quarta-feira, 16 de novembro de 2016

Comentários Eleison - por Dom Williamson CDLXXXVII (487) – (12 de novembro de 2016):

CLÉRIGOS CONSCIENTES? -  II

As palavras de mentes corruptas não se pode aproveitar,
Exceto para mentir, trair, seduzir, enganar.

http://3.bp.blogspot.com/-dvbasw-m7rY/USEWy0cWfeI/AAAAAAAACM0/7Pj51Pi_Hew/s1600/Pastor+ou+lobo.jpgNa semana passada, estes "Comentários" levantaram a questão de saber se o Superior Geral da Fraternidade Sacerdotal São Pio X (SG, para abreviar) sabe o que está fazendo quando constantemente faz declarações contraditórias, ora a favor da Tradição Católica, ora em sintonia com os romanos e sua Revolução Conciliar. Na melhor das hipóteses, o SG seria apenas um liberal confuso e que causa confusão, dividido entre o catolicismo e o conciliarismo. Na pior das hipóteses, ele seria um verdadeiro lobo em pele de ovelha, usando palavras apenas como instrumentos políticos para permitir que os romanos absorvam a antiga Fraternidade Católica do Arcebispo Lefebvre na sua neoigreja conciliar. A Fé está em jogo. É importante que muitos sacerdotes e leigos vejam claramente se o SG é pastor ou um lobo, ou algo intermediário. Vejam na última edição da revista bimensal francesa "Sous la Bannière", uma resposta muito clara de um padre francês resistente, o Padre Olivier Rioult.

Ele começa com o comunicado do SG de 29 de junho emitido um pouco depois da reunião dos Superiores da FSSPX realizada perto de Écône, e cita frases que poderiam garantir a alguns católicos que a FSSPX estaria voltando para a via tradicional. Mas, diz o Pe. Rioult, o SG tem dito tantas vezes uma coisa e feito outra, que suas palavras não têm valor algum no que diz respeito à verdade. Elas são, como para inúmeros políticos modernos, apenas instrumentos de política por serem usados ​​ou abusados ​​conforme a ocasião o exija: neste caso, fazer com que a FSSPX se submeta às autoridades da Neoigreja sem que sequer perceba o que está acontecendo. A prova está nas ações do SG. Ações falam sempre mais alto do que palavras. O que o SG realmente quer dizer julga-se melhor por suas ações, que trabalham constantemente em favor da Roma conciliar.

Eis aqui algumas delas: a aceitação do “levantamento” das “excomunhões” em 2009; A aceitação da jurisdição oficial para confissões, e da jurisdição oficial para que a SG emita juízos de primeira instância em casos na FSSPX; A submissão à citação de nomes para ordenandos para o sacerdócio nos EUA e a aceitação da tolerância diocesana para ordenações sacerdotais na Alemanha. Indo no mesmo sentido, dentro da FSSPX está seu declínio progressivo, ou expulsão dos oponentes do SG que discordam de sua política romana, e a promoção de substitutos dóceis, frequentemente jovens relativamente impróprios para as responsabilidades mais pesadas. E o Pe. Rioult salienta que esta série de ações está claramente em sintonia com a declaração conjunta do SG e do número dois de Roma, o cardeal Müller, emitida logo após a reunião de ambos em setembro de 2014, segundo a qual eles "prosseguiriam por etapas... Tomando o tempo necessário para resolver as dificuldades... Com vista a alcançar a reconciliação plena".

Este procedimento passo a passo, diz o Pe. Rioult, tem a grande vantagem para ambas as partes de evitar qualquer momento inequívoco tal como a assinatura conjunta de um documento público que arriscaria alertar os seguidores da Tradição para o que estava acontecendo. Assim como estão, as contradições do SG criam confusão, e se elas são suficientemente "sutis" ou "delicadas", colocam os católicos para dormir, mais especificamente aqueles que não estão observando nem orando. Assim, as palavras do SG são simplesmente formuladas como uma cortina de fumaça para ocultar, especialmente dos sacerdotes SSPX, o que ele realmente está fazendo, porque se muitos deles estivessem acordados e conscientes, seria muito mais difícil para ele persuadir Roma de que poderia trazer Toda a Fraternidade para a Neogreja, que é o que Roma quer para pôr fim ao corpo principal de resistência à sua religião da Nova Ordem Mundial. Já em 2012, o SG teve a amarga experiência de montar tudo, como pensou, para liquidação, só para ver Roma recusar o acordo porque naquele momento seus três companheiros Bispos na FSSPX estavam todos contra ele, como Roma bem sabia. A Neoigreja precisa paralisar a Tradição, de uma vez por todas.

Rezem pelos sacerdotes da FSSPX, para que eles não se deixem enganar pela máfia de Menzingen, bloqueiem-na e, finalmente, se livrem dela.

Kyrie eleison.

Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dia Santo Rosário.