sexta-feira, 31 de março de 2023

31 de março dia de São Benjamim,Mártir.


  São Benjamim, Diácono e Mártir.Nasceu no ano de 394 na Pérsia, e ao ser evangelizado, começou a participar da Igreja ao ponto de descobrir sua vocação ao diaconato. Serviu a Palavra e aos irmãos na caridade, chamando a atenção de muitos para Cristo.
  Chegou a ser preso por um ano, sofrendo, e se renunciasse ao nome de Jesus, seria solto. Porém, mesmo na dor, na solidão e na injustiça, ele se uniu ainda mais ao Cristo crucificado. Foi solto com a ordem de não falar mais de Jesus para ninguém, o que era impossível, pois sua vida e seu serviço evangelizavam.
  Benjamim foi canal para que muitos cegos voltassem a ver, muitos leprosos fossem curados e assim muitos corações duvidosos se abriram a Deus. Foi novamente preso, levado a publico e torturado para que renunciasse à fé. Perguntou então ao Rei, se gostaria que algum de seus súditos fosse desleal a ele. Obviamente que o rei disse que não. E assim o diácono disse que assim também ele, não poderia renunciar a sua fé, a seu Rei, Jesus Cristo. E por não renunciar a Jesus, foi martirizado. Isso no ano de 422.


Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo Rosário. 
Façam penitência.

quinta-feira, 30 de março de 2023

Quinta-feira da Paixão.

30/03 Quinta-feira da Paixão 
Festa de Terceira Classe
Paramentos Roxos

Intróito/ Dan. 3, 31.
Tudo o que nos fizeste, Senhor, é por verdadeira justiça que o fizeste; porque pecamos contra ti, e não obedecemos aos teus mandamentos; mas dá glória ao teu nome, e trata-nos segundo a multidão das tuas misericórdias.Sal. 118, 1.  Bem-aventurados os que são imaculados no caminho, que andam na lei do Senhor.V/. Glória Patri.

Coleta
Imploramos-te, ó Deus Todo-Poderoso, que a dignidade da natureza humana, que foi ferida pela intemperança, seja restaurada por meio desta abstinência salutar. Por Nosso Senhor Jesus Cristo.

Leitura da Epístola do livro do profeta

Daniel 3.25,34-45
25 Azarias, em pé bem no meio do fogo, fez a seguinte oração:34 Pelo amor de vosso nome, não nos abandoneis para sempre; não destruais de modo algum vossa aliança. 35 Não nos retireis vossa misericórdia em consideração a Abraão, vosso amigo, Isaac, vosso servo, Israel, vosso santo, 36 aos quais prometestes multiplicar sua descendência como as estrelas do céu e a areia que se encontra à beira do mar. 37 Senhor, fomos reduzidos a nada diante das nações, fomos humilhados diante de toda a terra: tudo, devido a nossos pecados! 38 Hoje, já não há príncipe, nem profeta, nem chefe, nem holocausto, nem sacrifício, nem oblação, nem incenso, nem mesmo um lugar para vos oferecer nossas primícias e encontrar misericórdia. 39 Entretanto, que a contrição de nosso coração e a humilhação de nosso espírito nos permita achar bom acolhimento junto a vós, Senhor, 40 como (se nós nos apresentássemos) com um holocausto de carneiros, de touros e milhares de gordos cordeiros! Que assim possa ser hoje o nosso sacrifício em vossa presença! Que possa (reconciliar-nos) convosco, porque nenhuma confusão existe para aqueles que põem em vós sua confiança. 41 É de todo nosso coração que nós vos seguimos agora, que nós vos reverenciamos, que buscamos vossa face. 42 Não nos confundais; tratai-nos com vossa habitual doçura e com todas as riquezas de vossa misericórdia. 43 Ponde em execução vossos prodígios para nos salvar, Senhor, e cobri vosso nome de glória. 44 Que sejam então confundidos aqueles que maltratam vossos servos, que eles sofram a vergonha de ver a ruína de seu poderio e o aniquilamento de sua força. 45 Assim saberão que sois o Senhor, o Deus único e glorioso sobre toda a superfície da terra.

Gradual/Sal. 95, 8-9.
Faça vítimas e entre em seus tribunais: adore o Senhor em seu santo tabernáculo.
V /Ps. 28, 9.O Senhor descobrirá as trevas: e no seu templo todos proclamarão a sua glória.

Sequência do Santo Evangelho  

São Lucas 7, 36-50
36 Um fariseu convidou Jesus a ir comer com ele. Jesus entrou na casa dele e pôs-se à mesa. 37 Uma mulher pecadora da cidade, quando soube que estava à mesa em casa do fariseu, trouxe um vaso de alabastro cheio de perfume; 38 e, estando a seus pés, por detrás dele, começou a chorar. Pouco depois suas lágrimas banhavam os pés do Senhor e ela os enxugava com os cabelos, beijava-os e os ungia com o perfume. 39 Ao presenciar isto, o fariseu, que o tinha convidado, dizia consigo mesmo: Se este homem fosse profeta, bem saberia quem e qual é a mulher que o toca, pois é pecadora. 40 Então Jesus lhe disse: Simão, tenho uma coisa a dizer-te. Fala, Mestre, disse ele. 41 Um credor tinha dois devedores: um lhe devia quinhentos denários e o outro, cinqüenta. 42 Não tendo eles com que pagar, perdoou a ambos a sua dívida. Qual deles o amará mais? 43 Simão respondeu: A meu ver, aquele a quem ele mais perdoou. Jesus replicou-lhe: Julgaste bem. 44 E voltando-se para a mulher, disse a Simão: Vês esta mulher? Entrei em tua casa e não me deste água para lavar os pés; mas esta, com as suas lágrimas, regou-me os pés e enxugou-os com os seus cabelos. 45 Não me deste o ósculo; mas esta, desde que entrou, não cessou de beijar-me os pés. 46 Não me ungiste a cabeça com óleo; mas esta, com perfume, ungiu-me os pés. 47 Por isso te digo: seus numerosos pecados lhe foram perdoados, porque ela tem demonstrado muito amor. Mas ao que pouco se perdoa, pouco ama. 48 E disse a ela: Perdoados te são os pecados. 49 Os que estavam com ele à mesa começaram a dizer, então: Quem é este homem que até perdoa pecados? 50 Mas Jesus, dirigindo-se à mulher, disse-lhe: Tua fé te salvou; vai em paz.

Ofertório/ Sal. 136, 1.
Junto aos rios da Babilônia nos sentamos e choramos ao nos lembrarmos de Sião.

Secreta
Senhor nosso Deus, que ordenaste que, de preferência, entre as coisas criadas por ti para o sustento de nossa natureza frágil, que os dons a serem dedicados ao teu santo nome também sejam escolhidos, conceda, nós te suplicamos, que esses dons valem a ajuda na vida presente e tornam-se para nós um penhor da eternidade. Por Nosso Senhor Jesus Cristo.

Prefácio de Cruce; quæ dicitur usque ad Feriam V in Cena Domini inclusive, iuxta Rubricas. Prefácio à Santa Cruz .
 
Comunhão/ Sal. 118, 49-50.
Lembre-se da palavra que Senhor falou ao seu servo; por ela me deste esperança, eis o que me consolou na minha humilhação(Quem não pode comungar em especie, fazer comunhão espiritual)

Nosso Senhor Jesus Cristo numa aparição revelou a sóror Paula Maresca, fundadora do convento de Sta. Catarina de Sena de Nápoles, como se refere na sua vida, e lhe mostrou dois vasos preciosos, um de ouro e outro de prata, dizendo-lhe que conservava no vaso de ouro suas comunhões sacramentais e no de prata as espirituais. As espirituais com dependência exclusiva da piedade de Nosso Senhor Jesus Cristo, que alimentais nossa alma na solidão do coração.
“Meu Jesus, eu creio que estais realmente presente no Santíssimo Sacramento do Altar. Amo-vos sobre todas as coisas, e minha alma suspira por Vós. Mas, como não posso receber-Vos agora no Santíssimo Sacramento, vinde, ao menos espiritualmente, a meu coração. Abraço-me convosco como se já estivésseis comigo: uno-me Convosco inteiramente. Ah! não permitais que torne a separar-me de Vós” (Santo Afonso Maria de Liguori)
 
Depois da comunhão.
Concede, ó Senhor, que o que tiramos de nossos lábios, guardemos em uma alma pura e que o benefício recebido no tempo se torne para nós um remédio para a eternidade. Por Nosso Senhor Jesus Cristo.

Super populum: Oremus. Humiliate capita vestra Deo.Sobre o povo: Oremos. Humilhem suas cabeças diante de Deus.
Oratio. Esto, quǽsumus, Dómine, propítius plebi tuæ: ut, qua tibi non placent, respuéntes; tuórum pótius repleántur delectatiónibus mandatórum. Por Dominum.Rezar Suplicamos-te, Senhor, sê benigno para com o teu povo, para que, rejeitando o que te desagrada, sintam cada vez mais as delícias que reservas aos que observam os teus mandamentos. Por Nosso Senhor Jesus Cristo.


Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo Rosário.
Façam penitência.

30 de março dia de São João Clímaco,Abade.

  

São João Clímaco nasceu em 525. São João Clímaco foi um monge do Monte Sinai na Palestina, e deve o seu cognome a um livro seu, Escada (Klímax – Clímaco) dentro de uma família cristã que passou para ele muitos valores, possibilitando a ele uma ótima formação literária. A Escada é um resumo da vida espiritual, concebida para os solitários e contemplativos. Para São João Clímaco, a oração é a mais alta expressão da vida solitária; ela se desenvolve pela eliminação das imagens e dos pensamentos.
São João Clímaco desde cedo foi discernindo sua vocação à vida religiosa. Diante do testemunho de muitos cristãos que optavam por ir ao Monte Sinai, e ali no mosteiro viviam uma radicalidade, ele deixou os bens materiais e levou os bens espirituais para o Sinai. Ali, com outros irmãos, deixou-se orientar por pessoas com mais experiência, fazendo um caminho pessoal e comunitário de santidade.
Foi atacado diversas vezes por satanás, vivendo um verdadeiro combate espiritual.
São João Clímaco buscou corresponder ao chamado de Deus por meio de duras penitências, pouca alimentação, sacrifícios, intercessão e participação nas Santas Missas.

 Daí a necessidade da ‘monologia’, isto é, a invocação curta, de uma só palavra, incansavelmente repetida, que paralisa a dispersão do espírito. Essa repetição deve assimilar-se com a respiração.
Conta-se que ele era palestino e na adolescência ingressou em um mosteiro no Monte Sinai, onde passou a dedicar sua vida às orações e à meditação. Até os 35 anos viveu desta forma, mas quando seu mestre faleceu resolveu encerrar-se em uma cela e viver à moda dos monges do deserto: jejuando, orando e estudando a Bíblia.

Durante este novo período de sua vida São João Clímaco decidiu nunca mais comer carne, fosse ela vermelha ou branca. Também passou a sair de sua cela apenas para participar da Eucaristia, aos domingos.

Já com 70 anos foi eleito bispo do Monte Sinai, muito embora preferisse continuar com sua vida isolada. Nesta época construiu hospitais para a população mais pobre, ajudado pelo papa Gregório Magno.
https://blogger.googleusercontent.com/img/b/R29vZ2xl/AVvXsEjfKAFlks0FOOHEwcshdOqvMfOc2WCNgOiLPY5WscgAkx83oaQMtd47qDldJPa3ja6q-f1VHnIeRrxZV1D3RcMocSlgh0cJh9sVgx9DWFQoVZlkhjss4nDt4EwG-zVOFzZ1O9epdgDG2FyK/s1600/The+Ladder+of+Divine+Ascent.jpgO nome de São João Clímaco é uma alusão à palavra “klímax’, que em grego significa escada. São João decidiu adotar este nome em virtude do livro escrito nos últimos quatro anos de sua vida foram dedicados a viver como ermitão. Neste período de total isolamento ele escreveu por ele mesmo, intitulado Escada para o Paraíso contem princípios religiosos pequena regras da perfeição evangélica.

Nesta obra ele explica que existem 30 degraus a serem galgados para que possamos atingir a perfeição moral. Este livro foi um grande sucesso na época e chegou até mesmo a influenciar monges e outros religiosos em sua conduta particular, tanto no Ocidente como no Oriente. A importância desta obra literária para a época pode ser notada na utilização do símbolo escada na arte bizantina.

São João Clímaco foi muito famoso como homem santo em toda a Palestina e Arábia. Viveu por volta do ano 605 e morreu 80 anos no Monte Sinai.


Viva Cristo Rei e Maria Rainha.

Rezem todos os dias o Santo Rosário. 
Façam penitência.

quarta-feira, 29 de março de 2023

Quarta-feira da Paixão

29/03 Quarta-feira da Paixão 
Festa de Terceira Classe
Paramentos Roxos

Intróito/ Sal. 17, 48-49.
Senhor que me livra dos meus inimigos furiosos, Senhor  me elevará acima daqueles que se levantam contra mim; Senhor, tu me arrebatarás das mãos do homem iníquo.Ps. ibid.,2- 3.Eu te amarei, Senhor, tu que és minha força. O Senhor é meu forte apoio, meu refúgio e meu libertador.V/. Glória Patri.

Coleta
Deus misericordioso, santificai este jejum, iluminai os corações dos vossos fiéis e ouvi favoravelmente as súplicas daqueles em quem inspirais o sentimento de piedade. Por Nosso Senhor.

Leitura da Epístola do livro do  

Levítico 19,1-25
1 O Senhor disse a Moisés: 2 ?Dirás a toda a assembléia de Israel o seguinte: sede santos, porque eu, o Senhor, vosso Deus, sou santo. 3 Cada um de vós respeite a sua mãe e o seu pai, e guarde os meus sábados. Eu sou o Senhor, vosso Deus. 4 Não vos volteis para os ídolos, e não façais para vós deuses de metal fundido. Eu sou o Senhor, vosso Deus. 5 Quando oferecerdes ao Senhor um sacrifício pacífico, oferecê-lo-eis de maneira que seja aceito. 6 Comer-se-á a vítima no mesmo dia ou no dia seguinte; o que sobrar no terceiro dia será queimado no fogo. 7 Se se comer dela no terceiro dia, será uma abominação: o sacrifício não será aceito. 8 Quem o comer levará sua iniqüidade, porque terá profanado o que é consagrado ao Senhor: esse será cortado do seu povo. 9 Quando fizerdes a ceifa em vossa terra, não cortareis as espigas até os limites de vosso campo, e não recolhereis o que resta a respigar de vossas colheitas. 10 Não respigareis tampouco a vossa vinha, nem colhereis os grãos caídos no campo; deixá-los-eis para o pobre e o estrangeiro. Eu sou o Senhor, vosso Deus. 11 Não furtareis, não usareis de embustes nem de mentiras uns para com os outros. 12 Não jurareis falso em meu nome, porque profanaríeis o nome de vosso Deus. Eu sou o Senhor. 13 Não oprimirás o teu próximo, e não o despojarás. O salário do teu operário não ficará contigo até o dia seguinte. 14 Não amaldiçoarás um surdo; não porás algo como tropeço diante do cego; mas temerás o teu Deus. Eu sou o Senhor. 15 Não sereis injustos em vossos juízos: não favorecerás o pobre nem terás complacência com o grande; mas segundo a justiça julgarás o teu próximo. 16 Não semearás a difamação no meio de teu povo, nem te apresentarás como testemunha contra a vida do teu próximo. Eu sou o Senhor. 17 Não odiarás o teu irmão no teu coração. Repreenderás o teu próximo para que não incorras em pecado por sua causa. 18 Não te vingarás; não guardarás rancor contra os filhos de teu povo. Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Eu sou o Senhor. 19 Guardareis os meus mandamentos. Não juntarás animais de espécies diferentes. Não semearás no teu campo grãos de espécies diferentes. Não usarás roupas tecidas de duas espécies de fios. 20 Se um homem se deitar com uma mulher escrava desposada com outro, mas não resgatada nem posta em liberdade, serão ambos castigados, mas não morrerão, porque ela não era livre. 21 Em expiação o homem oferecerá ao Senhor à entrada da tenda de reunião, um carneiro como sacrifício de reparação. 22 O sacerdote fará por ele a expiação diante do Senhor com o carneiro do sacrifício de reparação pelo pecado cometido; e o seu pecado lhe será perdoado. 23 Quando entrardes na terra e tiverdes plantado toda sorte de árvores frutíferas considerareis os seus primeiros frutos como incircuncisos; eles o serão durante três anos, e não se comerá deles. 24 No quarto ano todos os seus frutos serão consagrados ao Senhor com ações de graças. 25 No quinto ano comereis de seus frutos para que a árvore continue a produzi-los. Eu sou o Senhor, vosso Deus.

Gradual/ Sal. 29, 2-4.
Eu te exaltarei, Senhor, porque Senhor me levantou e não alegrou meus inimigos sobre mim.
V /Senhor, meu Deus, eu clamei a Ti, e Tu me curaste. Senhor, livraste a minha alma do Hades, livraste-me dos que descem à cova.

Tratados/ Sal. 102, 10.
Senhor, não nos trates segundo os nossos pecados, e não nos castigues segundo as nossas iniqüidades.
V/. Sal. 78, 8-9.Senhor, não se lembre mais de nossas antigas iniqüidades; que suas misericórdias venham apressadamente ao nosso encontro, pois estamos reduzidos à última miséria.

(Hic genuflectitur) V/. Adiuva nos, Deus, salutáris noster: et propter glóriam nóminis tui, Dómine, libera nos: et propítius esto peccátis nostris, propter nomen tuum.Ajoelhamo-nos V/. Ajuda-nos, ó Deus, nosso Salvador, e para a glória do teu nome, Senhor, livra-nos e perdoa-nos os nossos pecados, por amor do teu nome.

Sequência do Santo Evangelho 

São João 10, 22-38
22 Celebrava-se em Jerusalém a festa da Dedicação. Era inverno. 23 Jesus passeava no templo, no pórtico de Salomão. 24 Os judeus rodearam-no e perguntaram-lhe: Até quando nos deixarás na incerteza? Se tu és o Cristo, dize-nos claramente. 25 Jesus respondeu-lhes : Eu vo-lo digo, mas não credes. As obras que faço em nome de meu Pai, estas dão testemunho de mim. 26 Entretanto, não credes, porque não sois das minhas ovelhas. 27 As minhas ovelhas ouvem a minha voz, eu as conheço e elas me seguem. 28 Eu llhes dou a vida eterna; elas jamais hão de perecer, e ninguém as roubará de minha mão. 29 Meu Pai, que mas deu, é maior do que todos; e ninguém as pode arrebatar da mão de meu Pai. 30 Eu e o Pai somos um. 31 Os judeus pegaram pela segunda vez em pedras para o apedejar. 32 Disse-lhes Jesus: Tenho-vos mostrado muitas obras boas da parte de meu Pai. Por qual dessas obras me apedrejais? 33 Os judeus responderam-lhe: Não é por causa de alguma boa obra que te queremos apedrejar, mas por uma blasfêmia, porque, sendo homem, te fazes Deus. 34 Replicou-lhes Jesus: Não está escrito na vossa lei: Eu disse: Vós sois deuses (Sl 81,6)? 35 Se a lei chama deuses àqueles a quem a palavra de Deus foi dirigida (ora, a Escritura não pode ser desprezada), 36 como acusais de blasfemo aquele a quem o Pai santificou e enviou ao mundo, porque eu disse: Sou o Filho de Deus? 37 Se eu não faço as obras de meu Pai, não me creiais. 38 Mas se as faço, e se não quiserdes crer em mim, crede nas minhas obras, para que saibais e reconheçais que o Pai está em mim e eu no Pai. 

Ofertório/  Sal. 58, 2.
Salva-me das mãos dos meus inimigos, ó meu Deus, e livra-me dos que se levantam contra mim, Senhor.

Secreta
Ouve nossas orações, ó Deus de misericórdia, para que possamos oferecer-te com sincera dependência estas hostes de propiciação e louvor. Por Nosso Senhor.

Prefácio de Cruce; quæ dicitur usque ad Feriam V in Cena Domini inclusive, iuxta Rubricas. Prefácio à Santa Cruz .
 
Comunhão/Sal. 25, 6-7.
Lavarei as mãos entre os inocentes e me colocarei ao redor do teu altar, ó Senhor, para ouvir a voz dos teus louvores e contar todas as tuas maravilhas.(Quem não pode comungar em especie, fazer comunhão espiritual)

Nosso Senhor Jesus Cristo numa aparição revelou a sóror Paula Maresca, fundadora do convento de Sta. Catarina de Sena de Nápoles, como se refere na sua vida, e lhe mostrou dois vasos preciosos, um de ouro e outro de prata, dizendo-lhe que conservava no vaso de ouro suas comunhões sacramentais e no de prata as espirituais. As espirituais com dependência exclusiva da piedade de Nosso Senhor Jesus Cristo, que alimentais nossa alma na solidão do coração.
“Meu Jesus, eu creio que estais realmente presente no Santíssimo Sacramento do Altar. Amo-vos sobre todas as coisas, e minha alma suspira por Vós. Mas, como não posso receber-Vos agora no Santíssimo Sacramento, vinde, ao menos espiritualmente, a meu coração. Abraço-me convosco como se já estivésseis comigo: uno-me Convosco inteiramente. Ah! não permitais que torne a separar-me de Vós” (Santo Afonso Maria de Liguori)
 
Depois da comunhão.
Tendo recebido as espécies abençoadas do dom celestial, pedimos-te, ó Deus Todo-Poderoso, que a tua bênção nos dê tanto este sacramento como o penhor da nossa salvação. Por Nosso Senhor Jesus Cristo.

Super populum: Oremus. Humiliate capita vestra Deo.Sobre o povo: Oremos. Humilhem suas cabeças diante de Deus.
Oratio.Adésto supplicatiónibus nostris, omnipotens Deus: et, quibus fidúciam sperándæ pietátis indúlges; consuétae misericórdiæ tríbue benígnus efféctum. Por Dominum. 
Rezar Humilhem suas cabeças diante de Deus. – Ouça nossas súplicas, Deus Todo-Poderoso, e em sua bondade conceda o efeito de sua misericórdia habitual àqueles em quem Senhor confia que esperam sua clemência. Por Nosso Senhor Jesus Cristo.

Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo Rosário. 

29 de março dia dos Santos Jonas e Barachiso, Mártires


No ano de 327 houve uma cruel perseguição da Igreja na Pér­sia. Entre as numerosas vítimas fi­guram os dois irmãos Jonas e Ba­rachiso, da cidade de Beth-Asa, que, sabendo da iminente execução de alguns cristãos, encarcerados em Hubaham, para lá se dirigiram, pa­ra consolá-los e animá-los no últi­mo combate. Nove destes presos re­ceberam a coroa do martírio.
Imediatamente depois foram Jo­nas e Barachiso levados à presença do juiz. Este com todo o empenho quis persuadir-lhes que era neces­sário adorar o rei dos reis, isto é, o imperador da Pérsia, e também o sol e a lua. “Não é mais convenien­te adorar o Rei imortal do céu e da terra do que um homem mortal?” obtemperaram os dois irmãos. O juiz mandou separá-los. Barachiso foi metido no cárcere e Jonas bar­baramente açoitado. Enquanto lhe aplicavam tal suplício, Jonas elevou o espírito a Deus e ofereceu-lhe o sacrifício da vida pela fé. Depois lhe ataram os pés e atiraram-no nu­ma lagoa coberta de gelo.
Pela tarde do mesmo dia recome­çou o inquérito de Barachiso. Dis­seram-lhe que o irmão havia sacri­ficado aos deuses. Barachiso respondeu-lhes: “Isto não acredito, porque conheço bem meu irmão, que não é capaz de adorar criatu­ras”. Em seguida fez uma defesa tão brilhante da religião cristã, que o próprio juiz se admirou. Temen­do, porém, que um ou outro dos circunstantes, pela eloquência de Ba­rachiso, abandonasse a religião oficial, determinou que só à noite e com exclusão do povo, fosse conti­nuado o inquérito. Ao mesmo tempo mandou que colocassem nos bra­ços do mártir ferros em brasa. “Pe­la fortuna do reino, disse-lhe o juiz! Se deixares cair um destes ferros, para nós é sinal de teres abandona­do tua fé”. Barachiso respondeu: “Não temo vosso fogo e não deixa­rei cair os instrumentos do meu martírio; peço-vos que apliqueis em mim de vez toda a sorte de suplícios. Quem combate por Deus, não desfalece”. Os magos, no auge da fúria, deitaram-lhe chumbo derreti­do nas narinas e nos olhos e fecha­ram-no, novamente no cárcere, pen­durando-o por um pé.
No dia seguinte tiraram Jonas da água e, estando ele ainda vivo, per­guntaram-lhe: “Como passaste a noite? Sem dúvida não sofreste pouco”. Jonas replicou: “Nunca pas­sei noite como esta; a Paixão de Nosso Senhor Jesus Cristo foi para mim manancial de consolo”. Os Persas disseram-lhe: “Teu irmão abjurou”. “Sei que ele abjurou, res­pondeu Jonas, mas ao demônio e às suas obras”. Os Persas: “Cuidado com tua vida!” Jonas: “Se sois sábios como pretendeis, dizei-me: não é melhor semear a semente, do que guardá-la no celeiro, sob o pre­texto de defendê-la contra a chuva e mau tempo? Esta vida é uma semente, que traz frutos belíssimos da eterna glória”. Os Persas: “vos­sos livros já têm enganado muita gente”. Jonas: “É verdade que afas­taram já a muitos dos prazeres mundanos. Um verdadeiro cristão, em cujo coração arde a chama do amor a Jesus Cristo, despreza as riquezas e honras deste mundo; só um desejo o anima, o de ver o ver­dadeiro Rei, cujo reino é eterno e cujo poder se estende sobre o mun­do visível e invisível”.
Foram estas as últimas palavras do Mártir. Os magos atiraram-se sobre ele, cortaram-lhe as mãos e os pés, arrancaram-lhe a língua, tiraram-lhe o couro cabeludo e me­teram-lhe o corpo em piche em ebulição. Vendo que o fogo e o calor não lhe fizeram mal, cortaram-lhe o corpo em pedaços e jogaram-nos dentro de uma cisterna, que foi guardada por uma sentinela, para impedir que os cristãos se apode­rassem das relíquias.
Barachiso teve uma morte igual­mente terrível: Os bárbaros bate­ram-lhe com ferros pontuados, fi­zeram-no rolar pelo chão deitaram-lhe piche e enxofre ferventes na boca e maltrataram-no, até que não des­se mais sinal de vida.
Abstuciatos, amigo dos dois ir­mãos, comprou aos Persas os cor­pos dos Mártires.
O comandante da cavalaria do imperador Sapor, chamado Isaias, como testemunha ocular, escreveu a história do martírio de Jonas e Barachiso, concluindo da maneira seguinte: “Assim estes mártires lu­taram e venceram, oxalá Isaias pos­sa merecer-lhes a intercessão!” Jo­nas e Barachiso foram martirizados em 327, no décimo oitavo ano do governo do imperador Sapor.

Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo.

terça-feira, 28 de março de 2023

Terça-feira da Paixão

28/03 Terça-feira da Paixão 
Festa de Terceira Classe 
Paramentos Roxos


Intróito/ Sal 26, 14.
Espere no Senhor, aja com coragem; seja firme o vosso coração e esperai no Senhor.Ps. ibid., 1. O Senhor é minha luz e minha salvação; quem devo temer?V/. Glória Patri.

Coleta
Nós te suplicamos, Senhor, faça com que nossos jejuns sejam agradáveis ​​a ti; para que, expiando os nossos pecados, nos tornem dignos da tua graça, e que nos sirvam de remédio para a vida eterna. Por Nosso Senhor.

Leitura da Epístola do livro do  profeta

Daniel 19,27-42

27 Quando os babilônios souberam, ficaram sumamente indignados, e amotinaram-se contra o rei aos gritos de O rei tornou-se judeu! Destruiu Bel; e (agora) fez perecer o dragão e matar os sacerdotes. 28 Vieram à presença do rei e disseram-lhe: Entrega-nos Daniel; do contrário, nós te mataremos, bem como toda a tua família. 29 Diante da violência com que o ameaçavam, o rei viu-se forçado a entregar-lhes Daniel, 30 que eles jogaram à cova dos leões, onde permaneceu seis dias. 31 Na cova havia sete leões, aos quais davam cotidianamente dois corpos (humanos) e dois carneiros. Porém, daquela vez, nada lhes foi distribuído, a fim de que devorassem Daniel. 32 Ora, o profeta Habacuc vivia naquele tempo na Judéia. Acabava de cozinhar um caldo e picava pão dentro dele numa panela, para levá-lo aos ceifadores no campo. 33 Mas um anjo do Senhor disse-lhe: Leva esta refeição à Babilônia, a Daniel, que se encontra na cova dos leões. 34 Senhor, disse Habacuc, nunca vi Babilônia, e não conheço essa cova. 35 Então o anjo, segurando-o pelo alto da cabeça, transportou-o pelos cabelos, num fôlego, até Babilônia, em cima da cova. 36 Daniel, Daniel (chamou), toma a refeição que Deus te envia. 37 E Daniel respondeu: Ó Deus, vós pensastes em mim! Vós não abandonastes os que vos amam! 38 Depois disso pôs-se a comer, enquanto o anjo do Senhor transportava de volta Habacuc a seu domicílio. 39 Ao sétimo dia veio o rei chorar Daniel. Ao acercar-se da cova, porém, olhou para dentro e aí avistou Daniel sentado. 40 E bem alto exclamou: Vós sois grande, Senhor, Deus de Daniel. Não existe outro Deus além de vós! 41 Mandou retirá-lo da cova dos leões e lá jogou todos aqueles que haviam tentado eliminá-lo, os quais foram imediatamente devorados, sob seus olhos. 42 Então disse o rei: Que todos os habitantes da terra reverenciem o Deus de Daniel, porque é um salvador que opera sinais e prodígios em toda a terra, e salvou Daniel da cova dos leões.

Gradual/ Sal. 42, 1 e 3.
Ó Senhor, separa minha causa; livra-me do homem perverso e enganador.
V /Envia a tua luz e a tua verdade: elas me guiarão e me levarão ao teu santo monte.

Sequência do Santo Evangelho 

São João 7, 1-13

1 Depois disso, Jesus percorria a Galiléia. Ele não queria deter-se na Judéia, porque os judeus procuravam tirar-lhe a vida. 2 Aproximava-se a festa dos judeus chamada dos Tabernáculos. 3 Seus irmãos disseram-lhe: Parte daqui e vai para a Judéia, a fim de que também os teus discípulos vejam as obras que fazes. 4 Pois quem deseja ser conhecido em público não faz coisa alguma ocultamente. Já que fazes essas obras, revela-te ao mundo. 5 Com efeito, nem mesmo os seus irmãos acreditavam nele. 6 Disse-lhes Jesus: O meu tempo ainda não chegou, mas para vós a hora é sempre favorável. 7 O mundo não vos pode odiar, mas odeia-me, porque eu testemunho contra ele que as suas obras são más. 8 Subi vós para a festa. Quanto a mim, eu não irei, porque ainda não chegou o meu tempo. 9 Dito isto, permaneceu na Galiléia. 10 Mas quando os seus irmãos tinham subido, então subiu também ele à festa, não em público, mas despercebidamente. 11 Buscavam-no os judeus durante a festa e perguntavam: Onde está ele? 12 E na multidão só se discutia a respeito dele. Uns diziam: É homem de bem. Outros, porém, diziam: Não é; ele seduz o povo. 13 Ninguém, contudo, ousava falar dele livremente com medo dos judeus.

Ofertório/  Sal. 9, 11-12 e 13.
Todos os que conhecem o teu nome, esperam em ti, Senhor, pois não abandonas aqueles que te procuram. Cantai ao Senhor que habita em Sião, porque não se esqueceu das orações dos pobres.

Secreta
Apresentamos-te hostes em sacrifício, ó Senhor; que eles nos façam entender o que nos consola no tempo, para que não desesperemos de adquirir os bens eternos que nos prometeste. Por N.-S.

Prefácio de Cruce; quæ dicitur usque ad Feriam V in Cena Domini inclusive, iuxta Rubricas. Prefácio à Santa Cruz .
 
Comunhão/  Ps 24, 22.
Salva-me, Deus de Israel, de toda a minha angústia.(Quem não pode comungar em especie, fazer comunhão espiritual)

Nosso Senhor Jesus Cristo numa aparição revelou a sóror Paula Maresca, fundadora do convento de Sta. Catarina de Sena de Nápoles, como se refere na sua vida, e lhe mostrou dois vasos preciosos, um de ouro e outro de prata, dizendo-lhe que conservava no vaso de ouro suas comunhões sacramentais e no de prata as espirituais. As espirituais com dependência exclusiva da piedade de Nosso Senhor Jesus Cristo, que alimentais nossa alma na solidão do coração.
“Meu Jesus, eu creio que estais realmente presente no Santíssimo Sacramento do Altar. Amo-vos sobre todas as coisas, e minha alma suspira por Vós. Mas, como não posso receber-Vos agora no Santíssimo Sacramento, vinde, ao menos espiritualmente, a meu coração. Abraço-me convosco como se já estivésseis comigo: uno-me Convosco inteiramente. Ah! não permitais que torne a separar-me de Vós” (Santo Afonso Maria de Liguori)
 
Depois da comunhão.
Conceda-nos, por favor, Deus Todo-Poderoso, que buscando constantemente o que é divino, merecemos nos aproximar dos dons celestiais. Por Nosso Senhor Jesus Cristo.

Super populum: Oremus. Humiliate capita vestra Deo. Sobre o povo: Oremos. Humilhem suas cabeças diante de Deus.
Oratio.Da nobis, quǽsumus, Dómine: perseverántem in tua voluntáte famulátum; ut in diébus nostris, et mérito et número, pópulus tibi sérviens augeátur. Per Dominum nostrum. Rezar Suplicamos-te, Senhor, dá-nos perseverança em submissão à tua vontade, para que em nossos dias as pessoas que te servem aumentem em mérito e número. Por Nosso Senhor Jesus Cristo.

Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo Rosário. 

28 de março dia de São João de Capistrano, Confessor.


    Ele nasceu em Capistrano, Itália em 1386, estudou leis e tornou-se governador de Peruvia, Itália em 1412.Sua vida foi somente dedicada ao espírito. Durante trinta anos fez rigoroso jejum, duras penitências e se dedicou às orações. Trabalhou com energia, evangelizando na Itália, França, Alemanha, Áustria, Hungria, Polônia e Rússia. Tornou-se grande pregador e os registros mostram, que, após sua pregação, muitos jovens decidiam entrar na Ordem de São Francisco de Assis. em 1416 amigo e aluno de São Bernardino de Siena. Ele foi ordenado em 1420. Após uma carreira notável como franciscano João foi convidado a ser o legado papal na Palestina, Milão, Sicília, Áustria, Bavária, Polônia, Bohemia e Silésia para combater os "hussites" (seguidores de Jan Hus).
  Foi conselheiro de quatro papas. Com 70 anos, defendeu a Itália numa guerra que ajudou a vencer. A famosa batalha de Belgrado, contra os invasores turcos muçulmanos. . .
  João de Capistrano com seus setenta anos de idade foi a luta, quando um enorme exército ameaçava tomar toda a Europa, pois já dominava mais de duzentas cidades. O papa Calisto III o designou como pregador de uma cruzada, que defenderia o continente. Com ele à frente, os cristãos tiveram de combater um exército dez vezes maior. A guerra já estava quase perdida e os soldados estavam a ponto de desfalecer, quando surgiu João animando a todos, percorrendo as fileiras e mantendo-os estimulados na fé em Cristo. Agiu assim durante onze dias e onze noites sem cessar. Espantados com a atitude de João, os guerreiros muçulmanos apavoraram-se, o exército se desorganizou e os soldados cristãos dominaram o campo de batalha até a vitória final.
  Vitória que, embora preferisse manter o anonimato, foi atribuída a João de Capistrano. Depois disso, retirou-se para o Convento de Villach, na Áustria, onde morreu três meses depois, no dia 23 de outubro de 1456. João encarava esses homens e mulheres como hereges e com implacável hostilidade, e seus métodos eram tão obstinados que ele às vezes foi reprovado. Quando os turcos capturaram Constantinopla, (hoje Istambul), a capital do Império Bizantino em 1453, João se devotou a uma incansável cruzada contra os Otomanos que estavam avançando sobre os Balcãs.
  João conseguiu uma audiência com o General Janos Hunyadi. Hunyadi inspirado pelo santo reuniu os húngaros que resistiram aos turcos e ele pessoalmente comandou uma ala do exercito cristão na batalha de Belgrado em 1456. A vitória de Belgrado salvou a Europa de ser conquistada pelos turcos.
 Na arte Litúrgica da Igreja ele é representado como um franciscano apontando um crucifixo que ele segura; ou 2) com um crucifixo e uma lança; ou 3) pisando em um turbante; ou 4) pregando com anjos e um rosário e o emblema IHS acima dele; ou 5) com a bandeira com a cruz em seu peito.
 Ele morreu em 23 de outubro de 1456 em Vilach, Áustria de uma praga que varreu a região. O seu culto se mantém vivo até os nossos dias, sendo celebrado no dia de sua morte tanto no Oriente e como no Ocidente. 
  São João Capistrano foi canonizado em 1724 papa Bento XIII.São João de Capistrano é o padroeiro dos juízes.
(Contam que foi tão grande era a revolta dos protestantes a veemência de João, que mais tarde, em 1526, os Calvinistas jogaram suas relíquias em um poço).

Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo.

segunda-feira, 27 de março de 2023

Segunda-feira da Paixão.

27/03 Segunda-feira da Paixão 
Festa de Terceira Classe 
Paramentos Roxos


Intróito/ Ps. 34, 1-2.
Senhor, julgue aqueles que me feriram, humilhe aqueles que lutam contra mim. Pegue suas armas e seu escudo e levante-se para me ajudar, ó Senhor, minha força e minha salvação.Ps. ibid., 3.Desembainha a espada e prende os que me perseguem; dá-me a certeza de que me salvarás.V/. Glória Patri.

Coleta
Deus Todo-Poderoso que vê que nossa fraqueza sucumbe no meio de tantas provações, concede-nos algum alívio pelos méritos da paixão de seu Filho unigênito. Por Nosso Senhor Jesus Cristo.

Leitura da Epístola do livro do  

Santo Jonas 3, 1-10
1 A palavra do Senhor foi dirigida pela segunda vez a Jonas nestes termos: 2 Vai a Nínive, a grande cidade, e faze-lhe conhecer a mensagem que te ordenei. 3 Jonas pôs-se a caminho e foi a Nínive, segundo a ordem do Senhor. Nínive era, diante de Deus, uma grande cidade: eram precisos três dias para percorrê-la. 4 Jonas foi pela cidade durante todo um dia, pregando: Daqui a quarenta dias Nínive será destruída. 5 Os ninivitas creram (nessa mensagem) de Deus, e proclamaram um jejum, vestindo-se de sacos desde o maior até o menor. 6 A notícia chegou ao conhecimento do rei de Nínive; ele levantou-se do seu trono, tirou o manto, cobriu-se de saco e sentou-se sobre a cinza. 7 Em seguida, foi publicado pela cidade, por ordem do rei e dos príncipes, este decreto: Fica proibido aos homens e aos animais, tanto do gado maior como do menor, comer o que quer que seja, assim como pastar ou beber. 8 Homens e animais se cobrirão de sacos. Todos clamem a Deus, em alta voz; deixe cada um o seu mau caminho e converta-se da violência que há em suas mãos. 9 Quem sabe, Deus se arrependerá, acalmará o ardor de sua cólera e deixará de nos perder! 10 Diante de uma tal atitude, vendo como renunciavam aos seus maus caminhos, Deus arrependeu-se do mal que resolvera fazer-lhes, e não o executou.

Gradual/Pr. 34, 23 e 3.
Levanta-te, Senhor, e faz triunfar os meus direitos. Meu Senhor e meu Deus, tomai a minha causa.
V /Saque sua espada e bloqueie a passagem para aqueles que me perseguem.

Tratados/ Sal. 102, 10.
Senhor, não nos trates segundo os nossos pecados, e não nos castigues segundo as nossas iniqüidades.
V/Sal. 78, 8-9.Senhor, não se lembre mais de nossas antigas iniqüidades; que suas misericórdias venham apressadamente ao nosso encontro, pois estamos reduzidos à última miséria.

(Hic genuflectitur) V/. Adiuva nos, Deus, salutáris noster: et propter glóriam nóminis tui, Dómine, libera nos: et propítius esto peccátis nostris, propter nomen tuum. Ajoelhamo-nos V/. Ajuda-nos, ó Deus, nosso Salvador, e para a glória do teu nome, Senhor, livra-nos e perdoa-nos os nossos pecados, por amor do teu nome.

Sequência do Santo Evangelho 


São João 7,32-39
32 Os fariseus ouviram esse murmúrio que circulava entre o povo a respeito de Jesus. Então, de acordo com eles, os príncipes dos sacerdotes enviaram guardas para prendê-lo. 33 Disse Jesus: Ainda por um pouco de tempo estou convosco e então vou para aquele que me enviou. 34 Buscar-me-eis sem me achar, nem podereis ir para onde estou. 35 Os judeus perguntavam entre si: Para onde irá ele, que o não possamos achar? Porventura irá para o meio dos judeus dispersos entre os gregos, para tornar-se o doutor dos estrangeiros? 36 Que significam essas palavras que nos disse: Buscar-me-eis sem me achar, e onde estou para lá não podereis ir? 37 No último dia, que é o principal dia de festa, estava Jesus de pé e clamava: Se alguém tiver sede, venha a mim e beba. 38 Quem crê em mim, como diz a Escritura: Do seu interior manarão rios de água viva (Zc 14,8; Is 58,11). 39 Dizia isso, referindo-se ao Espírito que haviam de receber os que cressem nele, pois ainda não fora dado o Espírito, visto que Jesus ainda não tinha sido glorificado.

Ofertório/ Sal. 6, 5.
Volta, Senhor, e livra minha alma: salva-me por tua misericórdia.

Secreta
Que esses sacrifícios, ó Deus Todo-Poderoso, por sua insignificante virtude, nos façam aproximar, inteiramente puros, daquele que é seu princípio. Por Nosso Senhor Jesus Cristo.

Prefácio de Cruce; quæ dicitur usque ad Feriam V in Cena Domini inclusive, iuxta Rubricas. Prefácio à Santa Cruz .
 
Comunhão/ Sal. 34, 26.
Enrubesçam e se envergonhem os que se alegram com meus males; cubram-se de vergonha e confusão os que me oprimem com insultos.(Quem não pode comungar em especie, fazer comunhão espiritual)

Nosso Senhor Jesus Cristo numa aparição revelou a sóror Paula Maresca, fundadora do convento de Sta. Catarina de Sena de Nápoles, como se refere na sua vida, e lhe mostrou dois vasos preciosos, um de ouro e outro de prata, dizendo-lhe que conservava no vaso de ouro suas comunhões sacramentais e no de prata as espirituais. As espirituais com dependência exclusiva da piedade de Nosso Senhor Jesus Cristo, que alimentais nossa alma na solidão do coração.
“Meu Jesus, eu creio que estais realmente presente no Santíssimo Sacramento do Altar. Amo-vos sobre todas as coisas, e minha alma suspira por Vós. Mas, como não posso receber-Vos agora no Santíssimo Sacramento, vinde, ao menos espiritualmente, a meu coração. Abraço-me convosco como se já estivésseis comigo: uno-me Convosco inteiramente. Ah! não permitais que torne a separar-me de Vós” (Santo Afonso Maria de Liguori)
 
Depois da comunhão.
Que os vossos santos sacramentos, Senhor, nos inspirem com fervor divino, para que a sua recepção e os seus efeitos nos deleitem. Por Jesus Cristo Nosso Senhor. Por Nosso Senhor Jesus Cristo.

Super populum: Oremus. Humiliate capita vestra Deo.Sobre o povo: Oremos. Humilhem suas cabeças diante de Deus.
Oração.Adiuva nos, Deus, salutáris noster: et ad benefícia recolénda, quibus nos instauráre dignátus es, tríbue veníre gaudéntes. Per Dominum nostrum.Rezar Ajude-nos, ó Deus, nosso Salvador, e conceda-nos celebrar com alegria a memória dos benefícios com que você condescendeu em nos regenerar.Por Nosso Senhor.

Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo Rosário. 

27 de março dia de São João Damasceno, confessor e Doutor da Igreja


De família árabe, mas cristã de religião e socialmente bem situada, nasceu São João por volta do ano 675, em Damasco (Síria), quando Damasco já se encontrava sob o domínio muçulmano.

Sólida doutrina Cristo lógica
Valendo-se de uma terminologia perfeita do ponto de vista teológico, São João Damasceno exalta em suas homilias os mistérios de Nosso Senhor e refuta os erros cristológicos correntes naqueles tempos. Afirmando a plena união do Verbo Encarnado com Deus Pai e Deus Espírito Santo, desqualifica o monofisismo, que pretende ver a natureza humana de Cristo absorvida pela divindade; o nestorianismo, que considera Nosso Senhor como uma pessoa humana na qual o Verbo haveria estabelecido sua morada como num templo ou mansão, sem assumir de fato a natureza do homem; ou o monotelismo que nega a existência da vontade humana n'Ele.

Assim, por exemplo, em sua homilia sobre a Transfiguração do Senhor, ecoam os ensinamentos antimonofisistas do Concílio de Calcedônia, realizado em 451: "Como é possível que coisas incomunicáveis se misturem e permaneçam sem confundir-se? Como podem se unir uns elementos inconciliáveis, sem perder as características próprias da natureza? Precisamente isto é o que se efetua na união hipostática, de maneira tal que os elementos que se unem formam um só ser e uma só pessoa, mas conservando a unidade pessoal e a duplicidade de naturezas, numa diversidade indivisível e numa união sem confusão, que se realiza mediante a encarnação do Verbo imutável e a incompreensível e definitiva divinização da carne mortal. Como consequência dessa permuta, dessa recíproca comunicação sem confusão e da perfeita união hipostática, os atributos humanos vêm a pertencer a Deus e os divinos chegam a pertencer a um homem. Um só é, com efeito, aquele que, sendo Deus desde sempre, depois Se faz homem".

Com igual fé e profundidade teológica, o santo de Damasco não teme abordar um tema pouco tratado por teólogos mais recentes: o que aconteceu com a alma de Cristo após sua morte? A divindade separou-se da alma humana e do corpo do Senhor?

Explica ele: "Embora a alma santa e divina tenha se separado do corpo incontaminado e vivificante, a divindade do Verbo não se separou de nenhum desses dois elementos, ou seja, nem do corpo nem da alma, por efeito da indivisa união hipostática das duas naturezas, que se realizou na concepção efetuada no seio da santa Virgem Maria, Mãe de Deus. Assim resulta que, inclusive ao produzir-se a morte, continua havendo em Cristo uma só pessoa, que é o Verbo divino, e depois da morte do Senhor, nesta pessoa seguem subsistindo a alma e o corpo".

Homilias sobre Nossa Senhora
Não são menos belas e esplendorosas as homilias do Damasceno sobre Nossa Senhora. Elas nos mostram como a devoção à Santíssima Virgem vem desde os primeiros tempos do Cristianismo, como o amor a Ela era muito patente já na época de Santo Inácio de Antioquia, que foi discípulo do Apóstolo João, de São Justino (†165) e de Santo Irineu (†202).

Nessas homilias se encontram em germe os elementos doutrinários que, séculos depois, facilitaram a proclamação de diversos dogmas marianos, como o da Imaculada Conceição e o da Assunção da Virgem Maria em corpo e alma aos Céus.

Cabe ressaltar nelas, além da profundidade teológica, o entusiasmo e o amor de seu autor à Santíssima Virgem. "La raison parle, mais l'amour chante" (a razão fala, mas o amor canta), escreveu o romancista Alfred de Vigny. Em São João Damasceno, a razão disserta e o amor canta, ao tratar d'Aquela que foi achada digna de ser a Mãe do Redentor.

Eis como ele entoa louvores à virgindade perpétua de Maria: "Ó Joaquim e Ana, casal bem-aventurado e verdadeiramente irrepreensível! Vós levastes uma vida agradável a Deus e digna d'Aquela de quem vos tornastes pais. Tendo vivido com pureza e santidade, gerastes a joia da virgindade, ou seja, Aquela que foi virgem antes do parto, virgem no parto e virgem depois do parto. Aquela que é a Virgem por excelência, virgem para sempre, virgem perpétua no espírito, na alma e no corpo".

E com quanta beleza literária, servindo-se de figuras extraídas do Antigo Testamento, nos ensina ser Maria Mãe de Deus: "Ó Virgem, claramente prefigurada na sarça, nas tábuas escritas por Deus, na arca da lei, no vaso de ouro, no candelabro, na mesa e na vara de Aarão que floresceu. De Vós, com efeito, procede a chama da divindade, o Verbo e manifestação do Pai, o maná suavíssimo e celestial, o nome inefável que está acima de todo nome, a luz eterna e inacessível, o celeste pão de vida. De Vós brotou corporalmente aquele fruto que não é resultado do trabalho de nenhum cultivador".

Essa capacidade de unir doutrina, poesia e fervor, é exemplo típico do que Urs Von Balthasar chama "teologia de joelhos", em oposição à "teologia de escritório", tão habitual nos dias atuais.

Prenunciador do dogma da Assunção
São João Damasceno comparte uma opinião generalizada entre os Santos Padres, de que há uma estreita relação entre a virgindade perpétua de Maria e a incorrupção de seu corpo virginal depois da morte. Ao ponto de que, em trechos como os mencionados a seguir, ele prenuncia o dogma da Assunção de Maria ao Céu, em corpo e alma.

"Convinha que aquela que no parto manteve ilibada virgindade conservasse o corpo incorrupto mesmo depois da morte. Convinha que aquela que trouxe no seio o Criador encarnado, habitasse entre os divinos tabernáculos. [...] Convinha que
a Mãe de Deus possuísse o que era do Filho, e que fosse venerada por todas as criaturas como Mãe e Serva do mesmo Deus".

Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo.

domingo, 26 de março de 2023

Primeiro Domingo da Paixão.

26/03 1º Domingo da Paixão 
Festa de Primeira Classe
Paramentos Roxos

Então os judeus pegaram pedras e as atiraram em Jesus (Ev.)

Intróito/ Ps. 42, 1-2.
Quando eu tiver sido santificado em você, eu os reunirei de todos os países; e aspergirei água pura sobre vós, e sereis purificados de toda a vossa imundícia; e eu lhe darei um novo espírito.Ps. ibid., 3. Envie sua luz e sua verdade; eles me guiarão e me levarão ao teu santo monte e aos teus tabernáculos.V/. Glória Patri.

Coleta
Nós te pedimos, Deus Todo-Poderoso, olhe para seus filhos em sua misericórdia; concede-lhes a tua graça para que sejam governados em seus corpos, e cuida deles para que sejam mantidos em suas almas.

Leitura da Epístola de São Paulo aos   


Hebreus 9,11-15
11 Porém, já veio Cristo, Sumo Sacerdote dos bens vindouros. E através de um tabernáculo mais excelente e mais perfeito, não construído por mãos humanas (isto é, não deste mundo), 12 sem levar consigo o sangue de carneiros ou novilhos, mas com seu próprio sangue, entrou de uma vez por todas no santuário, adquirindo-nos uma redenção eterna. 13 Pois se o sangue de carneiros e de touros e a cinza de uma vaca, com que se aspergem os impuros, santificam e purificam pelo menos os corpos, 14 quanto mais o sangue de Cristo, que pelo Espírito eterno se ofereceu como vítima sem mácula a Deus, purificará a nossa consciência das obras mortas para o serviço do Deus vivo? 15 Por isso ele é mediador do novo testamento. Pela sua morte expiou os pecados cometidos no decorrer do primeiro testamento, para que os eleitos recebam a herança eterna que lhes foi prometida.

Gradual/ Sal. 142, 9 e 10.
Livra-me dos meus inimigos, Senhor; ensina-me a fazer a tua vontade.
V /Sal. 17, 48-49.Tu me livras dos meus inimigos furiosos, Senhor; e tu me elevarás acima dos que se levantam contra mim; você me arrebatará das mãos do homem iníquo.

Tratados/ Sal. 128, 1-4.
Eles me atacaram muitas vezes desde a minha juventude.
V/. Deixe Israel dizer isso agora, eles me atacaram muitas vezes desde a minha juventude.
V/.Mas eles não prevaleceram contra mim; pecadores trabalharam nas minhas costas.
V/.Fizeram-me sentir durante muito tempo a sua injustiça: o Senhor é justo, cortará a cabeça dos pecadores.

Sequência do Santo Evangelho 

São João 8,46-59
46 Quem de vós me acusará de pecado? Se vos falo a verdade, por que me não credes? 47 Quem é de Deus ouve as palavras de Deus, e se vós não as ouvis é porque não sois de Deus. 48 Responderam então os judeus: Não dizemos com razão que és samaritano, e que estás possesso de um demônio? 49 Respondeu-lhes Jesus: Eu não estou possesso de demônio, mas honro a meu Pai. Vós, porém, me ultrajais! 50 Não busco a minha glória. Há quem a busque e ele fará justiça. 51 Em verdade, em verdade vos digo: se alguém guardar a minha palavra, não verá jamais a morte. 52 Disseram-lhe os judeus: Agora vemos que és possuído de um demônio. Abraão morreu, e também os profetas. E tu dizes que, se alguém guardar a tua palavra, jamais provará a morte... 53 És acaso maior do que nosso pai Abraão? E, entretanto, ele morreu... e os profetas também. Quem pretendes ser? 54 Respondeu Jesus: Se me glorifico a mim mesmo, a minha glória não é nada; meu Pai é quem me glorifica, aquele que vós dizeis ser o vosso Deus 55 e, contudo, não o conheceis. Eu, porém, o conheço e, se dissesse que não o conheço, seria mentiroso como vós. Mas conheço-o e guardo a sua palavra. 56 Abraão, vosso pai, exultou com o pensamento de ver o meu dia. Viu-o e ficou cheio de alegria. 57 Os judeus lhe disseram: Não tens ainda cinqüenta anos e viste Abraão!... 58 Respondeu-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo: antes que Abraão fosse, eu sou. 59 A essas palavras, pegaram então em pedras para lhas atirar. Jesus, porém, se ocultou e saiu do templo.

Ofertório/  Ps.118, 17 e 107.
Senhor, eu te celebrarei com todo o meu coração. Abençoe seu servo, eu viverei; e guardarei suas palavras. Faz-me viver segundo a tua palavra, Senhor.

Secreta
Rogamos-te, Senhor, que estes dons nos arranquem das amarras da nossa perversidade e obtenham para nós os efeitos da tua misericórdia. Por Nosso Senhor. Por Nosso Senhor Jesus Cristo.

Prefácio de Cruce; quæ dicitur usque ad Feriam V in Cena Domini inclusive, iuxta Rubricas. Prefácio à Santa Cruz .
 
Comunhão/ 1 Cor. 11, 24 e 25.
Este é o meu corpo que será entregue por vós: o cálice é a nova aliança no meu sangue, diz o Senhor; faça isso em memória de mim, sempre que você tomá-lo.(Quem não pode comungar em especie, fazer comunhão espiritual)

Nosso Senhor Jesus Cristo numa aparição revelou a sóror Paula Maresca, fundadora do convento de Sta. Catarina de Sena de Nápoles, como se refere na sua vida, e lhe mostrou dois vasos preciosos, um de ouro e outro de prata, dizendo-lhe que conservava no vaso de ouro suas comunhões sacramentais e no de prata as espirituais. As espirituais com dependência exclusiva da piedade de Nosso Senhor Jesus Cristo, que alimentais nossa alma na solidão do coração.
“Meu Jesus, eu creio que estais realmente presente no Santíssimo Sacramento do Altar. Amo-vos sobre todas as coisas, e minha alma suspira por Vós. Mas, como não posso receber-Vos agora no Santíssimo Sacramento, vinde, ao menos espiritualmente, a meu coração. Abraço-me convosco como se já estivésseis comigo: uno-me Convosco inteiramente. Ah! não permitais que torne a separar-me de Vós” (Santo Afonso Maria de Liguori)
 
Depois da comunhão.
Assiste-nos, Senhor nosso Deus, e defende com socorro incessante aqueles cuja força elevaste por meio de teus mistérios. Por Nosso Senhor.

Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo Rosário.