ocupou uma posição de destaque e buscar um porto seguro sob uma forma mais branda. Consequentemente, levou seu filho Quiricio ou Ciriaco, três anos, e dois dos seus servos e fugiu para a Selêucia. Não ficou chocada ao descobrir que a perseguição foi ainda mais cruel, sob a direção de Alexandre, o governador e, portanto, continuou seu vôo para Tarso. Sua chegada na cidade foi intempestiva, uma vez que coincidiu com a de Alexandre, alguns membros da comitiva do governador reconheceu o pequeno grupo de peregrinos. Quase imediatamente, Julia foi presa e trancado na prisão. Aparecendo diante dos juízes que iria julgá-la, pegou o filho pela mão e usava uma serenidade absoluta. Julita foi uma senhora de linhagem nobre, com posses muito vastas e ricas em Icônio, mas em resposta a perguntas sobre seu nome, estatuto e local de nascimento, apenas disse que ela era cristã. Consequentemente, o processo ocorreu e foi condenado à pena de chicotadas amarrado a estacas. Antes de dar cumprimento ao acórdão, seu filho foi arrebatado Ciriaco, apesar de suas lágrimas e protestos.
 Ciriaco era uma criança muito bonita e que o governador levou em seus braços e sentou-se de joelhos em uma vã tentativa de ter deixado de lamentar. A criatura só queria voltar para o lado de sua mãe e esticou os braços para ela como o chicote e quando Julia gritou, em meio a tortura: "Eu sou uma cristã" A criança respondeu como um eco: "Eu também sou cristão! ". Em um ponto, pela ansiedade de se livrar das mãos que o prendiam e correr para sua mãe, o menino começou a lutar e, como Alexander lutou para contê-lo, deu-lhe alguns pontapés e arranhou seu rosto. Nas circunstâncias, acendeu a ira do governador. Ele entrou em um acesso de raiva, a criatura levantou uma perna e jogou-o com força nos degraus ao pé da tribuna, o crânio foi fraturado e ele morreu instantaneamente. Julita tinha presenciado tudo, desde as estacas onde foi amarrado, mas sim para expressar sua dor, ele levantou sua voz para dar graças a Deus por ter dado seu filho a coroa do martírio. Sua atitude não é só aumentou a raiva de Alexandre. Este desgarrassem ordenou que os lados da mulher infeliz com ganchos, que foi decapitado e seu corpo, junto com seu filho, foi atirado para o lixo nos arredores da cidade, com o resto dos criminosos. No entanto, após a execução, o corpo de Julia e Quírico foram resgatados pelas duas empregadas trouxera , que os enterraram secretamente em um campo vizinho.
 Quando Constantino restabeleceu a paz à Igreja, um desses funcionários revelou onde foram enterrados os restos mortais dos mártires e dos fiéis acorreram para venerar. Diz-se que as supostas relíquias de São Ciríaco mudou-se para Antioquia no século IV por iniciativa do bispo de Auxerre. Isto estendeu o culto ao Menino na França sob o nome de Santo Quírico.



Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo Rosário

sábado, 15 de junho de 2019

Sábado das Têmporas de Pentecostes

15/06 Sábado das Quatro-Têmporas de Pentecostes
Festa de Primeira Classe 
Paramentos Vermelhos
Leitura da Epístola do

Romanos 5,1-5

1Justificados, pois, pela fé temos a paz com Deus, por meio de nosso Senhor Jesus Cristo.2Por ele é que tivemos acesso a essa graça, na qual estamos firmes, e nos gloriamos na esperança de possuir um dia a glória de Deus.3Não só isso, mas nos gloriamos até das tribulações. Pois sabemos que a tribulação produz a paciência,4a paciência prova a fidelidade e a fidelidade, comprovada, produz a esperança.5E a esperança não engana. Porque o amor de Deus foi derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado.

Sequência do Santo Evangelho 

São Lucas 4, 38-44

38Saindo Jesus da sinagoga, entrou na casa de Simão. A sogra de Simão estava com febre alta; e pediram-lhe por ela.39Inclinando-se sobre ela, ordenou ele à febre, e a febre deixou-a. Ela levantou-se imediatamente e pôs-se a servi-los.40Depois do pôr-do-sol, todos os que tinham enfermos de diversas moléstias lhos traziam. Impondo-lhes a mão, os sarava.41De muitos saíam os demônios, aos gritos, dizendo: Tu és o Filho de Deus. Mas ele repreendia-os severamente, não lhes permitindo falar, porque sabiam que ele era o Cristo.42Ao amanhecer, ele saiu e retirou-se para um lugar afastado. As multidões o procuravam e foram até onde ele estava e queriam detê-lo, para que não as deixasse.43Mas ele disse-lhes: É necessário que eu anuncie a boa nova do Reino de Deus também às outras cidades, pois essa é a minha missão.44E andava pregando nas sinagogas da Galiléia.

Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo Rosário.

15 de junho dia de São Vitor( São Guido) Martir.


 São Vitor nasceu na Sicília. Sua vida tem fatos extraordinários, com 7 anos já era cristão convicto. Ele foi um dos santos mais populares da Idade Média. Testemunho disso é a sua inserção no limitado grupo dos Santos Auxiliadores aos doze. De acordo com Atas do seu martírio, São Vitor foi instruído secretamente na doutrina cristã pelo casal Modesto, seu preceptor, e Crescência, sua ama-seca ao descobrir, seu pai, Hilas, tentou persuadir o filho a abandonar a fé Crista e prestar homenagens as divindades e não conseguindo persuadi-lo, maltratou barbaramente. Vendo, entretanto, que nada conseguia, entregou-o ao Governador Valeriano, para que tomasse as providências, que a lei exigia. O garoto foi preso e levado perante o tribunal. Como continuou declarando-se cristão, foi açoitado e posto em liberdade. São Vitor, Modesto e Crescência, fugiram de Sicília e alcançaram as costas de Nápoles, em Lucânia. Ficaram vagando as margens do rio Siluro, até que conseguiram chegar a Roma. Não demorou a novamente serem presos, açoitados e condenados às feras. Uma forte tempestade desabou sobre os espectadores, possibilitando a fuga dos prisioneiros para Lucânia. 


A fama de São Vitor chegou até aos ouvidos de Diocleciano, cujo filho estava doente epilético, doença então impressionante. São Vitor foi a Roma, curou o moço com o sinal da cruz e por recompensa foi torturado e jogado novamente no cárcere. Mas o anjo libertou-o novamente. Somente mais tarde sofreu o martírio sob o imperador romano Diocleciano. São Vitor é um dos “Quatorze Santos Ajudantes” ou Quatorze Santos Auxiliares e é invocado como padroeiro dos Parkinson e epilépticos se chamava doença de São Guido, “Dança de São Guido” São Vitor, e conhecido no Brasil como São Guido.


Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo Rosário


sexta-feira, 14 de junho de 2019

Sexto dia da Oitava de Pentecoste.

14/06 Sexta das Quatro-Têmporas de Pentecostes
Festa de Primeira Classe 
Paramentos Vermelhos

Leitura da Epístola do

Profeta Joel 2,23-27
23.Alegrai-vos, filhos de Sião, e rejubilai no Senhor, vosso Deus, porque ele vos dá as chuvas do outono no tempo oportuno, e faz cair chuvas copiosas sobre vós, as chuvas do outono e da primavera, como dantes.24.As eiras se encherão de trigo, os lagares transbordarão de vinho e de óleo novo.25.Restituir-vos-ei as colheitas devoradas pelo gafanhoto, pelo roedor, pelo devastador e pela lagarta, (esse) meu poderoso exército que mandei contra vós.26.Comereis abundantemente e vos fartareis, e louvareis o nome do Senhor, vosso Deus, que fez maravilhas em vosso favor; e jamais meu povo será confundido.27.Sabereis então que estou no meio de Israel, que sou o Senhor, vosso Deus, e que não há outro. E jamais meu povo será confundido. 

Sequência do Santo Evangelho 

São Lucas 5, 17-26
17.Um dia estava ele ensinando. Ao seu derredor estavam sentados fariseus e doutores da lei, vindos de todas as localidades da Galiléia, da Judéia e de Jerusalém. E o poder do Senhor fazia-o realizar várias curas.18.Apareceram algumas pessoas trazendo num leito um homem paralítico; e procuravam introduzi-lo na casa e pô-lo diante dele.19.Mas não achando por onde o introduzir, por causa da multidão, subiram ao telhado e por entre as telhas o arriaram com o leito ao meio da assembléia, diante de Jesus.20.Vendo a fé que tinham, disse Jesus: Meu amigo, os teus pecados te são perdoados.21.Então os escribas e os fariseus começaram a pensar e a dizer consigo mesmos: Quem é este homem que profere blasfêmias? Quem pode perdoar pecados senão unicamente Deus?22.Jesus, porém, penetrando nos seus pensamentos, replicou-lhes: Que pensais nos vossos corações?23.Que é mais fácil dizer: Perdoados te são os pecados; ou dizer: Levanta-te e anda?24.Ora, para que saibais que o Filho do Homem tem na terra poder de perdoar pecados (disse ele ao paralítico), eu te ordeno: levanta-te, toma o teu leito e vai para tua casa.25.No mesmo instante, levantou-se ele à vista deles, tomou o leito e partiu para casa, glorificando a Deus.26.Todos ficaram transportados de entusiasmo e glorificavam a Deus; e tomados de temor, diziam: Hoje vimos coisas maravilhosas.

Viva Cristo Rei e Maria Rainha.

Rezem todos os dias o Santo Rosário.

14 de junho dia de São Basílio Magno. Bispo. Confessor e Doutor.

”Qual é o significado e o poder do Batismo? Que o batizado se transforma nos pensamentos, nas palavras e nas obras, e se torna — em virtude do poder que lhe foi concedido — como é Aquele por quem foi gerado”.

  São Basílio nasceu em Cesareia (actual Kayseri), capital da Capadócia, na Ásia Menor no seio de uma família profundamente cristã. O seu pai era Basílio, o Velho, e a sua mãe, Emília de Cesareia. Estudou em Constantinopla e Atenas. Entre seus nove irmãos figuraram: Gregório de Nissa, Macrina, a Jovem e Pedro de Sebaste, todos canonizados pela Igreja. É também neto de Macrina Maior.
 Como seus colegas de estudo teve o futuro imperador Juliano, o apóstata, e Gregório Nazianzeno, também capadócio e seu amigo inseparável, que escreveu sobre os dois: "conhecíamos apenas duas ruas na cidade: a que conduzia à Igreja e a que nos levava à escola".
 Terminando os seus estudos, Basílio retornou a Cesárea, foi batizado e determinou-se a seguir a pobreza evangélica. Visitou e estudou em mosteiros do Egito, Palestina, Síria e Mesopotâmia. Em seguida morou numa estalagem na região do Ponto, perto do rio Íris, entregando-se a uma vida solitária de oração e estudo, e fundando o primeiro mosteiro da Ásia Menor.
 A heresia ariana naquela época estava no auge, sendo que os ortodoxos eram perseguidos pelos hereges. Basílio foi ordenado diácono e sacerdote em Cesareia em 363, mas retirou-se para o Ponto para evitar conflitos com o arcebispo Eusébio.
 Em 365, o seu amigo Gregório de Nanzianzo retirou Basílio do seu retiro, e em 370, quando o arcebispo Eusébio morreu, deixando vaga a sede arquiepiscopal, Basílio foi eleito para ocupá-la. Com a morte de Santo Atanásio, pouco depois, Basílio passou a ser o último defensor da ortodoxia no oriente, morrendo em 1 de janeiro de 379, aos 49 anos.
 Dedicou as suas maiores energias a defender a doutrina da consubstancialidade do Verbo, definida solenemente no Primeiro Concílio de Niceia (325). Por este motivo sofreu muitos ataques dirigidos pelos arianos e pelas autoridades imperiais, que queriam impor a doutrina de Ário. Em conjunto com São Gregório de Nazianzo e São Gregório de Nissa, contribuiu de maneira decisiva na tarefa de precisão conceptual dos termos com os quais a Igreja viria a expor o dogma trinitário, preparando, desta maneira, o Primeiro Concílio de Constantinopla (381), que enunciou de forma definitiva a doutrina sobre a Santíssima Trindade.
 A sua produção literária compreende trabalhos dogmáticos, ascéticos, pedagógicos e litúrgicos. A ele se deve a fixação definitiva de uma das mais conhecidas liturgias orientais: a Divina Liturgia de São Basílio. Junto com São Gregório de Nanzianzo, escreveu duas Regras que tiveram uma influencia decisiva na vida monástica do Oriente cristão. A sua festa litúrgica celebra-se a 2 de Janeiro.

Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dia Santo Rosário

quinta-feira, 13 de junho de 2019

13 de junho dia de Santo Antônio, Confessor e Doutor. Padroeiro de Campo Grande-MS

13/06 Quinta-feira
Festa de Terceira Classe 
Paramentos Brancos
  Festa Primeira Classe para Campo Grande pois é Padroeiro da Cidade.

 Santo António (português europeu) de Lisboa, internacionalmente conhecido como Santo António de Pádua, OFM (Lisboa, Pádua, 13 de Junho de 1231), de seu nome de batismo Fernando Martins de Bulhões, foi um Doutor da Igreja que viveu na viragem dos séculos XII e XIII. Primeiramente foi frade agostiniano, tendo ingressado como noviço (1210) no Convento de São Vicente de Fora, em Lisboa, indo posteriormente para o Convento de Santa Cruz, em Coimbra, onde fez seus estudos de Direito. Tornou-se franciscano em 1220 e viajou muito, vivendo inicialmente em Portugal, depois na Itália e na França. No ano de 1221 passou a fazer parte do Capítulo Geral da Ordem de Assis, a convite do próprio Francisco, o fundador, que o convidou também a pregar contra os albigenses em França. Foi transferido depois para Bolonha e de seguida para Pádua, onde morreu aos 36 (ou 40) anos. Sua fama de santidade o levou a ser canonizado pela Igreja Católica pouco depois de falecer, distinguindo-se como teólogo, místico, asceta e sobretudo como notável orador e grande taumaturgo. Santo António de Lisboa é também tido como um dos intelectuais mais notáveis de Portugal do período pré-universitário. Foi o primeiro Doutor da Igreja franciscano, e seu conselho era buscado pelo próprio São Francisco. São Boaventura disse que ele possuía a ciência dos anjos. Tradição diz que em sua curta vida operou muitos milagres, como seguem alguns exemplos: Certa feita, meditando à beira-mar sobre a frequente aparição da imagem do peixe nas Escrituras, os peixes teriam se reunido a seus pés para escutá-lo. Teria restaurado um campo de trigo maduro para colheita que fora estropiado por uma multidão que o seguia; teria protegido milagrosamente seus ouvintes da chuva que caía durante um sermão, e uma mulher impedida pelo marido de ir ouvi-lo pôde escutar suas palavras a quilômetros de distância. Outros milagres populares são: quando em disputa com um herege albigense sobre a presença ou não do Deus vivo na hóstia consagrada, o herege, chamado Bonvillo, disse que se uma mula, tendo passado três dias sem comer, honrasse uma hóstia em detrimento de uma ração de aveia, ele acreditaria no santo. Segundo a história, assim que a mula foi liberta de seu cercado, faminta, desviou-se da ração e ajoelhou-se diante da hóstia que Antônio lhe mostrava. Restaurou o pé amputado de um jovem; soprou na boca de um noviço para expulsar as tentações que sofria, confirmando-o em sua vocação; quando hereges colocaram veneno em sua comida para verificar sua santidade, o santo fez o sinal da cruz sobre o alimento, comeu-o e nada sofreu, para o vexame dos seus tentadores. Outro milagre famoso trata-se da aparição do Menino Jesus ao santo durante uma de suas orações, uma cena multiplicada abundantemente em sua iconografia. Também é bastante conhecido um milagre ocorrido durante sua pregação num consistório diante do papa, inúmeros cardeais e clérigos, e gentes de várias nações, quando, discorrendo com sutilíssimo discernimento sobre intrincadas questões teológico, todos ouviram sua pregação na sua própria língua materna. Na ocasião, diante de tão assombroso fenômeno, que parecia uma reedição do Pentecostes bíblico, o papa o teria chamado de "a arca do Testamento, o arsenal da Sagrada Escritura".

Leitura da Epístola do

II Timóteo 4, 1-8.

1.Eu te conjuro em presença de Deus e de Jesus Cristo, que há de julgar os vivos e os mortos, por sua aparição e por seu Reino:2.prega a palavra, insiste oportuna e importunamente, repreende, ameaça, exorta com toda paciência e empenho de instruir.3.Porque virá tempo em que os homens já não suportarão a sã doutrina da salvação. Levados pelas próprias paixões e pelo prurido de escutar novidades, ajustarão mestres para si.4.Apartarão os ouvidos da verdade e se atirarão às fábulas.5.Tu, porém, sê prudente em tudo, paciente nos sofrimentos, cumpre a missão de pregador do Evangelho, consagra-te ao teu ministério.6.Quanto a mim, estou a ponto de ser imolado e o instante da minha libertação se aproxima.7.Combati o bom combate, terminei a minha carreira, guardei a fé.8.Resta-me agora receber a coroa da justiça, que o Senhor, justo Juiz, me dará naquele dia, e não somente a mim, mas a todos aqueles que aguardam com amor a sua aparição.

Sequência do Santo Evangelho 

São Mateus 5, 13-19
13.Vós sois o sal da terra. Se o sal perde o sabor, com que lhe será restituído o sabor? Para nada mais serve senão para ser lançado fora e calcado pelos homens.14.Vós sois a luz do mundo. Não se pode esconder uma cidade situada sobre uma montanha15.nem se acende uma luz para colocá-la debaixo do alqueire, mas sim para colocá-la sobre o candeeiro, a fim de que brilhe a todos os que estão em casa.16.Assim, brilhe vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem vosso Pai que está nos céus.17.Não julgueis que vim abolir a lei ou os profetas. Não vim para os abolir, mas sim para levá-los à perfeição.18.Pois em verdade vos digo: passará o céu e a terra, antes que desapareça um jota, um traço da lei.19.Aquele que violar um destes mandamentos, por menor que seja, e ensinar assim aos homens, será declarado o menor no Reino dos céus. Mas aquele que os guardar e os ensinar será declarado grande no Reino dos céus.

Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo Rosário.

Quinto dia da Oitava de Pentecoste.

13/06 Quinta-feira de Pentecostes
Festa de Primeira Classe 
Paramentos Vermelhos


Leitura da Epístola dos

Atos dos Apóstolos 8, 5-8
5 Assim Filipe desceu à cidade de Samaria, pregando-lhes Cristo. 6 A multidão estava atenta ao que Filipe lhe dizia, escutando-o unanimemente e presenciando os prodígios que fazia. 7 Pois os espíritos imundos de muitos possessos saíam, levantando grandes brados. Igualmente foram curados muitos paralíticos e coxos. 8 Por esse motivo, naquela cidade reinava grande alegria. 

Sequência do Santo Evangelho 

São João 14, 23-31
1 Reunindo Jesus os doze apóstolos, deu-lhes poder e autoridade sobre todos os demônios, e para curar enfermidades. 2 Enviou-os a pregar o Reino de Deus e a curar os enfermos. 3 Disse-lhes: Não leveis coisa alguma para o caminho, nem bordão, nem mochila, nem pão, nem dinheiro, nem tenhais duas túnicas. 4 Em qualquer casa em que entrardes, ficai ali até que deixeis aquela localidade. 5 Onde ninguém vos receber, deixai aquela cidade e em testemunho contra eles sacudi a poeira dos vossos pés. 6 Partiram, pois, e percorriam as aldeias, pregando o Evangelho e fazendo curas por toda parte. 

Viva Cristo Rei e Maria Rainha.

Rezem todos os dias o Santo Rosário.

quarta-feira, 12 de junho de 2019

Quarto dia da Oitava de Pentecoste.

12/06 Quarta-feira das Têmporas de Pentecostes
Festa de Primeira Classe 
Paramentos Vermelhos

Leitura da Epístola dos

Atos doa Apóstolos 5,12-16
12 Enquanto isso, realizavam-se entre o povo pelas mãos dos apóstolos muitos milagres e prodígios. Reuniam-se eles todos unânimes no pórtico de Salomão. 13 Dos outros ninguém ousava juntar-se a eles, mas o povo lhes tributava grandes louvores. 14 Cada vez mais aumentava a multidão dos homens e mulheres que acreditavam no Senhor. 15 De maneira que traziam os doentes para as ruas e punham-nos em leitos e macas, a fim de que, quando Pedro passasse, ao menos a sua sombra cobrisse alguns deles. 16 Também das cidades vizinhas de Jerusalém afluía muita gente, trazendo os enfermos e os atormentados por espíritos imundos, e todos eles eram curados.

Sequência do Santo Evangelho 

São João 6,44-52
44 Ninguém pode vir a mim se o Pai, que me enviou, não o atrair; e eu hei de ressuscitá-lo no último dia. 45 Está escrito nos profetas: Todos serão ensinados por Deus (Is 54,13). Assim, todo aquele que ouviu o Pai e foi por ele instruído vem a mim. 46 Não que alguém tenha visto o Pai, pois só aquele que vem de Deus, esse é que viu o Pai. 47 Em verdade, em verdade vos digo: quem crê em mim tem a vida eterna. 48 Eu sou o pão da vida. 49 Vossos pais, no deserto, comeram o maná e morreram. 50 Este é o pão que desceu do céu, para que não morra todo aquele que dele comer. 51 Eu sou o pão vivo que desceu do céu. Quem comer deste pão viverá eternamente. E o pão, que eu hei de dar, é a minha carne para a salvação do mundo. 52 A essas palavras, os judeus começaram a discutir, dizendo: Como pode este homem dar-nos de comer a sua carne?



Viva Cristo Rei e Maria Rainha.

Rezem todos os dias o Santo Rosário.

12 de junho dia de São João de S. Facundo. Confessor

 São João Gonzáles de Castrillo, filho de nobres e cristãos, nasceu em 1430 na cidade de Sahagún, reino de León, Espanha. Estudou na sua cidade natal com os monges beneditinos da Abadia de São Facundo, recebendo a ordenação sacerdotal em 1453.
 O Arcebispo de Burgos nomeou-o seu pajem e, depois, cônego e capelão da diocese. Depois da morte do bispo, João doou todos os seus bens, menos uma residência, onde construiu a capela de Santa Agnes, em Burgos. Devoto da Santíssima Eucaristia, celebrava a Missa diariamente, ministrando o Sacramento, pregando para a população pobre e ignorante. Esta era sua maneira de catequizar. Mas depois João afastou-se para cursar teologia na faculdade de Salamanca. Porém, antes de retornar à sua diocese, deixou sua marca nesta cidade.
 Consta dos registros oficiais que, certa vez, a comunidade se dividiu em dois partidos antagônicos e a disputa saiu do campo das idéias para chegar a uma luta de vida e morte. Entretanto, antes que a batalha iniciasse, João colocou-se entre os dois, pregou, orientou, aconselhou e um pacto de paz foi assinado entre eles para nunca mais haver derramamento de sangue. Desde então ganhou o apelido de "O Pacificador".
 O seu fervor ao celebrar o Santo Sacrifício emocionava os fiéis, que em número cada vez maior acorria para ouvir seus ensinamentos. Um fato foi relatado sobre ele e que todos aqueles que estavam dentro da igreja também presenciaram: a forma do corpo de Jesus em uma de suas consagrações. Com isto passou a ser o conselheiro espiritual de todos na cidade e todos seguiam seus conselhos.
 Em 1463 ele foi acometido de uma doença muito grave. Nesta ocasião decidiu que depois de curado entraria para uma ordem religiosa. No ano seguinte, ingressou na Ordem dos Eremitas de Santo Agostinho em Salamanca. Conhecido como João de Sahagún, logo foi o noviço sênior enquanto continuava a pregar em público, tornado seus sermões cada vez mais eloqüentes e destemidos.
 Consta que durante uma de suas pregações condenava com veemência os poderosos e, ao perceber a presença de um duque que se sentiu atingido pelo discurso, disse diretamente a ele que não temia a morte, como se adivinhasse seus pensamentos.
 Chamado de Apóstolo de Salamanca, foi eleito Prior da comunidade em 1478. Ele mesmo previu a sua morte. Que ocorreu como uma conseqüência dos dons que possuía de enxergar o coração das pessoas e de aconselhá-las, para conseguir a conversão e a remissão da vida pecadora destes cristãos. Ele foi envenenado, por vingança de uma ex-amante, cujo companheiro, convertido por ele, abandonou-a para voltar à vida familiar cristã.
 São João de Sahagún morreu em 11 de junho de 1479. Venerado ainda em vida por sua santidade, depois da morte, as graças e milagres por sua intercessão continuaram a ocorrer. O seu culto foi autorizado para o dia 12 de junho, quando foi declarado Santo pela Igreja em 1690. A cidade de Salamanca considera São João de Sahagún um dos seus padroeiros.

Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo Rosário

terça-feira, 11 de junho de 2019

Terceiro dia da Oitava de Pentecoste.

11/06 Terça-feira de Pentecostes
Festa de Primeira Classe

Paramentos Vermelhos 

Leitura da Epístola dos

Atos dos Apóstolos 8, 14-17
14.Os apóstolos que se achavam em Jerusalém, tendo ouvido que a Samaria recebera a palavra de Deus, enviaram-lhe Pedro e João.15.Estes, assim que chegaram, fizeram oração pelos novos fiéis, a fim de receberem o Espírito Santo,16.visto que não havia descido ainda sobre nenhum deles, mas tinham sido somente batizados em nome do Senhor Jesus.17.Então os dois apóstolos lhes impuseram as mãos e receberam o Espírito Santo.

Sequência do Santo Evangelho

São João 10, 1-10
1.Em verdade, em verdade vos digo: quem não entra pela porta no aprisco das ovelhas, mas sobe por outra parte, é ladrão e salteador.2.Mas quem entra pela porta é o pastor das ovelhas.3.A este o porteiro abre, e as ovelhas ouvem a sua voz. Ele chama as ovelhas pelo nome e as conduz à pastagem.4.Depois de conduzir todas as suas ovelhas para fora, vai adiante delas; e as ovelhas seguem-no, pois lhe conhecem a voz.5.Mas não seguem o estranho; antes fogem dele, porque não conhecem a voz dos estranhos.6.Jesus disse-lhes essa parábola, mas não entendiam do que ele queria falar.7.Jesus tornou a dizer-lhes: Em verdade, em verdade vos digo: eu sou a porta das ovelhas.8.Todos quantos vieram antes de mim foram ladrões e salteadores, mas as ovelhas não os ouviram.9.Eu sou a porta. Se alguém entrar por mim será salvo; tanto entrará como sairá e encontrará pastagem.10.O ladrão não vem senão para furtar, matar e destruir. Eu vim para que as ovelhas tenham vida e para que a tenham em abundância.

Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo Rosário

11 de junho dia de Santo Barnabé. Apostolo e Martir.

 http://www.introibo.fr/IMG/jpg/0611barnabe.jpg

  São Barnabé não fez parte dos primeiros doze apóstolos escolhidos por Jesus. Mas acompanhou o Senhor e os apóstolos naqueles primeiros dias. Quando assistiu a um milagre realizado por Jesus Cristo, que diante de seus olhos curou um paralítico, Lucas fala dele como um "bom homem" (Atos 11:24). Aceito, vendeu um campo de plantações que possuía para doar seu dinheiro aos apóstolos, como conta Lucas nos Atos 4:36-38. Assim era Barnabé, homem bom, cheio do Espírito Santo e de fé, segundo narram as Sagradas Escrituras. Ele nasceu de pais judeus era da tribo de Levi e veio ao mundo na ilha de Chipre. Foi ali que estudou, na companhia de Paulo, com o célebre mestre Gamaliel, com quem aprendeu a firmeza de caráter, as ciências e as virtudes. Chamava-se José e, quando foi admitido entre os apóstolos, recebeu o nome de Barnabé, que significa "filho da consolação", devido ao seu maravilhoso dom de acalmar e de consolar os aflitos. No quarto capítulo do Ato dos Apóstolos, Barnabé também é chamado de o "filho da exortação". Foi pelas mãos de Barnabé que Paulo de Tarso, o terrível perseguidor dos cristãos, ingressou nos círculos dos cristãos, sendo apresentado a Pedro, Tiago e aos fiéis de Jerusalém depois de sua conversão. Barnabé é um dos primeiros profetas e professores da igreja em Antioquia (Atos 13:1). Quando Paulo regressou a Jerusalém, depois de sua conversão, Barnabé o levou até os apóstolos (Atos 9:27). . Ele achou o trabalho tão extenso e pesado que foi para Tarso em busca de Paulo para ajudá-lo. Paulo retornou com ele para Antioquia e trabalhou com ele durante um ano inteiro (Atos 11:25-26). No final deste período, os dois foram enviados até Jerusalém (A.D. 44) com as contribuições que a igreja de Antioquia havia feito para os membros mais pobres da igreja de Jerusalém (Atos 11:28-30).Pouco tempo depois eles voltaram, trazendo João Marcos com eles, e foram designados como missionários para a Ásia Menor. Visitaram Chipre e algumas das principais cidades da Panfília, Pisídia, e Licaônia (Atos 13:14). Depois da sua conversão, Paulo de Tarso começa a ganhar destaque. A partir daí, ao invés de "Barnabé e Paulo", como até então (11:30; 12:25; 13:2,7), agora lê-se "Paulo e Barnabé" (13:43,46,50; 14:20; 15:2,22,35). Só em Atos 14:14 e Atos 15:12-25 Barnabé ocupa novamente o primeiro lugar, porque tinha uma estreita relação com a igreja de Jerusalém. Voltando dessa primeira viagem missionária a Antioquia, eles foram novamente enviados a Jerusalém para consultar com a igreja de lá quanto à relação dos gentios com a igreja (Atos 15:2; Gálatas 2:1). Segundo Gl. 2:9-10, foi feito um acordo entre eles e os apostólos João e Pedro, ficando decidido que Paulo e Barnabé iriam, no futuro, pregar aos pagãos, não esquecendo os pobres de Jerusalém. Depois da questão ter sido resolvida, voltaram para Antioquia, levando o acordo do que ficaria conhecido Concílio de Jerusalém, segundo o qual gentios poderiam ser admitidos na igreja. Tendo retornado para Antioquia e passado algum tempo lá (15:35), Paulo pediu a Barnabé para acompanhá-lo em outra viagem (15:36). Barnabé quis levar João Marcos novamente, mas Paulo não concordou (15:37-38). A disputa terminou com Paulo e Barnabé tomando rotas distintas. Paulo tomou Silas como seu companheiro, e ambos percorreram a Síria e a Cilícia; Barnabé, com seu primo mais novo João Marcos, foram para Chipre (15:36-41).Barnabé não é mencionado novamente por Lucas em Atos. No entanto, sabe-se que ele continuou a trabalhar como missionário (I Coríntios 9:6).Quando Barnabé foi à Síria e a Salamina pregando o evangelho, alguns judeus, tendo-se irritado com o seu extraordinário sucesso, caíram sobre ele quando estava pregando na sinagoga da Salamina, arrastaram-no para fora e apedrejaram-o até a morte. Seu primo, João Marcos enterrou seu corpo em uma caverna, onde permaneceu até a época do imperador Zenão I, em 485 d.C. Seus restos mortais foram encontrados em 488. Seu túmulo se encontra no mosteiro construído em seu nome, em Salamina (Chipre).Barnabé é venerado como o santo padroeiro de Chipre.

Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo Rosário

segunda-feira, 10 de junho de 2019

Peregrinação da resistência



Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo Rosário

Segundo dia da Oitava de Pentecoste.

10/06 Segunda-feira de Pentecostes
Festa de Primeira Classe
Paramentos Vermelhos 


Leitura da Epístola dos

Atos dos Apóstolos 10, 34,42-48

34 Então Pedro tomou a palavra e disse: Em verdade, reconheço que Deus não faz distinção de pessoas,42 Ele nos mandou pregar ao povo e testemunhar que é ele quem foi constituído por Deus juiz dos vivos e dos mortos. 43 Dele todos os profetas dão testemunho, anunciando que todos os que nele crêem recebem o perdão dos pecados por meio de seu nome. 44 Estando Pedro ainda a falar, o Espírito Santo desceu sobre todos os que ouviam a (santa) palavra. 45 Os fiéis da circuncisão, que tinham vindo com Pedro, profundamente se admiraram, vendo que o dom do Espírito Santo era derramado também sobre os pagãos; 46 pois eles os ouviam falar em outras línguas e glorificar a Deus. 47 Então Pedro tomou a palavra: Porventura pode-se negar a água do batismo a estes que receberam o Espírito Santo como nós? 48 E mandou que fossem batizados em nome de Jesus Cristo. Rogaram-lhe então que ficasse com eles por alguns dias. 

Sequência do Santo Evangelho

São João 3, 16-21

 16 Com efeito, de tal modo Deus amou o mundo, que lhe deu seu Filho único, para que todo o que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna. 17 Pois Deus não enviou o Filho ao mundo para condená-lo, mas para que o mundo seja salvo por ele. 18 Quem nele crê não é condenado, mas quem não crê já está condenado; por que não crê no nome do Filho único de Deus. 19 Ora, este é o julgamento: a luz veio ao mundo, mas os homens amaram mais as trevas do que a luz, pois as suas obras eram más. 20 Porquanto todo aquele que faz o mal odeia a luz e não vem para a luz, para que as suas obras não sejam reprovadas. 21 Mas aquele que pratica a verdade, vem para a luz. Torna-se assim claro que as suas obras são feitas em Deus. 

Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo Rosário

10 de junho dia de Santa Margarita da Escócia,Rainha e Viuva.


   Rei da Inglaterra Edmundo II foi assassinado em 1017, Canuto II, o Grande, rei da Dinamarca, aproveitou para tentar concluir a conquista desse país, do qual já ocupava algumas províncias. E enviou para a Suécia os dois filhos do rei falecido, Edmundo e Eduardo, com o intuito de que lá fossem mortos. Mas o rei sueco não quis manchar suas mãos com sangue inocente e mandou os dois órfãos para a Hungria, onde reinava o grande Santo Estêvão. Este recebeu-os com todo afeto e se encarregou de dar-lhes uma educação segundo seu nascimento. Edmundo morreu sem sucessão, mas Eduardo, chamado “do Ultramar” ou “o Proscrito”, casou-se com Ágata, sobrinha do Imperador Santo Henrique e irmã de Gisela, esposa do rei Santo Estêvão. Desse matrimônio nasceram três filhos, Edgard, Cristina e Margarida, esta em 1046.
  Em 1041 subira ao trono da Inglaterra Santo Eduardo III, o Confessor. Logo que se firmou no trono, sabendo que seu parente vivia exilado na corte da Hungria, convidou-o a voltar com a família para a Inglaterra. Voltaram em 1054, sendo recebidos com provas de estima e afeição.
  A princesa Santa Margarida, então no início da adolescência, encantou a todos por sua piedade e modéstia. Era devotíssima da Santa Mãe de Deus e extremamente caridosa para com os pobres e necessitados.
   Santo Eduardo III, Rei da Inglaterra, parente da santa.O pai da santa faleceu em 1057, e seu irmão Edgard tornou-se assim herdeiro direto do rei santo, que não tinha descendentes. Sendo ele ainda menor de idade, e tendo nascido em terra estrangeira, colocaram no trono em seu lugar o Conde Haroldo. Guilherme, o Conquistador, atravessou o Canal da Mancha em 1066 e invadiu a Inglaterra. Na batalha de Hastings, matou Haroldo e se apoderou do trono inglês. Para subtrair-se à tirania do conquistador, Edgard e Margarida, esta com 20 anos de idade, fugiram numa embarcação pretendendo chegar à Hungria, onde sabiam que seriam bem recebidos. Mas outro era o desígnio da Providência, e durante uma tempestade o barco foi atirado às costas da Escócia.
  Nesse país foram bem recebidos pelo rei Malcolm III que, encantado com as qualidades de Margarida, propôs-lhe o matrimônio. Esta de há muito alimentava o desejo de, como sua irmã Cristina, fazer-se religiosa. Mas seu confessor fê-la ver como poderia auxiliar mais a religião subindo ao trono. Assim realizou-se no ano de 1070 o casamento e a coroação de Margarida como rainha da Escócia. Aos 24 anos de idade, foi reputada a mais formosa princesa de seu século.
  Malcolm fosse um pouco rude, tinha muito boa índole e disposição para a virtude. Sobretudo amava ternamente a rainha e tinha nela uma confiança sem limites. Assim Margarida, por uma conduta cheia de respeito e condescendência, tornou-se senhora de seu coração; e serviu-se do ascendente que tinha sobre o rei para fazer florescer a religião e a justiça, procurar a felicidade dos súditos e inspirar a seu marido os sentimentos que o tornaram um dos mais virtuosos reis da Escócia. Ela amenizou seu caráter, cultivou seu espírito, poliu suas maneiras e o inflamou de amor pela prática das máximas evangélicas. A rainha punha empenho nesse apostolado, pois não duvidava que a transformação e melhora dos costumes do povo dependiam em boa parte do exemplo do rei e da corte. Assim, toda a Escócia progrediu, tornando o reinado de Malcolm um dos mais felizes e prósperos da Escócia.
 Santa Margarida era uma rainha “piedosa e varonil ao mesmo tempo. Cavalgava gentilmente entre os magnatas, tecia e bordava entre as damas, rezava entre os monges, discutia entre os sábios, e entre os artistas planejava projetos de catedrais e de mosteiros”.
 Deus abençoou seu matrimônio com oito filhos, seis homens e duas mulheres, todos tendo seguido a senda da mãe. Dois deles –– uma filha, também Margarida, casada com o rei da Inglaterra, e um filho, Davi I, rei da Escócia –– foram elevados à honra dos altares.
 Um dos cuidados de Santa Margarida foi estabelecer em todo o reino sacerdotes virtuosos e pregadores zelosos. Um sínodo foi convocado, e as mais importantes dentre as reformas instituídas por ele foram a regulamentação do jejum da Quaresma e a observância da comunhão pascal, então quase desaparecidos, e a remoção de certos abusos concernentes ao casamento dentro dos graus de parentesco proibidos.
  A Santa rainha organizou a Igreja na Escócia. Em conseqüência, por seus conselhos, o reino foi dividido em dioceses, com demarcação bem determinada. Foram criados cabidos nas catedrais, com o correspondente clero, e estabelecidas paróquias. Atraiu ordens religiosas, principalmente da França e da Inglaterra, com vistas a contribuir eficazmente para o incremento da vida litúrgica, pois desejava o esplendor na Casa de Deus. Para isso, construiu igrejas magníficas e reformou outras, dotando-as do que havia de melhor para o serviço divino.
   A rainha queria que a corte fosse esplêndida, a fim de valorizar a autoridade real; que a nobreza se vestisse muito bem, e que os reis se trajassem com pompa. Protegeu também as ciências e as artes e fundou diversos estabelecimentos de cultura.
  Tinha muita caridade para com o próximo.Diariamente servia com suas próprias mãos a comida a nove meninas órfãs e a 24 anciãos. Durante o Advento e a Quaresma, atendia com o rei –– ambos de joelhos, por respeito a Nosso Senhor Jesus Cristo em seus membros padecentes –– a 300 pobres, servindo-lhes comida da mesa real. Também diariamente a rainha saía pelas ruas, sendo rodeada então por inúmeros órfãos, viúvas e necessitados de toda espécie, que clamavam: “Rainha santa, socorrei-nos”, “Ó nossa mãe, assisti-nos”. E ela a todos socorria, mesmo que para isso tivesse que pedir também aos membros da sua comitiva algo com o que assistir àquela gente. Regularmente visitava os hospitais para socorrer os doentes pobres. Os devedores insolventes encontravam nela seu auxílio. Resgatava cativos, não só escoceses, mas também de outras nacionalidades. Enfim, não houve miséria física ou moral que ela não tivesse socorrido.
   Santa Margarida, como todos os santos, tinha profunda humildade. Pedia freqüentemente a seu confessor que a advertisse de qualquer falta que a visse praticar. E reclamava com ele, que não encontrava o que advertir, alegando que não estava cumprindo sua missão.
  Ela dormia pouco e rezava muito. Sua alimentação era tão parca, que se restringia apenas ao necessário. Começou a sentir o organismo minado, com terríveis dores de estômago. Privava-se de qualquer passatempo fútil e fugia de tudo quanto pudesse alimentar a sensualidade. Possuía também um vivo espírito de compunção e tinha o dom das lágrimas. Guardava silêncio absoluto na igreja, por respeito à Presença Real, e bastava vê-la rezar para se conhecer como é que se pratica a oração.
  Santa Margarida observava duas Quaresmas, a do Natal e a da Páscoa, aumentando ainda mais suas austeridades.
 Capela de Sta. Margarida, no Castelo de Edimburgo
Quando a rainha estava acamada em sua última doença, teve que passar por uma prova duríssima. Tendo o rei Guilherme, o Ruivo, da Inglaterra, invadido a Northumberland escocesa, Malcolm organizou um exército para a reconquistar. A rainha lhe pediu muito que não fosse pessoalmente a essa campanha, mas ele resolveu ir com seus filhos Eduardo e Edgard, julgando que o temor da rainha se devia à bondade do seu coração.
  Quatro dias antes de sua morte, ela disse aos presentes: “Hoje talvez tenha acontecido uma grande infelicidade para a Escócia, como a que ela não via há muitos anos”. Entrementes seu filho Edgard voltou da guerra, e ela lhe pediu notícias do pai e do irmão. Temendo que a verdade lhe fosse fatal, o rapaz respondeu que estavam bem. “Ah! Meu filho, sei muito bem o que se passa; por isso não tens que negar-me a verdade”, respondeu ela. Edgar relatou então a morte de seu pai e irmão numa emboscada durante a campanha. Margarida, erguendo os olhos ao céu, exclamou: “Deus todo-poderoso, eu vos agradeço por me terdes enviado uma tão grande aflição nos derradeiros momentos de minha vida. Espero que, com vossa misericórdia, ela servirá para me purificar de meus pecados”. Enfim, sua alma se viu livre dos liames do corpo no dia 16 de novembro de 1093, aos 47 anos de idade. Tornou-se padroeira da Escócia.
 Tempos depois, ao cair esse país na heresia protestante, os católicos recolheram secretamente as relíquias da rainha santa e de seu esposo, a quem também consideravam santo, e as enviaram ao rei Filipe II da Espanha, que lhes deu um refúgio seguro no mosteiro El Escorial, que acabava de construir.Seu confessor e biógrafo diz que não é necessário constatar se ela praticou milagres, pois sua vida inteira foi um prodígio.

Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo Rosário.

domingo, 9 de junho de 2019

VENI SANCTE SPIRITUS,

Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo Rosário

Domingo de Pentecoste

09/06 Domingo de Pentecostes
Festa de Primeira Classe 
Paramentos Vermelhos
 
Leitura da Epístola dos

Atos dos Apóstolos 2, 1-11
1.Chegando o dia de Pentecostes, estavam todos reunidos no mesmo lugar.2.De repente, veio do céu um ruído, como se soprasse um vento impetuoso, e encheu toda a casa onde estavam sentados.3.Apareceu-lhes então uma espécie de línguas de fogo que se repartiram e pousaram sobre cada um deles. 4.Ficaram todos cheios do Espírito Santo e começaram a falar em línguas, conforme o Espírito Santo lhes concedia que falassem.5.Achavam-se então em Jerusalém judeus piedosos de todas as nações que há debaixo do céu.6.Ouvindo aquele ruído, reuniu-se muita gente e maravilhava-se de que cada um os ouvia falar na sua própria língua.7.Profundamente impressionados, manifestavam a sua admiração: Não são, porventura, galileus todos estes que falam?8.Como então todos nós os ouvimos falar, cada um em nossa própria língua materna?9.Partos, medos, elamitas; os que habitam a Macedônia, a Judéia, a Capadócia, o Ponto, a Ásia,10.a Frígia, a Panfília, o Egito e as províncias da Líbia próximas a Cirene; peregrinos romanos,11.judeus ou prosélitos, cretenses e árabes; ouvimo-los publicar em nossas línguas as maravilhas de Deus!

Sequência do Santo Evangelho 



São João 14, 23-31

23.Respondeu-lhe Jesus: Se alguém me ama, guardará a minha palavra e meu Pai o amará, e nós viremos a ele e nele faremos nossa morada.24.Aquele que não me ama não guarda as minhas palavras. A palavra que tendes ouvido não é minha, mas sim do Pai que me enviou.25.Disse-vos estas coisas enquanto estou convosco.26.Mas o Paráclito, o Espírito Santo, que o Pai enviará em meu nome, ensinar-vos-á todas as coisas e vos recordará tudo o que vos tenho dito.27.Deixo-vos a paz, dou-vos a minha paz. Não vo-la dou como o mundo a dá. Não se perturbe o vosso coração, nem se atemorize!28.Ouvistes que eu vos disse: Vou e volto a vós. Se me amardes, certamente haveis de alegrar-vos, que vou para junto do Pai, porque o Pai é maior do que eu.29.E disse-vos agora estas coisas, antes que aconteçam, para que creiais quando acontecerem.30.Já não falarei muito convosco, porque vem o príncipe deste mundo; mas ele não tem nada em mim.31.O mundo, porém, deve saber que amo o Pai e procedo como o Pai me ordenou. Levantai-vos, vamo-nos daqui. 

Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo Rosário

09 de junho dia dos Santos Mártires e irmãos Primo e Feliciano, confessor.

San Primo y San Feliciano
São Primo e São Feliciano, irmãos, nasceu em Roma, famosa por seu sangue e sua fé. Acusado pelos cristãos antes de Diocleciano e Maximiano imperadores, foram detidos e presos, mas o anjo do Senhor os livrou da prisão. Dentro de dias, por se recusarem a adorar a estátua de Hércules, cruelmente açoitado e entregou os promotores juiz, que pediu-os a obedecer os imperadores, mas, vendo que todos os seus procedimentos foram em vão, feita em separado, levando a Primo para a prisão e ficar lá Feliciano, que recomendou a ele para olhar para a velhice. "Olhe para Jesus Cristo, para isso, disse Feliciano, oitenta anos que tenho, e 30 que o Senhor brilhou-me para me dedicar a ele completamente." O juiz ordenou que ele açoitado, e depois cravá-lo em uma vara, e, trazendo Primo antes se disse que seu irmão já foi mudado, mas Primo respondeu que "ele sabia que seu irmão era firme na confissão de Cristo." Finalmente, depois de muitos mártires, foram decapitados em 09 de junho ano de nascimento do Filho de Deus, 303.

Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo Rosário

sábado, 8 de junho de 2019

Comentários Eleison – por Dom Williamson Número DCXX (620)- (01 de junho de 2019)


HUONDERLAND NOVAMENTE


Sacerdotes da Fraternidade, aguentem firme!
A traição é abundante, está em toda parte.

Em 20 de maio, dia em que se encerrou o mandato de Dom Huonder como chefe da grande diocese suíça de Chur desde 2007, a questão controversa de seu futuro lugar de aposentadoria foi decidida de uma vez por todas por uma Declaração assinada conjuntamente por ele mesmo e pelo Superior Geral da Fraternidade, o Pe. David Pagliarani: o Bispo viverá na escola de meninos da Fraternidade em Wangs, no leste da Suíça. Surgiram dúvidas quanto ao lugar onde o Bispo se retiraria por causa da improbabilidade natural de um Bispo Conciliar estabelecer-se dentro de uma casa Tradicional, mas de ambos os lados do abismo doutrinário entre o Concílio Vaticano II e a Tradição Católica, prevaleceu o sonho antidoutrinário de estabelecer uma ponte sobre esse abismo. Assim, a respeito de sua decisão, o mesmo Bispo acaba de escrever: “De acordo com os desejos do Papa Francisco, eu me esforçarei ali (em Wangs) para contribuir para a unidade da Igreja”. É uma intenção honrosa, mas que não leva em conta a maldade do Vaticano II.

Mas como o mundo moderno segue adiante, e com ele a Igreja moderna, e com a Neoigreja, a Neofraternidade, o Bispo Huonder é um clérigo decente e bem-intencionado, cheio de boas intenções que podem fazer qualquer pessoa "decente" pensar que ele é uma boa companhia, e que é seguro misturar-se com ele, e é seguro colocá-lo dentro de uma escola "decente". Sem dúvida alguém pode esperar que o ambiente tradicional em Wangs lhe faça bem.

Mas, do ponto de vista de Deus e da verdadeira Igreja Católica, ele é um crente no Concílio Vaticano II, e, portanto, acredita em trabalhar com o atual Papa desse Concílio, o Papa Francisco, juntamente com todos os seguidores da Tradição que não compreendem mais a ambiguidade e a maldade objetivas desse Concílio com seus seis Papas conciliares. Com efeito, esse Concílio é profundamente ímpio, e contamina tudo o que toca (ver vários números destes “Comentários” que deverão aparecer em breve), e desvia da verdade todas as pessoas que acreditam nele. Portanto, do ponto de vista da salvação das almas – que é o ponto de vista mesmo de Deus –, o Bispo Huonder está, objetivamente falando, contaminado e desviado, não sendo adequado para a companhia dos católicos ou de uma escola católica, e ainda mais perigoso é que ele seja subjetivamente decente, bem intencionado, simpático, e assim por diante.

Nem precisa ser mais ou menos culpado do que milhares de outros Bispos “decentes” que existem desde o Vaticano II por ter-se deixado enganar por uma série de Papas Conciliares, nem precisa ser insultado como se fosse um vilão, nem precisa ser socialmente rechaçado como um pária. Mas os católicos devem evitar absolutamente qualquer tipo de contato com ele, seja social ou de qualquer outro tipo, que possa resultar em qualquer tentação de manter com ele, enquanto ele seguir crendo no Vaticano II, qualquer tipo de companhia em assuntos da Fé. E, para evitar qualquer tentação, seria necessário evitar sua companhia completamente, e então sua companhia deveria ser completamente rechaçada. Deus e a Fé devem vir em primeiro lugar, ser o fim e a coisa mais importante, pois, caso contrário, corremos o risco de perder nossas almas.

Para concluirmos, só podemos desejar a Dom Huonder em sua aposentadoria toda a graça de Deus para que compreenda a perfídia do Vaticano II, e aos internos tradicionalistas da escola da Fraternidade em Wangs só podemos desejar toda a graça de Deus para que o ajudem com seu exemplo a compreender o perigo dos “desejos” do Papa Francisco para com a Fraternidade, do qual acaba de sair à luz outro exemplo.

Chegou de Roma nos últimos dias um informe que diz que o sacerdote argentino que foi nomeado por Dom Fellay para ser o Ecônomo Geral da Fraternidade, a pedido do Papa e com o consenso do novo Superior à frente da Fraternidade, o Pe. Pagliarani, foi reintegrado à Igreja oficial, e, sempre pelo desejo do Papa Francisco, reside atualmente na Casa Santa Marta, onde vive o próprio Papa; esse sacerdote será incardinado na diocese de Roma, esperando sua possível nomeação para Bispo pelo Papa Francisco. Ainda que esse informe esteja a expor somente meias verdades, não estaria a revelar a incapacidade ou a falta de vontade dos altos funcionários da Fraternidade de entender que o Arcebispo Lefebvre lutou contra o Concílio Vaticano II por razões de Fé?

Kyrie eleison.

Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo.

Vigilia de Pentencoste

08/06 Sábado
Festa de Primeira Classe 
Paramentos Vermelhos

Leitura da Epístola dos

Atos dos Apóstolos 19,1-8.
1 Enquanto Apolo estava em Corinto, Paulo atravessou as províncias superiores e chegou a Éfeso, onde achou alguns discípulos e indagou deles: 2 Recebestes o Espírito Santo, quando abraçastes a fé? Responderam-lhe: Não, nem sequer ouvimos dizer que há um Espírito Santo! 3 Então em que batismo fostes batizados?, perguntou Paulo. Disseram: No batismo de João. 4 Paulo então replicou: João só dava um batismo de penitência, dizendo ao povo que cresse naquele que havia de vir depois dele, isto é, em Jesus. 5 Ouvindo isso, foram batizados em nome do Senhor Jesus. 6 E quando Paulo lhes impôs as mãos, o Espírito Santo desceu sobre eles, e falavam em línguas estranhas e profetizavam. 7 Eram ao todo uns doze homens. 8 Paulo entrou na sinagoga e falou com desassombro por três meses, disputando e persuadindo-os acerca do Reino de Deus. 

Sequência do Santo Evangelho

São João 14,15-21
15 Se me amais, guardareis os meus mandamentos. 16 E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Paráclito, para que fique eternamente convosco. 17 É o Espírito da Verdade, que o mundo não pode receber, porque não o vê nem o conhece, mas vós o conhecereis, porque permanecerá convosco e estará em vós. 18 Não vos deixarei órfãos. Voltarei a vós. 19 Ainda um pouco de tempo e o mundo já não me verá. Vós, porém, me tornareis a ver, porque eu vivo e vós vivereis. 20 Naquele dia conhecereis que estou em meu Pai, e vós em mim e eu em vós. 21 Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda, esse é que me ama. E aquele que me ama será amado por meu Pai, e eu o amarei e manifestar-me-ei a ele.

Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo Rosário

08 de junho dia da Santa Isabel Rainha de Portugal

       http://farm4.static.flickr.com/3389/3650144075_b3eb630f8c.jpg

O Milagre mais popular da Rainha Santa Isabel é sem dúvida a do milagre das rosas. Segundo tradição portuguesa, a rainha saiu do Castelo do Sabugal numa manhã de Inverno para distribuir pães aos mais desfavorecidos. Surpreendida pelo soberano, que lhe inquiriu onde ia e o que levava no regaço, a rainha teria exclamado: São rosas, Senhor!. Desconfiado, D. Dinis inquirido: Rosas, em Janeiro?. D. Isabel expôs então o conteúdo do regaço do seu vestido e nele havia rosas, ao invés dos pães que ocultara. Esta santa Rainhal, nasceu em 1271, filha de Pedro III de Aragão e de Constança, filha de Manfredi, rei da Sicília e sobrinha do imperador Frederico II. No batismo recebeu o nome de Isabel para honrar a memória de sua grande tia, Santa Isabel da Hungria, canonizada quarenta anos antes por Gregório IX em 1235. Casou-se com o jovem rei Dom Dinis, o qual posteriormente se tornou o fundador da primeira faculdade portuguesa e o grande impulsionador da agricultura em Portugal na época, razão pela qual lhe deram o cognome de Dom Dinis “O Agricultor”! Os portugueses acolheram com entusiasmo a sua soberana e não foi decepcionado pela jovem simples e austera em sua vida privada, grande benfeitora de seus próprios súditos. Deu a seu marido dois filhos: Afonso, o herdeiro do trono, e a princesa Constância. Porém, Dom Dinis não soube ser digno daquela esposa devota e afetuosa, que alternava com os deveres familiares, sacrifícios e rigores voluntários quase monásticos. Ele preferiu outras mulheres e outras aventuras. Isabel, digna no sofrimento, ocultou sua própria amargura sem provocar escândalo. Rezou secretamente pela conversão do esposo, e com igual afeto, ao lado de seus filhos, educou também outros que não eram seus. O marido, despreocupado de seus deveres, começou a suspeitar da fidelidade de sua mulher. Um cortesão maldoso ativou o fogo do ciúme, atribuindo à rainha uma caluniosa relação com um pajem. Em seguida, várias circunstâncias induziram Dinis a considerar as coisas com maior serenidade e a reconhecer a absoluta inocência de Isabel. A nova fonte de amargura para a santa rainha foi a disputa entre o seu marido Dinis e Afonso, o herdeiro do trono. Ela procurou reconciliar os dois, inimigos entre si. Finalmente foi desterrada, por suspeitas de conjurar contra o rei. Depois da morte de seu esposo e de sua filha, Isabel renunciou ao mundo e à sua condição régia. Vestiu o hábito da Terceira Ordem Franciscana e partiu em peregrinação para Santiago de Compostela. Distribuiu suas riquezas entre os necessitados e teria entrado no mosteiro das Clarissas fundado por ela em Coimbra, se não houvessem aconselhado para que permanecesse no mundo para prosseguir suas boa obras. Viveu junto ao mosteiro levando o hábito das filhas de Santa Clara e dedicando-se às obras de piedade e caridade. Outra guerra constante foi entre o seu filho e o neto que a obrigou novamente a uma dolorosa peregrinação, até deter-se definitivamente em Estremoz, precisamente no lugar onde Dinis, rei de Portugal, muitos anos antes, havia lhe pedido por esposa.Ao morrer, afirmou ver uma belíssima senhora, que se aproximava radiante com vestes brancas, a Imaculada Conceição, a quem a santa havia dedicado uma Igreja em Lisboa, cinco séculos antes da definição dogmática do privilégio mariano. Morreu em 04 de julho de 1336, aos 65 anos de idade.

Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo Rosário

sexta-feira, 7 de junho de 2019

Comentários Eleison – por Dom Williamson Número DCXIX (619)- (25 de maio de 2019)


Um Mau Sinal

Sacerdotes da Fraternidade, fazemos este apelo: não se deixem enganar.
O Capítulo de julho nada pode recuperar.

Preparem-se, caros leitores, para outra má notícia. Não é o fim do mundo, mas é mais uma palha em um vento desfavorável, mais uma indicação de que o vento está soprando na direção errada quando tínhamos esperança de que pudesse ter virado na direção certa. Afinal, quando no Capítulo Geral de julho do ano passado foi eleito um novo Superior Geral, não se teve um sinal de que o controle firme dos liberais sobre a direção que estava tomando a Fraternidade estava finalmente se afrouxando? De que havia uma esperança de que o novo Superior Geral pudesse levar a Fraternidade numa direção mais sã do que a que haviam tomado os dois sucessores imediatos do Arcebispo?

Essa esperança recebeu um duro golpe quando soubemos que, pouco antes do final do Capítulo, havia-se criado junto ao órgão normal do governo da Fraternidade, que é o triunvirato de seu Superior Geral e seus dois assistentes, dois novos postos de Conselheiro para assessorar o triunvirato. E quem se nomeou para esses dois cargos? Ninguém menos que os dois Superiores Gerais anteriores! Mas, caso temêssemos que isso pudesse significar que não haveria nenhuma mudança no crescente pesadelo da Fraternidade dos últimos vinte anos, asseguraram-nos que os dois novos Conselheiros apenas assessorariam sobre a inclusão ou exclusão dos membros da Fraternidade, ou sobre a abertura ou fechamento de casas da Fraternidade. E quem quis acreditar, acreditou.

Além de afastar os temores de que no topo da Fraternidade quanto mais as coisas mudassem mais elas seguiriam sendo as mesmas, temores de que a Fraternidade ainda estava sob as garras de seus inimigos internos, informaram-nos também que o ex-Superior Geral já não estaria morando no Quartel General da Fraternidade em Menzingen, perto de Zurique, mas no seminário principal da Fraternidade em Écône, com uma cadeia de altas montanhas entre esta e Menzingen. Tal movimento assustou alguns de nós pela sombra que se lançava sobre todo o Seminário pela proximidade do antigo Superior Geral com a formação sacerdotal dos futuros sacerdotes francófonos da Fraternidade, mas pelo menos ele não estaria ofuscando seu sucessor em Menzingen. Pelo menos nesse sentido poderíamos esperar que ele deixasse para seu sucessor como Superior Geral a liberdade para determinar por si mesmo a futura política da Fraternidade. E isso é certamente o que a mudança de Menzingen para Écône pretendia-nos fazer pensar. Infelizmente, parece que mais uma vez nos fizeram de tolos.

Com efeito, a última notícia, vinda de mais de uma fonte e seguramente fácil de verificar-se, é a de que o ex-Superior Geral fez as malas em Écône e voltou para Menzingen. Parece que ele calculou que haveria pouca reação em potencial à permanência dele no Quartel General, ou que a reação havia acalmado; em todo caso, que era seguro para a aranha retornar ao centro de sua teia, porque nenhuma das moscas notaria.

Sacerdotes da Fraternidade Sacerdotal São Pio X do Arcebispo Lefebvre: em nome dele, apelamos aos senhores: acreditem se quiserem que a política de ressubmissão à Roma conciliar não é suicida para a sua Fraternidade e para o propósito para o qual ele a fundou, mas, nas palavras de Hamlet, "não passa em tua alma esse enganoso unguento", não pensem que a mudança de Superior Geral em julho fez uma diferença real nessa política. Parece que a mesma máfia de liberais segue no comando, e continua determinada – é claro, com a melhor das intenções – em desfazer o que fez o Arcebispo.

O problema é profundo, e se estende para muito além da pequena Fraternidade. Permaneçam atentos!

Kyrie eleison.

Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo.