quinta-feira, 16 de junho de 2022

Festa do Corpus Christi

16/06 Quinta-feira Festa do Corpus Christi
Festa de Primeira Classe 
 Paramentos Brancos 
   
 Corpus Christi é uma expressão latina que significa Corpo de Cristo, é uma festa que celebra a presença real e substancial de Cristo na Eucaristia.Realiza-se na quinta-feira seguinte ao domingo da Santíssima Trindade que, por sua vez, acontece no domingo seguinte ao de Pentecostes. A origem de Corpus Christi A origem da Solenidade do Corpo e Sangue de Cristo remonta ao Século XIII. A Igreja Católica sentiu necessidade de realçar a presença real do "Cristo todo" no pão consagrado. A Festa de Corpus Christi foi instituída pelo Papa Urbano IV com a Bula ‘Transiturus’ de 11 de agosto de 1264, para ser celebrada na quinta-feira após a Festa da Santíssima Trindade, que acontece no domingo depois de Pentecostes.O Papa Urbano IV foi o cônego Tiago Pantaleão de Troyes, arcediago do Cabido Diocesano de Liège na Bélgica, que recebeu o segredo das visões da freira agostiniana, Juliana de Mont Cornillon que teve visões de Cristo demonstrando desejo de que o mistério da Eucaristia fosse celebrado com destaque(Juliana de Liège, nasceu entre 1191 e 1192 . Órfã aos cinco anos, foi confiada aos cuidados das monjas agostinianas do convento-leprosário de Mont-Cornillon. "Aos 16 anos teve a primeira visão, que após repetiu-se mais vezes nas suas adorações eucarísticas. A visão apresentava a lua no seu pleno esplendor, com uma faixa escura que a atravessava diametralmente. O Senhor a fez compreender o significado disso que lhe havia aparecido).Por solicitação do Papa Urbano IV, que na época governava a igreja, os objetos milagrosos foram para Orviedo em grande procissão, sendo recebidos solenemente por sua santidade e levados para a Catedral de Santa Prisca. Esta foi a primeira procissão do Corporal Eucarístico. A 11 de agosto de 1264, o Papa lançou de Orviedo para o mundo católico através da bula Transiturus do Mundo o preceito de uma festa com extraordinária solenidade em honra do Corpo do Senhor.

A festa de Corpus Christi foi decretada em 1269.

O decreto de Urbano IV teve pouca repercussão, porque o Papa morreu em seguida. Mas se propagou por algumas igrejas, como na diocese de Colônia na Alemanha, onde Corpus Christi é celebrada desde antes de 1270. A procissão surgiu em Colônia e difundiu-se primeiro na Alemanha, depois na França e na Itália. Em Roma é encontrada desde 1350.A Eucaristia é um dos sete sacramentos e foi instituído na Última Ceia, quando Jesus disse: ‘Este é o meu corpo…isto é o meu sangue… fazei isto em memória de mim’. Porque a Eucaristia foi celebrada pela 1ª vez na Quinta-Feira Santa, Corpus Christi se celebra sempre numa quinta-feira após o domingo da Santíssima Trindade. Neste Sacramento, no momento da Consagração, ocorre a transubstanciação, ou seja, o pão se torna carne e o vinho sangue de Jesus Cristo, em toda Santa Missa, mesmo que esta transformação da matéria não seja visível.Corpus Christi é celebrado 60 dias após a páscoa. Podendo cair entre 21 de maio e 24 de junho

São Tomás de Aquino
  O frei dominicano e doutor em Teologia Moral, Carlos Josaphat Pinto de Oliveira, relata que São Tomás compôs os textos da Missa da Solenidade e da Liturgia das Horas (comumente recitados pelos religiosos), ressaltando-se os hinos Lauda Sion e Adoro Te Devote.

São Paulo de Constantinopla, Bispo e Confessor.
  Ele naceu em Tessalônica, um presbítero de Constantinopla e um secretário do já idoso bispo Alexandre de Constantinopla, seu predecessor na sé episcopal. Assim que Alexandre morreu, os dois lados em disputa (os arianos e os ortodoxos) entraram em conflito aberto. O partido ortodoxo inicialmente prevaleceu, Paulo foi eleito e consagrado por bispos que estavam na capital imperial na Igreja da Paz, perto de onde futuramente estará a Basílica de Santa Sofia. O imperador Constâncio II tinha estado fora durante estes eventos. Assim que ele chegou, ele ficou furioso por não ter sido consultado. Ele convocou um sínodo de bispos arianos, declarou Paulo incapaz para o episcopado, banindo-o e trazendo Eusébio de Nicomédia para Constantinopla. Acredita-se que isto tenha ocorrido em 338 e Eusébio morreu três anos depois, em 341. Paulo foi logo restaurado pelo povo à sua sé, porém os arianos aproveitaram a situação. Teógnis de Niceia e Teodoro de Heracleia (junto com outros bispos arianos) consagraram Macedônio na igreja de São Paulo. E novamente a cidade estava à beira de uma guerra civil.
 O imperador estava em Antioquia quando ele soube dos fatos e ordenou Hermógenes, seu general de cavalaria, que fosse à cidade expulsar novamente Paulo. A população não queria que nada violento fosse feito com seu bispo e correu para a casa onde o general estava hospedado. Ela foi incendiada, Hermógenes foi assassinado e seu cadáver foi arrastado para fora do edifício em chamas e arrastado pela cidade em triunfo.
  Constâncio não iria deixar por menos esta rebelião contra sua autoridade. Ele cavalgou à toda velocidade de volta à Constantinopla, determinado a punir a população severamente por sua revolta. Porém, ele encontrou o povo de joelhos, com lágrimas nos olhos e se conteve de cortar metade do suprimento de milho. Porém, ele ordenou que Paulo fosse expulso imediatamente.
  Santo Atanásio, Patriarca deposto de Alexandria, estava exilado, assim como Marcelo de Ancira e Asclepas de Gaza. Paulo se juntou a eles e foram todos para Roma buscar o apoio do Papa Júlio I, que examinou o caso com profundidade e confirmou que os três estavam firmes no credo de Niceia. Por isso, os admitiu em comunhão e desposou a causa de defendê-los, escrevendo em tons fortes aos bispos do oriente. Atanásio e Paulo recuperaram assim as suas sés. Porém, os bispos do oriente responderam ao Papa de modo geral se recusando a agir como lhes fora aconselhado por ele.
 Constâncio, novamente em Antioquia, e estava mais resoluto do que nunca contra a escolha do povo de Constantinopla. Filipus, prefeito do oriente, estava lá e recebeu ordens de, novamente, expulsar Paulo e recolocar Macedônio como patriarca. Filipus não queria correr o risco de acabar como Hermógenes e nada disse ao chegar sobre uma ordem imperial.
 Num esplêndido banho público chamado Zeuxippus, junto de um palácio na costa do Helesponto, Filipus pediu que Paulo fosse encontrá-lo para discutir alguns assuntos públicos. Quando ele chegou, Filipus lhe mostrou a carta do imperador e ordenou que ele fosse secretamente enviado, por dentro do palácio, à costa e colocado num barco para ser levado de volta a Tessalônica, sua terra natal. Filipus permitiu que ele posteriormente visitasse prefeitura da Ilíria e outras províncias romanas mais remotas, mas proibiu que ele pisasse novamente no oriente.
 Nos anos finais de sua vida, ele foi levado preso para Singara, na Mesopotâmia, depois para Emesa e finalmente para Cucusus, na Armênia, onde ele morreu.

Intróito/Sal. 80, 17.
Ele os alimentou com a flor do trigo e os satisfez com o mel da rocha, aleluia, aleluia, aleluia.
Ps. ib., 2.Exultai em Deus nosso protetor: regozijai-vos em honra do Deus de Jacó.
V/. Glória Patri.

Coleta
Deus, vós nos deixastes sob um admirável Sacramento o memorial da vossa paixão: concedei-nos, nós vos suplicamos, venerar os sagrados mistérios do vosso Corpo e do vosso Sangue; para sentir sempre em nós o fruto da sua redenção.

Leitura da Epístola dos

1ª Coríntios 11, 23-29
23.Eu recebi do Senhor o que vos transmiti: que o Senhor Jesus, na noite em que foi traído, tomou o pão24.e, depois de ter dado graças, partiu-o e disse: Isto é o meu corpo, que é entregue por vós; fazei isto em memória de mim.25.Do mesmo modo, depois de haver ceado, tomou também o cálice, dizendo: Este cálice é a Nova Aliança no meu sangue; todas as vezes que o beberdes, fazei-o em memória de mim.26.Assim, todas as vezes que comeis desse pão e bebeis desse cálice lembrais a morte do Senhor, até que venha.27.Portanto, todo aquele que comer o pão ou beber o cálice do Senhor indignamente será culpável do corpo e do sangue do Senhor.28.Que cada um se examine a si mesmo, e assim coma desse pão e beba desse cálice.29.Aquele que o come e o bebe sem distinguir o corpo do Senhor, come e bebe a sua própria condenação.

Gradual. Sal. 144, 15-16.Gradual
Oculi ómnium in te sperant, Dómine: et tu das illis escam in témpore opportuno.Os olhos de todos, Senhor, olham para ti com esperança: e tu lhes dás o seu alimento a seu tempo.
V/. Aperis tu manum tuam: et imples omne animal benedictióne.V/. Você abre a mão: e enche de bênção tudo o que tem vida.
Aleluia, aleluia.Aleluia, aleluia.
V/. Ioann. 6, 56-57. Caro mea vere é cibus, e sanguis meus vere é potus: qui mandúcat meam carnem et bibit meum sánguinem, in me manet et ego in eo.V/. Minha carne é verdadeiramente comida, e meu sangue é verdadeiramente bebida; quem come a minha carne e bebe o meu sangue permanece em mim e eu nele.
Sequência.Seqüência.
Lauda, ​​Sion, Salvatórem, lauda ducem e pastórem in hymnis et canticis.Louve, Sion, seu Salvador, louve seu líder e seu pastor, com hinos e cânticos.
Quantum potes, tantum aude: quia maior omni laude, nec laudáre súffícis.Tanto quanto você puder, ouse cantá-la, porque ela excede todo louvor, e você não é suficiente para elogiá-la.
Laudis thema speciális, panis vivus et vitális hódie propónitur.O tema especial do louvor é o pão vivo e vivificante oferecido a nós hoje.
Quem in sacræ mensa cenæ turbæ fratrum duodenae datum non ambígitur.O pão que na ceia do Senhor, aos doze, seus irmãos, Jesus realmente deu.
Sit laus plena, sit sonora, sit iucúnda, sit decóra mentis iubilátio.Que o louvor seja pleno e vivo; que seja alegre e magnífico, o júbilo da alma.
Dies enim sollémnis agitur, in qua mensæ prima recólitur huius institútio.Porque hoje é a solenidade, que lembra a primeira instituição da Última Ceia.
In hac mensa novi Regis, novum Pascha novæ legis Phase vetus términat.Nesta mesa do novo Rei, a nova Páscoa da nova lei põe fim à antiga Páscoa.
Vetustátem nóvitas, umbram fugat veritas, noctem lux elíminat.O velho rito é sucedido pelo novo, a verdade expulsa as sombras, a luz dissipa a noite.
Quod in cœna Christus gessit, faciendum hoc expréssit in sui memóriam.O que Cristo realiza na Última Ceia, ele ordenou que fosse feito em memória dele.
Docti sacris institútis, panem, vinum in salútis consecrámus hóstiam.Instruídos por suas santas ordens, consagramos o pão e o vinho na hóstia da salvação.
Dogma datur Christiánis, quod in carnem transit panis et vinum in sánguinem.É uma verdade oferecida aos cristãos que o pão se torna a carne e o vinho o sangue de Cristo.
Quod non capis, quod non vides, animosa fírmat fides, præter rerum órdinem.Sem entender e sem ver, a fé viva atesta isso contra a ordem usual das coisas.
Sub divérsis speciébus, signis tantum, e non rebus, latente res exímiæ.Sob várias espécies, meras aparências e não-realidade, escondem-se realidades sublimes.
Caro cibus, sanguis potus: espécie manet tamen Christus totus sub utráque.A carne é comida, o sangue é bebida: mas Cristo permanece inteiro, sob uma e outra espécie.
A suménte non concísus, non confráctus, non divísus: ínteger accípitur.Nós a recebemos sem dividi-la, ou quebrá-la, ou quebrá-la: ela é recebida inteiramente.
Sumit unus, sumunt mille: quantum isti, tantum ille: nec sumptus consúmitur.Apenas um recebe, mil recebem: este tanto quanto estes: nos alimentamos dele sem consumi-lo.
Sumunt boni, sumunt mali sort tamen inæquáli, vitae vel intéritus.Os bons recebem, os maus também: mas se o destino deles é diferente, é vida ou é morte!
Mors est malis, vita bonis: void, paris sumptiónis quam sit dispar éxitus.Morte para os ímpios, vida para os bons; ver quanto do mesmo tratamento, diferente é a questão.
Fracto demum sacramento, ne vacílles, sed memento, tantum esse sub fragmento, quantum toto tégitur.Se você dividir a Santa Hóstia, não hesite, mas lembre-se de que há tanto sob cada parte quanto no todo.
Nulla rei fit scissúra: signi tantum fit fractúra: qua nec status nec statúra signáti minúitur.Do Corpo divino não há ruptura: apenas o sinal é quebrado; nem o estado nem a magnitude da realidade significada são diminuídos.
Ecce panis Angelórum, factus cibus viatórum: vere panis filiórum, non mitténdus canibus.Aqui está o Pão dos Anjos, que se tornou o alimento dos viajantes: é realmente o pão das crianças, que não deve ser jogado aos cães.
In figuris præsignátur, cum Isaac immolátur: agnus paschæ deputátur: datur manna pátribus.Ele é designado antecipadamente por figuras, a imolação de Isaac, o Cordeiro Pascal, o maná dado a nossos pais.
Pastor de osso, panis vere, Iesu, nostri miserére: você nos passa, nos mata: você nos passa nosso bona fac vidére in terra viventium.Bom pastor, verdadeiro pão, Jesus, tem piedade de nós: alimenta-nos, guarda-nos, faze-nos gozar de bens verdadeiros, na terra dos vivos.
Tu, qui cuncta scis et vales: qui nos pascis hic mortáles: tuos ibi commensáles, coherédes et sodáles fac sanctórum cívium. Um homem. AleluiaTu que sabes e tudo podes, que nos nutres nesta vida mortal: faze-nos acima dos comensais, co-herdeiros e companheiros dos santos no céu, assim seja. Aleluia.

Sequência do Santo Evangelho 

São João 6, 55-58
55.Pois a minha carne é verdadeiramente uma comida e o meu sangue, verdadeiramente uma bebida.56.Quem come a minha carne e bebe o meu sangue permanece em mim e eu nele.57.Assim como o Pai que me enviou vive, e eu vivo pelo Pai, assim também aquele que comer a minha carne viverá por mim.58.Este é o pão que desceu do céu. Não como o maná que vossos pais comeram e morreram. Quem come deste pão viverá eternamente.

Ofertório/Levit. 21, 6.
Os sacerdotes do Senhor oferecem incenso e pães a Deus; por isso se santificarão ao seu Deus, e não contaminarão o seu nome, aleluia.

Secreta
Nós Vos suplicamos, Senhor, concedei em vossa bondade à vossa Igreja os dons da unidade e da paz: que os materiais oferecidos neste sacrifício representem misticamente.

Comunhão/I Cor. 11, 26-27.
Sempre que comerdes este pão e beberdes este cálice, anunciareis a morte do Senhor, até que venha; portanto, quem comer este pão ou beber o cálice do Senhor indignamente será culpado de profanar o corpo e o sangue do Senhor, Aleluia.(Quem não pode comungar em especie, fazer comunhão espiritual)

Nosso Senhor Jesus Cristo numa aparição revelou a sóror Paula Maresca, fundadora do convento de Sta. Catarina de Sena de Nápoles, como se refere na sua vida, e lhe mostrou dois vasos preciosos, um de ouro e outro de prata, dizendo-lhe que conservava no vaso de ouro suas comunhões sacramentais e no de prata as espirituais. As espirituais com dependência exclusiva da piedade de Nosso Senhor Jesus Cristo, que alimentais nossa alma na solidão do coração.
“Meu Jesus, eu creio que estais realmente presente no Santíssimo Sacramento do Altar. Amo-vos sobre todas as coisas, e minha alma suspira por Vós. Mas, como não posso receber-Vos agora no Santíssimo Sacramento, vinde, ao menos espiritualmente, a meu coração. Abraço-me convosco como se já estivésseis comigo: uno-me Convosco inteiramente. Ah! não permitais que torne a separar-me de Vós” (Santo Afonso Maria de Liguori)
 
Depois da comunhão.
Nós vos suplicamos, Senhor, fazei-nos saciados pelo gozo eterno da vossa divindade: gozo do qual a recepção no tempo, do vosso precioso Corpo e do vosso Sangue, é para nós uma figura antecipada.


Viva Cristo Rei e Maria Rainha.
Rezem todos os dias o Santo Rosário