quarta-feira, 15 de junho de 2022

15 de junho dia de São Vitor( São Guido) Martir.

15/06 Quarta-feira
Festa de Quarta Classe 
Paramentos Verdes

 São Vitor nasceu na Sicília. Sua vida tem fatos extraordinários, com 7 anos já era cristão convicto. Ele foi um dos santos mais populares da Idade Média. Testemunho disso é a sua inserção no limitado grupo dos Santos Auxiliadores aos doze. De acordo com Atas do seu martírio, São Vitor foi instruído secretamente na doutrina cristã pelo casal Modesto, seu preceptor, e Crescência, sua ama-seca ao descobrir, seu pai, Hilas, tentou persuadir o filho a abandonar a fé Crista e prestar homenagens as divindades e não conseguindo persuadi-lo, maltratou barbaramente. Vendo, entretanto, que nada conseguia, entregou-o ao Governador Valeriano, para que tomasse as providências, que a lei exigia. O garoto foi preso e levado perante o tribunal. Como continuou declarando-se cristão, foi açoitado e posto em liberdade. São Vitor, Modesto e Crescência, fugiram de Sicília e alcançaram as costas de Nápoles, em Lucânia. Ficaram vagando as margens do rio Siluro, até que conseguiram chegar a Roma. Não demorou a novamente serem presos, açoitados e condenados às feras. Uma forte tempestade desabou sobre os espectadores, possibilitando a fuga dos prisioneiros para Lucânia. 


A fama de São Vitor chegou até aos ouvidos de Diocleciano, cujo filho estava doente epilético, doença então impressionante. São Vitor foi a Roma, curou o moço com o sinal da cruz e por recompensa foi torturado e jogado novamente no cárcere. Mas o anjo libertou-o novamente. Somente mais tarde sofreu o martírio sob o imperador romano Diocleciano. São Vitor é um dos “Quatorze Santos Ajudantes” ou Quatorze Santos Auxiliares e é invocado como padroeiro dos Parkinson e epilépticos se chamava doença de São Guido, “Dança de São Guido” São Vitor, e conhecido no Brasil como São Guido.


Intróito/Sal. 12, 6.
Senhor, esperei na tua misericórdia: o meu coração se transportará de alegria por causa da tua salvação: cantarei ao Senhor que me cobriu de bênçãos e louvarei o nome do Senhor Altíssimo.
Ps. ib., 1.Até quando, Senhor, Tu vai me esquecer? Até quando você vai virar o rosto para longe de mim?
V/. Glória Patri.

Coleta
Deus, tu és a força daqueles que esperam em ti, sê favorável aos nossos pedidos: e visto que a fraqueza do homem não pode fazer nada sem ti, dá-nos a ajuda da tua graça; para que, fiéis em observar teus mandamentos, possamos te agradar com vontade e ação.

Leitura da Epístola de

São João Apóstolo 
4, 8-21. 
 "8.Aquele que não ama não conhece a Deus, porque Deus é amor. 9.Nisto se manifestou o amor de Deus para conosco: em nos ter envia­do ao mundo o seu Filho único, para que vivamos por ele. 10.Nisto consiste o amor: não em termos nós amado a Deus, mas em ter-nos ele amado, e enviado o seu Filho para expiar os nossos pecados. 11.Caríssimos, se Deus assim nos amou, também nós nos devemos amar uns aos outros. 12.Ninguém jamais viu a Deus. Se nos amarmos mutuamente, Deus permanece em nós e o seu amor em nós é perfeito.* 13.Nisso é que conhecemos que estamos nele e ele em nós, por ele nos ter dado o seu Espírito. 14.E nós vimos e testemunhamos que o Pai enviou seu Filho como Salvador do mundo. 15.Todo aquele que proclama que Jesus é o Filho de Deus, Deus permanece nele e ele em Deus. 16.Nós conhecemos e cremos no amor que Deus tem para conosco. Deus é amor, e quem permanece no amor permanece em Deus e Deus nele. 17.Nisto é perfeito em nós o amor: que tenhamos confiança no dia do julgamento, pois, como ele é, assim também nós o somos neste mundo. 18.No amor não há temor. Antes, o perfeito amor lança fora o temor, porque o temor envolve castigo, e quem teme não é perfeito no amor. 19.Mas amamos, porque Deus nos amou primeiro. 20.Se alguém disser: “Amo a Deus”, mas odeia seu irmão, é mentiroso. Porque aquele que não ama seu irmão, a quem vê, é incapaz de amar a Deus, a quem não vê. 21.Temos de Deus este mandamento: o que amar a Deus, ame também a seu irmão."

Gradual. Pr. 40, 5 e 2.Gradual Ego dixi: Dómine, miserére mei: sana ánimam meam, quia peccávi tibi.Eu disse: Senhor, tem piedade de mim: cura a minha alma, porque pequei contra ti.V/. Beatus, que integra super egenum e páuperem: in die mala liberábit eum Dóminus. V/. Bem-aventurado aquele que tem entendimento do necessitado e do pobre: ​​o Senhor o livrará no dia mau. Aleluia, aleluia. Aleluia, aleluia.
V/. Ps. 5, 2. Verba mea áuribus pércipe, Dómine: intéllege clamórem meum. Aleluia. V/. Senhor, dá ouvidos às minhas palavras: entende o meu clamor. Aleluia.

Sequência do Santo Evangelho 

São Lucas 
6, 36-42.
"36.Sede misericordiosos, como também vosso Pai é misericordioso. 37.Não julgueis, e não sereis julgados; não condeneis, e não sereis condenados; perdoai, e sereis perdoados; 38.dai, e vos será dado. Será colocada em vosso regaço medida boa, cheia, recalcada e transbordante, porque, com a mesma medida com que medirdes, sereis medidos vós também”. 39.Propôs-lhes também esta comparação: Pode acaso um cego guiar outro cego? Não cairão ambos na cova? 40.O discípulo não é supe­rior ao mestre; mas todo discípulo perfeito será como o seu mestre. 41.Por que vês tu o argueiro no olho de teu irmão e não reparas na trave que está no teu olho? 42.Ou como podes dizer a teu irmão: Deixa-me, irmão, tirar de teu olho o argueiro, quando tu não vês a trave no teu olho? Hipócrita, tira primeiro a trave do teu olho e depois enxergarás para tirar o argueiro do olho de teu irmão."

Ofertório/ Sal. 5, 3-4.
Esteja atento à voz da minha oração, meu rei e meu Deus; pois é a ti que orarei, Senhor.

Secreta
Nossas hóstias são oferecidas a Ti, recebe-as favoravelmente, Senhor: e que elas nos sirvam para obter ajuda perpétua.

Comunhão/Sal. 9, 2-3.
Contarei todas as suas maravilhas; em Ti me regozijarei e me regozijarei; Eu cantarei seu nome, ó Altíssimo.(Quem não pode comungar em especie, fazer comunhão espiritual)

Nosso Senhor Jesus Cristo numa aparição revelou a sóror Paula Maresca, fundadora do convento de Sta. Catarina de Sena de Nápoles, como se refere na sua vida, e lhe mostrou dois vasos preciosos, um de ouro e outro de prata, dizendo-lhe que conservava no vaso de ouro suas comunhões sacramentais e no de prata as espirituais. As espirituais com dependência exclusiva da piedade de Nosso Senhor Jesus Cristo, que alimentais nossa alma na solidão do coração.
“Meu Jesus, eu creio que estais realmente presente no Santíssimo Sacramento do Altar. Amo-vos sobre todas as coisas, e minha alma suspira por Vós. Mas, como não posso receber-Vos agora no Santíssimo Sacramento, vinde, ao menos espiritualmente, a meu coração. Abraço-me convosco como se já estivésseis comigo: uno-me Convosco inteiramente. Ah! não permitais que torne a separar-me de Vós” (Santo Afonso Maria de Liguori)
 
Depois da comunhão.
Somos nutridos, Senhor, de tão grandes bênçãos: fazei, nós vos imploramos, que usufruímos destas dádivas salutares e que nunca deixemos de vos louvar.

Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo Rosário