quinta-feira, 21 de julho de 2022

21 de julho dia de São Lourenço de Brindisi, Confessor e Doutor

21/07 Quinta-feira 
Festa de Terceira Classe 
Paramentos Brancos
  SÃO LOURENÇO nasceu em Brindes,Itália, a 22 de julho de 1559, no seio de ilustre família. Bem cedo ficou órfão de pai e foi recebido, ainda criança, pelos Franciscanos Conventuais, frequentando entre eles os estudos de humanidades. Perdeu a sua mãe quando tinha 14 anos de idade.Nessa altura, deixou a cidade onde nascera e também o seminário dos Conventuais e passou a viver em Veneza, na casa de um tio paterno. Aqui, conheceu os Capuchinhos e pediu para ser recebido na Ordem. Passou o ano de noviciado em Veneza e, a 24 de março de 1576, foi admitido à profissão religiosa. Começou a estudar Lógica em Pádua e em Veneza iniciou o estudo da Filosofia e Teologia. Dotado de inteligência excepcional e levado pela sede insaciável de saber, aplicou-se em profundidade, sobretudo, nos estudos bíblicos. Dedicou especial cuidado às línguas bíblicas, e muito em particular, às línguas semitas, que aprendeu com tal perfeição, que provocava a admiração nos próprios rabinos. A sua memória era verdadeiramente prodigiosa. Pode-se dizer que falava todas as línguas de então. Ordenado sacerdote em Veneza, aos 18 de dezembro de 1582, foi-lhe confiado o ensino da Teologia. Pelo conhecimento das ciências sagradas, pelos dotes de orador e pela sua santidade, conquistou a estima de todos os sábios daquele tempo e de seus irmãos. Pelo conhecimento das diversas línguas, teve possibilidade de percorrer toda a Europa levando a toda à parte, mesmo a regiões onde proliferavam muitas heresias, uma palavra firme de verdade, de obediência e de fé. Foi eleito, diversas vezes, Ministro Provincial e Ministro Geral da Ordem. Percorreu novamente (e a pé) grande parte da Europa, em visita aos seus irmãos, edificando-os com o exemplo da sua vida e com a sua palavra fervorosa. O segredo dos seus incontáveis recursos foi a devoção terna a Nossa Senhora, cujos privilégios e vida soube descrever com palavras de entusiasmo. À sua atividade e apostólica juntou a de escritor de vasta obra de exegese, oratória e de apologética, sobretudo, contra os luteranos. Clemente VIII chamou-o a Roma para o enviar à Hungria, Boêmia, Bélgica, Suíça, Alemanha, França e Portugal. Foi pregador e embaixador junto de diversos soberanos de nações cristãs que estimulou para a cruzada contra os turcos a fim de evitar o seu avanço. Depois da Guerra, o Papa Paulo V mandou o como embaixador de paz entre as potências cristãs frequentemente em guerra. Conseguiu conquistar o espírito dos mais turbulentos soberanos com a sua humildade, mansidão e a sua eloquência de homem habituado à oração e à penitência. Dotado de temperamento enérgico e impulsivo, de habilidade, de oratória e força persuasiva, conseguiu trazer para a fé católica muitos protestantes e alguns hebreus. Em 1619, empreendeu sua última viagem à Península Ibérica, com a missão de paz junto do Rei Filipe III. Foi nesta missão que morreu, em Belém, na cidade de Lisboa, a 22 de julho de 1619, no mesmo dia em que completava 60 anos de idade. Foi canonizado por Leão XIII em 1881.

Intróito/Ecl. 15, 5.
No meio da igreja ele abriu a boca, e o Senhor o encheu com o espírito de sabedoria e entendimento, e o vestiu com o manto da glória.
Sal. 91.2.É bom louvar ao Senhor e cantar o teu nome, ó Altíssimo.
V/. Glória Patri.

Coleta
Deus, para trabalhar com ardor para a glória do Teu Nome e a salvação das almas, concedeste ao bem-aventurado Lourenço, teu confessor e doutor, o espírito de sabedoria e força: dá-nos, neste mesmo espírito, saber o que devemos fazer , e uma vez que o conhecemos, a força para realizá-lo, com a ajuda de sua intercessão.

Leitura da Epístola dos 

II Timóteo 4, 1-8
23 Além disso, os primeiros sacerdotes deviam suceder-se em grande número, porquanto a morte não permitia que permanecessem sempre. 24 Este, porque vive para sempre, possui um sacerdócio eterno. 25 É por isso que lhe é possível levar a termo a salvação daqueles que por ele vão a Deus, porque vive sempre para interceder em seu favor. 26 Tal é, com efeito, o Pontífice que nos convinha: santo, inocente, imaculado, separado dos pecadores e elevado além dos céus, 27 que não tem necessidade, como os outros sumos sacerdotes, de oferecer todos os dias sacrifícios, primeiro pelos pecados próprios, depois pelos do povo; pois isto o fez de uma só vez para sempre, oferecendo-se a si mesmo.

Gradual.Sal.36,30-31.Os iusti meditábitur sapiéntiam, et lingua eius loquétur iudícium.A boca do justo meditará sobre a sabedoria, e sua língua falará justiça.V/. Lex Dei eius in corde ipsíus: et non supplantabúntur gressus eius.V/. A lei do seu Deus está no seu coração, e não será anulada.
Aleluia, aleluia. V/. Ecl. 45, 9. Amávit eum Dóminus, et ornávit eum: stolam glóriæ índuit eum. Aleluia. Aleluia, aleluia. V/. O Senhor o amou e o adornou: Ele o vestiu com um manto de glória. Aleluia.

Sequência do Santo Evangelho

São Mateus 5,13-19
1 Depois disso, designou o Senhor ainda setenta e dois outros discípulos e mandou-os, dois a dois, adiante de si, por todas as cidades e lugares para onde ele tinha de ir. 2 Disse-lhes: Grande é a messe, mas poucos são os operários. Rogai ao Senhor da messe que mande operários para a sua messe. 3 Ide; eis que vos envio como cordeiros entre lobos. 4 Não leveis bolsa nem mochila, nem calçado e a ninguém saudeis pelo caminho. 5 Em toda casa em que entrardes, dizei primeiro: Paz a esta casa! 6 Se ali houver algum homem pacífico, repousará sobre ele a vossa paz; mas, se não houver, ela tornará para vós. 7 Permanecei na mesma casa, comei e bebei do que eles tiverem, pois o operário é digno do seu salário. Não andeis de casa em casa. 8 Em qualquer cidade em que entrardes e vos receberem, comei o que se vos servir. 9 Curai os enfermos que nela houver e dizei-lhes: O Reino de Deus está próximo.

Ofertório/ Sal. 91, 13.
O justo florescerá como a palmeira, e se multiplicará como o cedro do Líbano.

Secreta
Que a piedosa intercessão de São Lourenço, Confessor e Doutor, não nos falte, Senhor, torne nossos dons agradáveis ​​a Vós e obtenha sempre vossa indulgência para nós.

Pro S. Praxede Para Sainte Praxède
secreta Aceite tibi sit, Dómine, sacrátæ plebis oblátio pro tuorum honore Sanctórum: quorum se meritis de tribulatione percepísse cognóscit auxilium. Por Dominum. Aceite por Ti, Senhor, a oferta feita por teu povo santo em honra de teus santos, por cujos méritos reconhecem que receberam ajuda na tribulação.

Comunhão/São Lucas. 12, 42.
Aqui está o servo fiel e prudente que o mestre designou sobre sua família para dar-lhes no tempo designado sua medida de trigo.(Quem não pode comungar em especie, fazer comunhão espiritual)

Nosso Senhor Jesus Cristo numa aparição revelou a sóror Paula Maresca, fundadora do convento de Sta. Catarina de Sena de Nápoles, como se refere na sua vida, e lhe mostrou dois vasos preciosos, um de ouro e outro de prata, dizendo-lhe que conservava no vaso de ouro suas comunhões sacramentais e no de prata as espirituais. As espirituais com dependência exclusiva da piedade de Nosso Senhor Jesus Cristo, que alimentais nossa alma na solidão do coração.
“Meu Jesus, eu creio que estais realmente presente no Santíssimo Sacramento do Altar. Amo-vos sobre todas as coisas, e minha alma suspira por Vós. Mas, como não posso receber-Vos agora no Santíssimo Sacramento, vinde, ao menos espiritualmente, a meu coração. Abraço-me convosco como se já estivésseis comigo: uno-me Convosco inteiramente. Ah! não permitais que torne a separar-me de Vós” (Santo Afonso Maria de Liguori)
 
Depois da comunhão.
 Assim, Senhor, que o vosso santo sacrifício nos traga a salvação, que o Beato Lourenço, vosso Confessor e vosso admirável Doutor, interceda por nós.

Pós-comunhão Pro S. Praxede
Satiásti, Dómine, famíliam tuam munéribus sacris: eius, quǽsumus, sempre intervenção nos rénove, cuius sollémnia celebrámus. Por Dominum. Senhor, encheste a tua família de dons sagrados: fortalece-nos sempre, pedimos-Te, pela intervenção daquela cuja festa celebramos.

Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo Rosário