quinta-feira, 31 de março de 2022

Quinta-feira Quarta Semana da Quaresma.

31/03 Quinta-feira 4ª Semana da Quaresma 
Festa de Terceira Classe
Paramentos Roxos

Intróito/Sal. 104, 3-4.
Alegrem-se os corações daqueles que buscam ao Senhor! Busque o Senhor, e encha-se de força, busque sua face sem cessar.Ps. ibid., 1. Louvai ao Senhor e invocai o seu nome; anunciar suas obras entre as nações. V/. Glória Patri.

Coleta
Fazei, nós vos suplicamos, ó Deus Todo-Poderoso, que, mortificando-nos com estes jejuns solenes, possamos sentir a alegria de uma santa devoção, para que, diminuindo o ardor de nossas afeições terrenas, possamos saborear mais facilmente as coisas do céu. Por Dominum.

Leitura da Epístola do livro do  

Quarto livro dos Reis 4,25-38
25 Ela partiu e chegou aonde estava o homem de Deus, no monte Carmelo. O homem de Deus, vendo-a de longe, disse ao seu servo Giezi: Aí vem a sunamita; 26 corre-lhe ao encontro e pergunta-lhe se ela vai bem, como vai o seu marido e o seu filho. Ela respondeu: Tudo vai bem. 27 Mas chegando junto do homem de Deus na montanha, pegou-lhe os pés. Giezi aproximou-se para afastá-la, mas o homem de Deus disse-lhe: Deixa-a; sua alma está cheia de amargura e o Senhor me oculta o motivo, nada me revelou. 28 A mulher disse: Pedi eu porventura um filho ao meu senhor? Não te disse que não zombasses de mim? 29 Eliseu disse a Giezi: Põe o teu cinto, toma na mão o meu bastão e parte. Se encontrares alguém, não o saúdes; e se alguém te saudar, não lhe respondas. Porás o meu bastão no rosto do menino. 30 A mãe do menino exclamou: Por Deus e pela tua vida, não te deixarei! Então Eliseu seguiu-a. 31 Entretanto, Giezi, que os tinha precedido, pôs o bastão no rosto do menino; mas não houve voz, nem sinal de vida. Ele voltou a Eliseu e disse-lhe: O menino não despertou. 32 Eliseu entrou na casa, onde estava o menino morto em cima da cama. 33 Entrou, fechou a porta atrás de si e do morto, e orou ao Senhor. 34 Depois, subiu à cama, deitou-se em cima do menino, colocou seus olhos sobre os olhos dele, suas mãos sobre as mãos dele, e enquanto estava assim estendido, o corpo do menino aqueceu-se. 35 Eliseu levantou-se, deu algumas voltas pelo quarto, tornou a subir e estendeu-se sobre o menino; este espirrou sete vezes e abriu os olhos. 36 Eliseu chamou Giezi e disse-lhe: Chama a sunamita; o que ele fez. Ela entrou e Eliseu disse-lhe: Toma o teu filho. 37 Então ela veio e lançou-se aos pés de Eliseu, prostrando-se por terra. Em seguida tomou o filho e saiu. 38 Quando Eliseu voltou a Gálgala, a fome devastava a terra. Estando os filhos dos profetas sentados diante dele, disse ao seu servo: Toma uma panela grande e prepara uma sopa para os filhos dos profetas. 

Gradual/Sal. 73, 20, 19 e 22.
Respeita, Senhor, a tua aliança e não te esqueças para sempre das almas dos teus pobres.
V /Levanta-te, Senhor, julga o teu caso, lembra-te da indignação que os teus servos suportam.

Sequência do Santo Evangelho

São Lucas 7,11-16
11 No dia seguinte dirigiu-se Jesus a uma cidade chamada Naim. Iam com ele diversos discípulos e muito povo. 12 Ao chegar perto da porta da cidade, eis que levavam um defunto a ser sepultado, filho único de uma viúva; acompanhava-a muita gente da cidade. 13 Vendo-a o Senhor, movido de compaixão para com ela, disse-lhe: Não chores! 14 E aproximando-se, tocou no esquife, e os que o levavam pararam. Disse Jesus: Moço, eu te ordeno, levanta-te. 15 Sentou-se o que estivera morto e começou a falar, e Jesus entregou-o à sua mãe. 16 Apoderou-se de todos o temor, e glorificavam a Deus, dizendo: Um grande profeta surgiu entre nós: Deus voltou os olhos para o seu povo. 

Ofertório/ Ps. 69, 2,3 e 4.
Senhor, apresse-se em me ajudar: Confunda todos aqueles que me desejam mal.

Secreta
Purifica-nos, Deus de misericórdia, para que as orações da tua Igreja, que sempre te agradam, se tornem ainda mais agradáveis ​​a ti, trazendo-te as nossas ofertas piedosas com almas livres de qualquer culpa. Por Nosso Senhor.

Prefácio da Quadragésima.Prefácio à Quaresma .
 
Comunhão/ Sal. 70, 16-17 e 18.
Senhor, lembrarei da tua justiça, só tua; Ó Deus, tu me ensinaste desde a minha juventude, e até a velhice e cabelos grisalhos, ó Deus, não me abandones.(Quem não pode comungar em especie, fazer comunhão espiritual)

Nosso Senhor Jesus Cristo numa aparição revelou a sóror Paula Maresca, fundadora do convento de Sta. Catarina de Sena de Nápoles, como se refere na sua vida, e lhe mostrou dois vasos preciosos, um de ouro e outro de prata, dizendo-lhe que conservava no vaso de ouro suas comunhões sacramentais e no de prata as espirituais. As espirituais com dependência exclusiva da piedade de Nosso Senhor Jesus Cristo, que alimentais nossa alma na solidão do coração.
“Meu Jesus, eu creio que estais realmente presente no Santíssimo Sacramento do Altar. Amo-vos sobre todas as coisas, e minha alma suspira por Vós. Mas, como não posso receber-Vos agora no Santíssimo Sacramento, vinde, ao menos espiritualmente, a meu coração. Abraço-me convosco como se já estivésseis comigo: uno-me Convosco inteiramente. Ah! não permitais que torne a separar-me de Vós” (Santo Afonso Maria de Liguori)
 
Depois da comunhão.
Imploramos-te, Senhor, que não permitas que esses dons celestiais se transformem em condenação para quem os recebe, pois providencialmente os deste aos teus fiéis como remédio. Por Nosso Senhor.

Super populum: Oremus. Humiliate capita vestra Deo.Sobre o povo: Oremos. Humilhem suas cabeças diante de Deus.
Oratio.Pópuli tui, Deus, institútor et rector, peccáta, quibus impugnátur, expélle: ut sempre tibi plácitus, et tuo munimine sit secúrus. Por Dominum. Ó Deus, fundador e guia do teu povo, remove dele as faltas que o sobrecarregam, para que, sempre agradando a ti, também eles estejam seguros sob a tua proteção. Por Nosso Senhor.Rezar


Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo Rosário. 

31 de março dia de São Benjamim,Mártir.


  São Benjamim, Diácono e Mártir.Nasceu no ano de 394 na Pérsia, e ao ser evangelizado, começou a participar da Igreja ao ponto de descobrir sua vocação ao diaconato. Serviu a Palavra e aos irmãos na caridade, chamando a atenção de muitos para Cristo.
  Chegou a ser preso por um ano, sofrendo, e se renunciasse ao nome de Jesus, seria solto. Porém, mesmo na dor, na solidão e na injustiça, ele se uniu ainda mais ao Cristo crucificado. Foi solto com a ordem de não falar mais de Jesus para ninguém, o que era impossível, pois sua vida e seu serviço evangelizavam.
  Benjamim foi canal para que muitos cegos voltassem a ver, muitos leprosos fossem curados e assim muitos corações duvidosos se abriram a Deus. Foi novamente preso, levado a publico e torturado para que renunciasse à fé. Perguntou então ao Rei, se gostaria que algum de seus súditos fosse desleal a ele. Obviamente que o rei disse que não. E assim o diácono disse que assim também ele, não poderia renunciar a sua fé, a seu Rei, Jesus Cristo. E por não renunciar a Jesus, foi martirizado. Isso no ano de 422.


Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo Rosário. 
Façam penitência.

quarta-feira, 30 de março de 2022

Quarta-feira Quarta Semana da Quaresma.

30/03 Quarta-feira
Festa de Terceira Classe
Paramentos Roxos


Intróito/Ezeq. 36, 23-26.
Quando eu tiver sido santificado em você, eu os reunirei de todos os países; e aspergirei água pura sobre vós, e sereis purificados de toda a vossa imundícia; e eu lhe darei um novo espírito.Sal. 33, 2. Bendirei o Senhor em todos os momentos; o seu louvor estará sempre na minha boca.V/. Glória Patri.

Coleta
Ó Deus, que por meio do jejum concedes aos justos a recompensa de seus méritos e aos pecadores o perdão de suas faltas, tende piedade daqueles que vos suplicam, para que a confissão de nossas culpas nos alcance a remissão. das nossas ofensas. Por Nosso Senhor.

Leitura da Epístola do livro do  

Isaías 1, 16-19
16 lavai-vos, purificai-vos. Tirai vossas más ações de diante de meus olhos. 17 Cessai de fazer o mal, aprendei a fazer o bem. Respeitai o direito, protegei o oprimido; fazei justiça ao órfão, defendei a viúva. 18 Pois bem, justifiquemo-nos, diz o Senhor. Se vossos pecados forem escarlates, tornar-se-ão brancos como a neve! Se forem vermelhos como a púrpura, ficarão brancos como a lã! 19 Se fordes dóceis e obedientes, provareis os melhores frutos da terra; 

Gradual/Pr. 38, 12 e 6.
Feliz é a nação que tem o Senhor como seu Deus; feliz o povo que ele escolheu para sua herança.
V /Os céus foram estabelecidos pela palavra do Senhor, e todo o seu exército pelo sopro de sua boca.

Tratados. Sal. 102, 10.
Senhor, não nos trates segundo os nossos pecados, e não nos castigues segundo as nossas iniqüidades.
V/. Sal. 78, 8-9.Senhor, não se lembre mais de nossas antigas iniqüidades; que suas misericórdias venham apressadamente ao nosso encontro, pois estamos reduzidos à última miséria.
(Hic genuflectitur) V/. Adiuva nos, Deus, salutáris noster: et propter glóriam nóminis tui, Dómine, libera nos: et propítius esto peccátis nostris, propter nomen tuum.Ajoelhamo-nos V/. Ajuda-nos, ó Deus, nosso Salvador, e para a glória do teu nome, Senhor, livra-nos e perdoa-nos os nossos pecados, por amor do teu nome.

Sequência do Santo Evangelho 

São João 9, 1-38
1 Caminhando, viu Jesus um cego de nascença. 2 Os seus discípulos indagaram dele: Mestre, quem pecou, este homem ou seus pais, para que nascesse cego? 3 Jesus respondeu: Nem este pecou nem seus pais, mas é necessário que nele se manifestem as obras de Deus. 4 Enquanto for dia, cumpre-me terminar as obras daquele que me enviou. Virá a noite, na qual já ninguém pode trabalhar. 5 Por isso, enquanto estou no mundo, sou a luz do mundo. 6 Dito isso, cuspiu no chão, fez um pouco de lodo com a saliva e com o lodo ungiu os olhos do cego. 7 Depois lhe disse: Vai, lava-te na piscina de Siloé (esta palavra significa emissário). O cego foi, lavou-se e voltou vendo. 8 Então os vizinhos e aqueles que antes o tinham visto mendigar perguntavam: Não é este aquele que, sentado, mendigava? 9 Respondiam alguns: É ele. Outros contestavam: De nenhum modo, é um parecido com ele. Ele, porém, dizia: Sou eu mesmo. 10 Perguntaram-lhe, então: Como te foram abertos os olhos? 11 Respondeu ele: Aquele homem que se chama Jesus fez lodo, ungiu-me os olhos e disse-me: Vai à piscina de Siloé e lava-te. Fui, lavei-me e vejo. 12 Interrogaram-no: Onde está esse homem? Respondeu: Não o sei. 13 Levaram então o que fora cego aos fariseus. 14 Ora, era sábado quando Jesus fez o lodo e lhe abriu os olhos. 15 Os fariseus indagaram dele novamente de que modo ficara vendo. Respondeu-lhes: Pôs-me lodo nos olhos, lavei-me e vejo. 16 Diziam alguns dos fariseus: Este homem não é o enviado de Deus, pois não guarda sábado. Outros replicavam: Como pode um pecador fazer tais prodígios? E havia desacordo entre eles. 17 Perguntaram ainda ao cego: Que dizes tu daquele que te abriu os olhos? É um profeta, respondeu ele. 18 Mas os judeus não quiseram admitir que aquele homem tivesse sido cego e que tivesse recobrado a vista, até que chamaram seus pais. 19 E os interrogaram: É este o vosso filho? Afirmais que ele nasceu cego? Pois como é que agora vê? 20 Seus pais responderam: Sabemos que este é o nosso filho e que nasceu cego. 21 Mas não sabemos como agora ficou vendo, nem quem lhe abriu os olhos. Perguntai-o a ele. Tem idade. Que ele mesmo explique. 22 Seus pais disseram isso porque temiam os judeus, pois os judeus tinham ameaçado expulsar da sinagoga todo aquele que reconhecesse Jesus como o Cristo. 23 Por isso é que seus pais responderam: Ele tem idade, perguntai-lho. 24 Tornaram a chamar o homem que fora cego, dizendo-lhe: Dá glória a Deus! Nós sabemos que este homem é pecador. 25 Disse-lhes ele: Se esse homem é pecador, não o sei... Sei apenas isto: sendo eu antes cego, agora vejo. 26 Perguntaram-lhe ainda uma vez: Que foi que ele te fez? Como te abriu os olhos? 27 Respondeu-lhes: Eu já vo-lo disse e não me destes ouvidos. Por que quereis tornar a ouvir? Quereis vós, porventura, tornar-vos também seus discípulos?... 28 Então eles o cobriram de injúrias e lhe disseram: Tu que és discípulo dele! Nós somos discípulos de Moisés. 29 Sabemos que Deus falou a Moisés, mas deste não sabemos de onde ele é. 30 Respondeu aquele homem: O que é de admirar em tudo isso é que não saibais de onde ele é, e entretanto ele me abriu os olhos. 31 Sabemos, porém, que Deus não ouve a pecadores, mas atende a quem lhe presta culto e faz a sua vontade. 32 Jamais se ouviu dizer que alguém tenha aberto os olhos a um cego de nascença. 33 Se esse homem não fosse de Deus, não poderia fazer nada. 34 Responderam-lhe eles: Tu nasceste todo em pecado e nos ensinas?... E expulsaram-no. 35 Jesus soube que o tinham expulsado e, havendo-o encontrado, perguntou-lhe: Crês no Filho do Homem? 36 Respondeu ele: Quem é ele, Senhor, para que eu creia nele? 37 Disse-lhe Jesus: Tu o vês, é o mesmo que fala contigo! 38 Creio, Senhor, disse ele. E, prostrando-se, o adorou.

Ofertório/ Sal. 65, 8-9 e 20.
Nações, bendizei o nosso Deus e ouvimos os acentos do seu louvor. Foi ele quem manteve minha alma viva e não permitiu que meus pés tremessem. Bendito seja Deus, que não rejeitou minha oração, nem removeu sua misericórdia de mim.

Secreta
Nós oramos e imploramos a você, ó Deus Todo-Poderoso, para que nossos pecados sejam apagados por meio desses sacrifícios, pois assim você nos dará a verdadeira saúde da alma e do corpo. Por Nosso Senhor Jesus Cristo.

Prefácio da Quadragésima.Prefácio à Quaresma .
 
Comunhão/ São João 9, 11.
O Senhor fez lama com sua saliva e ungiu meus olhos com ela. Fui embora, lavei-me, vi e acreditei em Deus.(Quem não pode comungar em especie, fazer comunhão espiritual)

Nosso Senhor Jesus Cristo numa aparição revelou a sóror Paula Maresca, fundadora do convento de Sta. Catarina de Sena de Nápoles, como se refere na sua vida, e lhe mostrou dois vasos preciosos, um de ouro e outro de prata, dizendo-lhe que conservava no vaso de ouro suas comunhões sacramentais e no de prata as espirituais. As espirituais com dependência exclusiva da piedade de Nosso Senhor Jesus Cristo, que alimentais nossa alma na solidão do coração.
“Meu Jesus, eu creio que estais realmente presente no Santíssimo Sacramento do Altar. Amo-vos sobre todas as coisas, e minha alma suspira por Vós. Mas, como não posso receber-Vos agora no Santíssimo Sacramento, vinde, ao menos espiritualmente, a meu coração. Abraço-me convosco como se já estivésseis comigo: uno-me Convosco inteiramente. Ah! não permitais que torne a separar-me de Vós” (Santo Afonso Maria de Liguori)
 
Depois da comunhão.
Ó Senhor, nosso Deus, que este sacramento, recebido por nós, restaure nossas almas, de quem é o alimento, e nos guarde, sustentando nossos corpos. Por Nosso Senhor Jesus Cristo.

Super populum: Oremus. Humiliate capita vestra Deo.Sobre o povo: Oremos. Humilhem suas cabeças diante de Deus.
Oratio.Páteant aures misericórdiæ tuæ. Dómine, précibus supplicantium: et, ut peténtibus desideráta concédas; fac eos, quæ tibi sunt plácita, postuláre. Por Dominum.RezarQue os ouvidos de tua misericórdia estejam atentos, Senhor, às orações daqueles que te suplicam e, para que atendas aos desejos daqueles que te dirigem seus pedidos, os inspire a buscar o que te agrada. Por Nosso Senhor
 
Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo Rosário. 

30 de março dia de São João Clímaco,Abade.

  

São João Clímaco nasceu em 525. São João Clímaco foi um monge do Monte Sinai na Palestina, e deve o seu cognome a um livro seu, Escada (Klímax – Clímaco) dentro de uma família cristã que passou para ele muitos valores, possibilitando a ele uma ótima formação literária. A Escada é um resumo da vida espiritual, concebida para os solitários e contemplativos. Para São João Clímaco, a oração é a mais alta expressão da vida solitária; ela se desenvolve pela eliminação das imagens e dos pensamentos.
São João Clímaco desde cedo foi discernindo sua vocação à vida religiosa. Diante do testemunho de muitos cristãos que optavam por ir ao Monte Sinai, e ali no mosteiro viviam uma radicalidade, ele deixou os bens materiais e levou os bens espirituais para o Sinai. Ali, com outros irmãos, deixou-se orientar por pessoas com mais experiência, fazendo um caminho pessoal e comunitário de santidade.
Foi atacado diversas vezes por satanás, vivendo um verdadeiro combate espiritual.
São João Clímaco buscou corresponder ao chamado de Deus por meio de duras penitências, pouca alimentação, sacrifícios, intercessão e participação nas Santas Missas.

 Daí a necessidade da ‘monologia’, isto é, a invocação curta, de uma só palavra, incansavelmente repetida, que paralisa a dispersão do espírito. Essa repetição deve assimilar-se com a respiração.
Conta-se que ele era palestino e na adolescência ingressou em um mosteiro no Monte Sinai, onde passou a dedicar sua vida às orações e à meditação. Até os 35 anos viveu desta forma, mas quando seu mestre faleceu resolveu encerrar-se em uma cela e viver à moda dos monges do deserto: jejuando, orando e estudando a Bíblia.

Durante este novo período de sua vida São João Clímaco decidiu nunca mais comer carne, fosse ela vermelha ou branca. Também passou a sair de sua cela apenas para participar da Eucaristia, aos domingos.

Já com 70 anos foi eleito bispo do Monte Sinai, muito embora preferisse continuar com sua vida isolada. Nesta época construiu hospitais para a população mais pobre, ajudado pelo papa Gregório Magno.
https://lh5.googleusercontent.com/-YRUatZ4mduw/TXRcVZx3w2I/AAAAAAAAAlE/Nzeo0ZW5fRs/s1600/The+Ladder+of+Divine+Ascent.jpgO nome de São João Clímaco é uma alusão à palavra “klímax’, que em grego significa escada. São João decidiu adotar este nome em virtude do livro escrito nos últimos quatro anos de sua vida foram dedicados a viver como ermitão. Neste período de total isolamento ele escreveu por ele mesmo, intitulado Escada para o Paraíso contem princípios religiosos pequena regras da perfeição evangélica.

Nesta obra ele explica que existem 30 degraus a serem galgados para que possamos atingir a perfeição moral. Este livro foi um grande sucesso na época e chegou até mesmo a influenciar monges e outros religiosos em sua conduta particular, tanto no Ocidente como no Oriente. A importância desta obra literária para a época pode ser notada na utilização do símbolo escada na arte bizantina.

São João Clímaco foi muito famoso como homem santo em toda a Palestina e Arábia. Viveu por volta do ano 605 e morreu 80 anos no Monte Sinai.


Viva Cristo Rei e Maria Rainha.

Rezem todos os dias o Santo Rosário. 
Façam penitência.

terça-feira, 29 de março de 2022

Terça-feira da Quarta Semana da Quaresma.

29/03 Terça-feira
Festa de Terceira Classe
Paramentos Roxos

Intróito/Sal. 54, 2-3.
Ouve, ó Deus, a minha oração, e não desprezes a minha súplica; me escute e me responda.Ps. ib., 3-4. Eu estava cheio de tristeza em minha provação, e problemas me apoderaram da voz do inimigo e da opressão do pecador. V/. Glória Patri.

Coleta
Dignai-vos, Senhor, que os jejuns que observamos neste tempo santo nos ajudem a progredir na piedade e obtenham para nós a assistência contínua de vossa misericórdia. Por Nosso Senhor Jesus Cristo.

Leitura da Epístola do livro do  

Exôdo 32,7-14
7 O Senhor disse a Moisés: ?Vai, desce, porque se corrompeu o povo que tiraste do Egito. 8 Desviaram-se depressa do caminho que lhes prescrevi; fizeram para si um bezerro de metal fundido, prostraram-se diante dele e ofereceram-lhe sacrifícios, dizendo: eis, ó Israel, o teu Deus que te tirou do Egito. 9 Vejo, continuou o Senhor, que esse povo tem a cabeça dura. 10 Deixa, pois, que se acenda minha cólera contra eles e os reduzirei a nada; mas de ti farei uma grande nação.? 11 Moisés tentou aplacar o Senhor seu Deus, dizendo-lhe: ?Por que, Senhor, se inflama a vossa ira contra o vosso povo que tirastes do Egito com o vosso poder e à força de vossa mão? 12 Não é bom que digam os egípcios: com um mau desígnio os levou, para matá-los nas montanhas e suprimi-los da face da terra! Aplaque-se vosso furor, e abandonai vossa decisão de fazer mal ao vosso povo. 13 Lembrai-vos de Abraão, de Isaac e de Israel, vossos servos, aos quais jurastes por vós mesmo de tornar sua posteridade tão numerosa como as estrelas do céu e de dar aos seus descendentes essa terra de que falastes, como uma herança eterna.? 14 E o Senhor se arrependeu das ameaças que tinha proferido contra o seu povo. 

Gradual/Pr. 43, 26 e 2.
Levanta-te, Senhor, ajuda-nos e redime-nos por amor do teu nome.
V /Ó Deus, nós ouvimos com nossos ouvidos: nossos pais nos falaram da obra que Senhor fez em seus dias e nos dias da antiguidade.

Sequência do Santo Evangelho 

São João 7,14-31
14 Lá pelo meio da festa, Jesus subiu ao templo e pôs-se a ensinar. 15 Os judeus se admiravam e diziam: Este homem não fez estudos. Donde lhe vem, pois, este conhecimento das Escrituras? 16 Respondeu-lhes Jesus: A minha doutrina não é minha, mas daquele que me enviou. 17 Se alguém quiser cumprir a vontade de Deus, distinguirá se a minha doutrina é de Deus ou se falo de mim mesmo. 18 Quem fala por própria autoridade busca a própria glória, mas quem procura a glória de quem o enviou é digno de fé e nele não há impostura alguma. 19 Acaso não foi Moisés quem vos deu a lei? No entanto, ninguém de vós cumpre a lei!... 20 Por que procurais tirar-me a vida? Respondeu o povo: Tens um demônio! Quem procura tirar-te a vida? 21 Replicou Jesus: Fiz uma só obra, e todos vós vos maravilhais! 22 Moisés vos deu a circuncisão (se bem que ela não é de Moisés, mas dos patriarcas), e até no sábado circuncidais um homem! 23 Se um homem recebe a circuncisão em dia de sábado, e isso sem violar a Lei de Moisés, por que vos indignais comigo, que tenho curado um homem em todo o seu corpo em dia de sábado? 24 Não julgueis pela aparência, mas julgai conforme a justiça. 25 Algumas das pessoas de Jerusalém diziam: Não é este aquele a quem procuram tirar a vida? 26 Todavia, ei-lo que fala em público e não lhe dizem coisa alguma. Porventura reconheceram de fato as autoridades que ele é o Cristo? 27 Mas este nós sabemos de onde vem. Do Cristo, porém, quando vier, ninguém saberá de onde seja. 28 Enquanto ensinava no templo, Jesus exclamou: Ah! Vós me conheceis e sabeis de onde eu sou!... Entretanto, não vim de mim mesmo, mas é verdadeiro aquele que me enviou, e vós não o conheceis. 29 Eu o conheço, porque venho dele e ele me enviou. 30 Procuraram prendê-lo, mas ninguém lhe deitou as mãos, porque ainda não era chegada a sua hora. 31 Muitos do povo, porém, creram nele e perguntavam: Quando vier o Cristo, fará mais milagres do que este faz? 

Ofertório/ Pr. 39, 2, 3 e 4.
Esperei e esperei novamente pelo Senhor, e ele prestou atenção em mim. Ele respondeu à minha oração e colocou um novo cântico em minha boca, um hino ao nosso Deus.

Secreta
Que esta hóstia, nós vos imploramos, Senhor, nos purifique de nossas faltas e santifique os corpos e as almas de seus fiéis para a celebração deste sacrifício. Por Nosso Senhor.

Prefácio da Quadragésima.Prefácio à Quaresma .
 
Comunhão/ Sal. 19, 6.
Regozijaremos em sua salvação e nos gloriaremos em nome de nosso Deus.(Quem não pode comungar em especie, fazer comunhão espiritual)

Nosso Senhor Jesus Cristo numa aparição revelou a sóror Paula Maresca, fundadora do convento de Sta. Catarina de Sena de Nápoles, como se refere na sua vida, e lhe mostrou dois vasos preciosos, um de ouro e outro de prata, dizendo-lhe que conservava no vaso de ouro suas comunhões sacramentais e no de prata as espirituais. As espirituais com dependência exclusiva da piedade de Nosso Senhor Jesus Cristo, que alimentais nossa alma na solidão do coração.
“Meu Jesus, eu creio que estais realmente presente no Santíssimo Sacramento do Altar. Amo-vos sobre todas as coisas, e minha alma suspira por Vós. Mas, como não posso receber-Vos agora no Santíssimo Sacramento, vinde, ao menos espiritualmente, a meu coração. Abraço-me convosco como se já estivésseis comigo: uno-me Convosco inteiramente. Ah! não permitais que torne a separar-me de Vós” (Santo Afonso Maria de Liguori)
 
Depois da comunhão.
Concede, ó Senhor, que a recepção deste sacramento nos purifique de toda culpa e nos conduza ao reino celestial. Por Nosso Senhor.

Super populum: Oremus. Humiliate capita vestra Deo.Sobre o povo: Oremos. Humilhem suas cabeças diante de Deus.
Oração.Miserére, Dómine, pópulo tuo: et contínuis tribulatiónibus laborántem, propítius respiráre concede. Por Dominum.RezarTem misericórdia de teu povo, ó Senhor, e em tua misericórdia dá-lhes algum descanso, pois é em meio a tribulações contínuas que eles buscam seus esforços. Por Nosso Senhor.

Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo Rosário. 

29 de março dia dos Santos Jonas e Barachiso, Mártires


No ano de 327 houve uma cruel perseguição da Igreja na Pér­sia. Entre as numerosas vítimas fi­guram os dois irmãos Jonas e Ba­rachiso, da cidade de Beth-Asa, que, sabendo da iminente execução de alguns cristãos, encarcerados em Hubaham, para lá se dirigiram, pa­ra consolá-los e animá-los no últi­mo combate. Nove destes presos re­ceberam a coroa do martírio.
Imediatamente depois foram Jo­nas e Barachiso levados à presença do juiz. Este com todo o empenho quis persuadir-lhes que era neces­sário adorar o rei dos reis, isto é, o imperador da Pérsia, e também o sol e a lua. “Não é mais convenien­te adorar o Rei imortal do céu e da terra do que um homem mortal?” obtemperaram os dois irmãos. O juiz mandou separá-los. Barachiso foi metido no cárcere e Jonas bar­baramente açoitado. Enquanto lhe aplicavam tal suplício, Jonas elevou o espírito a Deus e ofereceu-lhe o sacrifício da vida pela fé. Depois lhe ataram os pés e atiraram-no nu­ma lagoa coberta de gelo.
Pela tarde do mesmo dia recome­çou o inquérito de Barachiso. Dis­seram-lhe que o irmão havia sacri­ficado aos deuses. Barachiso respondeu-lhes: “Isto não acredito, porque conheço bem meu irmão, que não é capaz de adorar criatu­ras”. Em seguida fez uma defesa tão brilhante da religião cristã, que o próprio juiz se admirou. Temen­do, porém, que um ou outro dos circunstantes, pela eloquência de Ba­rachiso, abandonasse a religião oficial, determinou que só à noite e com exclusão do povo, fosse conti­nuado o inquérito. Ao mesmo tempo mandou que colocassem nos bra­ços do mártir ferros em brasa. “Pe­la fortuna do reino, disse-lhe o juiz! Se deixares cair um destes ferros, para nós é sinal de teres abandona­do tua fé”. Barachiso respondeu: “Não temo vosso fogo e não deixa­rei cair os instrumentos do meu martírio; peço-vos que apliqueis em mim de vez toda a sorte de suplícios. Quem combate por Deus, não desfalece”. Os magos, no auge da fúria, deitaram-lhe chumbo derreti­do nas narinas e nos olhos e fecha­ram-no, novamente no cárcere, pen­durando-o por um pé.
No dia seguinte tiraram Jonas da água e, estando ele ainda vivo, per­guntaram-lhe: “Como passaste a noite? Sem dúvida não sofreste pouco”. Jonas replicou: “Nunca pas­sei noite como esta; a Paixão de Nosso Senhor Jesus Cristo foi para mim manancial de consolo”. Os Persas disseram-lhe: “Teu irmão abjurou”. “Sei que ele abjurou, res­pondeu Jonas, mas ao demônio e às suas obras”. Os Persas: “Cuidado com tua vida!” Jonas: “Se sois sábios como pretendeis, dizei-me: não é melhor semear a semente, do que guardá-la no celeiro, sob o pre­texto de defendê-la contra a chuva e mau tempo? Esta vida é uma semente, que traz frutos belíssimos da eterna glória”. Os Persas: “vos­sos livros já têm enganado muita gente”. Jonas: “É verdade que afas­taram já a muitos dos prazeres mundanos. Um verdadeiro cristão, em cujo coração arde a chama do amor a Jesus Cristo, despreza as riquezas e honras deste mundo; só um desejo o anima, o de ver o ver­dadeiro Rei, cujo reino é eterno e cujo poder se estende sobre o mun­do visível e invisível”.
Foram estas as últimas palavras do Mártir. Os magos atiraram-se sobre ele, cortaram-lhe as mãos e os pés, arrancaram-lhe a língua, tiraram-lhe o couro cabeludo e me­teram-lhe o corpo em piche em ebulição. Vendo que o fogo e o calor não lhe fizeram mal, cortaram-lhe o corpo em pedaços e jogaram-nos dentro de uma cisterna, que foi guardada por uma sentinela, para impedir que os cristãos se apode­rassem das relíquias.
Barachiso teve uma morte igual­mente terrível: Os bárbaros bate­ram-lhe com ferros pontuados, fi­zeram-no rolar pelo chão deitaram-lhe piche e enxofre ferventes na boca e maltrataram-no, até que não des­se mais sinal de vida.
Abstuciatos, amigo dos dois ir­mãos, comprou aos Persas os cor­pos dos Mártires.
O comandante da cavalaria do imperador Sapor, chamado Isaias, como testemunha ocular, escreveu a história do martírio de Jonas e Barachiso, concluindo da maneira seguinte: “Assim estes mártires lu­taram e venceram, oxalá Isaias pos­sa merecer-lhes a intercessão!” Jo­nas e Barachiso foram martirizados em 327, no décimo oitavo ano do governo do imperador Sapor.

Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo.

segunda-feira, 28 de março de 2022

Segunda-feira.Quarta Semana da Quaresma.

28/03  Segunda-feira
Festa de Terceira Classe
Paramentos Roxos

Intróito/Sal. 53, 3-4.
Deus, salve-me pelo seu nome e me dê justiça pelo seu poder. Ó Deus, ouça minha oração; dá ouvidos às palavras da minha boca.Sal. 121,  Pois estranhos se levantaram contra mim, e valentes tentaram tirar-me a vidaV/. Glória Patri.

Coleta
Dá-nos a graça, ó Deus Todo-Poderoso, de que, praticando todos os anos estas santas observâncias com fidelidade religiosa, possamos agradar-te em corpo e alma. Por Nosso Senhor.

Leitura da Epístola do livro 

Terceiro livros Reis 3,16-28
16 Vieram duas prostitutas apresentar-se ao rei. 17 Uma delas disse: Ouve, meu senhor: Esta mulher e eu habitamos na mesma casa, e eu dei à luz junto dela no mesmo aposento. 18 Três dias depois, deu também ela à luz. Ora, nós vivemos juntas, e não havia nenhum estranho conosco nessa casa, pois somente nós duas estávamos ali. 19 Durante a noite morreu o filho dessa mulher, porque o abafou enquanto dormia. 20 Levantou-se ela então, no meio da noite, e enquanto a tua serva dormia, tomou o meu filho que estava junto de mim e o deitou em seu seio, deixando no meu o seu filho morto. 21 Quando me levantei pela manhã para amamentar o meu filho, encontrei-o morto; mas, examinando-o atentamente à luz, verifiquei que não era o filho que eu dera à luz. 22 É mentira!, replicou a outra mulher, o que está vivo é meu filho; o teu é que morreu. A primeira contestou: Não é assim; o teu filho é o que morreu, o que está vivo é o meu. E assim disputavam diante do rei. 23 O rei disse então: Tu dizes: é o meu filho que está vivo, e o teu é o que morreu; e tu replicas: não é assim; é o teu filho que morreu, e o meu é o que está vivo. 24 Vejamos, continuou o rei; trazei-me uma espada. Trouxeram ao rei uma espada. 25 Cortai pelo meio o menino vivo, disse ele, e dai metade a uma e metade à outra. 26 Mas a mulher, mãe do filho vivo, sentiu suas entranhas enternecerem-se e disse ao rei: Rogo-te, meu senhor, que dês a ela o menino vivo; não o mateis; a outra, porém, dizia: Ele não será nem teu, nem meu; seja dividido! 27 Então o rei pronunciou o seu julgamento: Dai, disse ele, o menino vivo a essa mulher; não o mateis, pois é ela a sua mãe. 28 Todo o Israel, ouvindo o julgamento pronunciado pelo rei, encheu-se de respeito por ele, pois via-se que o inspirava a sabedoria divina para fazer justiça.

Gradual/Sal. 30, 3.
Seja eu um Deus protetor e uma casa de refúgio, para que você me salve.
V / Sal. 70,1 Ó Deus, tenho esperado em ti, Senhor, que nunca serei confundido.

Trato/ Sal. 102, 10.
Senhor, não nos trates segundo os nossos pecados, e não nos castigues segundo as nossas iniqüidades.
V/. Sal. 78, 8-9.Senhor, não se lembre mais de nossas antigas iniqüidades; que suas misericórdias venham apressadamente ao nosso encontro, pois estamos reduzidos à última miséria.
(Hic genuflectitur) V/. Adiuva nos, Deus, salutáris noster: et propter glóriam nóminis tui, Dómine, libera nos: et propítius esto peccátis nostris, propter nomen tuum Ajoelhamo-nos V/. Ajuda-nos, ó Deus, nosso Salvador, e para a glória do teu nome, Senhor, livra-nos e perdoa-nos os nossos pecados, por amor do teu nome.

Sequência do Santo Evangelho 

São João 2,13-25
13 Estava próxima a Páscoa dos judeus, e Jesus subiu a Jerusalém. 14 Encontrou no templo os negociantes de bois, ovelhas e pombas, e mesas dos trocadores de moedas. 15 Fez ele um chicote de cordas, expulsou todos do templo, como também as ovelhas e os bois, espalhou pelo chão o dinheiro dos trocadores e derrubou as mesas. 16 Disse aos que vendiam as pombas: Tirai isto daqui e não façais da casa de meu Pai uma casa de negociantes. 17 Lembraram-se então os seus discípulos do que está escrito: O zelo da tua casa me consome (Sl 68,10). 18 Perguntaram-lhe os judeus: Que sinal nos apresentas tu, para procederes deste modo? 19 Respondeu-lhes Jesus: Destruí vós este templo, e eu o reerguerei em três dias. 20 Os judeus replicaram: Em quarenta e seis anos foi edificado este templo, e tu hás de levantá-lo em três dias?! 21 Mas ele falava do templo do seu corpo. 22 Depois que ressurgiu dos mortos, os seus discípulos lembraram-se destas palavras e creram na Escritura e na palavra de Jesus. 23 Enquanto Jesus celebrava em Jerusalém a festa da Páscoa, muitos creram no seu nome, à vista dos milagres que fazia. 24 Mas Jesus mesmo não se fiava neles, porque os conhecia a todos. 25 Ele não necessitava que alguém desse testemunho de nenhum homem, pois ele bem sabia o que havia no homem.

Ofertório/ Sal. 99, 1-2.
Louvado seja Deus, toda a terra; servir ao Senhor com alegria. Entre em sua presença com alegria, pois o Senhor é Deus.

Secreta
Este sacrifício é oferecido a ti, ó Senhor, que ele sempre nos dê vida e nos forneça sua ajuda. Por Nosso Senhor.

Prefácio da Quadragésima.Prefácio à Quaresma .
 
Comunhão/ Sal. 18, 13 e 14.
Purifica-me, Senhor, de minhas faltas ocultas, e preserva teu servo da corrupção de estranhos.(Quem não pode comungar em especie, fazer comunhão espiritual)

Nosso Senhor Jesus Cristo numa aparição revelou a sóror Paula Maresca, fundadora do convento de Sta. Catarina de Sena de Nápoles, como se refere na sua vida, e lhe mostrou dois vasos preciosos, um de ouro e outro de prata, dizendo-lhe que conservava no vaso de ouro suas comunhões sacramentais e no de prata as espirituais. As espirituais com dependência exclusiva da piedade de Nosso Senhor Jesus Cristo, que alimentais nossa alma na solidão do coração.
“Meu Jesus, eu creio que estais realmente presente no Santíssimo Sacramento do Altar. Amo-vos sobre todas as coisas, e minha alma suspira por Vós. Mas, como não posso receber-Vos agora no Santíssimo Sacramento, vinde, ao menos espiritualmente, a meu coração. Abraço-me convosco como se já estivésseis comigo: uno-me Convosco inteiramente. Ah! não permitais que torne a separar-me de Vós” (Santo Afonso Maria de Liguori)
 
Depois da comunhão.
Tendo ingerido este salutar sacramento, nós Vos suplicamos, Senhor, concedei-nos a bênção da eterna redenção. Por Nosso Senhor.

Super populum: Oremus. Humiliate capita vestra Deo.Sobre o povo: Oremos. Humilhem suas cabeças diante de Deus.Oração.Deprecatiónem nostram, quǽsumus. Dómine, benígnus exáudi: et, quibus supplicándi præstas afféctum, tríbue defensiónis auxílio. Por Dominum.Rezar Nós Vos pedimos sinceramente, Senhor, conceda em sua benevolência nossas súplicas e conceda a assistência de sua proteção àqueles a quem você dá a vontade de orar a você. Por Nosso Senhor.

Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo Rosário. 

28 de março dia de São João de Capistrano, Confessor.


    Ele nasceu em Capistrano, Itália em 1386, estudou leis e tornou-se governador de Peruvia, Itália em 1412.Sua vida foi somente dedicada ao espírito. Durante trinta anos fez rigoroso jejum, duras penitências e se dedicou às orações. Trabalhou com energia, evangelizando na Itália, França, Alemanha, Áustria, Hungria, Polônia e Rússia. Tornou-se grande pregador e os registros mostram, que, após sua pregação, muitos jovens decidiam entrar na Ordem de São Francisco de Assis. em 1416 amigo e aluno de São Bernardino de Siena. Ele foi ordenado em 1420. Após uma carreira notável como franciscano João foi convidado a ser o legado papal na Palestina, Milão, Sicília, Áustria, Bavária, Polônia, Bohemia e Silésia para combater os "hussites" (seguidores de Jan Hus).
  Foi conselheiro de quatro papas. Com 70 anos, defendeu a Itália numa guerra que ajudou a vencer. A famosa batalha de Belgrado, contra os invasores turcos muçulmanos. . .
  João de Capistrano com seus setenta anos de idade foi a luta, quando um enorme exército ameaçava tomar toda a Europa, pois já dominava mais de duzentas cidades. O papa Calisto III o designou como pregador de uma cruzada, que defenderia o continente. Com ele à frente, os cristãos tiveram de combater um exército dez vezes maior. A guerra já estava quase perdida e os soldados estavam a ponto de desfalecer, quando surgiu João animando a todos, percorrendo as fileiras e mantendo-os estimulados na fé em Cristo. Agiu assim durante onze dias e onze noites sem cessar. Espantados com a atitude de João, os guerreiros muçulmanos apavoraram-se, o exército se desorganizou e os soldados cristãos dominaram o campo de batalha até a vitória final.
  Vitória que, embora preferisse manter o anonimato, foi atribuída a João de Capistrano. Depois disso, retirou-se para o Convento de Villach, na Áustria, onde morreu três meses depois, no dia 23 de outubro de 1456. João encarava esses homens e mulheres como hereges e com implacável hostilidade, e seus métodos eram tão obstinados que ele às vezes foi reprovado. Quando os turcos capturaram Constantinopla, (hoje Istambul), a capital do Império Bizantino em 1453, João se devotou a uma incansável cruzada contra os Otomanos que estavam avançando sobre os Balcãs.
  João conseguiu uma audiência com o General Janos Hunyadi. Hunyadi inspirado pelo santo reuniu os húngaros que resistiram aos turcos e ele pessoalmente comandou uma ala do exercito cristão na batalha de Belgrado em 1456. A vitória de Belgrado salvou a Europa de ser conquistada pelos turcos.
 Na arte Litúrgica da Igreja ele é representado como um franciscano apontando um crucifixo que ele segura; ou 2) com um crucifixo e uma lança; ou 3) pisando em um turbante; ou 4) pregando com anjos e um rosário e o emblema IHS acima dele; ou 5) com a bandeira com a cruz em seu peito.
 Ele morreu em 23 de outubro de 1456 em Vilach, Áustria de uma praga que varreu a região. O seu culto se mantém vivo até os nossos dias, sendo celebrado no dia de sua morte tanto no Oriente e como no Ocidente. 
  São João Capistrano foi canonizado em 1724 papa Bento XIII.São João de Capistrano é o padroeiro dos juízes.
(Contam que foi tão grande era a revolta dos protestantes a veemência de João, que mais tarde, em 1526, os Calvinistas jogaram suas relíquias em um poço).

Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo.

domingo, 27 de março de 2022

Quarto Domingo da Semana da Quaresma.

27/03 Domingo 
Festa de Terceira Classe
Paramentos Rosas


Intróito/Is. 66, 10 e 11.
Alegre-se, Jerusalém, e reúna todos os que a amam; regozijai-vos com ela, vós que estais tristes, para que exulteis e vos farteis no seio das vossas consolações.Sal. 121, 1.Alegrei-me com o que me foi dito: Entraremos na casa do Senhor. V/. Glória Patri.

Coleta
Por favor, Deus Todo-Poderoso, deixe-nos, justamente aflitos por causa de nossos pecados, respirar a consolação de sua graça. Por Nosso Senhor Jesus Cristo.

Leitura da Epístola de São Paulo as  

Gálatas 4, 22 -31
22.A Escritura diz que Abraão teve dois filhos, um da escrava e outro da livre. 23.O da escrava, filho da natureza; e o da livre, filho da promessa. 24.Nestes fatos há uma alegoria, visto que aquelas mulheres representam as duas alianças: uma, a do monte Sinai, que gera para a escravidão, é Agar. 25.(O monte Sinai está na Arábia.) Corresponde à Jerusalém atual, que é escrava com seus filhos. 26.Mas a Jerusalém lá do alto é livre e esta é a nossa mãe, 27.porque está escrito: Alegra-te, ó estéril, que não davas à luz; rejubila e canta, tu que não tinhas dores de parto, pois são mais numerosos os filhos da abandonada do que daquela que tem marido (Is 54,1). 28.Como Isaac, irmãos, vós sois filhos da promessa. 29.Como naquele tempo o filho da natureza perseguia o filho da promessa, o mesmo se dá hoje. 30.Que diz, porém, a Escritura? Lança fora a escrava e seu filho, porque o filho da escrava não será herdeiro com o filho da livre (Gn 21,10). 31.Pelo que, irmãos, não somos filhos da escrava, mas sim da que é livre.

Gradual/Sal. 121, 1 e 7.
Alegrei-me com o que me foi dito: Entraremos na casa do Senhor.
V / A paz esteja nas tuas fortalezas e a abundância nas tuas torres.

Trato/ Sal. 124, 1-2.
Aqueles que confiam no Senhor são como o Monte Sião. Aquele que habita em Jerusalém jamais será abalado.
V/.As montanhas estão ao seu redor; e o Senhor está ao redor de seu povo, agora e para sempre.

Sequência do Santo Evangelho 

São João 6, 1-15
1.Depois disso, atravessou Jesus o lago da Galiléia (que é o de Tiberíades.) 2.Seguia-o uma grande multidão, porque via os milagres que fazia em beneficio dos enfermos. 3.Jesus subiu a um monte e ali se sentou com seus discípulos. 4.Aproximava-se a Páscoa, festa dos judeus. 5.Jesus levantou os olhos sobre aquela grande multidão que vinha ter com ele e disse a Filipe: Onde compraremos pão para que todos estes tenham o que comer? 6.Falava assim para o experimentar, pois bem sabia o que havia de fazer. 7.Filipe respondeu-lhe: Duzentos denários de pão não lhes bastam, para que cada um receba um pedaço. 8.Um dos seus discípulos, chamado André, irmão de Simão Pedro, disse-lhe: 9.Está aqui um menino que tem cinco pães de cevada e dois peixes... mas que é isto para tanta gente? 10.Disse Jesus: Fazei-os assentar. Ora, havia naquele lugar muita relva. Sentaram-se aqueles homens em número de uns cinco mil. 11.Jesus tomou os pães e rendeu graças. Em seguida, distribuiu-os às pessoas que estavam sentadas, e igualmente dos peixes lhes deu quanto queriam. 12.Estando eles saciados, disse aos discípulos: Recolhei os pedaços que sobraram, para que nada se perca. 13.Eles os recolheram e, dos pedaços dos cinco pães de cevada que sobraram, encheram doze cestos. 14.À vista desse milagre de Jesus, aquela gente dizia: Este é verdadeiramente o profeta que há de vir ao mundo. 15.Jesus, percebendo que queriam arrebatá-lo e fazê-lo rei, tornou a retirar-se sozinho para o monte.

Ofertório/ Sal. 134, 3 e 6.
Louvai ao Senhor, porque ele é bom; cantai para a glória do seu nome, porque ele é doce; tudo o que quis, o Senhor fez no céu e na terra.

Secreta
Olhe favoravelmente para este sacrifício presente, nós te imploramos, Senhor, que ele possa aumentar nossa devoção e contribuir para nossa salvação. Por Nosso Senhor.

Prefácio da Quadragésima.Prefácio à Quaresma .
 
Comunhão/ Sal. 121,3-4.
Jerusalém que é construída como uma cidade, todas as partes da qual estão juntas. Pois é para lá que subiram as tribos, as tribos do Senhor, para celebrar o teu nome, ó Senhor!(Quem não pode comungar em especie, fazer comunhão espiritual)

Nosso Senhor Jesus Cristo numa aparição revelou a sóror Paula Maresca, fundadora do convento de Sta. Catarina de Sena de Nápoles, como se refere na sua vida, e lhe mostrou dois vasos preciosos, um de ouro e outro de prata, dizendo-lhe que conservava no vaso de ouro suas comunhões sacramentais e no de prata as espirituais. As espirituais com dependência exclusiva da piedade de Nosso Senhor Jesus Cristo, que alimentais nossa alma na solidão do coração.
“Meu Jesus, eu creio que estais realmente presente no Santíssimo Sacramento do Altar. Amo-vos sobre todas as coisas, e minha alma suspira por Vós. Mas, como não posso receber-Vos agora no Santíssimo Sacramento, vinde, ao menos espiritualmente, a meu coração. Abraço-me convosco como se já estivésseis comigo: uno-me Convosco inteiramente. Ah! não permitais que torne a separar-me de Vós” (Santo Afonso Maria de Liguori)
 
Depois da comunhão.
Dá-nos, por favor, ó Deus misericordioso, que tratemos com sincero respeito as tuas coisas santas, que nos alimentam constantemente, e abordámo-las com espírito de fé. Por Nosso Senhor Jesus Cristo.

Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo Rosário. 

27 de março dia de São João Damasceno, confessor e Doutor da Igreja


De família árabe, mas cristã de religião e socialmente bem situada, nasceu São João por volta do ano 675, em Damasco (Síria), quando Damasco já se encontrava sob o domínio muçulmano.

Sólida doutrina Cristo lógica
Valendo-se de uma terminologia perfeita do ponto de vista teológico, São João Damasceno exalta em suas homilias os mistérios de Nosso Senhor e refuta os erros cristológicos correntes naqueles tempos. Afirmando a plena união do Verbo Encarnado com Deus Pai e Deus Espírito Santo, desqualifica o monofisismo, que pretende ver a natureza humana de Cristo absorvida pela divindade; o nestorianismo, que considera Nosso Senhor como uma pessoa humana na qual o Verbo haveria estabelecido sua morada como num templo ou mansão, sem assumir de fato a natureza do homem; ou o monotelismo que nega a existência da vontade humana n'Ele.

Assim, por exemplo, em sua homilia sobre a Transfiguração do Senhor, ecoam os ensinamentos antimonofisistas do Concílio de Calcedônia, realizado em 451: "Como é possível que coisas incomunicáveis se misturem e permaneçam sem confundir-se? Como podem se unir uns elementos inconciliáveis, sem perder as características próprias da natureza? Precisamente isto é o que se efetua na união hipostática, de maneira tal que os elementos que se unem formam um só ser e uma só pessoa, mas conservando a unidade pessoal e a duplicidade de naturezas, numa diversidade indivisível e numa união sem confusão, que se realiza mediante a encarnação do Verbo imutável e a incompreensível e definitiva divinização da carne mortal. Como consequência dessa permuta, dessa recíproca comunicação sem confusão e da perfeita união hipostática, os atributos humanos vêm a pertencer a Deus e os divinos chegam a pertencer a um homem. Um só é, com efeito, aquele que, sendo Deus desde sempre, depois Se faz homem".

Com igual fé e profundidade teológica, o santo de Damasco não teme abordar um tema pouco tratado por teólogos mais recentes: o que aconteceu com a alma de Cristo após sua morte? A divindade separou-se da alma humana e do corpo do Senhor?

Explica ele: "Embora a alma santa e divina tenha se separado do corpo incontaminado e vivificante, a divindade do Verbo não se separou de nenhum desses dois elementos, ou seja, nem do corpo nem da alma, por efeito da indivisa união hipostática das duas naturezas, que se realizou na concepção efetuada no seio da santa Virgem Maria, Mãe de Deus. Assim resulta que, inclusive ao produzir-se a morte, continua havendo em Cristo uma só pessoa, que é o Verbo divino, e depois da morte do Senhor, nesta pessoa seguem subsistindo a alma e o corpo".

Homilias sobre Nossa Senhora
Não são menos belas e esplendorosas as homilias do Damasceno sobre Nossa Senhora. Elas nos mostram como a devoção à Santíssima Virgem vem desde os primeiros tempos do Cristianismo, como o amor a Ela era muito patente já na época de Santo Inácio de Antioquia, que foi discípulo do Apóstolo João, de São Justino (†165) e de Santo Irineu (†202).

Nessas homilias se encontram em germe os elementos doutrinários que, séculos depois, facilitaram a proclamação de diversos dogmas marianos, como o da Imaculada Conceição e o da Assunção da Virgem Maria em corpo e alma aos Céus.

Cabe ressaltar nelas, além da profundidade teológica, o entusiasmo e o amor de seu autor à Santíssima Virgem. "La raison parle, mais l'amour chante" (a razão fala, mas o amor canta), escreveu o romancista Alfred de Vigny. Em São João Damasceno, a razão disserta e o amor canta, ao tratar d'Aquela que foi achada digna de ser a Mãe do Redentor.

Eis como ele entoa louvores à virgindade perpétua de Maria: "Ó Joaquim e Ana, casal bem-aventurado e verdadeiramente irrepreensível! Vós levastes uma vida agradável a Deus e digna d'Aquela de quem vos tornastes pais. Tendo vivido com pureza e santidade, gerastes a joia da virgindade, ou seja, Aquela que foi virgem antes do parto, virgem no parto e virgem depois do parto. Aquela que é a Virgem por excelência, virgem para sempre, virgem perpétua no espírito, na alma e no corpo".

E com quanta beleza literária, servindo-se de figuras extraídas do Antigo Testamento, nos ensina ser Maria Mãe de Deus: "Ó Virgem, claramente prefigurada na sarça, nas tábuas escritas por Deus, na arca da lei, no vaso de ouro, no candelabro, na mesa e na vara de Aarão que floresceu. De Vós, com efeito, procede a chama da divindade, o Verbo e manifestação do Pai, o maná suavíssimo e celestial, o nome inefável que está acima de todo nome, a luz eterna e inacessível, o celeste pão de vida. De Vós brotou corporalmente aquele fruto que não é resultado do trabalho de nenhum cultivador".

Essa capacidade de unir doutrina, poesia e fervor, é exemplo típico do que Urs Von Balthasar chama "teologia de joelhos", em oposição à "teologia de escritório", tão habitual nos dias atuais.

Prenunciador do dogma da Assunção
São João Damasceno comparte uma opinião generalizada entre os Santos Padres, de que há uma estreita relação entre a virgindade perpétua de Maria e a incorrupção de seu corpo virginal depois da morte. Ao ponto de que, em trechos como os mencionados a seguir, ele prenuncia o dogma da Assunção de Maria ao Céu, em corpo e alma.

"Convinha que aquela que no parto manteve ilibada virgindade conservasse o corpo incorrupto mesmo depois da morte. Convinha que aquela que trouxe no seio o Criador encarnado, habitasse entre os divinos tabernáculos. [...] Convinha que
a Mãe de Deus possuísse o que era do Filho, e que fosse venerada por todas as criaturas como Mãe e Serva do mesmo Deus".

Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo.