sábado, 31 de julho de 2021

31 de julho dia de Santo Inácio de Loiola, Confessor

31/07 Sábado
 Festa de Terceira Classe   
Paramentos Brancos

Iñigo Lopez de Loyola, este era o seu nome de batismo, nasceu numa família cristã, nobre e muito rica, na cidade de Azpeitia, da província basca de Guipuzcoa, na Espanha, no ano de 1491. O mais novo de treze filhos, foi educado, com todo cuidado, para tornar-se um perfeito fidalgo. Cresceu apreciando os luxos da corte, praticando esportes, principalmente os equestres, seus preferidos.
Em 1506, a família Lopez de Loyola estava a serviço de João Velásquez de Cuellar, tesoureiro do reino de Castela, do qual era aparentada. No ano seguinte, Iñigo tornou-se pagem e cortesão no castelo desse senhor. Lá, aprimorou sua cultura, fez-se um exímio cavaleiro e tomou gosto pelas aventuras militares. Era um homem que valorizava mais o orgulho do que a luxúria.
Dez anos depois, em 1517, optou pela carreira militar. Por isso foi prestar serviços a um outro parente, não menos importante, o duque de Najera e vice-rei de Navarra, o qual defendeu em várias batalhas, militares e diplomáticas.

Mas, em 20 de maio de 1521, uma bala de canhão mudou sua vida. Ferido por ela na tíbia da perna esquerda, durante a defesa da cidade de Pamplona, ficou um longo tempo em convalescença. Nesse meio tempo, meio por acaso, trocou a leitura dos romances de infantaria e guerra, por livros sobre a vida dos santos e a Paixão de Cristo. E assim foi tocado pela graça. Incentivado por uma de suas irmãs, que cuidava dele, não voltou mais aos livros que antes adorava, passando a ler somente livros religiosos. Já curado, trocou a vida de militar por uma vida de dedicação a Deus. Foi, então, à capela do santuário de Nossa Senhora de Montserrat, pendurou sua espada no altar e deu as costas ao mundo da corte e das pompas.
Durante um ano, de 1522 a 1523, viveu retirado numa caverna em Manresa, como eremita e mendigo, o tempo todo em penitência, na solidão e passando as mais duras necessidades. Lá, durante esse período, preparou a base do seu livro mais importante: "Exercícios espirituais". E sua vida mudou tanto que do campo de batalhas passou a transitar no campo das ideias, indo estudar filosofia e teologia em Paris e Veneza. Em Paris, em 15 de agosto de 1534, juntaram-se a ele mais seis companheiros, e fundaram a Companhia de Jesus. Entre eles estava Francisco Xavier, que se tornou um dos maiores missionários da Ordem e também santo da Igreja. Mas todos só se ordenaram sacerdotes em 1537, quando concluíram os estudos, ocasião em que Iñigo tomou o nome de Inácio. Santo Inácio de Loyola queria uma companhia de escol, para combater os erros da época, principalmente os de Lutero e Calvino, e por isso estipulou que, diferentemente das outras congregações ou ordens religiosas, o noviciado seria de mais de um ano. Dizia no fim da vida, quando sua Companhia estava já estendida por quase todos os continentes. Três anos depois, o papa Paulo III aprovou a nova Ordem e Inácio de Loyola foi escolhido para o cargo de superior-geral.
Ele preparou e enviou os missionários jesuítas ao mundo todo, para fixarem o cristianismo, especialmente aos nativos pagãos das terras do novo continente. Entretanto, desde que esteve no cargo de geral da Ordem, Inácio nunca gozou de boa saúde. Muito debilitado, morreu no dia 31 de julho de 1556, em Roma, na Itália.
A sua contribuição para a Igreja e para a humanidade foi a sua visão do catolicismo, que veio de sua incessante busca interior e que resultou em definições e obras cada vez mais atuais e presentes nos nossos dias. Foi canonizado pelo papa Gregório XV em 1622. A sua festa é celebrada, na data de sua morte, nos quatro cantos do planeta onde os jesuítas atuam. O Papa Pio XI publicou por ocasião de seu jubileu sacerdotal, em 1929, a Encíclica "Mens nostra: Sobre os Exercícios Espirituais", na qual comunicava aos fiéis a sua decisão de estabelecer anualmente um retiro baseado nos Exercícios Espirituais para o Papa e membros da Cúria Romana. Desde então, salvo algumas exceções, retiros inacianos são realizados todos os anos no Vaticano. Inicialmente ocorriam na primeira semana do Advento. Santo Inácio de Loyola foi declarado Padroeiro de Todos os Retiros Espirituais pelo papa Pio XI em 1922.

Sequência do Santo Evangelho

II Timóteo 2,8-10 e 3,10-12                                                         
8.Lembra-te de Jesus Cristo, saído da estirpe de Davi e ressuscitado dos mortos, segundo o meu Evangelho,9.pelo qual estou sofrendo até as cadeias como um malfeitor. Mas a palavra de Deus, esta não se deixa acorrentar.10.Pelo que tudo suporto por amor dos escolhidos, para que também eles consigam a salvação em Jesus Cristo, com a glória eterna.  10.Tu, pelo contrário, te aplicaste a seguir-me de perto na minha doutrina, no meu modo de vida, nos meus planos, na minha fé, na minha paciência, na minha caridade, na minha constância,11.nas minhas perseguições, nas provações que me sobrevieram em Antioquia, em Icônio, em Listra. Que perseguições tive que sofrer! E de todas me livrou o Senhor.12.Pois todos os que quiserem viver piedosamente, em Jesus Cristo, terão de sofrer a perseguição.

Sequência do Santo Evangelho
                                                                                                                     
São Lucas 10,1-9       
1.Depois disso, designou o Senhor ainda setenta e dois outros discípulos e mandou-os, dois a dois, adiante de si, por todas as cidades e lugares para onde ele tinha de ir.2.Disse-lhes: Grande é a messe, mas poucos são os operários. Rogai ao Senhor da messe que mande operários para a sua messe.3.Ide; eis que vos envio como cordeiros entre lobos.4.Não leveis bolsa nem mochila, nem calçado e a ninguém saudeis pelo caminho.5.Em toda casa em que entrardes, dizei primeiro: Paz a esta casa!6.Se ali houver algum homem pacífico, repousará sobre ele a vossa paz; mas, se não houver, ela tornará para vós.7.Permanecei na mesma casa, comei e bebei do que eles tiverem, pois o operário é digno do seu salário. Não andeis de casa em casa.8.Em qualquer cidade em que entrardes e vos receberem, comei o que se vos servir.9.Curai os enfermos que nela houver e dizei-lhes: O Reino de Deus está próximo.

Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo Rosário

domingo, 25 de julho de 2021

25 de julho dia de São Tiago Maior, Apostolo

Diz à tradição que Jesus escolheu doze companheiros para serem seus discípulos mais próximos, segui-lo e com ele aprender uma nova filosofia que veio a ser o Cristianismo. Estes companheiros foram, após a morte de Cristo, chamados de apóstolos, palavra que em grego significa “enviado”. Pois os doze foram enviados aos quatro cantos do mundo para transmitir os ensinamentos cristãos. Entre estes doze apóstolos, havia dois com o nome Tiago. Um deles, filho de Zebedeu, é também chamado Tiago Maior (para distingui-lo do outro, filho de Alfeu, o Tiago Menor). Seis anos após a morte de Cristo, este Tiago, o Maior, viajou para a península Ibérica, onde passou vários anos divulgando sua mensagem, na região que hoje é a Galícia, talvez chegando até Zaragoza. Embora muito poucos dos habitantes locais tenham se convertido ao Cristianismo, Tiago deixou plantada nestas terras distantes a primeira semente, que viria a florescer pelos séculos futuros. Retornando a Palestina, o apóstolo morreu como mártir no ano 44, decapitado, por ordem do rei Herodes Agripa. Seu corpo insepulto, jogado aos cães por ordem do rei, foi recolhido por seus discípulos Teodoro e Atanásio.Tiago havia manifestado o desejo de ser enterrado em terras ibéricas, e diz a lenda que seu corpo foi transportado por seus discípulos para a Espanha em uma nau de pedra guiada por anjos. É mais provável que tenha sido levado em um navio mercante comum, porém já em seu ataúde de pedra, daí ter nascido esta antiga crença. O apóstolo foi então sepultado na cidade de Iria Flavia (assim denominada em homenagem ao imperador romano Flávio Vespasiano), atualmente nos arredores da cidade de Padrón., próximo à costa ocidental da Galícia. Esta região era chamada pelos romanos de Finis Terrae, isto é, os confins da Terra, por ser o ponto mais ocidental da Europa, além do qual nada mais há que o Oceano. Há evidências que sugerem ter havido peregrinações esparsas ao local desde os primeiros séculos da era cristã. Porém com as invasões bárbaras, a queda do Império Romano e, posteriormente, com as invasões muçulmanas, o túmulo acabou sendo "esquecido", ou perdido. Do Século VI ao Século X. No ano 813, um monge chamado Pelayo, retirou-se para viver como eremita no bosque de Libredón na colina circundada pelos rios Sar e Sarela. Neste local havia duas antigas necrópoles (cemitérios) abandonadas, uma romana e outra visigótica. Avistando uma chuva de estrelas que parecia cair sobre um determinado ponto, e interpretando esta visão como um sinal divino, Pelayo foi examinar o local e ali encontrou o velho sepulcro. Informou então ao bispo galego Teodomiro o que havia achado em um "campo de estrelas", isto é, em um campus stellae, em latim, origem da palavra Compostela. O bispo, pelas inscrições no sepulcro, confirmou que se tratava do túmulo do apóstolo Tiago que, segundo a secular tradição havia sido sepultado naquele local, a beira do rio Ulla, próximo a uma antiga estrada romana. Foram também identificados os túmulos de Teodoro e Atanásio, os dois discípulos, que estavam sepultados ao lado do mestre. O rei de Astúrias, Alfonso II, o Casto, (791 – 842), ao tomar conhecimento da descoberta, nomeou São Tiago como patrono oficial da Espanha e ordenou a construção de uma capela de pedra sobre o sepulcro, o que foi realizado no ano 829. Os primeiros documentos históricos que relatam a existência de peregrinações ao "campo de estrelas" datam do ano 840, e o local aos poucos tornou-se um centro de devoção reconhecido pela Igreja.                                                                                                     

Na batalha de

Clavijo, no ano 842, as tropas cristãs de Astúrias e León, apesar de sua grande inferioridade numérica, derrotaram os árabes do reino da Andaluzia. Nasceu então a tradição de que São Tiago, montado em um cavalo branco, lutando bravamente, havia participado pessoalmente da batalha. O santo foi visto por muita gente, e a fama de Santiago Matamoros ("mata mouros"), com sua espada invencível, espalhou-se rapidamente por toda a Europa. O culto ao apóstolo passou a ser a partir de então o foco espiritual e o símbolo de resistência que deu energia à Reconquista (a luta contra os muçulmanos). Desde então, e até hoje, a espada com o punho em forma de cruz é um dos símbolos do apóstolo Tiago. No ano 950 Gotescalco, bispo de Le Puy (na França), tornou-se a primeira grande autoridade a visitar Compostela como peregrino, dando um exemplo que foi seguido inúmeras vezes pelos séculos futuros. O rei de Astúrias, Alfonso III, o Grande, (866 – 910), ordenou então que fosse construída no local uma igreja maior que a anterior. No ano 997 o antigo templo sobre o túmulo foi destruído e incendiado pelos mouros sob o comando de Abu Amir al-Mansur, conhecido pelos espanhóis como Almanzor, primeiro-ministro do Califado de Córdoba. A partir do século X, com o progresso da Reconquista, e o crescimento dos territórios cristãos na península Ibérica dando origem a novos reinos que se unem em torno da causa comum, a peregrinação tornou-se mais segura e o número de estrangeiros dirigindo-se a Santiago gradualmente cresce. Sancho III, o Grande, rei de Navarra (992 – 1035), trouxe para a Espanha a ordem de Cluny, e com ela a arte românica. Este estilo arquitetônico, com construções gigantescas representando o ideal cristão, está presente em numerosas igrejas do Caminho. Os monges ocuparam todo este território devastado por séculos de guerra, construindo mosteiros e hospitales (albergues) ao redor dos quais nasceram novos burgos. Ramiro I, o primeiro rei de Aragão (1035 – 1066), filho de Sancho III da Navarra, criou a infra-estrutura para a rota que vinha de Somport, denominado Caminho Aragonês. Alfonso VI, o Bravo, rei de Castela e León (1065 – 1109), forneceu também proteção real ao Caminho, dando todo apoio a Santo Domingo para conservar as estradas no território castelhano. No ano 1064 Don Rodrigo Díaz de Vivar, El Cid, o herói da luta contra os mouros, chega a Compostela como peregrino. Onze anos depois iniciam-se as obras para a construção da atual catedral compostelana, terminada em 1128. Em 1119 o papa Calixto reconheceu Compostela como um dos três centros cristãos de peregrinação. O primeiro Ano Santo, em que foi dado o perdão aos peregrinos, foi 1126. Os fiéis que iam a Roma eram denominados "romeiros" (de onde nasceu a palavra "romaria", o ato de ir a Roma), os que iam a Jerusalém eram os "palmeiros" por levarem uma folha de palma, símbolo de sua caminhada, e os que iam a Compostela eram chamados de "peregrinos", isto é, os que atravessam o campo (per + agro). Em 1179 o papa Alexandre III tornou permanente o Ano Santo. O sacerdote Aymeric Picaud, de Poitou peregrinou a Santiago em 1139, e com base em suas observações escreveu o primeiro guia do Caminho, conhecido como o "Codex Calixtinus", que foi, por muitos séculos e até hoje, a base de todos os outros guias.. Com o aumento no número de peregrinos, junto com os fiéis vieram também ladrões, salteadores de estradas e todos os tipos que, com sua esperteza, abusavam da boa fé dos andarilhos. Para manter a segurança do Caminho, criou-se em 1170, em Cáceres, a Ordem dos Cavaleiros de Santiago cujos cavaleiros eram encarregados da vigilância da rota através da Espanha Nos séculos XIII, XIV e XV o fluxo de peregrinos chegou a atingir cerca de quinhentos mil caminhantes por ano. Entre estes vieram São Francisco de Assis em 1213, a princesa Ingrid da Suécia em 1270, Santa Isabel de Portugal em 1326, Alfonso XI de León e Castela em 1332, Santa Brígida da Suécia em 1340, o pintor holandês Jean Van Eyck em 1430, os reis católicos Fernando de Aragão e Isabel de Castela em 1488, Hugo IV duque de Borgonha, Eduardo I da Inglaterra, Carlos I e Felipe II em 1554. Foi nesta época que a rota principal a partir de Puente la Reina, pelo grande número de estrangeiros (franceses ou vindo até este caminho através da França), passou a ser conhecida como Caminho Francês. Ainda hoje, dezenas de milhares de peregrinos se dirigem anualmente a Santiago de Compostela, considerada a terceira cidade mais sagrada no cristianismo depois de Jerusalém e Roma . No entanto não é de descorar a chamada de atenção de que a primeira fica no Oriente, a segunda ao centro, e esta fica muito perto ao "extremo" mais ocidental da terra cristã então conhecida (Finisterra).


 
Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo Rosário

sábado, 24 de julho de 2021

24 de julho dia de Santa Cristina, Virgem e Mártir

 Santa Cristina nasceu na Toscana (Itália), perto do lago de Bolsena, no ano 288 d.C., e com apenas 12 anos morreu mártir, no ano 300 d.C. Era filha de Urbano, oficial do exército em Tir, na Etrúria, parte da Toscana. Urbano era rude de sentimentos e inimigo dos cristãos. Em sua própria casa, muitas vezes os cristãos eram submetidos a interrogatórios humilhantes. Diante de tais cenas, Cristina se perguntava qual o motivo da serenidade e alegria dos cristãos, que ela já começava a admirar e venerar.
A resposta lhe veio por uma escrava cristã, que a preparou para o Batismo. Urbano desconfiava que a filha se interessasse pela comunidade cristã. Deu-lhe ordem de prestar culto a ídolos, queimando incenso. A menina negou-se a isso. Interrogada pelo pai, Cristina respondeu: "Tolo é vosso medo, tola a vossa advertência; diante de um deus cego aos sofrimentos do povo, surdo ao clamor dos fracos, eu não peço favores e não acendo uma vela. Ao Deus vivo, ao Senhor do céu e da terra que nos enviou seu Filho Jesus, a este, sim, apresento sacrifícios de verdade e amor".
A severidade do pai aumentou, mas Cristina respondia a isso participando do Sacrifício da Cruz na Santa Missa e de outras reuniões dos cristãos, visitando os encarcerados, dando esmola aos pobres. Sua coragem e caridade fizeram-na despedaçar as estátuas, recolheu o metal precioso e distribuiu aos pobres, induzindo o pai a passar das blandícias aos flagelos. O pai ficou furioso. Por isso, Cristina foi chicoteada. Aos que lhe pediam que cedesse à vontade do pai, respondia: "Deixar a vida não me custa; abandonar minha fé, isto nunca".
Urbano prosseguiu na tortura: a filha, amarrada, foi lançada ao fogo. Conta a história que um anjo defendeu-a e as chamas não lhe queimaram. Ainda irado contra a filha, ordenou prendê-la. Então, mandou amarrar uma pedra de moinho em seu pescoço e lançá-la ao lago. Conta-se que após lançada às águas, a pedra de moinho veio à tona, não permitindo, assim, que Cristina se afogasse. A exaltação de Urbano foi tão grande que morreu de colapso. 
Dio, sucessor de Urbano, também nada conseguiu de Cristina e, por isso, ordenou que fosse queimada viva. Segundo a história, o fogo não queimou a menina. Posta entre cobras, nenhuma a feriu. E tendo sua língua cortada, mesmo assim cantou os louvores do Senhor Jesus Cristo. Então, o juiz, enraivecido com os triunfos da jovem, ordenou sua morte a flechadas perfurado, ela ganhou a coroa do martírio em Tyro, uma cidade que antigamente ficava em uma ilha no lago de Balsena na Itália, mas foi há muito tempo engolido pelas águas. Suas relíquias estão agora em Palermo , na Sicília.Com isso foi-lhe tirada a vida terrena e ela entrou na glória eterna.
Deus escolhe o que é fraco para confundir os fortes. Na fraqueza física desta adolescente, Ele mostrou a força da perseverança na fé, que deve animar cada cristão.O testemunho de Cristina está ai: "Foi fiel a Deus, apesar de inúmeros e imensos obstáculos que teve de enfrentar em sua tenra idade".



Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo Rosário

domingo, 18 de julho de 2021

18 de julho dia de São Camilo

 São Camilo de Lellis (1550-1614) nasceu em Bacchianico, cidade do reino de Nápoles, Itália, no dia 25 de maio. Na idade de 6 anos perdeu o pai, oficial do exército. Mal sabia ler e escrever alistou-se no exército e, aos 18 anos apenas, tomou parte numa campanha contra os turcos. Gravemente doente, voltou a Roma, onde foi internado no hospital dos incuráveis. A paixão, porém, pelo jogo fez com que o demitissem daquele estabelecimento. Posto na rua, doente, pobre, procurou serviço como servente de pedreiro, trabalhando em seguida numa casa que os capuchinhos estavam construindo. Uma conversa que teve com o guardião do convento, abriu-lhe os olhos. Largou do jogo, fez penitência e invocou a misericórdia divina. Camilo tinha então 25 anos. Entrou na Ordem dos Capuchinhos, onde fez o noviciado e passou depois para os Franciscanos. Estes, porém, não lhe consentiram a permanência na Ordem, por causa de uma úlcera que tinha no pé, e que pelos médicos foi declarado incurávei. Dirigiu-se ao hospital Santiago, em Roma, onde foi aceito e como não tinha dinheiro ofereceu-se para trabalhar como servente e enfermeiro. Dedicou exclusivamente ao serviço dos enfermos. Observando que os pobres doentes sofriam muitas privações, em 1582 Camilo Lellis começou a procurar pessoas que aceitassem socorrer os pobres e doentes e criou uma Irmandade que teve o apoio do Papa Sisto V. Os primeiros irmãos eram leigos, mais em seguida alguns sacerdotes se juntaram à Irmandade. Adquiriram uma casa, onde moravam em comunidade. A Irmandade deu tão certo que em pouco tempo, Camilo teve que abrir novos Institutos na Itália, Sicília e outras partes da Europa. Seguindo ainda o conselho de São Filipe Nery e o exemplo de Santo Inácio, apesar de seus 32 anos, voltou ao estudo foi ordenado Sacerdote. Por ocasião da peste em Roma, embora doente e sofrendo dores horríveis no pé, ia de casa em casa, procurando, socorrendo e consolando os pobres doentes. Numerosos são os casos, em que foi visto levando nas costas os doentes ao hospital, onde os tratava com a maior dedicação. Quando a peste chegou em Milão e Nola, Camilo acompanhou-a levando consigo a caridade e zelo apostólico. Muitos doentes recuperaram a saúde só pela palavra e oração do Sacerdote. Em 1591 o Papa Gregorio XIV reconheceu a Irmandade como uma Ordem Religiosa. Camilo era humilde e, por causa da humildade era muito querido em Roma. Chorando sempre os pecados da mocidade, dizia-se indigno de morar entre os homens e merecedor do inferno. Palavras de elogios entristeciam e irritavam-no. Não permitia que o chamasse fundador duma Ordem e depois de 27 anos de Superior, pediu que lhe tirassem este fardo, e o pusessem debaixo da obediência. Camilo era caridoso para com os outros e severo para consigo. Muito doente e desenganado pelos médicos, Camilo recebeu o Santo Viático das mãos do Cardeal Ginnásio, protetor da Irmandade. Vendo a sagrada Hóstia disse, com as lágrimas nos olhos: "Alegro-me por me terem dito que entrarei na casa do Senhor. Reconheço Senhor, que sou dos pecadores o mais indigno de receber vossa graça". Camilo de Lellis faleceu em Roma no dia 14 de 7 de 1614. Enquanto os médicos preparavam seu corpo para o sepultamento, perceberam que a úlcera de seu pé havia desaparecido. Em 1746 foi canonizado por Bento XIV. São Camilo é padroeiro dos enfermos e dos hospitais.

Relíquia de São Camilo



Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo Rosário

sábado, 10 de julho de 2021

10 de julho dia dos Sete irmãos Martires, Santa Rufina e Secunda.

10/07 Sábado
Festa de Terceira Classe
Paramentos Vermelhos


  Santos Sete Irmãos (séc. II) + Roma - mártires Felicidade, uma romana mãe de sete filhos, era uma cristã fervorosa em uma época onde a perseguição aos cristãos era gratuita e sem trégua. Seus sete filhos foram criados dentro da fé cristã, as quais professavam e faziam de sua casa um ponto de encontro comunitário. Não tardou para que os soldados do imperador descobrissem o local e prendessem toda a família. Como não foram demovidos de sua fé, todos foram torturados e mortos sob formas terríveis. Santificando minha vi da: Os sete irmãos santos são exemplos de firmeza de fé, como todos os mártires. Defendo a fé que proclamo quando sou exposta a questionamentos ou a pressões. Estes sete irmãos — Januário, Felipe, Félix, Silvano, Alexandre, Vital e Marcial Januário, após ser açoitado com varas e ter padecido no cárcere, foi morto com flagelos chumbados. Félix e Filipe foram espancados e mortos a cacetadas. Silvano foi jogado num precipício. Alexandre, Vidal e Marcial foram decapitados. 

Apesar de saberem que sofreriam muito antes de morrer, todos mantiveram a firmeza na fé e não renegaram o Cristo  exortados por sua mãe Santa Felicidade, enfrentaram o martírio sob o imperador Antonino.


Santa Rufina e Segunda irmãs são duas santas mártires realmente existiu em Roma, eles são registrados em inúmeros documentos e seguras, como o "Martirológio Geronimiano ', os romanos' Routes ', o' Notícias 'William de Malmesbury, também são mencionados no famoso' Calendário Marmoreo 'de Nápoles, e finalmente no' Roman Martirológio 'que celebra tanto a 10 de julho.
A "paixão" antiga cheia na segunda metade do quinto século, coloca o martírio no tempo de Valeriano e Galieno, em 260 AC., E seguindo as narrativas hagiográficas de 'paixões' outros de pares famosos mártires romanos, tanto são apresentadas como irmãs e namoradas com dois jovens cristãos Verino Armentario e Archesilao.
Após perseguição os recorrentes contra os cristãos, os dois jovens envolvidos apostatou e, em seguida, as duas meninas prometeram virgindade a Nosso Senhor Jesus Cristo. Os dois jovens, tentou induzi-los a apostatar para continuar o suas pretenções de casamento, mas diante da negação da Segunda e Rufina, a Archesilao denunciou o conde, que se juntou a eles na milha catorze do Flaminia, enquanto elas tentaram escapar de seus perseguidores, que passou de Roma, e os entregou para o prefeito Donato Junius, que os documentos antigos mostram ser "praefectus Urbis 'em 257.
Tal como acontece com tantos mártires daquela época, as duas irmãs foram submetidas a pressões, interrogadores para apostatar e assim aceitarem as propostas de casamento, mas o rosto de sua resistência e recusa, o prefeito não teve outra escolha senão ordenar a sua morte.
Então ele levou o X milhas Archesilao da Cornelia Via em um fundo chamado Buxo (hoje Boccea) onde Rufina foi decapitada, enquanto a Segunda foi espancada até a morte.
Os corpos, como de costume, jogados às feras foram abandonados, mas certa matrona romana chamada Plautilla, que foi avisada em sonho e indicando o local do martírio e depois recolheu os corpos das mártires enterraram na a perto de seu martírio, e no mesmo sonho convidando-a Plautilla para converter-se.
O deserto de seu martírio, que foi chamado de "negra", em memória dos mártires e Rufina martírio segundo e subsequentes no mesmo lugar do santos Marcelino e Pedro.
Em seus túmulos, tão cedo quanto o século IV a basílica foi construída pelo Papa Júlio I (341-353), depois restaurada pelo Papa Adriano I (772-795), enquanto o Papa Leão IV (847-855), enriquecida com presentes.
A partir do século V toda a região do 'Lorium' a vila imperial que incluiu a Basílica das duas mártires, teve seu próprio bispo, que em 501 foi subscrito "episcopus Silvae Candidae" e mais tarde como "episcopus Sanctae Rufinae".
No tempo do Papa Calisto II (1119-1124) a diocese estava unida com a de Porto e foi chamado suburbicária de Porto e Rufina Santa. Papa Anastácio IV (1153-1154) fez mover seus corpos no Batistério de Latrão, no altar do átrio esquerdo, do lado oposto ao do ss. Cipriano e Justina, onde se encontram ainda, enquanto a antiga basílica na Via Cornelia, estava em ruínas e ainda não é capaz de identificar com precisão os restos.


Leitura da Epístola dos 

Provérbios 31,10-31                                                                                                                

10.Uma mulher virtuosa, quem pode encontrá-la? Superior ao das pérolas é o seu valor.11.Confia nela o coração de seu marido, e jamais lhe faltará coisa alguma.12.Ela lhe proporciona o bem, nunca o mal, em todos os dias de sua vida.13.Ela procura lã e linho e trabalha com mão alegre.14.Semelhante ao navio do mercador, manda vir seus víveres de longe.15.Levanta-se, ainda de noite, distribui a comida à sua casa e a tarefa às suas servas.16.Ela encontra uma terra, adquire-a. Planta uma vinha com o ganho de suas mãos.17.Cinge os rins de fortaleza, revigora seus braços.18.Alegra-se com o seu lucro, e sua lâmpada não se apaga durante a noite.19.Põe a mão na roca, seus dedos manejam o fuso.20.Estende os braços ao infeliz e abre a mão ao indigente.21.Ela não teme a neve em sua casa, porque toda a sua família tem vestes duplas.22.Faz para si cobertas: suas vestes são de linho fino e de púrpura.23.Seu marido é considerado nas portas da cidade, quando se senta com os anciãos da terra.24.Tece linha e o vende, fornece cintos ao mercador.25.Fortaleza e graça lhe servem de ornamentos; ri-se do dia de amanhã.26.Abre a boca com sabedoria, amáveis instruções surgem de sua língua.27.Vigia o andamento de sua casa e não come o pão da ociosidade.28.Seus filhos se levantam para proclamá-la bem-aventurada e seu marido para elogiá-la.29.Muitas mulheres demonstram vigor, mas tu excedes a todas.30.A graça é falaz e a beleza é vã; a mulher inteligente é a que se deve louvar.31.Dai-lhe o fruto de suas mãos e que suas obras a louvem nas portas da cidade.

Sequência do Santo Evangelho
                                                                                                        

São Mateus 12,46-50                                                                                                 
46.Jesus falava ainda à multidão, quando veio sua mãe e seus irmãos e esperavam do lado de fora a ocasião de lhe falar.47.Disse-lhe alguém: Tua mãe e teus irmãos estão aí fora, e querem falar-te.48.Jesus respondeu-lhe: Quem é minha mãe e quem são meus irmãos?49.E, apontando com a mão para os seus discípulos, acrescentou: Eis aqui minha mãe e meus irmãos.50.Todo aquele que faz a vontade de meu Pai que está nos céus, esse é meu irmão, minha irmã e minha mãe.


 Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo Rosário

domingo, 4 de julho de 2021

04 de junho dia de São Francisco Caracciolo, Confessor.


 Nasceu em 13 de outubro de 1563 no Castelo de sua familia na Villa Santa Maria, Abruzzi,Italia, como Ascanio Pisquizio.

 Nascido na nobreza, ele era parente de Santo Thomas de Aquino e do Príncipe de Nápoles. Gostava de caçada. Certa vez aos 22 anos de idade ele curou um leproso com seu toque e tomou este fato como um sinal de sua vida. Ele vendeu todos os seus bens, deu o dinheiro para os pobres foi estudar teologia em Nápoles em 1585. Ordenado em 1587. Entrou para a Cnfraria do Hábitos Brancos da Justiça( Bianchi della Giustizia) e pregava para os prisioneiros .Com João Agostinho Adorno ele fundou a Cngregaçao dos Frades Menores e passou a cuidar dos doentes e prisioneiros e receberam a aprovação do Papa Sixtus V em 1º de julho 1588 , e do Papa Gregório XIV em 18 de fevereiro de 1591 e do Papa Clemente VIII em 1º de junho de 1592.
 Escolhido superior da Congregação em Nápoles em 89 de marco de 1592 ele fez questão de fazer também as tarefas mais humildes da casa como varrer os corredores. Notável pelo seu trabalho junto aos pobres , era um fazedor de milagres e tinha o dom da profecia, e era um pregador muito popular em sua região, curava várias doenças apenas com sua benção e o sinal da cruz. O Papa Paulo V desejava que ele fosse Bispo mas recusou repetidamente, citando a o voto da Congregação que proibia aceitar qualquer alta posição na Igreja. No final de sua vida ele renunciou de suas funções e passou seu tempo em oração e a se preparar para a morte.
 Varias vezes foi encontrado embaixo da escada da casa, em êxtase.
No dia em que morreu, uma hora antes do amanhecer ele levantou-se e gritou :
“Para o Céu” e logo depois faleceu.
Faleceu em 4 de junho de 1608 em Agnone, Itália. Suas relíquias estão parte em Nápoles e parte em San Lorenzo in Lucina, Roma.
Beatificado pelo Papa Clemente XIV em 1769 e canonizado em 24 de maio de 1807 pelo Papa Pio VII.
É padroeiro da Associação dos cozinheiros italianos, escolhido em 1838.

Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dia Santo Rosário

sábado, 3 de julho de 2021

03 de julho dia de São Ireneu, Bispo, Mártir e Confessor.

03/07 Sábado
Festa de Terceira Classe
Paramentos Brancos

   Nascido na Asia proconsular, pelo menos em alguma província em seu limite, na primeira metade do século II. Não se sabe a data certa de seu nascimento. Está entre os anos 115 e 125, ou entre 130 e 142 segundo outros autores.Ainda muito jovem, tinha visto e escutado Policarpo de Esmirna (?-155) que, por sua vez - segundo uma tradição atestada por Pápias de Hierápolis - fora discípulo de João Evangelista. Durante a perseguição ordenada por Marco Aurélio, Ireneu era sacerdote na igreja de Lugdunum (atual Lyon), na Gália. O clero da cidade, muitos dos quais presos por testemunharem sua fé, enviou (em 177 ou 178) uma carta ao papa Eleutério sobre o montanismo, testemunhando os méritos de Ireneu. Quando São Potínio foi martirizado, Ireneu foi feito bispo em seu lugar. 
Durante a trégua religiosa subsequente à perseguição de Marco Aurélio, o novo bispo dividiu seu tempo entre deveres como pastor e missionário (do que temos poucas e incertas informações) e os seus escritos, quase todos dirigidos contra a heresia do Gnosticismo, que começava a se espalhar pela Gália. Neste sentido, sua obra mais famosa é chamada de Contra Heresias (Adversus haereses) até aos dias de hoje em suas versões latinas e arménias: a primeira é a "Exposição e refutação do pretenso conhecimento", em português conhecida como "Contra Heresias."       
 A data de sua morte, que deve ter ocorrido no fim do século II ou início do século III. Alguns testemunhos nesse sentido, terminado sua vida num martírio. Ele morreu por volta de 202 d.C. quando do reinado de Setímio Severo ou nas mãos de hereges. Ele foi enterrado sob a igreja de São João em Lyon, que foi posteriormente renomeada "Santo Ireneu" em sua homenagem. Porém, o túmulo e seus restos foram completamente destruídos em 1562 pelos huguenotes.

Leitura da Epístola dos 

II Timóteo 3,14-17
14. Tu, porém, permanece firme naquilo que aprendeste e creste. Sabes de quem aprendeste. 15. E desde a infância conheces as Sagradas Escrituras e sabe que elas têm o condão de te proporcionar a sabedoria que conduz à salvação, pela fé em Jesus Cristo. 16. Toda a Escritura é inspirada por Deus, e útil para ensinar, para repreender, para corrigir e para formar na justiça.17. Por ela, o homem de Deus se torna perfeito, capacitado para toda boa obra.

Sequência do Santo Evangelho


São Mateus 10,28-33
 28.Não temais aqueles que matam o corpo, mas não podem matar a alma; temei antes aquele que pode precipitar a alma e o corpo na geena.29.Não se vendem dois passarinhos por um asse? No entanto, nenhum cai por terra sem a vontade de vosso Pai.30.Até os cabelos de vossa cabeça estão todos contados.31.Não temais, pois! Bem mais que os pássaros valeis vós.32.Portanto, quem der testemunho de mim diante dos homens, também eu darei testemunho dele diante de meu Pai que está nos céus.33.Aquele, porém, que me negar diante dos homens, também eu o negarei diante de meu Pai que está nos céus.

Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo Rosário