terça-feira, 17 de maio de 2022

17 de maio dia de São Pascoal Baylon,confessor.

17/05 Terça-feira  
Festa de Terceira Classe
Paramentos Brancos
São Pascoal Baylon Foi-lhe posto o nome de Pascoal por ter nascido no Domingo da Ressurreição de Jesus (Páscoa). Nasce em Torrehermosa, Aragão, Espanha no ano de 1540. Filho de uma família humilde. Desde muito novo guardou rebanho e portanto não sobrava tempo para ir à escola. Como tinha muita pena de não saber ler nem escrever, levava para o campo um cadernito e pedia às pessoas que ia encontrando que o ensinassem. Quando por fim aprendeu a ler, dedicou-se à leitura da vida de Jesus e dos Santos. Aos vinte anos sentiu o apelo da vida religiosa e apresentou-se no convento dos Franciscanos descalços em Valência. Ajudava com afabilidade todos aqueles que lhe pedissem serviços quer dentro quer fora dos convento. No dia da Purificação de Nossa Senhora no ano de 1565 faz os votos religiosos. Foi enviado para vários conventos e davam-lhe sempre a responsabilidade da portaria ou refeitório uma vez que era uma pessoa muito afável, atenta, humilde e vigilante. Tinha sempre o cuidado de distribuir comida e esmolas aos pobres que batiam à porta do convento e rezava com eles antes das refeições. Foi um homem de oração. Para tudo recorria a ela, sabia que Deus nunca o iria abandonar. Passava horas inteiras diante do Santíssimo.
 Durante a vida fez algumas curas milagrosas.
 À ele recorriam ilustres personalidades para se aconselharem, inclusive o seu Provincial que lhe confiou a tarefa perigosa de levar documentos importantes para Paris. Essa viagem Pascoal fez a pé, descalço e com o hábito de franciscano, arriscando ser morto pelos calvinistas.
  Defensor extremado de sua fé, travou grande luta contra os calvinistas franceses que negavam a eucaristia. Apesar da sua simplicidade, Pascoal era muito determinado quando se tratava de dissertar sobre sua espiritualidade e conhecimentos eucarísticos. Morre no Domingo de Pentecostes no ano de 1592.
  Foi autor de um pequeno livro de sentenças que comprovam a real presença de Cristo na Eucaristia e o poder sagrado transmitido ao Sumo Pontífice. Por isso foi considerado um dos primeiros e mais importantes teólogos da eucaristia.
  Ele morreu no dia 17 de maio de 1592, aos cinqüenta e dois anos, em Villa Real, Valência. Em 1690 foi canonizado. O Papa Leão XIII, nomeou São Pascoal Baylon patrono das obras e dos congressos eucarísticos.

Intróito/ Sal. 36, 30-31.
A boca do justo meditará sobre a sabedoria, e a sua língua proferirá eqüidade; a lei de seu Deus está em seu coração. (TP Aleluia, aleluia. )
Ps. Ibid., 1.Não tenha inveja dos ímpios e não tenha inveja dos que praticam a iniqüidade.
V/. Glória Patri.

Coleta
Ó Deus, que adornastes a alma do Beato Pascal, vosso Confessor, com admirável e terno amor pelos sagrados mistérios do vosso corpo e do vosso sangue, concedei-nos, em vossa bondade, o que merecemos obter deste banquete divino a mesma abundância de graças que ali encontrou.

Leitura da Epístola dos

Eclesiástico 31, 8-11
8 Bem-aventurado o rico que foi achado sem mácula, que não correu atrás do ouro, que não colocou sua esperança no dinheiro e nos tesouros! 9 Quem é esse homem para que o felicitemos? Ele fez prodígios durante sua vida. 10 Àquele que foi tentado pelo ouro e foi encontrado perfeito, está reservada uma glória eterna: ele podia transgredir a lei e não a violou; ele podia fazer o mal e não o fez. 11 Por isso seus bens serão fortalecidos no Senhor, e toda a assembléia dos santos louvará suas esmolas.

Aleluia, aleluia. V/. Iac. 1, 12. Beátus vir, qui sofreste tentação: quóniam, cum probátus fúerit, accípiet corónam vitae. Aleluia, aleluia. V/. Bem-aventurado o homem que sofre a prova com paciência, pois quando for provado receberá a coroa da vida.
Aleluia. V/. Ecl. 45, 9. Amávit eum Dóminus et ornávit eum: stolam glóriæ índuit eum. Aleluia. Aleluia. V/. O Senhor o amou e o adornou. Ele o vestiu com um manto de glória. Aleluia.

Sequência do Santo Evangelho

São Lucas 12, 35-40     
35 Estejam cingidos os vossos rins e acesas as vossas lâmpadas. 36 Sede semelhantes a homens que esperam o seu senhor, ao voltar de uma festa, para que, quando vier e bater à porta, logo lha abram. 37 Bem-aventurados os servos a quem o senhor achar vigiando, quando vier! Em verdade vos digo: cingir-se-á, fá-los-á sentar à mesa e servi-los-á. 38 Se vier na segunda ou se vier na terceira vigília e os achar vigilantes, felizes daqueles servos! 39 Sabei, porém, isto: se o senhor soubesse a que hora viria o ladrão, vigiaria sem dúvida e não deixaria forçar a sua casa. 40 Estai, pois, preparados, porque, à hora em que não pensais, virá o Filho do Homem.

Ofertório/Sal. 88, 25.
A minha verdade e a minha misericórdia estarão com ele e pelo meu nome surgirá o seu poder. (TP Aleluia. )

Secreta
Nós imolamos a ti, Senhor, uma multidão de louvores em memória de teus santos, em quem confiamos para triunfar sobre os males da vida presente e escapar dos males da vida futura.

Præfatio paschalis, in qua dicitur: in hoc potíssimum. Prefácio de Páscoa
 
Comunhão/ São Matheus. 24,46-47.
Bem-aventurado o servo que o senhor, ao chegar, encontrar vigiando; em verdade vos digo que ele o designará sobre todos os seus bens. (TP Aleluia. )(Quem não pode comungar em especie, fazer comunhão espiritual)

Nosso Senhor Jesus Cristo numa aparição revelou a sóror Paula Maresca, fundadora do convento de Sta. Catarina de Sena de Nápoles, como se refere na sua vida, e lhe mostrou dois vasos preciosos, um de ouro e outro de prata, dizendo-lhe que conservava no vaso de ouro suas comunhões sacramentais e no de prata as espirituais. As espirituais com dependência exclusiva da piedade de Nosso Senhor Jesus Cristo, que alimentais nossa alma na solidão do coração.
“Meu Jesus, eu creio que estais realmente presente no Santíssimo Sacramento do Altar. Amo-vos sobre todas as coisas, e minha alma suspira por Vós. Mas, como não posso receber-Vos agora no Santíssimo Sacramento, vinde, ao menos espiritualmente, a meu coração. Abraço-me convosco como se já estivésseis comigo: uno-me Convosco inteiramente. Ah! não permitais que torne a separar-me de Vós” (Santo Afonso Maria de Liguori)
 
Depois da comunhão.
Por favor, conceda-nos, ó Deus Todo-Poderoso, que enquanto damos graças pelos dons recebidos, possamos receber ainda mais benefícios por intercessão do Beato Ubaldo, seu Confessor e Pontífice.

Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo Rosário.