quarta-feira, 23 de janeiro de 2019

23 de janeiro dia São Raimundo de Penaforte, Confessor.

23/01 Quarta-feira
Festa de Terceira Classe
Paramentos Brancos
http://www.infosbc.org.br/portal/images/stories/patrono/raimundo.jpg


  São Raimundo de Penaforte, do catalão Raimon de Penyafort (Vilafranca del Penedès, c. 1175 - Barcelona, 6 de Janeiro de 1275) é o santo patrono da lei canónica e dos advogados canônicos.
    São Raimundo dedicou-se desde jovem aos estudos filosóficos e jurídicos. Aos 20 anos de idade ensinava filosofia e direito canónico em Barcelona, onde foi cónego. Em 1210 foi ensinar para Bolonha (Itália), onde ficou até 1222. Foi capelão do papa Alexandre IV, e confessor de do rei Jaime I de Aragão, ao qual repreendeu pela vida licenciosa.
  Entrou depois na Ordem dos Pregadores, no convento de Santa Catalina e fez uma interveção na proclamação da cruzada contra Maiorca.
  A sua colaboração com Pedro Nolasco foi essencial na fundação da Ordem de Nossa Senhora das Mercês para a Redenção dos Cativos, obtendo o consentimento de Jaime I para a fundação da Ordem.Por ordem do Papa Gregório IX, voltou a Roma em 1230 para editar a colecção das «Decretais» e fazer a codificação da Lei canónica, que previamente estava espalhada por inúmeros documentos. A sua orgazição tornou-se um padrão por quase 700 anos, e a Lei canónica foi completamente codificada só em 1917.
Porém, quando o Papa disse que iria nomeá-lo Arcebispo de Tarragona, sentiu-se tão consternado que caiu gravemente enfermo. Quando os seus conhecidos amigos Dominicanos de Bolonha chegaram em Barcelona, abandonou tudo para vestir o hábito branco de São Domingos.
Em 1238 tornou-se terceiro Superior da Ordem Geral dos Dominicanos, por dois anos visitando a pé todos os conventos da Ordem. Redigiu também as suas novas constituições, promulgadas em Paris em 1240), apesar de renunciar ao seu cargo alegando motivos de fraca saúde.
Durante este tempo dedicou-se a converter judeus e muçulmanos ao Catolicismo a unica religião de Cristo, e para cumprir este objectivo introduziu o ensino das línguas árabe e hebraica nas escolas dos dominicanos.
Exercendo a sua influência sobre o Jaime I de Aragão, persuadiu-o a convocar um debate público sobre o judaísmo e o cristianismo, entre Moshe ben Nahman (também chamado El Rab de España ou Bonastruc de Porta), um rabino de Gerona, e Pablo Christiani, um judeu convertido de Montpellier que pertencia à Ordem Dominicana. Neste debate, que teve lugar no palácio real de Barcelona (20-24 de Julho de 1263), na presença do rei e do alto clero, Raimundo teve um papel importante. Liderava os teólogos presentes e, com a concordância do rei, deu liberdade de expressão ao rabino, mas observando que não deveria blasfemar contra o cristianismo. A isto, Moshe ben Nahman respondeu que sabia o que as leis da propriedade exigiam. No sabbath imediatamente após o debate, os cristãos visitaram a sinagoga, onde Raimundo pregou a Santíssima Trindade, negada pelo rabino.
Raimundo obteve a permissão de Jaime I para que Pablo Christiani continuasse as suas viagens missionárias, e também a ordem para que todos os judeus sob a sua soberania fossem obrigados a ouvir os sermões deste e de todos os outros dominicanos. Para além disso, deu um prazo de três meses para eliminar dos livros destes tudo o que estivesse contra a religião cristã. A comissão de censura nomeada consistia em Arnaldo de Guerbo, bispo de Barcelona, Raimundo, e os dominicanos Arnoldo de Legarra, Raymundo Martin (autor de Pugio Fidei) e Pedro de Janua, ou Génova.
http://www.preguntasantoral.es/wp-content/uploads/2013/04/raimundo_pe%C3%B1afort.jpg
  Muitos e  grandes milagres obrou Deus por meio do seu servo, dos quais o mais conhecido é o seguinte:  Jaime I, rei de Aragônia, era penitente de Raimundo. Numa viagem que ia fazer à Ilha Majorca, desejava ter seu confessor como companheiro.   No mesmo trajeto, o rei levou uma mulher, com a qual  tinha relações ilícitas. Raimundo muito lhe pediu que a despedisse,  no que o rei prometeu atendê-lo, mas a mulher ficou.   Chegados a Majorca,  Raimundo fez  a  sua permanência na côrte depender do afastamento da concubina da  casa real; no caso contrário, voltaria  para Barcelona .  Jaime ordenou a  todos os barqueiros e proprietários de navios que, sob pena de morte, nenhum se  atrevesse a transportar  o frade para a Espanha. Raimundo, ignorando a  ordem do Rei, dirigiu-se  ao porto, para embarcar num daqueles navios que  iam para o continente,  mas não achou entre os marinheiros  quem  o  quisesse transportar. Adiantou-se então o santo homem até um rochedo, que estava mais para dentro do mar, tomou a capa, estendeu sobre a água, tomou o bastão, fez o sinal da cruz e pôs-se sobre a capa, como se entrasse numa barca. Chamou um companheiro para que fosse com ele. Este, porém, não teve o ânimo de seguí-lo e, estupefato, presenciou aquele singular embarque. Raimundo pôs então o bastão no meio, levantou uma parte da capa a  modo de vela, uniu-a com a extremidade do bordão e  começou a navegar.  Em seis horas fez a viagem até barcelona percorrendo uma distância de  160 milhas.  Chegando a Barcelona, saltou em terra, tirou a  capa, que estava enxuta, e foi para o convento.
  Aos 70 anos voltou a ensinar. Foi também um escritor fecundo.  Entre os seus escritos, destaca-se a Summa Casuum para a administração recta e proveitosa do sacramento da Penitência, e também a Summa de poenitentia et matrimonio, a Summa contra gentes sobre muçulmanos e judeus e a Summa pastorales.
Raimundo morreu em 6 de Janeiro de 1275 e está enterrado na catedral de Barcelona. O papa Clemente VIII procedeu à sua canonização em 29 de Abril de 1601. É o santo padroeiro da Lei canónica e dos seus advogados, e na Espanha é padroeiro de todos os advogados. A sua festa religiosa celebra-se a 23 de Janeiro.
 
Leitura da Epístola

Eclesiástico 31,8-11

8 Bem-aventurado o rico que foi achado sem mácula, que não correu atrás do ouro, que não colocou sua esperança no dinheiro e nos tesouros! 9 Quem é esse homem para que o felicitemos? Ele fez prodígios durante sua vida. 10 Àquele que foi tentado pelo ouro e foi encontrado perfeito, está reservada uma glória eterna: ele podia transgredir a lei e não a violou; ele podia fazer o mal e não o fez. 11 Por isso seus bens serão fortalecidos no Senhor, e toda a assembléia dos santos louvará suas esmolas. 

Sequência do Santo Evangelho
 São Lucas 12,35-40
35 Estejam cingidos os vossos rins e acesas as vossas lâmpadas. 36 Sede semelhantes a homens que esperam o seu senhor, ao voltar de uma festa, para que, quando vier e bater à porta, logo lha abram. 37 Bem-aventurados os servos a quem o senhor achar vigiando, quando vier! Em verdade vos digo: cingir-se-á, fá-los-á sentar à mesa e servi-los-á. 38 Se vier na segunda ou se vier na terceira vigília e os achar vigilantes, felizes daqueles servos! 39 Sabei, porém, isto: se o senhor soubesse a que hora viria o ladrão, vigiaria sem dúvida e não deixaria forçar a sua casa. 40 Estai, pois, preparados, porque, à hora em que não pensais, virá o Filho do Homem. 



Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo Rosário.

terça-feira, 22 de janeiro de 2019

22 de janeiro dia de São Vicente e São Anastácio, Mártires.

22/01 Terça-feira
Festa de Terceira Classe
Paramentos Vermelhos 

+ 304 e 628. São Vicente foi um valoroso diácono de Zaragoza, que enfrentou toda sorte de tormentos para provar sua fidelidade a Cristo. Desempenhou-se com tanta proficiência deste cargo, que a diocese de Saragossa se distinguiu pelo espírito de piedade. Quando Diocleciano principiou a perseguição, apareceu na Espanha seu emissário Daciano, com ordem de exterminar a Santa Igreja Católica naquele país. Valério e Vicente foram as primeiras vítimas. Valério  foi mandado ao desterro, e Vicente submetido a cruéis torturas. Tão desumanas foram, que – assim opina Santo Agostinho – para sofre-las era preciso uma assistência divina especial. O mesmo  Santo Padre elogia São Vicente uma paciência angélica, uma tranquilidade imperturbável e uma paz tão extraordinária, que causou admiração e espanto até aos próprios algozes. Daciano, ao ver isto, não pôde dominar a fúria, que se lhe manifestava no olhar faiscante e na voz trêmula. Ferro e fogo foram os instrumentos de que Daciano se serviu, para martirizar o santo diácono. Mas Deus não abandonou seu servo. O cárcere do mártir encheu-se de grande luz, e os Anjos desceram, cantando com Vicente o louvor de Deus. O próprio carcereiro, vendo este espetáculo, converteu-se ao cristianismo e recebeu o batismo. Os cristãos a que antes era vedado entrar em comunicação com o diácono-mártir, aproximaram-se-lhe, beijaram-lhe as feridas e embeberam panos em seu sangue, guardando-os como preciosas relíquias. Para que os cristãos nada pudessem fazer com o corpo do mártir, Daciano deu ordem que fosse lançado num pântano, mas um corvo defendeu-o contra as feras. Mandou então que o atirassem  ao mar, mas o mar despejou-o. Os cristãos tomaram o corpo e sepultaram-no numa capela perto  de valência. Mais tarde as santas relíquias foram transportadas para a abadia de Castres, em Languedoc,  na França, ocasião em que se observaram muitos milagres.

+ 304 e 628 E Santo Anastácio foi um monge persa, decapitado com outros 70 cristãos pelo rei Cosroes.Chosroas,  rei da Pérsia, tomou Jerusalém em 614 e nesta ocasião se apoderou do santo Lenho e levou-o consigo. Deus serviu-se desta circunstância, para operar a salvação de muitos Persas. Um deles foi Anastácio, filho de um célebre feiticeiro. A santa Cruz, de que tanto se falava, excitou-lhe também a curiosidade e desejo de vê-la.
      Sem ter a intenção de abraçar a religião de Cristo, nela se instruiu e a admiração crescia-lhe, à media que se aprofundava nos santos mistérios. Depois de algum tempo, se dirigiu a Hierápolis, hospedando-se em casa de um artista cristão. Este, no intuito de fazê-lo conhecer a fundo a religião cristã, convidou-o para assistir a Santo Sacrifício da Cruz e conhecer mais profundo a vida cristã. As santas imagens, as representações dos santos mártires tocaram-lhe o coração bem ao vivo e despertaram-lhe o desejo de, como eles, um dia poder sacrificar a vida em testemunho da Fé, que estava prestes a abraçar. Após longa preparação, recebeu o santo Batismo e entrou para um convento em Jerusalém. Tinha um zelo tão vivo e ardente, que em pouco tempo, entre os irmãos, era o primeiro em virtude e santidade. Tinha por leitura predileta, além da Bíblia, a história dos mártires. As lutas e vitórias, os triunfos dos heróis comoviam-no até lágrimas e cada vez mais pronunciado se lhe tornava o desejo de morrer pela Fé, o que fez com que saísse do convento e se dirigisse a Cesaréia, na Palestina. Vendo entre os soldados alguns que cometiam atos vergonhosos, censurou-os energicamente. Este rigor chamou a atenção do governador, que suspeitava de Anastácio um espião e mandou-o prender. Perguntado pela religião que professava, Anastácio respondeu que tinha abandonado a magia, para ser cristão.
      Não faltaram promessas e ameaças para fazê-lo renunciar à Fé – Santo Anastácio permaneceu firme. Seguiram-se então os maus tratos e verdadeiras torturas. Anastácio, porém, para tudo só tinha uma resposta: “Sou cristão, e como cristão quero morrer”.
      São Justino, seu abade, sabendo dos sofrimentos que o súdito sofria por amor de Cristo, mandou que a comunidade rezasse pelo pobre perseguido, para que não lhe faltasse a graça divina. Destacou dois monges, que o deviam visitar e consolar.
      Da Palestina foi Santo Anastácio, por ordem do imperador, transportado para a Pérsia. Lá o esperava o martírio tão almejado. Chosroas envidou primeiro todos os esforços para afastá-lo da religião cristã. Ofereceu-lhe uma alta patente no exército; permitiu-lhe viver como simples monge, contanto que só verbalmente negasse a Fé cristã, embora de coração continuasse fiel discípulo de Cristo: “Que mal poderia causar esta negação?  Poderá haver nisto uma ofensa a Cristo, se de coração com ele ficas unido?” Anastácio declarou que teria horror  até da sombra da hipocrisia. De novo lhe foram oferecidas colocações honrosas.
      A resposta de Anastácio foi a mesma: “A pobreza do meu hábito – disse ao general – fala-te eloquentemente do desprezo que tenho pelas vaidades do mundo. Honras e riquezas de um rei, que hoje existe e amanhã será pó, não me tentam!”  Vendo assim frustradas as tentativas , o rei recorreu à tortura. Cada dia era aplicado um novo tormento, experimentada nova provação. Anastácio, porém, preferiu sofrer a negar a Fé. O dia  22 de janeiro de 628 trouxe-lhe afinal a salvação e a glória. Esgotadas a paciência e crueldade do rei, deu o mesmo ordem de enforcar e decapitar o santo mártir.
      Pouco antes da morte, Anastácio tinha predito a morte do tirano Chosroas. Esta profecia realizou-se dez dias depois, quando o imperador Heráclito invadiu e conquistou a Pérsia.O corpo do Santo, que tinha sido atirado aos cães, foi por estes respeitado. Os fiéis resgataram-no e deram-lhe sepultura no convento de São Sérgio. As relíquias foram mais tarde transportadas para Constantinopla e de lá para Roma.Santo Anastácio é padroeiro dos ourives, porque gozava da hospitalidade de um ourives, por ele instruído na religião. È invocado também em grandes tentações e em casos de possessão diabólica, porque pela aplicação das suas relíquias a um médico persa, possesso, este ficou livre da possessão.

   Resistimos com a graça de Deus e da Virgem Maria pela intercessão destes santos mártires a nunca negarmos a nossa Fé na Santa Doutrina Tradicional da nossa Santa Igreja Católica Apostólica Romana.
Como diz: Nosso Senhor quem perseverar ate o fim, será salvo.(São Mateus 24,13)
 
Leitura da Epístola

Sabedoria 3,1-8
1 Mas as almas dos justos estão na mão de Deus, e nenhum tormento os tocará. 2 Aparentemente estão mortos aos olhos dos insensatos: seu desenlace é julgado como uma desgraça. 3 E sua morte como uma destruição, quando na verdade estão na paz! 4 Se aos olhos dos homens suportaram uma correção, a esperança deles era portadora de imortalidade, 5 e por terem sofrido um pouco, receberão grandes bens, porque Deus, que os provou, achou-os dignos de si. 6 Ele os provou como ouro na fornalha, e os acolheu como holocausto. 7 No dia de sua visita, eles se reanimarão, e correrão como centelhas na palha. 8 Eles julgarão as nações e dominarão os povos, e o Senhor reinará sobre eles para sempre. 

Sequência do Santo Evangelho
 
São Lucas 21,9-19
9 Quando ouvirdes falar de guerras e de tumultos, não vos assusteis; porque é necessário que isso aconteça primeiro, mas não virá logo o fim. 10 Disse-lhes também: Levantar-se-ão nação contra nação e reino contra reino. 11 Haverá grandes terremotos por várias partes, fomes e pestes, e aparecerão fenômenos espantosos no céu. 12 Mas, antes de tudo isso, vos lançarão as mãos e vos perseguirão, entregando-vos às sinagogas e aos cárceres, levando-vos à presença dos reis e dos governadores, por causa de mim. 13 Isto vos acontecerá para que vos sirva de testemunho. 14 Gravai bem no vosso espírito de não preparar vossa defesa, 15 porque eu vos darei uma palavra cheia de sabedoria, à qual não poderão resistir nem contradizer os vossos adversários. 16 Sereis entregues até por vossos pais, vossos irmãos, vossos parentes e vossos amigos, e matarão muitos de vós. 17 Sereis odiados por todos por causa do meu nome. 18 Entretanto, não se perderá um só cabelo da vossa cabeça. 19 É pela vossa constância que alcançareis a vossa salvação.
Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo Rosário.

segunda-feira, 21 de janeiro de 2019

21 de janeiro dia de Santa Inês, Virgem e Mártir.

21/01 Segunda-feira
Festa de Terceira Classe
Paramentos Vermelhos
Image 

Santa Inês seu nome vem do grego, que significa pura. Ela pertenceu a uma família romana e, segundo os costumes do seu tempo, foi cuidada por uma babá que só a deixaria após o casamento.Aos 12 anos quando um pretendente se aproximou dela; segundo a tradição, era filho do prefeito de Roma e estava encantado pela beleza física de Inês. Mas sua beleza principal é aquela que não passa: a comunhão com Deus. De maneira secreta, ela tinha feito uma descoberta vocacional, era chamada a ser uma das virgens consagradas do Senhor; e fez este compromisso. O jovem não sabia e, diante de tantas propostas, ela sempre dizia 'não'. Até que ele denunciou Inês para as autoridades, porque sob o império de Diocleciano, era correr risco de vida. Quem renunciasse Jesus ficava com a própria vida; caso contrário, se tornava um mártir. 
   A maneira por que o juiz a tratou para conseguir que abandonasse a religião, obedeceu ao programa costumeiro em tais ocasiões: elogios, desculpas, galanteios e promessas. Experimentada a ineficácia destes recursos, entravam em cena, imposições, ameaças, insultos, brutalidades. O juiz fez a Inês saborear todos os recursos da força inquisitorial da justiça romana.
   Santa Inês não se perturbou. Mesmo quando lhe mostraram os instrumentos de tortura, cujo simples aspecto era bastante para causar espanto ao homem mais forte, Inês os olhou com indiferença e desprezo. Arrastada com bruteza ao lugar  onde se achavam imagens de deuses e intimada a queimar incenso, a donzela levantou as mãos puríssimas ao céu, para fazer o sinal da cruz. No auge do furor, vendo baldados todos os esforços e posta a ridículo sua autoridade, o juiz teve uma inspiração diabólica: de mandar a donzela a uma casa de pecado um prostibulo. Santa Inês respondeu-lhe: “Nosso Senhor Jesus Cristo vela sobre a pureza de sua esposa e não permitirá que lh’a  roubem. Ele é meu defensor e abrigo. Podes derramar o meu sangue. Nunca, porém, conseguirás profanar o meu corpo, que é consagrado a Nosso Senhor  Jesus Cristo”.
      A ordem do juiz foi executada e daí a pouco Santa Inês se achava no lugar da prostituição. Dos diversos rapazes que lá estavam, só um teve o atrevimento de aproximar-se de Inês, com malignos intuitos. No momento, porém, em que ia estender a mão contra ela, caiu por terra , como fulminado por um raio. Os companheiros, tomados por um grande pavor, tiraram o corpo do infeliz e levaram-no para outro lugar. Não estava morto, como todos supuseram no primeiro momento, mas aos olhos faltou-lhes a luz.Santa Inês rezou sobre ele e a cegueira desapareceu.
    
  O juiz, profundamente humilhado com esta inesperada vitória da Santa, deu ordem para que fosse decapitada.
       Ao ouvir esta sentença, a alma de Santa Inês encheu-se de júbilo. Maior não podia ser a satisfação e a alegria da jovem noiva, ao ver aproximar-se o dia das núpcias, que o prazer que Santa Inês experimentou, quando ouviu dos lábios do juiz o convite para as núpcias eternas com Nosso Senhor Jesus Cristo, seu celeste esposo. O  algoz tinha recebido ordem para, antes de executar a sentença de morte, convidar a Inês para prestar obediência à intimação do juiz. Feito pela última vez Inês com firmeza o rejeitou. Ajoelhando-se, inclinou a cabeça, ao que


parecia para prestar a Deus a última adoração aqui na terra, quando a espada do algoz lhe deu o golpe de morte. Os circunstantes, vendo este triste e ao mesmo tempo grandioso espetáculo, soluçavam alto.
        Santa Inês completou o martírio aos 21 de janeiro de 304 ou 305. tendo apenas a idade de 13 anos. No tempo do imperador Constantino foi construída em Roma uma Igreja dedicada à gloriosa mártir.
      Santa Inês é padroeira das Filhas de Maria, por causa da sua pureza Angélica. Os jardineiros também a veneram como padroeira, por ser o modelo perfeito da pureza, como Maria Santíssima, que é chamada “hortus conclusus”, horto fechado. É padroeira dos noivos, por  ter-se chamado esposa de Cristo. Do nome Inês há duas interpretações, a grega e a latina. Inês em grego é Hagne, isto é, pura; em latim, agna significa cordeirinho. Na Igreja latina prevaleceu esta interpretação. Dois dias depois da sua morte, a mártir apareceu a seus pais, acompanhada de um grupo de virgens, tendo ao seu lado um cordeirinho. Santo Agostinho admitia as duas interpretações. “Santa Inês, diz ele, significa em latim um cordeirinho e em grego, a pura”. – No dia da festa desta Santa, na sua igreja em Roma são apresentados e bentos cordeirinhos, de cuja lã são confeccionados os “palliums” dos Arcebispos.
Leitura da Epístola

Eclesiástico 51,1-8,12.
1 Glorificar-vos-ei, ó Senhor e Rei, louvar-vos-ei, ó Deus, meu salvador. 2 Glorificarei o vosso nome, porque fostes meu auxílio e meu protetor. 3 Livrastes meu corpo da perdição, das ciladas da língua injusta, e dos lábios dos forjadores de mentira. Fostes meu apoio contra aqueles que me acusavam. 4 Libertastes-me conforme a extensão da misericórdia de vosso nome, dos rugidos dos animais ferozes, prestes a me devorar; 5 da mão daqueles que atacavam a minha vida, do assalto das tribulações que me aturdiam, 6 e da violência das chamas que me rodeavam. Em meio ao fogo não me queimei. 7 Libertastes-me das profundas entranhas da morada dos mortos, da língua maculada, das palavras mentirosas, do rei iníquo e da língua injusta. 8 Minha alma louvará ao Senhor até a morte, 12 pois libertais, Senhor, aqueles que esperam em vós, e os salvais das mãos das nações.

Sequência do Santo Evangelho

 
São Mateus 25,1-13
1 Então o Reino dos céus será semelhante a dez virgens, que saíram com suas lâmpadas ao encontro do esposo. 2 Cinco dentre elas eram tolas e cinco, prudentes. 3 Tomando suas lâmpadas, as tolas não levaram óleo consigo. 4 As prudentes, todavia, levaram de reserva vasos de óleo junto com as lâmpadas. 5 Tardando o esposo, cochilaram todas e adormeceram. 6 No meio da noite, porém, ouviu-se um clamor: Eis o esposo, ide-lhe ao encontro. 7 E as virgens levantaram-se todas e prepararam suas lâmpadas. 8 As tolas disseram às prudentes: Dai-nos de vosso óleo, porque nossas lâmpadas se estão apagando. 9 As prudentes responderam: Não temos o suficiente para nós e para vós; é preferível irdes aos vendedores, a fim de o comprardes para vós. 10 Ora, enquanto foram comprar, veio o esposo. As que estavam preparadas entraram com ele para a sala das bodas e foi fechada a porta. 11 Mais tarde, chegaram também as outras e diziam: Senhor, senhor, abre-nos! 12 Mas ele respondeu: Em verdade vos digo: não vos conheço! 13 Vigiai, pois, porque não sabeis nem o dia nem a hora.  


Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo Rosário.

domingo, 20 de janeiro de 2019

Segundo Domingo depois da Epifania

20/01 Segundo Domingo depois da Epifania
Festa de Segunda Classe
Paramentos Verdes
Leitura da Epístola

Romanos 12,1-5
"1. Eu vos exorto, pois, irmãos, pelas misericórdias de Deus, a ofere­cerdes vossos corpos em sacri­fício vivo, santo, agradável a Deus: é este o vosso culto espiritual. 2. Não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação do vosso espírito, para que possais discernir qual é a vontade de Deus, o que é bom, o que lhe agrada e o que é perfeito. 3. Em virtude da graça que me foi dada, recomendo a todos e a cada um: não façam de si próprios uma opinião maior do que convém, mas um conceito razoavelmente modesto, de acordo com o grau de fé que Deus lhes distribuiu.*"
"4. Pois, como em um só corpo temos muitos membros e cada um dos nossos membros tem diferente função, 5. assim nós, embora sejamos muitos, formamos um só corpo em Cristo, e cada um de nós é membro um do outro."


Sequência do Santo Evangelho


São João  2,1-11 
"1. Três dias depois, celebravam-se bodas em Caná da Galileia, e achava-se ali a mãe de Jesus. 2. Também foram convidados Jesus e os seus discípulos. 3. Como viesse a faltar vinho, a mãe de Jesus disse-lhe: “Eles já não têm vinho”." "4. Respondeu-lhe Jesus: “Mulher, isso compete a nós? Minha hora ainda não chegou”.* 5. Disse, então, sua mãe aos serventes: “Fazei o que ele vos disser”. 6. Ora, achavam-se ali seis talhas de pedra para as purificações dos judeus, que continham cada qual duas ou três medidas.* 7. Jesus ordena-lhes: “Enchei as talhas de água”. Eles encheram-nas até em cima. 8. “Tirai agora” – disse-lhes Jesus – “e levai ao chefe dos serventes”. E levaram. 9. Logo que o chefe dos serventes provou da água tornada vinho, não sabendo de onde era (se bem que o soubessem os serventes, pois tinham tirado a água), chamou o noivo" "10. e disse-lhe: “É costume servir primeiro o vinho bom e, depois, quando os convidados já estão quase embriagados, servir o menos bom. Mas tu guardaste o vinho me­lhor até agora”. 11. Esse foi o primeiro milagre de Jesus; realizou-o em Caná da Galileia. Manifestou a sua glória, e os seus discípulos creram nele."
Viva Cristo Rei e Maria Rainha.

Rezem todos os dias o Santo Rosário.



20 de Janeiro dia de São Sebastião Martir

  O seu nome deriva do grego sebastós, que significa divino, venerável (que seguia a beatitude da cidade suprema e da glória altíssima)
 São Sebastião nasceu em Narvonne, França, no final do século III, e desde muito cedo seus pais se mudaram para Milão, onde ele cresceu e foi educado. Seguindo o exemplo materno, desde criança São Sebastião sempre se mostrou forte e piedoso na fé.
Atingindo a idade adulta, alistou-se como militar, nas legiões do Imperador Diocleciano, que até então ignorava o fato de Sebastião ser            um cristão de coração. A figura imponente, a prudência e a bravura do jovem militar, tanto agradaram ao Imperador, que este o nomeou comandante de sua guarda pessoal. Nessa destacada posição,São Sebastião se tornou o grande benfeitor dos cristãos encarcerados em Roma naquele tempo. Visitava com frequência as pobres vítimas do ódio pagão, e, com palavras de dádiva, consolava e animava os candidatos ao martírio aqui na terra, que receberiam a coroa de glória no céu.
Enquanto o imperador empreendia a expulsão de todos os cristãos do seu exército, Sebastião foi denunciado por um soldado. Diocleciano sentiu-se traído, e ficou perplexo ao ouvir do próprio Sebastião que era cristão. Tentou, em vão, fazer com que ele renunciasse ao cristianismo, mas Sebastião com firmeza se defendeu, apresentando os motivos que o animava a seguir a fé cristã, e a socorrer os aflitos e perseguidos.
O Imperador, enraivecido ante os sólidos argumentos daquele cristão autêntico e decidido, deu ordem aos seus soldados para que o matassem a flechadas. Tal ordem foi imediatamente cumprida: num descampado, os soldados despiram-no, o amarraram a um tronco de árvore e atiraram nele uma chuva de flechas. Depois o abandonaram para que sangrasse até a morte.
À noite, Santa Irene, mulher do mártir Castulo, foi com algumas amigas ao lugar da execução, para tirar o corpo de Sebastião e dar-lhe sepultura. Com assombro, comprovaram que o mesmo ainda estava vivo. Desamarraram-no, e Santa Irene o escondeu em sua casa, cuidando de suas feridas. Passado um tempo, já restabelecido, São Sebastião quis continuar seu processo de evangelização e, em vez de se esconder, com valentia apresentou-se de novo ao imperador, censurando-o pelas injustiças cometidas contra os cristãos, acusados de inimigos do Estado.
Diocleciano ignorou os pedidos de Sebastião para que deixasse de perseguir os cristãos, e ordenou que ele fosse espancado até a morte, com pauladas e golpes de bolas de chumbo. E, para impedir que o corpo fosse venerado pelos cristãos, jogaram-no no esgoto público de Roma.
Uma piedosa mulher, Santa Luciana, sepultou-o nas catacumbas. Assim aconteceu no ano de 287. Mais tarde, no ano de 680, suas relíquias foram solenemente transportados para uma basílica construída pelo Imperador Constantino, onde se encontram até hoje. Naquela ocasião, uma terrível peste assolava Roma, vitimando muitas pessoas. Entretanto, tal epidemia simplesmente desapareceu a partir do momento da transladação dos restos mortais desse mártir, que passou a ser venerado como o padroeiro contra a peste, fome e guerra.
As cidades de Milão, em 1575 e Lisboa, em 1599, acometidas por pestes epidêmicas, se viram livres desses males, após atos públicos suplicando a intercessão deste grande santo. São Sebastião é também muito venerado em todo o Brasil, onde muitas cidades o tem como padroeiro, entre elas, o Rio de Janeiro .

Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo Rosário.


sábado, 19 de janeiro de 2019

Nossa Senhora no Sábado

19/01 Sábado
Festa de Quarta Classe 
Paramentos Brancos
nossa senhora auxliliadora
 
Leitura da Epístola

Tito 3,4-7
4 Mas um dia apareceu a bondade de Deus, nosso Salvador, e o seu amor para com os homens. 5 E, não por causa de obras de justiça que tivéssemos praticado, mas unicamente em virtude de sua misericórdia, ele nos salvou mediante o batismo da regeneração e renovação, pelo Espírito Santo, 6 que nos foi concedido em profusão, por meio de Cristo, nosso Salvador, 7 para que a justificação obtida por sua graça nos torne, em esperança, herdeiros da vida eterna.
Sequência do Santo Evangelho

São Lucas 2, 15-20
15 Depois que os anjos os deixaram e voltaram para o céu, falaram os pastores uns com os outros: Vamos até Belém e vejamos o que se realizou e o que o Senhor nos manifestou. 16 Foram com grande pressa e acharam Maria e José, e o menino deitado na manjedoura. 17 Vendo-o, contaram o que se lhes havia dito a respeito deste menino. 18 Todos os que os ouviam admiravam-se das coisas que lhes contavam os pastores. 19 Maria conservava todas estas palavras, meditando-as no seu coração. 20 Voltaram os pastores, glorificando e louvando a Deus por tudo o que tinham ouvido e visto, e que estava de acordo com o que lhes fora dito.

Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dia Santo Rosário.
...

19 de janeiro dia dos Santos Mário,Marta,Audíface e Abaco,Mártires.

 
Mártires Mário era um persa notável que se converteu com sua família Marta sua esposa, seus dois filhos os Santos Audifax e Ábacopara ao cristianismo. Vem em peregrinação a Roma no reinado de Cláudio, o Gótico (268-270), está família que pertencia à nobreza persa e foi a Roma para venerar os túmulos dos Santos Apóstolos São Pedro e São Paulo. Eles ajudaram a comunidade cristã a dar um enterro digno aos 260 mártires,cujos corpos jaziam insepultos.Reconhecidos como cristãos,foram apanhados pelos soldados do imperador Cláudio II enquanto cumpriam obra de misericordia de enterrar os mortos cumprindo o dever de cristão. Levados presos queriam obriga-los à oferecer sacrifícios aos deuses pagãos recusaram-se e não renunciaram à fé cristã. Assim foram condenados primeiro São Mário, Santo Audifax e Santo Ábaco foram martirizados e mortos por decapitados  na via Cornélia. Já Santa Marta foi condenada à morte por afogamento. Hoje, no local do ocorrido, ainda existem as ruínas de uma antiga igreja, construída para reverenciar os quatro Santos. Seu culto é ainda parte do Martirológio Romano recente.
Corneille na pista em décimo terceiro os quilômetros de Roma, o cemitério "Em Ninfas", o santo mártires Marius, Marta e Abacum Audifax. . 
 Hoje, no local do ocorrido, ainda existem as ruínas de uma antiga igreja, construída para reverenciar os quatro Santos.

Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo Rosário.

sexta-feira, 18 de janeiro de 2019

18 de janeiro dia de Santa Prisca, Virgem e Mártir.

 18/01 Quinta-feira
Festa de Quarta Classe
Paramentos Brancos

Santa Prisca ou Priscila significa a primeira, foi uma virgem mártir, muito venerada em Roma. Sendo batizada aos 13 anos por São Pedro.Uma menina romana cujos pais eram cristãos de uma família nobre. Cláudio era o imperador nesse tempo, durante o seu reinado, os cristãos foram perseguidos não tais números como tinham sido antes disso, ainda muitas coisas cruéis foram feitas aqui e ali, ser um cristão era perigoso.   Nestes tempos maus, nem sempre muitos se atrevem a dizer o que ele realmente pensava, nem publicamente para o culto como ele acreditava ser certo. Muitos dos cristãos não tinham vergonha de esconder a sua verdadeira crença,os pagãos romanos, que estavam por toda parte buscando com ódio para os seguidores de Cristo, para torturar e matar.
Prisca pai e mãe conseguiu manter seu segredo, e não foram suspeitos de serem cristãos. Eles provavelmente iam à Igreja nas capelas secretas que os cristãos haviam cavado no fundo da terra sob a cidade. Nestes escuros, catacumbas sombrias, como eram chamados, os cristãos realizaram seu culto em baixo dos pés dos romanos, que estavam passando por cima sem suspeitar que estava acontecendo tão perto deles.Mas Prisca desprezado para usar qualquer precaução. Pequena e indefesa que ela era, ela não tinha medo de dizer a cada um o que acreditava e seguia a cruz de Cristo. Então, ela logo se tornou-se conhecida como firme cristã. E havia pessoas na cidade cruel e perversas o suficiente e bastante para odia-la em um pouco tempo deseja-lhe o mal a criança-cristã.
Essas pessoas relataram aos oficiais do imperador suas palavras corajosas da fé, e contou-lhes como ela não iria sacrificar aos deuses romanos, como as outras crianças faziam. Então,muito em breve ela foi apreendida pelos guardas e levada perante o imperador.
Cláudio olhou para a pequena cristã com surpresa por encontrá-la tão jovem. E ele pensou: "Hoje eu facilmente vou fazer que está pequena Cristã mude sua mente e me obedeça!". E ele ordenou a seus homens levá-la ao templo de Apolo e fazê-la oferecem incenso ao deus bonito da curva de prata. Assim, levando-a ao topo do Palatino, uma das sete colinas de Roma em que foi construído.
Eles primeiro passou sob um arco de mármore grande e entrou em um pátio cercado por pilares feito de 52 duas colunas de mármore. No centro deste espaço ficava o templo de Apolo, o edifício mais magnífico em toda Roma. Com portões de marfim e seus maravilhosos grupos de estátuas, seus pisos de mármore e altares embutidos com sua grinalda de flores de ouro, seu incenso respiração tripés, suas lâmpadas e vasos de prata bonitos, era um lugar muito diferente dos nus, das cavernas escuras em que os cristãos adoravam seu Deus. Na frente do templo era um grupo de quatro bois feitos de bronze, e no centro deste se queimava um fogo sobre um tripé de ouro. Este foi o altar para Apolo, o deus-sol, cujo enorme estátua dourada, em sua carruagem de quatro cavalos, estava sobre a porta do templo logo acima. Ele era a imagem de um belo jovem com uma coroa de flores da baía sobre a sua cabeça, carregando um arco na mão, com a qual Apollo foi acreditado para disparar raios de sol sobre a terra.Eles empurrou incenso na mão de Priscila e ordenou-lhe que jogue alguns grãos no fogo em honra do deus bonito de sol. Parecia uma coisa muito simples de fazer, para salvar sua vida, só de se espalhar um punhado de pó escuro sobre as chamas. Prisca adorava o sol querido, assim como qualquer um, mas ela sabia que era idolatria acreditar que ele era um deus, e perverso para adorar a sua estátua no lugar do grande Deus verdadeiro que fez o sol e tudo mais. Então Prisca se recusou a queimar o incenso.
Em seguida, o Imperador estava muito irritado, e convidou os soldados chicoteá-la até que ela obedecesse ao seu comando. Mas eles não podiam fazê-la mesmo sobre pressão da crueldade.Eles impurraram incenso na mão de Priscila e ordenou-lhe que joga-se incenso no fogo em honrra do deus pagão do sol.Mesmos os romanos de coraçaõ duro vinham ver com olhar admiravel sua bravura e seu sofrimento.As mulheres gritavam vê-la tão cruelmente maltratada e os homens gritavam: Vergonha! Vergonha!Parem de torturar esta criança.
E então aconteceu uma coisa linda, por Prisca apareceu vestida com uma túnica de sol amarelo. A maravilhosa luz brilhou em toda parte, e ela parecia se uma pequena estrela dando a luz, tão brilhantemente como seu espírito corajoso entre os homens cruéis..Parecia que nenhuma criança poderia suportar todo esse sofrimento sem ceder, eo Imperador esperava que ela daria, por que ele não queria matá-la. Mas Prisca era firme, e não fazer o sacrifício. O Imperador ficou surpreso ao encontrar uma criança tão corajosa. Ele ordenou-lhes que arrastá-la para a prisão e para mantê-la ali por muitos dias. Na prisão deixada, solitário e no frio e com fome, muitas vezes, se perguntando o que algo terrível estava para acontecer. Mas seu coração não era infeliz e sim um coração forte e corajoso, e ela não estava com medo pois a graça estava lhe auxiliando.
Depois de muito tempo, uma guarda numa manhã levou um pouco de carne o  para Prisca. Ele levou também para fora, para ela ver a luz do sol, querida, e ela estava feliz por ver o sol e o céu azul mais uma vez. Mas foi apenas por um curto período de tempo que eles deixá-la desfrutar ainda este pequeno prazer, porque trouxe para o anfiteatro, um ótimo lugar aberto, como o circo, com camadas sobre camadas de assentos sobre todos, e multidões de rostos olhando para o centro de onde ela estava.
Prisca sabia o que isto significava, pois ela tinha ouvido falar muitas vezes da forma como os cristãos foram para a arena a ser despedaçado por animais selvagens. E ajoelhando-se na areia, ela fez uma pequena oração, não sei se pode-se ser salvo das bestas ferozes, mas que posso testemunhar é o poder Deus por me dar coragem de mostrar e testemunhar a minha fé em Cristo e ensinar uma lição a estes homens e mulheres qual o Deus verdadeiro.
Em seguida, abriu-se a porta ralada de um antro, no final da arena, sai um grande leão amarelo para persegui-la e mata-la esta era intenção do cenario. Com um rugido terrível que ele correu para o centro do círculo, e ficou ali atacando sua cauda e piscando seus grandes olhos amarelos tudo sobre o lugar. Então de repente ele viu a menina em pé, parado em um lado, com as mãos postas na frente dele, olhando-o sem medo. E a grande besta caminhou suavemente até ela em suas patas acolchoadas. Ele abaixou a cabeça e lambeu seus pequenos pés descalços, e então ele se agachou ao seu lado, como um cão de St Bernard pode colocar-se a proteger a sua  protegida. E é por isso que as fotos antigas de Santa Prisca representá-la com um leão ao seu lado.
Há um grande silêncio caiu sobre a tenda lugar. O imperador e todas as pessoas se sentavam perfeitamente imóvel, pensando na visão estranha e admirar a coragem dela, pois ela estendeu a mão e foi acariciando a cabeça do leão, brincando com sua juba. Ela inclinou a cabeça e ninguém ouviu sussurro em seu ouvido: -"Meu bom amigo! Você não vai me machucar, eu sei, pois Senhor fechou sua boca, assim como ele fez as bocas dos leões em cuja Daniel foi jogado pelos homens maus. Estes homens cruéis colocaram-me à morte, mas você está mais amável do que eles.
E o leão olhou em seu rosto como se ele entende-se, e resmungou baixinho. Ele era muito gentil com ela, mas quando o carrasco veio em direção a eles, ele rosnou e eriçou e mostrou os dentes grandes, de modo que há muito tempo ninguém se atreveu a chegar perto.
Mas, mesmo o leão não poderia salvá-la da morte, que ela não tinha vontade de fugir. Por fim, eles o capturaram e o levaram. O coração do Imperador foi atenuado pela bravura Prisca, e ele queria dar-lhe mais uma chance de salvar sua vida. Eles levaram-la por muitos dias no templo pagão, e tentou de todas as maneiras para fazê-la sacrifício aos deuses e renunciar sua Fé no cristianismo. Eles persuadiu e fez suas belas promessas, eles ameaçados e diziam que iam punila. Mas ainda Prisca permaneceu firme, embora ela já estava muito desgastado e cansado e doente, porque ela tinha sofrido tanto.
Então, quando ela tinha suportado tudo pacientemente e bravamente, e eles viram que era impossível faze-la curva-la diante do deus pagão, levou-a para longe a estrada que leva ao sul do monte Palatino, para o local da execução . Este foi apenas fora do portão Ostiense, uma arcada na grande muralha que rodeava Roma, através
Il martirio di santa Prisca, affresco del XVI secolo nella chiesa omonima di Roma.
do qual a estrada levou para a cidade de óstio e para o mar. Mesmo fora desta porta, para mostrar que eles não eram mais digno de ser romanos e vivendo dentro de seus muros, os criminosos foram executados.E aqui mártires cristãos muitos perderam suas vidas. Prisca foi um deles, pois ali ela foi decapitado. E até o fim ela não chorou nem gritou nem foi de qualquer maneira com medo. E assim ela se tornou Santa Prisca, uma pequena mártir.
Em seguida, outra coisa milagre aconteceu. Quando  ela morreu uma grande águia apareceu no céu, pairando sobre o corpo de Santa Prisca no ar. E quando qualquer dos romanos aventurou perto dela a águia desceu sobre eles com gritos terríveis e bater de suas asas. E seus olhos redondos cinza parecia tão feroz e suas garras tão longa e afiada, que ninguém se atreveu a tocá-la por medo da ave. Santa Prisca tinha encontrado outro protetor em Roma cruel. E é por isso que muitas das fotos antigas de martírio Santa Prisca mostram uma grande águia pairando sobre ela.
A criatura guardou sueu corpo noite e dia, fazendo os pagão manterem a distância, até que os cristãos, que estavam esperando a chance de se aventurar, veiram em segredo na calada da noite leva-la. Eles enterraram onde os romanos não poderia encontrá-la, em seu cemitério pequeno segredo nas catacumbas. Isto é como Santa Prisca viveu e morreu.A tradição diz que ela teria sido martiriza nas primeiras execuções dos cristãos e teria enterrada nas catacumbas. Santa Prisca tem uma Igreja na Aventine Hill.
Foi construída na colina onde foi enterrada, uma Igreja dedicada a ela.
Na liturgia ela é mostrada como uma jovem cristã  com dois leões a seus pés, uma espada e uma águia perto dela.Ela foi considerada a mais antiga de romana e se tornou umas das mulheres mais venerada na Santa Igreja.
Martir romana envegelizadora descrita numa carta de São Paulo,em que falou: "Saúdem Prisca e Áquila, meus colobaboradores em Nosso Senhor Jesus Cristo, os quais expuseram suas cabeças para me salvar a vida. À isso devo render graças não somente eu, mas também todas as Igrejas dos gentios"(Rm 16,3).  
O leão  a seus pés  significa a conquista do paganismo. Ela  é venerada em Roma onde suas relíquias são guardadas na igreja de Santa Prisca e sua festa consta em calendários de 16 monastérios

   Catatumba de Prisca, em Roma.
Image


Leitura da Epístola

Romanos 12,1-5
"1. Eu vos exorto, pois, irmãos, pelas misericórdias de Deus, a ofere­cerdes vossos corpos em sacri­fício vivo, santo, agradável a Deus: é este o vosso culto espiritual. 2. Não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação do vosso espírito, para que possais discernir qual é a vontade de Deus, o que é bom, o que lhe agrada e o que é perfeito. 3. Em virtude da graça que me foi dada, recomendo a todos e a cada um: não façam de si próprios uma opinião maior do que convém, mas um conceito razoavelmente modesto, de acordo com o grau de fé que Deus lhes distribuiu.*"
"4. Pois, como em um só corpo temos muitos membros e cada um dos nossos membros tem diferente função, 5. assim nós, embora sejamos muitos, formamos um só corpo em Cristo, e cada um de nós é membro um do outro."


Sequência do Santo Evangelho


São Lucas  2,1-11  
"42. Tendo ele atingido doze anos, subiram a Jerusalém, segundo o costume da festa. 43. Acabados os dias da festa, quando voltavam, ficou o menino Jesus em Jerusalém, sem que os seus pais o percebessem. 44. Pensando que ele estivesse com os seus companheiros de comitiva, andaram caminho de um dia e o buscaram entre os parentes e conhecidos. 45. Mas não o encontrando, voltaram a Jerusalém, à procura dele. 46. Três dias depois o acharam no templo, sentado no meio dos doutores, ouvindo-os e interrogando-os. 47. Todos os que o ouviam estavam maravilhados da sabedoria de suas respostas. 48. Quando eles o viram, ficaram admirados. E sua mãe disse-lhe: “Meu filho, que nos fizeste?! Eis que teu pai e eu andávamos à tua procura, cheios de aflição”. 49. Respondeu-lhes ele: “Por que me procurá­veis? Não sabíeis que devo ocupar-me das coisas de meu Pai?”.* 50. Eles, porém, não compreen­deram o que ele lhes dissera. 51. Em seguida, desceu com eles a Nazaré e lhes era submisso. Sua mãe guardava todas essas coisas no seu coração. 52. E Jesus crescia em estatura, em sabedoria e graça, diante de Deus e dos homens.



Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo Rosário.

quinta-feira, 17 de janeiro de 2019

17 de janeiro dia de Santo Antão, Abade.

17/01 Quinta-feira
Festa de Terceira Classe
Paramentos Brancos
   Nasceu em Fayum, no Alto Egito, perto de Heracleopolis Magna cerca do ano 251. Tinha 20 anos quando seus pais faleceram e ele herdou os bens da família. Foi nesta época que, participando do Santo Sacrificio,em 269, este jovem egípcio toma à letra o conselho que de Nosso Senhor Jesus Cristo dá um homem rico no Evangelho: “Se queres ser perfeito, vende tudo o que tens... Depois vem e segue-me” (Mateus 19, 21-22). Antão distribui todos os seus bens aos pobres e vai viver como eremita no deserto da Tebaida, na margem oriental do Nilo.
   Santo Atanásio, um bispo de Alexandria, contará mais tarde a sua vida. Traça o retrato de um recluso solitário, um orante e autor de prodígios que auto-inflige rudes provações para resistir às tentações do diabo.
Santo Antão incarna a figura emergente do eremita na história do cristianismo. Ele é considerado o “pai” dos anacoretas (do grego anakhôrein, “retirar-se).
   No Oriente parcialmente evangelizado dos séculos II e III, já havia homens e mulheres que tinham escolhido viver a radicalidade da mensagem evangélica, como era o caso das “virgens consagradas”, que faziam voto de celibato e pobreza. Mas estes fiéis não deixavam as suas comunidades de origem.

Em 305, Antão emergiu com grande vigor e saúde. Ele ficou com os eremitas por 5 anos, regulamentando o trabalho comunitário, as orações e as penitências. Depois foi para um deserto entre o Nilo e o Mar Vermelho, em um local chamada Monte Kalzim. Um monastério, chamado Diem Mar Antonios, foi erigido neste local considerado o mais antigo mosteiro do mundo. Por isso retiram-se para o deserto para aí viver continuamente em oração e penitência. Santo Antão será o seu modelo, o grande batalhador da Santa Igreja contra a heresia ariana, Santo Atanisio pedia o auxílio de Santo Antão para confirmar, confortar os mártires das perseguições que estava acontecendo na época e voltou anos mais tarde para argumentar vigorosamente contra a heresia Ariana lado a lado com Santo Atanásio, em sua diocese de Alexandria em 311, os fiéis perseguidos pelos hereges. Apesar de já centenário,Santo Antão atendeu a tão justo pedido. Sua presença naquela cidade foi de um efeito maravilhoso sobre o povo fiel. Mesmo os sacerdotes pagãos iam às Igrejas para tentar falar com o homem de Deus. Lá ele fez muitos prodígios, e Santo Atanásio reconhece que, durante o pouco tempo que Antão ali esteve, converteu à verdadeira fé mais infiéis do que tinham sido convertidos durante todo um ano. Os filósofos que vinham discutir com ele, diante de suas respostas tão pertinentes, ficavam espantados com a viveza de seu espírito e a solidez de seu julgamento. Via-se que Deus falava por sua boca.
    Santo Antão ficou conhecido como um homem bom, generoso, corajoso, com bom senso, leal e sem nenhum excesso e ostentação. Era amigo de São Paulo de Tebas, chamado de o "eremita" que recebia meio pão por dia dos corvos. 
    Diz a tradição que quando Santo Antão foi visitá-lo, os corvos trouxeram um pão inteiro. O Imperador Constantino, o Grande (323-337), era um dos milhares que procuravam Antão para ensinamentos e inspirações.Os monarcas, os príncipes este imperador Constantino escreviam-lhe cartas cheias de respeito, implorando o socorro de suas preces e pedindo a consolação de uma resposta sua. Santo Antão lhes respondia exortando-os a não se deixar ofuscar por sua dignidade, pois eram homens e teriam que prestar contas de seu poder ao Rei dos Reis. Que usassem de misericórdia e clemência para com todos, socorressem os pobres e se lembrassem de que só Jesus Cristo é o verdadeiro e eterno Rei. Constantino conservava uma dessas cartas como o seu mais caro tesouro.
    Enfim, cheio de méritos, Santo Antão entregou sua alma a Deus no dia 17 de Janeiro de 356 aos 105 anos, recomendando aos seus discípulos que escondessem seu corpo para que não fosse adorado pelos pagãos como a um deus. Deixou sua túnica para o denfensor da Santa Igreja, Santo Atanásio.
Orientações de Santo Antão:

 * "Quem não tiver sido tentado não poderá entrar no reino do céu. Se suprimires a tentação, ninguém se salvará."


* A maior obra dos homens é esta: ser capaz de manter seus pecados diante de Deus e estar preparado para a tentação até o último suspiro.
* Aquele que senta-se em solicitude e quietude  escapou de três batalhas: ouvindo, falando e vendo. Mas mesmo assim ele tem uma constante guerra: no seu próprio coração.
* O demônio teme a humildade, o bom trabalho e o jejum. Ele não consegue impedir a minha boca de falar contra ele. A ilusão do demônio logo desvanece especialmente, se o homem se arma com o Sinal da Cruz. O demônio treme ao Sinal da Cruz do Nosso Senhor, porque Ele triunfou sobre ele e o desarmou.
  *Segundo o Santo Antão, as tentações são manifestamente uma condição indispensável para se entrar no céu. É através das tentações que o homem obtém um faro do Deus verdadeiro. Sem tentação o homem estaria no perigo de apoderar-se de Deus e torna-lo inofensivo e inócuo. Pela tentação, porém, o homem experimenta existencialmente a sua distância de Deus, sente a diferença entre o homem e Deus. O homem permanece em luta constante, enquanto Deus repousa em si mesmo. Deus é amor absoluto, enquanto o homem é continuamente tentado pelo maligno.
  *Se ouvirdes atentamente a minha voz e guardardes a minha aliança, sereis minha propriedade especial entre todos os povos, porque minha é a terra, e vós constituireis para mim um reino de sacerdotes e uma nação santa. Ex. 19,5-6.
  *Aproximai-vos de Cristo, pedra viva, eleita e estimada por Deus, também vós, como pedras vivas.
Vinde formar um templo espiritual para um sacerdócio santo, a fim de oferecer sacrifícios espirituais, agradáveis a Deus por Jesus Cristo.
  *Sois uma estirpe eleita, sacerdócio real, gente santa, povo trazido à salvação, para tornardes conhecidos os prodígios dAquele que vos chamou das trevas para a luz admirável. 1Pd. 2, 4-5
  *Caríssimos, não descuidemos de nossa salvação. Sabei que se alguém se entrega a Deus de todo o coração, Deus tem piedade dele e lhe concede o Espírito de conversão.
  *Sabemos que desde as origens do mundo, os que encontraram na Lei da Aliança o caminho do seu Criador foram acompanhados por sua bondade, sua graça e seu Espírito. Mas os homens, incapazes de exercerem sua inteligência segundo o estado da criação original, inteiramente privados de razão, sujeitaram-se à criatura em vez de servir ao Criador.
  *Eu vos suplico, irmãos, penetrai-vos bem da maravilhosa economia da salvação.
  *Todo ser dotado de inteligência espiritual, aquele para quem veio o Senhor, deve tomar consciência de sua própria natureza, isto é, deve conhecer-se a si mesmo.
  *Seja-vos dado tomar bem consciência da graça que Ele vos deu. Não é a primeira vez que Deus visita as suas criaturas. Ele as conduz desde as origens do mundo e, de geração em geração, mantém cada uma desperta pelos acontecimentos de sua graça. Não negligenciemos, pois, chamar a Deus dia e noite. Fazei violência à ternura de Deus. Do céu Ele vos enviará Aquele cujo ensinamento vos permitirá conhecer o que é bom para vós.
  *Filhos, é certo que nossa enfermidade e nossa humilhação são dor para os santos e causa das lágrimas e gemidos que oferecem por nós diante do Criador do Universo.
  *Compreendei bem o que vos digo e declaro: Se cada um de vós não chega a odiar o que é da ordem dos bens terrestres e a isso não renunciar de todo coração, assim como a todas as atividades que daí dependem, se não chega a elevar as mãos e o coração ao Céu para o Pai de todos nós, não é para si a salvação. Mas se fazeis o que acabo de dizer, Deus vos enviará um fogo invisível, que consumirá vossas impurezas e devolverá vosso espírito à sua pureza original. O Espírito Santo habitará em vós, Jesus permanecerá junto de nós e poderemos adorar a Deus como é devido.
  *A todos os meus irmãos muito amados, a todos vós que vos preparais para vos aproximardes do Senhor, saúdo nEle, irmãos caríssimos, vossa natureza espiritual.
  *Que Deus abra os olhos de vosso coração para que percebais os múltiplos malefícios secretos, lançados todos os dias sobre nós no decorrer do tempo. Faço votos que Deus vos dê um coração clarividente e um espírito de discernimento a fim de vos apresentardes a Ele como uma vítima pura e sem mancha.
  *Persuadi-vos bem que vosso ingresso e vosso progresso na obra de Deus não são obra humana, mas intervenção do poder divino que não cessa de vos assistir.
  *Sede, pois, vigilantes, caros filhos, não permitais que vossos olhos durmam nem que vossas pálpebras dormitem, mas clamai dia e noite a vosso Criador para que vossos pensamentos se firmem no Cristo.
  *No Senhor eu vos suplico, caros filhos, deixai-vos penetrar bem pelo que vos escrevo. Voltai vossa alma para vosso Criador. Perguntai a vós mesmos o que seria possível retribuir ao Senhor por todas estas graças. É tão grande a sua bondade que Ele quis que o próprio Sol se ponha a nosso serviço nesta habitação de trevas, assim como a Lua e as estrelas, para sustentar fisicamente um ser cuja fraqueza o condenaria a perecer. Não sofreram por nós os patriarcas? Não nos dispensaram os sacerdotes os seus ensinamentos? Não combatiam por nós os juízes e reis? Não foram mortos por nós os profetas? Não sofreram os Apóstolos perseguição por nós? E não morreu por todos nós o Filho bem amado? Agora é a nossa vez de nos dispormos a ir ao nosso Criador pelo caminho da pureza.
  *Meus caríssimos no Senhor, a vós que sois co-herdeiros dos santos, rogo que desperteis em vosso coração o temor de Deus. Preparemo-nos, pois, santamente, e purifiquemos nosso espírito para sermos puros a receber o batismo de Jesus e a nos oferecermos como vítimas agradáveis a Deus. O Espírito Consolador, recebido no Batismo, nos conduzirá a nosso estado original.
  *Caros irmãos, chamados a partilhar da herança dos santos, agora estais próximos de todas as virtudes. Todas elas vos pertencem se não vos embaraçais na vida carnal, mas permaneceis transparentes diante de Deus. É a pessoas capazes de me compreender que escrevo, a pessoas em condições de se conhecerem a si mesmos. Quem se conhece, tem a obrigação de adorar a Deus como convém.

Leitura da Epístola 

Eclesiástico 45,1-6

1. Moisés foi amado por Deus e pelos homens: sua memória é abençoada.2. O Senhor deu-lhe uma glória semelhante à dos santos; tornou-se poderoso e temido por seus inimigos.3. Glorificou-o na presença dos reis, prescreveu-lhe suas ordens diante do seu povo, e mostrou-lhe a sua glória.4. Santificou-o pela sua fé e mansidão, escolheu-o entre todos os homens.5. Pois (Deus) atendeu-o, ouviu sua voz e o introduziu na nuvem.6. Deu-lhe seus preceitos perante (seu povo) e a lei da vida e da ciência, para ensinar a Jacó sua aliança e a Israel seus decretos.


Sequência do Santo Evangelho

São Mateus 19,27-29
27. Pedro então, tomando a palavra, disse-lhe: Eis que deixamos tudo para te seguir. Que haverá então para nós?28. Respondeu Jesus: Em verdade vos declaro: no dia da renovação do mundo, quando o Filho do Homem estiver sentado no trono da glória, vós, que me haveis seguido, estareis sentados em doze tronos para julgar as doze tribos de Israel.
29. E todo aquele que por minha causa deixar irmãos, irmãs, pai, mãe, mulher, filhos, terras ou casa receberá o cêntuplo e possuirá a vida eterna.
 
Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo Rosário.