sábado, 26 de junho de 2021

Dia 26 de junho São João e São Paulo, Mártires.

26/06 Sábado   
Festa de Terceira Classe
Paramentos Vermelhos.
http://1.bp.blogspot.com/-m3QOY5cvPQ0/TgdKLOAraoI/AAAAAAAACa0/kCqHjH0zwEI/s1600/SDJ26JUIN.jpg
 São João e São Paulo eram irmãos e servos de Constantina, filha do imperador Constantino, que, como o pai, era cristã.  Quando o imperador Juliano assumiu o poder, ele, que não era cristão, deu início a uma perseguição violenta aos seguidores de Jesus. Estes dois santos eram irmãos e eram oficiais do exército romano, nos dias de Constantino, o Grande. Eles servido na casa de Constança, filha de Constantino, que foi consagrada a Deus, suas virtudes e serviços para seu pai tornava muito caro para ela. Eles logo glorificar a Deus com uma grande vitória moral, após desprezar as honras do mundo, que triunfou com o seu martírio sobre suas ameaças e tormentos. Com a ajuda da liberalidade da princesa cristã, eles estavam praticando muitas obras de caridade e de misericórdia, até que as mortes de ambos Constantino e Constance. Então, na adesão de Juliano o Apóstata, ao trono imperial, que renunciou a sua posição no palácio. Julian tinha voltado para o culto dos ídolos e estava tentando restabelecê-lo no império. O irmão Christian viu muitos homens maus prosperam em sua impiedade, mas não foram ofuscados pelo seu exemplo. Eles consideraram que a prosperidade mundana acompanhada pela impunidade no pecado é a mais terrível de todos os julgamentos, o que indica reprovação. E a história revela como falsa e de curta duração foi a prosperidade brilhante de Julian.Enquanto ainda estava no poder o apóstata tentou reconquistar esses oficiais influentes em serviço ativo. Quando ele foi recusado, ele deu-lhes dez dias para reconsiderar. O oficial Terentianus, que no final da época trouxe à sua casa um pequeno ídolo de Júpiter para sua adoração, encontrou-os em oração. No meio da noite eles foram decapitados secretamente em seu próprio jardim, desde o imperador temia a sua execução possa causar uma rebelião em Roma. Ele instigou um boato de que tinham sido exilados, mas os demônios se apoderou de pessoas possuídas em Roma, e publicou o fato de seu martírio em todos os lugares. O filho do oficial que havia matado-los tornou-se também possuía, e foi só depois que seu pai, Terentianus, orou diante do túmulo dos mártires que a criança foi libertada. Aquilo impressionou tanto que ele se tornou um cristão, com toda a sua família, e escreveu a história que relataram. Os mártires, pela sua renúncia de favores ea sua resistência heróica, adquiriu um peso imenso de glória imperecível, e foram um espetáculo digno de Deus. Sua casa se tornou uma magnífica basílica cristã já no final do século IV.

Leitura da Epístola dos

 Eclesiástico 44,10-15                
10.Os primeiros, porém, foram homens de misericórdia; nunca foram esquecidas as obras de sua caridade.11.Na sua posteridade permanecem os seus bens.12.Os filhos de seus filhos são uma santa linhagem, e seus descendentes mantêm-se fiéis às alianças.13.Por causa deles seus filhos permanecem para sempre, e sua posteridade, assim como sua glória, não terá fim.14.Seus corpos foram sepultados em paz, seu nome vive de século em século.15.Proclamem os povos sua sabedoria, e cante a assembléia os seus louvores!

Sequência do Santo Evangelho 


São Lucas 12, 1-8
1.Enquanto isso, os homens se tinham reunido aos milhares em torno de Jesus, de modo que se atropelavam uns aos outros. Jesus começou a dizer a seus discípulos: Guardai-vos do fermento dos fariseus, que é a hipocrisia.2.Porque não há nada oculto que não venha a descobrir-se, e nada há escondido que não venha a ser conhecido.3.Pois o que dissestes às escuras será dito à luz; e o que falastes ao ouvido, nos quartos, será publicado de cima dos telhados.4.Digo-vos a vós, meus amigos: não tenhais medo daqueles que matam o corpo e depois disto nada mais podem fazer.5.Mostrar-vos-ei a quem deveis temer: temei àquele que, depois de matar, tem poder de lançar no inferno; sim, eu vo-lo digo: temei a este.6.Não se vendem cinco pardais por dois asses? E, entretanto, nem um só deles passa despercebido diante de Deus.7.Até os cabelos da vossa cabeça estão todos contados. Não temais, pois. Mais valor tendes vós do que numerosos pardais.8.Digo-vos: todo o que me reconhecer diante dos homens, também o Filho do Homem o reconhecerá diante dos anjos de Deus;

Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo Rosário

sexta-feira, 25 de junho de 2021

Dia 25 de junho São Guilherme, Abade.

25/06 Sexta-feira
Festa de Terceira Classe
Paramentos Brancos
 http://2.bp.blogspot.com/-vs0S_R3PEZE/U6olojlwKuI/AAAAAAAAFi0/afWlbdGJM5c/s1600/SDJ25JUIN+SAINT+PROSPER+D%27AQUITAINE.jpg

 A França  foi a terra natal deste santo. São Guilherme  pertenceu a  classe militar e na mocidade  não teve uma vida muito de acordo  com as leis da  moral cristã. Guilherme nasceu em Vercelli, no ano de 1085, de uma rica família da nobreza francesa. Aos quinze anos, já vestia o hábito de monge e era um fervoroso peregrino. Percorreu toda a Europa visitando os santuários mais famosos e sagrados, pretendendo tornar-se um simples monge peregrino na Terra Santa. Foi dissuadido ao visitar, na Itália, João de Matera, hoje santo, que lhe disse, profeticamente, que Deus não desejava apenas isso dele. Contribuiu também, para sua desistência, o fato de ter sido assaltado por ladrões de estrada, que lhe aplicaram uma violenta surra. O incidente acabou levando-o a procurar a solidão na região próxima de Avellino, na montanha de Montevergine. Era uma terra habitada apenas por animais selvagens, onde, segundo a tradição, um lobo teria matado o burro que lhe servia de transporte. Guilherme, então, teria domesticado toda a matilha, que passou a prestar-lhe todo tipo de auxílio. Vivia como eremita, dedicando-se à oração e à penitência, mas isso durou pouco tempo. Logo começou a ser procurado por outros eremitas, religiosos e fiéis. Acabou fundando, em 1128, um mosteiro masculino, o qual colocou sob as regras beneditinas e dedicou a Maria, ficando conhecido como o Mosteiro de Montevergine. Dele Guilherme se tornou o abade, todavia por pouco tempo, pois transmitiu o cargo para um monge sucessor e continuou peregrinando. Entretanto tal procedimento se tornou a rotina de sua vida monástica. Guilherme acabou fundando um outro mosteiro beneditino, dedicado a Maria, em Monte Cognato. Mais uma vez se encontrou na posição de abade e novamente transmitiu o posto ao monge que elegeu para ser seu sucessor. Desejando imensamente a solidão, foi para a planície de Goleto, não muito distante dali, onde, por um ano inteiro, viveu dentro do buraco de uma árvore gigantesca. E eis que tornou a ser descoberto e mais outra comunidade se formou ao seu redor. Dessa vez teve de fundar um mosteiro "duplo", ou seja, masculino e feminino. Contudo criou duas unidades distintas, cada uma com sua sede e igreja própria. E foi assim que muitíssimos mosteiros nasceram em Irpínia e em Puglia, como revelou a sua biografia datada do século XII. Desse modo, ele, que desejava apenas ser um monge peregrino na Terra Santa, fundou a Congregação Beneditina de Montevergine, que floresceu por muitos séculos. Somente em 1879 ela se fundiu à Congregação de Montecassino. Guilherme morreu no dia 25 de junho de 1142, no mosteiro de Goleto. Teve os restos mortais transferidos, em 1807, para o santuário do Mosteiro de Maria de Montevergine, o primeiro que ele fundara, hoje um dos mais belos santuários marianos existentes. Em 1942, o papa Pio XII canonizou-o e declarou são Guilherme de Vercelli Padroeiro principal da Irpínia.

Leitura da Epístola dos

Eclesiástico 45, 1-6.                                                    
1.Moisés foi amado por Deus e pelos homens: sua memória é abençoada.2.O Senhor deu-lhe uma glória semelhante à dos santos; tornou-se poderoso e temido por seus inimigos.3.Glorificou-o na presença dos reis, prescreveu-lhe suas ordens diante do seu povo, e mostrou-lhe a sua glória.4.Santificou-o pela sua fé e mansidão, escolheu-o entre todos os homens.5.Pois (Deus) atendeu-o, ouviu sua voz e o introduziu na nuvem.6.Deu-lhe seus preceitos perante (seu povo) e a lei da vida e da ciência, para ensinar a Jacó sua aliança e a Israel seus decretos.
Sequência do Santo Evangelho 

São Mateus 19, 27-29
27.Pedro então, tomando a palavra, disse-lhe: Eis que deixamos tudo para te seguir. Que haverá então para nós?28.Respondeu Jesus: Em verdade vos declaro: no dia da renovação do mundo, quando o Filho do Homem estiver sentado no trono da glória, vós, que me haveis seguido, estareis sentados em doze tronos para julgar as doze tribos de Israel.29.E todo aquele que por minha causa deixar irmãos, irmãs, pai, mãe, mulher, filhos, terras ou casa receberá o cêntuplo e possuirá a vida eterna.

Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo Rosário

quarta-feira, 23 de junho de 2021

Vigília de São João Batista

23/06 Quarta-feira Vigília de São João Batista
Festa de Segunda Classe
Paramentos Roxos


Leitura da Epístola dos

Jeremias 1, 4-10
4.Foi-me dirigida nestes termos a palavra do Senhor:5.Antes que no seio fosses formado, eu já te conhecia; antes de teu nascimento, eu já te havia consagrado, e te havia designado profeta das nações.6.E eu respondi: Ah! Senhor JAVÉ, eu nem sei falar, pois que sou apenas uma criança.7.Replicou porém o Senhor: Não digas: Sou apenas uma criança: porquanto irás procurar todos aqueles aos quais te enviar, e a eles dirás o que eu te ordenar.8.Não deverás temê-los porque estarei contigo para livrar-te - oráculo do Senhor.9.E o Senhor, estendendo em seguida a sua mão, tocou-me na boca. E assim me falou: Eis que coloco minhas palavras nos teus lábios.10.Vê: dou-te hoje poder sobre as nações e sobre os reinos para arrancares e demolires, para arruinares e destruíres, para edificares e plantares.

Sequência do Santo Evangelho 


São Lucas 1, 5-17
5.Nos tempos de Herodes, rei da Judéia, houve um sacerdote por nome Zacarias, da classe de Abias; sua mulher, descendente de Aarão, chamava-se Isabel.6.Ambos eram justos diante de Deus e observavam irrepreensivelmente todos os mandamentos e preceitos do Senhor.7.Mas não tinham filho, porque Isabel era estéril e ambos de idade avançada.8.Ora, exercendo Zacarias diante de Deus as funções de sacerdote, na ordem da sua classe,9.coube-lhe por sorte, segundo o costume em uso entre os sacerdotes, entrar no santuário do Senhor e aí oferecer o perfume.10.Todo o povo estava de fora, à hora da oferenda do perfume.11.Apareceu-lhe então um anjo do Senhor, em pé, à direita do altar do perfume.12.Vendo-o, Zacarias ficou perturbado, e o temor assaltou-o.13.Mas o anjo disse-lhe: Não temas, Zacarias, porque foi ouvida a tua oração: Isabel, tua mulher, dar-te-á um filho, e chamá-lo-ás João.14.Ele será para ti motivo de gozo e alegria, e muitos se alegrarão com o seu nascimento;15.porque será grande diante do Senhor e não beberá vinho nem cerveja, e desde o ventre de sua mãe será cheio do Espírito Santo;16.ele converterá muitos dos filhos de Israel ao Senhor, seu Deus,17.e irá adiante de Deus com o espírito e poder de Elias para reconduzir os corações dos pais aos filhos e os rebeldes à sabedoria dos justos, para preparar ao Senhor um povo bem disposto.

Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo Rosário

sábado, 19 de junho de 2021

Dia 19 de junho dia Santa Juliana de Falconieri. Virgem.

19/06 Sábado 
Festa de Terceira Classe 
Paramentos Brancos
 https://fetedieualiege.files.wordpress.com/2010/02/lune_barree4.jpg

    Ano de 1270. Era filha única do já idoso casal Caríssimo e Ricordata, da riquíssima disnatia dos Falconieri. De grande tradição na aristocracia, bem como no clero, a família contribuiu ao longo do tempo com muitos santos venerados nos altares da Igreja. Ela era sobrinha de santo Aleixo Falconieri, um dos sete fundadores da Ordem dos Servos de Maria, e como ele também trilhou o caminho para a santidade.
    Ainda criança, vivia com o coração dedicado às virtudes, longe das ambições terrenas e das vaidades. Junto com algumas amigas, em vez das brincadeiras típicas da idade, preferia cantar e rezar para o Menino Jesus e a Virgem Maria.
 Aos quinze anos de idade, fez voto de castidade, ingressando na Ordem das Servitas, sob a orientação de Filipe Benício, hoje santo. Foi seguida por suas amigas aristocratas e, com o apoio de religiosas, passaram a visitar hospitais e a desenvolver dezenas de obras de caridade e assistenciais. Essas jovens se organizaram de tal forma que logo optaram por ter sua própria instituição. Com inspiração em regras escritas por Juliana, fundaram a Congregação das Servas de Maria, também chamadas de "Mantellate", numa referência ao hábito que vestem. Ordem que obteve a aprovação canônica em 1304.
     A dedicação de Santa Juliana foi tão radical ao trabalho junto aos pobres e doente, às orações contemplativas e às severas penitências que acabou por adoecer. Mesmo assim, continuou dormindo no chão e fazendo os jejuns nas quartas e sextas-feiras tomava por alimento apenas a santa comunhão. Jejuava ainda no sábado, a pão e água, em honra da Virgem Santa, em cujas sete dores meditava. Empregava as sextas-feiras na meditação da paixão do Salvador. Para se tornar semelhante a ele, macerava a carne até o sangue, com rudes disciplinas. Muitas vezes foi arrebatada em êxtases, pelo veemente desejo de ser crucificada com Jesus sofredor. À sua morte encontraram-lhe uma cintura de ferro sobre os rins e tão fundo tinha penetrado na carne, que não puderam retirá-la sem lesar o corpo; isso faz crer que ela a carregasse desde a juventude que se tinha proposto. Os problemas estomacais surgiram, passaram a ser freqüentes e depois se tornaram crônicos, padecendo de fortes dores. Mesmo assim não diminuiu as penitências, nem mesmo o trabalho com seus pobres e doentes abandonados. Aos setenta anos, o problema gástrico era tão grave que não conseguia manter nenhum alimento no estômago. Nem mesmo a hóstia.
      No dia 10 de junho de 1341, poucos momentos antes de morrer, Juliana pediu ao sacerdote que colocasse uma hóstia sobre seu peito e, pronunciando as palavras: "Meu doce Jesus", o Salvador dignou-se fazer um prodígio para unir-se à esposa: a santa hóstia, colocada sobre o seu coração, desapareceu subitamente em seguida ingressou no Reino de Deus no dia 19 de Junho de 1340.
 Ao prepararem o corpo para ser sepultado, as irmãs constataram no seu peito uma mancha roxa, como se fosse uma hóstia impressa na sua carne, tendo no centro a imagem de Jesus crucificado. Em memória desse milagre, as irmãs "Mantellate" trazem sobre o lado esquerdo do escapulário a imagem de uma hóstia. A verdade de diversos milagres, operados por sua intercessão, foram juridicamente aprovados, e Bento XIII beatificou-a em 1729 e Clemente XII terminou o processo de canonização.

Leitura da Epístola dos

 II Coríntios 10, 17-18; 11, 1-2
17.Ora, quem se gloria, glorie-se no Senhor.18.Pois merece a aprovação não aquele que se recomenda a si mesmo, mas aquele que o Senhor recomenda. 1.Oxalá suportásseis um pouco de loucura de minha parte! Oh, sim! Tolerai-me.2.Eu vos consagro um carinho e amor santo, porque vos desposei com um esposo único e vos apresentei a Cristo como virgem pura.

Sequência do Santo Evangelho 

São Mateus 25, 1-13
1.Então o Reino dos céus será semelhante a dez virgens, que saíram com suas lâmpadas ao encontro do esposo.2.Cinco dentre elas eram tolas e cinco, prudentes.3.Tomando suas lâmpadas, as tolas não levaram óleo consigo.4.As prudentes, todavia, levaram de reserva vasos de óleo junto com as lâmpadas.5.Tardando o esposo, cochilaram todas e adormeceram.6.No meio da noite, porém, ouviu-se um clamor: Eis o esposo, ide-lhe ao encontro.7.E as virgens levantaram-se todas e prepararam suas lâmpadas.8.As tolas disseram às prudentes: Dai-nos de vosso óleo, porque nossas lâmpadas se estão apagando.9.As prudentes responderam: Não temos o suficiente para nós e para vós; é preferível irdes aos vendedores, a fim de o comprardes para vós.10.Ora, enquanto foram comprar, veio o esposo. As que estavam preparadas entraram com ele para a sala das bodas e foi fechada a porta.11.Mais tarde, chegaram também as outras e diziam: Senhor, senhor, abre-nos!12.Mas ele respondeu: Em verdade vos digo: não vos conheço!13.Vigiai, pois, porque não sabeis nem o dia nem a hora. 

Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo Rosário

sábado, 12 de junho de 2021

12 de junho dia de São João de S. Facundo. Confessor

12/06 Segunda-feira
Festa de Terceira Classe
Paramentos Brancos
 São João Gonzáles de Castrillo, filho de nobres e cristãos, nasceu em 1430 na cidade de Sahagún, reino de León, Espanha. Estudou na sua cidade natal com os monges beneditinos da Abadia de São Facundo, recebendo a ordenação sacerdotal em 1453.
 O Arcebispo de Burgos nomeou-o seu pajem e, depois, cônego e capelão da diocese. Depois da morte do bispo, João doou todos os seus bens, menos uma residência, onde construiu a capela de Santa Agnes, em Burgos. Devoto da Santíssima Eucaristia, celebrava a Missa diariamente, ministrando o Sacramento, pregando para a população pobre e ignorante. Esta era sua maneira de catequizar. Mas depois João afastou-se para cursar teologia na faculdade de Salamanca. Porém, antes de retornar à sua diocese, deixou sua marca nesta cidade.
 Consta dos registros oficiais que, certa vez, a comunidade se dividiu em dois partidos antagônicos e a disputa saiu do campo das idéias para chegar a uma luta de vida e morte. Entretanto, antes que a batalha iniciasse, João colocou-se entre os dois, pregou, orientou, aconselhou e um pacto de paz foi assinado entre eles para nunca mais haver derramamento de sangue. Desde então ganhou o apelido de "O Pacificador".
 O seu fervor ao celebrar o Santo Sacrifício emocionava os fiéis, que em número cada vez maior acorria para ouvir seus ensinamentos. Um fato foi relatado sobre ele e que todos aqueles que estavam dentro da igreja também presenciaram: a forma do corpo de Jesus em uma de suas consagrações. Com isto passou a ser o conselheiro espiritual de todos na cidade e todos seguiam seus conselhos.
 Em 1463 ele foi acometido de uma doença muito grave. Nesta ocasião decidiu que depois de curado entraria para uma ordem religiosa. No ano seguinte, ingressou na Ordem dos Eremitas de Santo Agostinho em Salamanca. Conhecido como João de Sahagún, logo foi o noviço sênior enquanto continuava a pregar em público, tornado seus sermões cada vez mais eloqüentes e destemidos.
 Consta que durante uma de suas pregações condenava com veemência os poderosos e, ao perceber a presença de um duque que se sentiu atingido pelo discurso, disse diretamente a ele que não temia a morte, como se adivinhasse seus pensamentos.
 Chamado de Apóstolo de Salamanca, foi eleito Prior da comunidade em 1478. Ele mesmo previu a sua morte. Que ocorreu como uma conseqüência dos dons que possuía de enxergar o coração das pessoas e de aconselhá-las, para conseguir a conversão e a remissão da vida pecadora destes cristãos. Ele foi envenenado, por vingança de uma ex-amante, cujo companheiro, convertido por ele, abandonou-a para voltar à vida familiar cristã.
 São João de Sahagún morreu em 11 de junho de 1479. Venerado ainda em vida por sua santidade, depois da morte, as graças e milagres por sua intercessão continuaram a ocorrer. O seu culto foi autorizado para o dia 12 de junho, quando foi declarado Santo pela Igreja em 1690. A cidade de Salamanca considera São João de Sahagún um dos seus padroeiros.


Leitura da Epístola do

Eclesiástico 31,8-11
8.Bem-aventurado o rico que foi achado sem mácula, que não correu atrás do ouro, que não colocou sua esperança no dinheiro e nos tesouros! 9.Quem é esse homem para que o felicitemos? Ele fez prodígios durante sua vida. 10.Àquele que foi tentado pelo ouro e foi encontrado perfeito, está reservada uma glória eterna: ele podia transgredir a lei e não a violou; ele podia fazer o mal e não o fez.11.Por isso seus bens serão fortalecidos no Senhor, e toda a assembléia dos 
santos louvará suas esmolas.


Sequência do Santo Evangelho

São Lucas 12, 35-40     
35 Estejam cingidos os vossos rins e acesas as vossas lâmpadas. 36 Sede semelhantes a homens que esperam o seu senhor, ao voltar de uma festa, para que, quando vier e bater à porta, logo lha abram. 37 Bem-aventurados os servos a quem o senhor achar vigiando, quando vier! Em verdade vos digo: cingir-se-á, fá-los-á sentar à mesa e servi-los-á. 38 Se vier na segunda ou se vier na terceira vigília e os achar vigilantes, felizes daqueles servos! 39 Sabei, porém, isto: se o senhor soubesse a que hora viria o ladrão, vigiaria sem dúvida e não deixaria forçar a sua casa. 40 Estai, pois, preparados, porque, à hora em que não pensais, virá o Filho do Homem.

Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo Rosário

quinta-feira, 10 de junho de 2021

10 de junho dia de Santa Margarita da Escócia,Rainha e Viuva.

10/06 Quinta-feira 
Festa de Terceira Classe 
Paramentos Brancos.

   Rei da Inglaterra Edmundo II foi assassinado em 1017, Canuto II, o Grande, rei da Dinamarca, aproveitou para tentar concluir a conquista desse país, do qual já ocupava algumas províncias. E enviou para a Suécia os dois filhos do rei falecido, Edmundo e Eduardo, com o intuito de que lá fossem mortos. Mas o rei sueco não quis manchar suas mãos com sangue inocente e mandou os dois órfãos para a Hungria, onde reinava o grande Santo Estêvão. Este recebeu-os com todo afeto e se encarregou de dar-lhes uma educação segundo seu nascimento. Edmundo morreu sem sucessão, mas Eduardo, chamado “do Ultramar” ou “o Proscrito”, casou-se com Ágata, sobrinha do Imperador Santo Henrique e irmã de Gisela, esposa do rei Santo Estêvão. Desse matrimônio nasceram três filhos, Edgard, Cristina e Margarida, esta em 1046.
  Em 1041 subira ao trono da Inglaterra Santo Eduardo III, o Confessor. Logo que se firmou no trono, sabendo que seu parente vivia exilado na corte da Hungria, convidou-o a voltar com a família para a Inglaterra. Voltaram em 1054, sendo recebidos com provas de estima e afeição.
  A princesa Santa Margarida, então no início da adolescência, encantou a todos por sua piedade e modéstia. Era devotíssima da Santa Mãe de Deus e extremamente caridosa para com os pobres e necessitados.
   Santo Eduardo III, Rei da Inglaterra, parente da santa.O pai da santa faleceu em 1057, e seu irmão Edgard tornou-se assim herdeiro direto do rei santo, que não tinha descendentes. Sendo ele ainda menor de idade, e tendo nascido em terra estrangeira, colocaram no trono em seu lugar o Conde Haroldo. Guilherme, o Conquistador, atravessou o Canal da Mancha em 1066 e invadiu a Inglaterra. Na batalha de Hastings, matou Haroldo e se apoderou do trono inglês. Para subtrair-se à tirania do conquistador, Edgard e Margarida, esta com 20 anos de idade, fugiram numa embarcação pretendendo chegar à Hungria, onde sabiam que seriam bem recebidos. Mas outro era o desígnio da Providência, e durante uma tempestade o barco foi atirado às costas da Escócia.
  Nesse país foram bem recebidos pelo rei Malcolm III que, encantado com as qualidades de Margarida, propôs-lhe o matrimônio. Esta de há muito alimentava o desejo de, como sua irmã Cristina, fazer-se religiosa. Mas seu confessor fê-la ver como poderia auxiliar mais a religião subindo ao trono. Assim realizou-se no ano de 1070 o casamento e a coroação de Margarida como rainha da Escócia. Aos 24 anos de idade, foi reputada a mais formosa princesa de seu século.
  Malcolm fosse um pouco rude, tinha muito boa índole e disposição para a virtude. Sobretudo amava ternamente a rainha e tinha nela uma confiança sem limites. Assim Margarida, por uma conduta cheia de respeito e condescendência, tornou-se senhora de seu coração; e serviu-se do ascendente que tinha sobre o rei para fazer florescer a religião e a justiça, procurar a felicidade dos súditos e inspirar a seu marido os sentimentos que o tornaram um dos mais virtuosos reis da Escócia. Ela amenizou seu caráter, cultivou seu espírito, poliu suas maneiras e o inflamou de amor pela prática das máximas evangélicas. A rainha punha empenho nesse apostolado, pois não duvidava que a transformação e melhora dos costumes do povo dependiam em boa parte do exemplo do rei e da corte. Assim, toda a Escócia progrediu, tornando o reinado de Malcolm um dos mais felizes e prósperos da Escócia.
 Santa Margarida era uma rainha “piedosa e varonil ao mesmo tempo. Cavalgava gentilmente entre os magnatas, tecia e bordava entre as damas, rezava entre os monges, discutia entre os sábios, e entre os artistas planejava projetos de catedrais e de mosteiros”.
 Deus abençoou seu matrimônio com oito filhos, seis homens e duas mulheres, todos tendo seguido a senda da mãe. Dois deles –– uma filha, também Margarida, casada com o rei da Inglaterra, e um filho, Davi I, rei da Escócia –– foram elevados à honra dos altares.
 Um dos cuidados de Santa Margarida foi estabelecer em todo o reino sacerdotes virtuosos e pregadores zelosos. Um sínodo foi convocado, e as mais importantes dentre as reformas instituídas por ele foram a regulamentação do jejum da Quaresma e a observância da comunhão pascal, então quase desaparecidos, e a remoção de certos abusos concernentes ao casamento dentro dos graus de parentesco proibidos.
  A Santa rainha organizou a Igreja na Escócia. Em conseqüência, por seus conselhos, o reino foi dividido em dioceses, com demarcação bem determinada. Foram criados cabidos nas catedrais, com o correspondente clero, e estabelecidas paróquias. Atraiu ordens religiosas, principalmente da França e da Inglaterra, com vistas a contribuir eficazmente para o incremento da vida litúrgica, pois desejava o esplendor na Casa de Deus. Para isso, construiu igrejas magníficas e reformou outras, dotando-as do que havia de melhor para o serviço divino.
   A rainha queria que a corte fosse esplêndida, a fim de valorizar a autoridade real; que a nobreza se vestisse muito bem, e que os reis se trajassem com pompa. Protegeu também as ciências e as artes e fundou diversos estabelecimentos de cultura.
  Tinha muita caridade para com o próximo.Diariamente servia com suas próprias mãos a comida a nove meninas órfãs e a 24 anciãos. Durante o Advento e a Quaresma, atendia com o rei –– ambos de joelhos, por respeito a Nosso Senhor Jesus Cristo em seus membros padecentes –– a 300 pobres, servindo-lhes comida da mesa real. Também diariamente a rainha saía pelas ruas, sendo rodeada então por inúmeros órfãos, viúvas e necessitados de toda espécie, que clamavam: “Rainha santa, socorrei-nos”, “Ó nossa mãe, assisti-nos”. E ela a todos socorria, mesmo que para isso tivesse que pedir também aos membros da sua comitiva algo com o que assistir àquela gente. Regularmente visitava os hospitais para socorrer os doentes pobres. Os devedores insolventes encontravam nela seu auxílio. Resgatava cativos, não só escoceses, mas também de outras nacionalidades. Enfim, não houve miséria física ou moral que ela não tivesse socorrido.
   Santa Margarida, como todos os santos, tinha profunda humildade. Pedia freqüentemente a seu confessor que a advertisse de qualquer falta que a visse praticar. E reclamava com ele, que não encontrava o que advertir, alegando que não estava cumprindo sua missão.
  Ela dormia pouco e rezava muito. Sua alimentação era tão parca, que se restringia apenas ao necessário. Começou a sentir o organismo minado, com terríveis dores de estômago. Privava-se de qualquer passatempo fútil e fugia de tudo quanto pudesse alimentar a sensualidade. Possuía também um vivo espírito de compunção e tinha o dom das lágrimas. Guardava silêncio absoluto na igreja, por respeito à Presença Real, e bastava vê-la rezar para se conhecer como é que se pratica a oração.
  Santa Margarida observava duas Quaresmas, a do Natal e a da Páscoa, aumentando ainda mais suas austeridades.
 Capela de Sta. Margarida, no Castelo de Edimburgo
Quando a rainha estava acamada em sua última doença, teve que passar por uma prova duríssima. Tendo o rei Guilherme, o Ruivo, da Inglaterra, invadido a Northumberland escocesa, Malcolm organizou um exército para a reconquistar. A rainha lhe pediu muito que não fosse pessoalmente a essa campanha, mas ele resolveu ir com seus filhos Eduardo e Edgard, julgando que o temor da rainha se devia à bondade do seu coração.
  Quatro dias antes de sua morte, ela disse aos presentes: “Hoje talvez tenha acontecido uma grande infelicidade para a Escócia, como a que ela não via há muitos anos”. Entrementes seu filho Edgard voltou da guerra, e ela lhe pediu notícias do pai e do irmão. Temendo que a verdade lhe fosse fatal, o rapaz respondeu que estavam bem. “Ah! Meu filho, sei muito bem o que se passa; por isso não tens que negar-me a verdade”, respondeu ela. Edgar relatou então a morte de seu pai e irmão numa emboscada durante a campanha. Margarida, erguendo os olhos ao céu, exclamou: “Deus todo-poderoso, eu vos agradeço por me terdes enviado uma tão grande aflição nos derradeiros momentos de minha vida. Espero que, com vossa misericórdia, ela servirá para me purificar de meus pecados”. Enfim, sua alma se viu livre dos liames do corpo no dia 16 de novembro de 1093, aos 47 anos de idade. Tornou-se padroeira da Escócia.
 Tempos depois, ao cair esse país na heresia protestante, os católicos recolheram secretamente as relíquias da rainha santa e de seu esposo, a quem também consideravam santo, e as enviaram ao rei Filipe II da Espanha, que lhes deu um refúgio seguro no mosteiro El Escorial, que acabava de construir.Seu confessor e biógrafo diz que não é necessário constatar se ela praticou milagres, pois sua vida inteira foi um prodígio.

Leitura da Epístola do

Provérbios 31,10-31
10 Uma mulher virtuosa, quem pode encontrá-la? Superior ao das pérolas é o seu valor. 11 Confia nela o coração de seu marido, e jamais lhe faltará coisa alguma. 12 Ela lhe proporciona o bem, nunca o mal, em todos os dias de sua vida. 13 Ela procura lã e linho e trabalha com mão alegre. 14 Semelhante ao navio do mercador, manda vir seus víveres de longe. 15 Levanta-se, ainda de noite, distribui a comida à sua casa e a tarefa às suas servas. 16 Ela encontra uma terra, adquire-a. Planta uma vinha com o ganho de suas mãos. 17 Cinge os rins de fortaleza, revigora seus braços. 18 Alegra-se com o seu lucro, e sua lâmpada não se apaga durante a noite. 19 Põe a mão na roca, seus dedos manejam o fuso. 20 Estende os braços ao infeliz e abre a mão ao indigente. 21 Ela não teme a neve em sua casa, porque toda a sua família tem vestes duplas. 22 Faz para si cobertas: suas vestes são de linho fino e de púrpura. 23 Seu marido é considerado nas portas da cidade, quando se senta com os anciãos da terra. 24 Tece linha e o vende, fornece cintos ao mercador. 25 Fortaleza e graça lhe servem de ornamentos; ri-se do dia de amanhã. 26 Abre a boca com sabedoria, amáveis instruções surgem de sua língua. 27 Vigia o andamento de sua casa e não come o pão da ociosidade. 28 Seus filhos se levantam para proclamá-la bem-aventurada e seu marido para elogiá-la. 29 Muitas mulheres demonstram vigor, mas tu excedes a todas. 30 A graça é falaz e a beleza é vã; a mulher inteligente é a que se deve louvar. 31 Dai-lhe o fruto de suas mãos e que suas obras a louvem nas portas da cidade.

Sequência do Santo Evangelho

São Mateus 13, 44-52
44 O Reino dos céus é também semelhante a um tesouro escondido num campo. Um homem o encontra, mas o esconde de novo. E, cheio de alegria, vai, vende tudo o que tem para comprar aquele campo. 45 O Reino dos céus é ainda semelhante a um negociante que procura pérolas preciosas. 46 Encontrando uma de grande valor, vai, vende tudo o que possui e a compra. 47 O Reino dos céus é semelhante ainda a uma rede que, jogada ao mar, recolhe peixes de toda espécie. 48 Quando está repleta, os pescadores puxam-na para a praia, sentam-se e separam nos cestos o que é bom e jogam fora o que não presta. 49 Assim será no fim do mundo: os anjos virão separar os maus do meio dos justos 50 e os arrojarão na fornalha, onde haverá choro e ranger de dentes. 51 Compreendestes tudo isto? Sim, Senhor, responderam eles. 52 Por isso, todo escriba instruído nas coisas do Reino dos céus é comparado a um pai de família que tira de seu tesouro coisas novas e velhas.

Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo Rosário.

terça-feira, 8 de junho de 2021

Comentários Eleison – Por Dom Williamson Número DCCXXIII (723) – 22 de maio de 2021

 

QUATRO PREOCUPAÇÕES


A Igreja está atualmente em uma grande confusão,

Que a necessidade de caridade seja nossa principal conclusão.

Um leitor escreve: “Excelência, por favor, poderia esclarecer quatro pontos de desacordo com o senhor que têm surgido repetidamente nos círculos católicos tradicionais?”. É claro que posso! Mas, que reine a caridade!

1 Diz-se que o senhor apoia e promove o “Poema do Homem-Deus” de Maria Valtorta, que conteria graves erros contrários à Fé e muito conteúdo escandaloso.

Certamente, apoio e promovo este trabalho de Maria Valtorta (1897–1961), porque estou convencido de que é um grande presente de Nosso Senhor ao nosso pobre mundo moderno, a Sua resposta especial à eletrônica, ao cinema, à televisão e à Internet que estão levando milhões e milhões de almas para longe de Deus e conduzindo-as para a fantasia e para o Inferno. Os dez volumes no original em italiano apresentam um quadro completo da vida, morte e ressurreição de Nosso Senhor em detalhes tão realistas que fazem os Evangelhos saltarem das páginas, por assim dizer. Porém, não é em todos os leitores que ocorre esse efeito; na verdade, muitos católicos sérios ficam indiferentes em relação ao “Poema”. Por outro lado, desde a sua primeira publicação, na década de 1950, o "Poema" tem produzido enormes frutos bons, com um aumento do amor e do conhecimento de Deus e com conversões sérias em todo o mundo. Inúmeras almas deverão ao “Poema” sua salvação eterna.

Quanto às acusações de erro doutrinário e de conteúdo escandaloso, não se deve levar a sério nenhuma delas. Com a segurança de um cabrito-montês que dança entre os picos das montanhas, essa leiga italiana acamada dança entre as alturas da teologia trinitária de uma maneira dificilmente explicável a não ser por inspiração divina.

E quanto ao “conteúdo escandaloso”, é preciso recordar Tito I, 15: “Para os puros, todas as coisas são puras, mas para os corruptos e incrédulos, nada é puro; suas próprias mentes e consciências estão corrompidas”. Muitos que acusam o “Poema” de escândalo estarão apenas condenando a si mesmos. Queira Deus que passem a enxergar com clareza!

2 Diz-se que o senhor apoia aparições marianas problemáticas não aprovadas que sustentam o Novus Ordo.

Note-se, em primeiro lugar, que não poderia haver falsas aparições marianas se não houvesse algumas autênticas para o Diabo imitar. É tudo uma questão de “provar os espíritos para ver se são de Deus” (I Jo IV, 1). Ora, normalmente é responsabilidade dos pastores católicos (Bispos) realizar essa tarefa em nome das ovelhas católicas, porque ela pode ser bastante delicada. Ademais, ao fazê-lo, preferem equivocar-se por excesso de prudência. Mas quando os tempos são tão anormais como o são nos dias de hoje, e a maioria dos Bispos é modernista, como estes podem começar a realizar o trabalho católico de “provar os espíritos”? Quantos deles ainda acreditam no Diabo? E, assim, as ovelhas católicas hoje estão obrigadas a realizar essas tarefas por conta própria, não mais do que o necessário, mas pelo menos algumas. O verdadeiro problema hoje em dia são as muitas almas que não querem reconhecer as provas objetivas, ou não conseguem mais pensar nelas, que Deus fornece em abundância quando deseja que se creia n’Ele, como, por exemplo, em Garabandal ou Akita.

3 Diz-se que o senhor encoraja as almas a assistir à Missa Nova se sentirem que poderão beneficiar-se dela.

Em abstrato, a Missa Nova é uma abominação, o ato central de adoração da nova religião modernista, razão pela qual o Arcebispo Lefebvre estabeleceu uma regra geral de não comparecimento. Mas, no concreto, uma ou outra Missa Nova em particular não é automaticamente inválida, caso em que pode acontecer que venha a ser espiritualmente proveitosa para alguém, ainda que essencialmente continue sendo um cavalo de Tróia projetado por inimigos conhecidos de Deus para destruir a Igreja Católica por dentro. Toda vez que é celebrada ou que se assiste a ela, essa missa injeta em cada participante o veneno de uma compreensão falsa das relações entre Deus e o homem.

4 Dizem que o senhor acredita que Francisco é um impostor que não deveria ser mencionado no Cânon da Missa.

Por mais inadequado que Francisco seja como Papa, eu pessoalmente o nomeio no Cânon em cada Missa que celebro, porque a Igreja Católica não pode sobreviver sem seu Papa. Nenhuma organização sobrevive sem um líder que seja reconhecido como tal, e o Papa atualmente reconhecido como tal é Francisco.

Kyrie eleison.

Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo Rosário.


segunda-feira, 7 de junho de 2021

Comentários Eleison – Por Dom Williamson Número DCCXXII (722) - 15 de maio de 2021

AS SINFONIAS DE BEETHOVEN

Devemos valorizar o melhor da cultura dos homens brancos.

Não há outra à sua altura, e não pode morrer!

 
Para os leitores que conhecem as diversas sinfonias, pode haver aqui um pouco de satisfação pelo reconhecimento. Para os que não as conhecem, que tenham aqui um pouco de incentivo para conhecê-las.

1. Em 1800, Beethoven já havia escrito muitas músicas, mas eis a sua primeira Sinfonia. Dir-se-ia que ainda é jovem, mas o aprendiz de Haydn e Mozart já é um maestro. Melodia, harmonia, ritmo, impulso e humor, ele tem de tudo! Um espírito alegre chega ao campo de batalha, com promessa de armas musicais que raramente se vê empunhar.
2. Dois anos mais tarde, o jovem compositor (32) é afetado pela surdez. No entanto, esta Sinfonia não mostra nenhum traço de desespero. Em vez disso, mostra como o músico cunhará seu sofrimento em alegria e triunfo para seus futuros ouvintes. O maestro estende ao máximo suas asas, obtém da dor da surdez uma força ainda maior.
3. A Sinfonia número 3 faz jus ao seu apelido, a “Eroica”. Inspirada em Napoleão, apresenta a vida e a morte de um grande herói. Musicalmente, sua riqueza e seu poder de emoção abrem uma nova linguagem, uma nova era da música, na qual o homem está doravante no centro. Pronto para a batalha, seguem avante os passos do herói. Para a morte, mas elevando-se, seu espírito cavalga.
4. A “Eroica” de 1803 desencadeou do Beethoven agora totalmente maduro uma série de obras-primas populares. A quarta sinfonia de 1806 é uma delas: rica, variada, profunda, cheia de pensamento e beleza, de vida e alegria, e, no entanto, firmemente organizada para dar seu golpe. Rege agora desconhecidos reinos que se abrem. Com paixão, variedade e ordem próprias.
5. "A Quinta de Beethoven" é a mais conhecida das nove sinfonias, porque apresenta de forma mais dramática a profunda luta de sua alma para aceitar seu destino. Aqui está o homem moderno, em 1807, esforçando-se para submeter ao destino a sua própria vontade, em meio ao triunfo revolucionário. Mas as tempestades abalam a estrutura do universo. O homem deve lutar, e pela vitória clamar.
6. Beethoven amava o campo, onde bebia da beleza e da grandeza de Deus. Inspirou todos os cinco movimentos da adorável Sinfonia “Pastoral”, de 1808, a Sexta. Sua calma contrasta notavelmente com a tensão da Quinta Sinfonia, imediatamente anterior. Um passeio pelo campo, ao lado de um riacho. Então, camponeses a dançar, uma tempestade, um sonho pastoral.
7. A Sétima, de 1812, é outra das favoritas. Quatro movimentos de uma grandeza olímpica, mas nunca remotamente fria ou desumana. O último selvagem movimento nos recorda as lutas internas de Beethoven, mas ainda é perfeitamente planejado e controlado. Um discurso majestoso, trenódia da alma. Nobre em cada parte e no todo.
8. A Oitava, também de 1812, é outra que alivia a tensão, remontando às sinfonias anteriores às heroicas e ao humor de Haydn, mas Beethoven não pode abandonar a riqueza e a organização de seu estilo maduro. O segundo movimento é pura ópera cômica. Do alto, o herói vem à terra, recordando tempos idos, com alegria rítmica.
9. A célebre Nona Sinfonia, é chamada “Coral” por causa do coro que Beethoven introduziu para musicar um querido Hino à Alegria. Três movimentos monumentais preparam o cenário, mas, para Beethoven, é a alegria que deve ter a última palavra. Fatalidade, destino, céus destroçados escancaram-se. Mas o ritmo, a beleza, a alegria dos homens sobreviverão.

Kyrie eleison.


Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo Rosário.

domingo, 6 de junho de 2021

Comentários Eleison – Por Dom Williamson Número DCCXXI (720) – 8 de maio de 2021

O QUARTO DE MILÊNIO DE BEETHOVEN

De Deus, Beethoven tinha um poderoso senso,

Que dá intensidade à sua melhor música.

Por que os filmes exercem tanta influência nas pessoas? Porque até os católicos possuem natureza humana, e a natureza humana precisa de música, de histórias e de imagens; e os filmes combinam essas três coisas. Por isso, quando se criou Hollywood no início do século XX, os inimigos de Deus imediatamente entraram em ação para certificar-se de que estariam no controle por causa da enorme influência que sabiam – mais do que os amigos de Deus parecem saber – que teria sobre as mentes e os corações das pessoas. Pode-se até dizer que esses inimigos criaram Hollywood. De qualquer forma, que pelo menos os pais católicos percebam como é importante saber e escolher que música seus filhos ouvirão, e que proíbam absolutamente a música selvagem em casa.

Trata-se de uma tarefa árdua, porque a partir do momento em que as crianças colocam um pé fora de casa, encontrarão uma cultura selvagem que envolve tudo, e, especialmente, a pressão dos colegas da selva. As crianças devem caminhar com seus próprios pés. Os pais devem dar bom exemplo e não escutar música desordenada, sem forma nem valores morais. Frequentemente, a primeira porta pela qual o diabo entrará nas almas de seus filhos é pela má música, e o resto da decadência se seguirá. Com base no uso que a Madre Igreja faz da boa música na Missa, não conseguirão os pais católicos adivinhar o uso que o diabo fará da má música se não houver ninguém que vigie a entrada da alma de seus filhos? A música é uma linguagem única da alma, e tem uma influência única na vida das pessoas.

 Em 16 de dezembro do ano passado foi o 250º aniversário do nascimento de Ludwig van Beethoven, o que remete ao valor e à importância da boa música. Ora, os amantes da música objetarão imediatamente que sua música é frequentemente muito tempestuosa, e que preferem compositores anteriores, de períodos mais tranquilos. É justo. E se eles realmente dominam os compositores anteriores, que deem aos seus filhos o que eles mesmos possuem. Mas a grande vantagem de Beethoven é que ele viveu na época (1770-1827) da Revolução Francesa (1789-1794), de modo que nasceu sob o Antigo Regime, o antigo estilo de vida, mas viveu seus anos de maturidade no período revolucionário, e seus últimos anos depois do Congresso de Viena (1815), quando a Europa tentou domar as forças revolucionárias liberadas. Mas, como na música de Beethoven, essas forças mal foram domadas; na verdade, elas moldaram o mundo cada vez mais desde então, de modo que inúmeros jovens dos dias de hoje não sentem nada pela música anterior a Beethoven, enquanto no Maestro de Bonn podem sentir claramente o surgimento do caos de seu próprio mundo.

 No entanto, a música de Beethoven não é apenas nem principalmente caótica. A velha ordem ainda continua em sua estrutura como estava na formação dele, e permite que uma mente musical poderosa dê forma e controle os sentimentos apaixonados; e eis porque a paixão arquitetônica, ou arquitetura apaixonada, de Beethoven é tão singular. De maneira geral, as obras-primas de sua maturidade expressam mais sentimentos do que qualquer um dos compositores mais tranquilos que o precederam, mesmo quando expressam mais ordem do que qualquer um dos compositores mais selvagens que vieram depois dele. Tal como de Shakespeare, que viveu entre o período medieval e o moderno, pode dizer-se que sua estatura como artista mundial se deve à sua combinação da teologia medieval com a psicologia moderna, assim também, falando de maneira geral, a grandeza de Beethoven pode ser atribuída à combinação de uma cabeça do século XVIII com um coração do século XIX.

Ele escreveu muitos tipos de música, principalmente uma ópera, duas Missas, cinco concertos para piano, nove sinfonias, dez sonatas para violino, dezessete quartetos de corda e trinta e duas sonatas para piano, mas as músicas mais populares e mais conhecidas de todas são, sem dúvida, as nove sinfonias, onde a orquestra completa e a liberdade de invenção deram as rédeas soltas ao seu gênio. Para um ouvido não familiarizado, as sinfonias podem soar todas iguais, mas quanto mais se as conhece, mais difícil se torna dizer quais são as que mais se parecem, de tão diferentes que são. As palavras escritas não podem dizer o que a música diz, elas podem apenas tentar descrevê-la, mas em outro número destes “Comentários” se tentará descrever as sinfonias. Não se deve permitir que a cultura incomparável dos homens brancos europeus pereça! Ela transmite Deus.

 Kyrie eleison.


Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo Rosário. 

sábado, 5 de junho de 2021

Comentários Eleison – Por Dom Williamson Número DCCXX (720) – 1 de maio de 2021

 

DESINTEGRAÇÃO DO PAPA – III

Estão a ensinar que a política não é religiosa?

Então não se travarão as batalhas de Cristo Rei.


 Como os “Comentários” de duas semanas atrás elogiaram a análise do Superior Geral da Fraternidade Sacerdotal São Pio X, o Pe. David Pagliarani, publicada em 12 de março sobre a impensável loucura do “pensamento” do Papa Francisco, então ninguém precisará concluir que os “Comentários” desta semana estariam tentando minar essa mesma Fraternidade caso continuem a dar algumas sugestões ao mesmo Superior Geral. Em todos os idiomas, haverá alguma expressão proverbial da distância entre as palavras e as ações. O Pe. Pagliarani está falando corretamente. Os americanos diriam que tudo o que ele precisa fazer agora é andar no caminho certo, de acordo com seu discurso.

Pois, de fato, se o Superior Geral realmente deseja o bem da Fraternidade da qual é Superior, ele desejará agir como o Fundador dessa Fraternidade agiu, porque seguir um Fundador é servir à sua fundação, ao mesmo tempo que contradizê-lo em palavras ou ações é contribuir para desfazer sua fundação. Ora, o que distinguia o Arcebispo Lefebvre de seus milhares de confrades Bispos durante e após o Vaticano II? Ele sempre disse que algumas centenas saíram do Concílio ainda decididos a defender a verdadeira Fé Católica, mas que na década de 1970 o Papa Paulo VI conseguiu essencialmente quebrar a resistência deles, especialmente pelo mau uso de sua autoridade. Assim, os Bispos puseram o Sistema acima da Verdade, enquanto o Arcebispo pôs a Verdade acima do Sistema.

 Pois bem, ao declarar em sua análise de 12 de março que o Papa Francisco está praticamente abandonando toda a filosofia e toda teologia católicas, o honorável Pe. Pagliarani mostra que tem um verdadeiro conhecimento da Verdade e do perigo terrível em que ela se encontra hoje. Ora, o que o Arcebispo fez quando, nos anos de 1970 e 1980, os Papas Paulo VI e João Paulo II colocaram a Fé em perigo de maneira similar? Ele colocou o Sistema antes da Verdade? Ou acaso não fez o que deveria fazer consagrando quatro Bispos, mesmo fora do Sistema, para assegurar a sobrevivência prática de seu discurso heroico? Posso sugerir duas coisas que o senhor, Pe. Pagliarani, poderia fazer, uma pela Igreja e outra pelo estado, para elevar sua caminhada ao nível de seu discurso?

Para a Igreja, ajude-a enormemente, assim como o fez o Arcebispo (e como você mesmo fez com sua condenação absolutamente clara em fevereiro de 2019 da Declaração Conjunta do Papa com o Grande Imam de Al-Azhar), não apenas com a fidelidade à Doutrina Católica, mas também evitando inequivocamente o Sistema da Igreja, atualmente ainda atolado na doutrina conciliar, e susceptível a contaminar qualquer sacerdote ou líder da Fraternidade que flerte imprudentemente com tais instrumentos objetivos de Belial. Com relação aos oficiais da Igreja gravemente equivocados, cortesia e caridade sim, mas contato amigável, de maneira nenhuma! Pois não pode haver maior caridade para com esses traidores objetivos, que se põem em risco de ter uma eternidade terrível, do que fazê-los entender como precisam converter-se. E o senhor, Pe. Pagliarani, tem o dever de conduzir seus próprios sacerdotes para longe deles, de tão perigosos que são!

E para o estado, da mesma forma. Praticamente todos os estados do mundo estão atualmente sob o controle disfarçado dos inimigos bimilenários de Deus e do homem, a quem Deus está usando para flagelar a humanidade apóstata. No que é radicalmente uma guerra religiosa da parte deles, pela cegueira e fraqueza dos católicos que deveriam detê-los, eles conseguiram o domínio de nossos bancos, da nossa política, das nossas universidades, das nossas artes, da nossa cultura, do nosso direito, da nossa medicina, etc., de modo que todas essas coisas são meras cascas anticristãs daquelas coisas que uma vez foram como partes da civilização cristã. A culpa é dos cristãos por sua falta de fé, e isso recentemente resultou no roubo em uma outrora grande nação de sua eleição nacional, com muito poucos protestos contra a massa de mentiras necessariamente implicada. Ora, com o selo dos mesmos guerreiros anticristãos está toda a crise artificial da covid. Padre, qualquer fraternidade católica estará traindo ainda mais a Cristo se não discernir, e agir, sobre quem e o que está em jogo. A covid é um problema ainda mais religioso do que político, e os homens de Deus devem dizê-lo, se o povo de Deus quiser voltar a pôr-se de joelhos. Que Deus esteja convosco.

Kyrie eleison.

P.S. Já chega por hora de CE’s sobre a gravidade do modernismo. Os próximos dois CE’s deverão apresentar para o tempo da Páscoa a alegria de Beethoven (mesmo que não seja uma alegria diretamente cristã, mas derivada dela).

Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo Rosário. 


05 de junho dia de São Bonifácio OSB, Bispo e Mártir

05/06 Sábado
Festa de Terceira Classe 
Paramentos Vermelhos

 Pertencendo a uma rica família de nobres ingleses, ao nascer, em 672 ou 673, em Devonshire, recebeu o nome de Winfrid. Como era o costume da época, foi entregue ao mosteiro dos beneditinos ainda na infância para receber boa educação e formação religiosa. Logo, Winfrid percebeu que sua vocação era o seguimento de Cristo. Aos dezenove anos professou as regras na abadia de Exeter, iniciando o apostolado como professor de regras monásticas primeiro nesta mesma abadia, depois na de Nurslig. Em seguida, decidiu iniciar seu trabalho missionário para a evangelização dos povos germânicos do além Reno, mas por questões políticas entre o duque Radbod, um pagão, e o rei cristão Carlos Martel, os resultados foram frustrantes. Em 718, fez, então, uma peregrinação a Roma, onde, em audiência com o papa Gregório II, conseguiu seu apoio para reiniciar sua missão na Alemanha. Além disso, o papa o orientou também a assumir, como missionário, o nome de Bonifácio, célebre mártir romano. Bonifácio parou primeiro na Turíngia, depois dirigiu-se à Frísia, realizando as primeiras conversões nessas regiões. Durante três anos percorreu quase toda a Alemanha e, numa segunda viagem a Roma, o papa, agora já outro, entusiasmado com seu trabalho, nomeou-o bispo de Mainz. Esse contato constante com os pontífices foi importante, pois a Igreja na Alemanha foi implantada em plena consonância com a orientação central da Santa Sé. Bonifácio fundou o mosteiro de Fulda, centro propulsor da cultura religiosa alemã, só comparável ao italiano de Montecassino. E muitos outros mosteiros masculinos e femininos, igrejas e catedrais de norte a sul do país, recrutando os beneditinos da Inglaterra. Acabou estendendo sua missão até a França.
 Incansável, com sua sede episcopal fixada em Mainz, atuou em vários concílios e promulgou várias leis. Em 754, foi para o norte da Europa, região onde atualmente se encontra a Holanda. No dia 5 de junho do mesmo ano, dia de Pentecostes, foi ao encontro de um grande grupo de catecúmenos de Dokkun, os quais receberiam o crisma. Mal iniciou a santa missa, o local foi invadido por um bando de pagãos frísios. Os cristãos foram todos trucidados e Bonifácio teve a cabeça partida ao meio por um golpe de espada. Mesmo que são Bonifácio não tenha evangelizado por completo a Alemanha, ao menos se pode afirmar que foi graças a ele que isso aconteceu, nos tempos seguintes, como herança de seu trabalho. São Bonifácio é venerado como o "Apóstolo da Alemanha". Seu corpo foi sepultado na igreja do mosteiro de Fulda, que ainda hoje o conserva, pois em vida havia expressado essa vontade.

Leitura da Epístola dos

Eclesiástico 44, 1-15

1.Façamos o elogio dos homens ilustres, que são nossos antepassados, em sua linhagem.2.O Senhor deu-lhes uma glória abundante, desde o princípio do mundo, por um efeito de sua magnificência.3.Eles foram soberanos em seus estados, foram homens de grande virtude, dotados de prudência. As predições que anunciaram adquiriram-lhes a dignidade de profetas:4.eles governaram os povos do seu tempo e, com a firmeza de sua sabedoria, deram instruções muito santas ao povo.5.Com sua habilidade cultivaram a arte das melodias, publicaram os cânticos das escrituras.6.Homens ricos de virtude, que tinham gosto pela beleza, e viviam em paz em suas casas.7.Todos eles adquiriram fama junto de seus contemporâneos, e foram a glória de seu tempo.8.Aqueles que deles nasceram deixaram um nome que publica seus louvores.9.Outros há, dos quais não se tem lembrança; pereceram como se nunca tivessem existido. Nasceram, eles e seus filhos, como se não tivessem nascido.10.Os primeiros, porém, foram homens de misericórdia; nunca foram esquecidas as obras de sua caridade.11.Na sua posteridade permanecem os seus bens.12.Os filhos de seus filhos são uma santa linhagem, e seus descendentes mantêm-se fiéis às alianças.13.Por causa deles seus filhos permanecem para sempre, e sua posteridade, assim como sua glória, não terá fim.14.Seus corpos foram sepultados em paz, seu nome vive de século em século.15.Proclamem os povos sua sabedoria, e cante a assembléia os seus louvores!

Sequência do Santo Evangelho

São Mateus 5, 1-12
1.Vendo aquelas multidões, Jesus subiu à montanha. Sentou-se e seus discípulos aproximaram-se dele.2.Então abriu a boca e lhes ensinava, dizendo:3.Bem-aventurados os que têm um coração de pobre, porque deles é o Reino dos céus!4.Bem-aventurados os que choram, porque serão consolados!5.Bem-aventurados os mansos, porque possuirão a terra! 6.Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque serão saciados!7.Bem-aventurados os misericordiosos, porque alcançarão misericórdia!8.Bem-aventurados os puros de coração, porque verão Deus!9.Bem-aventurados os pacíficos, porque serão chamados filhos de Deus!10.Bem-aventurados os que são perseguidos por causa da justiça, porque deles é o Reino dos céus!11.Bem-aventurados sereis quando vos caluniarem, quando vos perseguirem e disserem falsamente todo o mal contra vós por causa de mim.12.Alegrai-vos e exultai, porque será grande a vossa recompensa nos céus, pois assim perseguiram os profetas que vieram antes de vós.

Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo Rosário

sexta-feira, 4 de junho de 2021

Comentários Eleison – Por Dom Williamson Número DCCXIX (719) – 24 de abril de 2021

 

DESINTEGRAÇÃO DO PAPA – II

A hipocrisia precisa ser cada vez mais refinada,

Pois senão os homens não se deixariam mais enganar.

 Os dísticos rimados no início ou no final de cada uma das edições originais destes “Comentários” normalmente têm apenas duas linhas de dez sílabas cada para expor seu ponto, o que significa que podem estar tão compactados que ficam difíceis de entender. O da semana passada foi um exemplo. Mas como o que se dizia vai ao cerne do grande erro que assola a verdadeira Igreja Católica desde o Vaticano II (1962-1965), retornemos a esse dístico para explicá-lo um pouco mais detalhadamente. Aqui está novamente:

 Devemos temer os gregos, mesmo quando nos trazem presentes?

 Dos modernistas, mesmo aqueles gregos não chegam nem perto!

  A primeira das duas linhas refere-se a uma famosa citação do segundo livro da Eneida de Virgílio em latim, que diz, traduzida: "Seja como for, temo os gregos, mesmo quando eles trazem presentes". A guerra de Troia já dura dez anos e, apesar dos tremendos esforços militares, o exército invasor da Grécia não conseguiu até agora conquistar a cidade de Troia. Os gregos recorrem às artimanhas. Do lado de fora dos portões de Troia, eles deixarão um cavalo oco de madeira cheio de soldados gregos como um “presente” para os troianos. Os troianos estão deliberando sobre o que fazer com este belo cavalo: devem levá-lo para dentro dos portões da cidade? Um velho e sábio troiano diz que não, porque, seja como for, ele não pode confiar nos gregos. Para a desgraça de Troia, seu conselho não é aceito, o cavalo é trazido, os soldados saem à noite, Troia é pega de surpresa e os gregos vencem a guerra de Troia, graças às artimanhas pelas quais ganharam fama no mundo antigo. No entanto, a segunda linha do dístico acima diz que mesmo as artimanhas dos antigos gregos não chegam nem perto das artimanhas dos modernistas de hoje que penetram no coração da Cidade Católica e a destroem até seus alicerces. Como isto pode ser?

 Digamos que por uma perda progressiva da humanidade ao longo dos séculos da percepção da realidade de Deus e de sua própria dependência de Deus. Essa perda foi intencional. Para introduzir na última era do mundo a maior colheita de almas de todos os tempos para a bem-aventurança da salvação eterna, Deus Todo-Poderoso concedeu a maior graça de todos os tempos, a Encarnação de Seu próprio e único Filho divino para morrer na Cruz e selar com Seu Sangue o Novo e Eterno Testamento entre Deus e o homem, e fundar a Igreja Católica para colocar à disposição de todos os homens, mediante seus Sacramentos, os frutos dessa morte e Redenção. E depois de mil e quinhentos anos, essa Igreja havia conseguido de fato criar uma civilização cristã incomparavelmente superior a qualquer outra.

 Mas depois de 1500 anos, o orgulho do homem não aguentou mais, e os homens criaram uma série de hipocrisias cada vez mais refinadas para tirar a liberdade do homem da verdade de Deus. O protestantismo e o jansenismo fingiram ser católicos, o liberalismo fingiu ser cristão, o comunismo fingiu ser humano, e a tensão para os católicos de viver em um mundo cada vez mais profundamente anticatólico ao seu redor estava se tornando para eles cada vez mais pesada, sobretudo porque o mundo moderno, forjado pelas hipocrisias, foi tornando-se cada vez mais “normal”. Finalmente a tensão, por exemplo, de ter em uma cidade grande todos os filhos que Deus puder enviar, tornou-se insuportável, e a suprema hipocrisia do Vaticano II, com os pós-católicos fingindo ser católicos graças a um clero complacente, aconteceu, e a verdadeira Igreja estará em uma desordem dispersa até o momento de ser escolhida por Deus para limpar os estábulos de Aúgias.

 Mas Deus nunca abandonou Sua Igreja imutável nem as almas que em qualquer nível tenham aderido a ela; nem precisa temer ser abandonada por Deus nenhuma alma que não queira abandonar Deus, ou a realidade de Deus. No entanto, Deus pode pedir a essas almas algum sofrimento para ajudar a pagar pelas ondas de pecado que estão inundando a humanidade; e que essas almas não se entreguem à variedade de hipocrisias com as quais os homens modernos conseguem enganar-se a si mesmos com ideias como a de que Deus não existe, ou a de que eles não estão preferindo sua própria realidade à d’Ele...
 
Kyrie eleison.

Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo Rosário.


04 de junho dia de São Francisco Caracciolo, Confessor.

04/06 Sexta-feira
Festa de Terceira Classe 
Paramentos Brancos

 Nasceu em 13 de outubro de 1563 no Castelo de sua familia na Villa Santa Maria, Abruzzi,Italia, como Ascanio Pisquizio.
 Nascido na nobreza, ele era parente de Santo Thomas de Aquino e do Príncipe de Nápoles. Gostava de caçada. Certa vez aos 22 anos de idade ele curou um leproso com seu toque e tomou este fato como um sinal de sua vida. Ele vendeu todos os seus bens, deu o dinheiro para os pobres foi estudar teologia em Nápoles em 1585. Ordenado em 1587. Entrou para a Cnfraria do Hábitos Brancos da Justiça( Bianchi della Giustizia) e pregava para os prisioneiros .Com João Agostinho Adorno ele fundou a Cngregaçao dos Frades Menores e passou a cuidar dos doentes e prisioneiros e receberam a aprovação do Papa Sixtus V em 1º de julho 1588 , e do Papa Gregório XIV em 18 de fevereiro de 1591 e do Papa Clemente VIII em 1º de junho de 1592.
 Escolhido superior da Congregação em Nápoles em 89 de marco de 1592 ele fez questão de fazer também as tarefas mais humildes da casa como varrer os corredores. Notável pelo seu trabalho junto aos pobres , era um fazedor de milagres e tinha o dom da profecia, e era um pregador muito popular em sua região, curava várias doenças apenas com sua bênção e o sinal da cruz. O Papa Paulo V desejava que ele fosse Bispo mas recusou repetidamente, citando a o voto da Congregação que proibia aceitar qualquer alta posição na Igreja. No final de sua vida ele renunciou de suas funções e passou seu tempo em oração e a se preparar para a morte.
 Varias vezes foi encontrado embaixo da escada da casa, em êxtase.
No dia em que morreu, uma hora antes do amanhecer ele levantou-se e gritou :
“Para o Céu” e logo depois faleceu.
Faleceu em 4 de junho de 1608 em Agnone, Itália. Suas relíquias estão parte em Nápoles e parte em San Lorenzo in Lucina, Roma.
Beatificado pelo Papa Clemente XIV em 1769 e canonizado em 24 de maio de 1807 pelo Papa Pio VII.
É padroeiro da Associação dos cozinheiros italianos, escolhido em 1838.

Leitura da Epístola dos

Sabedoria 4, 7-14
7.Quanto ao justo, mesmo que morra antes da idade, gozará de repouso.8.A honra da velhice não provém de uma longa vida, e não se mede pelo número dos anos.9.Mas é a sabedoria que faz as vezes dos cabelos brancos; é uma vida pura que se tem em conta de velhice. 10.Ele agradou a Deus e foi por ele amado, assim (Deus) o transferiu do meio dos pecadores onde vivia.11.Foi arrebatado para que a malícia lhe não corrompesse o sentimento, nem a astúcia lhe pervertesse a alma:12.porque a fascinação do vício atira um véu sobre a beleza moral, e o movimento das paixões mina uma alma ingênua.13.Tendo chegado rapidamente ao termo, percorreu uma longa carreira.14.Sua alma era agradável ao Senhor, e é por isso que ele o retirou depressa do meio da perversidade. Os povos que vêem esse modo de agir não o compreendem, e não refletem nisto:

Sequência do Santo Evangelho

São Lucas 12, 35-40
35.Estejam cingidos os vossos rins e acesas as vossas lâmpadas.36.Sede semelhantes a homens que esperam o seu senhor, ao voltar de uma festa, para que, quando vier e bater à porta, logo lha abram.37.Bem-aventurados os servos a quem o senhor achar vigiando, quando vier! Em verdade vos digo: cingir-se-á, fá-los-á sentar à mesa e servi-los-á.38.Se vier na segunda ou se vier na terceira vigília e os achar vigilantes, felizes daqueles servos!39.Sabei, porém, isto: se o senhor soubesse a que hora viria o ladrão, vigiaria sem dúvida e não deixaria forçar a sua casa.40.Estai, pois, preparados, porque, à hora em que não pensais, virá o Filho do Homem.

Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo Rosário