sexta-feira, 30 de abril de 2021

Comentários Eleison – por Dom Williamson Número DCCXVII (717) – 10 de abril de 2021

 

8 DE 31 RAZÕES

Caro Rabino, por favor, aceite nossa imensa gratidão,

Por uma grande dose de rara sensatez.


 Há duas semanas, estes “Comentários” tiveram o prazer de apresentar, da parte de um rabino israelense, uma pilha de sensatez na forma de 31 razões pelas quais ele não tomará a “vacina” anticovid. O único problema foi que a maioria delas teve de ser encurtada para que todas coubessem dentro do A4 de um “Comentários Eleison”. Então, aqui está uma seleção de oito delas em toda a sua extensão:

1. Não se trata de uma vacina. Uma vacina, por definição, proporciona imunidade a uma enfermidade. Essa não proporciona imunidade a nada. Na melhor das hipóteses, ela apenas se limita a reduzir a possibilidade de contrair um caso grave de infecção por um vírus se alguém se contagia. Portanto, é um tratamento médico, não uma vacina. Não quero fazer tratamento médico para uma doença que não tenho.

3. Os presumidos benefícios desse tratamento médico são mínimos, e não durariam muito em nenhum caso. O “establishment” reconhece isso, e já está falando sobre injeções adicionais e de um número cada vez maior de novas “vacinas” que seriam necessárias de forma regular. Recuso-me a tornar-me um paciente crônico que recebe regularmente injeções de novos produtos farmacêuticos simplesmente para reduzir minhas chances de contrair um caso grave de infecção por um vírus que essas injeções nem sequer previnem.

5. O “establishment” insiste que esse tratamento médico é seguro. Mas não é possível que eles saibam disso, porque os efeitos de longo prazo são totalmente desconhecidos, e não serão conhecidos por muitos anos. Podem especular que é seguro, mas lhes falta sinceridade ao afirmarem algo de que não se pode saber. Como não são sinceros, não confio neles, e não quero participar de seu tratamento.

9. Os executivos e membros do Conselho de Administração da Pfizer declararam que eles mesmos não tomaram seu próprio tratamento, apesar de toda a fanfarra e de todas as garantias. Alegam que considerariam injusto "furar a fila". Essa é uma desculpa absurda, e é preciso uma quantidade incrível de descaramento para dizer uma coisa dessas. Essa “fila” é um produto de sua própria imaginação; se eles monopolizassem algumas injeções para si mesmos, ninguém reclamaria. Além disso, multimilionários com jatos particulares e ilhas particulares não se caracterizam por esperar na fila até que centenas de milhões de camponeses em todo o mundo sejam os primeiros a receber qualquer coisa que esses multimilionários queiram para si mesmos.

21. O governo americano selou seu protocolo relacionado ao vírus e aos tratamentos por TRINTA ANOS. Esta é uma informação que o público tem o direito de conhecer, e que o governo tem a responsabilidade de compartilhar. O que eles estão encobrindo? Esperam realmente que eu acredite que não há nada de errado em tudo isso, e que se preocupam antes de tudo com minha saúde? A última vez que fizeram isso foi com o caso das crianças do Iêmen. Se você não está familiarizado com este assunto, faça uma pesquisa. Agora eles estão fazendo a mesma coisa. Não me enganaram da primeira vez, e definitivamente não me enganam agora.

26. As histórias de terror já estão chegando em alta velocidade, mas os políticos não estão nem um pouco preocupados, o “establishment” médico as deixa de lado como se não tivessem relação ou fossem insignificantes, a grande mídia as está ignorando, as empresas farmacêuticas estão avançando a toda velocidade, e aqueles que levantam uma bandeira vermelha continuam sendo intimidados, censurados e punidos. Está claro que minha vida e meu bem-estar não são sua principal preocupação. Não serei a próxima cobaia em seu laboratório. Não me arriscarei a ser a próxima “coincidência”.

30. Vejo todas as mentiras, a corrupção, a propaganda, a manipulação, a censura, a intimidação, a violação da ética médica, a falta de integridade no processo científico, a supressão das reações adversas inconvenientes, o desprezo pelas preocupações legítimas, a histeria, o comportamento de seita, a ignorância, o estreitamento mental, o medo, a tirania médica e política, a ocultação dos protocolos, a falta de verdadeira preocupação com a vida humana, a falta de respeito pelos direitos humanos e as liberdades básicas, a perversão da Torá e do bom senso, a demonização de pessoas boas, o maior experimento médico de todos os tempos sendo conduzido por pessoas gananciosas, indignas de confiança e sem Deus, a irresponsabilidade daqueles que exigem que eu arrisque tudo... Eu vejo tudo isso e decidi que todos eles podem ocupar meu lugar na fila. Porei minha confiança em Deus. Usarei a mente com a qual Ele me abençoou e confiarei em meus instintos naturais. O que nos leva ao último motivo que resume o motivo pelo qual não serei "vacinado".

31. A coisa toda fede.

Kyrie Eleison


Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo Rosário. 

30 de abril dia de Santa Catarina de Sena. Virgem.

30/04 Sexta-feira
Festa de Terceira Classe 
Paramentos Brancos

 Santa Catarina de Sena, nasceu em Sena no dia 25 de março do ano 1347, filha de um tintureiro e de mãe muito amorosa. Seus pais eram pobres e toda herança que deixaram para ela era uma educação rígida que valorizassem as virtudes do ser humano e a regesse para uma vida fiel a Deus. Era aplicada nos estudos e sempre preferia se isolar para rezar do que brincar com as outras crianças.
  Aos 15 anos de idade, Catarina ingressou na Ordem Terceira de São Domingos. Viveu um amor apaixonado por Deus e pelo próximo. Encerrou-se em uma cela e durante muitos anos só se dirigiu a Deus e a seu confessor. Orava o dia inteiro e seu quarto se iluminava de uma estranha luz a cada vez que ela se entregava com fervor às suas orações. Abandonou sua cela somente em 1374, quando a peste se alastrou por toda a Europa e ela decidiu cuidar dos enfermos e foi muito admirada e querida principalmente pelos italianos.
  No ano 1376, quando grupos antipapas se organizaram nas cidades de Peruggia, Florença, Pisa e Toscânia decidiram se posicionar contra o papa São Gregorio XI, Santa Catarina decidiu seguir até Avinhão, cidade onde o papa se encontrava escondido, e apresenttar-se diante do mesmo para ajudá-lo. Regressou em 1378, indo direto para sua cela e continuar sua vida isolada. . Embora analfabeta, ditava suas cartas endereçadas aos papas, aos reis e líderes, como também ao povo humilde. .
Deixou-nos o Diálogo sobre a Divina Providência, uma exposição clara de suus escritos, sua mística, o que colocaassim Santa Catarina de Sena grande mística da Igreja.
  Santa Catarina de Sena morreu no dia 29 de abril do ano 1380, com 33 anos de idade.

Leitura da Epístola de São Paulo aos

II Coríntios 10, 17-18 e 11,1-2
7.Ora, quem se gloria, glorie-se no Senhor. 18.Pois merece a aprovação não aquele que se recomenda a si mesmo, mas aquele que o Senhor recomenda.1.Oxalá suportásseis um pouco de loucura de minha parte! Oh, sim! Tolerai-me. 2.Eu vos consagro um carinho e amor santo, porque vos desposei com um esposo único e vos apresentei a Cristo como virgem pura.

Sequência do Santo Evangelho 

São Mateus 25,1-13
1.Então o Reino dos céus será semelhante a dez virgens, que saíram com suas lâmpadas ao encontro do esposo. 2.Cinco dentre elas eram tolas e cinco, prudentes. 3.Tomando suas lâmpadas, as tolas não levaram óleo consigo. 4.As prudentes, todavia, levaram de reserva vasos de óleo junto com as lâmpadas. 5.Tardando o esposo, cochilaram todas e adormeceram. 6.No meio da noite, porém, ouviu-se um clamor: Eis o esposo, ide-lhe ao encontro. 7.E as virgens levantaram-se todas e prepararam suas lâmpadas. 8.As tolas disseram às prudentes: Dai-nos de vosso óleo, porque nossas lâmpadas se estão apagando. 9.As prudentes responderam: Não temos o suficiente para nós e para vós; é preferível irdes aos vendedores, a fim de o comprardes para vós. 10.Ora, enquanto foram comprar, veio o esposo. As que estavam preparadas entraram com ele para a sala das bodas e foi fechada a porta. 11.Mais tarde, chegaram também as outras e diziam: Senhor, senhor, abre-nos! 12.Mas ele respondeu: Em verdade vos digo: não vos conheço! 13.Vigiai, pois, porque não sabeis nem o dia nem a hora.

Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo Rosário. 

quinta-feira, 29 de abril de 2021

Comentários Eleison – por Dom Williamson Número DCCXVI (716) – 3 de abril de 2021

FALA SOLZHENYTSIN

Ao sofrer sob o comunismo, os russos aprenderam,

O que realmente importa, e voltaram para Deus.

Aqui está, para a Páscoa, o famoso Discurso Templeton de Alexander Solzhenytsin, resumido drasticamente. O discurso é de 1983.

Quando eu era criança, as pessoas diziam que foi o esquecimento de Deus que levou à Revolução Russa de 1917. Agora, em 1983, sou um homem, e essa frase ainda diz tudo. Ela resume todo o século XX com todos os seus crimes, começando com a Primeira Guerra Mundial, que não teria sido possível (por exemplo, a transformação de gás venenoso em arma) sem um amargor ímpio nos líderes da Europa. A Segunda Guerra Mundial também não. Os europeus estão exaustos. A paz depende dos corações fortes, não da bomba nuclear. Acostumamo-nos muito com o Apocalipse. Dostoievski disse que os grandes acontecimentos nos têm pego desprevenidos, e só depois que o mundo tiver sido possuído pelos demônios será possível salvá-lo novamente.

Enquanto isso, o Diabo está triunfando em todo o mundo. Em 1917, a fé estava extinta na classe dirigente russa, e estava ameaçada na classe trabalhadora. No entanto, houve um tempo em que a Rússia estava mergulhada no cristianismo ortodoxo. A piedade, e não o materialismo, moldava o pensamento e a personalidade das pessoas, e organizava suas vidas. Mas um cisma no século XXVII e as reformas de Pedro, o Grande, enfraqueceram a religião, e o secularismo do século XIX envenenou a classe dirigente, de modo que em 1917 a religião estava paralisada.

A revolução sempre começa com o ateísmo, diz Dostoievski, mas nunca o ateísmo foi tão malévolo como no coração do comunismo. Na década de 1920, houve uma verdadeira nuvem de mártires cristãos na Rússia, de alto a baixo da Igreja e do estado, enquanto, por exemplo, as crianças eram arrancadas de seus pais e de toda religião. Stalin favoreceu a religião apenas para reviver o patriotismo russo contra Hitler, e Brezhnev fingiu ser religioso para enganar o Ocidente; mas Krushchev demonstrou o quão profundamente a religião é odiada pelo comunismo e por todos os sucessores indignos do ensandecido Lenin. No entanto, nenhum desses perseguidores ensandecidos de Cristo esperava o que aconteceu: sob o rolo compressor comunista, a consciência russa de Deus é agora aguçada e profunda. Os tanques e os foguetes jamais destruirão o cristianismo.

No Ocidente, a religião está mais ameaçada desde dentro do que desde fora. Na Idade Média, o secularismo surgiu de dentro, mais perigoso do que tanques e foguetes. O ideal dela não voa mais alto do que a vida, a liberdade e a busca da minha própria felicidade. O bem e o mal são objetos de zombaria. Esquece-se o coração humano. Resultado: o mal está por toda parte. O Ocidente escorrega cada vez mais, perdendo sua juventude. A mídia blasfema contra Jesus e Maria. Nesse caso, que motivo tenho para não fazer o que gosto com minha liberdade? Por que não odiar minha própria sociedade, tal como ela está ensinando-me a fazer? As fraquezas do capitalismo não correspondem às fraquezas da natureza humana? Por exemplo, a busca de dinheiro ao pecado capital da avareza? O capitalismo jacta-se de estabelecer a igualdade. Mas não é uma igualdade de escravos, desprovida de valores espirituais? E isso me torna mais livre? Mas quanto mais “livre” eu sou, isso não significa que mais cegamente eu odeio? A salvação nunca pode ser pelo dinheiro ou pela abundância de bens materiais.

Sem amor, a vida e a arte perecem. No Ocidente, isso acontece voluntariamente nas mãos de homens que querem ocupar o lugar de Deus. Tanto o Oriente como o Ocidente têm se esquecido de Deus. No entanto, a chave para toda a nossa existência é a escolha diária que cada coração humano tem de fazer entre o bem e o mal. As teorias modernas que centralizam tudo na sociedade mostraram-se falidas, mas não rejeitamos suas mentiras. A menos que nos voltemos para Deus, nunca encontraremos a saída para nossos problemas. O inimigo está dentro de mim. Somos nós que nos enforcamos.

A vida humana não é mais que uma etapa no caminho para Deus. É mais do que as leis da matéria, ou seja, as ciências físicas. Em Deus vivemos e nos movemos, e temos nosso ser: Ele é o “Amor que move o sol e as outras estrelas” – Dante, verso final de toda a sua “Divina Comédia”. Esqueça os séculos XIX e XX. Devemos buscar a Deus. O chamado Iluminismo foi um completo fracasso.

Kyrie eleison.

Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo Rosário. 

quarta-feira, 28 de abril de 2021

28 de abril dia de São Luís Maria Grignion de Montfort.


 http://2.bp.blogspot.com/-QeQqRuZDvx4/U-qg6O1T4eI/AAAAAAAAGzI/8To27bUrxJA/s1600/S%C3%A3o%2BLu%C3%ADs%2BMaria%2BGrignion%2Bde%2BMontfort%2C%2BPresb%C3%ADtero%2B(est%C3%A1tua%2Bem%2Bm%C3%A1rmore).jpg
Terceiro Padroeiro da Sociedade Religiosa Regina Pacis ou
Escravas de Maria Rainha da Paz. 

      Hoje, 28 de abril dia  comemora-se este grande santo que nos ensino a como ser devotos verdadeiros da Santíssima Virgem Maria na  escravidão.
Nasceu em 3 de janeiro de 1673, em Montfort-la-Cane (hoje Montfort-sur-Meu), na Bretanha, segundo dos 18 filhos do advogado João Batista e de Joana Roberto de la Vizeule. São Luís herdou do pai um temperamento colérico e arrebatado, e dirá depois que "custava-lhe mais vencer sua veemência e a paixão da cólera que todas as demais juntas". Mas conseguiu-o tão bem, que um sacerdote seu companheiro, nos últimos anos de sua vida, atesta que: "Realizou esforços incríveis para vencer sua natural veemência; e o conseguiu, e adquiriu a encantadora virtude da doçura", que atraía tanto as multidões.
O São Luís Grignion de Montfort sentia também muito pendor pela solidão, sendo comum retirar-se a um canto da casa para entregar-se à oração diante de uma imagem da Virgem, rezando principalmente o Rosário.São Luís Grignion por devoção a Nossa Senhora, na crisma acrescentou ao seu nome o de Maria.
Em 1684 os pais o enviaram a estudar humanidades como externo no Colégio Tomás Becket, dos jesuítas de Rennes. Ali passará ele oito anos, com muito bom aproveitamento.
Todos os dias, antes de ir para o colégio, ele passava em alguma igreja para fazer uma visita ao Santíssimo Sacramento e a alguma imagem de Nossa Senhora. Muitas vezes, antes de voltar para casa, fazia o mesmo.
Como diz um seu biógrafo, "seu bom coração, cheio de misericórdia e de compaixão para com o próximo, o levava a ocupar-se em amparar os escolares pobres que estudavam com ele no colégio. Não os podendo socorrer com seus próprios recursos, ia solicitar para eles esmolas junto às pessoas caridosas".
Foi isso que o levou a freqüentar um grupo de jovens reunidos por um sacerdote, o Pe. Bellier, aos quais este fazia palestras sobre temas piedosos, e os enviava depois aos hospitais para consolar e instruir os pobres. Era junto destes que o adolescente São Luís passava parte de seus dias de folga.
Concluídos os estudos, decidiu tornar-se sacerdote, dirigindo-se então a Paris. Fez a longa viagem a pé, pedindo de esmola alojamento e comida.
Uma benfeitora obteve para ele que entrasse no célebre seminário de Saint Sulpice. Depois de muitas vicissitudes, foi ordenado sacerdote em 1700.
 Capela de São Luís M. Grignion de Montfort, em Pontchâteau, na Bretanha (França) Durante cinco anos não contínuos, o Pe. de Montfort - como era conhecido - trabalhou na diocese de Poitiers, seja como capelão do Hospital Geral, seja pregando missões nos arrabaldes da cidade, combatendo as blasfêmias, canções obscenas e embriaguezes. No Hospital Geral veio-lhe a idéia de formar uma associação de donzelas, que "dedicou à Sabedoria do Verbo Encarnado, para confundir a falsa sabedoria das pessoas do mundo e estabelecer entre elas a loucura do Evangelho".Selecionou para isso 12 das jovens pobres mais fervorosas, elegendo como sua superiora uma cega. Mais tarde associou a esse grupo duas jovens da boa burguesia, a futura beata Maria Luísa Trichet e Catarina Brunet. "A sabedoria que preconiza Montfort se inspira, de um lado, na segunda carta de São Paulo aos Coríntios: a cruz, escândalo e loucura para tantos sábios, mas sabedoria de Deus, misteriosa e escondida".
Entretanto os infeccionados pela heresia jansenista - essa espécie de protestantismo disfarçado -, junto com os livres pensadores, começaram uma campanha de calúnia contra esse missionário "extravagante", que pregava uma "devoção exagerada" à Mãe de Deus. Ele precisou dissolver sua associação da Sabedoria e retirar-se do Hospital, apesar dos protestos veementes dos pobres e dos enfermos.
O Pe. de Montfort aproveitou essa ocasião para fazer uma peregrinação a Roma. Na Cidade Eterna, pô-se à disposição do Sumo Pontífice para trabalhar pela salvação das almas em qualquer parte onde este o quisesse enviar. Clemente XI julgou que o missionário seria mais útil em sua própria pátria, ensinando a doutrina cristã às crianças e ao povo e fazendo reflorescer o espírito do cristianismo pela renovação das promessas do batismo. O Papa nomeou-o Missionário Apostólico. Mas estava ele sob a dependência dos bispos, muitos dos quais de tendência jansenista.
Voltando à França, passou a trabalhar com o Pe. Leuduger, que tinha um grupo de missionários dedicados totalmente à evangelização do campo. Foi uma nova experiência para o Pe. Montfort, pois constatou a importância do canto e das grandes procissões nos esforços missionários. Ele escreverá várias dezenas de cantos populares, cujas letras se adaptavam a melodias profanas, muito em voga então.
Seis meses depois, vemo-lo em sua cidade natal, evangelizando a região, tendo associado a si dois leigos, um dos quais será o Irmão Maturin Rangeard, que continuará por 55 anos evangelizando como missionário leigo.
Mas esta atividade foi também proibida a Luís Grignion pelo bispo de Saint Malo, por influência dos jansenistas.
Em Nantes ele obteve o cargo de diretor das missões de toda a diocese, tendo ali trabalhado durante dois anos. Dessa época temos o seguinte depoimento de um seu contemporâneo: "O que mais se destacava nele era um dom e uma graça singular para ganhar os corações. Tendo-o ouvido, punha-se nele toda confiança.A confiança pronta e fácil que as pessoas tinham nele era tão grande, que conseguiu estabelecer em várias paróquias as orações da noite, o rosário e a sepultura nos cemitérios [contra o costume de se enterrar nas igrejas]; o que não se tinha podido conseguir, [...] ele o conseguiu na primeira proposta que fez".(5)
A construção do Calvário de Pontchâteau por São Luís M. Grignion de Montfort, em Pontchâteau Numa missão em Pontchâteau, o Pe. de Montfort entusiasmou-se com a idéia de erigir um grande calvário em uma colina próxima, e seu entusiasmo contagiou o povo. Durante 15 meses, de 400 a 500 pessoas de todas as idades e condições sociais trabalharam diariamente para aplainar o terreno e montar o calvário. O Pe. de Montfort estava exultante. Tinha já conseguido do bispo de Nantes a autorização para benzê-lo, e estava tudo preparado para o dia 14 de setembro, festa da Exaltação da Santa Cruz. Mas, à véspera desse dia, chegou uma proibição formal do bispo de se proceder à cerimônia. O assunto levantou polêmica e chegou até Versalhes, onde, mal informado, o rei Luís XIV ordenou que demolissem aquilo que lhe apresentavam como uma fortaleza facilmente conquistável pelo inimigo vindo do mar...
Em seguida veio a proibição de pregar naquela diocese.
Por sua devoção ao Rosário, o Pe. de Montfort entrou para a Ordem Terceira de São Domingos, querendo pertencer a uma Ordem que honrava de maneira tão especial a Santíssima Virgem.
Recusado e até expulso de várias dioceses - uma vez lhe foi interditado até celebrar, tendo ele que partir imediatamente para chegar em tempo à diocese vizinha, a fim de rezar a Missa na festa da Assunção -, soube o missionário que seria bem recebido nas dioceses de Luçon e de La Rochelle, cujos bispos eram meritoriamente antijansenistas.
Essas duas dioceses compreendiam uma parte da região da Vandéia, que mais tarde, em 1793, levantar-se-ia contra a sangrenta e atéia Revolução Francesa. Foi na Vandéia que o Pe. de Montfort trabalhou durante os últimos cinco anos de sua vida, implantando naquelas populações uma sólida formação católica. Esta foi, décadas mais tarde, um decisivo fator para a gloriosa e épica Guerra da Vandéia, contra os ímpios revolucionários de 1789.

R$ 10,00 com frete incluso
Pedidos para lojinhadoconvento@gmail.com
  Ajudem a divulgar o livro O Segredo Admirável do Santíssimo Rosário para se Converter e se Salvar de São Luís Maria Grignion de Montfort, tradução do original Título original Le Secret Admirable du Très Saint Rosaire pour se convertir et se sauver.
.
  Nossa Senhora de Fatima disse o Santo Rosário ultima tabua de salvação.    Este livro detalha e explica a importancia desta devoção então compre e presentei seus amigos uma forma de divulgar apostolado do Santo Rosário.
  

São Luís Grignion seus livros Seus escritos inspiraram grandes Conversões. 
O livro Tratado da Verdadeira Devoção à Santíssima Virgem,O Segredo Admirável do Santíssimo Rosário para se Converter e se Salvar orientou e conduziu no caminho da perfeição muitas almas em todo o mundo. "

"O Rosário é mais valioso que os salmos, pois: Assim como a realidade é mais importante que a prefiguração, e o corpo mais importante do que a sombra, da mesma forma o Rosário é mais grandioso que o Saltério de Davi que nada mais fez que prefigurá-lo." (São Luís de Maria G. de Montfort)

"O cristão que não medita sobre os mistérios do Rosário é muito ingrato a Nosso Senhor e mostra o quão pouco ele se preocupa por tudo que o Salvador Divino sofreu para salvar o Mundo." (São Luís de Maria G. de Montfort)

“Se, pela graça de Deus, você já alcançou um alto nível de oração, mantenha a prática de rezar o Santo Rosário. Pois nunca ninguém que reza o Rosário diariamente se tornou um herege formal ou foi enganado pelo demônio. Esta é uma declaração que eu alegremente assino com meu sangue.” (São Luís de Maria G. de Montfort)  

“É lamentável ver como a maioria das pessoas rezam o Santo Rosário, extremamente rápido e murmurando, fazendo com que as palavras não sejam pronunciadas claramente.” (São Luís de Maria G. de Montfort). 

“A oração pública é muito mais poderosa que a oração individual para apaziguar a ira de Deus e obter Sua Misericórdia”. (São Luís de Maria G. de Montfort) 

Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo Rosário.  

Comentários Eleison – por Dom Williamson Número DCCXV (715) – (27 de março de 2021)

 

TRINTA E UMA RAZÕES

Se houvesse mais alguns homens como o senhor,
Não estaríamos nessa terrível fritada!

Apareceu recentemente na Internet uma lista admirável de 31 razões escritas por um rabino israelense, explicando por que ele não tomará a famosa "vacina" contra a covid. Parabéns ao Rabino!

1 Não se trata de uma vacina, que proporciona, por definição, imunidade, mas um tratamento médico que proporciona somente certa proteção contra um vírus. Não preciso de nenhum tratamento médico para uma enfermidade que não tenho.
2 A indústria farmacêutica, os “establishments” políticos e médicos e a grande mídia conspiraram para chamá-la “vacina” a fim de enganar o povo. Não quero ter nada que ver com esses manipuladores enganosos.
3 Os presumidos benefícios do tratamento médico são mínimos, e não durariam muito em nenhum caso. O “establishment” já está falando sobre a repetição e a obrigatoriedade de uma variedade de injeções. Não, obrigado!
4 Posso proteger-me de um vírus simplesmente fortalecendo meu sistema imunológico naturalmente, e, em caso de necessidade, existem vitaminas e medicamentos de eficácia comprovada como a ivermectina e a hidroxicloroquina para combatê-lo.
5 O “establishment” não pode saber se sua “vacina” é segura, porque os efeitos de longo prazo não serão conhecidos por muitos anos. Não confio neles. Não quero participar de seu tratamento.
6 A indústria farmacêutica e os políticos por trás da “vacina” não são legalmente responsáveis ​​e não podem ser processados ​​se algo der errado. Se eles não arriscam nada, eu não arriscarei a minha saúde.
7 O primeiro-ministro de Israel admitiu abertamente que Israel é o laboratório mundial dessa "vacina" experimental. Não estou interessado em ser cobaia.
8 Para aceitar uma “vacina” para os israelenses, Israel também aceitou compartilhar os resultados com a empresa farmacêutica estrangeira envolvida. Eu nunca aceitei. Não contribuirei para esse empreendimento sórdido.
9 Os executivos e membros do Conselho de Administração da Pfizer (empresa que produz a “vacina”) declararam que não tomaram sua própria “vacina” – pois “não querem pular a fila”... que desculpa absurda!
10 A grande mídia aceita essa desculpa ridícula sem problemas. Inclusive elogia os executivos da Pfizer por sua abnegação. Já que essas pessoas nos consideram tolos, não confiarei em nenhuma delas.
11 Bill Gates afirma que as vacinas são essenciais para a sobrevivência da humanidade; ele quer despovoar o mundo; ele tampouco foi “vacinado”. A tudo o que Bill Gates propõe: não, obrigado.
12 O “establishment” tem sido totalmente unilateral na promoção da “vacina”. Essas pessoas têm sido enganosas e manipuladoras. Não vou apostar meu bem-estar pessoal na integridade delas.
13 Existe, para promover essa “vacina”, a campanha de marketing mais difundida de toda a história. Isso não é apropriado para nenhum tratamento médico, quanto mais para um novo, o que me faz recuar.
14 As massas estão seguindo a correnteza, alimentando a pressão do grupo para fazer o mesmo. É alarmante e doentio.
15 Quem quer que se oponha à “vacina” é intimidado, caluniado, ridicularizado, censurado, condenado ao ostracismo, ameaçado e demitido de seu emprego. Eu sempre confiarei antes nessas pessoas corajosas, e não no “establishmen”.
16 Esse é o maior experimento médico da história da humanidade.
17 No entanto, o fato de que se trata de um experimento está sendo severamente silenciado.
18 Se as pessoas soubessem o que realmente está acontecendo, pouquíssimas aceitariam participar.
19 O “establishment” médico não está dizendo nada a ninguém sobre tudo isso.  Essas pessoas são corruptas. Eu não confio em seus medicamentos.
20 Essa pressão para “vacinar” viola toda a ética médica e os direitos democráticos. Não contem comigo!
21 O governo dos Estados Unidos está selando todos os registros de “vacinas” durante 30 anos. O que estarão encobrindo?
22 Compartilham esses registros com corporações estrangeiras, mas não com sua própria gente? Estou fora!
23 O “establishment” está colocando todo tipo de gente para arengar com os não participantes. Como se atrevem?
24 Ninguém “vacinado” que eu conheça estudou realmente a questão de antemão. Desconfio das seitas.
25 A indústria farmacêutica é famosa por promover seus produtos, mesmo contra toda evidência contrária.
26 As histórias de terror surgem, densas e rapidamente. Ninguém lhes está dando ouvidos. Eu não serei a próxima "coincidência".
 27 Não se pode sugerir que qualquer morte tenha sido relacionada a uma "vacinação" anterior. É sério?
28 O culto religioso de adoração a uma “vacina” me causa repulsa.
29 Meu médico me atormenta para tomar a “vacina”. Mas ele não me deu nenhuma informação contrária.
30 Vejo todo esse cenário que não merece o mínimo crédito. Confiarei em Deus, e na mente e nos instintos naturais que Ele me deu.
 31 A coisa toda fede.

 
Kyrie Eleison

Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo Rosário. 


28 de abril dia de São Paulo da Cruz. Confessor.

28/04 Quarta-feira
Festa de Terceira Classe 
Paramentos Brancos 

Papa Pio IX, assinalado pelo honroso epíteton “Cruz da Cruz”, teve a satisfação de inscrever no catálogo dos Santos Paulo da Cruz, o grande devoto à Sagrada Paixão de Jesus, o benemérito fundador dos Passionistas.

Este Santo nasceu em 1694, na Itália setentrional e recebeu no Batismo o nome de Paulo Francisco. Os piedosos pais souberam dar a seu filho uma ótima educação cristã, e em suas instruções muitas vezes relataram-lhe fatos da vida de penitência que levaram os santos Eremitas. Foi neste ambiente de piedade e amor de Deus, que Paulo Francisco nasceu e cresceu.

Não podia, pois, faltar, que também ele fosse do mesmo espírito, e, menino ainda de poucos anos, se entregasse aos exercícios de oração e penitência também. Seu lugar predileto era a Igreja, ou para acolitar o sacerdote no altar ou para visitar Nosso Senhor no Santíssimo Sacramento. Todos os dias rezava o terço. Este terno amor à Maria Santíssima teve o recompensado uma vez com a aparição de Nossa Senhora com o Menino Jesus, e outra vez pela salvação miraculosa de um grande perigo de morte.

Nas sextas-feiras se flagelava e seu alimento era um pedaço de pão embebido em vinagre e fel.

Fez estudos em Cremolino, localidade vizinha. Não só revelou bonitos talentos, como entre os condiscípulos se distinguiu pela pureza dos costumes, que o fez ser por todos respeitado e amado. Com alguns dos seus companheiros fez uma santa aliança, com o fim de se solidificarem no amor de Deus e se familiarizarem com a meditação sobre a Sagrada Paixão e Morte do Salvador. Entrou com eles na Irmandade de Santo Antônio, sendo ele nomeado seu chefe. Nesta qualidade muitas vezes dirigia a palavra à numerosa assistência dos Irmãos, que muito apreciavam suas alocuções, cheias de sentimento e piedade.

Quis seu tio sacerdote que, por interesses puramente materiais tomasse estado, a que o sobrinho teve esta bela resposta: “Meu Salvador crucificado, eu vos asseguro, que em vós vejo o meu sumo Bem, e que, possuindo-vos a vós, me basta”. Esta vitória sobre sua própria natureza Deus lhe recompensou com um forte desejo, que lhe deu ao martírio.

Quis se alistar entre os soldados de Veneza, para com eles ir combater os turcos, mas Deus lhe revelou, ser a sua vontade que fundasse uma Congregação de homens que, como missionários, trabalhassem pela salvação das almas. Paulo confiou este segredo ao bispo de Alexandria, o qual, após madura reflexão aprovou o plano, e em 22 de novembro de 1720 lhe deu o hábito preto com uma cruz branca sobre o peito, encimada esta do Santo Nome de Jesus, e impôs-lhe o nome de Paulo da Cruz. Na mesma ocasião autorizou-o a ensinar a doutrina cristã ao povo de Castellazzo.

Paulo obedeceu; com o crucifixo na mão andou pelas ruas da cidade, chamando o povo para dar atenção às verdades divinas. Suas prédicas sobre a Sagrada Paixão causaram profunda impressão. Os ouvintes choravam, velhas inimizades acabaram de vez; não mais se ouvia falar de orgias no Carnaval, e por toda a parte apareceram dignos frutos de penitência. Ali mesmos, restringindo a sua alimentação a pão e água, escreveu a Regra da sua futura Ordem, fez uma romaria a Roma, e com seu irmão João se retirou para o monte Argentano perto de Orbitello. A fama do seu zelo apostólico, de sua vida mortificada e santa fizeram com que o Bispo de Toja, os chamasse para sua diocese, lhes conferisse as ordens sacerdotais, e do Papa Benedito XIII alcançasse a licença de poder aceitar candidatos em seu noviciado.

Depois de alguns anos de abençoada atividade os Irmãos voltaram para o monte Argentano, para proceder à fundação da Ordem. Em breve aliaram-se-lhes discípulos. A cidade de Orbitello se encarregou de os dotar de grande convento, de que tomaram posse em 1737.

A finalidade da Ordem, fundada por São Paulo da Cruz é pela pregação de missões implantar e firmar nos corações o amor de Deus por meio de meditação da Sagrada Paixão e Morte de Jesus Cristo. Todos os seus Religiosos, aos três votos comuns acrescentam o quarto, pelo qual se obrigam a trabalhar pela propagação entre os fiéis da devoção à Sagrada Paixão.

A Ordem foi aprovada pelo Papa Bento XIV, em 1741. Deste mesmo Papa é o conceito: “Esta Ordem, que ao nosso ver, devia antes de toda ser a primeira, acaba de ser aprovada por último”. Paulo foi nomeado seu primeiro superior geral.

Com o estabelecimento oficial da Ordem, as suas obrigações começaram a vigorar. Não é possível enumerar as Missões que foram pregadas nas cidades e nas aldeias; e muito menos haverá quem possa contar as conversões nelas efetuadas. As prédicas de São Paulo da Cruz sobre a Paixão de Cristo operaram milagres nas almas dos mais empedernidos pecadores. “Padre, disse-lhe certa vez um oficial militar, eu estive no tumulto da batalha; presenciei terrível canhoneio sem estremecer; mas as suas práticas fazem-me tremer da cabeça aos pés”. Paulo pregando, parecia ser tomado todo do amor divino; falando do amor de Jesus na Eucaristia, dos tesouros insondáveis do sacrifício da Missa, ou tratando da devoção da Mãe de Deus dolorosa, seu rosto se transfigurava, e o ardor com que falava, se comunicava aos ouvintes.

A santa Missa celebrada por ele era um espetáculo de piedade e de concentração para todos a quem era dado lhe assistir.

Os seis Papas, em cujo governo Paulo da Cruz viveu, tinham-no em alta consideração. Clemente XIV deu à sua Ordem o Convento de São João e Paulo no monte Ceio, onde tinham pregado as últimas Missões.

Quando muito doente, desenganado pelos médicos, mandou ao Santo Padre pedir a bênção para a hora da morte, Pio VI deu ao mensageiro esta resposta: “Não queremos que o vosso Superior morra agora; dizei-lhe que esperamos a sua visita aqui, depois de três dias”. Paulo, ao receber esta ordem, apertou o crucifixo ao coração e disse, em abafado gemido: “Oh meu Senhor crucificado, quero obedecer ao vosso representante”. O perigo da morte desapareceu imediatamente, e três dias depois esteve no Vaticano, cordialmente recebido pelo Papa.

Viveu mais três anos, cheios de sofrimentos, mas sempre unido a Jesus na Sagrada Paixão e a Maria a Mãe dolorosa, de quem favores especiais recebeu na hora da morte, em 18 de outubro de 1775. Paulo da Cruz despediu-se do mundo na idade de 81 anos. Sua Ordem chamada a dos “Passionistas” continua florescente, no vigor e no espírito do seu Fundador, na Itália, na Bélgica, Bulgária, Inglaterra e Austrália. No Brasil ela se estabeleceu em 1911, com Casa Provincial em São Paulo.


Leitura da Epístola de São Paulo aos

I Coríntios 1, 17-25
17 Cristo não me enviou para batizar, mas para pregar o Evangelho; e isso sem recorrer à habilidade da arte oratória, para que não se desvirtue a cruz de Cristo. 18 A linguagem da cruz é loucura para os que se perdem, mas, para os que foram salvos, para nós, é uma força divina. 19 Está escrito: Destruirei a sabedoria dos sábios, e anularei a prudência dos prudentes (Is 29,14). 20 Onde está o sábio? Onde o erudito? Onde o argumentador deste mundo? Acaso não declarou Deus por loucura a sabedoria deste mundo? 21 Já que o mundo, com a sua sabedoria, não reconheceu a Deus na sabedoria divina, aprouve a Deus salvar os que crêem pela loucura de sua mensagem. 22 Os judeus pedem milagres, os gregos reclamam a sabedoria; 23 mas nós pregamos Cristo crucificado, escândalo para os judeus e loucura para os pagãos; 24 mas, para os eleitos - quer judeus quer gregos -, força de Deus e sabedoria de Deus. 25 Pois a loucura de Deus é mais sábia do que os homens, e a fraqueza de Deus é mais forte do que os homens.


Sequência do Santo Evangelho 

São Lucas 10, 1-9
1 Depois disso, designou o Senhor ainda setenta e dois outros discípulos e mandou-os, dois a dois, adiante de si, por todas as cidades e lugares para onde ele tinha de ir. 2 Disse-lhes: Grande é a messe, mas poucos são os operários. Rogai ao Senhor da messe que mande operários para a sua messe. 3 Ide; eis que vos envio como cordeiros entre lobos. 4 Não leveis bolsa nem mochila, nem calçado e a ninguém saudeis pelo caminho. 5 Em toda casa em que entrardes, dizei primeiro: Paz a esta casa! 6 Se ali houver algum homem pacífico, repousará sobre ele a vossa paz; mas, se não houver, ela tornará para vós. 7 Permanecei na mesma casa, comei e bebei do que eles tiverem, pois o operário é digno do seu salário. Não andeis de casa em casa. 8 Em qualquer cidade em que entrardes e vos receberem, comei o que se vos servir. 9 Curai os enfermos que nela houver e dizei-lhes: O Reino de Deus está próximo.

Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo Rosário. 

terça-feira, 27 de abril de 2021

Comentários Eleison – por Dom Williamson Número DCCXIV (714) – (20 de março de 2021)

 

A IMPOSTURA COVID

 A impostura da Covid goteja sangue de abortos –
Se isso continuar, cuidado com um Dilúvio de fogo!


 Já faz quase um ano desde que a impostura da Covid foi espalhada por todo o mundo, de um só golpe, e fundamentada em uma grande mentira segundo a qual uma praga mortal estaria para ser lançada sobre toda a humanidade. A grande mentira tornou-se evidente assim que o número de mortes mostrou que a chamada “pandemia” não era pior do que uma gripe de inverno comum. No entanto, os políticos vis e a mídia vil continuam até hoje, a mando de seus mestres ocultos, a espalhar uma enxurrada de mentiras sobre a “pandemia”, a fim de manterem um estado artificial de pânico entre os povos de todo o mundo. Essa credulidade contínua é um espetáculo vergonhoso da parte deles, mas eles só podem culpar-se a si mesmos, como sempre, e desta vez por sua falta de bom senso que segue sua falta de amor à verdade, uma falta que é o que vai trazer o Anticristo em pouco tempo (2Ts. II, 10). Covid não tem nada que ver com saúde, mas tem tudo que ver com o afã pelo poder mundial dos mestres ocultos, usados por Deus como um flagelo para as múltiplas maldades da sociedade abortiva.
 No entanto, existem aquelas almas que estão fazendo o que podem para deter os vilões, como, por exemplo, a Corona-Committee Foundation, com sede em Berlim, que tornou público no dia 14 de setembro do ano passado um breve relatório de 28 páginas em alemão, do qual se reproduzem abaixo em português as “Conclusões Provisórias” da página 23. Trata-se de uma fortaleza germânica do bom senso e da verdade, organizada por quatro advogados alemães para a Alemanha em particular, mas com a assinatura de apoio de outros 23 especialistas, principalmente médicos, de todo o mundo. Pode-se obter seu relatório na Internet, em corona-ausschuss.de/wp-content/uploads/209/ 02/.
 Segundo o que sabemos agora, temos motivos muito sérios para pensar que o risco decorrente da covid foi fortemente superestimado, ao passo que os riscos e danos das eventuais contramedidas não foram suficientemente levados em consideração. O Governo (alemão) declarou já em abril de 2020 que não tinha realizado, nem havia previsto, qualquer estudo sobre as consequências delas. Em um processo conduzido por um advogado frente à Administração da Baviera, a Chancelaria do Estado da Baviera tornou público que, até então, contra todas as leis do estado segundo as quais todos os negócios do estado devem poder ser comprovados, não havia nenhuma investigação, nem perícia escrita que calculasse essas consequências. Isso só pode ser visto, no mínimo, como uma grave negligência, especialmente em vista dos informes cada vez mais pesados sobre danos causados ​​pelo lock-down a empresas, crianças, idosos, etc.
 Quando se pesa os riscos, então fica claro que um risco calculável, não mais perigoso para a saúde do sistema como um todo do que qualquer outro vírus da gripe, foi enfrentado com um conjunto de medidas altamente arriscadas. Essest riscos do lock-down e dessas contramedidas deixaram agora de ser, em grande medida, riscos, e se tornaram realidades. Não se produziram os resultados esperados, porque as novas infecções ou novos testes positivos, como mostra o número de mortes pelo menos em retrospectiva, já estavam caindo quando o lock-down entrou em vigor. E desde o final de junho de 2020, os resultados positivos dos testes parecem fazer parte daquele ruído de fundo de falsos-positivos provenientes dos testes. Quanto às contramedidas em curso (máscaras, distanciamento social, perda de rendas, fechamento de salas de concerto, etc., etc.), dia a dia estão a destruir ainda mais a economia, a saúde, a vida cultural e social dos seres humanos na Alemanha. As desvantagens e vantagens das contramedidas são desproporcionais entre si, o que faz com que os ataques contra os direitos humanos decorrentes delas também sejam desproporcionais e, consequentemente, ilegais.
 Os governos não calcularam suficientemente as consequências que acompanham as contramedidas que impuseram, tal como lhes recordaram explicitamente os tribunais superiores do país. Pelo contrário, renunciaram conscientemente a tomar conhecimento de qualquer dano colateral. Como não condená-los por tal comportamento?

 Coragem, católicos e não católicos – a impostura ainda não acabou.

Kyrie eleison.

Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo Rosário. 


27 de abril dia de São Canísio,livra-nos das heresias.

27/04 Terça-feira
Festa de Terceira Classe 

Paramentos Brancos 

  Nasceu em oito de maio de 1521, no ducado de Geldern, atual Holanda. Ao contrário dos demais garotos, preferia os livros de oração às brincadeiras. Muito estudioso e dedicado, com quinze anos seu pai o encaminhou para estudar em Colônia e, com dezenove, recebeu o grau de doutor em filosofia. Não aprendeu somente as ciências terrenas. Com um mestre profundamente católico, Pedro também se aprofundou, nos estudos da doutrina de Cristo, fazendo despertar a vocação que se adivinhava desde a infância.
  Logo após sua formatura, os pais, que almejavam um belo futuro financeiro para a família, lhe arranjaram um bom casamento. Mas Pedro Canísio não aceitou. Não só recusou como também fez voto eterno de castidade. Dirigiu-se para Mainz, dedicar-se somente ao estudo da religião.
   Orientado pelo padre Faber, célebre discípulo do futuro santo Inácio de Loyola, em 1543 ingressou na recém-fundada Companhia de Jesus. Três anos depois foi ordenado padre jesuíta, recebeu a incumbência de voltar para Colônia e fundar uma nova Casa para a Ordem. Assim começou sua luta contra um cisma que abalou e dividiu a Igreja: o protestantismo.
   Quando era professor de teologia na cidade de Colônia, sendo respeitado até pelo imperador, Pedro Canísio conseguiu o afastamento do arcebispo local, que era abertamente favorável aos protestantes. Em seguida, participou do Concílio de Trento, representando o cardeal Oto de Augsburg. Pregou e combateu o cisma, também, em Roma e Messina, onde lecionava teologia. Mas teve que retornar à Viena, onde o protestantismo fazia enormes estragos.     Foi nesse período que sua luta incansável trouxe mais frutos e que também escreveu a maior parte de suas obras literárias. Fundou vários colégios católicos como em Viena, Praga, Baviera, Colônia, Innsbruck e Dillingen.
  Foi nomeado pelo próprio fundador, Inácio de Loyola, provincial da Ordem para a Alemanha e a Áustria. Pregou em Strasburg, Friburg e até na Polônia, sempre denunciando os seguidores do sacerdote Lutero, pai do protestantismo.
  Admirado pelos pontífices e governantes do seu tempo, respeitado como primeiro jesuíta de nacionalidade alemã, Pedro Canísio morreu em 21 de dezembro de 1597, em Friburg, atual Suíça, após cinqüenta e quatro anos de dedicação à Companhia de Jesus e à Igreja.
  Foi canonizado por Pio XI, em 1925, para ser festejado, no dia de sua morte, como São Pedro Canísio, Doutor da Igreja, título que também recebeu nessa ocasião.


Relíquias de São Pedro Canísio
 São Canísio ensinou que, existe um caminho que conduzem a Jesus Cristo, a veneração de Maria é o unico caminho até Ele.
  Redigiu o primeiro catecismo,conforme as prescrições do Concílio de Trento.
  Durante sua vida, seu 'Catecismo' apareceu em mais de 200 edições em pelo menos 12 línguas. Foi uma das obras que influenciaram São Luiz Gonzaga a entrar na Companhia de Jesus; e até o séc. XVIII, em vários lugares, as palavras 'Canísio' e catecismo eram sinônimos. Ele tornou-se como fundamento e padrão para os catecismos impressos posteriormente".
Catechismus minimus (1556)
Parvus catechismus catholicorum (1558)


OBSERVEM ABAIXO  A IGREJA DO VATICANO II 


 Constituição Dei Verbum do Concílio do Vaticano II:
“A Igreja venerou sempre as divinas Escrituras como venera o próprio Corpo do Senhor” (D.V. nº21). 
  São três a dar testemunho: As Escrituras (= Biblia); a Eucaristia e Jesus Cristo. Chamam-se proto-sacramentos que como na palavra protó-tipo, indicam o que está na origem de outros, na sua raiz. 

Não há Eucaristia sem Palavra nem Jesus Cristo sem Bíblia. 

Neste sentido a Bíblia é um proto-sacramento ainda mais fortepor ser Ela a primeira a dar-nos razões para acreditarmos em Jesus Cristo. Verdadeira Palavra de Deus e verdadeira palavra dos homens, lida com os olhos da fé, sob a luz do Espirito Santo e a vigilância dos pastores da Igreja, Ele torna-se para todo o crente “uma nascente de água a jorrar para a vida eterna” (Jo4, 14).

FONTE deste absurdo: http://www.vatican.va/archive/hist_councils/ii_vatican_council/documents/vat-ii_const_19651118_dei-verbum_po.html

  A SEITA DO VATICANO II QUE TEM 50 ANOS QUE VENERA O CORPO NOSSO SENHOR.

 A IGREJA CATOLICA APOSTOLICA ROMANA  ADORA  Corpo,Alma e Divindade de DEUS FILHO . 

Para quem não sabe: Veneração (do latim veneratio, do grego δουλια, "douleuo" ou "dulia", que significa "honrar").

O Culto Divino latria= Adoração está devidamente reservado apenas para Deus.

Não há Eucaristia sem Palavra nem Jesus Cristo sem Bíblia.
Que loucura é essa?
Será que eles queriam falar assim: Não há Jesus Cristo sem a Santa Cruz e a Santa Cruz sem Jesus Cristo.(São Luís Maria Grignion de Montfort) 

 Inventaram PROTO-sacramento e dividiram em três as Escrituras
 (= Bíblia); a Eucaristia e Jesus Cristo. Chamam-se proto-sacramentos.
(proto-sacramentos)Proto significa antes o que eles querem dizer antes- sacramentos. 
ESTE NOVO MISTÉRIO DA FÉ.
  Tu és memo uma ONG. 
    Não leram o catecismo tradicional por isso ensinam heresias. 

Concílio de Trento: 844. Cân. 1. Se alguém disser que os sacramentos da Nova Lei não foram todos instituídos por Jesus Cristo Nosso Senhor, ou que são mais ou menos que sete, a saber: Batismo, Confirmação, Eucaristia, Penitência, Extrema-Unção, Ordem e Matrimônio; ou que algum destes sete não é verdadeira e propriamente sacramento — seja excomungado.

 A Bíblia é um proto-sacramento ainda mais forte, por ser Ela a primeira a dar-nos razões para acreditarmos em Jesus Cristo. 
  
  Seguem o protestantes que colocam a Biblia em primeiro lugar.
Usam lingagem de protestante a palavra nós dizemos a Sagrada Escritura.
  A Santa Igreja Ensina que a mais forte é a Tradição Divina e a Sagrada Escritura.
A Tradição "conserva a Palavra de Deus, confiada por Cristo Senhor e pelo Espírito Santo aos Apóstolos, e transmite-a integralmente aos seus sucessores.
   Ela Bíblia não é a primeira, mais sim Nosso Senhor Jesus Cristo que a transmitiu, pois antes de existir a Bíblia o Verbo já exista e depois se tornou carne e se revelou.
 Novo Testamento só existe porque quem revelou foi Nosso Senhor. 

Concílio de Trento: 846. Cân. 3. Se alguém disser que estes sete sacramentos são entre si iguais, de sorte que não há razão alguma de um ser mais digno do que o outro — seja excomungado.
 A Eucaristia é o sacramento por exelencia pois é o Nosso Senhor Segunda pessoa da Santissima Trindade é Deus em Corpo,Alma e Divindade.

“Vos transmiti o que recebi... vos preguei o que recebestes para que não acrediteis em vão... Tal a nossa pregação tal a vossa fé”. (ICor., 15) 
A conservação da Divina Tradição só podia ser garantida por Deus, pois aquele que a constitui também a conserva.
    
  Isto diz Constituição  Dei Verbum do Concílio do Vaticano II.
  Depois querem que nós católicos que defendemos a santa Tradição aceitemos isto à luz da Tradição.
  O que a luz tem que a ver com as trevas, pois quando chega a luz a trevas vai embora.
Dos modernistas pode esperar tudo que é heresia.

  Tudo isto que estamos explicando ensina-se no Catecismos Tradicionais antes da Igreja do VATICANO II. 
  Por isso vamos reeditar os Catecismos da Santa Igreja antes do Concílio Vaticano II.

São Pedro Canísio. Apóstolo contra as heresias prostestante.
Convertei os modernistas pois ensinam doutrinas contrárias ao que a Santa Igreja ensina.

Leitura da Epístola extraída do livro do 


II Timóteo4,1-8
1 Eu te conjuro em presença de Deus e de Jesus Cristo, que há de julgar os vivos e os mortos, por sua aparição e por seu Reino: 2 prega a palavra, insiste oportuna e importunamente, repreende, ameaça, exorta com toda paciência e empenho de instruir. 3 Porque virá tempo em que os homens já não suportarão a sã doutrina da salvação. Levados pelas próprias paixões e pelo prurido de escutar novidades, ajustarão mestres para si. 4 Apartarão os ouvidos da verdade e se atirarão às fábulas. 5 Tu, porém, sê prudente em tudo, paciente nos sofrimentos, cumpre a missão de pregador do Evangelho, consagra-te ao teu ministério. 6 Quanto a mim, estou a ponto de ser imolado e o instante da minha libertação se aproxima. 7 Combati o bom combate, terminei a minha carreira, guardei a fé. 8 Resta-me agora receber a coroa da justiça, que o Senhor, justo Juiz, me dará naquele dia, e não somente a mim, mas a todos aqueles que aguardam com amor a sua aparição.

Sequência do Santo Evangelho 

São Mateus 5,13-19
13.Vós sois o sal da terra. Se o sal perde o sabor, com que lhe será restituído o sabor? Para nada mais serve senão para ser lançado fora e calcado pelos homens.14.Vós sois a luz do mundo. Não se pode esconder uma cidade situada sobre uma montanha15.nem se acende uma luz para colocá-la debaixo do alqueire, mas sim para colocá-la sobre o candeeiro, a fim de que brilhe a todos os que estão em casa.16.Assim, brilhe vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem vosso Pai que está nos céus.17.Não julgueis que vim abolir a lei ou os profetas. Não vim para os abolir, mas sim para levá-los à perfeição.18.Pois em verdade vos digo: passará o céu e a terra, antes que desapareça um jota, um traço da lei.19.Aquele que violar um destes mandamentos, por menor que seja, e ensinar assim aos homens, será declarado o menor no Reino dos céus. Mas aquele que os guardar e os ensinar será declarado grande no Reino dos céus.

Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo Rosário. 

segunda-feira, 26 de abril de 2021

Comentários Eleison – por Dom Williamson Número DCCXIII (713) – (13 de março de 2021)

CAUSAS DA RUÍNA


 Então, vamos dizer e amar a verdade até o fim,

E, humildemente, sob seu jugo, estiremos nossos pescoços.

 Há duas semanas, nestes “Comentários”, um tradicionalista veterano fez alguns comentários interessantes sobre o assunto dos infiltrados, conscientes ou inconscientes, que destruíram a Igreja Católica desde dentro. Os leitores deverão lembrar-se de como ele se esforçou em vão para tentar restaurar a Tradição Católica dentro da estrutura conciliar. Ele descobriu que não era possível fazê-lo. Quando, além disso, lhe foi perguntado: "Mas como os próprios clérigos puderam cometer o suicídio da Igreja? Isso não faz sentido!”, ele ainda tinha outras coisas interessantes por dizer:

  Acho que tudo isso se resume ao amor pela Verdade ou à falta dela. Em minha opinião, aqueles que realmente amam a Verdade a encontrarão – ou lutarão até que a encontrem, e então agirão de acordo com ela. Acho que a fé entrou em colapso nos anos de 1960 e 1970, porque os católicos se tornaram muito fracos. Na missa do meio-dia em minha paróquia nos anos de 1950, praticamente ninguém comungava. Os sacerdotes vêm do povo, e o povo amoleceu. Quando as mudanças aconteceram, metade dessas pessoas as aceitou de bom grado, pois tornavam muito mais fácil viver a “Fé”, já que os não católicos não eram mais hostis; uma fé era tão boa quanto a outra, e agora podíamos todos sorrir uns para os outros, e o clero sempre guiaria o caminho! A maior parte da outra metade se juntou a seitas protestantes ou simplesmente abandonou totalmente a religião. Algumas almas corajosas, uma pequena minoria que ainda possuía aquele amor pela Fé, formaram suas próprias capelas. Sua maior inspiração foi o Arcebispo Lefebvre, o único que tinha fé para compreender que a hierarquia estava em um estado desesperador de apostasia.

 Só Deus pode julgar os corações dos homens, mas, em minha opinião, não há desculpa para aqueles que abandonaram a Fé. Talvez quase todos os que o fizeram paguem com as suas almas. Minha geração é a pior, porque nascemos e crescemos na Fé e a abandonamos porque pensamos que nos tornaria a vida mais fácil e muito menos desafiadora. As gerações seguintes, embora um pouco menos culpáveis por terem tido sua herança católica negada, ainda tinham pouca desculpa, pois todos têm o dever de viver a Verdade. Onde a fé é branda, os católicos são covardes, principalmente quando se trata do aborto. Os Bispos nem mesmo se pronunciam contrariamente a ele, por medo de perder seu status fiscal ou de ofender alguém. O senador Timothy Kaine, que mora em nossa cidade, é tão pró-aborto e pró-perversão quanto se pode ser, e ao mesmo tempo afirma que a fé católica é o que mais importa em sua vida. Ele disse tudo quando afirmou: “Eu sou um católico tipo Francisco”. Que eu saiba, o Bispo de Richmond nunca o questionou sobre o aborto, muito menos lhe negou o que se passa por sagrada comunhão, quando ele deveria tê-lo excomungado há muito tempo.

 O veterano acima está investigando o colapso geral dos católicos após o Vaticano II. Outro leitor destes “Comentários” busca, a seguir, a causa do deslizamento particular da Fraternidade Sacerdotal São Pio X, que, no entanto, havia sido suscitada por Deus para resistir àquele colapso geral:

  Eu acho que é o farisaísmo. É o mesmo farisaísmo que matou Nosso Senhor que agora está matando a Igreja e a Fraternidade. A verdadeira humildade e caridade se perderam. O farisaísmo, como o dos “sepulcros caiados” do Evangelho, leva à cegueira espiritual – “Cega este povo, para que vendo, não veja, ouvindo, não ouça”... Os fariseus tinham um conhecimento perfeito das Escrituras e da Lei, mas mesmo assim mataram seu Messias. Hoje eles estão matando a Igreja, e simplesmente não conseguem ver, estão cegos...

  Na Fraternidade, acredito que havia pelo menos sacerdotes subversivos e, na cúpula, alguns líderes que sofriam de completa cegueira, mas estes não teriam chegado a lugar nenhum se a Fraternidade como um todo não tivesse caído no farisaísmo. Se tivessem seguido humildemente o seu santo Fundador, não teriam pensado que saberiam mais do que ele, nem teriam deixado de lado os pedidos de Nossa Senhora dos Rosários para a Consagração da Rússia, pensando que saberiam mais do que o próprio Deus. Tal insulto não poderia ficar impune por Ele. O castigo foi a cegueira espiritual como a dos fariseus, um castigo terrível! Deus, tem misericórdia de nós!

Kyrie eleison.

Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo Rosário. 

26 de abril dia dos Santo Cleto e Santo Marcelino. Papas e Mártires.

 26/04 Segunda-feira 
Festa de Terceira Classe
Paramentos Vermelhos


 São Cleto, foi o terceiro Papa da Igreja Católica, portanto, o segundo sucessor de São Pedro na Sé apostólica.
  Era de origem romana, da família dos pretorianos. Convertido à fé, fez-se discípulo de São Pedro, se bem que por pouco tempo, mas o suficiente para absorver as virtudes angélicas na escola de seu mestre, de forma que destacou-se por seu grande fervor e admirável devoção. Com sua afabilidade, conquistou o coração de todos, tendo especial simpatia mesmo entre os pagãos. São Pedro tanto apreciou Santo Cleto que, assim como São Lino, o designou para importantes trabalhos apostólicos em Roma e lugares circunvizinhos.
  Assumiu o trono pontifício logo após o martírio de seu predecessor, São Lino, no ano 79. Da mesma forma, enfrentou as dificuldades, perseguições e constantes investidas, defendendo com muita coragem as causas da Igreja de Cristo. Em todo o império romano, não havia província tão remota e nem rincão tão escondido, que não sentisse os efeitos da sua caridade e preocupação com as necessidades dos cristãos. A uns, socorria com esmolas, a outros, alentava com cartas, e a todos consolava e dirigia com paternais instruções. Ainda que seu rebanho fosse extremamente numeroso, pastoreava os cristãos com extrema vigilância.
  Ao completar doze anos no governo da Igreja, o imperador Domiciano, inimigo mortal dos cristãos, moveu contra a Igreja uma das mais horríveis e atrozes perseguições. Foram usadas todas as formas de crueldades contra os servos de Cristo. Deflagrou uma verdadeira tempestade que simultaneamente atingiu todos os cantos do império. Tão fulminante foi a ordem de extermínio que, somente em um dia, tombaram milhares de mártires cristãos, cujo sangue correu desde a parte central até às regiões mais longínquas do império. Mas pouco caso o tirano fazia da exterminação do rebanho, pois tomou conhecimento que o Pastor ainda vivia e por isto, concentrou contra ele toda a sua ira. Ordenou aos guardas que fosse encontrado o Pontífice romano, o qual não cessava de percorrer, de dia e de noite, todas as cidades e lugarejos, campinas, grutas e mesmo cavernas, usadas como esconderijo cristão. Na sua peregrinação, Santo Cleto procurava consolar e assistir os cristãos, durante este duro período. Acabou sendo encontrado e foi arrastado e metido num cárcere, amarrado por cadeias. Grande alegria demonstrou, para admiração de todos, pois nutria o desejo de poder derramar seu sangue por Cristo. O tirano, ainda que impaciente em acabar com a vida do Pontífice, submeteu-lhe a diversos tormentos. Foi, pois, finalmente martirizado no dia 26 de abril de 92. Seus restos mortais encontram-se na Igreja de São Pedro, no Vaticano.
São Marcelino

  
 São Marcelino (Marcellinus) nasceu em Roma, provavelmente em 250.Papa e santo da Igreja Cristã Romana (296-304) nascido em Roma, sucessor de São Caio (283-296), que durante o seu pontificado, teve de enfrentar a perseguição de Diocleciano. Após cinco anos de paz, teve que esconder-se nas catacumbas, onde confortava os cristãos, para fugir à perseguição de Diocleciano, que condenara à morte toda pessoa que professasse a religião cristã. O seu nome porém, é recordado na famosa inscrição do diácono Severo, que se encontra nas Catacumbas de São Calisto, na Via Ápia. Em hexâmetros latinos, Severo descreveu a construção de um cubículo com arcossólios como tranqüila morada na paz para si e seus caros, autorizado pelo seu papa. O termo papa, como sinônimo do bispo de Roma aparece pela primeira vez nessa inscrição, com a sigla abreviada PP, usada ainda hoje pelos papas em suas assinaturas. O papa de número 29, morreu em Verona, durante a perseguição de Diocleciano, mas não como mártir, embora seu nome figure na lista dos mártires do imperador, e foi sepultado na Catacumba de Priscila. Parte superior do formulário


Parte inferior do formulário

Sua vida antes do começo do seu pontificado que começou a 30 de junho de 296 e durou até 25 de outubro de 304, ano em que foi martirizado durante a grande perseguição organizada pelo imperador Diocleciano

Sabe-se igualmente que foi durante o pontificado do Papa Marcelino que “nasceu” o primeiro país cristão: a Arménia.

O corpo do santo Pontífice, seg egundo o Liber Pontificalis, foi sepultado a 26 de abril no cemitério de Priscilla, sobre a Via Salaria, 25 cinco dias após o seu martírio; todavia o Catálogo liberiano diz que foi em 25 de outubro, mas isso pouco importa, visto que o principal é saber onde se encontram os seus restos mortais de maneira que os cristãos os possam venerar.

Leitura da Epístola de

I São Pedro 5, 1-4 e 10-11
 1Eis a exortação que dirijo aos anciãos que estão entre vós; porque sou ancião como eles, fui testemunha dos sofrimentos de Cristo e serei participante com eles daquela glória que se há de manifestar.2Velai sobre o rebanho de Deus, que vos é confiado. Tende cuidado dele, não constrangidos, mas espontaneamente; não por amor de interesse sórdido, mas com dedicação;3não como dominadores absolutos sobre as comunidades que vos são confiadas, mas como modelos do vosso rebanho.4E, quando aparecer o supremo Pastor, recebereis a coroa imperecível de glória10O Deus de toda graça, que vos chamou em Cristo à sua eterna glória, depois que tiverdes padecido um pouco, vos aperfeiçoará, vos tornará inabaláveis, vos fortificará.11A ele o poder na eternidade! Amém.


Sequência do Santo Evangelho

São Mateus 16, 13-19
13Chegando ao território de Cesaréia de Filipe, Jesus perguntou a seus discípulos: No dizer do povo, quem é o Filho do Homem?14Responderam: Uns dizem que é João Batista; outros, Elias; outros, Jeremias ou um dos profetas.15Disse-lhes Jesus: E vós quem dizeis que eu sou?16Simão Pedro respondeu: Tu és o Cristo, o Filho de Deus vivo!17Jesus então lhe disse: Feliz és, Simão, filho de Jonas, porque não foi a carne nem o sangue que te revelou isto, mas meu Pai que está nos céus.18E eu te declaro: tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja; as portas do inferno não prevalecerão contra ela.19Eu te darei as chaves do Reino dos céus: tudo o que ligares na terra será ligado nos céus, e tudo o que desligares na terra será desligado nos céus.

Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo Rosário.