sexta-feira, 11 de novembro de 2022

11 de novembro dia de São Martinho, Bispo e Confessor

11/11 Sexta-feira
Festa de Terceira Classe
Paramentos Brancos


São Martinho de Tours era filho de um Tribuno e soldado do exército romano. Nasceu e cresceu na cidade de Sabaria, Panónia (atual Hungria), em 316, família pagã sob uma educação das seitas dos seus antepassados, deuses mitológicos venerados no Império Romano. Seu pai era comandante do exército romano. Por curiosidade aos 10 anos de idade, entrou para o grupo dos catecúmenos (aqueles que estão se preparando para receber o batismo).começou a frequentar uma Igreja cristã, sendo instruído na doutrina cristã, porem sem receber o batismo. Ao atingir a adolescência com 15 anos de idade seu pai para tê-lo mais à sua volta; o alistou na cavalaria do exército imperial, e contra a própria vontade, teve de ingressar no exército romano e dirigir-se para a Gália (região na atual França). Mas se o intuito do pai era afasta-lo da Igreja, o resultado foi inverso, pois Martinho, continuava praticando os ensinamentos cristãos, principalmente a caridade. Depois, foi destinado a prestar serviço na Gália, hoje França.  
Foi nessa época que ocorreu o famoso episódio do manto. Um dia um mendigo que tiritava de frio pediu-lhe esmola e, como não tinha, o cavalariano cortou seu próprio manto com a espada, dando metade ao pedinte. Durante a noite o próprio Jesus lhe apareceu em sonho, usando o pedaço de manta que dera ao mendigo e agradeceu a Martinho por tê-lo aquecido no frio. Dessa noite em diante, ele decidiu que deixaria as fileiras militares para dedicar-se à religião. Aos 18 anos abandonou o exército pois o cristianismo não comportava mais suas funções militares. Foi batizado por Santo Hilário, bispo da cidade de Poitiers.                                                                                    
Com vinte , afastado da vida da corte e do exercito. Tornou-se monge e discípulo do famoso Bispo de Poitiers, Santo Hilário que o ordenou diácono. Mais tarde, quando voltou do exílio em 360, doou a Martinho um terreno em Ligugé, a doze quilômetros de Poitiers. Ali ele fundou uma comunidade de monges. Mas logo eram tantos jovens religiosos que buscavam sua orientação, que Martinho construiu o primeiro mosteiro da França e da Europa ocidental.
No ocidente, ao contrário do oriente, os monges podiam exercer o sacerdócio para que se tornassem apóstolos na evangelização. Martinho liderou então a conversão de muitos e muitos habitantes da região rural. Com seus monges ele visitava as aldeias pagãs, pregava o evangelho, derrubava templos e ídolos e construía igrejas. Onde encontrava resistência fundava um mosteiro com os monges evangelizando pelo exemplo da caridade cristã, logo todo o povo se convertia. Dizem os escritos que, nesta época, havia recebido dons místicos, operando muitos prodígios em beneficio dos pobres e doentes que tanto amparava.
Quando ficou vaga a diocese de Tours, em 371 o povo o aclamou por unanimidade para ser o Bispo. Martinho aceitou, apesar de resistir no início. Mas não abandonou sua peregrinação apostólica, visitava todas as paróquias, zelava pelo culto e não desistiu de converter pagãos e exercer exemplarmente a caridade. Nas proximidades da cidade fundou outro mosteiro, chamado de Marmoutier. E sua influência não se limitou a Tours, mas se expandiu por toda a França, tornando-o querido e amado por todo o povo. Martinho exerceu o bispado por vinte e cinco anos e, aos oitenta e um, estava na cidade de Candes, quando morreu no dia 8 de novembro de 397. Sua festa é comemorada no dia 11, data em que foi sepultado na cidade de Tours. Venerado como São Martinho de Tours, tornou-se o primeiro Santo não mártir a receber culto oficial da Igreja e tornou-se um dos Santos mais populares da Europa medieval foi tão feliz”. São Martinho de Tours "Senhor, se o vosso povo precisa de mim, não vou fugir do trabalho. Seja feita a vossa vontade" dizia Martinho, Bispo de Tours, aos oitenta e um anos de idade.
A sua vida foi uma verdadeira cruzada contra os pagãos e em favor do cristianismo. Quatro mil igrejas dedicadas a ele na França, e o seu nome dado a milhares de localidades, povoados e vilas; como em toda a Europa, nas Américas, enfim em todo os países do mundo.  

Intróito/ Ecl. 45, 30.
O Senhor fez uma aliança de paz com ele e o estabeleceu como príncipe, para que a dignidade sacerdotal lhe pertencesse sempre.
Sal. 131, 1. Lembra-te, Senhor, de David e de toda a sua doçura.
V/. Glória Patri.

Coleta
Ó Deus, que vês que não podemos subsistir por nossa própria força; conceda, em sua bondade, que a intercessão do Beato Martinho, seu Pontífice e Confessor, nos fortaleça contra todos os males.
E comemorou S. Mennæ Mart. :São Menne, Mártir:
Oratio.Præsta, quǽsumus, omnipotens Deus: ut, qui beáti Mennæ Mártyris tui natalícia cólimus, intercessióne eius, in tui nóminis amóre roborémur. Por Dominum.Concede, Deus Todo-Poderoso, a nós que celebramos o nascimento no céu do Beato Menne, teu Mártir, a graça de sermos, por sua intercessão, fortalecidos no amor do teu nome.

Epístola extraída do
                                                                               
Eclesiástico 44,16-20
16Henoc agradou a Deus e foi transportado ao paraíso, para excitar as nações à penitência. 17 Noé foi julgado justo e perfeito, e no tempo da ira tornou-se o elo de reconciliação. 18 Por isso foram deixados alguns na terra, quando veio o dilúvio. 19 Ele foi o depositário das alianças feitas com o mundo, a fim de que ninguém doravante fosse destruído por dilúvio. 20 Abraão é o pai ilustre de uma infinidade de povos.

Gradual. Ecl. 44, 16.Ecce sacérdos magnus, qui in débus am plácuit Deo. Eis o grande Pontífice que nos dias da sua vida agradou a Deus.
V/. Ibid., 20. Non est invéntus símilis illi, qui conserváret legem Excélsi.V/. Ninguém foi encontrado como aquele que guardou a lei do Altíssimo.
Aleluia, aleluia.V/. Beátus vir, sanctus Martínus, urbis Turónis Epíscopus, requer: quem suscéperunt Angeli atque Archángeli, Throni, Dominatiónes e Virtútes. Aleluia.Aleluia, aleluia. V/. Este homem abençoado, São Martinho, Bispo de Tours, entrou em seu descanso: e os Anjos, os Arcanjos, os Tronos, os Domínios e as Virtudes o acolheram. Aleluia.

Sequência do Santo Evangelho

São Lucas 11,33-36                                                        
33 Ninguém acende uma lâmpada e a põe em lugar oculto ou debaixo da amassadeira, mas sobre um candeeiro, para alumiar os que entram. 34 O olho é a lâmpada do corpo. Se teu olho é são, todo o corpo será bem iluminado; se, porém, estiver em mau estado, o teu corpo estará em trevas. 35 Vê, pois, que a luz que está em ti não sejam trevas. 36 Se, pois, todo o teu corpo estiver na luz, sem mistura de trevas, ele será inteiramente iluminado, como sob a brilhante luz de uma lâmpada.

Ofertório/ Sal. 88, 25.
A minha verdade e a minha misericórdia estarão com ele e pelo meu nome surgirá o seu poder.
Sal. 131, 1.
Meménto, Dómine, David: et omnis mansuetúdinis eius. Lembra-te, Senhor, de David e de toda a sua doçura.
V/. Glória Patri.
Oratio.Da, quǽsumus, omnipotens Deus: ut beáti N. Confessóris tui atque Pontíficis veneránda sollémnitas, et devotiónem nobis áugeat et salútem. Por Dominum. Peço-te, Deus Todo-Poderoso, que a venerável solenidade do Beato N., teu Confessor e Pontífice, aumente em nós a devoção e nos ajude a nossa salvação.

Secreta
Santificai, rogamos-vos, Senhor Deus, os dons que vos oferecemos na solenidade do vosso santo Bispo Martinho, para que, por meio destes dons consagrados, a nossa vida, que continua entre as adversidades e a prosperidade, seja em toda a parte dirigida directamente para o seu meta.

Pro S. Mennasecreta
Munéribus nostris, quǽsumus, Dómine, precibúsque suscéptis: et cæléstibus nos munda mystériis, et clementer exáudi. Per Dominum nostrum. Tendo aceitado nossos dons e nossas orações, suplicamos-te, Senhor, purifica-nos por estes mistérios celestes e ouve-nos em tua clemência.


Comunhão/ São Mateus,  24,46-47.
Bem-aventurado o servo que o senhor, ao chegar, encontrar vigiando; em verdade vos digo que ele o designará sobre todos os seus bens. (Quem não pode comungar em especie, fazer comunhão espiritual)

Nosso Senhor Jesus Cristo numa aparição revelou a sóror Paula Maresca, fundadora do convento de Sta. Catarina de Sena de Nápoles, como se refere na sua vida, e lhe mostrou dois vasos preciosos, um de ouro e outro de prata, dizendo-lhe que conservava no vaso de ouro suas comunhões sacramentais e no de prata as espirituais. As espirituais com dependência exclusiva da piedade de Nosso Senhor Jesus Cristo, que alimentais nossa alma na solidão do coração.
“Meu Jesus, eu creio que estais realmente presente no Santíssimo Sacramento do Altar. Amo-vos sobre todas as coisas, e minha alma suspira por Vós. Mas, como não posso receber-Vos agora no Santíssimo Sacramento, vinde, ao menos espiritualmente, a meu coração. Abraço-me convosco como se já estivésseis comigo: uno-me convosco inteiramente. Ah! não permitais que torne a separar-me de Vós” (Santo Afonso Maria de Liguori)
 
Depois da comunhão.
Fazei, nós vos pedimos, Senhor nosso Deus, que estes mistérios nos sejam tornados salutares por intercessão daqueles em cuja solenidade são celebrados.
Pro S. MennaPós-comunhão
Da, quǽsumus, Dómine, Deus noster: ut, sicut tuórum comemoraióne Sanctórum temporáli gratulámur offício; ita perpétuo lætámur aspéctu. Per Dominum nostrum. Por favor, Senhor nosso Deus, como nos regozijamos em honrar no tempo, neste ofício, a memória de seus santos, possamos também nos alegrar em vê-los na eternidade.

Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo Rosário